INTRODUÇÃO

Ao olhar a história humana percebe -se o quão importante é o

domínio da produção energética, partindo da descoberta do fogo, passando pelo revolução industrial com a criação das máquinas a vapor que produzia a força de centenas de homens, passando pelos conflitos dos últimos dois séculos até chegar a atual situação polítco -econômica do mundo, aonde as nações mais fortes são aquelas que apresentam melhor habilidade em usurfruir da energia disponível no planeta. Atualmente cerca de 80% da en ergia consumida no mundo tem origem fóssil ou fontes não renováveis (petróleo, gás natural, carvão mineral, etc). Devido à crescente demanda de energia e à previsão de insuficiência deste tipo de fontes energéticas a busca por fontes

alternativas tem se tornado tema principal de encontros políticos e científicos. A história nos mostra que quem dominar o futuro energético do planeta representará importante papel na econômia mundial. O biodiesel é uma evolução na tentativa de substituição do óleo diesel por biomassa, iniciada pelo aproveitamento de vegetais da natureza. É um combustível renovável derivado de óleos vegetais como girassol, mamona, soja entre outras oleaginosas, ou de gorduras animas que passam por um processo químico para retirada da glicerina d o óleo. É obtido pela reação de óleos vegetais com um intermediário ativo, formado pela reação de um catalisador com um álcool, que recebe o nome de transesterificação. Os produtos da reação são éster e glicerol, os ésteres produzidos têm

1

incluir na análise a quantidade de população. GLP. Lenha. O biodiesel pode ser aplicado em qualquer veículo com motor a diesel. industrial. Como base para tal é necessário saber as necessidades e atuais condições do mercado. Diesel e Biodiesel por setor (residencial. comercial. 2 . transporte) no período de 2002 a 2011. (Período 2002 a 2011) III) Oferta de energia (tipo e quantidade) por região no período de 2002 a 2011.composições físico-químicas muito parecidas com o do óleo diesel daí o nome biodiesel. Os engenheiros representam papel fundamental na melhoria do uso dos recursos naturais e na busca de alternativas . II) Análise comparativa do consumo residencial de eletricidade. Energia El étrica. por região e por Estados. Este trabalho visa analisar o balanço energético do Brasil nos seguintes aspectos: I) Análise comparativa do consumo para uso energético do Gás Natural.

sendo responsável por mais de 97% do consumo destes combustivéis.20% 0.I) ANÁLISE COMPARATIVA DO CONSUMO ENERGÉTICO POR SETOR Ao comparar o nível de consumo dos d e cada combustível por setor no ano de 2011 .02% FLUXO Natural RESIDENC IAL 2.00% 0.71% 97.43%. lenha e de eletricidade.00% 0.28% COMERCIAL 1.65% TRANSPORTES INDUSTR IAL 14.89% 46. enquanto os setores residencial e comercial praticamente não os consomem.16% 81.43% 97.24% 2. Tabela 1 Gás Óleo Lenha Eletricidade Diesel 0.27% 2. Tais informações podem ser observadas na seguinte tabela.67% 0. Vale ressaltar também que o setor de transpostes consume praticamente nenhuma lenha e uma ínfima parcela de eletricidade cerca de 0.73% 3 .73% 52. Além disso percebe-se o que setor industrial é de longe o principal consu midor de óleo diesel e de biodiesel.00% 0. nota-se que o setor industrial é o maior consumidor de gás natural.73% 28.68% 18.02% Biodiesel 0.59% 52. No consumo de lenha o setores industriaal e residencial são responsáveis cada um por uma metade.

Setor Residencial Ao analisar o gráfico 1 que representa a distribuição das fontes de energia em questão no setor residencial. O consumo de gás natural é reduzido pois a maioria das resi dencias ainda usa GLP. isso pode ser explicado por duas razões: a chegada de eletricidade em lugares mais remotos do país o que justifica tanto o aumento do consumo desta quanto a redução no uso da lenha. associado a isso o incentivo à compra de utilitários doméstico com a redução de impostos e a facilidade de acesso ao crédito devido ao aumento do poder aquisitivo da população brasileira nos últimos anos. O diesel e o biodiesel praticamente não são usados por isso seus valores tangem ou se igualam a zero. Setor Residencial 10^6 tep 12 10 8 6 4 2 0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 GÁS NATURAL LENHA ELETRICIDADE ÓLEO DIESEL BIODIESEL G r áf i c o 1 4 . Com o avanço do tempo nota -se uma reduçao no uso da lenha e um crescimento no uso da eletricidade.

Setor Comercial 10^6 tep 7 6 5 GÁS NATURAL 4 3 2 1 0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 LENHA ELETRICIDADE ÓLEO DIESEL BIODIESEL G r áf i c o 2 5 . gás natural e oléo diesel. Além disso podemos comprovar com o gráfico 2 logo abaixo.Setor Comercial O setor comercial está quase que totalmente localizado em centros urbanos o que dificulta ou até mesmo impossibilita o uso de fontes como lenha. Isso explica a tabela 1 onde n ota-se que o setor comercial só representa uma parcela significativa no consumo de eletricidade.

Setor de Transportes Ao analisar o setor de transportes confirmamos o que foi dito anteriormente sobre praticamente não consumir lenha e eletricidade. Vale ressaltar que os dados do biodiesel estão apresentados como zero devido a falta de tais dados. Nota -se que o que diesel é a principal fonte de energia deste setor. Setor de Transportes 10^6 tep 40 35 30 25 20 15 10 5 0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 GÁS NATURAL LENHA ELETRICIDADE ÓLEO DIESEL BIODIESEL G r áf i c o 3 6 . o que justica ações do gorveno como os subisídios no preço do mesmo. O gás natural também representa uma parcela significativa.

A principal fonte é energética é a eletrecidade. o que obriga a industria a produzir mais aumentando a necessidade de energia. O costante cresimento do uso da energia como u todo pode ser relacionado com o crescimento econômico do país. Setor Industrial 10^6 tep 20 18 16 14 12 10 8 6 4 2 0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 GÁS NATURAL LENHA ELETRICIDADE ÓLEO DIESEL BIODIESEL G r áf i c o 4 7 . mas lenha e gás natural representam uma parcela significativa.Setor Industrial Facilmente percebe-se que combustíveis líquidos como o diesel/biodiesel não pouco usado no setor industrial. Um fato interessante e que pode ser relacionado com a crise econômica mundial é a leve queda do consumo de energia no ano de 200 9.

o intervalo de tempo aqui trabalhado vai de 2002 até 2011 mas o censo apenas fornece dados para os de 2000 e 2010. O dados demográficos no Brasil são coletados apenas a cada 10 (dez) ano. Afim de realizar a análise considerando a populaçao será considerad o um crescimento linear e assim obter -se-á os dados referentes a cada ano. Tabela 2 8 . e para o ano de 2011 extrapolar -se-á os mesmos dados.II) ANÁLISE COMPARATIVA DO CONSUMO RESIDENCIAL PER CAPITA DE ELETRICIDADE E DE GLP Nesta seção visa-se analisar o consumo per capita de eletricidade e GLP por região e por estado do país.

9 . Enquanto isso a análise dos dados e gráficos referentes ao consumo do GLP per capita apresenta certa constância ou até mesmo algum decaimento. As pessoas continuam conzinhado da mesma forma que a dez anos atrás e redução em alguns estados pode ser explicada pelo aumento do uso de fogões e fornos elétrico ou até mesmo o uso do gás natu ral.Tabela 3 Ao analisar os dados e gráficos apresentados nas tabel as acima nota se que o comportamento do consumo de eletricidade per capita aprensentou razoável crescimento em todos os estado. Isso pode ser explicado pelo aumento do poder aquisitivo de classes mais baixas com C e a D. associado à facilidade de acesso ao crédito e à redução de impostos sobre eletrodomésticos para estimular a economia nacional. o que significa dizer que a população está consumindo mais do que a 10 anos atrás.

