You are on page 1of 65

Equilíbrio Hidroelectrolítico

Cadeira de Terapêutica Geral

Instituto de Terapêutica

Soluções para administração parentérica que visam a manutenção ou o restabelecimento do equilíbrio hidroelectrolítico
Instituto de Terapêutica

 Electrolíticas:
   


   

Cloreto de sódio Cloreto de potássio Gluconato de cálcio Sulfato de Mágnésio Fosfato Polielectrolíticas Acidificantes Alcalinizantes Especiais
Instituto de Terapêutica

 Hidratos de Carbono :      Dextrose Glicose Frutose Levulose Açucares invertidos  Mistas Instituto de Terapêutica .

 Biológicas:    Concentrado eritrocitário Plasma fresco congelado Sangue total  Não biológicas:   Gelatinas Dextrano 40% Instituto de Terapêutica .

Instituto de Terapêutica .

4 mmol/l) Instituto de Terapêutica .Cloreto de sódio: Isotónico 0.9% (SF) 308 mmol de Na por litro       Perda de sódio      Renal Extrarrenal Diuréticos Diurese osmótica Nefropatias perdedoras de sal Insuficiência suprarrenal (aldosterona)   Perdas insensíveis Perdas GI Queimaduras Sequestração Hemorragia Hiperglicémia : Diurese osmótica com perda de H2O e sódio / perda de H2O do espaço intracelular (aumento de 100mg/dl baixa Na em 1.

10ml (34 mmol)    Perda de sódio Correcção mais rápida da hiponatrémia Hiponatrémias graves com manifestações neurológicas (convulsões)   Risco de desmielinização do SNC (mielinose pôntica) Taxa de correcção 1 mmol /h e máximo de 12 mmol/l em 24h Instituto de Terapêutica .Cloreto de sódio: Hipertónico 3% 513 mmol de Na por litro Ampolas de 20% .

Cloreto de sódio: Hipotónico 0. não mais do que 2 mmol /h  Instituto de Terapêutica .45% 154 mmol de Na por litro Perda de sódio  Desidratação com hipernatrémia  Correcção lenta da hipernatrémia (volémia)  Risco de edema cerebral se correcção hipernatrémia muito rápida  Correcção em 48h.

  Insuficiência cardíaca congestiva Insuficiência renal crónica  Calculo do deficit de sódio: (140-sódio actual) x [(0.6x peso kg)] Instituto de Terapêutica  .

Cloreto de potássio Ampolas de 10 mmol em 10 ml      Hipocaliémia  Renal Diuréticos Fármacos Nefropatias perdedoras de potássio Bicarbonatúria Extrarrenal    Perdas GI Sudorese Alcalose metabólica  Instituto de Terapêutica .

25 mmol/l Dose máxima: 20 mmol/h (veia periférica) Dose máxima diária 150 mmol Diluição máxima 80 mmol/l Monitorização cardíaca Nunca administrar puro Instituto de Terapêutica .Cloreto de potássio Ampolas de 10 mmol em 10 ml  Hipocaliémia  Paralisia muscular e arritmias ventriculares       20 mmol KCl aumentam potássio sérico em 0.

5 mg/dl  Cálcio ionizado 4. Hipoalbuminémia 2.Gluconato de Cálcio Ampolas de 10ml (100mg/ml) Cálcio sérico : 45% ligado à albumina vs 40% ionizado  Cálcio sérico total 8.5-10.25 dihidroxivitaminaD Instituto de Terapêutica . Equilibrio ácido-base 3.65-5. Regulação hormonal – PTH e 1.25 mg/dl Regulado por 3 eixos principais: 1.

sepsis. cirúrgia Alterações do metabolismo do magnésio – hipomagnesémia Fármacos – quelantes do cálcio. cinacalcet.Gluconato de Cálcio Ampolas de 10ml (100mg/ml) Hipocalcémia  Hipoparatiroidismo – Cirúrgico. foscarnet    Instituto de Terapêutica . outras PTH normal ou hiperparatiroidismo – hiperfosfatémia. metástases ósseas. pancreatite. autoimune.

convulsões. aumento do intervalo QT Musculares – tetania. diminuição da contractilidade cardíaca. edema da papila   Instituto de Terapêutica . sinal de Trousseau Neurológicas – parestesias.Gluconato de Cálcio Ampolas de 10ml (100mg/ml) Hipocalcémia: Sintomas  Cardíacos – bradicardia. sinal de Chvostek. hipotensão.

