1 Universidade Federal do Rio de Janeiro - Escola de Enfermagem Anna Nery Coordenação Geral de Pós Graduação e Pesquisa - Cursos de Mestrado

e Doutorado em Enfermagem Resumo Da Pesquisa Disciplina: Métodos e Técnicas 2009.1 Equipe de Professores: Ana Beatriz Azevedo Queiroz, Jaqueline da Silva, Tania Vignuda de Souza, Lílian Hortale de O. Moerira, Lys Eiras Cameron, Elisa da Conceição Rodrigues; Margareth Santiago; Isaura Setenta Porto Aluno: Washington Ramos Castro Tema Título Motivo da escolha Inquietação Problema de Pesquisa Mestrado

Questões Norteadoras

Objeto Objetivos

Reprodução Humana Paternidade: Representações Sociais Relacionadas à Infertilidade Masculina Curiosidade Acadêmica referente a pouca presença masculina nos espaços de cuidados com a saúde sexual e reprodutiva. Experiência familiar com dificuldades para engravidar e, Experiência profissional. A ausência de homens nos espaços de cuidados com a saúde sexual e reprodutiva, ausência de serviços públicos e gratuitos para cuidado e número de casais e de homens que procuravam o serviço de reprodução humana. Para lidar com as questões relacionadas à saúde sexual e reprodutiva do homem no atual contexto de diversidade é necessário ir além do simples diagnóstico (médico), das causas e, da freqüência dos indicadores (biológicos) da dificuldade para engravidar. Como os homens que passam pela experiência da infertilidade conjugal se vêem? Como eles imaginam ser a expectativa social em relação a um homem infértil? Como eles se representam frente a uma sociedade sexista que valoriza questões relacionadas ao gênero, as sexualidades, a virilidade, a masculinidade e na qual ainda se identifica um forte viés machista? Há alguma identificação entre suas expectativas e frustrações referentes à paternidade, virilidade, masculinidades, sexualidades e outros aspectos presentes no senso comum? Como isto interfere em suas relações pessoais e sociais? Como vivem sua sexualidade, sua masculinidade e sua virilidade? Há relações entre estes aspectos e a representação social de paternidade? As representações sociais relacionadas à infertilidade humana masculina a partir do ponto de vista de homens que buscaram ou que estão buscando assistência para seus problemas relacionados com fertilidade. Descrever as representações sociais dos homens em relação à situação vivencial de infertilidade conjugal cuja origem

2 seja masculina ou dupla; Analisar os reflexos das representações sociais da infertilidade conjugal cuja origem seja masculina ou dupla nos conceitos como: Paternidade, masculinidade, virilidade e sexualidade; Discutir as expectativas dos homens que vivem a infertilidade face às possíveis alternativas de cuidados. Em março de 2007, ao tomar posse como ministro da Saúde, o sanitarista: José Gomes Temporão anunciou 22 prioridades de sua gestão, uma delas foi a criação, a implantação e o desenvolvimento de uma “Política Nacional de Atenção à Saúde do Homem”. Algo semelhante à “Política de Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher e da Criança”, porém resguardada suas diferenças e particularidades. No início do ano de 2008, foi dado o primeiro passo. Com a criação de um grupo que passou a discutir assuntos relacionados com esta questão, ficou conhecido como grupo da “Área Técnica de Saúde do Homem”. As ações deste grupo ficaram subordinadas ao “Departamento de Ações Programáticas Estratégicas” (DAPE), da “Secretaria de Atenção à Saúde”. No mês de setembro de 2008, o segundo passo foi dado: juntamente com representantes da sociedade civil, o grupo da área técnica terminou de elaborar a proposta dessa política nacional, que ficou em consulta pública de 10 a 30 de setembro do mesmo ano. É necessário que se perceba qual é a importância destas medidas, uma vez que, em última análise, poderão ser determinantes para uma ruptura do paradigma da atenção à saúde do homem adulto. Cabe ressaltar que diversos estudiosos das questões de saúde relacionadas às distinções de gênero já apontavam para a necessidade de se operar uma mudança no sistema de saúde vigente que permita a inserção do homem em um espaço próprio e adequado as suas demandas de saúde e, também e principalmente, capaz de se adaptar às necessidades específicas da abordagem do gênero masculino no que tange aos cuidados com o seu corpo e a sua saúde. Do ponto de vista de seus objetivos estou convencido de que o modelo exploratório-descritivo seja o mais adequado para atingir os objetivos do presente projeto de dissertação, uma vez que permite uma relação sujeito-objetopesquisador adequada e apropriada aos objetivos propostos. Neste aspecto, segundo Rudio (1998) na pesquisa descritiva o pesquisador procura conhecer, descrever e interpretar a realidade sem nela interferir para modificá-la. Porem faço aqui uma ressalva de que esta “não interferência” não deva comprometer as questões éticas ou a integridade física dos sujeitos envolvidos na pesquisa Enquanto que do ponto de vista dos procedimentos utilizarei mais de uma estratégia. Esta necessidade de utilização de uma multiplicidade de métodos se deve ao fato de que terei como fonte de dados 1 - os prontuários dos sujeitos, 2 - o discurso destes e, 3 - o cenário em que ocorre a assistência aos sujeitos. Assim, para o procedimento de coleta dos dados provenientes dos prontuários utilizarei um método basicamente estatístico, para os procedimentos relacionados com as entrevistas dos sujeitos, utilizarei como método: a “Análise de Conteúdo” de Bardin, e para captar aspetos outros na interação sujeito – objeto, utilizarei a observação assistemática. Entendo que poderei assim alcançar, nos discursos dos sujeitos, os elementos necessários ao desvelar das subjetividades dos discursos destes entrevistados, além disto poderei observar traços do “senso comum” e do “inconsciente coletivo” que se façam presentes nos discursos e, a partir destes procedimentos, alcançar as “Representações Sociais” que identifico no escopo do presente