8 50 40 30 20 10 0 8.7 2010 7.III) OFERTA DE ENERGIA POR REGIÃO Esta seção é responsável por apresentar qual a contribuição de cada região para a produçao energética do país. a Eletricidade e o Álcool. o Carvão Mineral. Dentre os tipos serão considerados o Petróleo. tal se deve a grande produção da Bacia de Santos que é a maior fonte nacional. 10 .7 2009 7.9 CENTRO-OESTE SUL SUDESTE NORDESTE NORTE 0. Produção de Petróleo 100 90 80 70 60 89.7 2011 90. o Gás Natural.6 1.7 90. E que com a descoberta do pré -sal tende a se tornar ainda mais dominante.5 1.3 G r áf i c o 5 Quase todo o petróleo nacional é obtido no Sudeste.1 1.

3 25.3 26.0 G r áf i c o 7 11 .3 55.4 62.8 17. o gás apresenta tal distribuição.4 CENTRO-OESTE SUL SUDESTE NORDESTE NORTE G r áf i c o 6 Pelos mesmos motivos do domínio do Sudeste na produção do petróleo.0 2009 0.Produção de Gás Natural 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 2009 2010 2011 17.8 57. Produção de Carvão Mineral 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 0.7 20.0 2010 2011 100 100 100 CENTRO-OESTE SUL SUDESTE NORDESTE NORTE 0.9 16.

6 12.3 2010 12.8 2011 36.6 26.6 11.2 2010 8.3 20.2 2009 6.6 27.5 0.3 11.1 SUDESTE NORDESTE NORTE 8.2 22.6 6.8 12. este apresenta baixa qualidade devido a grande quantidade de enxofre presente no minério.7 2011 G r áf i c o 8 Produção de Eletricidade 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 13.6 36.4 6. Ao comparar o carvão brasileiro com outros.6 28.O Brasil como um todo produz pouquíssimo carvão mineral quando comparado a países como China e Estados Unidos.6 62.3 7.7 66. Toda produção está localizada na região Sul.5 0.5 2009 11.7 34.5 0.9 CENTRO-OESTE SUL SUDESTE NORDESTE NORTE G r áf i c o 9 12 .1 10. Produção de Álcool 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 16.0 13.1 CENTRO-OESTE SUL 67.

Com a construção da polêmica Usina de Belo Monte o Norte contribuirá bastante para a produção de eletricidade nacional. 13 . mas em alguns anos isso mudará.Atualmente a contribuição da região Norte não é tao considerável.

Diante a atual preocupação com o meio ambiente e os agentes poluentes. um país capaz de fornecer energia suficiente para as empresas que ali se instalam . acaba por atrair ainda mais investimentos. Tendo em vista os péssimos efeitos econômicos e políticos (em âmbito global) devido à crise energética de 2001. possibilitando assim o uso eficiente destas propiedades. Problemas como este retardam o crescimento do país e inibem futuros investimentos. Com tantas informações é necessário muitas vezes filtrá -las e sintetizá-las. Através de análise de dados pode -se perceber comportamentos passados em vias de aprendizagem.CONCLUSÃO O Brasil como protador de uma econômia em ascendência apresenta grande necessidade de expansão de sua matriz energética . 14 . acompanhada pela campanha do racionamento. entre outras. para acompanhar o crescimento econômico e industrial do país. A tentativa de estimular produção de fontes alternativas representa importante papel. Podemos citar o avanço no uso do biodiesel que agora faz parte a mistura vendida em postos de gasolina como diesel-B5. Além disso. prever futuras necessidades com o obje tivo de prepara-se para novas situações. o Brasil é tido como referências em muitos países porque boa parte de sua energia é proveniente de fontes renováveis: hidroéle tricas e biomassa (álcool) por exemplo.

G.p df> 15 . Tese de Mestrado. Rio de Janeiro. Gadelha. Censo demográfico 2010: Resultados gerias da amostra..br/spe/publicacoes/conjuntura/informativo_econo mico/2012/2012_04/outros/ IE%202012%2004%2027%20CEN SO%202010. 2008. L.epe. Disponível (Acessado em: em 30 < de https://ben.BIBLIOGRAFIA Balanço Energético Nacional. S.gov. De B. Tese de Mestrado. 27 de Abril de 2012.aspx > janeiro de 2013 ) Pacheco. Disponível em: <http://www.fazenda.br/BENSeriesCompletas. Brasília. IBGE.gov. R. Consumo de Eletricidade e Crescimento Econômico no Brasil. A Indústria de Gás Natural no Brasil: S ua importância e a diversidade na matriz energética nacional.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful