You are on page 1of 1

Pág.

4 / 08 a 14 de Junho de 2009 - Edição 105

FORÇA FEMININA

Geral
Fotos: Assessoria de Comunicação Marconi

Mulheres goianas recebem Marconi com carinho em Fórum do PSDB em Brasília
Em evento comemorativo dos 10 anos do PSDB Mulher, senador destaca o papel das militantes tucanas, que seguem unidas, na eleição de 2010
“Marconi, de novo; para o bem do povo!". Com este grito de guerra, o senador Marconi Perillo (PSDBGO) foi recebido pelas mulheres goianas que chegaram a Brasília (DF) para participar do 1º Fórum Nacional do PSDB Mulher. O encontro, realizado no Hotel San Marco, nessa quarta-feira, 3 de junho, reuniu a alta cúpula tucana, além dos governadores de Minas Gerais, Aécio Neves, e do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, ambos do PSDB, e José Roberto Arruda (DEM). Cerca de 700 tucanas participaram do fórum, que comemorou os 10 anos do PSDB Mulher. Ao lado do presidente do partido, senador Sérgio Guerra (PE), das senadoras Lúcia Vânia (GO) e Marisa Serrano (MS) e da deputada Raquel Teixeira (GO), Perillo destacou que “o papel das militantes do PSDB na eleição do ano que vem é muito importante”. O senador goiano não poupou

Marconi Perillo conversa com o governador de MG, Aécio Neves, no Fórum do PSDB Mulher

Senador Marconi Perillo e outros membros da cúpula tucana: união para 2010

críticas ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que caracterizou como medíocre. “Teremos um candidato a presidente que irá enfrentar uma candidata a presidente. Vamos enfrentar um governo populista e medíocre, mas que investe fortemente em mídia”, afirmou.

Aécio Neves Também bastante aplaudido, o governador Aécio Neves criticou a resistência da cúpula do governo em investigar a Petrobras, com uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito). “O Brasil precisa parar de teFoto: Grupo Mabel

mer CPIs, ser transparente. Saio desse evento certo de que temos a força, de que podemos entrar nas vielas do país com o queixo erguido para dizer: ‘eu sou tucano’”, afirmou o governador mineiro. A ala feminina do PSDB reuniu mais de 200 tucanas que parti-

ciparam do lançamento da “Medalha Professora Ruth Cardoso”. A partir de 2010, segundo o partido, “será conferida, pelo PSDB Mulher, a mulheres, homens ou instituições que contribuam para a erradicação da pobreza e o avanço das conquistas das mulheres”.

Projeto de Mabel beneficia alérgicos à lactose
As pessoas alérgicas à lactose enfrentam um desafio, diariamente, na hora de comprar produtos alimentícios. No entanto, elas também estão sujeitas à ingestão da substância em medicamentos, pois alguns produtos farmacêuticos comercializados no Brasil possuem a substância na sua composição ––e não alertam o consumidor. Preocupado com a saúde e bemestar da população, o deputado federal Sandro Mabel (PR-GO) protocolou, no plenário da Câmara, um projeto que obriga os laboratórios farmacêuticos a inserirem, nos rótulos dos medicamentos, um alerta sobre a existência da substância em seus produtos. “O prévio conhecimento da composição evita que as pessoas sofram os males da intolerância à lactose”, afirma Sandro Mabel, cuja sensibilidade social, notadamente com os que têm intolerância à lactose, o levou a apresentar, anteriormente, outro projeto, que obriga os fabricantes de produtos alimentícios que contenham lactose a informar essa característica, no rótulo ou na embalagem. sAibA mAis A intolerância à lactose é a alergia ao leite e seus derivados, e se manifesta no indivíduo por meio de distúrbios do trato gastrointestinal, como náuseas, vômitos e diarréia. Essa intolerância decorre

Deputado Sandro Mabel: sensibilidade para quem tem alergia à lactose

da ausência da lactase ––uma enzima essencial para a digestão do leite–– na mucosa intestinal, o que impede a digestão da substância

presente no leite e derivados, a qual sofre um processo de fermentação ácida responsável pelos sintomas descritos.

