You are on page 1of 18

1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA – NEAD CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO EM SAÚDE

PAULO ANDRÉ MELO OLIVEIRA ROMIA CARLA PINTO CHAGAS ROSIMEIRE ALMEIDA DE JESUS WALBERLENA ALICE DE MELO

PLANO DE AÇÃO PARA A MELHORIA DO CONTROLE SANITÁRIO DA ÁGUA DESTINADA AO CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPÍO DE MIRANDA DO NORTE

MIRANDA DO NORTE-MA 2011 PAULO ANDRÉ MELO OLIVEIRA

2 ROMIA CARLA PINTO CHAGAS ROSIMEIRE ALMEIDA DE JESUS WALBERLENA ALICE DE MELO PLANO DE AÇÃO PARA A MELHORIA DO CONTROLE SANITÁRIO DA ÁGUA DESTINADA AO CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPÍO DE MIRANDA DO NORTE Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Coordenação do Curso de Especialização em Gestão em Saúde da Universidade Federal do Maranhão – UFMA. Orientadora: Clarissa Lobato MIRANDA DO NORTE-MA 2011 PAULO ANDRÉ MELO OLIVEIRA . como requisito parcial para obtenção do grau de especialista em Gestão em Saúde.

3 ROMIA CARLA PINTO CHAGAS ROSIMEIRE ALMEIDA DE JESUS WALBERLENA ALICE DE MELO PLANO DE AÇÃO PARA A MELHORIA DO CONTROLE SANITÁRIO DA ÁGUA DESTINADA AO CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPÍO DE MIRANDA DO NORTE Aprovado em / / BANCA EXAMINADORA ___________________________________________________ Clarissa Lobato (Orientadora) ___________________________________________________ ___________________________________________________ .

............................ REFERÊNCIAS .................................................. CRONOGRAMA ............................................................ JUSTIFICATIVA .......... OBJETIVOS ...................................................... AÇÕES E METAS ........................................................................................................................................................................................... IMPACTOS GERADOS ................4 SUMÁRIO 1 2 2................................................... Geral ............................................................ APÊNDICE ............................................ Específicos .......................................................................................................... 4 7 9 9 9 1 0 1 1 1 3 1 4 1 5 1 6 .................................2 3 4 5 6 APRESENTAÇÃO ............................................................. METODOLOGIA ............................................................................................................................................1 2...................................................

foi verificado que a transmissão da doença ocorreu pela água contaminada. diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente.000 mortes. a Vigilância Sanitária foi criada pela Lei n. 1999). visando uma atenção integral à saúde. No município de Miranda do Norte. bem como dos produtos. devido à condição imprescindível da água para o ser humano. O ser humano não só se abastece de água dos rios como também faz deles a rota para despejos de resíduos. MARULLI. controle social e exercício pleno da consciência sanitária de todos os segmentos sociais por intermédio da valorização da qualidade das relações. As grandes civilizações se desenvolveram. Desde então.5 APRESENTAÇÃO A Vigilância Sanitária caracteriza-se por um conjunto de ações capaz de eliminar. Em 1854. ao longo dos rios. exercício da cidadania. quando um surto de cólera atingiu Londres causando 10. de educação em saúde e de comunicação com a sociedade. admite-se que a adequada purificação da água e do esgoto exerce papel imprescindível na erradicação de doenças de veiculação hídrica (SORENSEN. ela precisa interagir com outros setores governamentais e da sociedade. A atuação da Vigilância Sanitária é realizada com base no poder de polícia administrativa. pois é ele que assegura a efetiva capacidade de intervenção da vigilância sobre os problemas sanitários e possibilita uma atuação mais ampla sobre os interesses privados em benefício do interesse público. . buscando representar a natureza multidisciplinar e intersetorial da vigilância sanitária. principalmente. 149/98. A Secretaria Municipal de Saúde através da Coordenadoria Municipal de Vigilância Sanitária promovem a gestão e organização da Vigilância Sanitária no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) local. processos. da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse à saúde. ou seja. normativas. Suas ações estão voltadas para atividades autorizativas. ambientes e serviços de interesse à saúde. podendo restringir direitos individuais para o bem da coletividade e defesa do interesse público.