5mg/dl Endovenoso: 1 a 2g de gluconato de cálcio (90 a 180mg de cálcio elemental). em 20 a 30 minutos.Gluconato de Cálcio Ampolas de 10ml (100mg/ml) Hipocalcémia:Tratamento  Tratar se manifestações clinicas. seguido de perfusão contínua Se administração mais rápida risco de paragem cardíaca   Instituto de Terapêutica . electrocardiográficas ou se assintomático <7.

Gluconato de Cálcio Ampolas de 10ml (100mg/ml) Hipocalcémia:Tratamento  Cloreto de cálcio – se extravasão vascular risco de necrose dos tecidos 1 dose mantém as concentrações de cálcio 2 a 3 horas Soluções devem ser diluídas em dextrose em H2O ou soro fisiológico – puro é irritante para as veias Não deve ser misturado com HCO3 ou fosfato – risco de precipitação de sais Instituto de Terapêutica    .

Sulfato de Magnésio Ampolas de 10ml (200mg/ml) Hipomagnesémia : 2 mecanismos principais  Perda por via renal  Perda por via gastrointestinal (+vómitos/-diarreia) Instituto de Terapêutica .

Sulfato de Magnésio Ampolas de 10ml (200mg/ml) Hipomagnesémia : 1. raros) Instituto de Terapêutica  . CsA Defeitos tubulares de reabsorção de Mg (genéticos. pentamidina. anfotericina.      Via Renal Diuréticos de ansa e tiazidas Expansão de volume Álcool Hiprcalcémia Nefrotóxicos: aminoglicosídeos.

aumento intervalo PR Hipocalcémia – diminuição da secreção de PTH. convulsões     Instituto de Terapêutica . resistência à PTH Musculares – tetania. sinal de Trousseau Neurológicas – parestesias. sinal de Chvostek. ondas T pontiagudas.Sulfato de Magnésio Ampolas de 10ml (200mg/ml) Hipomagnesémia: Sintomas  Hipocaliémia Cardiovasculares – alargamento QRS.

Tratamento :  Se manifestações graves – arritmias ventriculares 2g diluídos em 100cc SF a perfundir em 1h   Corrigir tb a hipocalcémia que se encontra associada Instituto de Terapêutica .Sulfato de Magnésio Ampolas de 10ml (200mg/ml) Hipomagnesémia .

Fosfato Várias formulações. esteatorreia/diarreia crónica Aumento da excreção renal . deficiência vit D  Instituto de Terapêutica .Hiperparatiroidismo 1º e 2º. mais usada fosfato monopotássico Hipofosfatémia : 3 mecanismos principais  Redistribuição interna – insulina. quelantes do P. alcalose respiratória. hungry bone syndrome  Diminuição da absorção intestinal – dieta pobre.

Contém: 0. 0. amp. 20 ml – I. 1. 1 mEq/ml de K+ Contém: 1 mmol/ml de H2PO4-.66 mmol/ml de Na+.76 mEq/ml de Na+ Contém: 1. Contém: 1 mEq/ml de H2PO4-.V. 2 ml – I.66 mmol/ml de H2PO4-. Contém: 1. Contém: 0. Contém: 2 mEq/ml de glicerofosfato. 0.76 mmol/ml de Na+ Contém: 55 mg/ml de P Osmolaridade: 3520 mOsmol/l Glicerofosfato de sódio Concentrado para solução para perfusão  216 mg/ml (anidro).33mmol/ml de glucose Contém: 10. amp.V.Fosfato dissódico de glucose Concentrado para solução para perfusão  107 mg/ml (anidro). recipiente 20 ml – I.3 mg/ml de P Osmolaridade: 831 mOsmol/l Fosfato monopotássico Solução injectável  136 mg/ml.76 mmol/ml de H2PO4-. amp. 1.V.76 mEq/ml de H2PO4-. 306 mg/ml (penta-hidratado). 0.V.66 mEq/ml de Na+. 1 mmol/ml de K+ Contém: 31 mg/ml de P Osmolaridade: 2340 mOsmol/l Fosfato monossódico Concentrado para solução para perfusão  275 mg/ml.66 mEq/ml de H2PO4-. 2 mEq/ml de Na+ Contém: 1 mmol/ml de glicerofosfato. 10 ml – I. 2 mmol/ml de Na+ Contém: 31 mg/ml de P Osmolaridade: 3000 mOsmol/l . 125 mg/ml (tetra-hidratado).

