Professor (a): Wanderley Pires Unidade IV 4. DIMENSIONAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUES II 4.

3 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUES Outros desafios da Am estão em planejar e controlar os estoques para tentar mantê-los em níveis adequados, de forma a não afetar o processo produtivo, de forma que temos uma tendência dos estoques a flutuar em razão das entradas e saídas podendo sofrer a cada momento uma classificação diferente. Desta forma temos de um lado que podemos ter estoque grande para evitar desperdícios e investimentos desnecessários e do outro falta de material que implica na paralisação da linha de produção e conseqüentemente falta de PA para entrega aos clientes. Temos na definição de Chiavenato(2005, p.77), que para controlar os estoques são necessárias duas ferramentas administrativas básicas: O fichário de estoque e a classificação ABC. 4.3.1 Fichário de estoque O fichário de estoque também chamado de banco de dados sobre matérias, é o conjunto de documentos e informações que servem para informar, analisar e controlar os estoques de materiais. Em empresas em que o controle é manual normalmente fica alojados em um armário, arquivo, quadro, etc. Quando o processo é feito eletronicamente utiliza se o computador. Cada empresa define sua ficha de estoque(FE), que no caso deve conter alguns dados como identificação do item, controle do item, entradas e saídas do estoque, saldo, valor do saldo em estoque e rotação do estoque, desta forma quanto maior o grau de informação contida mais sofisticada ela será. 4.3.2 Classificação ABC A classificação da curva ABC normalmente é utilizada no planejamento e controle de estoque que também recebe o nome de curva de Pareto, onde se tem a identificação que a maior parte investimento esta concentrada em um pequeno numero pequeno de materiais. Onde Pareto identificou que a riqueza de uma nação esta concentrada nas mãos de um numero pequeno de pessoas. Desta forma Chiavenato define a classificação ABC de acordo com sua quantidade, ou valor monetário, em três classes. Classe A – constituída por itens de 15 a 20% do total de itens que são normalmente responsáveis pela maior parte (aproximadamente 80%) do valor monetário do estoques. O número é pequeno de itens porem o peso de investimento é alto. Classe B – constituída em uma quantidade média de itens em torno de 35 a 40% do total de itens do estoque, representa no momento 15% do valor monetário do estoque. Neste caso são itens intermediários, tendo um valor relativo ao estoque total.

Como se Obtém a Curva ABC Obtém-se a curva ABC através da ordenação dos itens que serão analisados. Temos então que a classificação ABC pode ser transformada na Curva ABC ou Curva de Pareto. A experiência demonstra que poucos itens. e aos menos importantes.). segundo a ótica do valor. ou da quantidade. são da classe B. Desta forma as empresas passam a dedicar sua atenção a controlar os itens de Classe A devido a valor monetário envolvido que chega a ser 80% do valor global do estoque. itens da classe B. e assim os de Classe B recebem menos atenção e os de Classe C sendo tratados como procedimentos semi-automáticos por não terem necessidades de decisões maiores em razão dos investimentos necessários para aquisição. Estes são os itens mais numerosos em razão da quantidade porem de valor baixo o melhor dizendo de pouca importância ao valor total do estoque.Classe C – constituída de uma enorme quantidade de itens cerca de 40 a 50% do total de itens do estoque porem de pequeno valor monetário sendo na ordem 5 a 10% do estoque. mas pode ser que ela seja feita uma única vez. . Outras explicações podem dar a curva ABC por ser um importante instrumento para se examinar estoques. colocando os itens num rol decrescente de grandeza partindo dos itens mais importantes para os menos importantes. é da classe C e 30% a 40%. itens da classe C. preços. ou quantidade dos itens de estoque.Sistema de duas gavetas    Sistema dos máximos –mínimos Sistema das reposições periódicas Planejamento das necessidades de materiais(MRP). enquanto uma grande quantidade. para a programação da produção. aos intermediários. conforme sua importância relativa no grupo. A montagem dos grupos pode parecer um pouco trabalhosa. Aos itens mais importantes de todos. em certo espaço de tempo (normalmente 6 meses ou 1 ano). ou mesmo muito esporadicamente. permitindo a identificação daqueles itens que justificam atenção e tratamento adequados quanto à sua administração. A curva ABC é muito usada para a administração de estoques. do consumo em valor monetário. para estabelecimento de prioridades. etc. Ela consiste na verificação. dá-se à denominação de itens da classe A. são da classe A. para a definição de políticas de vendas. Os itens de cada grupo permanecem enquanto nas condições que possam afetar os itens (consumo. em torno de 50%. para que eles possam ser classificados em ordem decrescente de importância. vendas. etc. de 10% a 20% do total. A montagem dos grupos pode ser feita em duas etapas (vamos continuar com o exemplo de um controle de estoques): Independente das ferramentas administrativas utilizadas existem quatro métodos de controle de estoques:P .

outras empresas anotam na FE a quantidade da gaveta B.3.3.3 Sistema de Duas Gavetas É o método mais simples de controlar estoques.4 Sistema de Máximos-Mínimos Também chamado de quantidades fixas. O sistema de duas gavetas também chamado de sistema de estoque mínimo quando a separação entre duas partes não é feita fisicamente. . há empresas também que utilizam uma marca de separação entre as duas pilhas. dento esta quantidade somente para atender a necessidade em um determinado período de tempo ate a reposição de estoque mais o estoque de segurança. Vantagens: Esta na simplificação dos procedimentos burocráticos Desvantagens: reside quando o estoque esta em diferentes locais de visualização. para reposição do estoque. quando o estoque chega ao final emiti-se um Ocs ou pedido de compra para reposição e passa a atender as RMs pelo estoque da gaveta B. pelo fato terem grande variedade de produtos com valores baixos. principalmente os itens de classe C. Gaveta A Gaveta B Estoque normal de atendimento Estoque de reserva + estoque de segurança Figura 1: Sobre o Sistema de Duas Gavetas Fonte: Adaptado CHIAVENATO. O sistema Máximo – Mínimo consiste em estimar os estoques máximos(Emax) e o mínimo (Emin) para cada item. quando é aberto remete-se ao órgão de compras. na gaveta A tem-se o estoque previsto no período. 2005. O almoxarifado atende as RMs (requisição de materiais) que chegam pelo estoque da gaveta A.4. Algumas empresas mantêm seu estoque da gaveta A na prateleira e o estoque da gaveta B no almoxarifado em sacos ou caixa com um cartão de identificação ou uma ficha dentro. Dar-se da seguinte forma o estoque é armazenado em duas gavetas. Sendo assim podemos calcular o ponto de pedido(PP) conforme com o tempo de reposição periódica. mas apenas com o registro na ficha de estoque(FE) do ponto de separação entre uma gaveta e outra. em razão de uma demanda futura ou expectativa de consumo previsto para determinado período. normalmente utilizadas quando há muita dificuldade para determinar o consumo quando ocorre variação no tempo de reposição(tempo de reposição é o tempo gasto entre o momento em que se se verificou a necessidade de repor o estoque até a chagada do material). 4. sendo muito utilizado pelo comércio varejista e empresas de pequeno porte. Desta forma o estoque deve estar flutuando entre o máximo e o mínino. de forma que quando o estoque atingir o ponto de pedir ou pedido deve-se emitir um pedido de compra.

