You are on page 1of 2

ECTS - Escola Superior de Educação Curso: Licenciatura em Educação Musical Unidade Curricular: Educação Inclusiva

Ano Lectivo: 2012/2013 Ano curricular: 3 Período Lectivo: 1ºSemestre Frequência: Obrigatória Docente Responsável: Doutora Manuela Ferreira Objectivos: 1- Identificar e avaliar as dinâmicas éticas, científicas e sociais envolvidas nas definições de deficiência e de educação. 2- Entender a diversidade desenvolvimental e educativa das crianças de modo a ser capaz de identificar as variáveis internas e socioculturais que contribuem para as diferenças individuais nos diferentes domínios de aprendizagem. 3- Entender a importância das teorias no planeamento, implementação e intervenção de programas educativos e sociais inclusivos. 4- Ser capaz de promover contextos educativos onde as crianças, com e sem NEE, desenvolvam competências cognitivas, sociais e artísticas em conjunto. 5- Ser capaz de usar experiências artísticas apropriadas à promoção do desenvolvimento das crianças. 6- Saber usar as estratégias de aprendizagem cooperativa e de trabalho em cooperação de modo a criar ambientes de aprendizagem flexíveis e criativos.  Programa: 1. A evolução das teorias explicativas na compreensão do(s) conceito(s) de deficiência: desconstrução do conceito de deficiência 1.1. O modelo educativo da segregação: crença na incompatibilidade de conciliar o tempo e o espaço de aprendizagem para todas as crianças. 1.1.1. A congruência socio-científica: um modelo de sociedade, de escola e de aprendizagem e ensino. 1.2. O racional subjacente ao modelo educativo da Segregação. 1.2.1. A psicometria e as teorias inatistas da inteligência. 1.2.2. O modelo Biológico da incapacidade. 1.3. Críticas ao movimento educativos da segregação 1.3.1. Críticas à inteligência como qualidade intrínseca e imutável; 1.3.2. Estudos comparativos da eficácia dos espaços educativos; 1.4. O movimento educativos da integração: propostas para a normalização. 1.5. O racional científico associado à integração. 1.5.1. O modelo da interação/aptidão/tratamento; 1.5.2. Análise comportamental aplicada e psicologia ecológica. 1.6. Modelo de aprendizagem e de ensino. 1.6.1. Legislação e conceitos de necessidades educativas especiais; 1.6.2. Avaliação da integração do ponto de vista da inclusão. 1.6.2.1. Efeitos positivos, efeitos negativos. 1.7. Construindo a inclusão: novos modos de conhecer e compreender as diferenças. 1.7.1. O modelo educativo da inclusão como uma mudança de paradigma. 1.7.2. Confluência de teorias e modelos. 1.7.3. Os processos de funcionalidade e incapacidade como sistemas abertos e paralelos. 1.7.4. O modelo biopsicossocial do funcionamento. 2. Contributos teóricos das perspectivas actuais do desenvolvimento na construção de contextos inclusivos 2.1. O desenvolvimento normal e atípico da criança: uma perspectiva holística 2.1.1- Princípios orientadores do desenvolvimento 2.2. O modelo biopsicossocial na explicação do comportamento humano 2.2.1-. A Classificação Internacional da Funcionalidade (CIF) da OMS como referencial para a avaliação e intervenção. 3. Contextos e Práticas inclusivas 3.1. Ambientes inclusivos: Escolas e salas de aula 3.2.1. O Modelo do Tempo de Ensino como um modelo alternativo para avaliar e intervir. 3.2.2. As variáveis ecológicas da sala de aula: a ecologia física e a ecologia social. 3.2. O ensino inclusivo como a efectivação da teoria ecológica, comportamental e sócio-cognitiva 3.2.1. A diferenciação curricular e o ensino inclusivo: o caso específico da educação musical e das artes visuais. 3.2-2. 2O perfil de professor para a inclusão: 4. Desenho de contextos e programas inclusivos Metodologias de Ensino: Recorrendo a uma perspectiva sócio-construtivista, os temas serão primeiramente tratados a partir da experiência dos estudantes recorrendo, para isso, a "situações problema", análise de discursos, dilemas, relatos de vida, mapas conceptuais, etc.- para, seguidamente, os teorizar no quadro das pesquisas mais relevantes no domínio em causa. Métodos de Avaliação: Nº créditos (ECTS): 4.0 Horas teórico/práticas: 37.5 h

Conceptual Models of Disability: Past. G. M. Porto: F. Disability in América ¿ A New Look. Policy guidelines on inclusion in education.C. Educação Especial ¿ Uma História de Separação.5 numa escala de zero a vinte. M. (1991) O Tempo na Tarefa e o Processo de Ensino-Aprendizagem: Estudo Observacional de Alguns Comportamentos do Professor e dos Alunos numa Classe do Segundo Ano da Primeira Fase.&#8194. Bibliografia: Sanches-Ferreira. o estudantes ter uma classificação menor que 9. Edições Afrontamento. UNESCO (2009). (2007).15% apresentação na aula e 35% trabalho escrito). A nota quantitativa resultará da soma obtida nas duas formas de avaliação. 1 de Outubro de 2012 . Present. Whiteneck. Sanches-Ferreira. (2006).E.A avaliação constará de uma frequência (50%) e de um trabalho de grupo com o tema geral ¿desenho de contextos e de programas inclusivos no domínio da educação musical/ educação visual e tecnológica (50%. não podendo.P.P. Paris: UNESCO.U. em nenhuma das avaliações. Doutora Manuela Ferreira Porto. Educação Regular. Dissertação de Mestrado. and Future.