You are on page 1of 12

The Basis Blue Book

22

4. Extended Transport System
Uma das inovações do SAP R/3 4.6 para a área de Basis é o Extended Transport System. Este recurso elimina a necessidade de uma ou mais pessoas se dedicarem ao transporte manual das CTS (conhecidas também como Change Requests), seja via comando TP, seja através da transação STMS. Utilizando o ETS (Extended Transport System), é possível configurar rotas de transporte para mandantes (clients) ao invés de rotas direcionadas apenas para sistemas. E é possível criar rotas diferenciadas (por exemplo, uma rota para configurações funcionais e outra rota para ajustes em programas – independentes de mandantes). Este roteiro ilustra, passo a passo, a configuração e o uso do ETS.

Cristiano S. Canzone

Estas alterações são independentes de mandantes e.1 – O landscape Este landscape possui as seguintes características: Os programadores ABAP fazem suas alterações (e. O mandante 110 é utilizado para consolidar as configurações para a realização dos testes integrados. O mandante 120 é copiado para o mandante 130 a cada treinamento. a fim de que as equipes de ABAP possuam a última versão da configuração em seu mandante. geram suas CTS) no mandante 030.The Basis Blue Book 23 O Ambiente de Exemplo Tomemos como exemplo o landscape SAP abaixo: Figura 4. O mandante 210 deve receber as configurações que. Estas seguirão na cópia. As equipes funcionais geram suas CTS no mandante 010. foram validadas no mandante 110. Canzone . só precisam “ir” para um mandante em cada sistema. portanto. consequentemente. depois de testadas. Cristiano S. o mandante 130 não precisa receber transportes das configurações. Portanto. Estas configurações devem ser copiadas para o mandante 030.

Para isso. Portanto. Cristiano S. Transport Layers – Como funcionam nesse caso ? O sistema de transportes do SAP utiliza os Transport Layers para associar CTS a rotas de transporte. Z<SID> (no nosso caso. Em uma instalação padrão do sistema. efetuadas pelas equipes de ABAP. são transportáveis apenas por este layer. Programas standard. O Layer SAP é utilizado para o transporte de objetos SAP Standard. há dois transport layers criados. é necessário apagar todas as rotas existentes no SAP. são transportáveis apenas pelo transport layer ZDEV. por exemplo. pressione F5 para ativar o modo de edição. Lembre-se que você deve fazer estas alterações sempre no Transport Domain System. Na tela de rotas de transporte. as alterações de programas. precisamos criar rotas de transporte para obtermos o cenário abaixo: 24 Figura 4. ZDEV) e SAP.The Basis Blue Book Portanto.2 – O landscape e os transportes Limpando a casa Antes de começar a trabalhar com o novo sistema de transportes. Canzone . Selecione as rotas de transporte (uma a uma) e selecione o menu Edit | Transport Route | Delete. é necessário criar um layer adicional para o transporte das configurações funcionais (lembre-se que o layer SAP é para programas standard e o layer ZDEV para configurações workbench). Uma vez que não é possível utilizar um transport layer em duas rotas diferentes. para o mesmo sistema de origem (no caso o DEV). O Layer ZDEV é utilizado para o transporte de objetos da SAP transportáveis em uma ordem de transportes Workbench. deve-se entrar na transação STMS e selecionar o menu Overview | Transport Routes.

chamado /RELEASED/. como na figura abaixo. O nome dos grupos deve começar e terminar com uma barra (/). chamado /RELEABAP/. a SAP liberou uma nota (313991) que basicamente diz que devemos criar um sistema virtual (VIR) entre o sistema QAS e o sistema PRD para validar a aprovação das CTS. Um grupo para transportar CTS de ABAP para o mandante 110. No nosso exemplo.The Basis Blue Book 25 Criando um transport layer adicional Para criar um transport layer deve-se entrar na transação STMS e selecionar o menu Overview | Transport Routes. chamado /DELIVERY/. Feito isso.3 – Criação de transport layers A nota 313991 Devido a problemas de transporte das CTS aprovadas no sistema de QAS. Figura 4. Canzone . de acordo com a nota 313991 da SAP: Um grupo para transportar CTS funcionais para os mandantes 030. Um grupo para transportar CTS aprovadas no QAS para o mandante 210. preencha o nome do grupo (começado e terminado por “/”) e uma descrição para o grupo. para configurações de customizing. da produção. criamos uma rota de transporte ZCUS. clique no botão Client Assignment. clique no botão Save. Cada grupo de transporte possui a relação de mandantes que devem receber as CTS geradas para a rota a que este grupo pertence. No nosso caso. Na tela de rotas de transporte. criamos quatro grupos de transporte. Grupos de transporte O novo sistema de transporte utiliza o conceito de grupos de transporte. um para cada rota ilustrada na figura 4. como na figura abaixo: Cristiano S. agendar a execução de um job para fazer a movimentação das CTS neste sistema virtual. Preencha uma linha de cada vez. A seguir. Selecione o menu Edit | Transport Route | Create.2 e mais um para validar a aprovação das CTS. devemos ajustar as rotas e grupos de transporte para contemplar este novo sistema e. com o nome do sistema e o número do mandante destino. Este grupo tem como destino o mandante 003 (qualquer número serve) do sistema VIR. 110 e 120. usando um sistema virtual (VIR). por fim. Na janela que se abrir. Para criar as rotas de transporte. selecione o menu Edit | Transport Target Group | Create. pressione F5 para ativar o modo de edição. Após preencher os campos. chamado /APPROVED/. Um grupo para intermediar a aprovação das CTS.

pressione o botão Save (vide figura abaixo): Cristiano S.4 – Criando um grupo de transporte Após criar uma linha para cada conjunto de sistema/mandante. selecione o sistema de origem (em nosso caso. Ao final. Em Transport Layer. Rotas de Transporte É necessário criar as rotas de transporte. clique no botão Extended Transport Control. que orientarão o SAP em como deve ocorrer o transporte (em que sequência). uma para cada grupo de transporte criado. insira o nome do grupo de consolidação. clique no botão Save.The Basis Blue Book 26 Figura 4. DEV).5 – A primeira tela de Rotas de Transporte e o botão Extended Transport Control Selecione a opção Consolidation. Em Integration System. Na janela que se abrir. Canzone . Selecione o menu Edit | Transport Route | Create. Em Consolidation Target. Serão criadas três rotas. como na figura abaixo: Figura 4. selecione o transport layer desejado.

Uma última rota. e o Delivery Target é /APPROVAL/. Uma rota para as CTS de objetos ABAP não-standard. cujo Integration System é DEV.The Basis Blue Book 27 Figura 4. para as CTS aprovadas no QAS (para transporte para o PRD). o Transport Layer é ZDEV e o Consolidation Target é /RELEABAP/. de Consolidation. cujo Delivery Source é QAS. cujo Integration System é DEV. e o Delivery Target é /DELIVERY/. de Consolidation. Uma rota para as CTS aprovadas no QAS (para validar a aprovação). de Delivery.003 (um mandante virtual de um sistema também virtual). o Transport Layer é ZCUS e o Consolidation Target é /RELEASED/. Cristiano S. Canzone .6 – Criando uma rota de transporte Para nosso exemplo devem ser criadas duas rotas de consolidação e duas rotas de delivery: Uma rota para as CTS funcionais. o Transport Layer é SAP e o Consolidation Target é /RELEABAP/. de Consolidation. Uma rota para as CTS de objetos SAP standard. cujo Integration System é DEV. de Delivery. cujo Delivery Source é VIR.110 (nosso mandante de aprovação).

The Basis Blue Book 28 Como fazer para distinguir os grupos e os mandantes ? É necessário um pequeno subterfúgio para “dizer” ao SAP que as CTS liberadas no mandante 010 devem entrar na fila /RELEASED/. Cristiano S. associando o mandante ao Layer desejado (no nosso caso.7 – Selecionando um sistema Na janela que se abre (vide figura 4. Figura 4. associamos o mandante 010 ao Layer ZCUS). uma vez que a fila /RELEABAP/ é que está associada ao layer default (ZDEV). clique sobre o sistema DEV (vide figura 4. Para isso. selecione a guia Standard Transport Layer e insira uma linha em Client Specific Settings.7) e selecione o menu Edit | System | Change.8). Canzone .

selecione um sistema – no nosso caso o QAS (vide figura 4. através de uma transação específica.The Basis Blue Book 29 Figura 4. descrita mais abaixo) podem selecionar as CTS que serão transportadas para a produção. Na janela que se abre. Cristiano S. Usuários selecionados como aprovadores (que possuam uma autorização específica. Para definir o sistema onde ocorrerão as aprovações. ative a opção Delivery After Confirmation. e em seguida clique no botão Procedure. conforme a figura 4.7) e selecione o menu Edit | System | Change.9.8: Associando mandantes a Layers Definindo o sistema de Aprovação No ETS existe um conceito de aprovação de CTS para a Produção. Canzone .

Canzone . ative a opção To be approved by department.10). Após diversas simulações esta foi a melhor alternativa encontrada. 9 – Ativando o procedimento de aprovação de CTS Na janela que se abrirá (vide figura 4.10 – Escolhendo uma estratégia de aprovação de CTS Cristiano S. Figura 4.The Basis Blue Book 30 Figura 4.

ajustar as CTS existentes. será exibido um log com as alterações efetuadas e aquelas que não foram possíveis. selecionar as CTS e escolher o menu Request | Target Client | Set. é necessário gravar as alterações e distribuí-las para os demais sistemas. Neste caso. Na guia Date/deadline. As CTS que não foram alteradas devem ser ajustadas manualmente. Ativando os jobs de importação Para que a importação das CTS seja automática deve-se criar um job em cada sistema. executar a transação STMS. ou SE01). deve-se associar os mandantes às CTS preexistentes. selecione At start time. selecione YES. escolha uma data e hora para o primeiro job e escolha o período de intervalo entre os jobs em Period (Defina um intervalo para que os jobs não sobrecarreguem o sistema nem gerem espaços muito grandes). selecionando cada sistema (um de cada vez). incluindo-as nas rotas. Ainda é possível importar as CTS manualmente. Na próxima janela. como se fazia antigamente – no caso de importações emergenciais. Ao final deste processo. deve-se procurar fazê-lo quando o job não estiver rodando.The Basis Blue Book 31 Salvando e distribuindo as novas rotas Depois de terminar todo o trabalho. perguntando se deve-se distribuir e ativar em todos o sistemas. Canzone . selecionando cada sistema (um de cada vez). Para isso. menu Overview | Imports. Para isso. Figura 4. Na fila de importação (talvez seja necessário dar um Refresh). Cristiano S. executar a transação STMS. escolher o menu Import Queue | Display.11. Na janela ilustrada na figura 4. escolher o menu Import Queue | Display. menu Overview | Imports. o SAP tentará. na transação SE10 (ou SE09. Selecionar o menu Queue | Start Import (vide figura 4. automaticamente. Digite o número do mandante e salve. Isso deve ser feito para todas as CTS (as novas CTS. Depois. Para isso. digite um nome para a configuração e clique no botão Save.12). selecione o menu Configuration | Distribute and Activate (isso salva automaticamente).11 – Salvando e distribuindo a configuração Após salvar a configuração. uma a uma. Além disso. terão associação automática aos mandantes configurados). para evitar inconsistências. à medida em que forem liberadas. Depois.

Mais informações sobre transportes Para maiores detalhes. menu Overview | Imports.The Basis Blue Book 32 Figura 4. Cristiano S. O SAP faz uma importação em massa. Depois menu Goto | QA Worklist. ou uma a uma com a tecla F9. selecionar o menu Request | Reject. Deve ser criada uma variante para selecionar o tipo de transporte. para o caso de necessidade de alguma consulta. consulte as notas 0313991. respeitando dependências entre as CTS. que deve ser executado na mesma periodicidade dos jobs de transporte para o PRD. É possível selecionar várias CTS. senão esta fica cheia de lixo). com o programa RSTMSTIQ e a variante SAP_LOC_GROUPS. selecione a CTS. Depois selecionar o sistema QAS e escolher o menu Import Queue | Display. entretanto de 1 a 5 minutos antes. Para chegar à rotina de aprovação. No nosso caso utilizamos a primeira opção (Transfer all approved requests). deve-se criar um job no PRD. selecione o menu Request | Approve. Sequências de Importação Não é necessário preocupar-se com a sequência de importação das CTS que estiverem na fila no momento de execução de cada job. Para isso. Finalmente. Este job “puxa” os arquivos das requests aprovadas no QAS para os diretórios (data e cofiles) do PRD. os usuários deverão ter em seu perfil a autorização S_CTS_ADMI com o valor QTEA. Canzone . O programa a ser executado neste job é o RSTMS_DIST_APPROVED_REQUESTS. Os logs de cada CTS continuam existindo como antes. fazendo com que o transporte ocorra de maneira consistente. entrar na transação STMS. marcando a primeira e a última da fila com a tecla F6. Para rejeitar (as CTS que não devem ser transportadas DEVEM ser rejeitadas para que saiam da fila. Aprovando CTS Para poder aprovar CTS. Para aprovar. 0556734 e 0556941.12 – Criando um job de importação Ainda é necessário criar um job (segundo a nota 313991) para ajustar as CTS no sistema virtual (VIR). criar um job no sistema QAS (qualquer mandante).

deve-se inserir a request na fila com o comando ADD. Verifique a consistência do sistema de transportes executando o programa RSTPTEST através da transação SE38 (ou SA38). apague. Vide sintaxe abaixo. Se houver um job de transportes automáticos (Extended Transport System). consulte a nota 303289. Caso seja necessário transportar requests através do comando TP. TP ADDTOBUFFER <CHANGE REQUEST> <SID> TP DELFROMBUFFER <CHANGEREQUEST> <SID> TP IMPORT <CHANGE REQUEST> <SID> CLIENT<CLIENT> [U0123689]. 8: Ignore restrictions based on table classification.The Basis Blue Book 33 Interrompa qualquer transporte que estiver sendo executado. no sistema operacional. Canzone . onde 0: Default. Se estiver recebendo uma mensagem parecida com Transport request too long. Se houver. 3: Overwrite system-specific objects. 6: Overwrite objects in unconfirmed repairs. Através da transação SM30. derrube-o. 1: Ignore that the change request has already been imported. Caso o job não esteja rodando normalmente. no sistema destino. Este job roda por eventos. Verifique se o job RDDIMPDP está rodando normalmente. Tente transportar novamente. Além disso. 9: Ignore that the system is locked for this type of transport. respectivamente. verifique se há alguma linha nas tabelas TROBJ e TRBAT. importa-la com o comando IMPORT e excluí-la com o comando DEL. verifique se os parâmetros de transporte (na transação STMS ou no arquivo /usr/sap/trans/TPPARAM) NBUFFORM e TP_VERSION estão com valores 1 e maior ou igual a 262. Cristiano S. 2: Overwrite the originals. agende-o executando (através da transação SE38 (ou SA38) o programa RDDNEWPP.