Demóstenes vai ao STF “Quem quiser ser candidato, terá contra cotas raciais
FICHA SUJA

de ter moral”, diz Demóstenes
Foto: Márcia Kalume / Agência Senado

A CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado aprovou, nessa quarta-feira, 3 de junho, projeto que exige que o candidato comprove sua idoneidade moral e reputação ilibada para concorrer a cargo eletivo. O relator da matéria, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que também preside a CCJ, observou que o texto submete os candidatos às mesmas exigências feitas aos cidadãos que prestam concurso público. “Quem quiser ser candidato, terá de ter moral e reputação ilibada”, afirmou. O texto, ainda sem votação em

plenário, impede o registro de candidatos condenados, em qualquer instância, pela prática de crimes hediondos (como tortura e racismo) ou dolosos, contra a administração pública ou o sistema financeiro, bem como por improbidade administrativa. “O projeto aprovado agora é ainda mais rígido do que a proposta anterior, pois não precisa nem haver condenação. É o juiz eleitoral que vai decidir se o candidato atende aos requisitos de idoneidade na hora de conceder o registro”, explicou Demóstenes.
Dr. Hilton Golçalves ribeiro
OAB-GO – 20.196

O presidente da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), anunciou na quarta-feira, 3 de junho, que o DEM pretende entrar com ação no STF (Supremo Tribunal Federal) para declarar inconstitucionais todas as leis sobre sistemas de cotas raciais aplicadas no país. “As cotas raciais podem dividir a sociedade brasileira. É uma proposta discriminatória. Não podemos ser definidos pela cor de nossa pele”, disse. “Defendo o critério social, que reserve cotas para alunos pobres que

Mototaxistas agradecem Demóstenes

estudaram em escolas públicas do ensino fundamental e médio”, concluiu Demóstenes. A CCJ adiou novamente a votação do projeto que institucionaliza o sistema de cotas, inclusive por critério étnico, em todas as universidades públicas do país e, ainda, na rede federal de escolas técnicas de ensino médio (PLC 180/08). “A Adin [ação direta de inconstitucionalidade] será protocolada pelo DEM assim que o partido concluir levantamento de informações sobre as leis de cotas raciais já em vigência nos estados”, anunciou Demóstenes.

ADVOGADOS ADVOGADOS Causas cíveis e cíveis e usas Ca previdenciárias previdenciárias
Senador Demóstenes Torres preside reunião da CCJ do Senado

Dra. simone Gonçalves ribeiro
OAB-AP – 1048

Dra. sanDra Gonçalves ribeiro
OAB-GO – 20.725

enDereço:

Rua 14 nº 295-A – Centro Goianésia-Go Fone: (62) 3353-1658

Presidente da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado, Demóstenes Torres (DEMGO) colocou em votação na tarde dessa quarta-feira, 3 de junho, projeto de lei que regulamenta a profissão de motoboy, mototaxista e motofretista. A proposta arrastava-se há anos na CCJ. “A regulamentação do trabalho dos motoboys vai garantir maior segurança no trabalho de milhões de pessoas em todo o país”, afirmou Demóstenes. A matéria, que já foi apreciada pela Câmara, foi motivo de audiência pública e teve sua votação adiada seguidamente.

Ao parabenizar Demóstenes, o presidente da Fenamoto (Federação Nacional dos Motociclistas, Motofretistas e Mototaxistas do Brasil), Robson Alves, que acompanhou a sessão na CCJ, disse que o senador por Goiás foi o único que teve “coragem” de defender a categoria em discurso no plenário. “Ele [o senador Demóstenes] não mais será chamado por nós de senador, mas de imperador Demóstenes Torres, um legítimo representante do povo e que sabe dos milhões de trabalhadores que dependem dessa regulamentação”, falou Robson.