You are on page 1of 13

Ciência Política 13-04 Nascimento e extinção dos Estados Da internet: I)Formação originária: 1.

Formação natural ou espontânea  Estado se formou por ato voluntário. 1.1) teve origem familiar ou patriarcal: ampliação da família formou o Estado; 1.2) originou-se por ato de força, conquista ou violência, (Oppenheimer- Duguit), os mais fortes se impuseram aos mais fracos, gerando o estado; 1.3) teve origem em causa econômica ou patrimonial, tendo as necessidades humanas, e a busca por suprilas provocando a união de pessoas e o surgimento do Estado. A teoria marxista (Marx e Engles) destaca-se dentre os defensores da teoria econômico do surgimento do Estado; 1.4) surgiu do desenvolvimento interno da sociedade (Robert Lowie).

2. Formação contratual  foi à vontade do homem que levou ao aparecimento do Estado (os que defendem a formação contratual da sociedade = Estado). II)Formação derivada a) Fracionamento  forma-se a partir do desmembramento de Estado já constituído (território colonial separa-se da metrópole - África do pós-guerra; território de um Estado integrado se separa - Singapura separando-se da Malásia). b) União  dois estados se unem para formar um novo, desaparecendo os dois estados antigos. c) Forma atípicas  repartição de um Estado em dois (Alemanha de 1945-1990), criação por ato da ONU (Israel), etc. Professor: 1 – Pré-história - Paleolítico inferior – o homem ainda não se fixou em terras e nem formou grupos de poder. O chefe era o caçador mais forte e ditava as regras. Eram nômades. - Paleolítico superior – 40.000 AC – o homem começou a se fixar na terra. Começa a agricultura, criam-se mais utensílios (fabricar para agricultura), residências mais definitivas – comunidade: começam as relações de poder. Não é só força, o chefe tem que ser mais inteligente-líder religioso ou líder político – começa haver um embrião de Estado. 2 – Teoria familiar - matriarcal: nômades – maior poder era da mãe e do tio (muitos nem sabiam quem eram o pai). - Patriarcal: o pai passa a ter o poder sobre a família gerando clãs. O Estado vem da união das famílias (famílias cada vez mais estruturadas, sofisticação do poder entre elas). - Estado – organização derivada da união das famílias (clãs). Patriarca manda e por fim funda o Estado. 3 – Teorias para o nascimento do Estado: - Teoria Patrimonial – Platão, na Grécia antiga, tem a idéia de que o Estado nasce da união de classes profissionais. Tudo que as cidades precisavam tinha que vir das próprias cidades. Divisão de trabalho no Estado: essa idéia vai ser adotada por Marx e Engels, o Estado para eles era fruto da dominação (exploração) de uma classe dominante sobre outra. O Estado serviria para a divisão e perpetuação da riqueza (essa teoria vem durante a Revolução Industrial, por causa do quadro de desemprego e subemprego). Justificação patrimonial pela exploração das classes dominantes pelo Estado. - Teoria da Força ou da violência – o Estado surge na forma de eficiência militar. Na luta por território para angariar riquezas. O Estado serve para se equipar para a luta, maio as qualidades militares.

 3ª fase (chamado de Common Wealth): quando foi concedido um grau de autonomia. Para se libertarem as 13 colônias se unem numa confederação. poder e finalidade ou bem comum). o Federação: união permanente. LUXEMBURGO E HOLANDA – uniram-se para aumentar a força de seus membros e se tornou mais tarde em união européia. mas para se protegerem de ataques da Inglaterra e França.. o Common Wealth: é o resultado do antigo império britânico.Modo originário: origina-se da norma dos elementos vistos até agora (povo. O rei nomeava gestores para essas colônias. secundário e derivado. Esses 13 Estados pagam tributos para a Inglaterra. Para ele. Pessoas se reúnem e com vontades convergentes se unem para fazer instrumentos para esse acordo de vontade (união de vontades). mas nada que prejudique a soberania desses Estados. Rousseau. por isso o Estado é necessário para regulamentar o estado civil (criar normas). Thomas Hobbes e Rousseau. já acha que o homem tem uma boa índole. O Brasil não prevê essa divisão (secessão) ocorreu com o Uruguai que se separou do Brasil. o União real: a nobreza se une de maneira permanente. Quando ele vive em sociedade começa a precisar de coisas mais sofisticadas (necessidades mais sofisticadas). Ex: Grã-Bretanha. e os Estados continuam tendo sua soberania independentemente dele. África. O homem dá poder a uma entidade maior para se proteger. A Inglaterra aceitou a soberania das colônias (Estados). por ser muito grande o império era difícil governar (controlar politicamente)  2ª fase: o império passa a conceder certo grau de autonomia às suas possessões. . todas eram possessões). A 1ª federação que se tem notícia é os EUA: pessoas foram expulsas da Inglaterra por motivos religiosos e fundam as 13 colônias (Estado) que eram governadas pela Inglaterra. Thomas Hobbes em O Leviatã pensa no Estado como um monstro que sairia do Nilo que de tempos em tempos sai e mata e devora os homens. progressivamente as colônias foram ganhando mais força. Esse tratado pode se denunciado (quando não quer mais ele). Quando ele morre os Estados se separam. o União Pessoal: um rei por questão de nascimento acaba sendo rei de 2 Estados ao mesmo tempo (filho de príncipe + princesa estados diferentes). além de proteção. mas o principal da teoria é o acordo de vontades. . No estado natural o homem tem tudo que precisa. A Inglaterra era a superpotência do século 18 e 19 (América. território..- Teoria Contratualista – é a teoria mais moderna (sofisticada). Elas transferem sua autonomia a um poder central e se transformam em federação através de uma constituição (a 1ª escrita).União de Estados: o Confederação: Estados menores unem-se para se fortalecer através de tratados (contratos entre Estados – militar. tem mera autonomia. Europa. econômica e/ou politicamente).  1ª fase do império: capital era Londres. mas eles continuavam tendo grande influência (não direta). O homem retira o poder de autotutela e passa para o Estado. Ciência Política 24-04 continuação dos modos de nascimento dos Estados 2 – Divisão: o divisão nacional – quando um Estado se separa em 1 ou mais Estados. O Estado tem origem histórica. O homem elege representantes para formar a tutela (chamados por Rousseau de magistrados) 4 – Modos de nascimento: originário. o homem é lobo do homem (natureza má) e o Estado serviria como proteção do homem contra o homem. .Modos secundários: união e divisão 1 . Os Estados abrem mão de sua soberania. Exemplo: BENELUX – BELGICA.

