You are on page 1of 4

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO IBYANGA DE PARKOUR

CAPÍTULO I

DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO

Art.1o – A Associação Ibyanga de Parkour, designada pela sigla AIPK, é uma associação civil de
direito privado, sem fins lucrativos, que terá duração por tempo indeterminado, sede no Município
de Maceió – Estado de Alagoas, na Rua Benedito Gunegundes no conjunto Pajuçara Q° "R" N° 75.

Art.2o - A Associação tem por finalidade o desenvolvimento da atividade “Parkour” dentro do
cenário alagoano, nordestino e nacional, assim como a divulgação de oficinas, elaboração de
parcerias, projetos e eventos a respeito da modalidade.

Art.3o – No desenvolvimento de suas atividades, a associação não fará qualquer discriminação de
raça, cor, idade, sexo ou religião.

Art.4o – A associação poderá ter um regimento interno, que aprovado pela Assembléia Geral,
disciplinará o seu funcionamento.

Art.5o – A Associação existirá por tempo indeterminado assim como através do interesse de seus
associados em mantê-la.

CAPÍTULO II

DOS ASSOCIADOS

Art. 6º - As categorias de associados se dividem em:

1) Fundadores são aqueles que participaram da Assembléia de constituição da entidade e
assinaram a respectiva ata;
2) Diretoria são pessoas idôneas, maiores de idade, escolhidas em assembléia geral, por
consenso dos associados presentes e conforme regimento interno;
3) Associados são pessoas, praticantes ou não-praticantes, que de alguma forma mantêm o
interesse em contribuir para o desenvolvimento da atividade.

Art.7o – A Associação Ibyanga de Parkour é constituída por número ilimitado de associados, que
serão admitidos, a juízo da diretoria, dentre pessoas idôneas, maiores e menores de idade com
aprovação do responsável por termo de responsabilidade, declaração e autorização, em pleno
gozo de seus direitos civis, e que, acordados com o regimento interno, manifestem interesse em
contribuir para a execução dos objetivos da Instituição.

§ 1º - A demissão dar-se-á a pedido do associado, mediante carta dirigida à Diretoria da Instituição,
não podendo ser negada;
§ 2º - A exclusão será aplicada pela Diretoria com o aval da Assembléia Geral e ocorrerá por morte
física ou por reincidência na infração de qualquer disposição legal, estatutárias ou regimentais
devidamente já notificada.

Art. 8o – São deveres dos associados:
I - Cumprir e fazer cumprir o presente estatuto;
II - Respeitar e cumprir as decisões da Assembléia Geral;
III - Zelar pelo bom nome da Associação;
IV - Defender o patrimônio e os interesses da Associação;
V - Cumprir e fazer cumprir o regimento interno;

Parágrafo Único - É dever do associado contribuinte honrar pontualmente com as contribuições
associativas.

Art. 9o – São direitos dos associados quites com suas obrigações sociais:
I - Votar e ser votado para qualquer cargo da Diretoria Executiva ou do Conselho Fiscal, na forma
prevista neste estatuto;
II - Usufruir os benefícios oferecidos pela Associação;
III. Recorrer à Assembléia Geral contra qualquer ato da Diretoria ou do Conselho Fiscal;

Art. 10o – Os associados não respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelas obrigações e
encargos sociais da associação civil de direito privado.

CAPÍTULO III

DA ADMINISTRAÇÃO

Art. 11o – A administração da Associação Ibyanga é regulamentada por:
I – Assembléia Geral;
II – Diretoria.

Art. 12o – A Assembléia Geral, órgão soberano da instituição, constituir-se-á dos associados em
pleno gozo de seus direitos estatutários.

Art.13o – A Assembléia Geral acontecerá ordinariamente uma vez por ano, podendo ser
extraordinariamente convocada a qualquer momento pelo presidente ou pelo interesse de, ao
menos, 1/5 dos associados.

Art. 14o – A Assembléia Geral será composta pelos membros que compõem a associação.

Art. 15o – Compete à Assembléia Geral:
I – eleger a Diretoria;
II – destituir os administradores;
III – apreciar recursos contra decisões da diretoria;
IV – decidir sobre reformas do Estatuto;
V – aprovar as contas;
VI – reformular o regimento interno.

Art. 16 – A convocação da Assembléia Geral será feita por meio de aviso a todos os associados
com antecedência mínima de 1 (um) mês.

Art. 17 – A Diretoria será constituída por Presidente, Vice-Presidente e Diretores definidos em
assembléia geral.
Art. 18 – Compete à Diretoria:
I - Dirigir a Associação, de acordo com o presente estatuto, e administrar o patrimônio social.
II - Cumprir e fazer cumprir o presente estatuto e as decisões da Assembléia Geral;
III - Promover e incentivar a criação de comissões, com a função de desenvolver atividades
culturais e desportivas;
IV - Representar e defender os interesses de seus associados;
V - Elaborar o orçamento anual;
VI - Apresentar a Assembléia Geral, na reunião anual, o relatório de sua gestão e prestar contas
referentes ao exercício anterior;
VII - Julgar os pedidos para inscrição de associados;
VIII - Acatar pedido de demissão voluntária de associados.

Parágrafo único - As decisões da diretoria deverão ser tomadas por maioria de votos, devendo
estar presentes, na reunião, a maioria absoluta de seus membros, cabendo ao Presidente, em
caso de empate, o voto de qualidade.

Art. 19 - Compete ao Presidente:
I - Representar a associação ativa e passivamente, judicial e extrajudicialmente;
II - Cumprir e fazer cumprir este Estatuto assim como o Regimento Interno.
III - Convocar e presidir a Assembléia Geral:
IV - Convocar e presidir as reuniões da Diretoria;
V - Assinar, com o tesoureiro secretário, todos os cheques, ordens de pagamento e títulos que
representem obrigações financeiras da entidade;

Art. 20 - Compete ao Vice-Presidente:
I - Substituir o Presidente ou Tesoureiro-Secretário em suas faltas ou impedimentos;
II - Assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu término;
III - Prestar, de modo geral, a sua colaboração ao Presidente.

Art. 21 – Compete aos Diretores:
I - Redigir e manter, em dia, transcrição das atas das Assembléias Gerais e das reuniões da
Diretoria Executiva;
II - Redigir a correspondência da Associação;
III - Manter e ter sob sua guarda o arquivo da Associação;
IV - Assinar, sob aprovação do Presidente, os cheques e demais documentos bancários e
contábeis;
V - Efetuar os pagamentos autorizados e recebimentos devidos à Associação;
VI - Supervisionar o trabalho de tesouraria e contabilidade;
VII - Elaborar, anualmente, a relação dos bens da Associação, apresentando-a, quando solicitado,
à Assembléia Geral.

Art. 22 – As atividades dos diretores e conselheiros, bem como as dos associados, serão
inteiramente gratuitas, sendo-lhes vedado o recebimento de qualquer lucro, gratificação,
bonificação ou vantagem.

Art. 23 – A entidade não distribuirá lucros, resultados, dividendos, bonificações, participações ou
parcela de seu patrimônio, sob nenhuma forma ou pretexto.

Art. 24– A receita da Associação será composta por:
I - Doações de qualquer natureza, recebidas;
II - Produto líquido de promoções de beneficência;
III - Rendas de emprego de capital ou patrimônio que possua ou venha a possuir.
IV - Auxílio e subvenções que venha a receber do poder público;
V - Auxílio ou recursos provenientes de convênio que venha a receber de entidades privadas.
Parágrafo único - Essas rendas, recursos e eventual resultado operacional serão aplicados
integralmente na manutenção e desenvolvimento dos objetivos institucionais, no território nacional.

CAPÍTULO IV

DO PATRIMÔNIO

Art. 25 – O Patrimônio da Associação Ibyanga de Parkour será constituído de bens móveis,
imóveis, veículos, semoventes, ações e apólices de dívida pública.

Art. 26 – No caso de dissolução, os bens remanescentes serão destinados à outra instituição
congênere, com personalidade jurídica, que esteja registrada no Conselho Nacional de Assistência
Social – CNAS ou entidade Pública.

CAPÍTULO V

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 27 – A Associação Ibyanga de Parkour será dissolvida por decisão da Assembléia Geral
Extraordinária, especialmente convocada para esse fim, quando se tornar impossível a
continuação de suas atividades.

Art. 28 – O presente estatuto poderá ser reformado, em qualquer tempo, por decisão de 2/3 (dois
terços) dos presentes à Assembléia Geral especialmente convocada para esse fim, não podendo
ela deliberar, em primeira convocação, sem a maioria absoluta dos associados, ou com menos de
1/3 (um terço) nas convocações seguintes, e entrará em vigor na data de seu registro em Cartório.

Art. 30 – O encerramento do exercício social coincidirá com o ano civil. No dia 31 de dezembro de
cada ano serão levantados o balanço geral e os lucros ou prejuízos, então apurados, serão
distribuídos ou suportados pelos integrantes.

Art. 31 – Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria e referendados pela Assembléia Geral.

O presente estatuto foi aprovado pela Assembléia Geral realizada no dia _____________de 2009 .

Maceió,_________________de 2009.

__________________________________

( Diretor Presidente )