You are on page 1of 18

IVALDO BERTAZZO

Bertazzo is a leading name in dance and movement education in Brazil. His career started when he founded the School for Movement Reeducation in Sao Paulo, for students of all ages and professions. He has developed techniques to teach people who have never danced before. He founded Bertazzo Method Movement School (1975). In 1976 he devised the concept “the dancing citizen” that enables nonprofessional dancers to reassess their place and sense of direction against their surroundings. Bertazzo created and produced 24 shows between 1976 and 1992. As a physiotherapist, he founded, in 1987 the Brazilian Center of Muscular Chains, offering courses based on his methods to physiotherapist and other professionals in the field In 1986 he brought his ideas to public, and has produced, directed and choreographed thirty-six shows ever since, being awarded many times. His Show Cidadão Corpo (Body Citizen) (1996) inaugurates a series of outstanding creations relating body to citizenship.Bertazzo’s role and importance in dance and education becomes evident in his yearly shows with the Corpo de Dança da Maré, between 2000 and 2001, that stemmed three other shows - Mãe Gentil (Gentle Mother) (2000), Folias Guanabaras (Guanabara Folies) (2001) e Dança das Marés (Dance of the Tides) (2002).The group was composed by sixty-five children from the outskirts of Rio de Janeiro – Favela da Mare (The Tides Shantytown). They performed in high artistry shows, being widely acclaimed by both critic and audience. In 2002, back to Sao Paulo, Bertazzo set forth the project Dança Comunidade (Community Dance)/ SESC SP, which allowed for cultural interchange between the young from Sao Paulo’s outskirts and Escola de Samba’s percussionists and Indian Musicians, as in Samwaad – Rua do Encontro (Meeting Point) , 2003, and South African artists as in Milagrimas (Thousantears), 2005. In 2006, the group become professional – Ivaldo Bertazzo Theater Dance Company – presenting Mar de Gente (Sea of People), a highly awarded show. The following year, Bertazzo resumed performing, after 22 years behind the scenes, in Kashmir Bouquet, and in 2008/2009, and in an authentic Brazilian musical, Noe Noe! Deu a Louca no Convés (Noah, Noah, Things Went Wild on the Deck).Another outstanding aspect of Bertazzo’s activities and interests is his commitment to unveiling the music and dance of different and distant regions of Brazil, so poorly known among most of Brazilians. He has also been active in disclosing the music and dance from Asian countries, especially India, by the Dance Company Madhavi Mudgal and Dance Drama of Java. In 1997, the Indian Embassy in Brazil honored Bertazzo with an award in recognition of his activities to divulge the Indian culture. In 2004 he won the Prince Claus Award for his work and contribution to culture..

IVALDO BERTAZZO
Bertazzo é uma figura líder das áreas de dança e educação do movimento no Brasil. Sua carreira teve início com a fundação, em São Paulo, da Escola de Reeducação do Movimento, para alunos de todas as idades e profissões. Desenvolveu técnicas que possibilitam o ensino de pessoas que nunca dançaram antes. Criou a Escola do Movimento Método Bertazzo em 1975.Em 1976 criou o conceito do “cidadão dançante”, aquele dançarino não profissional que encontra a possibilidade de reconhecer, por meio da dança, seu lugar e direção em relação ao ambiente a seu redor, e entre 1976 e 1992, Bertazzo criou 24 espetáculos.Como fisioterapeuta, em 1987, fundou o Centro Brasileiro de Cadeias Musculares, que oferece cursos a fisioterapeutas e outros profissionais da área, com base em seus métodos.Em 1986, começou a apresentar suas idéias ao publico, e desde então, produziu, dirigiu e coreografou 36 espetáculos, que lhe renderam muitos prêmios.Com o espetáculo Cidadão Corpo (1996), inicia uma séria de criações marcantes, associando o corpo à cidadania. Uma evidente indicação do papel e importância de Bertazzo nas áreas da dança e educação, são os espetáculos anuais que apresentou entre 2000 e 2002, com o Corpo de Dança da Maré, o que gerou três espetáculos: Mãe Gentil (2000), Folias Guanabaras (2001) e Dança das Marés (2002). Esse grupo que era formado por sessenta e cinco crianças moradoras da periferia do Rio de Janeiro (Favela da Maré) apresentou espetáculos de alta qualidade artística, sendo amplamente aclamado tanto pelo público como pela crítica.Em 2002, de volta a São Paulo, deu início ao projeto Dança Comunidade / SESC SP, que realizou intercâmbios culturais de jovens das periferias da cidade com músicos da Índia e percussionistas de escolas de samba (Samwaad – Rua do Encontro, 2003), e artistas da África do Sul (Milágrimas, 2005).Em 2006, transformou o grupo em companhia profissional – a Companhia TeatroDança Ivaldo Bertazzo com o premiado espetaculo MAR DE GENTE. No ano seguinte, Bertazzo voltou aos palcos – após 22 anos de bastidores – com o espetáculo Kashmir Bouquet e em 2008/09 o musical genuinamente brasileiro NOÉ NOÈ! DEU A ALOUCA NO CONVÉS.Outro aspecto importante das atividades e interesses de Bertazzo é sua dedicação à divulgação da música e da dança de várias regiões distantes do Brasil, que são desconhecidas da maioria dos brasileiros. Teve também grande atuação na divulgação da música e da dança dos países asiáticos, especialmente da Índia, representada pela Companhia de Dança Madhavi Mudgal e a Dance Drama de Java. Em 1997, A embaixada da Índia no Brasil honrou Bertazzo com um prêmio de reconhecimento por suas atividades de divulgação da cultura indiana. Em 2004, ele ganhou o prêmio Prince Claus por seu trabalho e contribuição à cultura.

MAR DE GENTE (Sea of People)
Ivaldo Bertazzo Dance Theater Company, founded in June 2007, bases its work on a main theme: the look of the artist into human evolution, its journey along time, and the way we reconcile with today’s world, our possibilities of surviving the future. Those issues are the starting point of the creation of the new show. “I do not mean to criticize modern world, but to offer a proposal for reflection,” explains Ivaldo. Mar de Gente has a strong theatrical touch introduced by Bertazzo in the Company. Five texts were exclusively conceived for the show, based on a research on the evolution of humankind, on an observation of the rehearsals, on cultural, philosophic and scientific references. With a view at considering the ways and choices of humankind, Bertazzo developed a choreography grounded on the Company’s youngster’s bodies. “Our challenge is to achieve the intersection between the body of the contemporary urban young, coming from the outskirts of a large city, and the XIX and XX centuries’ musical rhythms,” stresses Ivaldo. In Mar de Gente, greater freedom of movement was achieved, and it is clear that the dancers discovered a language of their own. One can see different choreographic proposals, improvement in technique, and a better understanding of movement and expression. Mar de Gente’s sound track is based on the search for composers who were inspired by folk music in their work. From Hungary, there are the singer Marta Sebestyen, and the Budapest Baroque; from Bulgaria, the traditional Women’s Choir of Sofia; the music by the Paraschiv Opera Orchestra from Romania. Czech music is represented by a work by Leos Janacek (1854/ 1928). There is also contemporary gipsy music through the sound of Les Yeux Noirs. From Egypt, there is Soliman Gamil (1924/1994), an experimental musician, whose work highlights his research with ancient Egypt instruments; from Russia, three XIX century composers, Modest Petrovich Mussorgski (1839/1981), a pioneer of Russian root music, Dmitri Shostakovitch (1906/ 1975), whose classic work was highly influenced by military themes, and Aleksandr Porfirevich Borodin (1833/1887), another researcher of ancient Russian music. Fabio Namatame’s wardrobe is totally in tune with the show’s concept. As the designer explains, “my research reached different places, which actually led to a visual result bearing many similarities. I pursued a mix of Russian, Mongol, Japanese, Turkish, Indian, Balinese, African, and some Latin-American natives. Although disconnected, at first, to my surprise, that mixture resulted in some common elements from each culture, without any particular identification, but displaying details of frames and colors of people we can recollect in our memory.”

MAR DE GENTE (Sea of People)
Mar de gente, o primeiro espetáculo da Cia. TeatroDança Ivaldo Bertazzo, fundada em junho de 2007, tem como tema central o olhar do artista sobre a evolução do homem. Seu percurso ao longo do tempo, a forma como nos inserimos no mundo atual e quais são suas possibilidades de sobrevivência no futuro. Essas questões são o ponto de partida da criação do novo espetáculo. “Não quero fazer uma crítica destrutiva ao mundo moderno, mas uma proposta de reflexão”, explica Ivaldo. Por outro lado, Mar de gente tem um viés teatral forte, que Bertazzo resolveu introduzir na Companhia. Há na montagem cinco textos criados exclusivamente para espetáculo, a partir de uma pesquisa sobre a evolução da humanidade, da observação dos ensaios, de referências culturais, filosóficas e científicas, Para discutir os caminhos e as escolhas da humanidade, Bertazzo desenvolveu uma coreografia pautada na individualidade dos corpos dos jovens da Companhia. “Nosso desafio é realizar o encontro entre o corpo de um jovem urbano, contemporâneo, da periferia de uma grande cidade, com ritmos musicais dos séculos XIX e XX”, destaca Ivaldo. Em Mar de gente há uma liberdade maior de gestual e fica claro que os bailarinos ganharam uma linguagem própria. Há diferentes propostas coreográficas, aprimoramento da técnica, e uma melhor compreensão do movimento e da expressão. A trilha sonora de Mar de gente tem como base uma pesquisa de compositores que foram buscar, na música folclórica, inspiração para seu trabalho. Da Hungria, temos o trabalho da cantora Marta Sebestyen e da Budapest Baroque. Da Bulgária, o canto tradicional Women’s Choir of Sofia. Da Romênia, a música interpretada pela Paraschiv Opera Orchestra. A música tcheca está presente com uma peça de Leos Janacek (1854/1928). Já a música cigana chega por meio do som do grupo de ciganos europeus Les Yeux Noirs, que apresenta a música cigana com roupagem contemporânea. Do Egito, Ivaldo nos apresenta Soliman Gamil (1924/1994), um músico experimental, que pontuou seu trabalho a partir da pesquisa com instrumentos do antigo Egito. Da Rússia temos uma tríade de compositores clássicos do século XIX. Modest Petrovich Mussorgski (1839/1981), um dos pioneiros no estudo das raízes da música russa; de Dmistri Shostakovitch (1906/1975), cuja obra clássica tem uma forte influência de temas militares; por fim, relembra o trabalho do Aleksandr Porfirevich Borodin 1833/1887), outro estudioso da música de origem russa. O figurino de Fábio Namatame integra-se harmonicamente à proposta do espetáculo. Como ele mesmo explica, “minha pesquisa seguiu em direção a lugares muito diferentes, mas que na verdade convergem para um resultado visual bastante semelhante. Procurei uma mistura de russos, mongóis, japoneses, turcos, indianos, balineses, africanos e alguns índios latino-americanos. Uma aparente mistura desconexa, a princípio, mas que, para minha surpresa, resultou em alguns elementos em comum de cada cultura, sem uma prévia identificação, mas com detalhes de corte e cores reconhecíveis de um povo guardado da nossa memória.”

MAR DE GENTE (Sea of People)
FICHA TÉCNICA: Direção Geral, Concepção e Coreografias: Ivaldo Bertazzo ; Direção de coreografia e Ensaiadora: Suzana Mafra; Direção teatral: Fábio; Namatame; Direção de produção: Walter Gentil; Dramaturgia: Andréa Bassitt; Cenário, figurinos e visagismo: Fábio Namatame; Desenho de luz: Wagner Freire; Mixagem de trilha sonora: Ruben Feffer; Diretor financeiro: Walter Schulzke; Designer gráfica: Mayumi Okuyama; Fotos: Priscila Prade; Cenotécnica: Lázaro Ferreira; Voz da Atriz convidada: Fernanda Montenegro; Equipe Técnica: Direção de produção: Aline Sultani; Assistentes de Produção e diretor de palco: Ronaldo Zero:Operador de Luz: Osvaldo Vieira ;(Pelé) ;Operador de Som: Guilherme Pacheco Varela ; Camareira: Sonia Fávero ;Auxiliar de Camareira: Suely ;Cavalieratos Produção de cenário: Lázaro Ferreira; Assistentes de figurinos: Julia Seloti e Rebecca Beolchi CREDITS Direction, Design, and Choreography: Bertazzo; Executive Choreography and Coach: Suzana Mafra ; Production Manager: Aline Sultani; Production Assistant and Stage Direction: Ronaldo Zero; 2 Chambermaids; 2 Light and sound operators; 24 Dancers

MAR DE GENTE apresenta o olhar do artista IVALDO BERTAZZO sobre a evolução do homem, refletindo sobre a forma como nos inserimos no mundo atual e as possibilidades de sobrevivência no futuro. Além da dança, o coreógrafo Ivaldo Bertazzo introduz um viés teatral com a leitura de textos escritos especialmente para o espetáculo, narrados por FERNANDA MONTENEGRO que interage com os bailarinos, funcionando como uma voz direta com o inconsciente da platéia. Mar de Gente conveys IVALDO BERTAZZO’s look into human evolution, it reflects the way we reconcile in today’s world, and our possibilities of surviving the future. In addition to the dance, choreographer Ivaldo Bertazzo introduces a strong theatrical touch through the reading of texts especially conceived for the show, in the voice of FERNANDA MONTENEGRO, who interacts with the dancers, playing the direct voice of the audience’s unconscious.

