You are on page 1of 14

FACULDADE DE MACAPÁ - FAMA ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA ARLETE DA SILVA PEREIRA BRUNA MICHELLE BAIA FURTADO CAIO

TEIXEIRA BRANDÃO KATIANE DOS SANTOS ALELUIA LUCIANE DOS SANTOS PAES

SAÚDE DO IDOSO: Atendimento interdisciplinar no HiperDia

MACAPÁ 2013
0

FAMA ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA ARLETE DA SILVA PEREIRA BRUNA MICHELLE BAIA FURTADO CAIO TEIXEIRA BRANDÃO KATIANE DOS SANTOS ALELUIA LUCIANE DOS SANTOS PAES SAÚDE DO IDOSO: Atendimento interdisciplinar no HiperDia Projeto apresentado como requisito para avaliação no módulo de Métodos e Práticas de Pesquisa da Especialização em Saúde Pública na Faculdade de Macapá no ano de 2013 ORIENTADOR PROFª Ms DELSON DE SOUZA MACAPÁ 2013 1 .FACULDADE DE MACAPÁ .

Ms. Delson de Souza Silva FAMA 2 . Sávio Sarquis Coordenador de Curso BANCA EXAMINADORA _________________________________________ Prof.ARLETE DA SILVA PEREIRA BRUNA MICHELLE BAIA FURTADO CAIO TEIXEIRA BRANDÃO KATIANE DOS SANTOS ALELUIA LUCIANE DOS SANTOS PAES SAÚDE DO IDOSO: Atendimento interdisciplinar no Hiperdia Projeto de pesquisa apresentado como requisito para avaliação no Módulo de Métodos e Práticas de Pesquisa da Especialização em Gestão de Saúde Pública da Faculdade de Macapá – FAMA. _________________________________________ Prof.

MACAPÁ 2013 3 .

SUMÁRIO 1 PROBLEMA 2 HIPÓTESE 3 JUSTIFICATIVA 4 OBJETIVO 4.2 Objetivos Específicos 5 METODOLOGIA 6 REFERENCIAL TEÓRICO 7 CRONOGRAMA 8 REFERÊNCIA 4 .1 Objetivo Geral 4.

Segundo o censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no ano de 2000. A população brasileira está envelhecendo e a ocorrência de patologias prevalecentes na população idosa tem se tornado cada vez mais comum. No entanto. da prevenção ao atendimento hospitalar. a equidade e a integralidade no desenvolvimento das políticas públicas. nas unidades da rede básica dos Serviços de Saúde. O programa estabelece metas e diretrizes para ampliar ações de prevenção. gestores das secretarias municipais. Esse critério etário é o mesmo adotado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para designar a população idosa nos países em desenvolvimento. 5 .6% da população total do país. a realidade do país tem mudado. tratamento e controle dessas patologias. principais doenças que acometem a população idosa. diagnóstico. podemos citar o HiperDia. Entre os vários programas desenvolvidos para a promoção da saúde do idoso. oferecendo um serviço de qualidade a todos e nos diversos âmbitos de atenção à saúde. viabiliza-se uma melhor qualidade de vida para o idoso cadastrado no HiperDia.1 PROBLEMA De que forma o atendimento interdisciplinar contribui para a saúde do idoso? 2 HIPÓTESE A partir do acompanhamento e controle da hipertensão e diabetes. estaduais e Ministério da Saúde. um sistema de cadastramento e acompanhamento de hipertensos e diabéticos criado em 2002 por um Plano Nacional de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus. Com o aumento da expectativa de vida e a diminuição das taxas de natalidade. o SUS deveria atender a população de modo geral. gerando informações para os gerentes locais. 3 JUSTIFICATIVA O Brasil está se tornando um país idoso. Baseado na definição de saúde como o bem estar biopsicossocial do indivíduo. não se observa o cumprimento dos princípios norteadores do Sistema Único de Saúde (SUS): a universalidade. a parcela da população acima de 60 anos de idade representava 8.

