Universidade Federal de Ouro Preto Instituto de Ciências Humanas e Sociais Pedagogia

Educação e Saúde: A lavagem das mãos e a redução do índice de Infecções hospitalares e transmissão cruzada.

Daniel Philipe dos Santos Rocha

Ouro Preto 2013

Orientador: Leticia Pereira de Sousa Ouro Preto 2013 .Daniel Philipe dos Santos Rocha Educação e Saúde: A lavagem das mãos e a redução do índice de Infecções hospitalares e transmissão cruzada.

requer uma devoção tão exclusiva. a mais bela das artes". um preparo tão rigoroso. pois o que é tratar da tela morta ou do frio mármore comparado ao tratar do corpo vivo. poder-se-ia dizer. (Florence Nightingale) . como a obra de qualquer pintor ou escultor."A Enfermagem é uma arte... e para realizá-la como arte. o templo do espírito de Deus? É uma das artes.

Serão ressaltados a importancia e os meios utilizados para educar esses profissionais e quais os resultados alcançados durante este processo. Palavras-chave: Educação. Lavagem das Mãos. Saúde.RESUMO Este trabalho pretende demonstrar como os projetos de Educação em Saúde que esclarecem e incentivam à Lavagem das Mãos se mostram eficazes no combate ás Infecções Hospitalares. .

LISTA DE FIGURAS .

SUMÁRIO .

que é o órgão gestor da saúde no país. essas intervenções e projetos de educação continuada são a forma mais viável para a melhoria dos serviços de Saúde. de transmissão cruzada e com a incidência das popularmente chamadas "Superbactérias" . para que houvesse uma redução desses surtos e consequentemente o mesmo aconteceria com os índices de mortalidade no setor Hospitalar. A higienização das mãos se faz importante. principalmente os de Enfermagem. Já que estes profissionais são os que passam mais tempo com os pacientes e são de sua responsabilidade o cuidado dos clientes das Organizações de Saúde. criou iniciativas para educar os profissionais de saúde. que se dá de paciente para paciente através das mãos dos profissionais.7 1 INTRODUÇÃO Há uma grande preocupação com os altos índices de infecções hospitalares. Com isso a ANVISA. não somente para limpar as mãos mas serve de subsidio para a não proliferação da flora bacteriana hospitalar e para a não efetivação da contaminação cruzada. que recebem o nome de Multirresistentes. . apresentar os resultados e as melhorias obtidas através da Educação em Saúde. Por este motivo. Neste trabalho pretendese de forma sintética.

8 2 TÉCNICAS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS. relógio. Técnica para Lavagem das Mãos • • • • • remover anéis. ao término do trabalho. antes de calçar as luvas e após remove-las. após tossir. A água e o sabão removem os microrganismos transitórios adquiridos direta ou indiretamente do contato com o paciente. com ênfase particular nas áreas ao redor das unhas e entre os dedos. espirrar ou assoar o nariz.dorso das mãos. Quando Realizar: • • • • • • • no início do dia. pulseiras. basta a lavagem com sabão líquido comum. antes e após o atendimento do paciente. esfregar o sabão em todas as áreas. ou lavagem básica das mãos. . Obedecer a sequência: . antes de procedimentos odontológicos de rotina. por um mínimo de 15 segundos antes de enxaguar com água fria. para certificar-se de que ambas as mãos fiquem igualmente limpas.palmas das mãos. como exames e técnicas não cirúrgicas (procedimentos semicríticos) e após procedimentos críticos. Das atenção especial à mão dominante. antes de após utilizar o banheiro. Nenhuma outra medida de higiene pessoal tem impacto tão positivo na eliminação da infecção cruzada quanto a lavagem das mãos. Limpar sob as unhas. ensaboar as mãos. que consiste na fricção com água e sabão. . portanto. dispensar sabão líquido suficiente para cobrir mãos e pulsos.. é o processo que tem por finalidade remover a sujidade e a microbiota transitória. após tocar qualquer instrumento ou superfície contaminada. A lavagem simples das mãos. umedecer as mãos e pulsos em água corrente. fitinhas etc.

espaços entre os dedos. .9 . . .unhas e pontas dos dedos.articulações.secar completamente.repetir o passo anterior. utilizando toalhas de papel descartáveis. .punhos. . .polegar. .

O material básico a ser utilizado consta de: • • • • • • água em pias com acionamento de pé. por cinco minutos. de forma que a água escorra para os cotovelos. cotovelo ou joelho. dispensador de sabão líquido e antisséptico. O procedimento do preparo cirúrgico das mãos consiste em: a. nos sulcos. escovas individuais e estéreis. Coloque a solução detergente antisséptica e espalhe-a nas mãos e antebraços. Pegue uma escova esterilizada e escove as unhas. Para melhor eficiência do procedimento o profissional deve: remover TODAS as joias e relógios. f. b. ter unhas aparadas e sem esmalte. nesta ordem. punhos. solução alcoólica. sem utilizar as mãos. . compressas estéreis. articulações e extremidades dos dedos. molhando as mãos. Abra a torneira. use duas escovas). mantendo as mãos em altura superior aos cotovelos. deixando que a água caia por último nos antebraços que devem estar afastados do tronco. pregas e espaços interdigitais. Detenha-se. com movimentos de fricção.10 3 A HIGIENIZAÇÃO CIRURGICA DAS MÃOS É um procedimento que objetiva reduzir o risco de contaminação da ferida cirúrgica pela remoção ou destruição dos microrganismos da microbiota transitória e pela redução ou inativação da flora residente. não podendo ser usada unhas postiças. d. Use para as mãos e antebraços o lado de escova não utilizado para as unhas (no caso da escova ter só um lado. procurando manter as mãos em plano mais elevado. sem retorno. c. Enxágue os dedos. porta papel com toalha descartável. particularmente. Escovas duras e reaproveitáveis devem ser evitadas. antebraços e cotovelo. mãos. dedos. antebraços e cotovelos. e. depois as mãos.

pois o efeito residual obtido com elas será anulado. deixando-a secar antes de calçar as luvas. Aplique a solução alcoólica do antisséptico utilizado. Essa luva química pode ser dispensável. Enxuga-se um antebraço. com o outro lado enxuga-se a outra. Colocam-se estes lados um de encontro ao outro. Enxugue as mãos com compressas estéreis. enxugando-se primeiro uma das mãos e. de forma a se obter outros dois lados estéreis. desprezando a compressa.11 g. Vira-se a compressa na sua face interna e enxuga-se o outro antebraço. . que devem vir dobradas em quatro partes. Caso o profissional tenha alergia ao iodo. h. Não use álcool após o uso dessas soluções. substitua o PVP-I (Polivinil Pirrolidona Iodo) pelo gluconato de clorhexidina.

Figura 1 . Com . onde a Gerência de Qualidade e Comissão de Controle de Infecção Hospitalar e Educação Permanente do Hospital Geral (CCIH) prepara uma programação que inclui "blitz" de verificação e ações de incentivo a este ato tão importante nos ambientes de saúde. A figura a seguir mostra um banner da OMS. que já está em sua décima edição.br/hotsite/higienizesuasmaos/produtos/5momentosA3. e cada instituição o implementa de acordo com sua necessidade e que obedeça os padrões da Organização Mundial de Saúde .OMS. Hospitais como o Hospital Geral Tarquínio Lopes Filho. que ressalta os cinco momentos em que ocorrem a lavagem das mãos.12 4 O PROJETO o projeto de higienização das mãos é uma parte da campanha Humaniza SUS.gov.Os cinco momentos da higienização das mãos Fonte: (http://www.pdf). A função dele é estabelecer diretrizes padrões.anvisa.

e a educação consegue ampliar esses índices. Esse programa serve para reforçar essa prática intensa no hospital. cartazes e banners reproduzindo os cinco momentos da higienização das mãos preconizados pela OMS. Segundo a direção do Hospital há um redução de 80% nas infecções hospitalares e nas contaminações cruzadas. Com o tema "Higienização das Mãos: Um simples ato que salva vidas". serão afixadas pelo prédio faixas. Além disto. recomendadas pela OMS. e por fim após contato com as áreas próximas ao paciente. . demonstrando a técnica de higienização usando um artifício com luz negra que demonstra se a higienização foi realizada corretamente ou não. blitz de qualidade. contribuindo para a acreditação da unidade de saúde. o programa reforça a importância do hábito para a rotina hospitalar. São distribuídas almotolias de álcool gel e hidratantes para as mãos. após risco de exposição a fluidos corporais. e o investimento é bem menos comparados aos gastos contabilizados com medicação e contenção desses surtos de infecções. após contato com o paciente. Todas as atividades são programadas em torno das seis metas internacionais de segurança do paciente. antes da realização de procedimentos assépticos.13 atividades que acontecem em todos os setores do hospital. e nos cinco momentos básicos para a lavagem das mãos que remetem à higienização antes do contato com o paciente.

garantem uma menor taxa de infecções e consequentemente reduzem os gastos com medidas de tratamento e diagnostico dessas infecções. Sendo assim. Exemplos como o do Hospital citado são frequentes e as melhorias podem ser vistas na grande maioria dos que propõe esse tipo de medida educacional.14 5 CONCLUSÃO Com base nos dados colhidos conclui-se que. aumento do número de leitos disponíveis. a lavagem das mãos é uma das medidas com maior adesão dentre os profissionais e uma da maior impacto no contenção e prevenção das infecções hospitalares. As Organizações fiscalizadoras da mesma forma são gratificadas com uma redução em fiscalização desses serviços que cada vez se tornam mais autônomos. e em conseguinte melhora a prestação dos serviços de saúde no País. os hospitais que aderem esse a conduta de investir em educação continuada dos profissionais. Além de contribuir para uma melhor creditação da Instituição. .

Disponível em: <http://www. Disponível em: <http://imirante.com/noticias/2013/05/06/pagina338558.pdf> Acesso em: 12 jun.gov.pdf> Acesso em: 14 jun.15 REFERÊNCIAS Dia mundial de Higienização das mãos. 2013 Segurança de pacientes: Higienização das mãos.br/bvs/publicacoes/seguranca_paciente_servicos_saude_hi gienizacao_maos.br/hotsite/higienizesuasmaos/produtos/5momentosA3.saude.anvisa.globo. Disponível em: <http://bvsms.shtml> Acesso em: 12 jun. 2013 Higienizando suas Mãos. 2013 .gov..

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful