You are on page 1of 3

FACULDADES EST - PROGRAMA DE INTEGRALIZAÇÃO DE CRÉDITOS Disciplina: Teologia Sistemática - Temas da Ética Tarefa: Síntese do artigo “Globalização – Uma

introdução” (9 p.) e “Outra economia, além do capital” (3 p.). Autor do artigo: Prof. Dr. Valério Guilherme Schaper e Carola Reintjes. Discente: Teofanes Antonio Sales Junior

Introdução O fenômeno da globalização é muito amplo. A volta a consciência do nascimento da globalização, contudo suas fases e características. Uma economia globalizada e suas consequências como valores éticos, cultura, educação, uma população vulnerável (mulheres, menores, indígenas, e etc.), a exclusão social, e na economia o desemprego e o emprego precário. O Nascimento da globalização O sentido amplo da globalização vem do século XV-XVI, com grandes navegações onde o velho e o novo se fundem entre si. O Fernão Magalhães por volta de 1521 faz sua primeira viagem completa em volta do globo provando empiricamente que a terra era arredondada. Na idade média, na Europa, ocorre o nascimento do comercio com grandes proporções. Desde então vemos o inicio da expansão marítima e da cultura Europeia e uma verdadeira revolução comercial. Chegando ao período da “Revolução Industrial”. Após a evolução da indústria surge a independência politica no período das duas grandes guerras mundiais, provocando grandes mudanças em todos os níveis sociais, surgindo após neste tempo uma super. Potência mundial os EUA. Criando assim um grande lastro econômico com base no dólar. Assim temos o FMI e o Banco Mundial criados com base deste lastro econômico. Com este crescimento de forma desordenada começa a surgir problemas a partir dos anos 70. Os ajustes econômicos para inserir as economias locais no capitalismo mundial significaram o banimento da burocracia. O autoritarismo dos regimes militares foi a contraparte dos ajustes econômicos. No Brasil estes ajustes produzem: estradas, hidrelétricas, comunicações e indústrias. Abrindo assim o capital estrangeiro no Brasil. Os países e suas economias gradativamente foram entrando em colapso crônicos, que nem o FMI conseguiu conter a pobreza, o alfabetismo, doenças, instabilidade e política. O saldo disto tudo foi o endividamento destes países que empobreciam cada vez mais.

Valores vão sendo construídos ao longo do tempo. Grandes grupos foram se fundindo por todo globo. O que importa neste mundo globalizado é a implementação da noção de justiça como categoria ética capaz de resguardar os interesses das pessoas excluídas e injustiçadas. Os produtos estão sendo fabricados em lugares diferentes onde há um menor custo de fabricação global e países querendo sempre incentivar com redução de impostos. a exclusão social e economia. Devido a uma crescente desumanização da economia à degradação do meio-ambiente e da qualidade de vida. Que esta por baixo deste fenômeno está a convicção dos princípios neoliberais. criando assim novas identidades e ameaçando as suas origens. indígenas e etc. com uma proposta de promover a democracia e assegurar a quantidade necessária de politica que a sociedade precisa. O bom é sabermos que não é só no aspecto econômico. afetando em especial a população vulnerável (mulheres. tentando potencializar sua capacidade produtiva. até o consumo. Como assim conclui o autor que a globalização é fator determinante no ponto de vista da ética. Favorecendo assim a grandes transformações nas famílias. menores. Apesar disto tudo a Economia Alternativa e Solidária é uma forma de gerir a economia e a sociedade. mais sim os aspectos culturais. à piora lentamente do nível de cultura e de educação. e engloba todas as atividades da cadeia produtiva/comercial/financeira. religiões e estados. As consequências são: o aumento da pobreza e as desigualdades sociais. Contribuindo assim para democratização e socialização a economia e democratização a sociedade. à falta de valores éticos.O grande problema era os países subdesenvolvidos para lidarem com o grande fluxo de dinheiro e as novas demandas de uma economia cada vez mais conectada. É importante sabermos que a globalização é um fenômeno multidimensional. tecnológicos e políticos. Há um conflito entre a politica sem caráter e a correção da conduta assim definindo qualidades morais. além do capital O texto fala de verdades no mundo da economia que demonstram uma alternativa e logicas de solidariedade. “Como a globalização distorce as relações afetivas e embaralha as referencias fundamentais para construção das identidades individuais. é fundamental recuperar a noção do amor como princípio enucleador da constituição da pessoa na perspectiva da fé. O texto propõe novos princípios que vão além de produzir critérios ambientais e sociais até produzir uma economia globalizada a partir de medidas sócio educativas na . escolas. Mudam matrizes étnicas e culturais.” Outra economia.). contudo mostrando um personagem que ora do bem ora do mal. o desemprego e o precário.

com uma economia sem o consumismo.sociedade atual. criativo. Criando assim um outro mundo mais objetivo. solidário. . Para melhora do ser humano e do Planeta Terra. reorganizar e reconstruir a economia para coloca-la a serviço do ser humano e da natureza. O leque é muito extenso devemos fomentar os diálogos transculturais e sistemas de trocas solidárias e de moeda local e consumo sustentável responsável por tentativas concretas de repostas coletivas e criativas na busca de outra economia possível. Conclusão O desafio consiste em repensar.