Os caminhos e escolhas da humanidade numa coreografia pautada na individualidade dos corpos dos jovens da Companhia. A trilha sonora de MAR DE GENTE é fruto de uma vasta pesquisa de compositores que foram buscar, na música folclórica, inspiração para seu trabalho. A sonoridade contemporânea mescla-se com a música cigana e com influências de países como Hungria, Bulgária, Romênia, Egito e Rússia. The ways and choices of humankind, portrayed in a choreography which is grounded on the Company’s youngster’s bodies. Mar de Gente’s sound track is the result of a wide research among composers who were inspired by folk music in their work. Contemporary sounds are blended with gipsy songs and influenced by the music of countries such as Hungary, Bulgaria, Romania, Egypt and Russia

A montagens têm a marca dos encontros interculturais, que caracterizam a produção de BERTAZZO há vários anos. “Mais do que nunca hoje nós temos de proporcionar encontros de diferentes culturas e diferentes linguagens”, afirma ele. É por isso que combinar as músicas da Índia e do Brasil, em Samwaad, ou misturar, em Milágrimas, canto a capella sul-africano com a experiência de músicos brasileiros é muito importante: porque cada um vai rever a sua cultura no confronto com a outra”, define BERTAZZO. The show has the inter-cultural appeal which has been for many years characteristic of BERTAZZO’s work. “Today, more than ever, we need to offer such encounters of different cultures and languages,” he says. That is the reason why blending music from India and from Brazil, as in Samwaad, or, as in Milágrimas, mixing South African capella chorus, and the experience of Brazilian musicians is so important: each one can revisit their own culture compared with the others,” BERTAZZO states.

ANÚNCIO MIDIA IMPRESSA / BANNERS

Ficha Técnica
CIA TeatroDança Ivaldo Bertazzo
• • • • • • • Direction, Design, and Choreography: Bertazzo: Executive Choreography and Coach: Suzana Mafra Production Manager: Aline Sultani, Production Assistant and Stage Direction: Ronaldo Zero; 2 Chambermaids 2 Light and sound operators; 24 Dancers

Orçamento / budget
16 apresentações, em quatro semanas de espetáculo / 16 performances in for weeks Workshop do método Bertazzo / Bertazzo’s Method workshop orçamento / budget: EUR 230.000, 40% de redução para apresentações adicionais / 40% price reduction for additional presentations.

Infra-estrutura necessária:
• Luz, som, passagem aérea com translado e transporte local, hospedagem com alimentação e 2 maquinistas do teatro inclusos / Light, sound, plane tickets and transfers, transportation, hotel, meals, 2 tecnicals operators from the theater .

O cenário é composto de 4 escadas de ferro com 2,50 m de largura X 3 m. Todas são desmontáveis / The set is composed of 4 iron ladders each measuring W 2,5 m X L 3 m. All of them dismountable

Rider of Sound
01 PA COMPÁTIVEL COM A SALA DE ESPETÁCULO 04 MONITORES P/ PALCO 02 CD PLAYER 01 MESA DE COMANDO DE 16 CANAIS/ 4 AUXILIARES 02 EQUALIZADORES DE 31 BANDAS X POTENCIAS NECESSÁRIAS 01 COMPRESSOR 01 CROSSOVER DE 8 CANAIS 02 MICROFONES DE BASTÃO SEM FIO – SM 58 UHF 04 MICROFONES DE LAPELA UHF 06 MICROFONES SHOT-GUN FIAÇÃO E ACESSÓRIOS NECESSÁRIOS

Rider of Lighting

08 REFLETORES PC DE 1 K. 12 REFLETORES FRESNEL DE 1 K. 20 REFLETORES ELIPSOIDAL ETC 26° 30 REFLETORES ELIPSOIDAL ETC 36° 10 REFLETORES ELIPSOIDAL ETC 50° 52 REFLETORES PAR 64 # 5 24 REFLETORES PAR 64 # 2 18 REFLETORES PAR 64 # 1 06 REFLETORES STRIP LIGHT – 10X50WTS./220VTS. 96 DIMMERS 4K. POR CANAL 01 MESA ETC EXPRESSION 48/96 12 IRIS P/ ETC 04 BARRAS DE FERRO DE 2 P/ LATERAL FIAÇÃO, PORTA FILTROS, GARRAS E ACESSÓRIOS NECESSÁRIOS P/ BOM FUNCIONAMENTO DO SISTEMA

CONTATO/CONTACT

Escola do Movimento IVALDO BERTAZZO VITTORIO EMANUELE ROSSI JUNIOR Escola do Movimento IVALDO BERTAZZO Rua Cotoxó, 1 – Pompéia São Paulo, SP CEP-05021-000 Brasil Fone +55 11 2799-1030 / +55 11 3294-1755 vrossijr@primorossi.com.br Skype: vittorio0808