disfunção plaquetária   Instituto de Terapêutica . mais usada fosfato monopotássico Hipofosfatémia: Sintomas  Cardiovasculares – depressão da contractilidade miocárdica. rabdomiólise Hematológicos – hemólise.Fosfato Várias formulações. ICC Musculares – miopatia proximal.

Tratamento :  Manifestações graves só se P<1mg/dl Sintomáticos podem requerer suplementos ev (não exceder 2. parar quando P>2mg/dl) Fosfato iv provoca hipocalcémia (precipitação).5mg/kg/6h. IR. arritmias Via oral é preferível Instituto de Terapêutica    .Fosfato Várias formulações. mais usada fosfato monopotássico Hipofosfatémia .

Polielectrolíticas  Composição semelhante à do plasma Indicações: Multipurpose Manutenção do equilíbrio electrolítico em doentes sem via oral  Perdas de fluidos GI : diarreia. fístulas. aspiração gástrica  Perdas discretas de sódio e potássio  Instituto de Terapêutica  . vómitos.

 Falência dos mecanismos reguladores Hiponatrémia moderada a grave  Queimados  Insuficiência renal e cardíaca  Insuficiência suprarenal  Instituto de Terapêutica .

4% e 6.4%) Lactato de sódio Trometamina Acidose metabólica sem restrição de fluidos  Bicarbonato de sódio: acção imediata  Lactato é metabolizado hepaticamente a bicarbonato  Trometamina: acção intracelular com uso restrito  Instituto de Terapêutica .Alcalinizantes    Bicarbonato de sódio (1.

    Insuficiência cardíaca congestiva Insuficiência hepática (lactato) Hipocalcémia (bicarbonato) Alcalose (todos) Instituto de Terapêutica .

Acidificantes  Cloreto de amónio Alcalose metabólica  Hipoclorémia (Cl e H)   Contra-indicado na insuficiência renal e hepática Instituto de Terapêutica .

Especiais  Soluções semelhantes ás polielectrolíticas mas com adição de alguns sais Lactato de Ringer  Soros A. B. C. E (pediatria)  Instituto de Terapêutica . D.

 Fornecem água e energia 1000 ml de H2O + 50 g de Dextrose  Dx a 5% em água  1000 ml de H2O  50g de Dextrose = 200 kcal que depois de metabolizadas originam 30ml de H2O   Isotónicas ou Hipertónicas Instituto de Terapêutica .

mas é instável (pouco utilizada) Instituto de Terapêutica .  Isotónicos: Dextrose 5%. Glicose a 5% e Frutose 5% As mais utilizadas!  Indicações: Reposição hídrica e fornecimento calórico discreto Contraindicações:  Coma hiperosmolar  AVC   Frutose: Pode ser usada na DM.

Instituto de Terapêutica .   Hipertónicos Dextrose e Glicose a 10% em balão Glicose a 20% e 50% em ampola  • • Indicações: Fornecimento calórico Coma hipoglicémico     Contraindicações: Coma hiperosmolar AVC Devem ser administradas em veia central se administração prolongada.

  Soluções com electrólitos e hidratos de carbono Ligeira ou moderadamente hipertónicas Dextrose a 5% em SF  Polielectrolítico em Dx a 5% (moderadamente hiperosmolar)  Dextrose a 5% em NaCl a 0.45% (discretamente hiperosmolar)  Instituto de Terapêutica .

NaCl e bicarbonato  Quase isotónicas  Instituto de Terapêutica . C e D Associação de Dextrose.  Soluções Pediátricas Soros A. B.

de outra forma usar crioprecipitado ou albumina  Albumina humana dessalgada a 20%  Hipoalbuminémia grave Instituto de Terapêutica .  Plasma Fresco Congelado Utilizado quando se pretende repor os factores da coagulação (CID).

