You are on page 1of 7

FICHA DE TRABALHO

Ambiente e desenvolvimento sustentável
Geografia – 9º Ano 1. Lê os textos seguintes e responde às questões solicitadas: A temperatura global de um corpo no espaço resulta do equilíbrio entre as energias que ele recebe e que ele emite por radiação. A radiação emitida pela Terra é detida pela presença de certos gases na atmosfera terrestre, que aprisionam a energia aquecendo, assim, o planeta: esse fenómeno designa-se por efeito de estufa. Os gases responsáveis pelo efeito de estufa são principalmente o dióxido de carbono (CO2) e o metano (CH4). Estes gases são formados por moléculas triatómicas, capazes de absorver a radiação solar e terrestre. Os principais componentes da atmosfera - o azoto, o oxigénio e o hidrogénio - formados por moléculas diatómicas, têm um papel menos importante no equilíbrio energético. Esse equilíbrio tem sido modificado pela actividade humana. A modificação da composição química da atmosfera depois da Revolução Industrial, não teve paralelo ao longo de toda a Era Quaternária, como evidenciam as análises de amostras de gelo polar recolhidas a grandes profundidades. A concentração de CO2 na atmosfera aumentou mais de 30 por cento e o metano mais do que duplicou. Como resultado, depois de um século, a temperatura média da Terra aumentou de 0,3 a 0,6 ºC e o nível do mar elevou-se 10 a 25 cm.
Adaptado de: Science et Vie, Maio de 1999.

De uma forma muito simples o texto explica em que consiste o efeito de estufa, assim como sublinha a crescente intervenção do Homem no equilíbrio do planeta Terra, que se traduz em profundas alterações de todo o sistema. 1.1. A atmosfera, de acordo com a composição química do ar e o comportamento da temperatura pode dividir-se em várias camadas. 1- Define atmosfera. 2- Explica a importância da atmosfera para a existência de vida na Terra. 3- Descreve a estrutura vertical da atmosfera, elaborando para o efeito um esquema que consideres adequado e que se apresente devidamente legendado. 4- Refere a forma como se processa a variação da temperatura em cada uma das camadas. 5- Caracteriza a troposfera. 6- Explica a ocorrência de inversões térmicas que por vezes se verifica nessa camada. Ambiente: Aquecimento global causa fome nos oceanos O aquecimento dos oceanos, expresso num aumento da temperatura da água sobretudo nos 700 metros mais à superfície, causa escassez de nutrientes, ameaçando a vida e a produtividade marinhas. "Com o aumento da temperatura na faixa superior do oceano, a subida de nutrientes à superfície torna-se mais difícil, causando escassez alimentar e redução na produtividade marinha. O estudo mostra que ocorre um maior aquecimento na faixa superior do oceano, uma vez que o calor não penetra tão profundamente como se pensava. Á medida que o oceano aquece, a principal reacção é uma deslocação dos biomas no sentido dos pólos". Os biomas são sistemas de interacção entre solo, clima, relevo, fauna e demais elementos da natureza e Richard Matear acredita que as deslocações "já estão a verificar-se, como se constata em regiões como a Austrália Oriental, e vão continuar a registar-se a um ritmo mais rápido do que se julgava". O perito referiu ainda que os efeitos da penetração de dióxido de carbono antropogénico (aquele que deriva das actividades humanas) nos mares, se sentem de forma mais significativa nos 700 metros mais à superfície. "Essa penetração está a alterar a química da faixa superior dos oceanos, causando um decréscimo na concentração de iões de carbonato, o que reduz a capacidade de calcificação dos organismos", destacou. O impacto será directamente sentido em animais cujo esqueleto externo (exo-esqueleto) é formado por carbonato de cálcio, caso dos caranguejos, lagostas, estrelas e ouriços-do-mar ou corais. Nos últimos dois séculos, 48% do CO2 lançado pelas acções humanas na atmosfera foi absorvido pelos oceanos e um estudo recente do Centro de Investigação Cooperativa sobre o Clima e
IMP.CSM.014-00 1/7

o fenómeno terá consequências também a nível piscatório e turístico. No relatório. Luís Valdés. apesar de as espécies terem capacidade de adaptação às alterações do meio ambiente. "As alterações climáticas têm uma dimensão que excedeu o regional para se converterem no global e. Valdés afirmou que é necessário definir com claridade as acções que o homem pode adoptar para mitigar os efeitos das alterações climáticas. Segundo a investigação do Centro de Investigação Cooperativa sobre o Clima e Ecossistema Antárcticos. do Instituto Espanhol de Oceanografia. divulgado há cerca de um mês. reuniu cerca de 450 investigadores de sessenta países. 3. 3. alertou para a gravidade da situação e apelou a um "maior diálogo" entre a comunidade científica e os políticos para tomar medidas urgentes para combater o problema. Aquecimento Global Os cientistas. a temperatura média subirá dois graus durante os próximos 50 anos devido à inércia que adquiriu o fenómeno. já em 2060. já que o aquecimento global persistirá durante "vários séculos". que leu as conclusões. 2. a sua evolução decorre ao longo de milhares de anos.14 de Julho de 2008 Lê o texto com atenção e responde às questões: 1. Explica por que razão o director do Centro Oceanográfico de Gijon é de opinião que para o combate ao efeito das alterações climáticas sobre os mares é necessário implementar medidas políticas supra-nacionais. pois colocará em perigo os ecossistemas que dependem dos recifes. Ainda que se deixe de emitir totalmente dióxido de carbono para a atmosfera. por volta de 2100. concluíram os investigadores. que estão a participar desde segunda-feira num seminário sobre os efeitos da mudança climática nos oceanos consideraram que o processo "é praticamente irreversível". Sublinha no texto o parágrafo que faz referência às consequências económicas decorrentes dos problemas ambientais em discussão. assinala o documento. Adaptado: "Agência Lusa". www. nesse sentido.pt. uma das formas de carbonato de cálcio existente nas conchas dos organismos marinhos. de acordo com as conclusões dos trabalhos. a baixa concentração de iões de carbonato nas águas da Antárctica impeça a produção de aragonite. Contudo. prevê que. O simpósio. As previsões mais optimistas da comunidade científica estimam que nos próximos anos se produzirá uma redução da emissão de gases com efeito de estufa devido à consciência social e política do problema. organizado pelo Centro Oceanográfico de Gijon. 25 de Maio de 2008 Lê o texto com atenção e responde às questões: 1. necessitam de medidas políticas supra-nacionais". o aumento de acidez dos oceanos – causado pela absorção de CO 2 – deve expandir-se para Norte a partir da Antárctica. Os peritos concluíram que carecem de uma metodologia precisa para medir a interacção dos efeitos das alterações climáticas na correlação com o mar.cienciahoje. E. que ficarão mais vulneráveis às tempestades marítimas e tufões. o Centro de Investigação australiano indica que. declararam os investigadores.CSM. para analisar os efeitos das alterações climáticas sobre os mares.FICHA DE TRABALHO Ecossistema Antárcticos. pelo que dificilmente poderão acompanhar a rápida acidificação dos oceanos. Refere a conclusão a que chegaram os cientistas reunidos em Gijon para discutir os efeitos do aquecimento global sobre os mares. Em dez sessões temáticas. e vai enfraquecer arquipélagos como as Maldivas e o Quiribati. O director do Centro Oceanográfico de Gijon. Faz uma pesquisa (de forma individual ou em grupo. os cientistas debateram cerca de 200 comunicações orais e tiveram lugar 150 painéis de análise e reflexão sobre o problema. com o ar e com a terra. esta redução não será suficiente para inverter o fenómeno.014-00 2/7 . Identifica o problema ambiental referenciado no texto. 2. podendo utilizar para o efeito a Internet) com o objectivo de identicares três consequências do aquecimento global sobre os oceanos. Alarme no Árctico IMP. Refere os efeitos da penetração do dióxido antropogénico no equilíbrio dos ecossistemas marinhos.

