You are on page 1of 24
Guia de Filosofia em Auditorias Comportamentais
Guia de Filosofia em Auditorias Comportamentais

Guia de Filosofia em Auditorias Comportamentais

Índice

  • 1. Nota introdutória

  • 2. Fundamentos

  • 3. O PDCA da Auditoria Comportamental P - Preparação para a auditoria – Metas e padrões

1.1) Metas para realização das Auditorias Comportamentais. 1.2) Filosofia de ação para auditorias realizadas com auditores de níveis hierárquicos diferentes. 1.3) Padrões de execução com recomendações de SMS. 1.4) Boas práticas preventivas de SMS.

  • D - Avaliação da execução das atividades e treinamentos

2.1) 5S 2.2) Abordagem das atividades 2.3) Treinamentos

  • C - Avaliação do cumprimento das metas de realização de Auditorias Comportamentais por parte da liderança

A - Tratamento dos desvios

4.1) Em relação às metas de realização de Auditorias Comportamentais. 4.2) Em relação aos desvios levantados nas

  • 2 Auditorias Comportamentais.

Nota introdutória

1
1

O Guia de Boas Prát icas em Audi tor ias Comportamentais apresenta o giro do ciclo PDCA para

manter as metas das auditorias e qualidade da execução dos padrões operacionais. O objetivo deste guia é auxiliar a liderança na gestão do processo das Auditorias Comportamentais junto às suas equipes. Este processo inclui:

  • 1. A existência de metas de realização de auditorias da

equipe e de procedimentos necessários para termos uma

força de trabalho livre de acidentes, sadia e um meio ambiente protegido. É importante ressaltar que as Auditorias Comportamentais devem ser dirigidas para áreas e atividades críticas com impacto nos indicadores de SMS;

  • 2. A avaliação da execução das atividades alinhadas aos

procedimentos da área e dos treinamentos necessários

ao seu cumprimento;

  • 3. A avaliação do cumprimento das metas de realização das

Auditorias Comportamentais pelos membros de sua equipe;

  • 4. Análise crítica do processo.

Mãos à obra e bom trabalho.

José Carlos Laurindo

E&P-CORP/SMS

Junho 2007

Fundamentos

2
2
  • 1. Compromisso visível da liderança

A liderança, em todos os níveis, deve demonstrar que SMS é um valor. Este valor é expresso através de sua

presença, atitudes, decisões e palavras.

• A liderança deve demonstrar seu comprometimento através de seu exemplo.

  • 2. Responsabilidade de linha

A liderança, em todos os níveis, é responsável pelas ações

e pelo desempenho de SMS de sua área de trabalho.

• A liderança não deve delegar sua responsabilidade em SMS.

  • 3. Levantamento dos desvios

A liderança, em todos os níveis, deve identificar, registrar e prover ações sobre as causas imediatas que levam aos desvios de conduta pessoal e de condições de trabalho das boas práticas de SMS.

A

liderança deve

manter o cumprimento aos

padrões de SMS e às boas práticas de trabalho

através das Auditorias Comportamentais.

4.

Melhoria contínua

A liderança, em todos os níveis, deve participar do tratamento dos desvios críticos e sistêmicos de sua área de trabalho. Análises críticas devem ser realizadas para identificação destes desvios e devem ser objeto de tratamento para eliminação de suas causas básicas.

A liderança deve realizar melhoria contínua nos seus processos através do tratamento dos desvios críticos e sistêmicos.

  • 5. Foco no comportamento humano

A liderança, em todos os níveis, deve identificar atitudes e

comportamentos que suportem e levem ao atingimento da excelência em SMS.

• A liderança obtém o nível de desempenho em SMS que demonstra querer alcançar.

Analisar Criticamente (Action) Planejar (Plan) Definir Atuar no processo em função dos resultados metas A P
Analisar
Criticamente
(Action)
Planejar
(Plan)
Definir
Atuar no processo
em função dos
resultados
metas
A P
Determinar
os métodos
e meios para
alcançar as
metas
C
D
Verificar os
Educar e
resultados
treinar
do trabalho
realizado
Executar o
trabalho
Executar
Verificar
(Do)
(Check)

O PDCA da Auditoria

3
3

Comportamental

  • 1. “P” - Preparação para a auditoria Metas e padrões

Planejar (Plan) Definir metas A P Determinar os métodos e meios para alcançar as metas C
Planejar
(Plan)
Definir metas
A P
Determinar
os métodos
e meios para
alcançar as
metas
C
D
1.1. Metas
para
realização
das
Auditorias

Comportamentais

• Conhecimento das metas para realização de Auditoria Comportamental por parte da Liderança e dos padrões de execução da área auditada.

meta tempo resultados
meta
tempo
resultados

a)Alta Administração: de acordo com padrão PB-PP-03- 00002 - Tabela 1 - número mínimo de Auditorias por nível hierárquico.

CARGO

NÚMERO DE AUDITORIAS

Diretores

1 por trimestre

Gerentes Executivos de atividades operacionais

1 por bimestre

Gerentes Gerais de atividades operacionais

1 por mês

b)Demais gerências: verificar padrão da Unidade.

1.2. Filosofia de ação para auditorias realizadas com auditores de níveis hierárquicos diferentes

a) Diretor e Gerentes Executivos:

8

Devem

estar

atentos

à

objetividade,

c o m p r o m e t i m e n t o

e

e f i c á c i a

d o

comportamento

dos

Gerentes

Gerais

e

Gerentes de Ativo durante as auditorias. Devem também ter visão e atuação mais abrangente e menos focalizada em um trabalhador ou em uma atividade específica;

b) Gerentes Gerais:

Devem estar atentos

 

à

objetividade,

  • c o m p r o m e t i m e n t o

e

e f i c á c i a

d o

comportamento dos Gerentes de Ativos e Gerentes Setoriais durante as auditorias ..

c) Gerentes de Ativo e Gerentes Setoriais:

 

Devem estar atentos

 

à

objetividade,

  • c o m p r o m e t i m e n t o

e

e f i c á c i a

d o

comportamento

dos

Supervisores

e

Coordenadores durante as auditorias. Devem

também ter v isão focal i zada

em

trabalhadores ou atividades específicas;

d) Geplats, Supervisores, Coordenadores e demais líderes:

Devem estar atentos a todos os

trabalhadores inclusive com focalização em atividades específicas.

Obs: O auditor deve convidar o técnico de segurança da área e o supervisor da equipe para acompanhar a Auditoria Comportamental. Esta é uma boa prática que permite compartilhar visões e idéias sobre os pontos positivos e negativos de SMS da área auditada. Aqueles que trabalham na área auditada terão, em primeira mão, uma posição sobre sua área. O auditor terá explicações e retorno imediato sobre suas dúvidas.

9

1.3.

Padrões de execução com recomendações de SMS

• Conhecimento dos padrões de execução
• Conhecimento
dos
padrões
de
execução

aplicáveis nas atividades a serem auditadas.

  • a) Verificar, com a gerência da área auditada, se existem padrões operacionais com recomendações de segurança, meio ambiente e saúde para as atividades a serem auditadas;

  • b) Questionar a gerência da área auditada se houve treinamento formal nos padrões operacionais aplicáveis para as atividades realizadas. Se não houve treinamento adequado, os padrões não serão seguidos;

  • c) Questionar a gerência da área auditada se o padrão operacional prescreve quais são os treinamentos obrigatórios específicos para a execução segura das atividades realizadas;

d) Questionar /

verificar se

os padrões

operacionais estão na área de trabalho,

se

são

simples

e

se

são revisados

periodicamente;

 
  • e) Questionar, durante a auditoria, se os Guias de Boas Práticas do E&P estão disponíveis e em uso;

  • 1.4. Boas práticas preventivas de SMS a) Questionar se os Guias de Boas Práticas da série estão sendo utilizados para realização das Auditorias Comportamentais; b) Questionar se os Guias de Boas Práticas estão sendo utilizados nos DDSMS, na revisão dos padrões e nos treinamentos dos trabalhadores; c) Algumas boas práticas de SMS devem ser praticadas no dia-a-dia durante o trabalho e fora dele. Verificar o cumprimento dos seguintes itens:

• Travessia da rua na faixa;

