You are on page 1of 2

Reflexão da Luz O fenômeno da reflexão consiste na mudança da direção de propagação da energia.

Consiste no retorno da energia incidente em direção à região de onde ela é oriunda, após entrar em contato com uma superfície refletora. A energia pode tanto estar manifestada na forma de ondas como transmitida através de partículas. Por isso, a reflexão é um fenômeno que pode se dar por um caráter eletromagnético, óptico ou sonoro. Quando raios luminosos paralelos incidem numa superfície plana, polida, os raios refletidos também são paralelos ente si. Difusão da Luz A maioria das superfícies são ásperas; suas irregularidades refletem a luz em diversas direções. Esse tipo de luz refletida se chama luz difusa. É graças a ela que, durante o dia, um cômodo pode ser iluminado pela luz do sol, que se reflete no ar, nas nuvens e nas paredes. Assim as superfícies polidas refletem melhor a luz que as superfícies ásperas. Refração da Luz Um feixe de luz se desvia ao passar do ar para a água ou vice versa. Para observar esse efeito basta mergulhar um lápis em um copo com água. Esse desvio se deve a uma mudança na velocidade da luz ao passar de um meio transparente para outro e chama-se refração da luz. Índice de refração é uma relação entre a velocidade da luz em um determinado meio e a velocidade da luz no vácuo (c). Em meios com índices de refração mais baixos (próximos a 1) a luz tem velocidade maior (ou seja, próximo a velocidade da luz no vácuo). A velocidade de propagação da luz no ar depende da frequência da luz, já que o ar é um meio material. Porém essa velocidade é quase igual a 1 para todas as cores. Ex: índice de refração da luz violeta no ar = 1,0002957 e índice de refração da luz vermelha no ar = 1,0002914. Portanto, nas aplicações, desde que não queiramos uma precisão muito grande, adotaremos o índice de refração do ar como aproximadamente igual a 1. Dispersão Luminosa A luz branca é formada pela reunião de numerosas radiações coloridas que podem ser separadas com o auxílio de um prisma, formando uma imagem conhecida como espectro. Do ponto de vista estritamente físico, o espectro é formado por um número infinito de cores. A técnica, no entanto, costuma considerar com integrantes da luz branca as sete cores: vermelho, alaranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta. A reunião destas sete cores recompõe a luz branca. Pelo fato de se propagarem com velocidades diferentes, a luz branca ao incidir sobre o prisma é dividida em todas as suas cores componentes sofrendo uma dispersão luminosa, já que cada feixe de frequência sofre um desvio diferente. A óptica geométrica se preocupa em analisar a trajetória da propagação da luz. Nesse artigo vamos expor os princípios ou leis que regem essa parte da Física. Lembrando que esses princípios são enunciados para um único raio de luz, mas que podem valer também para os feixes luminosos. - Princípio da independência dos raios luminosos

A figura abaixo nos mostra duas lanternas dispostas de modo que os raios de luz se cruzem. O princípio da independência dos raios luminosos diz que os dois raios de luz, ao se cruzarem, seguem cada um a sua trajetória, de forma independente. - Princípio da reversibilidade dos raios luminosos Esse princípio diz que a trajetória seguida pelo raio de luz, em um sentido, é a mesma trajetória quando o raio de luz troca o sentido de percurso. Por exemplo, é em razão desse princípio que o motorista de um automóvel pode ver um passageiro que está sentado no banco de trás do carro e o passageiro pode ver o motorista utilizando o mesmo espelho. - Princípio da propagação retilínea dos raios luminosos O princípio da propagação retilínea diz que todo raio de luz percorre trajetórias retilíneas quando em meios transparentes e homogêneos. Lembrando que raio de luz é um segmento de reta orientado e que está associado à direção e ao sentido de propagação da luz.