Justificativa / Relevância

Tipo de Pesquisa

3 projeto. Bardin (2008) infere que: A liberdade de expressão vivenciada durante os anos 70, quando se assistiu a um desenvolvimento das ciências sociais e humanas apontou uma explosão da comunicação, o que obrigou aos pesquisadores a estarem à escuta. Questiona Bardin (2008: 7) “Como estar à escuta, cientificamente e com rigor, de palavras, de imagens, de textos escritos e discursos pronunciados?” Esta pergunta remete a uma outra acertiva de Bardin (2008), quando analisa o conteúdo dos discursos. “Por detrás do discurso aparente geralmente simbólico e polissêmico esconde-se um sentido que convém desvendar”. Estou certo de que este “sentido” suscitado por Bardin é, exatamente o núcleo do que busco na presente. O presente projeto de dissertação terá uma abordagem qualitativa para descrever, interpretar e demonstrar os achados do ponto de vista metodológico, será portanto uma pesquisa descritiva, esta decisão foi tomada por entender ser esta a abordagem mais adequada aos propósitos do meu estudo. Fundamentando esta assertiva em Marconi e Lakatos (2009) que afirmam que a pesquisa descritiva aborda quatro aspectos: descrição, registro, análise e interpretação de fatos e fenômenos atuais, objetivando o seu funcionamento no presente e, também por, acreditar que me permitirá inferir acerca das subjetividades das questões propostas. Entendo que tais subjetividades são de extrema importância e, se a análise destas partir de uma quantificação não demonstrará o feeling do universo dos signos, significados, motivos e motivações, valores e aspirações que espero desvelar. A população para a presente dissertação será composta pelos homens em atendimento no setor de ambulatório de reprodução humana assistida de um hospital universitário federal especializado em Ginecologia, que é referência regional para reprodução humana, no período previsto para a coleta de dados da presente pesquisa. Julguei necessário determinar alguns critérios para inclusão dos participantes de modo a favorecer a construção de grupos de pertenças, estes critérios foram baseados na literatura e norteados pela experiência vivenciada por mim: a) Estar vivendo ou terem vivido a experiência de infertilidade conjugal e participar do processo de tratamento e/ou acompanhamento no hospital onde os dados serão colhidos – Os homens que vivenciam a experiência da busca por assistência na área da infertilidade experimentam um vivenciar para o qual não foram preparados – muitas vezes é preciso compactuar sentimentos e experiências que nem eles mesmos conhecem bem; b) Aceitar e autorizar a realização de entrevista gravada em formato magnético tipo MP-3 ou similar para a pesquisa – cumprindo o que determinam as normas para pesquisas com seres humanos do comitê nacional de ética da pesquisa, Brasil (1996), é necessário que os pesquisados autorizem a coleta de dados a partir da sua vivência através da assinatura de um “termo de consentimento livre e esclarecido” que fica guardado com o autor por 05 (cinco) anos; c) Não ter filho – A experiência da dificuldade para tornar-se pai é diferente para quem já viveu um processo de paternidade. Provavelmente o homem que não possui filhos terá uma expectativa, uma visão diferenciada frente à infertilidade por ele vivenciada; d) Experienciar a infertilidade conjugal de origem masculina / dupla; e) Ter uma única parceira fixa e ser elemento de uma união estável heterossexual e; f) Morar na cidade do Rio de Janeiro – O hospital no qual a pesquisa será realizada atende a uma área adescrita

