You are on page 1of 8

Encontro sobre

Agricultura Biológica
Vilar, 23 de Junho de 2007

Organização:
MPI – Movimento Pró-Informação
para a Cidadania e Ambiente

COMUNICAÇÕES
- Princípios da Agricultura Biologia. Porque é que os produtos
biológicos são melhores – Eng.º José Carlos Ferreira (Vice-
presidente da AGROBIO – Associação Portuguesa de Agricultura Biológica)

A Agricultura Biológica não é:


• Não fazer nada
• Um regress o ao pass ado

O grande princípio da Agricultura Biológica é: Fomentar um ecossistema equilibrado, ou seja, fomentar


uma exploração agrícola equilibrada. Na agricultura convencional tem-se verificado que a aplicação de
pesticidas tem criado novos problemas e que as pragas estão a aumentar.

Com é que se fomenta um ecossistema equilibrado?


• Parte aérea
– Utilização de sebes diversificadas (permitem abrigo a muitos animais auxiliares)
– Rotação de culturas / Diversidade
– Consociações de culturas (exemplo: cenoura + cebola, em que a cebola ajuda a afastar
pragas da cenoura)
– Não utilização de produtos químicos de síntese

• Solo - Estimulando os seres vivos do solo:


– Aplicar matéria orgânica ao solo ou evitar a sua degradação
– Rotações de culturas
– Só aplicar fertilizantes minerais quando necessário e numa forma não directamente
assimilável pelas plantas
– Mobilizar o mínimo possível evitando lavouras profundas
– Não utilizar produtos químicos de síntese

A fertilização em Agricultura Biológica faz-se através de fertilizantes orgânicos (estrume curtido com
palha ou com bagaço de uva, composto) e fertilizantes minerais (adubos ricos em potássio, fósforo, azoto,
etc., mas não directamente assimilados pelas plantas, como por exemplo farinha de osso)

A protecção de culturas em Agricultura Biológica é atra vés de:


1- Limitação natural, isto é, deixar a Natureza actuar através dos animais auxiliares, estes podem
ser atraídos através de ervas que produzam flor, colocação de ninhos para aves que comam lagartas,
etc..
2- Medidas culturais, por exemplo cultivar variedades mais resistentes
3- Tratamentos fitossanitários, embora a lista de produtos que se podem utilizar em Agricultura
Biológica seja muito reduzida (ao contrário do que se passa na protecção integrada em que es ta lista é
enorme e maior ainda na agricultura convencional) estes devem ser aplicados apenas como último
recurso.

Encontro sobre Agricultura Biológica Vilar, 23/06/2007


Produtos fitossanitários que se podem usar em Agricultura Biológica:
Fungicidas:
• Cobre, exemplo: calda bordalesa
• Enxofre
• Permanganato de potáss io
Insecticidas:
• Óleo de verão
• Bacillus thuringiensis (Luta biológica)
• Sabão de potássio
• Óleo de Neem / Azadiractina
• Rotenona

Sendo tão poucos os produtos fitossanitários permitidos como se podem resolver os problemas de pragas
e doenças? O segredo é a PREVENÇÃO! Como as sebes, rotações, melhoria da fertilidade do solo …

As vantagens da agricultura biológica são por isso muitas:


1- Para o ambiente
• Preservação do solo
• Preservação da qualidade da água
2- Para o agricultor
• Preservação da sua saúde e dos seus familiares. Em França os agricultores têm 10 vezes mais
cancros do que a restante população; na região de Alméria – Espanha toda a população tem
mais alergias, mais cancros e mais infertilidade do que a população no resto do país; em
Portugal, é na região Oeste onde há mais casos de leucemia e também é a região onde se
aplicam mais pesticidas (devido à importante actividade agrícolas nos sectores da fruticultura,
horticultura e vinha), infelizmente são poucos os médicos que estão sensibilizados para os riscos
dos pesticidas.
• Possibilidade de vender para um mercado onde há menos competição e em crescimento
• Possibilidade de obter ajudas
• Proporciona uma melhor realização profissional
3- Para o consumidor
• Produção de alimentos de maior qualidade
– Alimentos com menos nitratos
– Alimentos isentos de pesticidas de síntese
– Alimentos em que não foram utilizados OGM (Organismos Geneticamente Modificados
ou transgénicos)
– Alimentos mais saborosos
– Alimentos mais ricos em minerais
– Alimentos mais ricos em anti-oxidantes
– Alimentos que proporcionam mais saúde aos animais

Resíduos de pesticidas nos alimentos


São vários os estudos que revelam a presença de resíduos de pesticidas em produtos agrícolas de
produção convencional, isto é, não biológica.