A legislação brasileira reconhece que a água é um bem público limitado e dotado de valor econômico. Vila Barragem (1 poço). existem 19 poços distribuídos nas localidades de: Pindoval (5 poços). Bebedouro (1 poço). as ações pertinentes e objetivando identificar os pontos críticos explorados com análises de todo o processo de distribuição da água consumida pela população. visando à prevenção de doenças veiculadas pelo meio hídrico. aquífero guarani. possui ainda o maior aquífero do mundo. onde os rios são pobres e temporários (BRASIL. o Amazonas. Na zona rural o abastecimento de água se dá por meio de poços artesianos. porém de forma precária vindo da cidade de Cantanhede passando por Matões do Norte até chegar a Miranda do Norte e pela Barragem de Santa Bárbara. Por ser um bem público. a instalação da vigilância da qualidade da água destinada ao consumo humano sob responsabilidade das três esferas de governo. Prata (1 poço). Cariongo I (1 poço). cuja deficiência se dá devido à falta de rios e lençóis freáticos profundos. pois é ela a encarregada da prevenção de doenças de veiculação hídrica. O Brasil concentra em torno de 12% da água doce do mundo disponível em rios abrigando o maior rio em extensão e volume do planeta. 2009). a Vigilância Sanitária busca identificar e monitorar os padrões de contaminação da água consumida nas áreas não abastecidas pela rede pública. e grande parcela de responsabilidade pela “saúde” das águas cabe á Vigilância Sanitária. desta forma. Cariongo III (2 poços). com exceção do semi-árido. já é realidade no Brasil. em conjunto com a Vigilância Ambiental. O município de Miranda do Norte possui um deficiente sistema de abastecimento de água. é necessário que as instituições governamentais tenham o controle de sua potabilidade. o abastecimento de água é feito pela Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão – CAEMA. Cariongo II (2 poços). bem como controlar a qualidade dos serviços prestados pelas empresas de tratamento. Água . Joaquim Maria (1poço). Atualmente. Com o intuito de promover a utilização de água com qualidade.6 A qualidade da água é uma das maiores preocupações atuais da humanidade. mais de 90% do território brasileiro recebe chuvas abundantes durante o ano e as condições climáticas e geológicas propiciam a formação de uma extensa e densa rede de rios. direcionando. o que inviabiliza o abastecimento de água potável satisfatório à população. Além disso.

Santa Bárbara (1 poço). doenças transmitidas por protozoários. Cigana (1 poço). o presente Plano de Ação tem por objetivo implementar ações de controle sanitário. Tico-Tico (1 poço). As doenças de veiculação hídrica de maior incidência no município de Miranda do Norte são as gastrenterites. doenças transmitidas por helmintos.7 Preta ( 1 poço). A Vigilância Sanitária do município vem desenvolvendo ações intersetoriais sobre a qualidade da água como forma de reduzir riscos à saúde humana e garantir uma melhor qualidade de vida. Cipó (1poço). dengue e as micoses. com vistas a evitar a disseminação de doenças de veiculação hídrica. . relacionado à qualidade da água para o consumo humano que garantam à população o acesso a água em quantidade e qualidade. Diante dessa realidade. o controle sanitário e o controle de qualidade da água são essenciais no município para a redução das morbidades e mortalidades transmitidas pela água contaminada. Portanto. cuja proposta das ações estão contidas no desenvolvimento deste plano de trabalho.

análise da água e atividades de educação em saúde. 2010). assim. por meio de capacitações. observa-se que o fornecimento de água tratada e encanada abrange 76. visando garantir a população. uma melhoria no controle sanitário da água para consumo humano.79% dos domicílios. uma redução nos índices de doenças transmitidas pela água contaminada e garantir uma melhoria na qualidade de vida da comunidade.14% utilizam outras formas de abastecimento. O fornecimento de água em quantidade e qualidade adequada é medida básica de promoção à saúde e prevenção de doenças.427 habitantes (IBGE. . 2011).8 1 JUSTIFICATIVA O município de Miranda do Norte. se compromete em dispensar condições técnicas e administrativas necessárias para cumprir os objetivos e metas desse plano de ação. água tratada e encanada livre de microrganismos e obter. no Estado do Maranhão. O acesso à água encanada aumentou de 83% em 1990 para 90% em 2004 (WIKIPÉDIA. possui atualmente 24. monitoramento. o setor de saneamento tem demonstrado força e flexibilidade diante das dificuldades e persistentes desigualdades em cobertura e qualidade dos serviços enfrentados pelo setor. No Brasil. inclusive no que se refere ao melhoramento e eficiência da distribuição e do acesso sustentável a água de boa qualidade.06% utilizam poço ou nascente e 5. Muitos avanços foram alcançados durante as últimas décadas. quando se trata de água destinada ao consumo humano. A Secretaria Municipal de Saúde do município de Miranda do Norte. 18. Apesar dos avanços alcançados muitas mudanças terão que ser implementadas de forma a garantir à população brasileira água de qualidade e livre de contaminantes. 2010). através da Coordenadoria Municipal de Vigilância Sanitária. no tocante ao abastecimento de água segundo dados do Sistema de Informação da Atenção Básica (SIAB. Partindo dessa realidade. pretende-se desenvolver no município de Miranda do Norte. É inegável a necessidade de tratamento adequado para combater as doenças de veiculação hídrica.

. com a intenção de uma melhoria sensível na qualidade de vida das pessoas que residem na localidade. justifica-se a realização das ações previstas. especialmente.9 Considerando-se que é de grande importância a mudança desse cenário ora estabelecido nesse município. na área da saúde.

representantes de associações comunitárias. com vistas a evitar a disseminação de doenças de veiculação hídrica. • Inspecionar os sistemas de abastecimentos de água. professores e usuários dos sistemas e soluções alternativas de abastecimento para desenvolver ações de higiene e manipulação da água. . • Informar à população sobre a qualidade da água e riscos à saúde. relacionado à qualidade da água para o consumo humano que garantam à população o acesso a água em quantidade e qualidade.2 Específicos • Promover atividades de educação. • Cadastrar 100% dos sistemas de abastecimento de água.10 2 OBJETIVOS 2. 2. • Capacitar profissionais da saúde envolvidos nos programas de saúde no município.1. Geral • Implementar ações de controle sanitário. comunicação e mobilização social em vigilância sanitária.

Informar a população sobre a qualidade da água. Cadastrar os sistemas de abastecimentos de água e fontes alternativas. confeccionar e distribuir material educativo. Metas 100% de profissionais capacitados. Elaborar. . 100% da população informada no período de um ano. comunicação e mobilização social em vigilância sanitária. 100% de sistemas e fontes alternativas cadastrados. 100% de atividades educativas. 100% de sistemas de abastecimento e fontes alternativas inspecionados. Inspecionar os sistemas de abastecimento e fontes alternativas. Promover atividades de educação. 100% das análises laboratoriais realizadas em todos os sistemas de abastecimentos. de comunicação e mobilização social. Realizar coletas e análise laboratorial de amostras para avaliar a qualidade da água. Monitorar a qualidade da água consumida pela população.11 3 AÇÕES E METAS Ações Capacitar os profissionais para o desenvolvimento de ações de higiene e manipulação da água. 100% de coletas de amostras para monitoramento. 100% do material educativo distribuído.

O plano terá um custo aproximado de 17.12 4 METODOLOGIA A Secretaria Municipal de Saúde de Miranda do Norte-MA desenvolverá. 4ª Etapa: nesta será feita a avaliação dos resultados obtidos. sendo 12 para a construção do conhecimento de forma participativa e 8 para atividades práticas.00 para o desenvolvimento das ações propostas no referido plano (Apêndice A). As estratégias para avaliação deverão ser voltadas para mobilizações e articulações . 2ª Etapa: compreenderá o levantamento e o cadastro de todos os sistemas de abastecimento de água através de visitas aos locais.000. Cada curso terá a duração de 20 horas. com objetivo de verificar a efetividade das ações desenvolvidas. Os dados serão armazenados para uso dos profissionais envolvidos nas ações. A realização do plano abrangerá 4 etapas: 1ª Etapa: nesta etapa serão realizados os cursos de capacitação destinados aos agentes que serão os multiplicadores de informações relativas à questão da água e saúde. A avaliação obedecerá a períodos trimestrais. Nessa etapa serão feitas também a inspeção e coleta das amostras de água para análise laboratorial. O período de execução das ações se dará ao longo de 12 meses e deverá ser apresentado trimestralmente relatório para a avaliação do desempenho das ações. O modelo de avaliação proposto para o plano será de mensuração e interpretação dos resultados e impactos do plano de ação na comunidade local. 3ª Etapa: envolverá a realização das atividades educativas com distribuição de material educativo contendo informações à população sobre a qualidade da água e os meios de prevenção a serem utilizados pela comunidade para se prevenir das doenças. através das metas propostas. coordenará e se responsabilizará pela operacionalização do plano de ação e suas atividades. quando serão preenchidas fichas contendo as informações indispensáveis sobre tais sistemas.