a melhoria da qualidade de vida dessas pessoas e a redução do custo social. palestras. o perfil da população cadastrada e as estratégias de saúde desenvolvidas pelo programa.1 Objetivo Geral Verificar de que forma o programa HiperDia contribui para a saúde do idoso. ao mesmo tempo em que possibilita a definição do perfil epidemiológico desta população e o consequente desencadeamento de estratégias de saúde que levarão à modificação do quadro atual.Além do cadastro. 4. 5 METODOLOGIA O presente trabalho tem o intuito de discutir a contribuição do HiperDia para a saúde do idoso. o sistema permite o acompanhamento. 4 OBJETIVO 4. têm se mostrado uma grande ferramenta na execução do programa HiperDia. Descrever as ações da equipe interdisciplinar com grupos de idosos no âmbito do programa HiperDia. dinâmicas de grupo e oficinas as equipes têm atuado na prevenção da Hipertensão e do Diabetes. a garantia do recebimento dos medicamentos prescritos. como boa alimentação e prática de exercícios físicos. As equipes interdisciplinares.2 Objetivos Específicos Analisar a etiologia da Diabetes Mellitus e a Hipertensão Arterial e sua incidência na população idosa brasileira. controle de glicemia. formadas por profissionais de diversas áreas do conhecimento trabalhando de forma integrada. Realizando atividades como aferição da pressão arterial. pois ao estabelecer metas e diretrizes para o acompanhamento da população 6 . Caracterizar o sistema HiperDia. exercícios aeróbicos e de alongamento. Em virtude do exposto esse trabalho vem contribuir para o melhorar desempenho e bem estar do idoso. convencendo o idoso e sua família da importância de hábitos de vida saudáveis.

Será feito um levantamento do estado da arte no âmbito da saúde do idoso e das publicações oficiais do Ministério da Saúde acerca do programa HiperDia. Por meio da pesquisa documental. os relatórios emitidos pelos profissionais para as Unidades Básicas de Saúde (UBS) podem fornecer informações sobre a experiência das equipes interdisciplinares no atendimento dos idosos cadastrados no HiperDia. o programa busca garantir o acesso ao medicamento e a adesão ao tratamento da Hipertensão Arterial e do Diabetes Mellitus.cadastrada. a implantação e atual base de dados. 7 . a importância das atividades realizadas para o acompanhamento e controle das patologias. suas características. A consulta à literatura médica é necessária para a caracterização das patologias que acometem a população idosa. especificamente a Hipertensão Arterial e o Diabetes Mellitus. A partir da pesquisa bibliográfica será possível obter informações sobre as atividades realizadas e os resultados alcançados pelo HiperDia nos últimos anos.

o Ministério da Saúde criou o sistema de cadastramento e acompanhamento dos portadores de Diabetes e Hipertensão. caio. santospaes@hotmail.com 8 . Surge a necessidade de aumentar a atenção à saúde dessa parcela da população e o desenvolvimento de programas para o combate das principais patologias que acometem os idosos.com ** Fonoaudiológa. Acompanhamento.com *** Psicólogo.br **** Fisioterapeuta. Nesse intuito. atuam em equipes interdisciplinares e desenvolvem atividades de acompanhamento e controle. em parte.brunafurtado@gmail. Isso se deve. uma ferramenta útil para os profissionais do Sistema Único de Saúde no enfrentamento dessas doenças. HiperDia. Palavra-chave: Idoso.edu.ap@hotmail.santos. denominado HiperDia. pelo aumento da expectativa de vida da população brasileira e o consequente envelhecimento da população. fono.com *****Assistente Social. O Ministério da Saúde oferece aos cadastrados no programa a distribuição de medicamentos através do SUS. * Fonoaudiológa. Os profissionais que trabalham no sistema HiperDia.brandao@ifap. lete302009@hotmail. Este trabalho busca caracterizar o sistema HiperDia e as atividades realizadas pelos profissionais que atuam no programa. a Hipertensão Arterial e o Diabetes Mellitus. Katiane.6 REFERENCIAL TEÓRICO Atendimento interdisciplinar no HiperDia Arlete da Silva Pereira* Bruna Michelle Baía Furtado** Caio Teixeira Brandão*** Katiane dos Santos Aleluia**** Luciane dos Santos Paes***** RESUMO A saúde do idoso é um tópico amplamente discutido na atualidade.

Segundo o censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no ano de 2000. No que concerne ao idoso. principais doenças que acometem a população idosa. Um estilo de vida saudável e mais ativo ajuda a diminuir os efeitos do processo de envelhecimento. De acordo com os Cadernos de Atenção Básica (2007. Pode resultar de defeitos de secreção e/ou ação da insulina. a incidência de doenças relacionadas ao idoso tem acompanhado o aumento da expectativa de vida do brasileiro. 2 O DIABETES MELLITUS E A HIPERTENSÃO ARTERIAL E SUA INCIDÊNCIA NA POPULAÇÃO IDOSA BRASILEIRA. p. como consta nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. distúrbios da secreção da insulina. resistência à ação da insulina. especialmente: olhos. nervos.1 INTRODUÇÃO A longevidade é agora uma realidade brasileira. pois além de gerar uma série de restrições nutricionais. as patologias prevalentes são a Hipertensão Arterial e o Diabetes Mellitus. em condições de sobrecarga pode ocasionar uma condição patológica que requeira assistência e atendimento especializado. Observa-se que no Brasil. disfunções e insuficiência de vários órgãos. entre outros. envolvendo processos patogênicos específicos. destruição das células beta do pâncreas (produtoras de insulina).6 milhões de idosos no país. O programa estabelece metas e diretrizes para ampliar ações de prevenção. A incidência do diabetes aumenta com a idade e caracteriza uma perda importante na qualidade de vida dos indivíduos. 9 . existem cerca de 17. no entanto. cérebro. rins. coração e vasos sanguíneos. diagnóstico. Esse processo é natural.71) O diabetes Mellitus é uma doença metabólica caracterizada por hiperglicemia associada a complicações. por exemplo. tratamento e controle dessas patologias. razão pela qual o Ministério da Saúde criou em 2002 o programa HiperDia. destacase o HiperDia. um sistema de cadastramento e acompanhamento de hipertensos e diabéticos criado em 2002 por um Plano Nacional de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus. Entre os vários programas desenvolvidos para a promoção da saúde do idoso. O envelhecimento da população é consequência de aspectos como a queda da fecundidade e da mortalidade e o aumento da expectativa de vida.

assistente social. É necessário. promovendo atividades como palestras. dinâmicas de grupo e outras. responsáveis por investigar as características da demanda atendida pelo programa. Ao viabilizar o tratamento dessas doenças. Mattos. exercícios de alongamento. Os tipos mais freqüentes da patologia são o diabetes tipo 1. Também ocorre com maior freqüência o diabetes gestacional. 2007). porém de etiologia ainda não esclarecida. p. O Ministério da Saúde criou o sistema HiperDia para realizar o cadastramento das pessoas portadoras de Hipertensão Arterial e do Diabetes Mellitus. compostas por profissionais como médicos. odontólogo. enfermeiros. portanto. Esses profissionais trabalham em conjunto com os Agentes Comunitários de Saúde. psicólogo.pode acarretar insuficiência renal. por meio do acompanhamento nutricional ou a administração medicamentosa da insulina. fonoaudiólogo e o educador físico. amputação de membros inferiores. que os profissionais estejam capacitados a trabalhar com essa demanda. Santos (2004. conhecido anteriormente como diabetes juvenil e diabetes tipo 2. fisioterapeuta. geralmente detectado no prénatal. 197) “o condicionamento físico e a estabilidade emocional são os principais fatores que melhoram a qualidade de vida e ajudam a reverter o processo de envelhecimento”. O diabetes pode estar associado a outras doenças. conhecido inicialmente como diabetes do adulto. 2007 p. cegueiras e doenças vasculares ou mesmo a morte (Cadernos de atenção básica. pois segundo Kawamoto. CONCLUSÃO Os grupos de idosos (HiperDia) se constituem como uma grande ferramenta no controle e acompanhamento da Hipertensão e Diabetes.71). O tratamento consiste no controle da glicemia. por meio de cursos. pois os indivíduos diabéticos costumam buscar uma compensação para as restrições nutricionais. 10 . As equipes interdisciplinares realizam acompanhamento de grupos de idosos. As ações previstas pelo programa são realizadas por equipes interdisciplinares nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). nutricionista. pode-se representar novas perspectivas para pessoas idosas. no intuito de promover o acompanhamento e a garantia do tratamento. ingerindo uma maior quantidade de sal. aumentando os riscos da Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) um importante problema de saúde pública no Brasil e no mundo sendo responsável por pelo menos 40% das mortes por acidente vascular cerebral e por 25% das mortes por doenças coronarianas (Caderno de atenção básica.

As políticas públicas para a saúde do idoso devem ser reformuladas e deve haver uma maior fiscalização quanto à utilização dos recursos e o desenvolvimento das ações para permitir que uma melhor qualidade de vida seja efetivamente alcançada. 11 .workshops e oficinas.

7 CRONOGRAMA ATIVIDADE E MÊS Montagem de grupo Pesquisa bibliográfica Revisão de literatura Reunião com Orientador Entrega do Artigo MAIO X x X X JUN JUL AGO x X X X X X X x 12 .

Emília Emi. BRASIL. São Paulo: Pedagógica e Universitária LTDA. Ed. 13 . Enfermagem Comunitária. Caderno de Atenção Básica: Diretrizes do NASF. Brasília. Thalita Maia de. 2009. MATTOS. SANTOS. Ministério da Saúde. KAWAMOTO. Brasília. 2007. 2004. 2. Caderno de Atenção Básica: Envelhecimento e saúde da Pessoa Idosa.8 REFERÊNCIA BRASIL. Ministério da Saúde. Maria Cristina Honório dos.