Quadro 1: Resíduos de Pesticidas de síntese em Portugal (Fonte: DGPC)

Ano Prod. agrícolas Prod. agrícolas c/ resíduos


com resíduos multiplos

2001 40 %

2002 26 % 10 %

2003 39 % 13 %

Encontro sobre Agricultura Biológica Vilar, 23/06/2007


2004 31 % 8%

As análises efectuadas às amostras recolhidas pela Direcção Geral de Protecção das Culturas (quadro 1)
demonstraram uma considerável percentagem de produtos contendo revelam resíduos múltiplos, ora
existem estudos que mostram que a ingestão de misturas de pesticidas em que cada substância activa
está abaixo do LMR (Limiar Máximo Recomendado) pode provocar problemas ao nível da reprodução, do
sistema imunitário e do sistema nervoso (Boyd et al.,1990; Porter et al., 1993; Porter et al., 1999)

Foi realizado apenas um estudo em Portugal para detecção de Resíduos de Pesticidas de síntese em
produtos biológicos, estudo esse realizado em 2003 pela Revista Proteste, publicado no seu n.º 239 e
revelou uma percentagem de produtos biológicos com resíduos de pesticidas de 0 %, ou seja em
nenhuma das amostras foram detectados resíduos.

Comparação entre produtos biológicos e convencionais


Teor de Minerais
Em geral os produtos biológicos são mais ricos em minerais que os produtos convencionais.

Quadro 2: Comparações médias de 5 produtos (Journal of Applied Nutrition, Vol. 45, 1993)

Neste quadro é possível concluir que no geral nos parâmetros indesejáveis (alumínio, cádmio,
chumbo e mercúrio) os produt os biológicos têm níveis inferiores aos dos produt os
convencionais, com excepção do c ádmio onde o teor nos produtos biológicos foi superior em
5% ao dos produtos convencionais, tendo nos restantes parâmetros indesejáveis teores muito
inferiores aos convencionais, como por exemplo menos 40% de alumínio. Nos minerais
benéficos os produtos biológicos revelaram t eores quase invariavelmente muito superiores, tais
como, mais 63% de cálcio, mais 73% de iodo, mais 138% de magnésio, mais 390% de selénio
(um importante anti-oxidante).

Teor em Compostos secundários – Anti-oxidantes

Encontro sobre Agricultura Biológica Vilar, 23/06/2007


Em geral os produtos biológicos contêm 10 a 50 % m ais anti-oxidantes que os produt os
convencionais (B randt et al., 2004) Noutras referências são indicados teores entre 26 e 86%
superiores (quadro 3).

Quadro 3: Comparação dos teores de anti-oxidantes em 5 produtos


Produto Composto Bio vs Referência
Conv

Azeite Comp. fenólicos + 86% Gutierrez et al, 1999

Maçã (Golden) Comp. fenólicos + 58% Lucarini et al, 1999

Maçã Comp. fenólicos + 76% Finnoti et al, 2000

Pêssego Comp. fenólicos + 76% Finnoti et al, 2000


(spring lady)

Vinho Res vératrol + 26% Levit e et al, 2000

Na Estação Agrária de Viseu observaram que 6 variedades tradicionais de maçã continham


mais compostos fenólicos quando cultivadas segundo o MPB – Modo de Produção Biológica
(Andrade et al., 2006)

Sanchez et al., (2003) observaram em peras em Portugal que na casca do frut o existia:
– 30 vezes mais compostos Fenólicos do que na polpa
– 4 vezes mais Vitamina C do que na polpa
Donde se conclui que devemos comer as peras com casca mas, só se forem biológicas! P ois
é precisamente na casca onde se enc ontram as maiores concentrações de pesticidas nos
produtos convencionais, razão pela qual os médicos recomendam a sua não ingestão.

Abordagem global da qualidade


Para uma abordagem objectiva da qualidade dos produtos biológicos têm sido realizados
vários estudos quer em seres humanos quer em animais, sendo que os estudos em animais
são considerados de referência, uma vez que permitem uma avaliação mais precisa dado que
é mais fácil restringir a aliment ação ao(s) alimento(s) que se pretende(m) estudar.