sem diferença aparente. b) religiosidade: forte presença do sentimento religioso. estado Medieval e Estado Moderno. soberania ou finalidade). MODO DE EXTINÇÃO DOS ESTADOS Causas gerais: quando perde um dos elementos do Estado (povo. . Derivados: quando um Estado influencia na divisão de outros. o Colonização: caso do Brasil. Estado Romano. 1) Estado Antigo Azambuja: “Estes povos não tiveram uma concepção definida do Estado”. III) China: a filosofia indica preceitos de governas . . Era uma colônia de Portugal.Teoria do livre arbítrio dos povos: é o povo quem vai decidir (é a teoria mais aceita). mas havia outros. basicamente uma teocracia (governo unipessoal é confundido como a própria divindade. o Emigração – movimento de saída de um povo de seu território. o Ato de governo: quando um governante de maneira unilateral dá à sua colônia a liberdade (soberania). É o caso de Porto Rico que concedeu aos EUA a sua soberania. Causas específicas: o Conquista – quando é conquistado por outro (guerra). mas que se separou depois.  Há uma mistura entre família. Confúsio e Mêncio.é querer forçar outros Estados para uma unificação ( o pseudonacionalismo da Alemanha). o Renuncia aos direitos de soberania – quando o Estado abre mão de sua soberania para outro Estado. II)Pérsia: situação é a mesma.Princípio da nacionalidade: baseado no conceito da nação (sentimento enter as pessoas que criam vínculos). IV)Egito: teocracia. Ciência Política 30/04 Apesar de algumas divergências entre os estudiosos. . o poder é de Deus e exercido por um Deus. com a casta privilegiada (Brâmanes) sendo a encarnação da justiça e designados por Deus. o Concessão de direitos de soberania: quando a metrópole concede a soberania à sua colônia. A metrópole tem o dever de manter a colônia (custo). sendo que a classe sacerdotal limita o poder. É uma das vertentes que gerou a 1ª Guerra Mundial.Teoria das fronteiras naturais: a formação do Estado nasce porque uma barreira natural de difícil acesso faz com que as pessoas que ali vivem formem um Estado. I)Índia: divisão de castas (prevalente até hoje em dia). o Expulsão – retirada forçada do elemento humano. estado e organização econômica. . pode-se dividir a evolução do Estado em cinco fases: Estado Antigo. mas atenuada. Negativo .“a legitimidade repousa no consentimento do povo. território. religião. Possui duas características: a) natureza unitária: não possui divisão de território ou função. Têm 2 lados: positivo – a Itália tem essa característica. estado Grego.Teoria do equilíbrio internacional: os Estados nascem e se extinguem na medida de sua força (paz armada).o divisão sucessoral – da Idade Média: divisão de sucessão entre os herdeiros dos senhores feudais. outros o governo é limitado pela classe sacerdotal). o Faraó era um Deus. PERGUNTAS QUE O PROFESSOR FEZ EM AULA: 1 – Quais são as teorias que justificam a criação e a extinção dos Estados? .

O território era diminuto. 1 Com a Paz de Westfália. casta religiosa. com diferenças de vida e costumes. com privilégio aos membros das famílias patriarcais.  O povo participa do governo. baseadas no ideal de auto -suficiência. c) Disputa de poder entre o Papa e Reis (termina no estado moderno. como:  Revolução Francesa ( Direitos do Homem). com a influência da democracia grega. sem suas características básicas e elementos. Tem-se.  A idéia de Estado Grego deve ser observada dentro dos princípios da civilização grega.  Apresenta uma separação entre o poder público e o privado. Há uma elite. b) há uma multiplicidade de centros de poder (senhor feudal. com influência dos bárbaros. 2) Estado Grego Não havia uma unidade englobando toda a península helênica.  O Estado moderno sofreu alteração em face dos acontecimentos históricos. sendo a polis constituída de cidadãos livres. com intensa participação nas decisões do Estado. iniciada em 1618. chegando. em face da multiplicidade de centros de poder. reino. 5) Estado Moderno  Surge com a Paz de Westfália1 (1648). d) Multiplicidade de ordens jurídicas. 4) Estado Medieval Transição do Estado Romano para o Medieval.  Porém pode-se conceber que a sociedade política de Atenas e Esparta era semelhante. a Espanha reconhece a . em 212 conceder naturalização a todos os povos do Império. até nossos dias. termina a Guerra dos Trinta Anos. Este Estado sofre evolução com o tempo. como unidade territorial dotada de poder soberano. os quais não tinham direitos. metecos (estrangeiros). mas somente uma parcela.V) Israel: teocracia limitada pela lei de Deus. ampliando-se até o Imperador Caracala.substituir a unidade romana). mas sim várias cidades-estado. além dos escravos. com as invasões bárbaras e o surgimento do feudalismo. Formado a partir do desmembramento do Império romano. e independência da Holanda (Países Baixos). corporações de ofício). 3) Estado Romano Base familiar de formação é característica peculiar. com a ordem temporal dos monarcas poder conferido por Deus). que documenta o aparecimento do Estado moderno. então: a) uma forte influencia do cristianismo Papal (buscando ser base de universalidade .

c. c. deveriam obedecer.C. b. Características – República: a. A propriedade deveria ser transmitida apenas a um herdeiro.  com os regimes totalitários (Comunismo. deve promover o bem estar coletivo.  com o liberalismo econômico do Séc. a. 2) Polis: Atenas (1ª democracia). Autarquia: c. 754 a. . Rômulo e Remo: gêmeos fundadores de Roma. Multidão: poder fracionado.  intervencionismo econômico e defesa dos direitos sociais. b. b. e a Grécia influenciava Roma (helenização). 1) Cidadãos: 1ªs pessoas que têm direito (eram homens livres). Conselho de anciões: pessoas mais experientes. até 565 d. conduzir as relações pessoais. Figuras: sacerdotes. inclusive ele deveria escolher a esposa do primogênito. pessoas fixadas na terra. 2. 5. ESTADO GREGO: fortemente influenciado pelos orientais. Assembléia de cidadãos: homens livres reuniam-se em assembléia e discutiam sobre: tributos. atitudes a serem tomadas dentro das polis. b. 4) Aristóteles: a.C: são 1319 anos. d. formada pela união das polis. Patrícios: aquele que tem a Pater Familis possuem todo o poder de Roma. em geral escravos. não houvesse discrepância. ESTADO ROMANO 1. propriedade privada: defendia a propriedade privada desde que não causasse desequilíbrio. A plebe começa a ter direitos a partir do momento que ganham força (entram para o exército). até nossos dias. Legalidade: as pessoas estão obrigadas a fazer apenas o que a lei determinasse (pode fazer o que não for proibido). Gens (famílias) a. mas não são escravos. Família: deveria ser defendida pelo Estado (não restringida). ESTADO ANTIGO. guerreiros – deveriam proteger a polis. Clientes: servos dessa família. Ele defende que cada cidade tivesse de 10 a 20 mil pessoas e que produzisse tudo o que precisa. vários homens (cidadãos) decidindo sobre o Estado. era inalienável. Proteção à propriedade privada. obreira – trabalhadores. conselhos para tomar algumas decisões. Soberania???? Roma maior império ocidental. Plebe: romanos sem poder. Sábios. XIX. deveria ter apenas um filho. Propriedade privada limitada em nome da segurança do Estado. e.características: o Estado vai se confundir com religião e família. Civitas: cidade-Estado 4. TEOCRÁTICO OU ORIENTAL. ii. . Deve se configurar em autarquia (cada cidade deve ser autônoma). Cada polis deve ter uma auto suficiência. ou seja. Esparta. 3. iii. Três classes: i. além disso. Família: a família era dirigida pelo pai. b. 3) Platão: a. Influência na condução do Estado. guerra. Fascismo e Nazismo). 6. agricultura. Americana (Federalismo). sábios – deveriam governar.