 Gelatinas Muito utilizadas  Reposição de volémia rapidamente  Metabolizadas lentamente  Não provocam reacções alérgicas  Instituto de Terapêutica .

 Dextranos Polímeros de alto (70-75KD) ou médio (40KD) peso molecular  Interferem com factor VIII da coagulação e com a tipagem (não administrar numa hemorragia antes de colher tipagem)  Podem provocar reacções alérgicas  Instituto de Terapêutica .

2g/kg no primeiro dia e 0.  Indicações Substituir volume circulante se sangue total ou plasma não disponível  Melhoram a microcirculação nas policitémias (com ou sem flebotomia) .6g/kg nos seguintes)  Reacções de hipersensibilidade conhecidas Instituto de Terapêutica .Dextranos   Contraindicações Risco hemorrágico (1.

Tipo de secreção Suor Na+ K+ H+ Cl- 30 50 Secreção 40 gástrica 55 Fístula 135 Pancreática 155 Fluido de 120 ileostomia 130 Diarréia 25 50 5 0 4555 HCO3.9% 0 300 0 300 70 90 50 70 30 45 Dextrose a 5% KCl NaHCO3 700 5 0 10 90 100 140 5 0 55 75 10 0 50 60 35 0 20 60 40 700 20 0 250 750 5 90 300 700 10 70 0 1000 35 45  Reposição em ml por litro perdido Instituto de Terapêutica .NaCl a 0.

 Como calcular a velocidade de administração? Sistemas normais  4xNº de gotas/min = ml/h  Sistemas de microgotas  Nº de gotas/min = ml/h   Bombas e seringas infusoras Instituto de Terapêutica .

N. Ao E. Vertiginoso. excepto náuseas com vómitos à mobilização cefálica.O. Vertiginoso posicional benigno. Instituto de Terapêutica   . Veio ao SU por S. Diagnóstico: S.Caso 1    DMG. Revela nistagmo horizontal a bater para a direita. 70 Kg. sem outros sinais focais ou de vias longas. está apirético e não há nada a salientar. sexo masculino. 65 anos. O E.

metoclopramida ev). não vomita. Se não mover a cabeça. gasimetria OK. mesmo com medicação antiemética (domperidona rectal. Laboratorialmente: ionograma OK. glicémia 3.Caso 1  Não tolera via oral.  (esta sintomatologia é habitualmente autolimitada.1 mmol/L. com retoma da via oral em 2-5 dias) Instituto de Terapêutica .

Caso 1  Como actuar? Problema: Manutenção hidroelectrolítica em ausência de via oral  Instituto de Terapêutica .

Caso 1  Manutenção hidroelectrolítica em ausência de via oral Necessidades diárias:    30 ml H2O/ Kg = 2100 ml de água 60 mmol K / dia >20 Kcal / Kg = 1400 Kcal/dia Instituto de Terapêutica .

a perfazer 60 mmol / dia ( 6 ampolas de KCl)   Instituto de Terapêutica .Caso 1  Soro Glicosado 5% 2000 cc / dia (400 Kcal) Soro NaCl a 0.9 % 1000 cc / dia KCl 20 mmol em cada balão de soro.

 À observação está pirética (39ºC). 87 anos.Caso 2 MGP. sexo feminino.  Trazida ao SU por prostração intensa. e queixa-se de sede após interrogatório insistente. 80 Kg. que se encontra gravemente deprimida. deixou de cuidar de si. O marido havia falecido há 4 meses e a doente. Instituto de Terapêutica .

 Algaliada à entrada. sexo feminino.Caso 2 MGP.5 mmol/l. 87 anos. potássio 4. 80 Kg. não continha mais de 20 cc de urina ao fim de 1 hora.  Instituto de Terapêutica . No SO o ionograma mostrava: sódio 152 mmol/l.