3. Desta forma temos: Emin= ER + dt (d x t) d = consumo médio de material t = tempo de espera médio. baseado sempre no sistema de estoque mínimo (Emin) ou de segurança com intuído de não haver consumo além do normal e evitar possíveis atrasos nas épocas de reposição. normalmente obtida através de uma estrutura analítica do produto. Neste caso não havendo material ou algum item em estoque o sistema emite uma solicitação de compra. para reposição do material. é uma técnica que permite determinar as necessidades de compras dos materiais que serão utilizados na fabricação de um certo produto (MARTINS. Cabe ressaltar que quando uma grande demanda ou consumo em grande número de itens costuma-se comprar simultaneamente diversos itens em razão de aferir vantagens entre uma compra por lote econômico e o transporte. desta forma a quantidade de material pedida deve ser igual à demanda do próximo período. que estoque de reserva (ER). Cada item tem seu tempo de reposição é feita periodicamente em ciclos de tempos iguais denominados de períodos de reposição (PR). é o período de tempo entre duas reposições do material. O estoque máximo (Emax) é quantidade equivalente á soma do estoque mínimo mais a reposição com o lote de compra. Temos então. 4. O IR é o intervalo de tempo entre dois PPs.O estoque mínimo (Emin) quando atingido deve-se comprar ou repor novo lote de material. para os itens faltantes ou uma ordem de fabricação. para sua reposição.3. em dias. que pode exemplifica-lo a forma pela qual o computador calcula as necessidades de materiais que serão utilizados e verifica se há estoques disponíveis para atendimento. 4. Temos: Emax = Emin + lote de compra  Ponto de Pedido(PP): é uma quantidade de estoque que. 2006). também conhecida por árvore do produto ou explosão do produto. mais o consumo médio de material multiplicado pelo tempo de espera médio.  Intervalo de reposição(IR): ou intervalo de ressuprimento ou ainda período de reposição. quando atingida. que ocorre em função de uma demanda. para os itens fabricados internamente. podemos assim dizer como um estoque de reserva(ER) ou de segurança ou um estoque que utilizamos em caso de extrema necessidade. . deverá provocar um novo pedido de compra para reposição do estoque.5 Planejamento das necessidades de materiais(MRP) O materials requirement planning(MRP) ou como no seu significado planejamento das necessidades de materiais. em dias. Forma esta que pode ser feito através de uma lista de material ou Bill of material.5 Sistema das reposições periódicas Também denominado sistema das renovações ou revisões periódicas sistema que consiste em fazer pedidos em intervalos de tempo pré-determinados ou estabelecidos para cada item.

4 AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES A questão que temos reside em como avaliar financeiramente os estoque em termos de preço para permitir informações contábeis e financeiras atualizadas seja como matéria-prima(MP) até produtos acabados(PA) tomando como base o preço de custo ou preço do mercado. 4.PROJEÇÃO DE DEMANDA PLANO DE PRODUÇÃO SOFTWARE MRP LISTA DE MATERIAIS LISTA DE NEC. MATERIAIS CONSULTA DE ESTOQUES HÃ DISPONIBI-LIDADE LIBERA FABRICAÇÃO ITEM FABRICADO OU COMPRADO FÁBRICA LIBERA COMPRA LIBERA FA-BRICAÇÃO DO ITEM FORNECEDOR Figura 2: Esquema de Funcionamento MRP Fonte: CHIAVENATO. p.89) destaca que avaliação dos estoques pode ser feita através de quatro métodos:   Avaliação pelo Custo Médio Avaliação pelo método PEPS(FIFO) . 2005. Desta forma Chiavenato (2005.

onde temos o modelo de uma ficha de estoque de material: TABELA 1: Movimento de estoque e cálculo do custo médio SALDO EM ESTOQUE 2005 ENTRADAS SAÍDAS DATA NF QUANT.00 400.00 + 1500. Por este motivo avaliação pelo custo médio indica os custos reais das compras de material e funciona como um estabilizador ao equilibrar as flutuações de preços que ocorrem ao longo do tempo.400. TOTAL R$ QUANT.11 100 3.00 400 3. PREÇO MÉDIO = CUSTO TOTAL DE ENTRADA QUANTIDADE 400.200. TOTAL R$ QUANT. PREÇO UNIT.  Avaliação pelo método UEPS(LIFO) Avaliação pelo Custo de Reposição 4.00 = 3.00 300 3. 2005.00 = 4.00 28.00 2.00 600 4.00 Fonte: CHIAVENATO.00 400 600 ou X =  (y) N X = média aritmética (custo médio)  = somatório em reais N = quantidade de material .1 Avaliação pelo custo médio Método mais utilizado baseia-se no preço de todas as retiradas ao preço médio do suprimento do item de estoque.10 048 200 2.00 2) 900. A avaliação do saldo de estoque permanece no almoxarifado bem como os custos do material fornecidos à produção são calculados pelo custo médio. TOTAL R$ 20.4.11 058 200 4.00 200 2.00 1.00 400.500.00 1. PREÇO UNIT. Cada saída é calculada pelo custo médio.00 300. PREÇO UNIT.00 + 800.00 900.00 800.12 087 300 5.00 25.00 10.

