You are on page 1of 3

Saiba o que ficou decidido no Conselho de Ministros de hoje

29/12/2011 | 15:45 | Dinheiro Vivo A reunião do Conselho de Ministros de hoje ficou marcada pela aprovação das alterações à lei do arrendamento. Saiba o que ficou decidido: 1. Revisão do regime jurídico do arrendamento urbano O objectivo desta reforma é criar um verdadeiro mercado de arrendamento, que, em conjunto com o impulso à reabilitação urbana, possa oferecer aos portugueses soluções de habitação mais ajustadas às suas necessidades. Leia mais As principais alterações respeitam aos contratos de arrendamento para habitação e estão vertidas em três grandes linhas de intervenção: maior liberdade às partes, promovendo o aparecimento de contratos de duração variada, nomeadamente mais curtos; reforço do mecanismo de resolução do contrato de arrendamento quando o arrendatário se encontre em mora, permitindo uma mais rápida cessação do contrato e consequente desocupação do locado; e, em terceiro lugar, e tendo por fito promover a reabilitação dos edifícios, a agilização do procedimento de denúncia do contrato de arrendamento celebrado por duração indeterminada. 2. Regras e procedimentos aplicáveis à assunção de compromissos e a pagamentos em atraso O princípio fundamental é o de que a execução orçamental não pode conduzir à acumulação de pagamentos em atraso. Deste modo, a assunção de compromissos, incluindo no que se refere a despesas permanentes, passa a ser feita tendo por referência os «fundos disponíveis» para os três meses seguintes. Veja mais 3. Normas de execução do Orçamento do Estado para 2012, disposições que abrangem os orçamentos dos serviços integrados, os orçamentos dos serviços e fundos autónomos, independentemente de gozarem de regime especial, e o orçamento da segurança social. Por esta via, são reforçados os mecanismos de controlo imprescindíveis à política de consolidação orçamental que tem vindo a ser seguida pelo Governo, designadamente através da adopção de medidas de criterioso controlo da despesa pública, sem prejuízo de ser concedida uma maior flexibilidade aos serviços e organismos da Administração Pública na respectiva gestão orçamental. 4. Revisão do regime aplicável ao saneamento e liquidação das instituições sujeitas à supervisão do Banco de Portugal Esta revisão confere novos poderes do Banco de Portugal para intervir em instituições em situação de desequilíbrio financeiro, permitindo reforçar a tutela da confiança dos depositantes, a estabilidade do sector financeiro Português, a proteção dos interesses dos contribuintes e a salvaguarda do erário público.

P. O quadro de pessoal destas caixas é integrado nos serviços do Instituto da Segurança Social. com vista a clarificar este regime e a reformular o regime de apoio a ações de promoção e informação sobre aqueles produtos. I. Aprovação das orgânicas da Direção Geral da Administração Escolar e da Direção Geral do Ensino Superior. a Caixa de Previdência do Pessoal da Companhia de Cimento Tejo. designadamente. Realização da despesa inerente à Rede Informática da Saúde. Com esta revisão é possível reduzir o valor anual dos custos em cerca de 11. reduzindo-se o prazo de vigência do acordo de cooperação para 3 anos. a Caixa de Previdência do Pessoal dos Telefones de Lisboa e Porto. 8. 6. a Caixa de Previdência do Pessoal da Empresa Portuguesa das Águas Livres. elemento essencial para difundir a qualidade dos vinhos nacionais e promover a sua imagem.. A extinção destas caixas de previdência é efectivada por integração no Instituto da Segurança Social. sendo os beneficiários e contribuintes integrados total e definitivamente no Sistema de Segurança Social. 9.São estabelecidas medidas de intervenção preventiva.3% e dar cumprimento às observações do Tribunal de Contas em sede de fiscalização prévia. podendo ser prorrogado apenas por dois períodos sucessivos.P. Para tanto. que assim sucede àquelas instituições nas respectivas atribuições. a Caixa de Previdência do Pessoal das Companhias Reunidas Gás e Eletricidade. 7. I. 5.Federação de Caixas de Previdência.A. Revisão do regime das taxas incidentes sobre os vinhos e produtos vínicos. a Caixa de Previdência da Secil . da «Cimentos» . se nenhuma das partes o denunciar. S.Companhia Geral de Cal e Cimento e a Caixa de Previdência da Empresa de Cimentos de Leiria. . bem como um procedimento pré .judicial de liquidação.. incluindo a renovação do contrato em vigor relativamente à prestação dos serviços inerentes àquela rede. É ainda criado um Fundo de Resolução para prestar assistência financeira à adopção de medidas de resolução decididas pelo Banco de Portugal e alterado o regime do Fundo de Garantia de Depósitos e do Fundo de Garantia do Crédito Agrícola Mútuo. e é alterado o regime de administração provisória e liquidação. corretiva e de resolução. garante-se aos beneficiários das caixas de previdência extintas a manutenção dos direitos adquiridos e em formação (quer no âmbito da aplicação dos regimes de segurança social quer da proteção social complementar). Extinção da Caixa de Previdência e Abono de Família dos Jornalistas. Delegação na Ministra da Justiça a competência para aprovar a revisão de um acordo de cooperação entre a Direção-Geral dos Serviços Prisionais e a Santa Casa da Misericórdia do Porto.

Emenda à Convenção sobre a Avaliação dos Impactos Ambientais num Contexto Transfronteiras. 12. . Três convenções bilaterais para Evitar as Duplas Tributações e Prevenir a Evasão Fiscal em Matéria de Impostos sobre Rendimento. na Croácia. adoptada na Terceira Conferência das Partes. uma entre a República Portuguesa e o Grão-Ducado do Luxemburgo. A finalidade desta Emenda é reforçar a aplicação da Convenção de Espoo e implementar sinergias com outros Acordos Multilaterais na área do Ambiente. em Cavtat. a 4 de Junho de 2004. 11.10. Regulação do acesso de actividades de assistência em escala em entidades que efetuam o transporte aéreo. uma outra com Reino da Noruega e ainda com os Emirados Árabes Unidos.