You are on page 1of 10

1

AÇÕES REFLEXAS SOMÁTICAS NA ESPÉCIE HUMANA

....................................................................................6 3 Resultado e Discussão.............................................................................................................2 Sumário 1 Introdução..............4 2 Materiais e Métodos..............................7 4 Conclusão.............10 Bibliografia ...............................................................................................................................................................

Esses reflexos são usados pelos médicos para investigar a condição do sistema nervoso e dos músculos. que consiste em uma despolarização seguida por uma repolarização do potencial de membrana (diferença elétrica entre o fluido intracelular e o extracelular). a condução de todas as vias neuronais. O circuito neuronal que conduz os reflexos é chamado de arco reflexo. e só ocorre um potencial de ação quando. a transmissão sináptica na junção neuromuscular e a contração muscular devem estar normais. e é composto por: receptores sensitivos que se encontram no local que recebe o estímulo. e de íons negativos dentro dela. o potencial de membrana em repouso possui valores negativos (cerca de -90 mV). que é dividido em: somático. Em um reflexo normal.3 1. via aferente. que pode ser observado quando o tendão patelar é estimulado com um martelo de borracha. A ausência de um reflexo ou mesmo a presença de um reflexo lento ou rápido demais pode indicar a existência de uma doença. que controla os músculos lisos e cardíacos. existe uma concentração maior de íons positivos fora da célula. e autônomo. e com isso. O reflexo mais conhecido é o patelar. o meio externo da célula possui carga de 0 mV. Por convenção. A despolarização acontece quando o potencial de membrana fica mais próximo de zero. via eferente. Introdução Atos reflexos são respostas efetuadas automaticamente pelo organismo quando determinada parte do corpo recebe um estímulo. No organismo. Neurônios eferentes fazem parte do sistema nervoso motor. A transmissão da informação nas células nervosas e musculares ocorre por meio de um fenômeno conhecido como potencial de ação. responsável pelo controle dos músculos esqueléticos. formada por neurônios que transportam sinais enviados pelo centro de integração até o músculo que efetua o movimento. durante a . formada por neurônios que levam a informação até o centro de integração (sistema nervoso central).

.4 despolarização. o potencial de membrana atingir o valor de aproximadamente -65 mV. O objetivo dessa prática de laboratório foi estudar algumas manifestações reflexas somáticas. conhecido como limiar.

em seguida anotou-se e comparou-se as respostas reflexas. mais uma vez foi usado o martelo de borracha. . Com o auxílio da ponta de um lenço de papel tocou-se. para estimular o reflexo corneal.5 2 Materiais e Métodos Para a realização do reflexo plantar. onde os alunos observados encontraram-se com os joelhos apoiados em uma cadeira possibilitando que o pé ficasse relaxado. esfregando-a próximo ao lado medial. a 2 cm do cotovelo. No teste do reflexo de aquileu. em seguida foram anotadas a resposta observada. o reflexo deve ser observado com vários graus de flexão (90°. sendo anotado em seguida o resultado. gentilmente. Realizou-se o mesmo experimento com a manobra de Jendrassik. Com o objetivo de estimular o reflexo tricipital. o martelo de borracha foi usado novamente a fim de fazer ligeiramente percussão sobre o tendão de Aquiles. agarrando-se fortemente os punhos e puxando-os em sentidos opostos. >90º e <90º). Visando estimular o reflexo patelar deverá percutir-se o ligamento patelar (logo abaixo da rótula) com um martelo de borracha. utilizou-se uma caneta para estimular a planta do pé. a córnea e a esclera. o tipo extensor do reflexo plantar e o que indica seu aparecimento no adulto. sendo batido levemente sobre o tendão de inserção do tríceps braquial.