È importante ressaltar que a busca do controle sanitário da água deve contar com a prática de ações intra e intersetoriais. A Secretaria Municipal de Saúde através da Coordenadoria de Vigilância Sanitária irá elaborar relatórios trimestrais sobre as ações desenvolvidas. . estabelecendo-se um monitoramento através da gestão participativa. por fim irá promover um fortalecimento das ações de Vigilância Sanitária e garantir a população do município de Miranda do Norte uma água de qualidade direcionada para o consumo humano. A implantação do plano irá propiciar a capacitação dos profissionais e representantes de associações comunitárias no âmbito municipal. A preocupação com a disponibilidade da água para o consumo humano em quantidade e qualidade deve ser prioritária na definição de políticas de saúde. resultados alcançados e recursos utilizados.13 com a comunidade.

confeccionar e distribuir material educativo Informar a população sobre a qualidade da água 2012 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez X X X X X X X X X X X X X X X X X .14 5 CRONOGRAMA AÇÕES Capacitar os profissionais para o desenvolvimento de ações de higiene e manipulação da água Cadastrar os sistemas de abastecimentos de água e fontes alternativas Inspecionar os sistemas de abastecimento e fontes alternativas Monitorar a qualidade da água consumida pela população Realizar coletas e análise laboratorial de amostras para avaliar a qualidade da água Elaborar.

. ampliação do universo socioeducacional da população e maior preparo para a vida comunitária. certamente que serão positivos para a melhoria de vida dessa comunidade. dentre os quais destacam-se: elevação do nível de educação sanitária da população.15 6 IMPACTOS GERADOS Os impactos esperados com a implantação deste Plano de Ação no município de Miranda do Norte (MA). melhoria das condições de saúde das pessoas da comunidade.

wikipedia.16 REFERÊNCIAS BRASIL. Kathia Brienza Badini. Dados: Maranhão. Estatística e informação em saúde. Dados do Censo 2010 publicados no Diário Oficial da União do dia 04/11/2010 . IBGE.br/publicacoes/diarios/pdf/sf/2009/03/02032009/03319. Acesso em: 12 ago. Disponível em: http://pt.senado. Disponível em: siab.org/wiki/Saneamento_no_Brasil#cite_noteautogenerated1-1.br/dados_divulgados/index.censo2010. Acesso em: 20 ago. WIKIPÉDIA. Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.datasus. .php?uf=21. São Paulo: Editora Arte e Ciência.ibge. SIAB. A enciclopédia livre. Marília: UNIMAR. 2011.pdf.gov. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2011. 2011. 15 de fevereiro de 2011. 2009. 1999. Bruno. 2009. Sistema de Informação da Atenção Básica.gov. Disponível em: http://www. Manual de saúde pública. SORENSEN. MARULLI. 2010. Disponível em: http://www.gov.br. Acesso em: 13 ago. Saneamento no Brasil. Diário do Senado Federal.

00 R$ 2. - R$ 600.17 APÊNDICE A – Planilhas de custos PLANILHA 1 DESCRIÇÃO Capacitar profissionais da ESF.000.00 R$ 1.000.00 R$ 2.00 R$ 1. ACS.000.200.000.Pessoa Jurídica Material de Consumo QTD VALOR 04 oficinas de capacitação.00 R$ 1.00 R$ 2. Serviços de Terceiros. profissionais da vigilância sanitária e representantes de associações comunitárias para desenvolver ações de higiene e manipulação da água.00 21 100% de amostras.00 .00 R$ 600.300. profissionais da vigilância epidemiológica. R$ 1.00 R$ 1. Diárias Material de consumo Realizar coleta de amostras de água para avaliar a qualidade da água e os possíveis riscos inerentes ao seu consumo.500.200. Diárias Material de Consumo Serviços de Terceiros – Pessoa Jurídica Serviços de Terceiros – Pessoa Física Cadastrar e inspecionar 100% dos sistemas de abastecimentos de água e fontes alternativas. ACE.00 R$ 1.100.

panfletos e folders. VALOR R$2. QTD 2.00 .18 PLANILHA 2 DESCRIÇÃO Elaborar.00 cartazes. confeccionar e distribuir material educativo sobre higiene e manipulação da água e água para o consumo humano para todos os segmentos envolvidos.00 R$ 500.000. 4 divulgações mensais em carro de som e 1 reunião mensal com a comunidade.000. Informar a população sobre a qualidade da água e riscos inerentes a saúde.