You are on page 1of 4

BACHARELADO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO HEITOR MESQUITA LAMEIRA Professor: Claudio Conde EP7TA Heitorlameira11@gmail.

com

Situação Atual Modal Rodoviário do Brasil

Em casos de países com dimensões continentais como o Brasil o transporte rodoviário apresenta-se como um dos mais flexíveis e ágeis no acesso às cargas, pois, possibilita interagir diferentes regiões, mesmo as mais remotas, assim como os lugares mais ermos dos países. Cabe mencionar que esta praticidade torna-se mais visível no caso de não haver outros modais a disposição nestes pontos, entretanto o pais perde em questões de infra estrutura, apresentando estradas e rodovias de péssimo estado em grande parte do pais, mesmo o programa de aceleração promovido pelo governo federal, não prevê uma solução para todas as regiões do pais, focando mais nas régios do sul. O cenário Brasileiro rodoviário, começou a se formar ainda na década de 1930 com a industrialização brasileira que trouxe a necessidade de maior integração do mercado interno e de maiores investimentos no transporte rodoviário. Aos poucos, foi sendo implantada uma malha rodoviária nacional, conectando os estados brasileiros as áreas industriais da região Sudeste. Mais a malha rodoviaria somente se consolidou mundialmente (e no Brasil a partir da década de 1950) com a expansão da indústria automobilística numa época em que os preços dos combustíveis derivados do petróleo eram baixos. A situação atual das estradas brasileiras, se mostra precária no que diz respeito as estradas, de acordo com a confederação nacional de transportes (CNT, 2009), 69% das rodovias brasileiras se encontram em péssimo, ruim ou regular estado de manutenção, desses 89.552 quilômetros avaliados, somente 27.713 quilômetros são considerados bom ou ótimo estado, esse ambiente apenas demostras o quanto a malha rodoviária está comprometida, o que implica diretamente nos custos dos

Obras que poderiam melhorar a infraestrutura. como exemplos temos o mato grosso. A paralisação de obras por parte do Tribunal de Contas da União (TCU) é um fator criticado pela confederação. o que dificulta o escoamento da produção de estados mais abastados dessa região. "De forma conservadora. segundo a CNT (2009). afim de acelerar a industrialização. Dados divulgados pela CNT mostram que seria necessário o empenho de R$ 32 bilhões para a recuperação da malha rodoviária.transportadores. isso deve ao fato dos militares terem em mente que o deveria haver uma maior integração com o resto do pais. O principal fator responsável pela situação ruim das rodovias. . De 62 obras de infraestrutura fiscalizadas neste ano. em não procurar desenvolver sua malha ferroviária. até setembro deste ano. é a localização da maioria dos rios navegáveis do país. isso se deve ao fato do pais possuir dimensões continentais. além de diminuir a velocidade do transporte e gerar maior poluição. em 5% as despesas com combustíveis. começo do governo Lula. que para um pais com as dimensões do Brasil. estima-se um aumento de R$ 745. a CNT mostra que foram investidos R$ 23. avalia a CNT na pesquisa. segundo a CNT. O valor. se limitando em grande parta a costa. o Brasil usar predominante o modal rodoviário. devido ao atraso destas obras". maior produtor nacional de soja do pais. Como é de conhecimento geral. elevando consideravelmente os preços do frete. processo que teve também maior ênfase durante a ditadura. como foi citado anteriormente. o TCU recomendou a paralisação de 26. A CNT afirma que a falta de condições das estradas aumentam em 28% os custos operacionais de transporte no país. pode explicar o porque da maioria dos investimento federais está localizada no sul. esse tardio desenvolvimento da região norte. principalmente nas cargas a granel. está longe do ideal considerado pela confederação. o governo de Jucelino Kubichek. Desde 2003. Criada para garantir a manutenção da malha viária. é pouco explorado. a malha rodoviário foi desenvolvida muito mais do que nos anos anteriores. essa situação se completa com a falta de investimentos por parte do governo. nesse estado. além desse fator histórico. é a má gestão dos recursos arrecadados com a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide). Outra fator que prioriza a predominância rodoviária.8 bilhões na conservação das estradas. estão atrasadas por conta da burocracia pública. nem todos eles passam em locais importantes. a mercadoria é escoada por caminhões para os portos de santo.5 milhões no custo operacional do transporte rodoviário de cargas a cada ano. apesar de elevado.

filas e filas de caminhões se formaram diante do porto. além de afetar o consumo dos veículos. o Governo Federal vem investindo na melhoria da qualidade da infraestrutura rodoviária do País. esse ano o pais sentiu no bolso. os investimentos anunciados ainda estão aquém dos necessários para que as empresas brasileiras disponham de uma malha rodoviária de alto nível. A melhoria da qualidade das rodovias. Impulsionado pelo desenvolvimento da produção nacional. ainda mais para transportar e escoar mercadorias entre longas distâncias. a emissão de gases de efeito estufa e o custo logístico total. Diante das informações discorridas nesse texto. é importante também que se intensifique a preocupação em relação ao meio ambiente. contribui para a redução do impacto dos transportes nas emissões para a atmosfera. muitas promessas estão sendo feitas para atenuar essa situação. que ajude a reduzir os custos totais e contribua para que as empresas nacionais concorram de igual para igual com os grandes players mundiais. má sinalização e traçado inadequado interferem na movimentação dos caminhões.Embora boa parte da produção nacional seja movimentada através das rodovias. Entretanto. Setores como o agronegócio e a mineração entendem que. recentemente o governo aprovou um pacote de medidas que visam essa solução. que não está preparada para atender essa demanda. . mas a ausência de um quadro mais amplo de metas e a falta de um planejamento conjunto entre os segmentos envolvidos comprometem os resultados gerais. serão necessários investimentos maciços em logística. junto com a atualização da frota e o uso de combustíveis e motores menos poluentes. As privatizações do setor que ocorreram na década de 1990 aumentaram os investimentos diretos. que é realizada por vias marítimas. que bateu recordes. é visível que o país passa por mudanças fortes na economia. As parcerias público-privado e as obras referentes ao PAC (Programa de Aceleração do Crescimento Econômico) do governo federal estão tentando modificar esse cenário. sua produção está seriamente comprometida pela falta de estrutura do setor logística. sua movimentação é comprometida e muita pelo transporte rodoviário. prejudicando questões como confiabilidade e consistência. as dificuldades para escoar a produção de soja. toda essa produção foi afunilada no porto de santos. Além de uma infraestrutura eficiente. o Brasil ainda carece de uma infraestrutura rodoviária como a disponibilizada nas principais potências mundiais. não se pode negar que até a soja chegue no porto. seja com capital público ou privado. por mais que o destino da soja seja a exportação. entretanto. Problemas como pistas não asfaltadas ou com asfalto em más condições. para aumentar a sua atuação em mercados internacionais.

ABCR.MUL1357353-5598.com.L.relatorioweb.Referencias BONIN. Disponível em <http://g1.htm> acessado em: 19/06/2013 . acessado em 18/06/2013.00BRASIL+TEM+DA+MALHA+RODOVIARIA+ENTRE+PESSIMO+E+REGULAR+ ESTADO+DE+CONSERVACA.com/Noticias/Brasil/0. A estratégia brasileira de privilegiar as rodovias ao invés das ferrovias. Data de acesso: 14/abril/2011 SILVA.C. J.html.br/abcr/?q=pt-br/node/118. Brasil tem 69% da malha rodoviária entre péssimo e regular estado de conservação.com/geografia/por-que-brasil-adotouutilizacao-das-rodovias-ao-inves-. Disponível em http://www.brasilescola.. Relatório Anual de Sustentabilidade. Robson. Disponivel em: < http://www.globo.