PREÇO UNIT.00 100 2.00 03.00 Fonte: DIAS.00 2. O valor do estoque é calculado pelo ultimo preço que normalmente é o mais elevado.00 2. primeiro a sair) ao termo em inglês FIFO (first in.3 Avaliação pelo UEPS (LIFO) Temos a sigla UEPS (ultimo a entrar. O material é avaliado pelo preço do material mais antigo.000.500. 1993. first out).000.00 150 3.4.05 100 15.00 750.00 250 4.00 100 1. PREÇO UNIT.00 50 20.00 Fonte: DIAS. TOTAL R$ QUANT.00 150 2.00 100 1.00 2.00 1.000.000. 4. TOTAL R$ QUANT. primeiro a sair) do inglês LIFO (last in. aplica-se o preço do material seguinte.00 1.250. TABELA 3: Movimento de estoque e cálculo do custo médio pelo método UEPS 2005 ENTRADAS SAÍDAS SALDO EM ESTOQUE DATA NF QUANT.000.00 1.00 3.500. A saída do estoque é feita pelo preço do último lote a entrar no almoxarifado.05 001 100 15.500. TOTAL R$ QUANT.00 05.03 100 20. 1993.000.500.500.3 001 150 15.00 08. PREÇO UNIT. PREÇO UNIT.250. TOTAL R$ QUANT.00 150 2.Desta forma temos que o valor de estoque é calculado pela média dos preços de entrada no almoxarifado. first out).250.03 004 100 20.05 002 150 20.2 Avaliação pelo PEPS (FIFO) Temos a sigla PEPS (primeiro a entrar. enquanto o custo de produção é calculado com os materiais avaliados a preço médio. tipo de avaliação de estoque que é feita pela ordem cronológica das entradas. TOTAL R$ 02.250. O porque provoca uma supervalorização ao PA produzindo um crédito positivo de materiais.4. TOTAL R$ 06.00 07. TABELA 2: Movimento de estoque e cálculo do custo médio pelo método PEPS 2005 ENTRADAS SAÍDAS SALDO EM ESTOQUE DATA NF QUANT. Desta forma o terminado o lote mais antigo.00 50 15. 4. .00 250 4.

00 %= 0. (1993. Depreciação.75 CR= PU+ ACR CR= 25.75 CR= R$ 28. as quantidades em estoque e o tempo de permanência. Os custos são:      Juros. Assim o estoque é sempre atualizado em função dos preços de mercado. O custo de estoque (CE) é a soma de dois custos: o custo de armazenagem (CA) e o custo do pedido(CP). Deterioração. Ao qual dependem de duas variáveis. onde temos custo de estocagem. é o preço unitário de reposição 4. Equipamentos de movimentação. Assim temos: CR = PU x ACR CR = Custo de reposição PU = Preço unitário do material ACR = Acréscimo do Custo de Reposição em percentual(%) PU = R$ 25.15 Percentual do custo de reposição ou (ACR) ACR = 25.00 + 3.4. .00 x 0.4 Avaliação pelo custo de reposição A avaliação pelo custo de reposição tem por base a elevação dos custos a curto prazo em relação à inflação. Aluguel. p.4.5 CUSTO DE ESTOQUE Dias. Todo material estocado gera custos.75. 45) destaca que “toda e qualquer armazenagem de material gera determinados custo de estoque”.15 ACR = 3.

luz. depreciação). Salários. Desta forma utilizamos uma formula para mediar a Taxa de Armazenamento(TA). Custos de manutenção (deterioração.1 Custo de armazenagem Sendo assim o processo de desenvolvimento das empresas faz com vejamos os problemas diários de minimizar os custos. impostos. o custo de armazenagem é um deles. obsolescência. Podem todos ser agrupados em diversas modalidades de custos:     Custo de capital(juros. Custos com pessoal(salários. seguro contra incêndio e roubo. o custo de armazenagem(CA) é composto de uma parte variável (quantidade de material e o tempo de permanência ) e de parte fixa (aluguel do armazém. equipamentos). Logo após a segunda guerra mundial e houve um aumento no processo de consequentemente redução dos custos produtivos e os custos de armazenagem aumentaram pelas entradas. conservação). Conservação. encargos sociais). que constitui a soma das seguintes taxas(todas elas expressas em percentagens): Ta = Taxa de armazenamento físico ou (Ia) .5. maquinas e equipamentos instalados). Seguros. 4. Porém. salários do pessoal do armazém. Para representar o custo de armazenagem temos: Custo de armazenagem = Q x T x P x I 2 Q = Quantidade de material em estoque no período considerado T = Tempo de armazenamento P = Preço unitário do material I = Taxa de armazenamento expressa em percentagem do preço unitário. Custos com edificações(aluguel. saídas e movimentação.    Obsolescência. Assim temos que a parte fica independente de quantidade e tempo de estocagem.

como mão-de-obra. ou (If): Tf = 100 x Despesas anuais Q x P (valor do estoque) Em suma taxa de Armazenagem(TA) é a soma de todas essas taxas: . água. Tc = Taxa de seguro do material estocado ou (Ic): Tc = 100 x Custo anual do seguro Q x P (valor do estoque) Td = Taxa de transporte. manuseio e distribuição do material ou (Id): Td = 100 x Depreciação anual do equipamento Q x P (valor do estoque) Te = Taxa de obsolescência do material ou (Ie): Te = 100 x Perdas anuais por obsolescência Q x P (valor do estoque) Tf = Outras taxas.etc.Ta = 100 x A x Ca CxP A = Área ocupada pelo estoque Ca = custo anual do metro quadrado de armazenamento C = consumo anual do material P = Preço unitário do material Tb = Taxa de retorno do capital empatado em estoque ou (Ib): Tb = 100 x lucro Q x P(quantidade x Preço) Q x P = valor dos produtos estocados. luz.

Método de Cálculos do Custo do Pedido 1 – MÃO–DE–OBRA Salários e encargos para: R$ ANO Gerente de Compras ____ Compradores ____ Diligenciadores ____ Secretárias ____ Datilógrafas ____ Motoristas ____ Boy ____ Total de mão-de-obra ____ . Material – Utilizado na confecção do pedido(formulários. fax. despesas de escritório etc. o custo de armazenagem é a soma de: custos de capital. 4. como luz. Para calcular o CP. custos de seguro. telefone. custos de obsolescência.5. custos de despesas diversas. custos de transportes. vemos o custo anual de todos os custos envolvidos no processamento dos pedidos de compra.) Custos indiretos – despesas efetuadas indiretamente. papel.TA = Ta+Tb+Tc+Td+Te+Tf Conclui-se que I= Ia+Ib+Ic+Id+Ie+If Ou seja. divididos pelo numero de pedidos processados no período. CP = Custo anual dos pedidos(CAP) Número de pedidos no ano(N) Os totais das despesas que compõem o CAP são:    Mão-de-obra – utilizada para emissão e processamento do pedidos. envelopes etc.2 Custo do pedido O custo de pedido (CP) é o valor em moeda corrente dos custos incorridos no processamento de cada pedido de compra.

ANO Telefone ____ Luz ____ Correios ____ Reprodução ____ Viagens ____ Custos da área ocupada ____ Total de Custos Indiretos ____ TOTAL GERAL (I + II+ III) (CTA ) Determinação do número de pedidos de emitidos em um ano(N).ANO Papel ____ Lápis ____ Borracha ____ Envelope ____ Fita de máquina ____ Total de material ____ Estas despesas são difíceis de coletas.Ou seja. A Seção de Serviços Gerais normalmente deve ser consultada para um auxílio III – Custos indiretos R$. para o período de um ano. sem exceção. devemos relacionar todos os gastos em salários do pessoal do Departamento de Compras. II – MATERIAL R$. Temos: N = CPA CP .

Paulo Renato Alt. CAMPOS. São Paulo. São Paulo. 1993.1 DIMENSIONAMENTO Destaca Chiavenato (2005. Garcia Petrônio. São Paulo. 2006. SETEMBRO. Atlas. 2005. ADAPTAÇÃO: WANDERLEY PIRES. DIAS.BIBLIOGRAFIA: CHIAVENATO. 4. 2006. Idalberto.quais os itens de estoque. O dimensionamento de estoque deve ser fundamentado nas seguintes perguntas: O que: quais os materiais devem permanecer em estoque . qual o nível de estoque para cada item. MARTINS. Desta forma vemos que ambos devem ser evitados. qual a periodicidade de compras ou giro de estoques. para aquisição de MP .Menores juros e custos de estocagem .72). “Dimensionar o estoque significa estabelecer os níveis de estoque adequados ao abastecimento da produção sem resvalar nos dois extremos de excessivo estoque ou de estoque insuficiente”. Unidade IV 4. ou área tem interesse em aumentar seu estoque de segurança em razão de diminuir o risco de falta de material para execução de suas atividades. Administração de Materiais. Saraiva. MínimoNível de estoquesMáximo Para finanças:Para compras: . Reposição: quando os estoques devem ser reabastecidos.Melhores condições de compra e descontos . DIMENSIONAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUES I Cada Depto. Administração de Materiais. financeiro pela simples razão da não liberação de recursos. Investimento em estoques excessivos é visto como desperdiço e má aplicabilidade dos recursos financeiros. que provoca prejuízos às organizações.PA.Menor capital investido . Elsiveir. Aurélio P. p. ou seja. pelo fato dos mesmos acharem desnecessário ter um estoque alto e vêem que a maior necessidade esta em rodar o estoque aumentando a rentabilidade do capital investido. Administração de materiais e recursos patrimoniais . Saindo daí os conflitos com Depto. Quanto: qual a quantidade ou volume necessário deve permanecer por um determinado período. uma abordagem logística. por outro lado estoque insuficiente leva paralisações pela faltas de MP.

salienta que o dimensionamento dos níveis de estoque está fundamentado na previsão do consumo dos materiais..Flexibilidade Materiais em processamento Materiais semi-acabados Materiais acabados Para finanças: Para o depósito: . porém não devemos esquecer que quanto maior for o estoque maior devera ser a amplitude de controle da AM.Nenhum risco de falta -Menor capital investido -Menor custo de estocagem Produtos acabados Figura 1: O conflito de interesses quanto aos estoques Fonte: CHIAVENATTO. A previsão de consumo. p. Chiavenato (2005. 2005. em que época e quantidade suficiente para abastecer a produção.Menor risco de perdas e obsolescência .Maior segurança .Nenhum risco de falta Matérias-primas Para finanças: Para as seções produtivas: . é uma estimativa a priori de quanto material será necessário durante um determinado período de tempo.73). também chamada de previsão de demanda. As principais técnicas de cálculos quantitativos de previsão de consumo são:  Método de consumo do ultimo período .Entregas rápidas .Nenhum risco de falta . Vemos então que o grande desafio esta em saber quais os materiais devemos comprar.

200. em caso do consumo decrescente.500. porem com melhorias.000 Média Móvel 300.1. p.1. 200.1 Método de consumo do ultimo período O método mais simples que consiste em prever o consumo pelo ultimo período.000 Aculumado 1.000 2010 100.000 2. Pode-se também aumentar determinada quantidade em razão de um crescimento da demanda de um período para o outro. 100.000 2008 300. 2005.000 2006 500.000 Aculumado 1. Quadro 1: Previsão de consumo pelo método do ultimo consumo ANO CONSUMO ANO CONSUMO 2005 1. a média futura será maior.  Método de média móvel Método de média móvel ponderada 4.000 Fonte: CHIAVENATO.000 4. 500. 300. 2005.37). 4. onde a previsão do próximo período é calculada a partir das médias de consumo dos períodos anteriores.000 Fonte: CHIAVENATO. seja pela demanda do período anterior.500. Neste caso temos: .000 2007 400. Vemos que se o consumo do mês anterior for crescente ou média futura será menor.000 Média Móvel 300. Dias (1993.000 2006 1.000 1. 400. destaca que a média móvel pode ser obtida calculando-se a média dos valores de consumo nos n períodos anteriores.2 Método de média móvel É o método semelhante ao de consumo do último período. Quadro 2: Previsão de consumo pelo método da média móvel com duas alternativas: consumo crescente e decrescente. ANO QUANTIDADE ANO QUANTIDADE 1.000 5.000 3.

000 + 200.CM = C1+C2+C3+C4+C5 n CM = Consumo Médio C = Consumo nos períodos anteriores n = Número de períodos CM = 100.000 Porém. 7+5+6.3. 5. 6.000 + 300. a cada novo mês ou período. uma média móvel para três períodos.000 + 400.2.000 + 500. as médias móveis seriam. 3+7+5. 4. com um n igual a 3.4.6. 3 Exercício 2: O consumo em quatro anos de uma peça foi de : 19y9 – 72 19y0 – 60 19y1 – 63 19y2 – 66 Qual deverá ser o consumo previsto para 19y3 utilizando-se o método da média móvel.000 5 CM = 300. 6+4+2. Exercício 1 : Dados os números 3.7.5. 60+63+66 = 63 A previsão para 19y3 é de 63 unidades. adiciona-se o mesmo à soma e despreza-se o primeiro mês ou período utilizado. 4+2+3 33333 Média móvel = 5. 3 Vantagens: simplicidade no cálculo . 5+6+4.

Quantas vezes o estoque girou ou qual o índice de rotatividade.000 x 3 = 900.500. partindo principio que preciso haver uma rotatividade ou giro do estoque. p. 2006 100.600.66 15 O dimensionamento do estoque depende de previsão de consumo de material.000 5.000 x 1 = 100.000 2010 500.000 peças por ano e o estoque médio no período é de 200 peças.500. ao dimensionar procurar-se se prevenir de um consumo em parte em não em sua totalidade por esta ligada a variações que não ocorrem de uma só vez.Desvantagens: as médias móveis são influenciadas por valores extremos.000 Média ponderada 366.000 2007 200.000 x 5 = 2. . 4. Desta forma o giro do estoque é a relação entre o consumo anual e o estoque médio do item que pode ser medido sua rotatividade utilizando a seguinte equação: IR – Índice de Rotatividade IR = Consumo médio no período Estoque médio Temos o consumo médio de 1. Quadro 3: Previsão de consumo pelo método da média móvel ponderada.666 Fonte: CHIAVENATO.1. 2005.500 = 366. ou seja. Assim sendo existe uma quantidade mínima necessária que deve ser reposta pelo estoque. 5.000 x 2 = 400.000 2008 300. onde os valores mais antigos têm o mesmo peso que os atuais.000 x 4 = 1.000 2009 400. dos períodos mais antigos. trata-se do método em que os valores dos períodos recentes recebem um peso maior do que o anterior. 74).000 Acumulado 1.500.3 Método de média móvel ponderada Para Chiavenato (2005.

Utiliza-se este sistema depois de decorrido determinado período. (MARTINS e CAMPOS. comprando-se o que falta para atingir um estoque máximo. desta ligada as atribuições de participação nos lucros através dos bens adquiridos. 4. que normalmente são tratados por departamentos das empresas como compras ou de suprimentos. 2006). Os recursos de materiais estão ligados aos itens ou componentes que uma empresa utiliza em seu dia-a-dia.2 Sistema da reposição contínua O sistema de reposição contínua ou sistema do ponto do pedido ou lote padrão é o mais popular segundo Martins e Campos (2006. p. A exemplo no dia 15 de maio (data do pedido) o estoque do item wp2 era de 280 unidades. recomenda-se a utilização do sistema de reposição ou de intervalo padrão. faz-se um novo pedido de um determinado item de estoque. Veremos abaixo o pont o de pedido e em função do consumo médio e do prazo de atendimento.128). atribuições estas que ainda estavam nas mãos dos proprietários passando agora para compradores profissionais. “método utilizado pelas fábricas e consiste em dispara o processo de compra quando o estoque de um certo item atinge um nível previamente determinado”.IR = 1. sendo que não pode passar de 600 unidades.2. que são classificados com matéria-prima. verifica-se a quantidade ainda disponível em estoque. não produtivos (não incorporam o produto final).1 Sistema de reposição periódica O sistema utilizado para determinados itens de reposição de estoque. Para ter confiabilidade na data que se deve comprar determinado item ou qual o dia da emissão do pedido de compra. Organização de compras esta diretamente ligada participação de custo de produtos serviçosvendidos pelas empresas. na elaboração do seu produto final ou PA. Vemos então que a quantidade a ser pedida é. Temos um intervalo de reposição do item de estoque wp2 é de dois(2) meses(todo dia 15 de cada mês impar). também previamente determinado.2. 4.2 AQUISIÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS A aquisição de materiais de recursos materiais parte do principio de bens produtivos (incorporam o produto final). Quantidade a ser pedida = estoque máximo – estoque atual Quantidade a ser pedida = 600 – 280 Quantidade a ser pedida = 320 unidades 4. . produtos em processamento e produtos acabados.000 200 IR = 5 aa Desta forma vemos que o estoque girou cinco vezes no ano.

200 unidades. Atlas. sendo este um sistema muito utilizado. Sistema este que esta desaparecendo. ADAPTAÇÃO: WANDERLEY PIRES. . 1993. Idalberto. é o momento fazermos novo pedido de compras.O consumo médio do item wp2 é reposto pelo sistema do lote padrão. p. 2006. Neste caso o sinal de demanda é verificado e identificado na hora pelo caixeiro-viajante. Aurélio P.2. CAMPOS. que quando o estoque do item wp2 chegar a 1. São Paulo. uma abordagem logística. Lembramos que neste caso não estamos considerando variações no consumo que pode corrigir. com estoque de segurança. AGOSTO. 4. Administração de Materiais.4 Contrato de fornecimento Martins e Campos (2006. Administração de materiais e recursos patrimoniais. Elsevier. MARTINS. 2005. Ao tentarmos determinar o ponto de pedido para o item wp2. Garcia Petrônio. 4.200 unidades Chegamos então a seguinte conclusão. Paulo Renato Alt. BIBLIOGRAFIA: CHIAVENATO.3 Sistema de caixeiro-viajante Sistema pelo qual o vendedor visita os clientes e verifica in loco se esta faltando mercadoria no estoque que em comum acordo com o cliente tira o pedido. São Paulo. Administração de Materiais. destacam que o contrato de fornecimento é o processo de compra iniciado pela necessidade de produção de forma continua onde o computador emite e envia uma ordem de compra via EDI (electronic data interchange). 2006. Ponto do pedido = consumo médio x tempo de atendimento Ponto do pedido = 120 x 10 = 1.129). DIAS. tem um consumo médio de 120 unidades por dia e um tempo de atendimento de 10 dias úteis. Saraiva. São Paulo.2.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful