briefing

GUSTAVO VITULO

jura que vai aument até a orelha explodirar
rças todas as fo odeia comho do seu nariz

o taman

boca, seria uma pena se ele não fal asse demais

com esse tamanho de

tem um colar de penas que promete levar par a o caixão

O CLIENTE

Luiz Gustavo Santana Vitulo - pode chamá-lo apenas pelo último nome - é um pós-adolescente de 18 anos que ama falar de si mesmo na terceira pessoa. Gustavo tem a certeza de que a arte pode mudar a vida das pessoas de todas as formas possíveis e fez com que isso (além da possibilidade de trabalhar pelo resto da vida com o que gosta) se tornasse um dos motivos para abandonar o interior do estado e escolher o curso de design gráfico.
Ele jura que tem um olho maior (ou mais aberto) do que o outro, que já viu a sombra de um velho macabro entrando em um banheiro do sítio dos tios e que existe vida fora deste planeta habitado por loucos.

O jovem tem mania de arrumar os cabelos em qualquer tipo de espelho que esteja a seu alcance (acredite, ele chega a atravessar uma avenida inteirinha se lá estiver o tão sonhado retrovisor de algum carro), de consertar a postura radicalmente quando sente que está fazendo cover do Corcunda de Notre-Dame, de achar que toda e qualquer roupa está amarrotada ou cheia de pêlos e de ter outras paranoias sem noção.

E por falar em paranoias, Vitulo tem o defeito de desconfiar de tudo e de todos graças à sua capacidade de pensar trinta e cinco vezes antes de fazer qualquer tipo de coisa. Ele tem a certeza de que até a sua sombra tem o objetivo de assassiná-lo quando está atrás dele e de que se ele conversar fixamente olho-no-olho da pessoa ele vai virar uma estátua de pedra.

O garoto tem 74kg muito mal distribuídos - em gordura na barriga e aparência esquelética no resto do corpo - em abominantes 1,99 de altura e um IMC de 18,7. A pele muito branca é garantia de vermelhidão (e até de queimaduras) em um dia de sol muito intenso. Ele garante que os seus olhos são castanhos claros, apesar de saber que está mentindo para si mesmo e que os pigmentos em suas íris são escuros. Os cabelos são pretos e lisos. Vitulo acha que um dos seus grandes defeitos é a procrastinação em excesso. Ele comprou um livro para acabar de vez com o problema, leu a primeira página e guardou. Há quatro semanas e meia. Diz que "amanhã lê". Ele diz ser detalhista - já mudou esse texto trinta e três vezes - mas não sabe se isso é um defeito ou qualidade, pois perde muito tempo com a falta de simplicidade. Acha que não viveria sem música por nem um dia de sua vida. So please, please, please, let me get what i want this time.

ALTURA
Gustavo diz que tem 1,99 de altura só para não admitir que chegou à casa dos dois metros. Ele não consegue ter qualquer tipo de conversa com as suas tias sem que antes elas soltem um clássico "preciso de uma escada pra falar com você" ou o frequente "daqui a pouco não vai conseguir nem passar pela porta". O garoto não tem noção de como chegou à essa estatura e se sente muito incomodado em qualquer tipo de viagem pois não consegue se encaixar confortavelmente em um banco. Sofre com constantes dores nas costas. Tem problemas na coluna. Odeia quando as pessoas ficam olhando para ele na rua. Mas esquece disso tudo quando está em um show da banda que gosta e tem uma visão infinitamente privilegiada. E agradece por ser como é.

Vitulo não chega a contar, mas ultrapassa com toda certeza a média de doze tropeços no caminho para a faculdade. Desengonçado, desconjuntado, desajeitado. Tudo o define. Já nem sente mais o mindinho do pé esquerdo, que é apaixonado pela quina dos móveis da sala. Bota a culpa na altura e diz que é difícil manter o equilíbrio. Mas continua pagando mico ao cair só quando tem muita gente perto. Parece até psicológico.

PALHAÇO
O jovem tem mania de sumir as coisas, mas tem uma que ele nunca vai perder: a piada. Fazia stand up no sexto ano do colegial sem nem imaginar o que significava a palavra que virou moda. Hoje, analisa todas as situações possíveis só pra ver se dá pra fazer algum trocadilho. Fala com todo mundo e logo quando (pensa que) fica íntimo começa a tentar ser engraçado. E geralmente consegue, até quando não quer - as pessoas dizem que começam a rir só de olhar pra sua cara.

E SE ELE FOSSE...

um animal
Se fosse um animal, Gustavo seria um avestruz. Alto, desengonçado e engraçado. Corre pra caramba (o menino corre contra o tempo pra manter as coisas em ordem). Esconde muitas coisas por trás de suas penas assim como o garoto pode ser quem não aparenta, à primeira vista, ser. É um dos animais mais resistentes do globo, provando que pode passar por diversas situações. E esconde a sua cabeça quando se sente acuado, um ditado muito utilizado por Vitulo quando ele está morrendo de vergonha.quando (pensa que) fica íntimo começa a tentar ser engraçado. E geralmente consegue, até quando não quer - as pessoas dizem que começam a rir só de olhar pra sua cara.

um VEGETAL
Um vegetal que combina bastante com Gustavo é a berinjela. Tem forma estranha, é engraçada de se ver e de fácil cultivo - e, portanto, de fácil convivência. Pode ter uma aparência peculiar e não agradar muita gente que fala mal do vegetal sem "conhecer". É muito sensível ao frio e pode ser utilizada para vários fins.

um OBJETO
Se fosse um objeto, o jovem seria um boneco de posto, popularmente conhecido como boneco biruta ou simplesmente como bonecão do posto. Está sempre feliz e sorridente e estranha a todos quando "murcha", se tornando irreconhecível nessa situação. Tira risos de todos só de olharem pra sua cara. É alto, para ser enxergado de longe. Sua aparência é desengonçada, mas podem tentar derrubá-lo e ele nunca vai cair.

“bo

m doid á t á
t

ão c e n

d

st o p o

o c u al ão”

o

uma ÉPOCA
Se pudesse se resumir em uma época, Gustavo seria a tropicália. A corrente cultural surgida durante o regime militar e com influências de vanguarda e da cultura pop brasileira e estrangeira tinha o objetivo de inovar de todas as formas possíveis. O movimento, assim como o garoto, era apaixonado por música, manifestações artísticas, cinema e teatro e exigia mudanças radicais em todos os meios. Era desengonçado, no bom sentido, pois era diferente.

um LUGAR
São Paulo seria a cidade ideal para definir Vitulo. Está sempre crescendo e sempre querendo crescer, mostra imponência com os seus enormes arranha-céus, altos como o garoto. Sonha muito. É grande. Exagerada. Em tudo. E com isso se torna caótica, desajeitada e desorganizada. E chega a ser engraçada.

umA ROUPA
Se fosse transformado em uma roupa qualquer, Vitulo seria uma calça boca-de-sino. Lembra o passado, tem um estilo alternativo e atualmente é um prato cheio para risadas e para os clássicos "quem usava uma coisa dessas".

“a day without laughter is a day wasted.”

umA PERSONALIDADE
Charles Chaplin é, com certeza, uma das maiores inspirações de Gustavo. Um dos maiores ícones da sétima arte mostra como uma pessoa pode ser completa, em todos os sentidos. Carlitos, como era chamado, mostra como era desajeitado em algumas de suas atuações e dá motivos para acreditarmos que ele foi um dos maiores ícones do humor de todos os tempos.
“To truly laugh, you must be able to take your pain, and play with it!”

um SABOR
O sabor doce e azedo do Kiwi chega a ser engraçado, por isso esse é um dos preferidos de Vitulo. A fruta marrom por fora e verde pro dentro que veio da China e felizmente faz sucesso no nosso país tem um interior incomum e que chama a atenção das pessoas. O garoto jura que um dia quer experimentar uma pizza com um recheio assim.

UM HOBBY
A fotografia faz parte da vida de Gustavo desde que ele ganhou uma câmera análogica no Natal dos seus 8 anos. A partir daí, registrar momentos começou a fazer parte da sua vida. Quando começou a trabalhar, o jovem ficou por três meses sem comprar chocolates só para ter condições de adquirir uma câmera profissional. Fotografar é a sua distração, o seu mantra e o seu hobby preferido.

DUAS CORES
PANTONE 102 C PANTONE 185 C
Amarelo e vermelho simbolizam a alegria e ao mesmo tempo definem Vitulo. São cores de alta temperatura, alegres e totalmente diferentes. Lembram a magia circense e, portanto, palhaços.

design gráfico - uemg metodologia aplicada ao design

luiz gustavo santana vitulo gustavovitulo@gmail.com

GUSTAVO VITULO

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful