UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA QUÍMICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA

CECÍLIA RICACZESKI CLAUDIO AKAMATSU NARAY DOS SANTOS PEREIRA JÉSSICA APARECIDA DE BRITO

EQUAÇÕES DE ESTADO
Trabalho acadêmico

PONTA GROSSA 2012

campus Ponta Grossa.CECÍLIA RICACZESKI CLAUDIO AKAMATSU NARAY DOS SANTOS PEREIRA JÉSSICA APARECIDA DE BRITO EQUAÇÕES DE ESTADO Trabalho acadêmico Pesquisa bibliográfica realizada na disciplina de Termodinâmica do curso de Engenharia Química da Universidade Tecnológica Federal do Paraná. PONTA GROSSA 2012 . Professora: Juliana de Paula Martins.

é utilizada há vários anos e apresentou alta precisão de cálculos requeridos nos projetos. Ela fornece uma boa aproximação para descrever o comportamento dos dados P-V-T de hidrocarbonetos. [1] Esta equação foi desenvolvida para representar propriedades de hidrocarbonetos e outras substâncias apolares de interesse das indústrias petrolíferas.EQUAÇÕES DE ESTADO Equação de Benedict-Webb-Rubin: ⁄ ⁄ A Equação de estado de Benedict-Webb-Rubin possui oito constantes empíricas e é exata para massas específicas com valores em torno de duas vezes aquele da massa específica crítica. [1] Equação de Lee-Kesler: ( ) . [4] Equação dos gases ideais: ̅ Na qual: ̅ ̅ é o número de mols e ̅ é a constante universal dos gases. A Equação de estado de gases ideais é utilizada para substâncias que possuem massas específicas muito baixas e a distância entre as moléculas é tão grande que a energia potencial pode ser desprezada.

[1] Em um estudo de métodos para o desenvolvimento de metodologia para o cálculo de propriedades termodinâmicas de petróleos pesados. [2] . seu uso é bastante comum na representação de equilíbrio de fases em altas pressões.onde: ⁄ Com a Equação de estado de Lee-Kesler é possível correlacionar o comportamento real das substâncias utilizando a temperatura (T c) e pressão (Pc) críticas. Os resultados mostraram que os valores das propriedades encontrados utilizando as correlações de Lee-Kesler foram muito melhores que os calculados através das correlações de Carvett. comparou-se os valores de temperatura crítica (Tc) e pressão crítica (Pc) calculados através das correlações de Lee-Kesler e Cavett. [5] Equação de Peng-Robinson Onde: [ ( ⁄ )] ⁄ A equação de estado de Peng-Robinson é um modelo simples e eficiente na correlação de dados experimentais.

pode-se calcular P como uma função de V para vários valores de T. van der Waals. [6] Equação de van der Waals A primeira equação de estado cúbica útil foi proposta por J. Kwak & Mansoori. Com valores fornecidos de e para um determinado fluído.Esta equação já foi utilizada em um estudo de equilíbrio líquido-vapor de sistemas do tipo: constituintes de óleos e gorduras em CO 2 supercrítico. a equação de van der Waals descreve a fase do hidrato através de uma abordagem estatística.D. descrevem qualitativamente o equilíbrio líquido-vapor dos sistemas estudados e que não há diferenças significativas entre as três regras combinadas. em 1983. Especificamente. onde também se utilizou as regras de misturas de van der Waals e as regras combinadas com dois parâmetros de interação binária e as com três parâmetros de interação binária de Kwak & Mansoori e de Park. Os resultados desse estudo indicaram que a equação de PengRobinson com as regras de mistura de van der Waals e com as três diferentes regras combinadas. [7] Equação de Redlich-Kwong ⁄ onde: . separadamente). [2] Uma aplicação típica dessa equação foi encontrada para obter valores estatísticos na análise termodinâmica da deformação de hidretos em atividades de perfuração na presença de inibidores (sais e alcoóis.

com razoável sucesso. Assim. [9] . usando a regra de mistura de van der Waals. Assim. nos cálculos de propriedades de misturas e em relações de equilíbrio de fases. sendo utilizada para prever o equilíbrio do estado envolvido. [8] Equação do tipo virial Esta equação fornece uma relação de proporcionalidade entre Z e P.2 K. onde os dados do equilíbrio foram determinados entre 288. Essa equação tem sido utilizada. Mas quando essas variações acontecem em gases expostos a altas temperaturas e pressões. a equação do tipo Virial é a que aproxima melhor o processo do real. Assim.2 K e 313.com: ⁄ e ainda: Equação de estado simples e consideravelmente mais precisa que a de van der Waals. os valores obtidos são de difícil acesso devido a sua complexidade. esses dados foram correlacionados com a equação de Redlich-Kwong. consegue-se fornecer o volume em função da temperatura e/ou pressão. tendo essas duas equações correlacionando os dados experimentais. já que se tem composto aromático (álcool). [2] Uma equação termodinâmica faz uma correlação entre as propriedades de um gás. è frequentemente utilizada para vapores em temperaturas até as suas pressões de saturação. [3] Esta equação foi utilizada no processo de desalcoolização de vinhos por extração supercrítica com a utilização de dióxido de carbono.

a equação do tipo virial truncada no terceiro termo freqüentemente fornece excelentes resultados. principalmente em baixas temperaturas. O segundo termo depende fortemente da temperatura. [10] .Os coeficientes viriais estão relacionados diretamente à energia potencial intermolecular. como pode ser observado acima. [10] Equação virial do tipo truncada Usada para pressões acima da faixa de aplicabilidade da equação do tipo virial. [2] A equação do tipo virial truncada. ela é truncada depois do seu segundo termo. porém abaixo da pressão crítica.

Wilcieli C. 2003. Regina W. ABBOTT. Campus de Guaratinguetá. BAPTISTA. [8] Estudo do equilíbrio de fases de sistemas relevantes para o processo de desalcoolização de vinho por extração supercrítica. C. Tese (Doutorado em Engenharia Mecânica) Faculdade de Engenharia. campus Curitiba. Guaratinguetá. [2] SMITH. ROSSI. na .. MORALES. Luciano Fernando dos Santos. D. S.. LIMA. Gordon John. VAN NESS. M. Fundamentos da termodinâmica. GRATIERI. C. Desenvolvimento de metodologia para o cálculo de propriedades Termodinâmicas de petróleos pesados.. Dissertação apresentada para obtenção do grau de Doutor em Engenharia Química.. [3] SONNTAG. 2003. Lílian C... Ederson. N. Rigoberto E. VAN WYLEN. Introdução à termodinâmica da engenharia química.. João Marcelo Mussi. A. 2007. FARIAS. John M. Introdução à termodinâmica para engenharia. [7] Análise termodinâmica da deformação de hidratos em atividades de perfuração.. MEDINA. M. MACIEL. Estudo do equilibrio de fases para sistemas oleo vegetal/dioxido de carbono empregando a equação de Peng-Robinson . Campinas. Rio de Janeiro: LTC. Rubens M. SP: E. BORGNAKKE. Felix. Nádson M. [6] ARAÚJO.. Determinação da Entropia de Mistura Amônia e Água para Aplicações em Processos de Refrigeração por Absorção. [5] BARBOSA. São Paulo. 1997. Marillena E. Blücher. BORGNAKKE. Michael M. [4] NAPOLEÃO. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. C. Rio de Janeiro: LTC. ed.. Tese ( Doutorado) – Faculdade de Engenharia de Alimentos. H. Universidade Estadual de Campinas. Richard E.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [1] SONNTAG. Universidade Estadual Paulista. Richard Edwin. 138f. 7. FILHO. 2007. Campinas.. Universidade Estadual de Campinas.

22 de dezembro de 2000.Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. São Carlos/SP. [9] Fluidos supercríticos em química analítica e cromatografia com fluido supercrítico: conceitos termodinâmicos. Marta Isabel de Glória Vásquez Machado da. Lanças. Instituto de Química de São Carlos.unrc.edu. . SILVA. Emanuel Carrilho. acesso em 09 de maio de 2012. Universidade de São Paulo.ar/materias/termodinamica/archivos/2_propiedades_fi sicas_de_sustancias. Maria Cecília H. disponível em <http://www.ing. [10] Propiedades Físicas de las Sustancias Puras. Tavares e Fernando M.pdf>.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful