You are on page 1of 0

Paulo Schmidt é doutor em Con ta

-
bilidade e Controladoria pela Facul da de de
Economia, Administração e Contabilidade
da Universidade de São Paulo (FEA/USP).
Professor, pesquisador, orientador e
coordenador do curso de mestrado em
Controladoria na Universidade Federal do
Rio Grande do Sul (UFRGS). Membro da
Academy of Accounting Historians, con-
sultor empresarial e autor de dezenas de
livros nas áreas de contabilidade gerencial,
controladoria, contabilidade avançada e
contabilidade internacional, publicados
pela Atlas.
José Luiz dos Santos é doutor em
Economia pela Universidade Federal do
Rio Grande do Sul (UFRGS) e mestre em
Ciências Contábeis pela Universidade do
Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Diretor,
professor, pesquisador e orientador da
Faculdade São Francisco de Assis (UNIFIN)
e professor da pós-graduação da UFRGS
e da UNIFIN. Sócio da Integral Consultoria
Empresarial e consultor empresarial e autor
de dezenas de livros nas áreas tributária,
de contabilidade gerencial, controladoria,
contabilidade avançada e contabilidade
internacional, publicados pela Atlas.
E
ste livro apresenta uma síntese dos principais temas relacionados à contabilidade
intermediária, tendo como foco principal a apresentação das principais opera-
ções relacionadas aos estoques de empresas industriais e comerciais, especialmente
bonificações, consignação, exportação, importação, substituição tributária, conserto,
demonstração, venda a ordem, venda para entrega futura e beneficiamento de produ-
tos. Além disso, aborda operações relacionadas a folha de pagamento, apresentando
o cálculo e registro dos principais proventos e descontos, incluindo a Lei n
o
11.941/09
e as normas do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC).
A principal característica desta obra, que a diferencia das demais, é a de vincular
conceitos contábeis a leis e normatizações vigentes, bem como de apresentar os
cálculos e registros das principais operações relacionadas aos estoques de empresas
industriais e comerciais, tornando-a muito útil para consultas de profissionais do dia
a dia, sem se descuidar de seu cunho didático. Além disso, possui excelente material
prático, que não só elucida pontos controvertidos como também fixa melhor a visua-
lização e o entendimento de diversas situações.
APLICAÇÃO
Livro-texto para as disciplinas Contabilidade Intermediária, Contabilidade Geral e Con-
tabilidade Aplicada dos cursos de graduação em Contabilidade, Administração e Eco-
nomia. Leitura complementar para profissionais da área de Contabilidade.
Paul o Schmi dt
José Lui z dos Sant os
José Már i o Mat sumur a Gomes
S
c
h
m
i
d
t

/

S
a
n
t
o
s

/

G
o
m
e
s
CONTABILIDADE
INTERMEDIÁRIA
CONTABILIDADE
INTERMEDIÁRIA
C
O
N
T
A
B
I
L
I
D
A
D
E

I
N
T
E
R
M
E
D
I
Á
R
I
A
Substituição Tributária | Controle de Estoques | Folha de Pagamento
Consignações | Consórcios | Importações | Exportações
2
a
Edição
Atualizada pela Lei n
o
11.941/09
e pelas normas do CPC
José Mário Matsumura Gomes
é doutorando em Agronegócios pela
Universidade Federal do Rio Grande do
Sul (UFRGS) e mestre em Ciências Con-
tábeis pela Universidade do Vale do Rio
dos Sinos (UNISINOS). Coordenador do
curso de Ciências Contábeis, professor,
pesquisador e orientador da Faculdade
São Francisco de Assis (UNIFIN). Coautor
com José Luiz dos Santos e Paulo Sch-
midt de livros nas áreas de contabilidade
intermediária, perícia contábil e auditoria
contábil, publicados pela Atlas.
6329.indd 1 03/06/2011 14:48:17
Paulo Schmidt
José Luiz dos Santos
José Mário Matsumura Gomes
Atualizada pela Lei n
o
11.941/09 e
pelas normas do CPC
SÃO PAULO
EDITORA ATLAS S.A. – 2011
Contabilidade
Intermediária
PORTAL ATLAS
2
a
Edição
3
a
Prova
Nos capítulos anteriores foram apresentadas as principais operações que corren-
temente modificam o patrimônio das entidades. Este capítulo apresenta exemplos
práticos de cálculos e elaboração das demonstrações contábeis de entidades que, a
partir de uma situação inicial, desenvolveram suas atividades habituais durante o
exercício social e apresentam uma nova situação patrimonial ao final do exercício
social quando, então, deverão ser procedidos os ajustes de encerramento de acordo
com a legislação vigente e o estatuto social da entidade.
Hipótese I: Exercício com registros contábeis de operações com mercadorias,
despesas com seguros, operação de desconto bancário, variação monetária, variação
cambial, perdas com títulos incobráveis, encerramento do exercício, elaboração
da demonstração do resultado do exercício e balanço patrimonial.
Nessa hipótese, a empresa comercializa apenas uma espécie de mercadoria,
sendo que, para fins de controle de estoques, utiliza o sistema permanente e ainda
adota o critério de apuração do custo das mercadorias, pelo custo médio ponde-
rado. Além disso, está sujeita ao PIS e Cofins não cumulativos.
A situação patrimonial da entidade em 30-11-X1 é a apresentada na Figura
12.1. O balancete apresenta os saldos considerando, inclusive, a movimentação
em contas de resultado já ocorridas no período compreendido entre janeiro/X1
e novembro/X1.
12
Casos Práticos de Elaboração das
Demonstrações Financeiras
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 3
3
a
Prova
Variação monetária passiva 1.611,52 Salários a pagar 4.050,00
Depreciação acumulada de Rendimentos de aplicações
móveis e utensílios 480,00 financeiras 670,00
Participações em controladas 8.260,00 Imóvel de uso 18.550,00
PIS sobre vendas 383,50 Financiamentos a pagar 14.580,00
Móveis e utensílios 3.450,00 Estoques 8.350,00
Lucros acumulados 1.041,00 Dividendos recebidos 250,00
ICMS sobre vendas 10.060,60 Despesa com telefones (vendas) 75,00
ICMS a pagar 460,00 Despesa com salário (adm.) 335,00
Fornecedores 12.030,00 Despesa com energia (vendas) 250,00
Devoluções de vendas 180,00 Reserva de capital 4.350,00
Despesa com salário (vendas) 280,00 Contas a pagar 1.250,00
Despesa com juros 80,00 Clientes 27.500,00
Despesa com aluguéis (vendas) 220,00 Aplicações de liquidez imediata 14.550,00
Receita de vendas 59.180,00 Equipamento de informática 3.160,00
Cofins sobre vendas 1.180,00 Custo das mercadorias vendidas 32.549,00
Capital subscrito 61.000,00 Bancos 26.054,00
Caixa 9.412,38 Despesa com pró-labore (adm.) 4.500,00
Financiamentos a pagar – exterior 13.150,00 Adiantamento de viagem 1.500,00
Figura 12.1 Situação patrimonial inicial na hipótese I.
Durante o mês de dezembro/X1 se processaram as operações apresentadas
na Figura 12.2.
1. 01-12 – Compra a prazo de mercadorias para revenda: 25 unidades a $ 62,00 cada e ICMS de 17%;
2. 01-12 – Frete, a prazo, relativo a compra anterior no valor de $ 95,00 e ICMS de 12%;
3. 03-12 – Venda de mercadorias, a vista, em dinheiro: 34 unidades a $ 132,00 cada e ICMS de 17%;
4. 05-12 – Compra, em cheque, de 32 unidades de mercadorias para revenda a $ 60,00 cada e ICMS
de 17%;
5. 05-12 – Paga, em dinheiro, apólice de seguro, com vigência para 12 meses – vigência entre 01-
12-X1 e 30-11-X2 – no valor de $ 450,00. Apropriar a despesa do mês;
6. 06-12 – Devolvidas a fornecedor 2 unidades referentes a compra do dia 05-12, sendo o valor total
abatido de duplicatas devidas pela empresa. ICMS de 17%;
7. 07-12 – Venda de mercadorias (ICMS de 17%) conforme a seguir:
Preço de venda $ 135,00 a unidade
A vista 16 un.
A prazo 13 un.
Cartão de crédito 8 un. taxa administração 4,50%
continua
4 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
8. 07-12 – Efetuada operação de desconto de títulos conforme resumo do borderô:
Valor total dos títulos $ 5.400,00, tarifas bancárias de $ 53,00, encargos financeiros 5,8% a.m. e
prazo médio dos títulos 60 dias;
9. 08-12 – Baixar título de cliente considerado incobrável, no valor de $ 5.650,00, vencido há 15 meses,
sendo que a empresa já iniciou processo para cobrança judicial (venda sem garantias reais);
10. 14-12 – Paga em cheque duplicata de fornecedor no valor de $ 1.300,00 com dedução de desconto
condicional no valor de $ 13,00;
11. 15-12 – Recebido aviso bancário que informa o recebimento de título de cliente que foi descontado
pela empresa do mesmo no valor de $ 890,00;
12. 17-12 – Recebido no caixa da empresa título de cliente descontado anteriormente, do banco, no
valor de $ 1.300,00. Imediatamente, a empresa autorizou o banco a ressarcir-se do valor por meio
de débito em c/c bancária;
13. 17-12 – Compra de 26 unidades de mercadorias para revenda ao custo unitário de $ 62,00 e ICMS
de 17%. Compra efetuada por meio de financiamento vendor em instituição bancária;
14. 18-12 – Venda de mercadorias por meio de cheques pré-datados: 10 unidades a $ 140,00 cada e
ICMS de 17%;
15. 20-12 – Compra de 23 unidades de mercadorias para revenda a $ 65,00 cada, com cheque pré-
-datado. ICMS de 17%;
16. 21-12 – Pago em cheque $ 680,00 referente a adiantamento a fornecedor por conta de compra de
mercadorias para revenda;
17. 24-12 – Recebidas 26 unidades de mercadorias para revenda a $ 65,00 cada e ICMS de 17%, sendo,
do total, $ 680,00 quitado por meio do adiantamento pago em 21/12 e o saldo a prazo;
18. 25-12 – Prestação de contas, no caixa da empresa, de adiantamento para despesas de viagem,
conforme a seguir: valor do adiantamento, $ 850,00, valor do relatório de despesas, $ 720,00,
relativo a área de vendas;
19. 31-12 – Calcular e contabilizar a variação monetária sobre o saldo de empréstimo a pagar,
sabendo-se que o indexador apresentou uma variação de 1,65% no período e o saldo anterior é
$ 14.580,00;
20. 31-12 – Calcular e contabilizar a variação cambial do financiamento a pagar em moeda estrangeira,
sendo a cotação em 30/11, $ 1,885, e a cotação em 31/12, $ 1,995;
21. 31-12 – Apropriar o valor dos encargos financeiros, relativo a operação de desconto de títulos,
considerando a taxa e o prazo apresentados na operação do dia 07/12;
22. 31-12 – Encerrar o saldo das contas-correntes de PIS e Cofins;
23. 31-12 – Encerrar o saldo da conta-corrente do ICMS;
24. 31-12 – Apropriar o valor do custo das mercadorias vendidas com base na ficha de controle de
estoques;
25. 31-12 – Contabilizar o encerramento das contas de resultado. Em caso de lucro, contabilizar o
seguinte:
Contribuição social sobre o lucro 9% Base de cálculo $ 5.049,50
Provisão para Imposto de Renda 15% Lucro Real $ 5.049,50
26. Participação de empregados e administradores: 10% cada;
27. Elaborar a Demonstração do Resultado do Exercício e Balanço Patrimonial conforme a Lei n
o

6.404/76.
Figura 12.2 Operações realizadas durante o exercício social na hipótese I.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 5
3
a
Prova
A partir de então, iniciam-se os cálculos e registros contábeis apresentados
na Figura 12.2. O cálculo das compras a prazo de mercadorias para revenda é o
apresentado na Figura 12.3.
Quantidade 25 un.
Custo unitário bruto $ 62,00
Valor total nota fiscal $ 1.550,00
Valor do ICMS (17%) $ 263,50
Valor do PIS (1,65%) $ 25,58
Valor da Cofins $ 117,80
Valor líquido $ 1.143,12
Figura 12.3 Compra de mercadorias para revenda – item 1.
Já o registro contábil da compra de mercadorias do item 1 é o apresentado
na Figura 12.4.
D – Estoques 1.143,12
D – Conta-corrente de ICMS 263,50
D – Conta-corrente de PIS 25,58
D – Conta-corrente da Cofins 117,80
C – Fornecedores 1.550,00
Figura 12.4 Registros contábeis no Diário – item 1.
A seguir, deve-se calcular o frete sobre compra de mercadorias para revenda,
de acordo com o apresentado na Figura 12.5.
Valor total frete $ 95,00
Valor do ICMS (12%) $ 11,40
Valor do PIS (1,65%) $ 1,57
Valor da Cofins (7,6%) $ 7,22
Valor líquido $ 74,81
Figura 12.5 Cálculo do frete sobre compra de mercadorias para revenda.
6 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Já o registro contábil do frete sobre compra de mercadorias é o apresentado
na Figura 12.6.
D – Estoques 74,81
D – Conta-corrente de ICMS 11,40
D – Conta-corrente de PIS 1,57
D – Conta-corrente da Cofins 7,22
C – Fretes a pagar 95,00
Figura 12.6 Registros contábeis no Diário – item 2.
Na continuação, deve-se calcular a venda de mercadorias a vista, conforme o
apresentado na Figura 12.7.
Quantidade 34 un.
Custo unitário bruto $ 132,00
Valor total $ 4.488,00
Valor do ICMS (17%) $ 762,96
Valor do PIS (1,65%) $ 74,05
Valor da Cofins (7,6%) $ 341,09
Figura 12.7 Cálculos da venda de mercadorias a vista.
Já o registro contábil da venda de mercadorias a vista é o apresentado na
Figura 12.8.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 7
3
a
Prova
D – Caixa 4.488,00
C – Receita de vendas 4.488,00
D – ICMS sobre vendas 762,96
C – Conta-corrente de ICMS 762,96
D – PIS sobre vendas 74,05
C – Conta-corrente de PIS 74,05
D – Cofins sobre vendas 341,09
C – Conta-corrente da Cofins 341,09
Figura 12.8 Registros contábeis no Diário – item 3.
Na sequência, deve-se calcular a compra de mercadorias para revenda, a vista,
em cheque, de acordo com o apresentado na Figura 12.9.
Quantidade 32 un.
Custo unitário bruto $ 60,00
Valor total nota fiscal $ 1.920,00
Valor do ICMS (17%) $ 326,40
Valor do PIS (1,65%) $ 31,68
Valor da Cofins (7,6%) $ 145,92
Valor líquido $ 1.416,00
Figura 12.9 Cálculos da compra de mercadorias para revenda.
Já o registro contábil da compra de mercadorias para revenda a vista é o
apresentado na Figura 12.10.
D – Estoques 1.416,00
D – Conta-corrente de ICMS 326,40
D – Conta-corrente de PIS 31,68
D – Conta-corrente da Cofins 145,92
C – Bancos 1.920,00
Figura 12.10 Registros da compra de mercadorias para revenda – item 4.
8 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
A partir de então, calcula-se o valor da despesa com seguros a ser apropriada
mensalmente; para isso, elabora-se uma tabela onde os valores são apurados de
acordo com um rateio pro rata dia, considerando-se o número de dias vigentes da
cobertura da apólice em cada mês. Nessa hipótese, a apólice de seguro tem vigência
de 12 meses, durante o período de 01-12-X1 e 30-11-X1. A tabela de apropriação
será então a apresentada na Figura 12.11.
Planilha de controle de seguro a apropriar

Mês/ano
Quantidade de
dias
Valor
$
Saldo a
apropriar
450,00
Dez./X1 31 38,22 411,78
Jan./X2 31 38,22 373,56
Fev./X2 28 34,52 339,04
Mar./X2 31 38,22 300,82
Abr./X2 30 36,99 263,83
Maio/X2 31 38,22 225,61
Jun./X2 30 36,99 188,62
Jul./X2 31 38,22 150,40
Ago./X2 31 38,22 112,18
Set./X2 30 36,99 75,19
Out./X2 31 38,22 36,97
Nov./X2 30 36,97 0,00
365
Figura 12.11 Planilha de apropriação da despesa com seguro.
Já o registro contábil relativo a contratação da apólice, com a respectiva
apropriação de despesas com seguros do mês de dezembro, será o apresentado
na Figura 12.12.
D – Seguros pagos antecipadamente 411,78
D – Despesa com seguros 38,22
C – Caixa 450,00
Figura 12.12 Registros da contratação da apólice – item 5.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 9
3
a
Prova
O próximo passo é o cálculo da devolução de compra de mercadorias para
revenda. Nessa operação, o fornecedor abateu o valor do montante das duplicatas
devidas pela empresa e o ICMS destacado por ocasião da emissão da nota fiscal
de devolução foi de 17%, então os cálculos são os apresentados na Figura 12.13.
Quantidade 2 un.
Custo unitário bruto $ 60,00
Valor total da nota fiscal $ 120,00
Valor do ICMS (17%) $ 20,40
Valor do PIS (1,65%) $ 1,98
Valor da Cofins (7,6%) $ 9,12
Valor líquido $ 88,50
Figura 12.13 Cálculo da devolução de compras.
Já o registro contábil da devolução de compra é o apresentado na Figura 12.14.
D – Fornecedores 120,00
C – Estoques 88,50
C – Conta-corrente de ICMS 20,40
C – Conta-corrente de PIS 1,98
C – Conta-corrente da Cofins 9,12
Figura 12.14 Registros da devolução de compras – item 6.
A seguir, deve-se calcular a venda de mercadorias a vista, a prazo e no cartão
de crédito, de acordo com o apresentado na Figura 12.15.
10 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Quantidade 37 un.
Custo unitário bruto $ 135,00
Valor total $ 4.995,00
Valor do ICMS (17%) $ 849,15
Valor do PIS (1,65%) $ 82,42
Valor da Cofins (7,60%) $ 379,62
A vista $ 2.160,00
A prazo $ 1.755,00
Cartão de crédito $ 1.080,00
Taxa de administração 4,5% $ 48,60
Líquido cartão de crédito $ 1.031,40
Figura 12.15 Cálculo da venda de mercadorias a vista, a prazo e no cartão de
crédito.
Já o registro contábil das vendas a vista, a prazo e no cartão de crédito é o
apresentado na Figura 12.16.
D – Caixa 2.160,00
D – Clientes 1.755,00
D – Cartão crédito a receber 1.031,40
D – Encargos do cartão crédito 48,60
C – Receita de vendas 4.995,00
D – ICMS sobre vendas 849,15
C – Conta-corrente de ICMS 849,15
D – PIS sobre vendas 82,42
C – Conta-corrente de PIS 82,42
D – Cofins sobre vendas 379,62
C – conta-corrente da Cofins 379,62
Figura 12.16 Registros da venda de mercadorias a vista, a prazo e no cartão de
crédito – item 7.
Na continuação, deve-se calcular a operação de desconto bancário de títulos a
receber de clientes, sendo que os cálculos dos encargos financeiros foram realiza-
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 11
3
a
Prova
dos considerando-se o mês comercial, ou seja, o de 30 dias, conforme se verifica
na Figura 12.17.
Valor total dos títulos descontados $ 5.400,00
Valor de despesas bancárias $ 53,00
Taxa mensal de encargos financeiros 5,80%
Taxa de encargos financeiros p/ operação 11,60% (5,8% ÷ 30 × 60)
Valor dos encargos financeiros $ 626,40 (5.400 × 11,60%)
Valor líquido creditado em c/c bancária $ 4.720,60
Figura 12.17 Cálculo da operação de desconto bancário.
Já o registro contábil da operação de desconto bancário é o apresentado na
Figura 12.18.
D – Encargos com desconto de títulos 53,00
D – Encargos financeiros a apropriar 626,40
D – Bancos 4.720,60
C – Títulos descontados 5.400,00
Figura 12.18 Registros da operação de desconto bancário – item 8.
A seguir, devem-se registrar os títulos de clientes considerados incobráveis,
sabendo-se que a empresa utiliza-se do critério fiscal para contabilização dessas
operações, de acordo com o apresentado na Figura 12.19.
D – Despesa com títulos incobráveis 5.650,00
C – CLD 5.650,00
Figura 12.19 Registros de créditos incobráveis – item 9.
Dando continuidade à resolução do exercício, deve-se registrar o pagamento
de duplicata de fornecedor no valor de $ 1.300,00 com desconto condicional no
valor de $ 13,00, em dinheiro, de acordo com o apresentado na Figura 12.20.
12 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
D – Fornecedores 1.300,00
C – Caixa 1.287,00
C – Descontos recebidos 13,00
Figura 12.20 Registros do pagamento de fornecedores com desconto recebido – item
10.
A seguir, deve-se registrar a baixa de título descontado pelo pagamento reali-
zado por parte do cliente no banco, com base em aviso expedido pelo mesmo
informando a quitação, de acordo com o apresentado na Figura 12.21.
D – Títulos descontados 890,00
C – Clientes 890,00
Figura 12.21 Registro da liquidação de um título – item 11.
Em seguida, deve-se registrar o valor recebido pela empresa relativo à presta-
ção do cliente, cujo valor foi descontado pelo banco. Na mesma data, a empresa
autorizou ao banco ressarcir-se dele, conforme acordo entre as partes. Nesse caso,
o registro contábil será o apresentado na Figura 12.22.
D – Caixa 1.300,00
C – Clientes 1.300,00
D – Títulos descontados 1.300,00
C – Bancos 1.300,00
Figura 12.22 Registro do pagamento de um cliente na empresa de título desconta-
do – item 12.
Na sequência, deve-se calcular a compra de mercadorias para revenda por meio
da linha de financiamento vendor, de acordo com o apresentado na Figura 12.23.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 13
3
a
Prova
Quantidade 26 un.
Custo unitário bruto $ 62,00
Valor total da nota fiscal $ 1.612,00
Valor do ICMS (17%) $ 274,04
Valor do PIS (1,65%) $ 26,60
Valor da Cofins (7,6%) $ 122,51
Valor líquido $ 1.188,85
Figura 12.23 Cálculo da compra de mercadorias por meio de vendor.
Já o registro contábil da compra de mercadorias por meio de vendor é o apre-
sentado na Figura 12.24.
D – Estoques 1.188,85
D – Conta-corrente de ICMS 274,04
D – Conta-corrente de PIS 26,60
D – Conta-corrente da Cofins 122,51
C – Financiamentos a pagar 1.612,00
Figura 12.24 Registro da compra de mercadorias por meio de vendor – item 13.
O passo seguinte é o cálculo da venda de mercadorias por meio de cheques
pré-datados, conforme o apresentado na Figura 12.25.
Quantidade 37 un.
Preço de venda unitário $ 140,00
Valor total $ 1.400,00
Valor do ICMS (17%) $ 238,00
Valor do PIS (1,65%) $ 23,10
Valor da Cofins (7,6%) $ 106,40
Figura 12.25 Cálculo da venda através de cheque pré-datado.
14 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Já o registro contábil da venda por meio de cheque pré-datado é o apresentado
na Figura 12.26.
D – Cheques a receber 1.400,00
C – Receita de vendas 1.400,00
D – ICMS sobre vendas 238,00
C – Conta-corrente de ICMS 238,00
D – PIS sobre vendas 23,10
C – Conta-corrente de PIS 23,10
D – Cofins sobre vendas 106,40
C – Conta-corrente da Cofins 106,40
Figura 12.26 Registro da venda por meio de cheque pré-datado – item 14.
O próximo item é o cálculo da compra de mercadorias para revenda, cujo
pagamento foi efetuado com cheques pré-datados, conforme apresentado na
Figura 12.27.
Quantidade 23 un.
Custo unitário bruto $ 65,00
Valor total da nota fiscal $ 1.495,00
Valor do ICMS (17%) $ 254,15
Valor do PIS (1,65%) $ 24,67
Valor da Cofins (7,6%) $ 113,62
Valor líquido $ 1.102,56
Figura 12.27 Cálculo da compra de mercadorias por meio de cheque pré-datado.
Já o registro contábil da compra de mercadorias por meio de cheque pré-datado
é o apresentado na Figura 12.28.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 15
3
a
Prova
D – Estoques 1.102,56
D – Conta-corrente de ICMS 254,15
D – Conta-corrente de PIS 24,67
D – Conta-corrente da Cofins 113,62
C – Bancos 1.495,00
Figura 12.28 Registro da compra de mercadorias por meio de cheque pré-datado
– item 15.
A próxima operação é o pagamento de adiantamento a fornecedor referente
à compra de mercadorias para revenda, que deve ser registrado contabilmente de
acordo com o apresentado na Figura 12.29.
D – Adiantamento a fornecedores 680,00
C – Bancos 680,00
Figura 12.29 Registros do adiantamento a fornecedores – item 16.
Posteriormente quando da compra das mercadorias, na qual foi efetuado um
adiantamento, os cálculos serão os apresentados na Figura 12.30.
Quantidade 26 un.
Custo unitário bruto $ 65,00
Valor total da nota fiscal $ 1.690,00
Valor do ICMS (17%) $ 287,30
Valor do PIS (1,65%) $ 27,89
Valor da Cofins (7,6%) $ 128,44
Valor líquido $ 1.246,37
Valor total da nota fiscal $ 1.690,00
(–) Adiantamento $ (680,00)
(=) Saldo a prazo $ 1.010,00
Figura 12.30 Cálculos da compra de mercadorias com adiantamento.
16 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Já o registro contábil da compra de mercadorias para revenda com adianta-
mento a fornecedores será apresentado na Figura 12.31.
D – Estoques 1.246,37
D – Conta-corrente de ICMS 287,30
D – Conta-corrente de PIS 27,69
D – Conta-corrente da Cofins 128,44
C – Adiantamento a fornecedores 680,00
C – Fornecedores 1.010,00
Figura 12.31 Registro da compra de mercadorias com adiantamento – item 17.
A seguir, deve-se elaborar o relatório de viagem de acordo com o apresentado
na Figura 12.32.
Valor do relatório de despesa $ 720,00
Valor do adiantamento $ (850,00)
Saldo a devolver $ 130,00
Figura 12.32 Elaboração do relatório de despesas de viagens.
Já o registro contábil do relatório de despesa de viagens será o apresentado
na Figura 12.33.
D – Despesas com viagens 720,00
D – Caixa 130,00
C – Adiantamento de viagens 850,00
Figura 12.33 Registro da despesa com viagem – item 18.
A seguir, deve-se calcular o valor da apropriação de variação monetária da
conta de financiamentos a pagar, conforme o apresentado na Figura 12.34.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 17
3
a
Prova
Variação monetária – Financiamentos a pagar
Saldo contábil antes da correção $ 14.580,00
(×) % de correção 1,65%
(=) Valor da correção no período $ 240,57
Saldo contábil atualizado $ 14.820,57
Figura 12.34 Cálculo da variação monetária dos financiamentos a pagar.
Já o registro contábil da variação monetária de financiamentos a pagar é o
apresentado na Figura 12.35.
D – Variação monetária passiva 240,57
C – Financiamentos a pagar 240,57
Figura 12.35 Registro da variação monetária dos financiamentos a pagar – item 19.
A seguir, deve-se efetuar o cálculo da variação cambial dos financiamentos a
pagar no exterior, de acordo com o apresentado na Figura 12.36.
Variação cambial – Financiamentos a pagar no exterior
Saldo contábil antes da correção $ 13.150,00
(÷) cotação US$ de 30-11-X1 1,885
(=) Quant. de US$ 6.976,127
(×) Cotação US$ de 31-12-X1 1,995
(=) Saldo atualizado $ 13.917,37
Variação cambial $ 767,37
Figura 12.36 Cálculo da variação cambial de financiamentos a pagar no exterior.
Já o registro contábil da variação cambial dos financiamentos a pagar no
exterior é o apresentado na Figura 12.37.
