You are on page 1of 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE TECNOLOGIA – DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2° Trabalho Escolar da Disciplina TM 121 - Elementos de Máquinas I, realizado

às 16h 30min do dia 1º/07/2004. Aluno: ____________________________________________________________________________ -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------01) 1,0 A figura mostra uma mola de compressão que está carregada contra um suporte através de um parafuso e de uma porca. Após a porca ter sido apertada na posição, uma carga externa F é aplicada ao parafuso como indicado na figura. A deflexão da mola é medida conforme a carga é aumentada. A curva de carga resultante x deflexão é apresentada. Explique claramente porque a curva de carga resultante x deflexão muda de inclinação nos pontos A, B e C.

02) 3,0 Uma árvore está sujeita às cargas conforme representa a figura e é suportada por mancais de rolamento. O mancal A possui um rolamento de rolos cilíndricos e o mancal B é composto de um rolamento fixo de esferas. A árvore suporta uma engrenagem com dentes inclinados. A vida estimada será de 15000 horas de funcionamento e a rotação do eixo é de 2400 rpm. A lubrificação dos rolamentos será com óleo. Pede-se selecionar os rolamentos. 35º 17000 N 30º 8000 N

A

B

Mínimo 40 mm

Mínimo 60 mm

03) 4,0 O eixo intermediário (eixo 5) da caixa de câmbio da figura está apoiado em dois rolamentos de rolos cônicos montados em “X’. As forças atuantes sobre as engrenagens são aquelas oriundas do motor à combustão que se acopla à caixa, que são transferidas ao eixo motriz do veículo (nem o motor nem o eixo motriz aparecem na figura). A transmissão de força através da caixa de câmbio se dá a partir da transmissão entre o eixo primário (eixo 1) e o eixo intermediário (pelas engrenagens 7 e 8) e, em seguida, a partir da transmissão entre o eixo intermediário e o eixo secundário (eixo 6) (pelas engrenagens 9 e 10). O torque máximo de entrada no eixo primário é 1750 Nm. A força radial atuante na engrenagem do eixo primário (engrenagem 7) é de 11900 N. A força radial atuante na engrenagem da primeira marcha (a mais reduzida) (engrenagem 9) no eixo intermediário é de 25780 N. As forças atuantes nas duas engrenagens estão no mesmo plano e têm a mesma direção com sentidos opostos. O eixo primário gira a 1200 rpm quando recebe o máximo torque. As engrenagens da transmissão primária, no eixo primário (engrenagem 7) e no eixo intermediário (engrenagem 8), têm, respectivamente, 23 e 41 dentes. A carga axial constante no eixo intermediário é de 16000 N para a esquerda de quem olha a figura. A relação de transmissão entre dois eixos interligados por um engrenamento é a razão entre o número de dentes da engrenagem movida pelo número de dentes da engrenagem motriz. A temperatura de trabalho é de 78 ºC, a confiabilidade de projeto é 99%, o Kt da transição da engrenagem 9 (usinada solidária ao eixo em uma única peça) e o próprio eixo é 1,62. A sensibilidade ao entalhe é 0,91. O material empregado é aço 8660 com S rt = 1580 MPa. Calcule o diâmetro do eixo para uma vida de 35000 horas.