• Respeito à sinalização de trânsito de modo geral; • Utilização do cinto de segurança nos veículos. O motorista e todos os passageiros dos bancos dianteiros e traseiros devem usar o cinto; • Utilização do corrimão ao subir e descer escadas; • Utilização dos EPIs recomendados para a atividade; • Limpeza e organização do local de trabalho; • Utilização de escadas, e não outros meios como bancos ou mesas, em trabalhos em altura; • Dar preferência a embalagens que possam ser recicladas; • Coleta seletiva de lixo; • Economia de energia: desligar as lâmpadas quando sair de um ambiente e sempre usar lâmpadas fluorescentes; • Ao trocar lâmpadas ou outro trabalho envolvendo eletricidade, certificar-se de que os disjuntores estão desligados, não há energia elétrica no ponto onde vai haver trabalho e que há impedimento de religamento dos disjuntores; • Disponibilização de alimentação saudável; • Respeito ao isolamento de áreas de trabalho; • Verificação se os empregados têm o valor de “na dúvida pare”; • Existência de estímulo à identificação dos riscos de sua atividade, comunicando-os e cuidando para que outras pessoas ajam de modo seguro, saudável e ambientalmente

  • 12 responsável.

2. “D” - Avaliação da execução das atividades e treinamentos A P C D Educar e
2.
“D”
-
Avaliação
da
execução
das
atividades
e
treinamentos
A P
C
D
Educar e
treinar
Executar o
trabalho
Executar
(Do)
2.1. 5S
2.1. 5S

Organização, ordem, limpeza, asseio e disciplina são fundamentais para atingirmos a excelência em SMS.

  • a) Organização (Seiri):

• Verificar se a área está entulhada com materiais ou produtos que não estão sendo utilizados no momento; • Verificar se os materiais desnecessários estão segregados para encaminhamento para reciclagem; • Verificar se existem lixeiras separadas por tipos de materiais para facilitar a reciclagem (papel e papelão, vidros, metais, plásticos, orgânicos);

  • b) Ordem (Seiton):

• Verificar se as ferramentas do trabalhador estão devidamente ordenadas em sua caixa; • Verificar se as proteções coletivas estão em bom estado e no seu devido lugar; • Verificar se todos os materiais necessários à execução do trabalho podem ser utilizados com rapidez e segurança; • Ver ificar se há: fios elétr icos desencapados, estiletes abertos e sem proteção, tubulações ou outros materiais no piso na área de circulação ou outras situações inseguras;

  • c) Limpeza (Seiso):

• Verificar se as máquinas apresentam vazamentos de óleo;

• Verificar se o piso está limpo; • Verificar se existe lixo acumulado na área de trabalho; • Verificar se os equipamentos estão empoeirados; • Verificar se existe lixo acumulado por trás dos equipamentos;

  • d) Asseio (Seiketsu):

 

• Verificar se as instalações estão devidamente pintadas para evitar corrosão;

• Verificar

o

estado

de conservação do

uniforme e EPIs dos trabalhadores (se existem rasgos, estão sujos de óleo e graxa, estão desalinhados ou fora do padrão);

  • e) Disciplina (Shitsuke):

• Verificar se, após a execução de suas atividades, o trabalhador deixa sua área de trabalho limpa; • Verificar se o trabalhador não toma atalhos para realizar sua atividade, não respeitando as boas práticas de SMS; • Verificar se antes da execução das atividades são realizados DDSMS; • Verificar se é realizada ginástica laboral antes do início das atividades.

2.2.

Abordagem da atividade

Passo a passo para a abordagem do trabalhador em Auditorias Comportamentais.

a)Identifique o desvio

Observe a atividade sendo realizada e faça com que o trabalhador note que está sendo

observado. Você deve utilizar os demais guias de boas práticas e os padrões operacionais da área para identificar o desvio;

2.2. Abordagem da atividade Passo a passo para a abordagem do trabalhador em Auditorias Comportamentais. a)Identifique

b)Interrompa o desvio:

O trabalhador cometendo o desvio observado pode parar espontaneamente sua atividade, interrompendo o desvio. Caso isto não ocorra, interrompa o desvio aproximando-se e apresentando-se;

c)Comunique o desvio • Antes de comunicar o desvio, verificar se é possível salientar pontos positivos

c)Comunique o desvio

• Antes de comunicar o desvio, verificar se

é possível salientar pontos positivos na postura do trabalhador e na execução da atividade observada. Neste caso, faça um elogio a esta prática. • Comunique o desvio observado.

c)Comunique o desvio • Antes de comunicar o desvio, verificar se é possível salientar pontos positivos

17

d)Analise o desvio juntamente com o trabalhador

• Questionar se o trabalhador está ciente de que está cometendo um desvio de SMS; • Questionar se o trabalhador sabe que o desvio cometido pode gerar um acidente; • Questionar se o trabalhador conhece a maneira correta (boa prática de SMS) para a atividade que está sendo realizada. A atividade está descrita no padrão?

d)Analise o desvio juntamente com o trabalhador • Questionar se o trabalhador está ciente de que

e) Corrija o desvio

• Entre em acordo com o trabalhador sobre a melhor prática de SMS a ser realizada na atividade auditada;

f) Finalização da abordagem • Pergunte se o trabalhador tem sugestões para a melhoria da atividade

f) Finalização da abordagem

• Pergunte se o trabalhador tem sugestões

para a melhoria da atividade auditada;

• Pergunte se

o

trabalhador tem

sugestões para outras melhorias no ambiente de trabalho;

• Pergunte se

o

trabalhador

tem

sugestões quanto à melhoria do seu

ambiente de trabalho; • Agradeça pela atenção recebida.

2.3. Treinamentos

Avaliação dos trabalhadores quanto aos treinamentos recebidos para a atividade.

a)Questionar

se

os

trabalhadores

têm

conhecimento dos treinamentos necessários à realização da atividade realizada;

b) Questionar se os trabalhadores foram treinados para a realização da atividade auditada;

c) Questionar se há reforço dos treinamentos por parte da chefia imediata nos Diálogos Diários de SMS ou por outro modo;

3.

“C” - Avaliação do cumprimento das metas de realização de Auditorias Comportamentais por parte da liderança

A P C D Verificar os resultados do trabalho realizado Verificar (Check) Cumprir as metas de
A P
C
D
Verificar os
resultados
do trabalho
realizado
Verificar
(Check)
Cumprir as metas de realização de Auditorias
Comportamentais de sua função é um exercício de
liderança pelo exemplo.
• Verificar
se
as
metas
para
realização
de

Auditorias Comportamentais da Unidade / gerência auditada estão sendo cumpridas;

4.

“A” - Analisar Criticamente

Analisar Criticamente (Action) Atuar no processo em função dos resultados A P C D 4.1. Em
Analisar
Criticamente
(Action)
Atuar no
processo em
função dos
resultados
A P
C
D
4.1. Em
relação
às
metas
de
realização

de

Auditorias Comportamentais

a) Questionar se são realizadas análises críticas pelas gerências para identificar os motivos do não cumprimento das metas de auditoria;

4.2. Em

relação

aos

desvios

levantados

nas

Auditorias Comportamentais

a) Questionar como são tratados os desvios provenientes de condições inseguras. Qual é a sistemát ica adotada para seu acompanhamento e tratamento?

b) Questionar como são tratados os desvios sistêmicos (conjunto de desvios similares e que ocorrem de modo repetitivo ao longo do tempo). Qual é a sistemática adotada para seu acompanhamento e tratamento?

c) Questionar como são tratados os desvios críticos (desvios com potencial de causar incidentes de alto potencial ou acidentes graves). Qual é a sistemática adotada para seu acompanhamento e tratamento?

• Trabalho em Altura • Trabalho com Movimentação de Carga • Trabalho com Sistemas Pressurizados •
• Trabalho em Altura • Trabalho com Movimentação de Carga • Trabalho com Sistemas Pressurizados •

• Trabalho em Altura • Trabalho com Movimentação de Carga • Trabalho com Sistemas Pressurizados • Trabalho com Eletricidade e Áreas Classificadas • Trabalho em Espaços Confinados • Trabalho com Presença de H S • Guia de Filosofia em Auditorias Comportamentais

2

• Trabalho em Altura • Trabalho com Movimentação de Carga • Trabalho com Sistemas Pressurizados •
• Trabalho em Altura • Trabalho com Movimentação de Carga • Trabalho com Sistemas Pressurizados •