• Estudos em humanos
Um dos primeiros estudos foi realizado na década de 40 (época em começaram a ser
comercializados os pesticidas de síntese) numa escola na Nova Zelândia em que ao fim de 3
anos de servir refeiç ões com produtos biológic os detectou nos alunos:
- Menos problemas de garganta
- Menos gripes
- Convalescenças mais rápidas
- Melhor saúde dentária (Daldy, 1940)

Nout ro estudo verificou-se uma concentração de espermatozóides muito superiores no


esperma de homens que se alimentavam de produtos biológicos comparativamente aos de
homens que se alimentavam de produtos convencionais (quadro 4).

Encontro sobre Agricultura Biológica Vilar, 23/06/2007


Quadro 4: Comparação na contagem de espermat ozóides

Nº espermatozóides /
ml de esperma
Cons umidores de produtos 127 milhões
biológicos
Cons umidores de produtos 55 milhões
convencionais
(Jensen et al, 1996): The Lancet nº 347

• Estudos em animais

Para avaliar se os animais têm preferência pelos produtos biológicos em detrimento dos
convencionais, foram realizados 6 estudos, tendo-se verificado que em 5 os animais preferiram
os produtos biológicos e apenas num estudo não houve diferença entre os biológicos e os
convencionais (Heaton, 2001). Porque é que os animais preferem os produtos biológicos?
Através do seu instinto e sensibilidade de algum modo eles conseguem ter a perc epção daquilo
que é melhor.

Foi possível verificar maior taxa de fertilidade, de prolificidade e menor incidência de infecções
em coelhos criados em modo de produção biológica comparativamente ao modo de produção
convencional.

Quadro 6: Influência do método de produção na saúde de coelhos


Parâmetros Conv. Biol. P<
Taxa fecundação 59% 86% 0,01
Nº embriões 8 dias após acasal.
2ª geração 6,3 10,8 0,05
3ª geração 6,3 9,7 0,01

Nº de crias nasc. por parto (1ª e 2ª ger.) 5,3 6,3 0,05


% doenças infecciosas (2ª geração) pais 33 0 0,05
Fonte: Staiger, D., 1986 Dissert Ph D Univ
Bonn

Em resumo
• É possível fazer agricultura biológica como o provam os 1300 agricultores em Port ugal
• Existem culturas mais fáceis de produzir em agricultura biológica do que out ras
• Existem vantagens para o ambiente, os agricultores e os consumidores
Os produtos biológicos são melhores para a saúde porque:
• São mais seguros (- pesticidas, - nitratos, sem OGM, - antibióticos, - aditivos)
• Têm mais qualidade (+ Mat éria sec a (isto é, menos água), + minerais, + vitaminas, +
ómega 3, + anti-oxidantes e são melhores para a saúde dos animais)

Curiosamente a esta conclusão também chegaram muitos consumidores de produt os


biológicos que, sem conhecerem estes estudos, dizem que optam por gastar um pouco mais na
alimentaç ão para depois pouparem na farmácia.

Encontro sobre Agricultura Biológica Vilar, 23/06/2007


- Testemunhos de empresas de Agricultura Biologia:

VALE POÇOS, Soc. Agric. – Eng.º João Pedro Oliveira


A sede da empresa é na localidade de Vila Nova da Serra, freguesia do Vilar, concelho do
Cadaval. A área total é de 32,38 ha, sendo o cultivo de hortícolas em modo de produção
biológica em cerca de 4ha numa propriedade junto à localidade de Ventosa, freguesia de
Lamas, desde o ano de 2005.

Comparando com a Agricultura Convencional, a Agricultura Biológica é um modo de produção


com:
• Mercado por explorar
 Grande P otencial de Crescimento
 Diferenciação dos Produtos
 Modo de Vida
 Preservação Ambiental
 Respeito Ent re os Diferentes S ectores da Fileira, remunerando-se de forma mais justa
os produtores biológicos

A sua experiência tem revelado que os consumidores de produtos biológicos toleram uma
apresentação menos “perfeita” dos produtos, obviamente dentro de certos limites, pois são
pessoas melhor informadas e reconhecem a superior qualidade destes produtos.

São objectivos da empresa:


 Aumento da Rendibilidade
 Diferenciação
 Profissionalismo
 Sustentabilidade Ambiental e Social
 Recuperação de Saberes Locais
 Relaç ões de Confiança Com os Clientes
 Promoção da Agricultura

Constatam que agricult ores mais velhos esqueceram práticas agrícolas mais sustentáveis,
sendo por isso import ante recuperar esses saberes para que não fiquem condenados ao
esquecimento.

Porquê pagar mais pelos produtos biológicos?

Encontro sobre Agricultura Biológica Vilar, 23/06/2007


Porque há vários factores que c ontribuem para o preço dos produtos biológicos serem
em geral mais caros do que os produzidos em modo convencional, tais como:
 Elevados Custos de Distribuição
 Mercado Insípido
 Preço Ambiental
 Falta de Informação Técnica
 Maiores Custos Produção

Fizeram um cálculo dos custos de produção num talhão de 3500m2 e chegaram à conclusão
que os custos de produção em MPB (Modo de Produção Biológica) são superiores em cerca de
40%, devido essencialmente a mais mão-de-obra (nas sachas) e aos fertilizantes utilizados
neste modo de produção.

Hort ícolas em produção integrada Hortícolas em Modo de Produção Biológic a

Total dos custos 1.106,50 euros Total dos custos 1.510,00 euros

O escoamento dos seus produtos é através de:


 Parcerias, nomeadamente com a B IOFRADE
 Venda Directa
 Mercados de produtos biológicos

Possuem um site na Internet com o seguint e endereço: www.dahorta.com.pt , onde é possível


aceder a informação actualizada dos preços dos produtos, fazer encomendas, etc.

BIOFRADE, agropecuária, Lda. – Eng.º Vítor Gomes

A sede da B IOFRADE é no Casal Frade, concelho da Lourinhã. A partir dos finais da década
de 80 e princípio da década de 90 começaram a sentir dificuldade em escoar os produtos, que
até ent ão produziam apenas em modo convencional, devido à concorrência dos espanhóis.
Assim, no início da década de 90 começaram a produzir também em MPB (Modo de P rodução
Biológica) para exportação. Até 1998 mantiveram os dois modos de produção, convencional e

Encontro sobre Agricultura Biológica Vilar, 23/06/2007


biológica, mas a partir desse apenas produzem em MPB, explorando actualment e 30 ha, dos
quais 1ha de estufas.

No início começaram a produzir em MPB apenas as culturas que conheciam melhor, como a
batata, couve e alface, agora produzem o que o mercado solicita. Desde 2001 começaram a
desenvolver a área comercial através da venda e distribuição directa e lojas es pecializadas. De
modo, a rentabilizar esta área começaram t ambém a comprar a outros produtores aquilo que
não têm capacidade de resposta na produção.

Actualmente a quantidade de produto que apenas comercializam é superior à que conseguem


produzir, tendo 5-6 funcionários na comercialização e 10-12 funcionários na
produção/armazém.

Neste moment o o grande consumo é feito através de lojas especializadas e de hipermercados,


dos quais fornecem directamente os grupos Auchan, El Corte Inglês e um grande conjunto de
lojas Intermarché.

Como praticamente não existem produtos alimentares biológicos trans formados no nosso país,
tais como, iogurtes, massas, etc., estão a iniciar este ramo.

Têm assistido a um grande aument o do mercado nacional, no início da produção de produt os


biológicos o volume da facturação anual da empresa era de 20.000 euros, em 2006 a
facturação foi de meio milhão de euros e na primeira metade de 2007 já excederam este valor.

Os consumidores interessados podem adquirir os produtos na sede na B IOFRA DE ao sábado,


dia que têm especialmente para a venda directa nas próprias instalações, nos outros dias da
semana podem fazer encomenda por telefone, fax ou e.mail e posteriorment e recolhê-la, dado
que não têm condições logísticas para faz er uma venda a ret alho.

Cont actos: Tel./fax 261 423 981, website: www.biofrade.com

MPI – Movimento Pró-Informação para a Cidadania e Ambiente


Morada: Edifício da Junta de Freguesia do Vilar, Largo 16 de Dezembro, n.º 2 - 2550-069 VILAR CDV
NIF: 506 138 046 tel. / fax: (+351) 262 771 060 e-mail: mpicambiente@gmail.com
Site: www.mpica.info

Encontro sobre Agricultura Biológica Vilar, 23/06/2007