18 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
D – Variação cambial passiva 767,37
C – Financiamentos a pagar-exterior 767,37
Figura 12.37 Registro da variação cambial de financiamentos a pagar no exterior
– item 20.
Na continuação, deve-se calcular o valor da apropriação dos encargos finan-
ceiros da operação de desconto bancário realizado em 07/12, de acordo com o
apresentado na Figura 12.38.
Apropriação dos encargos financeiros
Taxa mensal 5,80%
Prazo médio 60 dias
Valor total desconto 5.400,00
Valor encargos 11,60% 626,40
Apropriação do mês – dez.
Quantidade de dias 23 4,45% 240,12
Figura 12.38 Cálculo da apropriação dos encargos financeiros da operação de
desconto.
Já o registro contábil da apropriação de encargos financeiros do desconto de
título é o apresentado na Figura 12.39.
D – Encargos com desconto de títulos 240,12
C – Encargos financeiros a apropriar 240,12
Figura 12.39 Registro da apropriação dos encargos financeiros da operação de
desconto – item 21.
O passo seguinte será o encerramento da conta-corrente da Cofins, como
demonstrado na Figura 12.40.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 19
3
a
Prova
Total de Débitos da Cofins (saídas) $ 827,11
Total de Créditos da Cofins (entradas) $ 626,39
Saldo da Cofins a recolher $ 200,72
Figura 12.40 Cálculo da Cofins.
O mesmo procedimento deve ser adotado com relação ao PIS, como demons-
trado na Figura 12.41.
Total de Débitos de PIS (saídas) $ 179,57
Total de Créditos de PIS (entradas) $ 136,01
Saldo de PIS a recolher $ 43,56
Figura 12.41 Cálculo do PIS.
Já o registro contábil do encerramento da conta-corrente de PIS é o apresen-
tado na Figura 12.42.
D – Conta-corrente de PIS 43,56
C – PIS a pagar 43,56
Figura 12.42 Registros do PIS e da Cofins – item 22.
Por sua vez, o registro contábil do encerramento da conta-corrente da Cofins
é o apresentado na Figura 12.43.
D – Conta-corrente da Cofins 200,72
C – Cofins a pagar 200,72
Figura 12.43 Resumo da apuração da conta-corrente de ICMS.
Já o registro contábil do encerramento da conta-corrente de ICMS é o apre-
sentado na Figura 12.44.
20 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
D – Conta-corrente de ICMS 453,72
C – ICMS a pagar 453,72
Figura 12.44 Registros do encerramento da conta-corrente de ICMS – item 23.
A apropriação do custo das mercadorias vendidas é realizada com base na
ficha de controle de estoques apresentada na Figura 12.45.
30-11 Saldo inicial 206 40,53 8.350,00
02-12 Compra 25 45,72 1.143,12 231 41,10 9.493,12
02-12 Frete s/ compra 74,81 231 41,42 9.567,93
03-12 Venda 34 41,42 1.408,28 197 41,42 8.159,65
05-12 Compra 32 44,25 1.416,00 229 41,82 9.575,65
06-12 Devolução (2) 44,25 (88,50) 227 41,79 9.487,15
Compra
07-12 Venda 37 41,79 1.546,23 190 41,79 7.940,92
17-12 Compra 26 45,73 1.188,85 216 42,27 9.129,77
18-12 Venda 10 42,27 422,70 206 42,27 8.707,07
20-12 Compra 23 47,94 1.102,56 229 42,84 9.809,63
24-12 Compra 26 47,94 1.246,37 255 43,36 11.056,00
130 6.083,21 81 3.377,00
Data Operação
Entradas Saídas Saldo
Qtd. Valor unit. Valor total Qtd. Valor unit. Valor total Qtd. Valor unit. Valor total
Figura 12.45 Ficha de controle de estoques.
Já o registro contábil da apropriação do custo das mercadorias vendidas é o
apresentado na Figura 12.46.
D – Custo das mercadorias vendidas 3.377,21
C – Estoques 3.377,21
Figura 12.46 Registro do custo das mercadorias vendidas – item 24.
O passo seguinte é o do encerramento das contas de resultado, de acordo com
o apresentado na Figura 12.47.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 21
3
a
Prova
C – Resultado do exercício 250,00
D – Dividendos recebidos 250,00
C – Resultado do exercício 70.063,00
D – Receita de vendas 70.063,00
C – Resultado do exercício 670,00
D – Rendimento de aplicações financeiras 670,00
C – Resultado do exercício 13,00
D – Descontos recebidos 13,00
D – Resultado do exercício 75,00
C – Despesa com telefones (vendas) 75,00
D – Resultado do exercício 250,00
C – Despesa com energia (vendas) 250,00
D – Resultado do exercício 48,60
C – Encargos cartão crédito 48,60
D – Resultado do exercício 563,07
C – PIS sobre vendas 563,07
D – Resultado do exercício 220,00
C – Despesa com aluguéis (vendas) 220,00
D – Resultado do exercício 1.852,09
C – Variação monetária passiva 1.852,09
D – Resultado do exercício 335,00
C – Despesa com salários (administração) 335,00
D – Resultado do exercício 180,00
C – Devoluções de vendas 180,00
D – Resultado do exercício 80,00
C – Despesa com juros 80,00
D – Resultado do exercício 11.910,71
C – ICMS sobre vendas 11.910,71
D – Resultado do exercício 2.007,11
C – COFINS sobre vendas 2.007,11
D – Resultado do exercício 280,00
C – Despesa com salários (vendas) 280,00
D – Resultado do exercício 767,37
22 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Figura 12.47 Registros do encerramento das contas de resultado – item 25.
A seguir deve-se calcular a Contribuição Social sobre o Lucro, utilizando a base
de cálculo informada no enunciado do exercício, de acordo com o apresentado
na Figura 12.48.
Base de cálculo da Contribuição Social $ 5.049,50
(×) alíquota de 9%
(=) Valor da Contribuição Social $ 454,46
Figura 12.48 Cálculo da contribuição social sobre o lucro.
Já o registro contábil da Contribuição Social é o apresentado na Figura 12.49.
D – Resultado do exercício 454,46
C – Contribuição Social a recolher 454,46
Figura 12.49 Registro da contribuição social sobre o lucro – item 25.
C – Variação cambial passiva 767,37
D – Resultado do exercício 720,00
C – Despesa com viagens (vendas) 720,00
D – Resultado do exercício 38,22
C – Despesa com seguros (vendas) 38,22
D – Resultado do exercício 35.926,21
C – Custo das mercadorias vendidas 35.926,21
D – Resultado do exercício 4.500,00
C – Despesa com pró-labore 4.500,00
D – Resultado do exercício 293,12
C – Encargos com desconto de títulos 293,12
D – Resultado do exercício 5.650,00
C – Despesa com títulos incobráveis 5.650,00
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 23
3
a
Prova
Na continuação deve-se calcular a provisão para Imposto de Renda, utilizando
a base de cálculo informada no enunciado do exercício, de acordo com o apresen-
tado na Figura 12.50.
Lucro Real $ 5.049,50
(×) alíquota de 15%
(=) Provisão para Imposto de Renda $ 757,43
Figura 12.50 Cálculo da provisão para Imposto de Renda.
Já o registro contábil da provisão para Imposto de Renda é o apresentado na
Figura 12.51.
D – Resultado do exercício 757,43
C – Provisão para Imposto de Renda 757,43
Figura 12.51 Registro da provisão para Imposto de Renda – item 25.
Uma vez calculada a provisão para Imposto de Renda, deve-se apurar o resul-
tado antes das participações, que é a base de cálculo das participações, de acordo
com o apresentado na Figura 12.52.
24 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Figura 12.52 Apuração do resultado antes das participações.
De posse do resultado antes das participações, devem-se calcular as participações
de empregados e administradores, de acordo com o apresentado na Figura 12.53.
RESULTADO DO EXERCÍCIO
RE 1.852,09 70.063,00 RE
RE 563,07 670,00 RE
RE 11.910,71 250,00 RE
RE 180,00 13,00 RE
RE 280,00
RE 80,00
RE 220,00
RE 2.007,11
RE 75,00
RE 335,00
RE 250,00
RE 35.926,21
RE 4.500,00
RE 293,12
RE 5.650,00
RE 48,60
RE 767,37
RE 720,00
RE 38,22

5.299,50
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 25
3
a
Prova
Resultado antes das participações $ 4.087,61
(–) Saldo contábil – Prejuízos Acumulados –
(=) Base de cálculo inicial $ 4.087,61
Participação de empregados (10%) $ 408,76
Saldo remanescente $ 3.678,85
Participação de administradores (10%) $ 367,89
Figura 12.53 Cálculo das participações de empregados e administradores.
Já o registro contábil das participações de empregados e administradores é o
apresentado na Figura 12.54.
D – Resultado do exercício 408,76
C – Participações a pagar 408,76
D – Resultado do exercício 367,89
C – Participações a pagar 367,89
Figura 12.56 Registro das participações de empregados e administradores – item 26.
Após o cálculo e registro das participações, o saldo remanescente, quando
positivo, é denominado de lucro líquido do exercício, conforme o apresentado na
Figura 12.55.
26 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
RESULTADO DO EXERCÍCIO
RE 1.852,09 70.063,00 RE
RE 563,07 670,00 RE
RE 11.910,71 250,00 RE
RE 180,00 13,00 RE
RE 280,00
RE 80,00
RE 220,00
RE 2.007,11
RE 75,00
RE 335,00
RE 250,00
RE 35.926,21
RE 4.500,00
RE 293,12
RE 5.650,00
RE 48,60
RE 767,37
RE 720,00
RE 38,22
RE 0,39
5.299,50
RE 454,46
RE 757,43
4.087,61
RE 408,76
RE 367,89
3.310,96
Figura 12.55 Apuração do lucro líquido do exercício.
O último registro contábil, nessa hipótese, é a transferência do saldo da conta
de resultado do exercício para a conta de lucros acumulados, conforme o apre-
sentado na Figura 12.56.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 27
3
a
Prova
D – Resultado do exercício 3.310,96
C – Lucros Acumulados 3.310,96
Figura 12.56 Registro do encerramento da conta de resultado do exercício.
Uma vez registradas todas as operações e encerradas as contas de resultado,
com base no Razão Contábil da conta Resultado do Exercício, elabora-se a de-
monstração do resultado do exercício, de acordo com a Figura 12.57.
Demonstração do Resultado do Exercício
(Exercício findo em 31-12-X1)
Receita bruta 70.063,00
Deduções de vendas (14.160,27)
ICMS sobre vendas (11.910,71)
PIS sobre vendas (563,07)
Cofins sobre vendas (2.007,11)
Devoluções de vendas (180,00)
Receita líquida 55.402,11
Custo das mercadorias vendidas (35.926,21)
Lucro bruto 19.475,90
Despesas com vendas (7.233,22)
Despesas administrativas (4.835,00)
Despesas financeiras (3.041,18)
Receitas financeiras 682,61
Outras receitas/despesas operacionais 250,00
Resultado operacional 5.299,50
Resultado antes da CS e IR 5.299,50
Contribuição social (454,46)
Provisão para Imposto de Renda (757,43)
Resultado antes das participações 4.087,61
Empregados (408,76)
Administradores (367,89)
Lucro líquido do exercício 3.310,96
Figura 12.57 Demonstração do resultado do exercício na hipótese I.
28 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Balanço Patrimonial
Ativo 31/12/X1 Passivo 31/12/X1
Circulante 88.823,44 Circulante 52.061,48
Fornecedores 13.170,00
Disponibilidades 55.682,98 Salários a pagar 4.050,00
Caixa 15.753,38 Financiamentos a pagar 16.432,57
Bancos 25.379,60 Contas a pagar 1.250,00
Aplicações de liquidez imediata 14.550,00 PIS a recolher 43,56
Cofins a recolher 200,72
Direitos realizáveis 32.342,40 Fretes a pagar 95,00
Clientes 27.065,00 Prov. p/ IR a recolher 757,43
PCLD (5.650,00) Financiamentos a pagar –
exterior 13.917,37
Títulos descontados (3.210,00) Participações a pagar 776,65
Adiantamento de viagem 650,00 Contribuição social a pagar 454,46
Cartões de crédito a receber 1.031,40 ICMS a pagar 913,72
Cheques a receber 1.400,00
Estoques 11.056,00
Despesas do exercício seguinte 798,06
Seguros pagos antecipadamente 411,78
Encargos financeiros a apropriar 386,28
Patrimônio líquido 69.701,96
Capital social 61.000,00
Não circulante 32.940,00 Reserva de capital 4.350,00
Investimentos 8.260,00
Participações em controladas 8.260,00
Imobilizado 24.680,00 Resultados acumulados 4.351,96
Imóvel de uso 18.550,00
Móveis e utensílios 3.450,00
Depreciação acúm. móveis e
utensílios (480,00)
Equipamentos de informática 3.160,00
Total do ativo 121.763,44 Total do passivo 121.763,44
Já o balanço patrimonial nessa hipótese é o apresentado na Figura 12.58.
Figura 12.58 Balanço patrimonial na hipótese I.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 29
3
a
Prova
Hipótese II: Exercício com registros contábeis de operações com mercado-
rias, despesas com seguros, operação de desconto bancário, variação monetária,
variação cambial, perdas com títulos incobráveis, folha de pagamento, provisões
para férias e décimo terceiro salário, encerramento do exercício, elaboração da
demonstração do resultado do exercício e balanço patrimonial.
Nessa hipótese, a empresa comercializa apenas uma espécie de mercadoria,
sendo que, para fins de controle de estoques, utiliza o sistema permanente e ainda
adota o critério de apuração do custo das mercadorias, pelo custo médio ponde-
rado. Além disso, não está sujeita ao PIS e Cofins não cumulativos.
A situação patrimonial da entidade em 30-11-X1 é a apresentada na Figura
12.59. O balancete apresenta os saldos considerando, inclusive, a movimentação
em contas de resultado já ocorridas no período compreendido entre janeiro/X1
e novembro/X1.
Variação monetária passiva 1.150,00 Salários a pagar 360,00
Depreciação acumulada de Rendimento de aplicações
móveis e utensílios 380,00 financeiras 2.180,00
Participações em controladas 8.250,00 Imóvel de uso 20.250,00
PIS s/vendas 397,05 Financiamentos a pagar 8.369,78
Móveis e utensílios 3.450,00 Estoques 12.950,00
Prejuízos acumulados 2.190,00 Dividendos recebidos 560,00
ICMS s/vendas 11.373,30 Despesa com telefones (vendas) 250,00
ICMS a pagar 1.690,00 Despesa com salário (adm.) 1.250,00
Fornecedores 15.915,00 Despesa com energia (vendas) 1.220,00
Devoluções de vendas 2.100,00 Reserva de capital 4.190,00
Despesa com salário (vendas) 2.680,00 Contas a pagar 1.980,00
Despesa com juros 90,00 Clientes 15.180,00
Despesa com aluguéis (vendas) 470,00 Aplicações de liquidez imediata 5.570,00
Receita de vendas 63.185,00 Equipamentos de informática 2.350,00
Cofins s/vendas 1.832,55 CMV 28.433,25
Capital subscrito 50.000,00 Bancos 14.205,75
Caixa 12.548,22 Despesa com pró-labore (adm.) 5.150,00
Prov. férias a pagar 3.281,84 Prov. 13
o
salário a pagar 1.929,50
Despesa com depreciação FGTS a recolher 156,00
(vendas) 390,00
INSS a recolher 390,00 Adiantamento de 13
o
salário 837,00
Figura 12.59 Situação patrimonial inicial na hipótese II.
30 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
1. 01-12 – Pagos em cheque 30 dias de férias ao empregado “B”, sendo o período de gozo
das férias entre 10-12-X1 e 08-1-X2. Efetuar o cálculo com base nos dados da folha de
pagamento.
2. 01-12 – Pago em cheque INSS apurado no mês anterior (conforme saldo no balancete).
3. 01-12 – Compra a prazo de mercadorias para revenda: 15 unidades a $ 95,00 cada e ICMS
de 17%.
4. 01-12 – Efetuada operação de desconto de títulos conforme resumo do borderô:
Valor total dos títulos $ 5.500,00
Tarifas bancárias $ 55,00
Encargos financeiros 7,65% a.m.
Prazo médio dos títulos 65 dias
5. 01-12 – Compra e distribuição de vale-transporte e vale-refeição para utilização dos
empregados em dezembro/X1 (área de vendas):
Vale-transporte Vale-refeição
Empregado “A” $ 70,00 $ 110,00
Empregado “B” $ 25,00 $ 45,00
6. 05-12 – Pago em dinheiro saldo de salários do mês anterior.
7. 06-12 – Baixar título de cliente considerado incobrável, no valor de $ 6.500,00, vencido
há 18 meses, sendo que a empresa já iniciou processo para cobrança judicial (venda sem
garantias reais).
8. 07-12 – Venda de 35 unidades de mercadorias (ICMS de 17%), nas seguintes condições:
A vista $ 2.400,00
A prazo $ 2.000,00
Cartão de crédito $ 2.600,00 Taxa administração 5,00%
9. 07-12 – Paga em cheque guia de FGTS, relativa ao mês anterior.
10. 08-12 – Paga em cheque duplicata de fornecedor no valor de $ 2.100,00, acrescida de
juros por pagamento em atraso no valor de $ 105,00.
11. 10-12 – Pago em cheque ICMS apurado no mês anterior.
12. 11-12 – Recebidas em devolução de cliente 5 unidades relativas à venda do dia 07/12,
pagando-se o valor em dinheiro (ICMS de 17%).
13. 20-12 – Recebido aviso bancário informando o recebimento de título de cliente que foi
descontado pela empresa do mesmo no valor de $ 550,00.
14. 20-12 – Pago em cheque saldo do 13
o
salário. Considerar que em 30/nov./X1 a empresa
efetuou o pagamento de 50% do valor.
Durante o mês de dezembro/X1 se processaram as operações apresentadas
nas Figuras 12.60 e 12.61.
continua
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 31
3
a
Prova
19. 31-12 – Calcular e contabilizar a folha de pagamento a ser paga no mês seguinte (área
de vendas):
Empregado Salário mensal Dependentes
Empregado A $ 750,00 1
Empregado B $ 800,00 1
20. 31-12 – Calcular e ajustar o saldo das contas de provisão de férias e décimo terceiro
salário, com base nas seguintes informações:
Empregado Salário mensal Período aquisitivo Período aquisitivo
férias* décimo terceiro*
Empregado A $ 750,00 14 meses 12 meses
Empregado B $ 800,00 16 meses 12 meses
* períodos informados não considerando os pagamentos no mês de dez./X1.
21. 31-12 – Calcular e contabilizar o PIS (0,65%) e Cofins (3,00%).
22. 31-12 – Encerrar o saldo da conta-corrente do ICMS.
23. 31-12 – Apropriar os encargos financeiros referentes a dezembro da operação de desconto
de duplicata.
24. 31-12 – Apropriar o custo das mercadorias vendidas com base na ficha de controle de
estoques.
25. 31-12 – Contabilizar o encerramento das contas de resultado. Empresa tributada pelo
lucro presumido.
Contribuição Social sobre o Lucro 9% Base de cálculo $ 8.422,20
Provisão para Imposto de Renda 15% Base de cálculo $ 5.366,80
26. Elaborar a Demonstração do Resultado do Exercício e Balanço Patrimonial conforme a
Lei n
o
6.404/76.
15. 23-12 – Compra a prazo de 25 unidades de mercadorias para revenda a $ 105,00 cada e
ICMS incidente de 17,00%.
16. 23-12 – Frete relativo à compra acima, a prazo, no valor de $ 250,00 (ICMS de 12%).
17. 24/12 – Recebido desconto incondicional, referente a avaria, de fornecedor relativo a
compra do dia 23/12, no valor de $ 500,00. O valor foi abatido de saldo devido pela
empresa ao fornecedor.
18. 31-12 – Calcular e contabilizar a depreciação dos itens de imobilizado utilizando as taxas
usuais aceitas pelo Fisco pelo método linear (vendas).
Figura 12.60 Operações realizadas durante o exercício social na hipótese II.
Figura 12.61 Operações realizadas durante o exercício social na hipótese II.
32 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
A partir de então, iniciam-se os cálculos e registros contábeis apresentados nas
Figuras 12.60 e 12.61. O cálculo do adiantamento de férias é efetuado por meio
de uma série de passos. Inicialmente deve-se calcular o valor das férias e adicional
referentes a dezembro e janeiro, de acordo com o apresentado na Figura 12.62.
Remuneração relativa ao período de férias – em dez./X1

800,00
31
× 22 = 567,74
Adicional de 1/3 = 189,25 756,99
Remuneração relativa ao período de férias – em jan./X2

800,00
31
× 8 = 206,45
Adicional de 1/3 = 68,82 275,27
Valor total das férias com adicional de 1/3 1.032,26
Figura 12.62 Cálculo das férias e adicional.
A seguir deve-se calcular o INSS, FGTS e IRRF incidente sobre as férias, con-
forme o apresentado na Figura 12.63.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 33
3
a
Prova
Cálculo do INSS
Remuneração base dez./X1 = 756,99
Valor do INSS (8%) = 60,56
Valor do FGTS (8%) = 60,56
Remuneração base jan./X2 = 275,27
Valor do INSS (8%) = 22,02
Valor do FGTS (8%) = 22,02
Cálculo do IRRF
Total de férias + abono = 1.032,26
Desconto para INSS = 82,58
Dependentes 1 = 157,47
Base de cálculo = 792,21
(×) alíquota = isento
(–) parcela a deduzir = –
(=) IRRF = –
Figura 12.63 Cálculo do INSS, FGTS e IRRF sobre férias.
Uma vez calculados os tributos incidentes sobre as férias, apura-se a remune-
ração líquida apresentada na Figura 12.64.
Remuneração líquida de férias e abono
Remuneração de férias = 1.032,26
Desconto para INSS = 82,58
IRRF = 0,00
Valor líquido (adiantamento) = 949,68
Figura 12.64 Cálculo do valor líquido do adiantamento de férias.
Já o registro contábil do adiantamento de férias é o apresentado na Figura
12.65.
34 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
D – Adiantamento de férias 949,68
C – Bancos 949,68
Figura 12.65 Registro do adiantamento de férias – item 1.
A seguir, deve-se registrar o pagamento do INSS referente ao mês anterior,
cujo saldo no valor de $ 390,00 consta do balancete inicial. Esse registro é apre-
sentado na Figura 12.66.
D – INSS a recolher 390,00
C – Bancos 390,00
Figura 12.66 Registro do pagamento do INSS – item 2.
Logo após, deve-se efetuar o cálculo das compras a prazo de mercadorias para
revenda que é o apresentado na Figura 12.67.
Quantidade 15 un.
Custo unitário bruto $ 95,00
Valor total da nota fiscal $ 1.425,00
Valor do ICMS (17%) $ 242,25
Valor líquido do ICMS $ 1.182,75
Figura 12.67 Compra de mercadorias para revenda.
Já o registro contábil da compra de mercadorias é o apresentado na Figura
12.68.
D – Estoques 1.182,75
D – Conta-corrente de ICMS 242,25
C – Fornecedores 1.425,00
Figura 12.68 Registro da compra de mercadorias – item 3.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 35
3
a
Prova
Na continuação, deve-se calcular a operação de desconto bancário de títulos
a receber de clientes, sendo que os cálculos dos encargos financeiros foram rea-
lizados considerando-se o mês comercial, ou seja, meses de 30 dias, conforme se
verifica na Figura 12.69.
Valor total dos títulos descontados $ 5.500,00
Valor de despesas bancárias $ 55,00
Taxa mensal de encargos financeiros 7,65%
Taxa de encargos financeiros p/ operação 16,58% (7,65% ÷ 30 × 65)
Valor dos encargos financeiros $ 911,90 (5.500 × 16,58%)
Valor líquido creditado em c/c bancária $ 4.533,10
Figura 12.69 Cálculo da operação de desconto bancário.
Já o registro contábil da operação de desconto bancário é o apresentado na
Figura 12.70.
D – Encargos com desconto de títulos 55,00
D – Encargos financeiros a apropriar 911,90
D – Bancos 4.533,10
C – Títulos descontados 5.500,00
Figura 12.70 Registros da operação de desconto bancário – item 4.
Na continuação, deve-se registrar a compra de vale-transporte e vale-refeição,
de acordo com o apresentado na Figura 12.71.
D – Despesa com vale-transporte 95,00
D – Despesa com vale-refeição 155,00
C – Bancos 250,00
Figura 12.71 Registro da compra de vale-transporte e vale-refeição – item 5.
Na sequência, deve-se registrar o pagamento de salários do mês anterior, cujo
valor encontra-se no saldo inicial, conforme o apresentado na Figura 12.72.
36 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
D – Salários a pagar 360,00
C – Caixa 360,00
Figura 12.72 Registro do pagamento de salários do mês anterior – item 6.
A seguir, devem-se registrar os títulos de clientes considerados incobráveis,
de acordo com o apresentado na Figura 12.73.
D – Despesa com títulos incobráveis 6.500,00
C – CLD 6.500,00
Figura 12.73 Registros de créditos incobráveis – item 7.
A seguir, deve-se calcular a venda de mercadorias a vista, a prazo e no cartão
de crédito, de acordo com o apresentado na Figura 12.74.
Quantidade 35 un.
Custo unitário bruto $ 200,00
Valor total $ 7.000,00
Valor do ICMS (17%) $ 1.190,00
A vista $ 2.400,00
A prazo $ 2.000,00
Cartão de crédito $ 2.600,00
Taxa adm. 5,00% $ 130,00
Líquido cartão de crédito $ 2.470,00
Figura 12.74 Cálculo da venda de mercadorias a vista, a prazo e no cartão de crédito.
Já o registro contábil das vendas a vista, a prazo e no cartão de crédito é o
apresentado na Figura 12.75.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 37
3
a
Prova
D – Caixa 2.400,00
D – Clientes 2.000,00
D – Cartão crédito a receber 2.470,00
D – Encargos com cartão crédito 130,00
C – Receita de vendas 7.000,00
D – ICMS sobre vendas 1.190,00
C – Conta-corrente de ICMS 1.190,00
Figura 12.75 Registros da venda de mercadorias a vista, a prazo e no cartão de
crédito – item 8.
A seguir, deve-se registrar o pagamento do FGTS do mês anterior, cujo saldo
encontra-se na situação inicial, de acordo com o apresentado na Figura 12.76.
D – FGTS a recolher 156,00
C – Bancos 156,00
Figura 12.76 Registro do pagamento do FGTS do mês anterior – item 9.
O próximo passo é o registro do pagamento de fornecedores em atraso, de
acordo com o apresentado na Figura 12.77.
D – Fornecedores 2.100,00
D – Despesa com juros 105,00
C – Bancos 2.205,00
Figura 12.77 Registro do pagamento de fornecedor em atraso – item 10.
Logo após, deve-se registrar o pagamento do ICMS do mês anterior, cujo saldo
encontra-se na situação inicial, de acordo com o apresentado na Figura 12.78.
38 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
D – ICMS a pagar 1.690,00
C – Bancos 1.690,00
Figura 12.78 Registro do pagamento de ICMS do mês anterior – item 11.
A seguir, deve-se calcular o valor da devolução de venda, de acordo com o
apresentado na Figura 12.79.
Quantidade 5 un.
Custo unitário bruto $ 200,00
Valor total $ 1.000,00
Valor do ICMS (17%) $ 170,00
Figura 12.79 Cálculo da devolução de venda de mercadorias.
Já o registro contábil da devolução de vendas é o apresentado na Figura 12.80.
D – Devolução de vendas 1.000,00
C – Caixa 1.000,00
D – Conta-corrente de ICMS 170,00
C – ICMS sobre vendas 170,00
Figura 12.80 Registros da devolução de vendas – item 12.
A seguir, deve-se registrar a baixa de título descontado pelo pagamento realizado
por parte do cliente no banco, com base em aviso expedido por ele, informando
a quitação, de acordo com o apresentado na Figura 12.81.