Método

Sujeitos / Amostragem Critérios de inclusão e/ou exclusão

4 no ambulatório de reprodução humana. É referência regional para atendimento em infertilidade humana e desta forma atende a usuários de todo o Brasil e a escolha aleatória poderia determinar a inviabilidade da pesquisa uma vez que não haveria como contatar os usuários de outros municípios, estados ou países. Também julguei necessário determinar alguns critérios para exclusão dos pacientes em atendimento no serviço onde os dados serão coletados. Estes critérios visam evitar a inclusão de sujeitos com características semelhantes às daqueles que serão incluídos mas que também possuem características que poderiam comprometer a construção de grupos de pertenças, estes critérios também foram determinados com base na literatura e norteados pela minha experiência e vivencia. a) Ser paciente em tratamento de infertilidade conjugal de origem feminina ou idiopática; b) Ser pai de filho(s) natural ou adotivo mesmo que de relacionamentos anteriores ou extraconjugais; Este Estudo será desenvolvido em um hospital federal de ensino especializado em Ginecologia da cidade do Rio de Janeiro. Para a sociedade: a partir da possibilidade de melhorias já debatidas; Para a academia: ao passo que permitirá que mais profissionais, docentes e pesquisadores se ocupem com este tema em suas atividades e; Para a ciência: uma vez que há lacunas no campo da saúde dos homens, especialmente no que tange a saúde reprodutiva e a infertilidade humana masculina, que precisam de um olhar mais multicêntrico e holístico capaz de dar conta de uma complexidade pouco perceptível neste momento no campo da saúde. Espero que esta dissertação possa também contribuir para a construção de uma nova abordagem fundamentada também, mas não somente na questão dos gêneros nos campos da área da saúde reprodutiva, da paternidade, da sexualidade e da articulação dos saberes para a saúde dos homens, enquanto elemento único composto por mais de um viés de gênero, de sexo, de sexualidades e de virilidade. Por se tratar de um projeto, no momento a dificuldade é encontrar dados sobre o fazer de Enfermagem em Reprodução Humana. Este anteprojeto será desenvolvido em um hospital federal de ensino especializado em Ginecologia da cidade do Rio de Janeiro, após autorização e consentimento por escrito da direção e do Conselho Diretor da instituição. No presente projeto de dissertação, entendo ser necessário o uso de três técnicas: A aplicação de um questionário, a realização de entrevista e a observação assistemática. Para tanto utilizarei dois instrumentos e um procedimento: a) um questionário cuja finalidade será permitir construir um perfil dos sujeitos – para descrevê-los quanto aos dados clínicos, epidemiológicos e sociais – além de favorecer a determinação dos grupos de pertenças após tratamento dos dados; O questionário será aplicado pelo próprio pesquisador, no momento de início da entrevista, alguns dados serão previamente colhidos diretamente do prontuário do entrevistado e confirmados durante o processo de entrevista. Segundo Queiroz (2008: 17): “O que se quer estudar é que vai guiar o tipo de representação e esta a metodologia”. Entendo ser necessário tomar o cuidado de confirmar os dados colhidos nos prontuários em virtude da possibilidade

Cenário ou Campo

Contribuições

Desafios / Dificuldades Técnica(s) de Coleta de Dados Instrumento(s) de Coleta de Dados

