You are on page 1of 41

Trabalho de Graduação do curso Design de Produto

Reaproveitamento de Resíduos de MDF da Indústria Moveleira

Prof.º Orientador: Paulo Cezar P. Guedes Alunas: Aline Freitas da Silva Carolina Finamore de Figueiredo

1

Introdução

2

Revisão de Literatura

3

Metodologia

4

Estudo de caso

Esta pesquisa tem como objetivos:

ü Propor alternativas para o reaproveitamento dos resíduos de

MDF, provenientes do processo produtivo da indústria moveleira de Linhares, na produção de um mobiliário;
ü Evitar a extração desnecessária de matéria prima da natureza;
ü Divulgar os conceitos relacionados ao Design Sustentável.

1

Introdução

2

Revisão de Literatura

3

Metodologia

4

Estudo de caso

Justificativa para a pesquisa: de um estudo no Polo Moveleiro de Linhares que demonstre a possibilidade do reaproveitamento, evitando a incineração;
ü O interesse do Governo do Estado no desenvolvimento do Polo e ü Ausência

a implantação de uma indústria de MDF;
ü A demanda do Sindimol, SEBRAE e SENAI para o levantamento

dos resíduos gerados;
ü O nível de degradação que o meio ambiente tem sofrido nos dias

atuais.

1

Introdução

2

Revisão de Literatura

3

Metodologia

4

Estudo de caso

O trabalho está dividido em oito capítulos: 1º Introdução; 2º Revisão de literatura; 3º Procedimentos metodológicos; 4º Indústria Moveleira; 5º Estudo de Caso - Indústria Moveleira CIMOL; 6º Central de Reciclagem; 7º Projeto de Produto; 8º Conclusão.

1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Ecodesign: Design Sustentável: Fonte: Pazmino (2007) .

1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Resíduos: ü Pré consumo: Derivados de refugos e excedentes do processo produtivo. São mais limpos. podem ser aproveitados no processo e eliminam os problemas de logística do regresso. ü Pós consumo: Estão relacionados aos eliminados pelo consumidor final. Manzini e Vezzoli (2005) .

. Santos (2009) . o que oportuniza a utilização de matérias primas advindas de refugos industriais.] embora a madeira seja um material com característica de recurso renovável. esse recurso tende a reduzir.1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Resíduos: [.. Hawken. quando não há a prática da gestão florestal de forma planejada e controlada. entretanto. Lovins e Lovins (2007) [. Sabe-se que algumas madeiras de fontes renováveis encontram-se em escassez no ambiente.] inovações simples no processo podem tornar a reciclagem uma opção ainda mais atraente... através de técnicas que ao serem adotadas aliviam a pressão sobre as florestas primárias e secundárias.

. Ferreira (2009) .] os resíduos se tornam alimento.. por exemplo. McDonough e Braungart (2002) O reaproveitamento de um determinado resíduo proveniente da produção de móveis.1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Cradle to Cradle (berço ao berço): [. os resíduos são matéria prima para um novo produto. ou seja. Este novo produto não precisa necessariamente ter o mesmo mercado ou a mesma aplicação do produto original. pode ser utilizado para a produção de um novo produto de qualidade igual ou superior ao produto original.

dentro do esquema de classificação. Santos (2009) . médios e grandes.1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Catalogação dos resíduos: A taxonomia baseia-se em critérios como formato. Torres e Alves (2007) Para se trabalhar os resíduos após a sua classificação pode ser adotada a metodologia baseada em elementos do desenho de Wong (1998). Os limites formais são características que irão distinguir os elementos entre si. tamanho e cor e serve como guia de características do produto a ser projetado para definir parâmetros de limites formais. Guimarães (2009) Os resíduos derivados de refugos e excedentes provenientes do processo produtivo podem ser classificados quanto ao tamanho: pequenos.

é dividido em quatro fases distintas: ü Fase de Preparação: análise do problema. ü Fase de Realização: realização da solução do problema. o processo criativo. embora na realidade não seja divisível. Löbach (2001) . ü Fase da Geração: alternativas do problema. ü Fase da Avaliação: avaliação das alternativas do problema.1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Projeto de Produto: Para solucionar um problema de projeto.

Com 12 linhas de produtos (camas. busca garantir sua produtividade e qualidade.1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Para a realização desta pesquisa foi realizado um estudo de caso na indústria moveleira Cimol. produzindo 35. Para o levantamento das informações foram realizadas visitas. cômodas e jogos de jantar). utilizando a tecnologia de máquinas nacionais e importadas. o MDF. atuando no mercado desde 1991. atualmente com 150 funcionários. situada no Polo Moveleiro de Linhares. .000 peças por mês. que possui tecnologia para a otimização da utilização de sua principal matéria prima. onde foi aplicado questionário aberto. criados. A Cimol é uma empresa de médio porte.

localizada no Estado de São Paulo nas espessuras conforme quadro abaixo: Dimensões Espessura (mm) 12 / 15 / 18 / 20 / 25 / 30 / 35 12 / 15 / 18 / 25 Dimensões (mm) 1900 x 2440 / 2100 x 2750 / 2440 x 2750 1900 x 2750 É realizado plano de corte semanal e os projetos são encaminhados para a usinagem em maquinário com controle numérico computadorizado (CNC). tornando o desperdício o mínimo possível. O índice de perdas mensal mínimo é de 5% e máximo 35%. com aproveitamento máximo da chapa. A sobra da chapa com dimensões aproveitáveis para futuro uso chama-se retalho e fica estocada aguardando nova utilização.A. .1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Processo de Produção: As chapas são adquiridas da empresa Duratex S.

. que servem de suporte para as chapas de MDF são revendidos a outras pequenas fábricas. a fim de servir de combustível para a olaria. Já os barrotes.1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso O resíduo final de MDF do processo de produção é repassado às empresas certificadas.

1 Introdução 2 Revisão de Literatura 3 Metodologia 4 Estudo de caso Embora a indústria não possua um programa de Gestão Ambiental. . sua visão e missão têm foco na sustentabilidade. realizando investimentos para obter um alto grau de sustentabilidade ambiental. Além disso. a empresa fornecedora de matéria prima possui em seu programa de qualidade a gestão ambiental.

para a produção da chapa a indústria mantém 10% do cavaco reciclado e 90% de cavaco chipado.5 m³ de material reciclado. . ü A cada 2. a fim de demonstrar a possibilidade de se terceirizar os serviços de reciclagem ou reaproveitamento de resíduos de madeira em Linhares. deixa-se de extrair uma árvore das fazendas.4 Estudo de caso 5 Central de Reciclagem 6 Projeto de Produto 7 Conclusão ü O modelo da Eucatex será abordado. ü A Eucatex é a maior Central de reciclagem de madeira da América Latina e é um modelo que pode ser seguido e contemplado no Plano de Desenvolvimento do Polo Moveleiro de Linhares. ü Na reciclagem.

. O cavaco gerado é armazenado (F).4 Estudo de caso 5 Central de Reciclagem 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Os resíduos das caçambas são recolhidos (A) e seguem para a Central de Reciclagem (B). Na Central os resíduos são triturados (C). os metais são retirados (D) bem como os resíduos são limpos e separados (E). transformado em energia (G) ou em parte de um processo (H).

ü As espessuras das chapas mais utilizadas na produção são 12. 2100 e 1900.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Seleção de amostra por taxonomia: ü As formas dos resíduos são muito semelhantes o que facilitou a definição das amostras para o desenvolvimento do produto. geralmente possui espessura de 12 e comprimento 2100. ü Como o plano de corte é semanal. 2440. Já o resíduo com largura de 55. 18 e 25 mm. . ü A indústria forneceu 38 peças de 15 mm x 24 mm x 610 mm para esta pesquisa. retirada da sobra após a utilização dos retalhos. as larguras variam semanalmente entre 20 e 55 mm com os comprimentos de 2750. as espessuras 30 e 35 mm são em menor quantidade. 15.

ü Usa materiais renováveis. ü Evita acabamentos tóxicos e danosos ao meio ambiente. . ü Usa materiais e componentes que provém de refugos de processos produtivos. em separado ou em conjunto com outros materiais virgens. conforme abordado por Santos (2009): ü Minimiza ou evita inserir aditivos e materiais tóxicos e danosos no produto.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Método de Löbach (2001): 1. ü Usa materiais reciclados. Análise do Problema: Relação social Homem x Ambiente .Diretrizes do Design Sustentável. ü Escolhe tecnologias de baixo impacto ambiental na transformação dos materiais. ü Evita o uso e dispersão de materiais de consumo tóxicos e danosos na fase de uso.

ou seja. modificando também os valores estéticos. Projetos de produtos mais humanizados buscam atingir as emoções individuais e coletivas. cuja preocupação com o meio ambiente atualmente agrega valor ao produto.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Relação Social Homem x Produto e Estética Os padrões sofrem variações no tempo e nos diversos âmbitos do entorno social. . As sensações de aconchego associadas aos valores ecológicos com acabamentos naturais trazem sensações que os indivíduos almejam. os valores estéticos na configuração de um produto podem mudar de acordo com a época e o contexto.

não apresentando novidade. a alternativa 01 se assemelha ao que é encontrado no mercado.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão 2. . Alternativas do problema avaliadas Alternativa 01 Com um tampo feito da junção de peças de MDF na horizontal. base colada e parafusada no centro para a mobilidade.

4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Alternativa 02 Projetada com uma base pesada e tampo feito da junção de pequenas peças de MDF. a proposta da alternativa 02 foi considerada complexa pelo marceneiro Irineo Bisnetto. . De acordo com o profissional o tampo se tornaria quebradiço se sua espessura fosse muito fina e teria um acabamento inadequado em razão do topo da peça de MDF ficar exposto e não a face. necessitando de maquinário de serralheria.

.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Alternativa 03 Para solucionar o problema da alternativa 02 em relação ao acabamento quando as peças fossem coladas na vertical. a alternativa 03 foi gerada com um tampo de vidro e base com pedaços diversos colados. devido a dificuldades de logística. o que se tornou impedimento. formando um bloco. Embora com uma proposta diferenciada a base se mantinha pesada e necessitaria de grande quantidade de MDF para a montagem.

4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Alternativa 04 A alternativa 04 manteve a proposta do tampo de vidro da alternativa anterior. não sendo este bem aproveitado. utilizando o material trazido da empresa Cimol em visita realizada. mas buscou solução para a base pesada. Observou-se. . no entanto que havia excesso de material ao inclinar a base formando um triângulo.

sua base ficaria muito fina. o que poderia causar instabilidade na mesa.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Alternativa 05 A alternativa 05 utilizou a mesma repetição de peças na vertical da alternativa 04 em razão da leveza e a sensação de harmonia. no entanto para que a altura chegasse ao mínimo de 40 cm. . Manteve o tampo de vidro.

Realização da solução do problema .4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão 3.

4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão .

cor. formando a imagem semelhante a uma ampulheta. . com a base e topo maiores que o centro. optou-se por se utilizar os conceitos de Wong (1998) pela repetição de formato.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão ü A alternativa escolhida apresentou o aspecto simbólico predominando. ü Para se transmitir a sensação imediata de harmonia. posição e espaço. tamanho. encerada ou envernizada compondo os espaços. ü Para se evitar a monotonia. ü Na variação espacial a base se reflete como um espelho. ü Trata-se de uma proposta de mobiliário que componha vários ambientes. ü Nas variações de direção duas peças são posicionadas paralelamente e ligadas a outras duas em um ângulo de 90º. houve variações de direção e espacial. textura. formando quadrados de tamanhos variados. se apresentando na cor natural do MDF. podendo a gosto do usuário ser pintada. seguindo um ritmo.

. tanto em homens como em mulheres na mesa de centro seria de 49 cm de acordo com a literatura espanhola. de acordo com o profissional. a mesa de centro pode ter entre 40 e 45 cm de altura e a base é no mínimo 51% menor do que o tampo da mesa. De acordo com Panero e Zelnik (2002) a medida da altura do sulco poplíteo percentil 95 (maior medida) para homens é de 49 cm e para mulheres 44. utilizou-se a medida adotada por um profissional.5 cm Dessa forma a altura mínima para se evitar a curvatura acentuada da coluna.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Normas: Não havendo medidas brasileiras para as dimensões básicas de antropometria. No entanto.

4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Montagem: Em um primeiro momento foi feito o corte das peças de acordo com os tamanhos apresentados no projeto da mesa de centro. .

depois alinhadas com o esquadro. .4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Montagem: Peças cortadas e dividas por tamanho.

4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Montagem: .

4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Montagem: .

com polimento e brilho natural. em virtude do fluxo de pessoas nas proximidades da mesa. optou-se pela utilização de vidro temperado de 8mm por possuir resistência a impactos e maior proteção em caso de quebras. ü O tampo pesa 11. . é incolor. canto tipo moeda.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Para a confecção do tampo de vidro foram realizadas pesquisas em vidraçarias da região. a fim de evitar lesões. tem o acabamento lapidado. ü Entre os tipos de vidro apresentados.25 kg.

4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Protótipo da Mesa de Centro: .

4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão Protótipo da Mesa de Centro: .

.

.

.

sem que isso deixe de garantir às próximas gerações os recursos necessários para se manter a vida. ainda descartam matéria prima importante na produção de outros projetos. ecodesign. . mesmo com uma visão voltada para a questão sustentável. ü O Polo Moveleiro de Linhares e a própria Cimol. uma vez que sua tecnologia ainda não permite o uso dos menores pedaços na produção. ü Dentro deste contexto.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão ü A análise do contexto histórico. cradle to cradle. o designer tem contribuído na busca de soluções. do design sustentável. analisando custo-benefício de produtos que atendam as necessidades de seu usuário. juntamente com o estudo sobre a matéria-prima MDF e sobre os principais polos moveleiros do país. garantiu um bom repertório teórico para o desenvolvimento do trabalho.

sociais e sensoriais do consumidor. realizado em forma de estudo de caso para a realização do produto mesa de centro.4 Estudo de caso 5 Central de Resíduos 6 Projeto de Produto 7 Conclusão ü Demonstrou-se nesta pesquisa que é possível repassar a terceiros a produção de peças. de forma mais manufaturada em razão dos tamanhos. misturando materiais virgens com o material que foi descartado. atendendo as necessidades psíquicas. evitando a incineração. demonstrado a possibilidade de se desenvolver produtos de qualidade comparada a um produto desenvolvido com a chapa de MDF. ü Verificou-se a viabilidade e a necessidade deste levantamento. ü Os recursos naturais deixam de ser extraídos e a matéria prima se torna um produto de valor agregado. ü A mesa buscou atender os princípios abordados no design sustentável. sem que com isso perca a qualidade. .

Obrigada! .