Calcula-se que a camada de gelo do oceano tenha atingido. neste Verão. Cientistas noruegueses detectaram nas ilhas Svalbard as temperaturas mais elevadas dos últimos 800 anos. revelam grandes diferenças nos impactos. da Califórnia. Alterações climáticas na Europa As alterações climáticas esperadas para o continente europeu. Jay Zwally. no sul. foi de 5. da Escola Naval de Monterrey. Usando núcleos de gelo retirados de glaciares. a projecção da sua equipa "poderá já ser conservadora". assim. Os novos dados estão a ser incorporados nos complexos modelos e outros cientistas afirmam ter chegado a conclusões semelhantes às de Maslowski. fala num oceano praticamente livre de gelo em 2012. pouco mais de quatro milhões de quilómetros quadrados.7 milhões. acumulando efeitos com o incremento das secas. foi possível perceber que as temperaturas actuais são as mais altas desde o século XIII naquela região. a temperatura média na Europa vai certamente aumentar: entre 1. o gelo do Árctico. Só este ano. Indica a consequênciado aquecimento global do planeta a que o texto alude. Os caudais poderão subir entre nove a 22 por cento. todas mais optimistas do que a sua. Mas. 13 de Dezembro de 2007 Lê o texto com atenção e responde às seguintes questões: 1. Uma série de impactos positivos estão reservados para o Norte. Mas é o Sul que sofrerá mais. esta subida ocorrerá sobretudo no Inverno.CSM. Adaptado de: "Público". Segundo Maslowski. foi igual a metade do valor de 2003. os cálculos dos peritos apontam para um degelo de 19 mil milhões de toneladas acima do anterior valor máximo. tendo deixado navegável a famosa Passagem do Noroeste. Faz um comentário ao título atribuído ao texto. 2006 é o ano mais quente. Na Gronelândia. no Norte do Canadá e Alasca. Já no Sul.5 ºC. A média entre 1979 e 2000 cifrou-se em 6. na comparação com a média do final do século XX. A disparidade dos efeitos sobre as chuvas vai acentuar as diferenças nos rios. Ou seja. O modelo da equipa de Maslowski (que inclui ainda NASA e Academia Polaca de Ciências) utiliza dados entre 1979 e 2004.FICHA DE TRABALHO O oceano Árctico poderá ter o primeiro Verão livre de gelo dentro de apenas cinco anos. que serão mais frequentes. o outro ano muito quente na região árctica. Entre eles. 2. 11 de Abril de 2007 IMP. numa reunião científica. O cientista estima que as restantes projecções. A razão é simples: os cenários climáticos apontam para mais precipitação no Norte e menos no Sul.014-00 3/7 . a perda registada este ano atingiu o equivalente a quase 29 vezes o território de Portugal continental. conforme se trate do norte ou do sul. Em 2005. No continente como um todo. que reduz em 20 anos a esperada longevidade da camada de gelo naquela zona do planeta. entre 15 a 30 por cento. no Norte. A capacidade de produção eléctrica a partir de barragens também tem uma clara divisão nortesul. O resultado que aponta para um degelo em 2013 surge. Adaptado de: "Diário de Notícias". Citado pela BBC. No Norte espera-se até um aumento do potencial. com a consequência inversa: mais recurso aos aparelhos de ar condicionado. este Verão. ocorrerão mais cedo e durarão mais tempo.3 milhões de quilómetros quadrados. desde o final da Era dos Vikings.5 ºC e 5. cairão seis a 36 por cento. até 2070. As medições de temperatura atmosférica estão a ser feitas desde 1911. com uma consequência energética positiva: haverá menos necessidade de aquecimento nos edifícios. é no Verão que se espera maior aumento das temperaturas. Um cientista da NASA. com uma quebra de 20 a 50 por cento. o académico fez uma previsão alarmante sobre os efeitos do aquecimento global. estejam a neglicenciar efeitos que o cientista considera cruciais para o processo de degelo. Em volume. 2005 e 2007. No Sul prevê-se o contrário. numa projecção mais optimista. num cenário pessimista. sem a série incluir os dois anos mais quentes já registados nesta zona. Por exemplo. nomeadamente a forma como a água mais quente flui dos oceanos Atlântico e Pacífico. Nessa série. afirmou Wieslaw Maslowski. antecipa-se um possível declínio de seis por cento no potencial hidroeléctrico até 2070.0 ºC . ou entre 2. o recuo de gelo no Árctico foi gigantesco. o aumento na produção agrícola e a expansão das áreas florestais. No norte da Europa.0 ºC e 4. aumentando o perigo de cheias.

