You are on page 1of 3
O EFEITO DO CALOR NOS COLABORADORES E SERES HUMANOS O corpo humano pode manter o

O EFEITO DO CALOR NOS COLABORADORES E SERES HUMANOS

O corpo humano pode manter o balanço de calor dentro de um vasto limite de variações

térmicas a partir de mecanismos de proteção. No entanto, diante de condições térmicas extremas, como temperaturas acima dos 40ºC o corpo apresenta reflexos de desequilíbrio térmico, podendo chegar á morte. O trabalho apresenta ainda normatização acerca das

condições térmicas dos locais de trabalho.

Várias empresas, dos mais diversos segmentos, oferecem condições térmicas desfavoráveis á saúde de seus funcionários. Milhares de pessoas convivem em locais de trabalho sob condições de desconforto térmico.

O organismo humano funciona como uma máquina, tendo sua temperatura central regulada

pelo hipotálamo, localizado no sistema nervoso central. A qualquer alteração térmica, a temperatura do corpo ativa mecanismos internos de compensação. Se for preciso baixar a temperatura interna, o hipotálamo promove vaso dilatação e sudorese, transferindo esse calor para o meio externo. Embora o corpo se adapte ao meio, seja ele quente ou frio, os limites de temperatura interferem consideravelmente no bem estar das pessoas.

O ambiente imediato no qual o trabalho acontece pode influenciar a forma como ele é

executado. As condições de trabalho que são muito quentes ou muito frias, vão influenciar na forma como o trabalho é levado avante.

No mundo existem leis acerca da saúde dos trabalhadores, como por exemplo, o Health and Safety at Work Act ( Lei da Saúde e Segurança do Trabalho), existente no Reino Unido, ou o Occupational Safety and Health Act (Lei da Segurança Ocupacional e Saúde), nos Estados Unidos. No Brasil existe a Norma Regulamentadora nº 17 – Ergonomia, do Ministério do Trabalho, que especifica que nos locais de trabalho onde são executadas atividades que exijam solicitação intelectual e atenção constante, são recomendadas temperaturas efetivas entre 20°C (vinte) e 23°C (vinte e três graus centígrados); e umidade relativa do ar não inferior a 40 (quarenta) por cento (Manual de Ergonomia, NR 17, 2007). Há ainda a NR nº 15, que trata de condições insalubres dos locais de trabalho, apresentando limites de tolerância para exposição ao calor (Ministério do Trabalho e emprego). De acordo com as normas regulamentadoras, os trabalhadores devem conviver em ambientes que lhes proporcionem conforto e condições para um bom desempenho no trabalho.

Quando uma pessoa é obrigada a suportar altas temperaturas, seu rendimento cai significativamente. A velocidade do trabalho diminui, as pausas se tornam maiores, a propensão á acidentes aumenta (principalmente a partir de 30ºC) e a concentração diminui.

O organismo adapta-se ao trabalho em altas temperaturas, com várias transformações

fisiológicas que ocorrem durante semanas. Tal transformação ocorre gradualmente em um

período de até seis meses.

A adaptação ao calor está relacionada com a capacidade do indíviduo produzir suor,

independente de sua origem étnica. Homens magros e musculosos são os que mais se adaptam ao trabalho sob calor intenso. As mulheres e homens obesos possuem mais dificuldade, pois as camadas de gordura que têm sob a pele, funcionam como isolante, dificultando a adaptação. Havendo indisposição causada por altas temperaturas, é ideal pausar

O EFEITO DO CALOR NOS COLABORADORES E SERES HUMANOS o trabalho e aguardar o equilíbrio

O EFEITO DO CALOR NOS COLABORADORES E SERES HUMANOS

o trabalho e aguardar o equilíbrio do corpo, evitando danos á saúde do trabalhador ou mesmo acidentes de trabalho.

Os dados apresentados foram baseados em um levantamento bibliográfico, sendo utilizadas citações de autores que abordaram o tema e normalizações acerca das condições de conforto térmico nos ambientes de trabalho. Não houve necessidade de estudos estatísticos, uma vez que se trata de pesquisa qualitativa.

Tem-se que a associação de alta temperatura e umidade do ar reduz a capacidade do corpo humano de manter sua temperatura interna correta. Exposições em ambientes com temperatura e umidade alta podem causar câimbras, esgotamento, fadiga e até danos ao cérebro, podendo chegar á morte. O calor é um grande causador de stress, e o grau de stress pode variar de acordo com a idade, saúde, e características do corpo. Na Tabela 01 estão ilustrados possíveis sintomas de stress térmico associado a intervalos de temperatura aparente ou índice de calor (IC).

 

Tabela 01:

 

Sintomas de stress térmico.

Temperatura

Nível de

Sintomas

Aparente (°C)

Perigo

27° a 32°

Atenção

Possível fadiga em casos de exposição prolongada e atividades físicas.

 

Muito

Possibilidade de Câimbras, esgotamento físico e insolação para exposições prolongadas e atividades físicas.

32° a 41°

cuidado

41° a 54°

Perigo

Câimbras, insolação e esgotamento físico. Possibilidade de dano cerebral (AVC) para exposições prolongadas e atividades físicas.

 

Extremo

 

Acima de 54°

perigo

Insolação e Acidente Vascular Cerebral (AVC)

De acordo estudos da NASA, ocorrem perdas na produtividade quando há excesso de calor no ambiente de trabalho (Tabela 02). O relatório descreve que quando a temperatura da área de trabalho atinge 30°C a produtividade cai cerca de 20% e há um aumento de 75% na freqüência de erros.

Tabela 02: Relação da temperatura com produtividade e freqüência de erros

Temperatura (°C)

26

28

30

32

34

36°

38°

40°

Produtividade (%)

-6,5

-12,5

-20

-28,5

-39

-51

-64,5

-76,5

Freqüência de erros (%)

3,5

12

75

270

550

700

-

-

O EFEITO DO CALOR NOS COLABORADORES E SERES HUMANOS De acordo com os dados, evidencia-se

O EFEITO DO CALOR NOS COLABORADORES E SERES HUMANOS

De acordo com os dados, evidencia-se a gravidade da exposição dos trabalhadores à locais de temperaturas elevadas. Apesar dos parâmetros que especificam as condições ideais de trabalho, muitas empresas deixam de tomar providências quanto à regulação térmica dos ambientes. Além da perda de produtividade causada pelos efeitos das altas temperaturas, as empresas podem também ter sua imagem manchada devido a processos trabalhistas que podem surgir devido ás condições inadequadas oferecidas. Desta forma, a maneira mais segura de evitar tais transtornos é investir em sistemas de redução de temperatura, ganhando assim a satisfação dos trabalhadores e maiores índices de produtividade.

Origem/ Motivo das principais despesas adicionais causadas pelo excesso de calor durante as estações Primavera, Verão e Outono.

Aumento das faltas

Afastamento por Doença

Aumento do Turnover

Aumento de Acidentes de trabalho

Redução dos Índices de qualidade

Atenciosamente

Cesar Motta Departamento Comercial cesarmottasc@hotmail.com www.conceitosul.com.br (47) 3360 6901 – 8806 0896 Conceito Sul Manta Asfaltica ltda