D – Títulos descontados 550,00
C – Clientes 550,00
Figura 12.81 Registro da liquidação de um título – item 13.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 39
3
a
Prova
Na sequência, deve-se calcular o pagamento do saldo de décimo terceiro sa-
lário, conforme apresentado na Figura 12.82.
Empregado A Empregado B Totais
Salário-base 750,00 800,00 1.550,00
Valor do 13
o
salário 750,00 800,00 1.550,00
(–) Adiantamento 375,00 400,00 775,00
Décimo terceiro salário líquido 375,00 400,00 775,00
INSS empregado 60,00 64,00 124,00
IRRF isento isento 0,00
Líquido a pagar 315,00 336,00 651,00
INSS empresa (27,80%) 208,50 222,40 430,90
FGTS (8,00%) 30,00 32,00 62,00
Figura 12.82 Cálculo do pagamento do saldo de décimo terceiro salário.
Já o registro contábil do pagamento do saldo de décimo terceiro salário é o
apresentado na Figura 12.83.
D – Provisão para décimo terceiro salário 2.104,90
C – Bancos 651,00
C – FGTS a pagar 62,00
C – INSS a pagar 554,90
C – Adiantamento de décimo terceiro salário 837,00
Figura 12.83 Registro do pagamento de décimo terceiro salário – item 14.
Na sequência, deve-se calcular a compra de mercadorias para revenda, a prazo,
de acordo com o apresentado na Figura 12.84.
40 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Quantidade 25 un.
Custo unitário bruto $ 105,00
Valor total da nota fiscal $ 2.625,00
Valor do ICMS (17%) $ 446,25
Valor líquido $ 2.178,75
Figura 12.84 Cálculo da compra de mercadorias para revenda.
Já o registro contábil da compra de mercadorias para revenda a prazo é o
apresentado na Figura 12.85.
D – Estoques 2.178,75
D – Conta-corrente de ICMS 446,25
C – Fornecedores 2.625,00
Figura 12.85 Registros da compra de mercadorias para revenda a prazo – item 15.
A seguir, deve-se calcular o frete sobre compra de mercadorias para revenda,
de acordo com o apresentado na Figura 12.86.
Valor total frete $ 250,00
Valor do ICMS (12%) $ 30,00
Valor líquido do ICMS $ 220,00
Figura 12.86 Cálculo do frete sobre compra de mercadorias para revenda.
Já o registro contábil do frete sobre compra de mercadorias no livro Diário é
o apresentado na Figura 12.87.
D – Estoques 220,00
D – Conta-corrente de ICMS 30,00
C – Fretes a pagar 250,00
Figura 12.87 Registro do frete sobre compras – item 16.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 41
3
a
Prova
Dando continuidade à resolução do exercício, deve-se registrar o desconto
incondicional, em função de avarias, de acordo com o apresentado na Figura 12.88.
D – Fornecedores 500,00
C – Estoques – Descontos incondicionais 500,00
Figura 12.88 Registro do desconto incondicional recebido – item 17.
A seguir, devem-se calcular as depreciações de acordo com o apresentado na
Figura 12.89.
Cálculo das Depreciações (dez./X1)
Conta Base de cálculo Percentual Valor da depreciação
Móveis e utensílios 3.450,00 × 0,83% = 28,75
Imóvel de uso 20.250,00 × 0,33% = 67,50
Equipamentos de
informática 2.350,00 × 1,67% = 39,17
Figura 12.89 Cálculo da depreciação.
Já o registro contábil das depreciações é o apresentado na Figura 12.90.
D – Despesa com depreciação 135,42
C – Depreciação acumulada de imóvel de uso 67,50
C – Depreciação acumulada de móveis e utensílios 28,75
C – Depreciação acumulada de equipamentos de informática 39,17
Figura 12.90 Registro da depreciação – item 18.
O próximo passo é a apropriação da folha de pagamento; porém, para isso é
necessário efetuar-se alguns cálculos, iniciando pelo cálculo do vale-transporte e
vale-refeição, conforme o apresentado na Figura 12.91.
42 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Descontos
Vale-transporte Empregado A Empregado B
Valor gasto pela empresa 70,00 25,00
6% sobre salário-base 45,00 10,63
Participação do empregado 45,00 10,63
Vale-refeição Empregado A Empregado B
Valor gasto pela empresa 110,00 45,00
Participação do empregado (20%) 22,00 9,00
Figura 12.91 Cálculo dos descontos de vale-transporte e refeição.
Na sequência, deve-se elaborar o resumo da folha de pagamento conforme o
apresentado na Figura 12.92.
Empregado A 750,00 60,00 45,00 22,00 127,00 623,00
Empregado B 232,26 18,58 13,94 9,00 41,52 190,74
Funcionário Salário
Descontos
Total dos
descontos
Líquido a
pagar
INSS
Vale-
transporte
Vale-
refeição
982,26 78,58 58,94 31,00 168,52 813,74
Base de cálculo dos encargos da empresa 982,26
INSS Empresa 27,80% 273,07
FGTS 8,00% 78,58
Figura 12.92 Resumo da folha de pagamento.
Já os registros contábeis da apropriação da folha de pagamento são os apre-
sentados na Figura 12.93.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 43
3
a
Prova
D – Despesa com salários 982,26
C – INSS a pagar 78,58
C – Despesa com vale-transporte 58,94
C – Despesa com vale-refeição 31,00
C – Salários a pagar 813,74
D – Despesa com INSS 273,07
C – INSS a pagar 273,07
D – Despesa com FGTS 78,58
C – FGTS a pagar 78,58
D – Provisão para férias 1.027,99
C – Adiantamento de férias 696,43
C – INSS a pagar 271,00
C – FGTS a pagar 60,56
Figura 12.93 Registros da apropriação da folha de pagamento – item 19.
O próximo passo é o cálculo da provisão de férias e décimo terceiro salário,
conforme apresentado na Figura 12.94.
Empregado A 750,00 1.166,67 417,67 1.584,34 14 0
Empregado B 800,00 355,56 127,29 482,85 4 0
Cálculo Provisões Férias/13
o
Salário
MÊS: 12/X1 Férias 13
o
Sal.
FUNC.
Salário-
base
Férias 13
o
Sal.
Meses
em aberto
Meses
em aberto
Valor Encargos Total Valor Encargos Total
Total 1.522,23 544,96 2.067,19 0,00 0,00 0,00
Férias 13
o
Salário
Saldo Total Provisão – mês atual 2.067,19
Baixa por pagamento – compet. dez./X1 1.027,99 2.104,90
Baixa por pagamento – compet. jan./X2 373,82
Saldo Total Provisão – mês anterior 3.281,84 1.929,50
Valor ajuste provisão 187,16 175,40
Composição saldo contábil – provisão para férias
Saldo conforme planilha 2.067,19
(+) Baixa compet. jan./X2 373,82
(=) Saldo contábil dez./X1 2.441,01
Figura 12.94 Cálculo das provisões de férias e décimo terceiro salário.
44 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Já o registro contábil das provisões de férias e décimo terceiro salário são os
apresentados na Figura 12.95.
D – Despesa com férias 187,16
C – Provisão para férias 187,16
D – Despesa com décimo terceiro salário 175,40
C – Provisão para décimo terceiro salário 175,40
Figura 12.95 Registro das provisões de férias e décimo terceiro salário – item 20.
O passo seguinte será o cálculo do PIS e Cofins, para isso é necessário verificar
sua base de cálculo, conforme o apresentado na Figura 12.96.
Receita de vendas 7.000,00
Devolução de vendas (1.000,00)
= Base de cálculo 6.000,00
PIS (0,65%) 39,00
Cofins (3,00%) 180,00
Figura 12.96 Cálculo do PIS e Cofins.
Nesse caso, no mês de dezembro a empresa não auferiu receitas financeiras,
que, se existissem, fariam parte da base de cálculo desses tributos. Já os registros
contábeis PIS e Cofins são os apresentados na Figura 12.97.
D – PIS sobre vendas 39,00
C – PIS a recolher 39,00
D – Cofins sobre vendas 180,00
C – Cofins a recolher 180,00
Figura 12.97 Registros do PIS e da Cofins – item 21.
A seguir, deve-se encerrar a conta-corrente de ICMS de acordo com o cálculo
apresentado na Figura 12.98.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 45
3
a
Prova
Total de débitos de ICMS (saídas) $ 1.190,00
Total de créditos de ICMS (entradas) $ 888,50
Saldo de ICMS a recolher $ 301,50
Figura 12.98 Resumo da apuração da conta-corrente de ICMS.
Já o registro contábil do encerramento da conta-corrente de ICMS é o apre-
sentado na Figura 12.99.
D – Conta-corrente de ICMS 301,50
C – ICMS a pagar 301,50
Figura 12.99 Registros do encerramento da conta-corrente de ICMS – item 22.
Na continuação, deve-se calcular o valor da apropriação dos encargos finan-
ceiros da operação de desconto bancário realizado em 01/12, de acordo com o
apresentado na Figura 12.100.
Apropriação dos encargos financeiros
Taxa mensal 7,65%
Prazo médio 65 dias
Valor total desconto 5.500,00
Valor encargos 16,58% 911,90
Apropriação do mês – dez.
Quant. dias 30 7,65% 420,88
Figura 12.100 Cálculo da apropriação dos encargos financeiros da operação de
desconto.
Já o registro contábil da apropriação de encargos financeiros do desconto de
título é o apresentado na Figura 12.101.
46 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
D – Encargos com desconto de títulos 420,88
C – Encargos financeiros a apropriar 420,88
Figura 12.101 Registro da apropriação dos encargos financeiros da operação de
desconto – item 23.
A seguir, deve-se apropriar o custo das mercadorias vendidas, que é apurado
com base na ficha de controle de estoques apresentada na Figura 12.102.
Ficha de Controle de Estoques
30/11 Saldo inicial 185 70,00 12.950,00
01/12 Compra 15 78,85 1.182,75 200 70,66 14.132,75
07/12 Venda 35 70,66 2.473,10 165 70,66 11.659,65
11/12 Devolução de (5) 70,66 (353,30) 170 70,66 12.012,95
venda
23/12 Compra 25 87,15 2.178,75 195 72,78 14.191,70
23/12 Frete sobre 220,00 195 73,91 14.411,70
compra
24/12 Desconto (500,00) 195 71,34 13.911,70
40 3.081,50 30 2.119,80
Data Operação Entradas Saídas Saldo
Qtd. Valor unit. Valor total Qtd. Valor unit. Valor total Qtd. Valor unit. Valor total
Figura 12.102 Ficha de controle de estoques.
Já o registro contábil da apropriação do custo das mercadorias vendidas é o
apresentado na Figura 12.103.
D – Custo das mercadorias vendidas 2.119,80
C – Estoques 2.119,80
Figura 12.103 Registro do custo das mercadorias vendidas – item 24.
O passo seguinte é o do encerramento das contas de resultado, de acordo com
o apresentado na Figura 12.104.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 47
3
a
Prova
C – Variação monetária passiva 1.150,00
D – Resultado do exercício 1.150,00
D – Receita de vendas 70.185,00
C – Resultado do exercício 70.185,00
C – PIS sobre vendas 436,05
D – Resultado do exercício 436,05
C – ICMS sobre vendas 12.393,30
D – Resultado do exercício 12.393,30
C – Devoluções de vendas 3.100,00
D – Resultado do exercício 3.100,00
C – Despesa com salários (vendas) 3.662,26
D – Resultado do exercício 3.662,26
C – Despesa com juros 195,00
D – Resultado do exercício 195,00
C – Despesa com aluguéis (vendas) 470,00
D – Resultado do exercício 470,00
C – Cofins sobre vendas 2.012,55
D – Resultado do exercício 2.012,55
D – Rendimento de aplicações financeiras 1.180,00
C – Resultado do exercício 1.180,00
D – Dividendos recebidos 360,00
C – Resultado do exercício 360,00
C – Despesa com telefones (vendas) 250,00
D – Resultado do exercício 250,00
C – Despesa com salários (administração) 1.250,00
D – Resultado do exercício 1.250,00
C – Despesa com energia (vendas) 1.220,00
D – Resultado do exercício 1.220,00
C – Custo das mercadorias vendidas 30.553,05
D – Resultado do exercício 30.553,05
C – Despesa com pró-labore 5.150,00
D – Resultado do exercício 5.150,00
C – Despesa com depreciação 525,42
D – Resultado do exercício 525,42
48 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
C – Despesa com vale-refeição (vendas) 124,00
D – Resultado do exercício 124,00
C – Encargo com cartão crédito 130,00
D – Resultado do exercício 130,00
C – Despesa com desconto de títulos 475,88
D – Resultado do exercício 475,88
C – Despesa com créditos incobráveis (vendas) 6.500,00
D – Resultado do exercício 6.500,00
C – Despesa com vale-transporte (vendas) 36,06
D – Resultado do exercício 36,06
C – Despesa com INSS (vendas) 273,07
D – Resultado do exercício 273,07
C – Despesa com FGTS (vendas) 78,58
D – Resultado do exercício 78,58
C – Despesa com férias 187,16
D – Resultado do exercício 187,16
C – Despesa com 13
o
salário 175,40
D – Resultado do exercício 175,40
Figura 12.104 Registros do encerramento das contas de resultado – item 25.
A seguir, deve-se calcular a contribuição social sobre o lucro, utilizando a base
de cálculo informada no enunciado do exercício, de acordo com o apresentado
na Figura 12.105.
Base de cálculo da contribuição social $ 8.422,20
(×) Alíquota de 9%
(=) Valor da contribuição social $ 758,00
Figura 12.105 Cálculo da contribuição social sobre o lucro.
Já o registro contábil da contribuição social é o apresentado na Figura 12.106.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 49
3
a
Prova
D – Resultado do exercício 758,00
C – Contribuição Social a recolher 758,00
Figura 12.106 Registro da contribuição social sobre o lucro – item 25.
Na continuação, deve-se calcular a provisão para Imposto de Renda, utili-
zando a base de cálculo informada no enunciado do exercício, de acordo com o
apresentado na Figura 12.107.
Lucro Presumido $ 5.366,80
(×) Alíquota de 15%
(=) Provisão para Imposto de Renda $ 805,02
Figura 12.107 Cálculo da provisão para Imposto de Renda.
Já o registro contábil da provisão para Imposto de Renda é o apresentado na
Figura 12.108.
D – Resultado do exercício 805,02
C – Provisão para Imposto de Renda 805,02
Figura 12.108 Registro da provisão para Imposto de Renda – item 25.
Uma vez calculada a provisão para Imposto de Renda, deve-se apurar o resul-
tado antes das participações, que é a base de cálculo das participações, de acordo
com o apresentado na Figura 12.109.
50 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Resultado do exercício
1.150,00 70.185,00
436,05 2.180,00
12.393,30 560,00
3.100,00
3.662,26
195,00
470,00
2.012,50
250,00
1.250,00
1.220,00
30.553,05
5.150,00
124,00
525,42
130,00
475,88
6.500,00
36,06
273,07
78,58
187,16
175,40
2.577,22
Figura 12.109 Apuração do resultado antes das participações.
De posse do resultado antes das participações, devem-se calcular as participações
de empregados e administradores, de acordo com o apresentado na Figura 12.110.
Casos Práticos de Elaboração das Demonstrações Financeiras 51
3
a
Prova
Resultado antes das participações $ 1.014,20
(–) Saldo contábil – Prejuízos Acumulados $ (2.190,00)
(=) Base de cálculo inicial $ (1.175,80)
Participações $ 0,00
Figura 12.110 Cálculo das participações de empregados e administradores.
Após o cálculo e registro das participações, o saldo remanescente, quando
positivo, é denominado de lucro líquido do exercício. Nesse caso, como não houve
pagamento de participações, é o mesmo apresentado na Figura 12.109.
Uma vez registradas todas as operações e encerradas as contas de resultado,
com base no razão contábil da conta resultado do exercício, elabora-se a demons-
tração do resultado do exercício, de acordo com a Figura 12.111.
Demonstração do Resultado do Exercício
(Exercício findo em 31-12-x1)
Receita bruta de vendas 70.185,00
Deduções de vendas (17.941,90)
ICMS s/vendas (12.393,30)
PIS s/vendas (436,05)
Cofins s/vendas (2.012,55)
Devoluções de vendas (3.100,00)
Receita líquida de vendas 52.243,10
Custo das mercadorias vendidas (30.553,05)
Lucro bruto 21.690,05
Despesas c/ vendas (13.501,95)
Despesas administrativas (6.400,00)
Despesas financeiras (1.950,88)
Receitas financeiras 2.180,00
Outras receitas operacionais 560,00
Resultado operacional 2.577,22
Contribuição social sobre o lucro (758,00)
Provisão para Imposto de Renda (805,02)
Lucro líquido do exercício 1.014,20
Figura 12.111 Demonstração do resultado do exercício na hipótese II.
52 Contabilidade Intermediária • Schmidt / Santos / Gomes
3
a
Prova 3
a
Prova
Já o balanço patrimonial nessa hipótese é o apresentado na Figura 12.112.
Balanço patrimonial
(Exercício findo em 31-12-x1)
Ativo Passivo
Circulante 53.658,11 Circulante 34.428,49
Disponível 31.605,39 Fornecedores 17.365,00
Caixa 13.588,22 Salários a pagar 813,74
Bancos 12.447,17 Financiamentos a pagar 8.369,78
Aplicações de liquidez imediata 5.570,00 Contas a pagar 1.980,00
Fretes a pagar 250,00
Créditos 21.561,70 PIS a recolher 39,00
Clientes 16.630,00 Cofins a recolher 180,00
Duplicatas descontadas (4.950,00) Provisão para Imposto de Renda 805,02
PCLD (6.500,00) ICMS a pagar 301,50
Cartão de crédito a receber 2.470,00 Contribuição social a pagar 758,00
Estoques 13.911,70 Provisão para férias 2.441,01
Adiantamento de férias (253,25)
INSS a recolher 1.177,55
FGTS a recolher 201,14
Despesas do exerc. seguinte 491,02
Encargos financeiros a apropriar 491,02
Patrimônio líquido 53.014,20
Não circulante 33.784,58
Investimentos 8.250,00 Capital realizado 50.000,00
Participações em controladas 8.250,00
Reserva de capital 4.190,00

Imobilizado 25.534,58
Resultados acumulados (1.175,80)
Imóvel de uso 20.250,00 Prejuízos acumulados (1.175,80)
Depreciação. acum. imóveis de uso (67,50)
Móveis e utensílios 3.450,00
Depreciação. acum. móveis e
utensílios (408,75)
Equipamentos de informática 2.350,00
Depreciação. acum. equip.
informática (39,17)
Total do ativo 87.442,69 Total do passivo 87.442,69
Figura 12.112 Balanço patrimonial na hipótese II.