o Cristianismo: religião oficial da Europa. o poder político está na razão humana. b. Reinos. Associações que controlavam os trabalhadores. Principado: o senado é fechado. 2) Unificação da Europa: os feudos começavam a se unir. ducados. Corporações de ofícios – inicio dos sindicados. Com a queda do Império Romano inicia-se a Idade Média (fragmentação do poder).d.. 4) Benefício: pessoas que não possuíam propriedades e que trabalhavam nas terras dos senhores feudais. A plebe fazia os comícios. Clero: poder espiritual. A relação entre os feudos era tumultuada. Estado criado pela razão humana. descentralização do poder político entre Igreja. presença da Igreja na vida das pessoas (poder supraestatal). Nação: o Estado começa a ter um sentimento de nação. Racionalismo: Maquiavel – idéias de um Estado Moderno. deve respeitar as magistraturas (tribunato da plebe entre outras). além disso. não pagavam tributos. Usava a Santa Inquisição contra quem se opusesse ao seu poder. Na França: 3 Estados (classes): i. o Bárbaros: os estrangeiros. corporações. Relação pessoal entre o senhor feudal e o vassalo.. Consulado: escolha de 2 cônsules que vão governar a República por 1 ano. condados. O imperador aglomera todo o poder em suas mãos.. deveriam fazer parte do exército. c. feudos. Organizações religiosas – fraternidades. incontrolável e ilimitado. Imperium: o poder dos patrícios e plebe. Poder do rei: irresponsável.Características: existência de feudo. mas sem hierarquia definida. exército próprio.. 3) Vassalagem: pequenos proprietários de terras que entregavam grande parte de sua produção em traça de proteção. . . ESTADO ABSOLUTISTA – grande concentração de poder na figura do imperador 1) Concentração de poder: poder temporal (político) nas mãos do imperador e menos poder da Igreja.. Baseado no Direito Natural – o poder é dado pelo próprio Deus. b.Surgimento histórico: durou cerca de 1000 anos.] 3) Renascimento/racionalismo: renascimento no campo artístico com liberdade de criação e o racionalismo no campo das ciências. A Igreja acaba possuindo um imenso poder na figura do Papa. até julgar. 7. c. Ciência Política 04-05 ESTADO MEDIEVAL . o consulado é extinto e existirá a figura do imperador. era uma época de intensas lutas entre feudos por propriedade. a. ii. 2) Senhor feudal: cada feudo tem uma meda própria. 9.. 1) Infinitos centros de poder sem hierarquia definida (desconcentração de poder): a. A Igreja tinha o poder espiritual e passou a ter também o poder temporal (político). Nobreza: concentra todo o poder político. Poder irresponsável (não precisava se justificar para ninguém) e incontrolável (sem limites).. em época de guerra (concentração do poder em 1ª pessoa) 10. Detinham o monopólio do trabalho. Ditadura: a passagem do poder de 2 cônsules para apenas 1. Rei: concentração todo o poder nas mãos do rei. o Feudalismo: nobreza. 8.

de 1ª dimensão. Assembléia nacional. Não podia invocar uma proteção do Estado no contrato. inalienável e imprescritível. Declaração de Virgínia: 1º documento onde foram declarados os direitos fundamentais do homem: direito à liberdade. clero e o povo. A burguesia começou a insurgir contra essa estrutura. Declaração dos Direitos fundamentais do homem: a declaração dos direitos fundamentais francesa é baseada na declaração de Virgínia. que era hereditário. século XVIII – EUA. O Estado fica fora das relações privadas (particulares) do povo. d. possuíam dinheiro. 4. França a. mas não o poder político. que ainda fazia parte da Inglaterra). c. o Direitos fundamentais: são direitos inatos. direito de propriedade. 2. 2ª Bill of Rights (1689): lista de direitos . Dentro do povo nasce uma outra classe. Quem tem força para fazer justiça é o Estado (quem vai fazer lei e a tutelar). pois tinha dinheiro. a burguesia.ficam os protestantes autorizados a portar armas. O Estado não vai interferir tanto na vida do cidadão (afasta-se das questões da sociedade). indivisível. mas não tinham poder político. CARACTERÍSTICAS DO PACTO SOCIAL PARA A FORMAÇÃO DO ESTADO . à vida. Queda da bastilha: 14/07/1789 e. Traz pela 1ª vez o conceito de soberania (pacto social) e suas características: una. quando o povo viu que nada mudaria. o contrato é lei entre as partes). Ciência Política 18-05 I . O fundamento do Estado é a razão humana (pacto social).LIBERALISMO 1. Começa a movimentar riquezas. b. 3 Estados: a França era constituída por 3 estados: aristocracia. Baseada nas idéias de Rousseau e Montesquieu. mas ainda não é a constituição francesa. Ao Estado só cabe a segurança do cidadão. . Princípio da legalidade: o cidadão entregou parte de sua capacidade de autotutela.  Direitos políticos – direitos de cidadania: poder escolher os governantes. Ex. a. 3. Inglaterra: 1ª constituição que conhecemos (1º documento constitucional): JOÃO SEM TERRA a. (sendo direitos inalienáveis e a pessoa nasce com ele). Não existe a figura do rei. eram os comerciantes. Entre os particulares vai regular a pacta sunt servanda (significa o acordo deve ser cumprido. Para o Estado: só pode fazer o que o Estado expressamente permite (autolimitação do poder do Estado).  Direitos civis positivos – direitos do cidadão contra o Estado. ou seja. Luis XVI convocou uma assembléia de notáveis (só para aparência) o que provocou uma assembléia Nacional em 17/06/1789. Ex: direito à vida – o Estado não pode retirar a vida de alguém. Assembléia de notáveis. Em 1614 o povo foi excluído do Estado. o Estado não pode retirar.Constituição francesa: o 1814 – Direitos fundamentais de 1ª dimensão: caráter individualista (liberalismo). Povo: pode trabalhar. e o que a lei não proíbe é permitido. para que ele não invada a liberdade da pessoa. dá liberdade (idéias importadas dos EUA. era um direito extremamente individualista. imprescritíveis. isso levou à tomada da Bastilha. a. b.iii. direito dos indivíduos:  Direito negativo – proibição do que o Estado pode fazer. o que mais tarde culminaria na revolução francesa. Para o cidadão: só é obrigado a fazer aquilo que a lei manda.