no sector energético. Localiza no mapa os lugares assinalados no texto com sublinhado. 18 de Agosto de 2007 Após a leitura atenta do texto: 1. Adaptado de: "Expresso". para ajudar a travar as alterações climáticas. Prevê-se que os gelos derretam com o aumento das temperaturas ao ponto de abrir para sempre. Refere a consequência das alterações climáticas a que o texto se refere. do solo e do subsolo. recursos e rotas de navegação com grande impacto comercial. ligando os oceanos Atlântico e Pacífico.FICHA DE TRABALHO Lê o texto com atenção e responde às seguintes questões: 1. originando uma corrida à rectificação dos limites da soberania por parte dos países que fazem fronteira no pólo norte. Refere a consequência das alterações climáticas que Portugal poderá ter de enfrentar.CSM. o chamado limite da zona económica exclusiva. Deste modo pouparser-ão as embarcações de grande porte a dobrar o cabo Horn. O Canadá e a Dinamarca competem pela posse de uma ilha ao largo da Gronelândia (terrritório dinamarquês).014-00 4/7 . A Noruega e a Rússia guerreiam sobre o mar de Barents. A Dinamarca reclama para si o Pólo Norte. Um estudo geológico americano calcula que 25% dos recursos energéticos não explorados se encontram na zona do Árctico. caso tenham provas científicas de que o seu território subaquático se estende além da linha de costa. por exemplo. A Rússia recusa-se a ratificar um acordo com os Estados Unidos sobre o Mar de Bering. 3. Quer isto dizer que. como já não se via desde o século XIX colonialistas. Indica as alterações climáticas que se esperam para a Europa. 2. Os episódios que mais recentemente empurram o Pólo Norte para as notícias internacionais ilustram a disputa que os cinco países fronteiriços alimentam entre si: Os Estados Unidos e o Canadá regateiam os direitos sobre a Passagem do Noroeste. IMP. Em jogo está a promessa de riquezas e vantagens de navegação que o desaparecimento dos gelos vai libertar: pescas. 2. Enumera duas medidas que poderiam ser implementadas a nível global. Corrida ao Pólo Norte As alterações climáticas estão em vias de criar oportunidades excepcionais no topo do mundo. e os estados fronteiriços do oceano Árctico têm um prazo para requerer a extensão da sua plataforma continental para lá das 200 milhas marítimas (370 quilómetros) a partir da costa. as suas 200 milhas podem estender-se tanto quanto o respectivo direito de exploração dos recursos vivos do mar. a sul. a rota de navegação na Passagem do Noroeste (estudos canadianos dizem que estará operacional daqui a 20 anos). nos próximos anos.

5. assim. O clima é um sistema muito complexo. o aumento da temperatura nos Alpes foi o triplo da média mundial. de todos os seres vivos. no seu dia a dia e contribuam para ajudar a diminuir as alterações climáticas. Discute. resultou num maior impacto. A cadeia de montanhas europeia é uma das regiões do Mundo mais afectadas pela elevação da temperatura global. Ilustra a tua resposta com frases do texto. Como consequência. o grau 5. a influência dos ventos quentes está a sobrepor-se à das massas de ar frio. Parece haver uma correlação clara entre o aumento da temperatura média global e a intensidade dos furacões gerados no Atlântico. Tenta encontrar uma justificação. 88 cm do nível médio do mar. três (“Katrina”. Localiza no tempo. em 2005. o que significa ventos iguais ou superiores a 251 km/h. No que respeita a intensidade. Em Portugal vão ser tomadas algumas medidas para desencorajar o uso do carro privado. Basta mexer numa delas. Elabora uma lista com seis medidas que consideres possam ser facilmente implementadas pelo cidadão comum. 3. Semanário de 3 a 9/01/2007 Lê o texto com atenção e responde às seguintes questões: 1. o momento em que o "aquecimento global" começa a ser registado com mais frequência e comentado com preocupação. como a temperatura. Nesse ano. 90 por cento dos glaciares alpinos estão literalmente a virar água. de forma aproximada. 4. Os furacões de 2005 apontam nesse sentido: foram os mais violentos e numerosos de sempre. Adaptado de: "Visão". por seu lado. IMP. ajudando.FICHA DE TRABALHO 3. Destes. o qual já tinha subido 20 cm desde a era pós-industrial. A falta de neve reduz as temporadas de desportos como o esqui e o snowboard. dessa consequência. Explica por que razão se pode afirmar que as alterações climáticas se poderão traduzir em graves problemas sociais e económicos na Europa meridional. Sem neve para esquiar O aquecimento global está a prejudicar a temporada de Inverno nos Alpes. determinado por numerosas interacções e variáveis. impactes eventualmente desastrosos na agricultura (com o consequente risco de fome). Alterações climáticas: alerta máximo A mudança climática é tudo menos um mito. as causas que estão na base das alterações climáticas. 2. “Rita” e “Wilma”) atingiram o topo da escala. Os cientistas estimam que a temperatura suba entre 1. porque. O “Katrina”. geraram-se os piores de sempre: 23 tempestades tropicais evoluíram para a categoria de ciclones.4 e 5. para os equilíbrios se alterarem e tudo mudar. Nas últimas três décadas. Os Alpes são uma barreira geográfica que recebe ventos frios do norte da Europa e correntes quentes vindas do Mediterrâneo. Os transportes são um dos sectores críticos para o efeito de estufa. Daqui podem resultar alterações no regime de chuvas (já evidentes em Portugal). Menciona três consequências decorrentes do aquecimento global e que poderão afectar o nosso país com intensidade. poderão ser retiradas por parte dos países afectados. actividades de Inverno que atraem 80 milhões de pessoas e rendem milhões de euros.CSM. o “Wilma” bateu todos os recordes: a mais baixa pressão atmosférica registada e a maior velocidade dos ventos (superior a 280 km/h). provocando a fusão dos gelos polares e subida de. bactérias e vírus são os que melhor se adaptam a mudanças ambientais bruscas. portanto. Mas. A década de 90 foi a mais quente dos últimos 50 anos. A escassez de neve é um efeito do aquecimento global. Indica vantagens que. pelo menos. com o aquecimento global. melhorando a oferta. As pragas e doenças são um perigo real. a reduzir as emissões de gases de efeito de estufa e.014-00 5/7 . com 1 200 mortos e 35 mil milhões de euros de prejuízos em Nova Orleães – a maior catástrofe natural ocorrida em território norte-americano. que recebem menos turistas e atletas. a combater as alterações climáticas: – Táxis e autocarros urbanos vão usar mais o gás natural. 4. nas Caraíbas. com os teus colegas. Discute com os teus colegas em que consiste o fenómeno do aquecimento global.8 ºC até ao final do século. mudanças nas migrações dos animais.

se vierem tempestades fortes. planeiam a sua relocalização! Adaptado de: Público. esta será a primeira comunidade norteamericana a mudar-se devido ao aquecimento global.. A aldeia esquimó Shismaref.014-00 6/7 . relacionando-as com a actividade humana. 2.. começa a transformar-se em água. 3. De 2001 a 2003. 2. que se tornou um caso de estudo sobre os efeitos das alterações climáticas. 18 de Março de 2007 Lê o texto com atenção e responde às seguintes questões: 1. bem como aumento do nível do mar 25 a 110 centímetros até 2080. 3. Mas. África Austral e Oriental e Brasil. a acção terá de ser antecipada. as tempestades são cada vez mais frequentes e o subsolo. A erosão nesta ilha é tão dramática que os planos de mudança implicam uma deslocalização para o interior do continente a cerca de 22 quilómetros do sítio onde estavam os inuit. A situação de Shismaref é classificada como sendo de emergência. altura em que as temperaturas começaram a aumentar devido às alterações climáticas. responsáveis pela emissão de gases e condicionadores em larga escala das alterações climáticas. O terreno onde está implantada já “encolheu” tanto. Indica as consequências para a saúde humana que podem decorrer da variação da temperatura. – Obras simples mas eficazes: mais 50 metros de túnel levarão o Metro da Amadora-Este à estação CP da Reboleira. nos últimos anos. Chamou-se a atenção para a multiplicação de tempestades e inundações. Quatro delas. no Alasca. 2 de Abril de 2003-11-23 IMP. enquanto que nas décadas anteriores essa subida foi entre um a três metros anuais. é obrigada a mudar de sítio nos próximos quatro anos.4 graus nos últimos anos. Explica a crescente ocorrência de situações idênticas à descrita no texto. a povoação tem apenas 600 habitantes que todos os dias vêem as ondas cada vez mais próximas da porta de casa. A Terra teve 11 dos seus 13 anos mais quentes após 1990. Os níveis de poluição da indústria e transportes rodoviários. constituindo 1998 o ano mais quente. Portugal não é excepção prevendo-se o aumento da temperatura máxima de Verão até 9 graus entre 2080 e 2100. antes permanentemente congelado. 13 de Junho de 2005 Lê o texto com atenção e responde às seguintes questões: 1. Adaptado de: “Expresso”. Justifica o aumento do número de tempestades tropicais que.CSM. as temperaturas no Alasca subiram uma média de 4. o que contribui para o degelo e para a subida do nível médio do mar. Desde 1976 a temperatura média global aumentou cerca de três vezes mais depressa do que em todo o século. presente no Simpósio Internacional sobre alterações climáticas que decorreu em Pequim. No total. Explica por que razão no texto se afirma que o clima é um sistema muito complexo. bem como para algumas das maiores secas de sempre que afectaram a Ásia Central. seguido de 2002. Indica qual a consequência referida no texto resultante desse problema. Em cima de uma ilha barreira muito estreita no mar de Chukchi. Identifica o problema ambiental que está a afectar o Alasca. foram também relembrados. segundo o secretário da Organização Meteorológica Internacional (OMI). Segundo os cientistas. O degelo e o aumento das tempestades tornaram-na extremamente vulnerável. têm evoluído para ciclone. a erosão na ilha avançou entre quatro a sete metros por ano. incluindo a de Shismaref.FICHA DE TRABALHO – Coimbra e Viseu (a que outras cidades se seguirão) dispõem de mini-autocarros eléctricos a circular na zona histórica. Adaptado de "Jornal de Notícias". O gelo derrete. são 184 aldeias no Alasca que correm graves riscos de erosão ou inundação. a aldeia muda-se O gelo derrete-se. Por outro lado.

FICHA DE TRABALHO O Professor: Marina Machado IMP.014-00 7/7 .CSM.