Tabela 2: Reflexo corneal em Homo Sapiens. porém. . em adultos indica a presença de alguma afecção do sistema nervoso central.6 3.(não respondeu ao estímulo) Devido a uma maior inervação na córnea em relação à esclera. Local Estímulo Planta do pé OBP Legenda: OBP: Objeto pontiagudo DFP: Dorso flexão plantar DFP A evocação do reflexo plantar provocou a flexão dos dedos do pé sobre o metatarso. não foi obtida nenhuma resposta quando a esclera foi estimulada. O limiar para a ocorrência de um potencial de ação nos receptores sensitivos presentes na córnea é menor do que na esclera. 2011. o limiar está mais próximo do potencial de membrana em repouso. Teresina. ao contrário do que aconteceu com a córnea. a extensão dos dedos. Local Estímulo PLP + - Córnea Esclerótica Legenda: PLP: ponta do lenço de papel + (respondeu ao estímulo) . Quanto menor o limiar maior a sensibilidade. ocorre de forma natural em recémnascidos. Resultado e Discussão Tabela 1: Registro de um estímulo na planta do pé da espécie Homo sapiens. Esta reação é a esperada em adultos que possuem esse reflexo normal. 2011. O movimento inverso. Teresina. ou seja.

pois o número de pontes cruzadas diminuirá. 2011. Teresina. por sua vez. Esta. Impulsos nervosos podem interferir na intensidade do reflexo. A intensidade de um reflexo é determinada pela força de contração do músculo. . Teresina. A manobra de Jendrassik aumentou a intensidade do reflexo patelar porque fez com que os impulsos nervosos inibitórios fossem direcionados para os punhos. 2011. Se o comprimento do sarcômero for muito longo ou muito curto. Tabela 4: Reflexo Aquileu em Homo sapiens. inibindo-o. Ângulo Local 90º <90º >90º TA Legenda: TA: Tendão de Aquiles +++ ++ + +++ (respondeu ao estímulo mais intensamente) ++ (respondeu ao estímulo com intensidade média) + (respondeu ao estimulo com menor intensidade) Quando o tendão patelar foi tocado com o martelo. e assim. Esses filamentos se ligam por meio de pontes cruzadas. a força de contração será pequena. Por isso que o reflexo patelar observado quando as pernas formaram ângulos menores ou maiores que 90º. Este alongamento ativou os receptores extensores do fuso muscular no interior do músculo. O potencial de ação no neurônio motor fez com que as fibras musculares do quadríceps se contraíssem. depende do comprimento dos sarcômeros antes do início da contração. ocorreu o estiramento da perna. e apresenta dois filamentos: o grosso (de miosina) e o fino (de actina). O neurônio aferente fez sinapse diretamente com o neurônio motor que controla a contração do músculo quadríceps. e a tensão gerada por uma fibra muscular é diretamente proporcional ao número de pontes cruzadas formadas entre os filamentos de miosina e de actina. foi mais fraco que o observado num ângulo de 90º. impedindo ou diminuindo a inibição do reflexo. a pressão gerada alongou o músculo quadríceps na porção anterior da coxa.7 Tabela 3: Reflexo patelar em Homo Sapiens. enviando um potencial de ação através do neurônio aferente para a medula espinhal. O sarcômero é a unidade contrátil das miofibrilas musculares.

8 Local Estímulo Tendão de Aquiles MB Legenda: MB: martelo de borracha + (respondeu ao estímulo) + Ao estimular o reflexo de Aquiles. sendo que essa contração causa a extensão do cotovelo. 2011. o pé se moveu em direção a sua superfície plantar. Local Estímulo Tendão de inserção do tríceps braquial MB Legenda: MB: martelo de borracha + (respondeu ao estímulo) + Observou-se uma contração súbita do músculo tríceps. . Tabela 5: Reflexo Tricipital em Homo Sapiens. Teresina. 4 Conclusão . e indica um reflexo normal.

Verificou-se a importância dos atos reflexos somáticos.9 Pode-se concluir que alterações observadas em um reflexo normal podem ter causas tanto musculares como neurológicas. São Paulo: Ateneu. 2. . 1983. A. ed.. Bibliografia MACHADO. Neuroanatomia Funcional.

ed. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. ANDREW C.10 SILVERTHORN.. 2003.. . 2. São Paulo: Manole Ltda.