You are on page 1of 2

Mitos e Fatos em motores de popa

Na minha adolescência eu escutava algumas afirmações e procedimentos (Mitos) do motor de popa que me deixaram com a “pulga atrás da orelha”. A curiosidade e a procura pelas informações corretas (Fatos) é que contribuíram para minha formação de técnico. Hoje, em pleno século 21, continuo escutando as mesmas afirmações e procedimentos, por isso resolvi colocar as mais freqüentes e explicar o que é certo para preservar o motor de popa. “Todo motor de popa que foi fabricado para o mercado americano precisa de termostato, já que a temperatura lá é muito mais baixa que a nossa, tornando-se desnecessário o uso do termostato no Brasil que é um país de clima quente”. Explicação: A função do termostato é manter a temperatura do motor em uma faixa determinada (definida pelo fabricante), independente da temperatura externa. O que acontece de diferente entre um motor usado no EUA e outro aqui no Brasil, é que o de lá vai demorar mais tempo para atingir a temperatura ideal de funcionamento do que o motor daqui, mas a temperatura interna será sempre a mesma, pois o termostato, que é uma válvula de alívio se abrirá de acordo com a temperatura da água interna do motor. “Pode-se ligar o motor, mesmo que por poucos segundos, sem ligar a água”. Explicação: O rotor da bomba d’água e de borracha e é instalado dentro de uma caixa de aço, sem água, o atrito da borracha irá danificar o rotor, quebrando as pontas das aletas do rotor, que irão comprometer a refrigeração do motor ou até entupir o sistema de refrigeração. Se um motor funciona a 1.300RPM, em 1 segundo girará 21 vezes. “Pode-se dar chupeta na bateria de um motor de popa”. Explicação: Os motores de popa, em sua grande maioria, são dotados de um componente chamado Regulador e Retificador de voltagem, a função dele, como o nome já diz, é retificar a voltagem de alternada para contínua e regular para 12 volts. Acontece que se a bateria estiver fraca, o regulador terá que “trabalhar” muito para repor a voltagem da bateria, e o resultado da retificação e regulagem da voltagem é transformada em calor, por isso o Regulador Retificador é refrigerado a água, mas não o suficiente para dissipar todo o calor, e o resultado é a queima dos diodos internos e o isolamento da carcaça, que poderá acarretar danos ao estator, posteriormente ao módulo de ignição... “O motor está falhando, deve ser um cisco, então se acelerar o motor em ponto morto, o cisco sai pela descarga”.

velas e parafusos do motor. este ar é “respirado” pelo motor do ambiente em que estiver sendo usado. Um técnico pode acelerar o motor. mas não quero denegrir a imagem dos marinheiros. independente do tanque de óleo do motor”. Neste caso eu poderia relatar alguns casos. mas cabe ao patrão a responsabilidade da contratação do serviço. Após lavá-lo. para proteger o motor e seus componentes. assim não colocando em risco a lubrificação do motor. pois a água pode entrar no cilindro”. nas velas e na base do motor com água doce e principalmente com baixa pressão. e sim um fato! . primeiramente conserte o defeito e logo após o reparo adicione 1:50 no primeiro tanque.. pois estará verificado a aceleração e o retorno desta. assim a credibilidade na durabilidade de um motor de popa não será um mito. o marinheiro pode sugerir ao patrão a oficina ou o técnico. Um bom patrão sabe antes de tudo escolher quem irá trabalhar para ele.. evitando assim um choque térmico no motor. Há muito mais. Para garantir se o reparo deu certo. aplique um spray à base óleo orgânico fino ou silicone. Estes são alguns dos mitos que tenho escutado. “Não se deve lavar o motor por dentro. “O que o meu marinheiro fala não se discute”. mas o sal não. quando o sal estiver em ambiente úmido e quente e em contato com o bloco. Explicação: O motor precisa de ar para fazer a mistura. e a água quando entrar em contato com o bloco quente do motor irá evaporar. Bem. Se o sistema não estiver operando corretamente. e com isso reduzir a vida útil do motor. Se o motor estiver com a linha de combustível pressurizada não há motivo para acelerar o motor em ponto morto. mas espero que a credibilidade dos mitos seja substituída por informações precisas. O marinheiro é pessoa de confiança do patrão. irá misturar o óleo na gasolina na proporção de 1:50 ~ 1:60. caso o motor demore a votar a ficar em lenta significa que o motor está trabalhando pobre ou existe uma entrada falsa de ar nos carburadores. “Deve-se sempre adicionar óleo dois tempos na gasolina. Qualquer excesso de óleo ira contribuir para a carbonização do motor. a quem é atribuída à responsabilidade de conduzir embarcações de valores astronômicos. quando usado em água salgada o ar absorvido contem partículas de água e sal. Não lave o motor logo após desligá-lo.Explicação: Os pequenos entupimentos são causados por depósito de sedimentos da reação da gasolina velha com a cuba do carburador. irá provocar uma oxidação. Explicação: Os sistemas de lubrificação automática se estiverem funcionado corretamente. No caso de reparo. sabe compreender a informação dada pelo marinheiro. são partículas sólidas e estas não irão desobstruir com a aceleração. Para evitar que isso ocorra é recomendável lavar o motor nos cabeçotes. mantendo limpo e em condições de uso. Cabe ao marinheiro preservar o patrimônio do patrão.