5 de incorreções decorrentes de enganos ou equívocos por parte de quem colheu os dados e pela possibilidade de ter ocorrido mudança entre a época em que ocorreu a coleta dos dados e o momento da entrevista com o sujeito da pesquisa. b) um roteiro de entrevista semi-estruturada com perguntas abertas e subjetivas que permitam aos participantes discorrerem mais livremente sobre suas experiências, expectativas e frustrações, no processo de paternalização . Este instrumento será aplicado através de entrevista individual. As perguntas iniciais serão orientadas por um instrumento (roteiro) contendo perguntas semi-estruturadas, entretanto os pacientes terão liberdade para discorrer sobre o tema livremente. (constatação da infertilidade; sentimentos e expectativas; mudança no hábito de vida pessoal e do casal; busca por redes de apoio; significados da paternidade e; sobre o tratamento realizado) e a ordem das perguntas poderá ser modificada de acordo com o desenvolvimento da entrevista. Posteriormente as entrevistas serão transcritas pelo próprio autor e relidas à exaustão, com a finalidade de encontrar unidades de significado. Que serão discutidas pelo autor com base na fundamentação teórica. Seguindo o conceito exposto, a proposta é analisar o material oriundo das entrevistas, extraindo as idéias centrais, as ancoragens e as expressões-chave, a fim de identificar um ou vários discursos-síntese na primeira pessoa do singular. Estas etapas ocorrerão em local adequado e apropriado e com roteiro previamente definido pelo candidato. Além desses dois instrumentos, também será utilizada a observação sistemática. Esta entendida como o registro de aspectos subjetivos da interação pesquisador-pesquisado especialmente aqueles relacionados aos elementos não verbais dos discursos dos sujeitos, que serão registrado em u diário de campo pelo próprio pesquisador. As entrevistas serão gravadas, (com uso de equipamento que possibilite o registro magnético em formato MP-3 ou similar), com o consentimento do entrevistado que expressará sua permissão através de um documento de autorização para gravação da entrevista, seguindo determinações legais. Terá duração mínima de 1 (uma) e máxima de 2 (duas) horas. Se necessários alguns dados poderão ser colhidos em um novo encontro de acordo com a necessidade do pesquisador e a disponibilidade do entrevistado. Segundo Queiroz (2002: 86) Este tipo de entrevista é adequado aos propósitos da pesquisa porque permite maior e melhor interação com os entrevistados, abrindo espaço para discutir conteúdos internalizados, processos educativos, projetos de vida e expectativas livremente. Apóio e ancoro minha crença de que o uso destas metodologia e técnica sejam adequadas à realização, pois possibilitam que o sujeito ou o grupo social interaja em relação ao objeto de representação, dando vazão à subjetividade, uma vez que a representação ultrapassa os limites do mundo concreto. Neste aspecto diversos autores Moscovici (1978), Sá (1998), Spink (1993), Queiroz (2002) concordam que as representações sociais, segundo definição clássica apresentada por Jodelet citado por Alexandre (2004), são modalidades de conhecimento prático orientadas para a comunicação e para a compreensão do contexto social, material e ideativo em que vivemos. São, conseqüentemente, formas de conhecimento que se manifestam como elementos cognitivos — imagens, conceitos, categorias, teorias —, mas que não se reduzem jamais aos componentes cognitivos. Sendo socialmente elaboradas e compartilhadas, contribuem para a construção de uma realidade comum, que possibilita a comunicação. Deste modo,

6 as representações são, essencialmente, fenômenos sociais que, mesmo acessados a partir do seu conteúdo cognitivo, têm de ser entendidos a partir do seu contexto de produção. Etapas de Coleta de A coleta de dados do presente anteprojeto de dissertação ocorrerá em três etapas. Julgo serem estas etapas a melhor Dados forma de organizar o processo de coleta de dados, pois, permitirá uma avaliação preliminar e a determinação do número limite para formação do grupo que comporá o universo deste estudo. A primeira etapa da coleta de dados será a identificação, nos prontuários, de informações referentes aos usuários que estejam ou que tenham estado em atendimento no ambulatório e reprodução assistida do hospital onde os dados serão coletados. Esta etapa, realizada com base no questionário (anexo 2), além de importante para determinar o número de sujeitos possíveis para o projeto, contribuirá para construir os grupos de pertença, pois, para isto é necessário que se disponha de dados que possam identificar/classificar os indivíduos. Neste aspecto Queiroz (2002) utilizou dados referentes às variáveis: profissão, escolaridade, renda familiar, casa própria, carro, condições de lazer. Além destas, para a presente pesquisa utilizarei também: fonte de informações, formação educacional formal (pública / privada), dados sobre a relação atual, religião, idade e causas da infertilidade. Nesta etapa o primeiro passo já foi dado com a minha ida ao Hospital onde a coleta de dados será realizada, estabelecendo o primeiro contato com os profissionais que ali trabalham, após autorização expressa dada pelo Diretor Geral da Instituição. A receptividade foi bastante positiva, tanto por parte do Diretor, quanto por parte da chefe do Serviço e dos demais profissionais ali atuantes. Na oportunidade, pude detalhar meu projeto, além de esclarecer meus objetivos. Disponibilizada as instalações, iniciei minha aproximação com a clientela e com a equipe, a fim de conhecer melhor o serviço e suas particularidades. A partir deste momento efetivamente se iniciam as etapas aqui determinadas. Determinado o número máximo possível de participantes, um subgrupo composto por 15% (quinze por cento) do total será utilizado como piloto, a fim de permitir ajustes necessários a realização da pesquisa. Quanto aos métodos de coleta de dados, Sá (1998) ressalta que é difícil definir quais os métodos melhor se adequam à “Teoria das Representações Sociais”, cada uma contemplando mais, ou melhor, uma ou outra determinada perspectiva. É necessário que o método escolhido, independentemente das motivações que levaram à escolha, estejam de acordo com a perspectiva pensada. É necessário que a técnica escolhida permita que o sujeito interaja em relação ao objeto de representação, dando vazão à subjetividade, pois a representação ultrapassa os limites da concretude, afirma Souza Filho (2003). As etapas seguintes, segunda e terceira etapas da coleta de dados serão, respectivamente, a realização da entrevista semi-estruturada propriamente dita e a observação livre, utilizando anotações de campo e gravação com uso de equipamento que possibilite o registro magnético em formato MP-3 ou similar. Acredito que estes sejam instrumentos que permitam captar de forma adequada as informações necessárias à resposta às questões norteadoras e aos objetivos propostos do estudo. Julgo também serem estes instrumentos adequados, pois, com base no que foi expresso por Triviños (1987: 146).

7 “Ao mesmo tempo em que valoriza a presença do investigador, oferece todas as perspectivas possíveis para que o informante alcance a liberdade e a espontaneidade necessárias, enriquecendo a investigação”. Triviños (1987: 146) infere que “Podemos entender por entrevista semi-estruturada, em geral, aquela que parte de certos questionamentos básicos, apoiados em teorias e hipóteses, que interessam à pesquisa, e que, em seguida, oferecem amplo campo de interrogativas, fruto de novas hipóteses que vão surgindo à medida que recebem as respostas do informante. Desta maneira, o informante, seguindo espontaneamente a linha de seu pensamento e de suas experiências, dentro do foco principal colocado pelo investigador, começa a participar na elaboração do conteúdo da pesquisa”. Utilizando mais de um método para coleta de dados espero contemplar os diversos aspectos relacionados à subjetividade da representação social de um objeto. Segundo Lisboa (1998) A coleta de dados sendo realizada de mais de uma maneira permite complementar os dados dos discursos como as formas não verbais de comunicação, esclarecendo aspectos velados no discurso dos entrevistados. Quanto à importância da observação livre, acredito seja primordial para captar os aspectos não verbais dos discursos dos entrevistados. De acordo com Ludke & Andrade (1986) o uso da observação livre permite ao observador recorrer aos conhecimentos e experiências pessoais como auxiliares no processo de compreensão e interpretação do fenômeno estudado. O presente projeto de dissertação de mestrado foi submetido ao Núcleo de Pesquisa em Saúde da Mulher (NUPESM) através da Coordenação Geral de Pós-graduação e Pesquisa da Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Participou do processo seletivo de acesso aos cursos de Pósgraduação em Enfermagem 2009/1. Foi aprovado e será desenvolvido no setor de reprodução humana de um hospital federal de ensino especializado em Ginecologia na cidade do Rio de Janeiro. O primeiro passo, após aprovado, será a submissão do presente à aprovação pelo Comitê de Ética da Pesquisa da Escola de Enfermagem Anna Nery da UFRJ (CEP/EEAN) e à autorização da direção e do conselho diretor do hospital onde os dados serão coletados, respeitando e cumprindo o que preconiza a Resolução 196/96 do CNS/MS (Brasil, 1996). Os dados referentes aos pacientes que permitam sua identificação terão o sigilo sob a tutela e responsabilidade do Pesquisador e não serão, sob nenhuma hipótese, divulgados, visando manter o anonimato dos entrevistados. As entrevistas serão autorizadas através da assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido antes de serem realizadas. Serão gravadas, somente, após autorização por escrito do paciente. Todos os formulários e as gravações permanecerão sob a guarda e responsabilidade do pesquisador pelo período de 05 (cinco anos). A Resolução 196/96 CNS/MS, Brasil (1996: 7) determina que o pesquisador deverá: “c) manter a guarda confidencial de todos os dados obtidos na execução de sua tarefa e arquivamento do protocolo completo, que ficará à disposição das autoridades sanitárias”.

Aspectos Éticos

8 Critérios de Confiabilidade Organização ou tratamento dos dados Análise dos dados Após conclusão da caracterização dos corpi os mesmos serão apresentados aos sujeitos do estudo para que estes possam avaliar a coerência com os seus discursos. Para a análise dos dados, os discursos dos entrevistados serão transcritos e organizados em unidades de significado, de acordo com a técnica de “Análise de Discurso de Bardin”. Acredito ser esta forma de análise compatível com os objetivos da pesquisa, uma vez que permitirá ordenar os discursos dos sujeitos conforme seu núcleo de pertença. Para Lisboa (1998) A análise de Conteúdo de Bardin muito auxilia neste tipo de estudo. As unidades de significado serão analisadas à luz da Teoria das Representações Sociais. Operacionalmente observarei o que pressupões Minayo ( 1993: 234) “A operacionalização da análise se dá nas seguintes etapas: 1) Ordenação dos dados: que inclui: a) transcrição das Gravações magnéticas; b) releitura exaustiva do material; c) organização dos relatos em determinada ordem, o que já pressupõe um início de classificação; d) organização dos dados de observação também em determinada ordem de acordo com a proposta analítica. 2) Classificação dos dados: que inclui a) leitura exaustiva e repetida dos textos, prolongando uma relação interrogativa com ele. Esse exercício, denominado “leitura flutuante” permite apreender as estruturas de relevância dos atores sociais, as idéias centrais que tentam transmitir e os momentos-chaves de sua existência sobre o tema em foco. Essa atividade ajuda a estabelecer as categorias empíricas, confrontando-as com as categorias analíticas teoricamente estabelecidas como balizadas da investigação, buscando relações dialéticas entre ambas; b) Constituição de um “corpus” ou de vários “corpi” de comunicação se o conjunto das informações não é homogêneo”. Os resultados serão apresentados de acordo com a seqüência das unidades de significado com alguns recortes de transcrição de falas dos entrevistados afim de ilustrá-los. O método de “Análise de Discurso” de Bardin (2008), se organiza em torno de três pólos cronológicos: a pré-análse, a exploração do material e o tratamento dos resultados, a inferência e a interpretação. A pré-análise, de acordo com Aguiar & Cabral, (2008) é constituída por 3 momentos específicos. O primeiro é a escolha dos documentos, a segunda é a formulação das hipóteses e dos objetivos e a terceira é a elaboração dos indicadores que irão fundamentar a interpretação final. Goldemberg & Otutumi (2008) inferem que a exploração do material é a fase mais prolongada, subdividindo-se em codificação, etapa na qual o material é recortado em unidades de contexto e de registro, que antecede à etapa de categorização, momento em que o material é novamente avaliado, utilizando-se a exclusão mútua, a homogeneidade, a pertinência, a objetividade, a fidelidade e a produtividade, requisitos para uma boa categorização. O perfil dos entrevistados será apresentado, entretanto serão dados codinomes aos respondentes, de modo a preservar o sigilo de suas identidades. Conforme preconiza a Resolução 196/96, Brasil (1996). Local nascimento; local de residência; estado civil (se a relação atual não for a primeira, qual a sua ordenação); idade; profissão; ocupação; escolaridade; religião; renda familiar e renda individual; hábitos de vida (sono e repouso, prática de esportes, etilísmo, tabagismo); motivo do adiamento da paternidade (se for o caso) ou diagnóstico da patologia; quando começou a se

9 preocupar com a paternidade; quando decidiu por algum tratamento; qual o impacto da notícia da infertilidade para ele e para a relação marital; que relação vê entre paternidade, masculinidade e virilidade e; se ele procurou alguma rede de apoio. Limitações do Estudo Recomendações Por se tratar de pesquisa em curso, não encontrei ainda limitações. Existe um nicho de conhecimentos próprios da enfermagem que está sendo desconsiderado, determinando risco de perda de espaços desta profissão em uma área de conhecimento muito promissora, inclusive por razões de ordem econômicas, sociais, políticas, ecológicas e de poder. Entretanto, poucos são os profissionais de enfermagem que, no Brasil, se ocupam neste campo e, em geral são profissionais que estão atuando em iniciativas isoladas, sem o aparato e o aporte de uma instituição de ensino superior que sustente e fomente suas atividades e contribua para o desenvolvimento da enfermagem nesta seara. A produção de enfermagem sobre o tema é insipiente, evidenciando uma lacuna e a necessidade de maior investigação neste novo campo de atuação.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful