You are on page 1of 3

Oração da noite (de sábado

)

• Começamos rezando o salmo 25 (24)

Pedido de perdão e salvação
A ti, Senhor , elevo minha alma.
2
perdoa minha culpa, que é grave!
Em ti, meu Deus, confio: que eu não fique 12 Há alguém que tema o Senhor?
decepcionado,
Ele lhe mostrará o caminho a escolher.
decepcionados ficarão os que traírem a fé por uma 13 Sua alma descansará na prosperidade,
futilidade.
4 Indica-me, Senhor , teus caminhos, e sua descendência possuirá a terra.
14 O Senhor se faz íntimo dos que o temem
revela-me tuas sendas!
5 Dirige-me no caminho da verdade e me ensina, e lhes dá a conhecer sua aliança.
15 Meus olhos estão sempre fixos no Senhor,
porque tu és o Deus, meu salvador,
pois ele livra da rede os meus pés.
e em ti espero, todos os dias. 16 Volta-te para mim e tem piedade,
6 Lembra-te, Senhor , que tua ternura
pois estou só e oprimido.
e teus favores são eternos! 17 Os infortúnios tomaram conta de meu coração:
7 Não recordes os pecados de minha juventude
tira-me das angústias!
nem minhas faltas! 18 Vê minha miséria e tribulação
Lembra-te de mim segundo tua misericórdia,
e perdoa-me todos os pecados!
por causa de tua bondade, Senhor! 19 Vê quantos são meus inimigos
8 O Senhor é bom e justo;
e como me odeiam com ódio violento!
por isso mostra o caminho aos pecadores, 20 Guarda minha alma e salva-me!
9 encaminha os humildes segundo a justiça,
Que eu não fique decepcionado por ter-me
ensina aos humildes o caminho.
10 Todas as sendas do Senhor são amor e refugiado em ti!
21 A honradez e a rectidão me sejam de valia,
fidelidade
pois em ti ponho minha esperança.
para os que guardam sua aliança e suas leis. 22 Ó Deus, salva Israel
11 Por causa de teu nome, Senhor ,
de todas as tribulações!

• Silêncio para releitura e assimilação (Música de fundo)
• Relemos Mc. 10, 46-52

Mc 10, 46-52
46 Chegaram a Jericó. Quando Jesus saía de Jericó com os discípulos e numerosa multidão, um cego estava
sentado à beira do caminho pedindo esmolas. Era Bartimeu, o filho de Timeu. 47 Ao saber que era Jesus de
Nazaré, começou a gritar: “Jesus, filho de David, tem piedade de mim!” 48 Muitos o repreendiam para que se
calasse mas ele gritava ainda mais alto: “Jesus, filho de David, tem piedade de mim!” 49 Jesus parou e disse:
“Chamai-o!”Eles chamaram o cego, dizendo-lhe: “Coragem! Levanta-te que ele te chama”. 50 Jogando para o
lado o manto, levantou-se de um pulo e foi até Jesus. 51 Tomando a palavra, Jesus lhe perguntou: “O que
queres que te faça?” O cego respondeu: “Mestre, eu quero ver de novo!”52 E Jesus lhe disse: “Vai, tua fé te
curou!” No mesmo instante ele começou a ver de novo e se pôs a segui-lo pelo caminho.

• Reflexão e oração silenciosa ajudada por algumas perguntas?
• No caminho onde passa Jesus, onde estás tu? Será que Jesus passa também sem te ver?
• Qual é a tua capa, aquilo que tens de deixar para te aproximar de Jesus?
• Tens vontade de gritar a Jesus? O quê? O precisas de lhe pedir? O que queres ver? Para que
queres ver?
1
• Reza uma oração pedindo a Jesus que te conceda de ver hoje, neste retiro uma graça dele, o que
mais necessitas.
• Oração espontânea
• Conclusão: Caminho de Fé

1/ O Caminho de discípulo é, sem dúvida para nós, toda a nossa vida. Mas de modo muito
particular, cada ano, somos convidados a percorrê-lo em cada quaresma. Como os discípulos, ou
como o cego curado, o nosso caminho é com Jesus. Quaresma, é este caminho que se apresenta
diante de cada um, em que Jesus nos lembra as condições para o seguirmos.
Vale a pena lembrá-las, porque se resumem em duas: 1) Negar-se a si mesmo, tomar a sua cruz e
segui-lo. 2) Não se envergonhar dele e das suas palavras.
O primeiro é do âmbito das atitudes profundas da vida, de fé. Confiar nele e não em si mesmo,
entregar-se completamente a ele. Tomar consigo toda a sua vida (cruz) e segui-lo. Não só uma parte,
não só por um momento, mas sempre e com tudo o que faz parte da minha vida: alegrias, tristezas,
dúvidas e esperanças, desejos e fracassos, sonhos e ilusões, derrotas e vitórias, mas sobretudo com a
firme decisão de ir até ao fim.

2/ O segundo é do âmbito do testemunho. Serei eu daqueles que dizem ao cego para se calar e não
importunar o mestre (Mc 10,48), ou dos que o encorajam a levantar-se para ir ter com Jesus (Mc 10,
49)? Serei daqueles que pedem o fogo do céu sobre os que o não aceitam (Lc 9, 54), ou mensageiro
de Jesus que vai á sua frente a preparar o caminho (Lc 9, 52)? Ou ainda serei daqueles que o não
recebem porque vai para Jerusalém (Lc 9, 53) ou me ponho a caminho com Ele como o cego curado
(Mc 10, 52)?
Temos muito por onde escolher. E a nossa Páscoa depende em muito da nossa escolha. O que não
podemos é ser pára-quedistas da Páscoa. Isto é, querer viver a Páscoa sem fazer o caminho.
Não é isto que muitos “cristãos” procuram? Diria mais, o que muitos de nós, procuramos?
Quem me dera não ter que fazer isto ou aquilo, porquê assim e não diferente, porquê a dor? Porquê
a cruz? PORQUÊ O AMOR?

3/ A quaresma é o caminho da purificação; o caminho onde todas as questões, todas as dúvidas
encontram resposta, se forem vividas no caminho de e com Jesus. Porque esse é o caminho de
Páscoa. O caminho onde deito fora a capa que me impede de caminhar, onde atiro para longe as
muletas da preguiça, violência, egoísmo… onde opto incondicionalmente por Jesus e pela sua
palavra, onde testemunho “as razões da minha esperança”, onde me levanto cada vez que caio,
porque Ele me diz: “vai, a tua fé te salvou” (Mc 10, 52).

• Terminamos rezando a oração de Sto Inácio:

2
Tomai, Senhor, e recebei
toda a minha liberdade,
a minha memória,
o meu entendimento
e toda a minha vontade,
tudo o que tenho e possuo;
Vós mo destes;
a Vós, Senhor, o restituo.
Tudo é vosso,
disponde de tudo,
à vossa inteira vontade.
Dai-me o vosso amor e graça,
que esta me basta.

3