Caso 2

Problema: Desidratação

Instituto de Terapêutica

Caso 2

:

Problema Cálculo de água corporal perdida: EO:
sede: 2% prega cutânea >2% alteração do estado de consciência 7-14% coma > 15%

Água corporal total = 0,6 x peso
Instituto de Terapêutica

Caso 2

Problema:
Cálculo de água corporal perdida:
[(Na plasmático – 140)/140] x água corporal total

[(152-140)/140] x 48

4 litros
Instituto de Terapêutica

Caso 3   AAA. ureia 8. 70 anos. estava estuporosa desde o início da tarde. aprox. À observação: doente em coma.   Instituto de Terapêutica . 110 Kg Trazido ao SU por “abusar de refrigerantes na praia e ter diabetes”. além disso.8.8. sem sinais focais evidentes. Glicémia capilar 30 mmol / L. sexo feminino. potássio 4. No SO apresenta ionograma com sódio 152. glicémia capilar 33 mmol / L.

Caso 3  Problema: Coma hiperosmolar Osmolaridade sérica: Ureia+glicémia+2x(sódio+potássio)=355.4   Osmolaridade sérica muito aumentada Normal 285-295 Mosm/kg Instituto de Terapêutica .

6 litros  Situação de excepção dada a diurese osmótica – há concomitantemente natriurese.Caso 3 Problema: Cálculo de água corporal perdida: [(Na plasmático – 140)/140] x água corporal total [(152-140)/140] x 66  5. a perda hídrica corresponde geralmente a 2x o valor calculado Instituto de Terapêutica .

5L necessidades básicas e 1.Caso 3  De acordo com o regime geral: Fraca reserva cardíaca: máximo tolerado 5.5L compensação) Instituto de Terapêutica .5L (3.5L (idem) 3º dia: 5L (3.5L / dia 1º dia: 5.5L necessidades básicas e 2L compensação) 2º dia: 5.

5L necessidades básicas e 2L compensação) Instituto de Terapêutica .5L / dia – forçar até ocorrência de falência coração dto/esq: 1º dia: 7.5L (3.5L (3.5L necessidades básicas e 4L compensação) 2º dia: 6. De acordo com o regime coma hiperosmolar: Carência de cerca de cerca de 9L Fraca reserva cardíaca: Máximo tolerado 5.5L (3.5L necessidades básicas e 3L compensação) 3º dia: 5.

Instituto de Terapêutica .Caso 4 JJF.  Trazido de helicóptero por queimadura extensa 2º grau superficial. 29 anos. sexo masculino. 75 Kg. com área corporal afectada calculada em 40%.

sexo masculino. 29 anos.  À observação o doente está vigil. 75 Kg. Instituto de Terapêutica .Caso 4 JJF. TA 70-40 mmHg. Pulso 120 ppm rra. colaborante e ansioso.

Caso 4 Problema: Grandes queimados a) Fórmula de Parkland: 4 ml / Kg / % área queimada 12L  Lactato de Ringer nas 24 horas: 0-8 h: 50% 8-16: 25% 16-24 horas: 25% Instituto de Terapêutica .

Caso 4 Problema: Grandes queimados a) Fórmula de Brook:   Cristalóides: 1.5L Colóides: 0.5 ml / Kg / % area queimada=4.5 +2 Instituto de Terapêutica .5 ml / Kg / % area queimada + 2L H2O= 1.

80 Kg Vómitos e diarreia aquosa em abundante quantidade há 2 dias Queixa-se de dores abdominais tipo cólica e fraqueza muscular   Instituto de Terapêutica . Caso 5  JMF. sexo masculino. 29 anos.

sem sinais de irritação peritoneal   Instituto de Terapêutica .8ºC axilar).  Observação: Subfebril (37. difusamente doloroso. TA 120/80 mmHg Ligeiramente desidratado Abdómen com gorgolejo à palpação profunda.

5) NA 137 K 2.5 mg/dl (N < 0.3 ECG: RS. sem alterações significativas Diagnóstico: GEA com hipocaliémia moderada e desidratação ligeira      Instituto de Terapêutica . Analiticamente: PCR 2. FC 68bpm.

4xpeso)] = 36 mmol Como K é intracelular o deficit pode ser maior Reposição: 40 mmol em 1l SF a perfundir em 3h Instituto de Terapêutica .5-K actual) x [(o.      Como repor K? Deficit de potássio: (3.