You are on page 1of 3

Transformações do capitalismo no século XVIII O objetivo deste conteúdo é compreender a maneira como o capitalismo se afirma como modo de organização

social a partir do século XVIII. Para isso, vamos partir do estudo das revoluções Francesa e Industrial.

1. Revolução Francesa 2. Revolução Industrial
Texto base: MARTINS, Carlos B. O que é Sociologia.São Paulo: Brasiliense, 1992.

1. – Transformações sociais do século XVIII 1.2. – Revoluções burguesas Por revoluções burguesas entende-se um conjunto de movimentos que ocorreram no século XVIII na Europa e nos Estados Unidos. O que caracterizou estes movimentos foi sua capacidade de suplantar as formas de organização social feudais <!--[if !supportFootnotes]->[1]<!--[endif]-->

.

A importância dessas revoluções é que estimularam o desenvolvimento do capitalismo, pondo fim às monarquias absolutistas e contribuiram para a eliminação de barreiras que impediam o livre desenvolvimento econômico. 1.2.1. Revolução Francesa No final do século XVIII a monarquia francesa procurava garantir os privilégios da nobreza em um contexto no qual crescia a miserabilidade do povo. A burguesia também se opunha ao regime monárquico, pois este, não permitia a livre constituição de empresas, impedindo a burguesia de realizar seus interesses econômicos. Em 1789, com a mobilização das massas em torno da defesa da igualdade e da liberdade, a burguesia toma o poder e passou a atuar contra os fundamentos da sociedade feudal. Procura organizar o Estado de forma independente do poder religiosa e promovem profundas inovações na área econômica ao criarem medidas para favorecer o desenvolvimento de empresas capitalistas. As massas que participaram da revolução, logo foram surpreendidas pelas medidas da burguesia, que proibiram as manifestações populares e os movimentos contestatórios passam a ser reprimidos com violência. 1.2.2. Revolução Industrial A revolução industrial eclodiu na Inglaterra na segunda metade do século XVIII. Ela significou algo mais do que a introdução da máquina a vapor, e aperfeiçoamento dos

2. 3. p. Quanto aos homens.métodos produtivos. As fábricas não possuíam ventilação. ela significou uma profunda transformação na maneira dos homens se relacionarem. 47) . Formam-se as multidões que revelam nas ruas uma nova face do desenvolvimento do capitalismo: a miserabilidade. Surgimento de um novo tipo de trabalhador: o operário A revolução industrial desencadeou uma maciça migração do campo para cidade. Era usual nas fábricas a presença de mulheres e crianças a partir de 5 anos atuando na linha de produção. visando produzir mais com menos gente. Isto leva os empresários a se interessar cada vez mais pelo aperfeiçoamento das técnicas de produção. política e social. A relação de classes que passa a existir entre a burguesia e os trabalhadores é orientada pelo contrato – o que permite inferir que a liberdade econômica e a democracia política – temos o trabalhador livre para escolher um emprego qualquer e o empresário livre para empregar quem desejar. No interior das fábricas as condições de trabalho eram ruins. onde predomina uma intensa divisão do trabalho. iluminação e os trabalhadores eram submetidos à jornadas de trabalho de até 16 horas por dia. O desenvolvimento de técnicas leva os empresários a incrementar o processo produtivo e aumentar as taxas de lucro. A revolução nasceu sob a égide da liberdade: permitir aos empresários industriais que desenvolvessem e criassem novas formas de produzir e enriquecer. Concentração da produção industrial em centros urbanos. cultural. 4. Desde modo. amargavam a condição de desemprego. Aspectos importantes da Revolução Industrial 1. . Aumento sem precedentes na produção de mercadorias.(MEKSENAS:1991. A produção passa a ser organizada em grandes unidades fabris. tornando as áreas urbanas o palco de grandes transformações sociais. a revolução industrial constitui uma autêntica revolução social que se manifestou por transformações profundas na estrutura institucional.

criminalidade. suicídio. . favelas. Por fim. a Revolução Francesa (1789). violência. Tornando a vida em sociedade altamente complexa. Enfocaremos em nosso curso somente as Revoluções Francesa e Industrial por constituírem as duas faces de um mesmo processo: a consolidação do regime capitalista moderno. poluição. a Independência Americana (1776) e a Revolução Industrial inglesa a partir de 1750. é preciso esclarecer que os problemas acima expostos são típicos da sociedade capitalista.. alcoolismo.. por isso precisamos de uma ciência para compreender os nexos que ligam a realidade. doenças epidêmicas. migração desordenada . <!--[if !supportFootnotes]--> <!--[endif]--> <!--[if !supportFootnotes]-->[1]<!--[endif]--> As revoluções burguesas foram: Revolução Gloriosa (1680) na Inglaterra. infanticídio.Os problemas sociais inerentes à Revolução Industrial foram inúmeros: aumento da prostituição.