Cabe lembrar aqui que a visão dos fisiocratas liga-se a uma realidade francesa. Considerava a agricultura a única fonte de toda a riqueza. “Laissez faire. onde uma absoluta igualdade provoca uma imensa desigualdade. das regulamentações e das corporações. proteção à gestante. com o surgimento das máquinas a vapor e o êxodo rural. descanso. Feria a dignidade do trabalhador (caráter divino do homem). assim.. a própria retração da agricultura provocada pelas medidas de Colbert. é a teoria de freios e contra-pesos de Montesquieu. férias. laissez passer” Uma primeira concepção liberal é a chamada escola fisiocrata (de fisiocracia. semelhantes às da natureza. porém deve ser observada a condição digna de trabalho e. especialmente. Cada um faz uma parte. .. E a segunda. as quais eram vistas como fruto da política de Colbert. legislativa e judiciária. IGUALDADE FORMAL: é o que está na lei: todos são iguais perante a lei. Gournay consagrou a frase "Laissez faire. às crianças. ampliando assim a mão-de-obra urbana. limita o nº de horas de trabalho.. Começam a surgir ações antiliberais. Seus teóricos mais destacados foram Quesnay (1694-1774). não havia nenhuma proteção ao trabalhador com relação a horas de trabalho. Turgot (1727-1781) e. A primeira seria a própria intervenção do Estado na economia. defendia a abolição das aduanas internas. IGUALDADE MATERIAL: verdadeira igualdade: trabalhar com a igualdade levando em conta as desigualdades das partes. trabalho infantil. o Estado deve intervir nessa relação. laissez passez" (Deixe fazer. ou "poder da natureza"). gravidez. em nome da plena liberdade para todas as atividades comerciais e industriais. O Estado protege o povo só com relação à segurança. Esse seria o Estado liberal IDEAL: todos são iguais perante a lei. PISO MÍNIMO EXISTENCIAL: mínimo de direitos do trabalhador. visando gerar uma queda da produção no campo e um conseqüente êxodo rural. com o tear a vapor 1 pessoa fazia o mesmo trabalho. 1770. todos têm a mesma capacidade de contratar. francesa. 3 Encíclica (entendimento da Igreja sobre determinado assunto) “Rerum Novarum”: o Papa Leão XIII em 15/05/1891. ou seja. negando a lei natural que a rege. É dessa crítica que surgiram as concepções fisiocratas. Antes: 10 artesãos faziam 10m tecido. A crítica dos fisiocratas vai justamente negar as duas atitudes consideradas como geradoras da crise. que. Após a Revolução Industrial. O empregador podia exigir tudo dos trabalhadores. O colbertismo teve por essência a busca por dinamizar a produção manufatureira na França. que não precisava de tanta mão-de-obra e os empregados não precisavam de tanto treinamento para operar as máquinas.Cria-se nesse momento a seguinte verdade: uma constituição para ser considerada como tal deve ter dois elementos materiais: 1 – garantia dos direitos fundamentais (deve constar na Constituição). faz profunda análise das relações de trabalho da época. inclusive com a proibição da exportação de gêneros agrícolas. que propunha que a economia funcionasse de acordo com suas próprias leis. pagava-se quase nada e o Estado não protegia nenhuma das partes. país no qual a economia passava por sérias dificuldades. ministro do rei Luiz 14. 25/05 REVOLUÇÃO INDUSTRIAL 1 Inglaterra (1770): a revolução veio criar a indústria. ter dias de férias. Mínimo necessário para o trabalhador: salário mínimo. não haverá concentração de poder (controle entre poderes). ocorre uma relação diferenciada. 2 –separação dos poderes (deve prevê-la): as funções do Estado são divididas em 3: executiva. portanto. 2 Características gerais: condições subumanas de trabalho. em detrimento da agricultura. O trabalha é importante para o homem (dignifica). a qual sofreu fortes restrições por parte da monarquia. que é o lado ruim do liberalismo. enquanto o comércio e a indústria apenas circulavam ou transformavam a riqueza natural. Gournay (1712-1759).. ao idoso. deixe passar).

A palavra perestroika. assim logrando o círculo estreito de apparatchiks que anteriormente exerceu o controle completo da economia. Significa: União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. e. • Negociar com os Estados Unidos da América a redução de armamento. Glasnost (significa transparência) foi uma medida política implantada juntamente com a Perestroika na URSS durante o governo de Mikhail Gorbachev. d. Partido único (Partido Comunista). Com a perda de poder das URSS. Guerra fria: era uma guerra ideológica . uma das políticas introduzidas na União Soviética por Mikhail Gorbatchev. certamente necessitava de uma reforma. o governo soviético veio embaixo da crítica aumentada. ganhou a conotação de 'reestruturação econômica'. 2 1ª Guerra Mundial (1914-1918) a Rússia era um Estado imenso com as mesmas características do absolutismo: concentração de poder. Até o final dos anos 1980. conflitos étnicos e regionais e insatisfação econômica. Eliminação da propriedade privada: tudo era do Estado. Começou a incorporar outros países. Uma chave principal da Perestroika era reduzir a quantidade de dinheiro gasta na defesa nacional. Ditadura: poder era do partido cujo presidente era o mesmo da nação. Kerenski é do Partido Socialista Revolucionário (mencheviques). c. Não havia liberdade individual.grande avanço na área militar. que literalmente significa reconstrução. g.(entre eles os acordos de Yalta) • Não interferir noutros países comunistas (A Doutrina Sinatra). em conjunto com a Glasnost. produtos de pouca qualidade. em 1985. todos eram possuidores das mesmas coisas. 4 Kereinski X Lênin: conseguem depor os Czares e se colocam no poder. como uma maior liberdade do discurso . Lênin toma o poder na Rússia e era influenciado pelas idéias do Manifesto Comunista. Influenciou a revolução de 15/03/1917: revolução russa. apesar de não ter de ser substituído. Concentração de poder no executivo: o legislativo e o judiciário serviam apenas para apoiar o executivo. sendo um dos fatores causadores da ruína da URSS. Meios de produção são estatais: não existe a economia privada. o proletariado era explorado por aqueles que possuem a força de trabalho (bens de produção). A glasnost deu novas liberdades à população. 3 Revolução Russa de 17: o exército russo está na guerra e o povo sente mais confiança de reivindicar conquistas. formando uma federação comandada pela Rússia. b. f. como fez a ideologia leninista (que . A Rússia era essencialmente agrária e de língua eslava. A Glasnost contribuiu em grande parte para a intensificação de um clima de instabilidade causado por agitações nacionalistas. Internacionalização do socialismo: havia o interesse de influenciar outros países. Lênin é do Partido Operário Russo Social Democrático (bolcheviques). Em 1989. Houve também um maior grau da liberdade dentro dos meios de comunicação. A idéia era que a propriedade privada induzia à luta de classes. A Perestroika (do russo: Перестройка. Governo coletivista: todos os meios de produção eram coletivos.uma modificação radical. em 1848. ocorre a saída dos países que faziam parte dela. e para fazer isso Gorbachev sentiu que a União Soviética deveria: • Desocupar o Afeganistão. Enquanto no Ocidente a noção da glasnost se associa com a liberdade da expressão. Gorbachev percebeu que a economia da União Soviética estava a falhar e sentiu que o sistema socialista. Teoricamente. significa reconstrução. reestruturação) foi. concentração de riqueza e influência política. h.II – ESTADO SOCIALISTA: inicia-se com a influência de: 1 Manifesto Comunista. 5 URSS: lei fundamental de 1923 é a 1ª Constituição. a meta principal desta política foi fazer o governo do país transparente e aberto para discutir. Gorbathev implanta duas políticas para a abertura da economia: perestroika e glasnost (transparência). 6 Características: a. visto que o controle de discurso e supressão da crítica do governo tinha sido anteriormente uma parte central do sistema soviético. e isto seria levado a cabo pelo processo da Perestroika.

Tajiquistão. III – FACISMO – período interguerras de 1918 e 40. Azerbaijão. Este novo acordo de união política teve como principal impulsionador o presidente russo Boris Ieltsin e marcou a dissolução da União Soviética. Rússia. Moldávia. . as outras repúblicas da antiga União Soviética seriam bem-vindas como novos membros da Comunidade. os membros deveriam trabalhar em conjunto para o estabelecimento de economias de mercado. foram perseguidos. mas não como faziam os comunistas. Estônia e Letônia nunca fizeram parte do grupo. Comunidade dos Estados Independentes (CEI) é uma organização supranacional envolvendo 11 repúblicas que pertenciam à antiga União Soviética (Armênia. o antigo rublo soviético é a moeda comum dos estados-membros. Sua idéia era: 1 Estado forte: não cabia um Estado liberal. Todos os cidadãos e propriedades são do Estado. NAZISMO . Nasce o sindicalismo O direito e o Estado: o Estado é o criador único do direito e da moral. Garantia de direitos trabalhistas. que. Havia um forte poder executivo (que vai governar). Constituição de Neimar: imposta pelo tratado de Neimar. 2 Estado deve prover todas as necessidades do cidadão. atuando apenas como membro associado. Cazaquistão. A Carta del Lavoro inspirou a CLT (1937) 27/05 1 – NAZISMO objetivos Constituição de Neimar Hitler (grupo ariano puro) Caracteristicas 2 – ESTADO NOVO BRASILEIRO cf/37 Getúlio Vargas Características Periodo inter-guerras. Lituânia. Europa Ocidental (homem acabou por conta da 1ª gerra mundial) homens provinciais. nada fora do Estado e nada contra o Estado. Quirguistão. a Comunidade fica sediada em Minsk. O Estado é totalitário: tudo dentro e pelo Estado. Desde 26 de agosto de 2005. qualquer república seria livre de abandonar a CEI após ter anunciado essa intenção com um ano de antecedência. aliás. principalmente dos trabalhadores. O Estado era personificado no direito e no partido fascista (Estado monista). Em 25/12/1991 forma-se a CEI. Bielorrússia.Gorbachev tinha tentado conservar como a fundação da reforma). Alma-Ata e São Petesburgo. 3 Modelo dominado pelas corporações (sindicatos). Ascensão de Mussolini na Itália no final da década de 20. Alemanha se rendeu pelo tratado de Versailles que era extremamente liberal. e os membros da população soviética foram mais francos na sua visão de que o governo soviético não ia bem. nomeadamente nos seguintes: cada estado-membro mantinha a sua independência. o Turquimenistão não é mais membro permanente da entidade. Ucrânia e Uzbequistão) fundada em 8 de dezembro de 1991. As três repúblicas fundadoras da CEI concordaram num certo número de pontos fundamentais.contemporâneo ao fascismo (Alemanha inimiga do resto do mundo na 1ª gerra mundial).

aos quais Getúlio deu ampla autonomia na tomada de decisões. Getúlio Vargas determinou o fechamento do Congresso Nacional e extinção dos partidos políticos. revoga a CF DE 34 (que era evoluída). . já o Decreto-lei é a lei. que tinha a alcunha de "Polaca". Houve fortalecimento do poder executivo. Características: símbolo antigo religioso alemão. Começa com a invasão da Polônia. durou até 29 de outubro de 1945. como o Estado Novo. Tinha 30 dias para ser derrubado pelo congresso. chamada de CF polonesa. quando Getúlio foi deposto pelas Forças Armadas. O direito na mesma estrutura do Estado.Ocorre que a economia alemã está fragmentada (hiper inflação). A CF/88 derrubou o decreto-lei e passou a existir em seu lugar a medida provisória. telebras. Orientação da economia: criação de empresas estatais para ter o monopólio (estratégia do Estado). O decreto é um regulamento. Atacaram Londres e errou ao tentar invadir a Rússia pela neve. porém nunca se realizaram eleições no Estado Novo. Eram as “bras”: eletrobras. O líder comunista Luís Carlos Prestes permaneceu preso durante todo o Estado Novo. os apelos patrióticos na imprensa e nos livros didáticos. Cria partido Nazista contra constituição de Neimar (1920-30 economia ruim) em 1935-40 passou a ser 2ª maior economia do mundo. Começa a ruir o Estado Novo brasileiro com a 2ª guerra mundial A implantação do Estado Novo e sua política Esse regime político recebeu o nome de Estado Novo. Para fazer mais rápido= campos de concentração de trabalhos forçados. cívicas e nacionalistas e eram incentivados. na prática não vigorou. exceto nos casos de crimes políticos. Começa a 2ª guerra mundial eram aliados da Alemanha a Itália e o Japão. nem ter se legitimado pelo voto em plebiscito.. Ele outorgou uma nova constituição. A + do nazismo (ao fascista) grupos não arianos (judeus. O povo alemão tem orgulho social afetado (baixa auto-estima). Foi criado o Decreto-Lei. ou a Polaca. O Poder Judiciário não sofreu interferências significativas no Estado Novo.Quem trabalhava nelas eram simpatizantes do governo. Um poder judiciário relativamente independente é raro acontecer em regimes políticos fortes. Não há direitos individuais. Hitler com lábia conseguiu seduzi-los. fecha o congresso e outorga a CF DE 34. o direito é igual à lei e o Estado é quem determina a lei. Monteiro Lobato foi preso por ter enviado uma carta a Getúlio criticando a sua política em relação ao petróleo brasileiro. 3 exemplos de decreto-lei: CLT CPP (CÓDIGO DE PROCESSO PENAL) CP (CÓDIGO PENAL) Eliminação das lutas partidárias (eram controladas pelo Estado). pelo Departamento de Imprensa e Propaganda. inclusive o Papa XVI. Estado monista. que lhe conferia o controle total do poder executivo e lhe permitia nomear interventores nos estados. (denominação usada para mostrar que a Constituição Brasileira de 1937 foi amplamente influenciada pela Constituição autoritária da Polônia). negros e ciganos) jogariam a Alemanha novamente no caos. todos jovens deveriam participar. O collor as extinguiu. a suástica. Esta constituição. que é uma ordem expedida pelo executivo com fora de lei imediata.. O Estado Novo promovia grandes manifestações patrióticas. foi promulgada a lei de esterilização. negros e ciganos. pois Getúlio governou durante todo o Estado Novo por decreto-lei e nunca convocou o plebiscito previsto na "Polaca". também chamados de autoritários. o Marco Alemão fica sem valor. Todos deveriam participar. Características desse período no Brasil: forte proteção ao trabalho com a criação da CLT. Em 1934. Houve extinção dos outros partidos políticos e a dissolução de todos os outros grupos: judeus. Monteiro Lobato queria que o governo explorasse esse recurso natural para o desenvolvimento do País. O Estado alemão = partido alemão. era totalitário. Esse foi o erro de Getúlio no Estado Novo: não ter instalado o Poder Legislativo. Estado Novo brasileiro: Getulio assume o poder. era parecida com o Estado Fascista. quando estavam cheios eram campos de mortes. e previa um novo Legislativo.

Situação atual: Estado do bem-estar social: Divisão dos poderes. exilou-se na Argentina. embora na da ilha de Fernando de Noronha os americanos tenham permanecido até 1960. devido à importante contribuição tática proporcionada para frente norte africana. A partir da estabilização da frente italiana em fins de 1943 e do enfraquecimento da campanha submarina alemã. muito antes que a pressão popular se fizesse sentir em 1942. defendeu a continuação do governo de Getúlio Vargas pelos progressos alcançados durante sua gestão. durante seu Discurso no Estádio de São JanuárioRJ. pouco podia atuar na questão do petróleo. O diário matutino O Estado de S. de fundamental importância para que o governo brasileiro paulatinamente se alinhasse com os EUA e consequentemente a causa aliada à partir de Pearl Harbor. em 1945. segundo relatado nos diários de Goebbels. a principal dentre estas. no estado do Rio Grande do Norte. mais tarde. a CSN (Companhia Siderúrgica Nacional). o Conselho Nacional do Petróleo (CNP) e. durante a intentona comunista) quanto membros da AIB (nacionalistas. apesar do nome. pelo interventor paulista Ademar Pereira de Barros. no seu governo constitucional de 19511954. por sua vez. Durante o Estado Novo foram presos tanto militantes da ANL (comunistas marxistas. à adesão por parte do Brasil aos compromissos da Carta do Atlântico (que previa o alinhamento automático ao lado de qualquer nação do continente americano que fosse atacada por uma potência extra-continental). em meio a incentivos econômicos e pressão diplomática. no ano de 1953. o Brasil acabou participando da Guerra junto aos Aliados. Getulio se suicida quando estava perdendo o poder. Isto porque. O proprietário do jornal. sendo a base militar no município de Parnamirim. Complexo de bases esse que foi popularmente apelidado na época de "Trampolim da Vitória". O diário foi devolvido aos Mesquita em 1945. Garantia dos direitos fundamentais art 170 cf/88 . as bases americanas em solo brasileiro foram sendo progressivamente desativadas ao longo de 1944-45. assim como intelectuais vinculados a uma destas duas agremiações políticas como Graciliano Ramos. Bases às quais os militares brasileiros tinham acesso restrito e controlado. Paulo não conta os anos sob intervenção getulista em sua história oficial.Luís Carlos Prestes. foi tomado à família Mesquita. de oposição ao PRP. Sendo essas pesquisas de alto risco e custo. devido à partir de Fevereiro de 1942. e que. Paulo. e até hoje o jornal O Estado de S. durante o Estado Novo. ou quem defendia a prospecção de petróleo no Brasil. seja por comunismo ou por simpatias pelo Fascismo. que entre outros incentivos econômicos e comerciais financiou a construção de uma gigantesca siderúrgica. especialmente à partir da implantação do Estado Novo. Júlio de Mesquita Filho. havia apoiado a Revolução de 1930. O Estado Novo. Também foi iniciada a Campanha de nacionalização para integrar os imigrantes e sua cultura a realidade nacional. criou a Petrobrás. diminuindo sua influência e buscando sua integração à população brasileira. e sendo para as multinacionais mais lucrativo manter sua hegemonia no ramo petrolífico. o Barão de Itararé e muitos outros intelectuais. Embora estivesse sendo comandado por um regime ditatorial simpático ao modelo fascista (o Estado novo getulista). Diante desta situação Getúlio Vargas decidiu criar. a progressiva impossibilidade à partir do final de 1940 de manter relações comerciais estáveis e efetivas com estes países devido a pressão naval britânica e posteriormente americana exercida contra os mesmos e a chamada política de boa vizinhança levada a cabo pelo então presidente Roosevelt. como Monteiro Lobato. devido a sua relação com o Comintern. os americanos instalaram bases aeronavais ao longo da costa Norte-Nordeste brasileira. A imprensa foi censurada. pois era dependente dos investimentos em pesquisa das companhias estrangeiras de petróleo. vizinho a capital Natal. preso em 1941. submarinos alemães e italianos terem iniciado o torpedeamento de embarcações brasileiras no oceano Atlântico em represália. igual e respectivamente foram: as tentativas veladas de ingerência nos assuntos internos brasileiros por parte da Alemanha e Itália.Também. as empresas estrangeiras sustentavam que não existia petróleo no Brasil. Tendo sido a de Parnamirim de especial importância para o esforço de guerra aliado antes do desembarque de tropas Anglo-Americanas no Norte da África em novembro de 1942 na Operação Tocha. durante a “levante integralista” de 1938). durante o ano de 1942.

dentro do que é permitido (faz o que o povo espera). Governo de direito . Qual a forma de governo dentro deste Estado? 1 Quanto à origem: como nasce: a. b. 2 Quanto ao desenvolvimento: a. 2) ANORMAIS OU IMPURAS a. Estado põe regras mínimas. indivíduo protegido do excesso de liberdade). Duas formas de classificação do governo – o importante é como é conduzido. princípios. ARISTOTELES Um só Classe Muitos NORMAIS (pura) coletividade Monarquia Aristocracia Democracia ANORMAIS (impuras) Tirania Oligarquia (cafeicultores) Demagogia . mas não proibi (deixa fazer com interferência de patamar mínimo. Benefício da coletividade b. interesse público.formado na constituição do Estado. b. b. Possui maior legitimidade (eleições de 4 em 4 anos). Conjunto de funções que o Estado assegura. Exemplo: código de defesa do consumidor. Ha separação dos poderes. Governo despótico: é pelo arbítrio dos governantes mesmo qeu não esteja na lei (quem faz a lei é o próprio povo?) Quanto à extensão do poder: a. Para assegurar a ordem jurídica. livre iniciativa pode muito. Tem virtudes. 1) NORMAIS OU PURAS: a. mas não tudo. Governo é confundido com poder executivo. Governo absolutista: concentra todos os poderes na mão de uma só pessoa (monarquia). é formado por violência ou fraude. Viciada. Formas de governo Como o poder será exercido dentro do Estado. mas não. 3 ARISTOTELES.Reconhece a livre iniciativa (produzir) Reconhece valor social do trabalho (piso-mínimo). Governo constitucional: cuja extensão do poder (fazer ou não) está na constituição do Estado. é ilegítimo. Governo de fato – não é formado pela constituição. leis). Governo legal: é aquele que se desenvolve dentro do ordenamento jurídico (normas de conduta moral. Benefício do governante (egoísta) b.