You are on page 1of 5

p, ;. Ubi' Icaao no D. O, E.

I

cm'-/,l'-..l:Lj_c ê). .
TRIBUNAL DE CONTAS DO PROCESSO TC 2.565/06

ESTA1>~Cretarido

. LL

.... ~kt.-tl"{L
Tr'b
"I
i

I un":;'·-ili

-~ ..,.-""''" .._

Prestação de Contas da Prefeita Municipal de Piancó, Senhora Flavia Serra Galdino, relativa ao exercício financeiro de 2005 - Recurso de Reconsideração Conhecimento e não provimento.

ACÓRDÃO APL TC N°

3O

/09

Processo TC 2.565/06 trata de Recurso de Reconsideração apresentado pela Prefeita do Município de PIANCá, Sra. Flávia Serra Galdino, contra o Parecer PPL TC 42/2008 que foi contrário à aprovação das Contas apresentadas por aquela Gestora, relativas ao exercício financeiro de 2005; e o Acórdão APL TC 229/2008 que declarou o atendimento parcial às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal pela recorrente durante aquele exercício financeiro, bem como lhe aplicou multa pessoal, no valor de R$ 2.805,10, com base no artigo 56, inciso 11, da Lei Orgânica deste Tribunal. CONSIDERANDO que um dos fatos motivadores das decisões supracitadas foi a não realização de procedimentos licitatórios para despesas no montante de R$ 722.428,19; CONSIDERANDO que o Órgão Técnico desta Corte, ao analisar as razões recursais, entendeu pela permanência de todas as irregularidades inicialmente apontadas; CONSIDERANDO que, segundo o Ministério Público junto a este Tribunal, nas despesas realizadas sem o devido procedimento licitatório, não foi apontado pela douta Auditoria qualquer excesso nos pagamentos efetuados frente aos serviços prestados e produtos adquiridos; CONSIDERANDO que, de acordo com o Órgão Ministerial, com exceção da irregularidade atinente à falta de licitação, não há nos autos qualquer falha capaz de atrair juízo de reprovação para a gestão geral de 2005 da recorrente; CONSIDERANDO que, em razão desses entendimentos, o Ministério Público Especial pugnou pelo conhecimento e provimento parcial do Recurso de Reconsideração, no sentido de ser emitido parecer favorável à aprovação das contas, mantendo-se, contudo, a multa e os demais termos das decisões atacadas, em razão da subsistência de fundamentos para tanto.

o

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO PROCESSO TC 2.565/06

CONSIDERANDO que, quando este Tribunal analisou a Prestação de Contas apresentadas pela Prefeita do Município de Piancó, relativas ao exercício de 2005, o Relator votou pela emissão de parecer contrário a aprovação delas e fundamentou seu voto principalmente na não realização de procedimentos licitatórios no montante de R$ 722.428,19, já excluídos os valores relativos às despesas entendidas por ele como justificadas;

que o Conselheiro Fábio Túlio Filgueiras Nogueira e o Conselheiro Substituto Antônio Cláudio Silva Santos acompanharam o voto do Relator;
CONSIDERANDO

que, segundo o Relator, não foi apresentado pela recorrente qualquer argumento ou documento novo que pudesse modificar o seu entendimento inicial.
CONSIDERANDO CONSIDERANDO o Relatório e o Voto do Relator, o pronunciamento do Órgão de Instrução, o Parecer escrito e oral do Ministério Público junto a esta Corte e o mais que dos autos consta; ACORDAM os Conselheiros do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAíBA, na sessão realizada nesta data, por unanimidade de votos, em, preliminarmente, CONHECER o presente Recurso de Reconsideração interposto

pela Prefeita do Município de Piancó, Sra. Flávia Serra Galdino, e, no mérito, NEGAR-LHE PROVIMENTO, mantendo-se na integra as decisões recorridas.
Presente ao julgamento a Exma. Senhora Procuradora Geral. Publique-se, registre-se, cumpra-se. TC - PLENÁRIO MINISTRO JOÃO AGRIPINO João Pessoa,

J.4

de~

It"'\,y')

--u.}I1)

de

2009.

i---/:J/J/'
ANTÔNIO Cons

/i////

1/~SÉ
',

MARQUES MARIZ Conselheiro Relator

I W iÊRESA

11

C'\

NOBREG

Procuradora-Geral

2

TRIBUNAL DE eONTAS/PB
'XX}'}··,·,,·}

!RELATÓRIOI Sr. Presidente, Srs. Conselheiros, douta Procuradora-Geral, Srs. Auditores

Ao apreciar, na sessão plenária de 16 de abril de 2008, a Prestação de Contas apresentada pela Prefeita reeleita do Município de PlANeá, Sra. Flávia Serra Galdino, relativa ao exercício financeiro de 2005, este Tribunal Pleno, por maioria de votos (4x3), com o voto de desempate do Presidente, à época, o Cons. Arnóbio Alves Viana, decidiu pela: a} Emissão do Parecer PPL Te 42/2008 das Contas; (fls. 5482/5487) contrário

à aprovação

b} Emissão do Acórdão APL Te 22912008 (fls. 5488/5493), através do qual foi declarado o atendimento parcial às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal, por parte da Chefe do Poder Executivo Municipal, relativamente ao exercício de 2005; bem como aplicou multa pessoal à Gestora Municipal, no valor de R$ 2.805,10, com base no artigo 56, inciso 11, da Lei Orgânica desta Tribunal, fixando o prazo de 60 dias para recolhimento voluntário da multa à conta do Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal; c) E, por fim, pela representação ao Ministério Público Comum e recomendações à Administração Municipal no sentido de evitar a repetição das falhas constatadas no exercício. Contribuiu para as decisões mencionadas, a não realização de procedimentos licitatórios para despesas no montante de R$ 722.428,19, referentes às aquisições de combustíveis, medicamentos, móveis, equipamentos, material de expediente, locação de aparelho de ultra sonografia, compras de mochilas escolares, aquisição de gêneros alimentícios, reformas de prédios, compras de peças automotivas e de computadores, em descumprimento à Lei 8.666/93, representando 7,31 % da Despesa Total realizada pelo Município em 2005. Inconformada com as decisões deste Tribunal, a Prefeita de Piancó, Sra. Flávia Serra Galdino, interpôs, através de seu advogado, Recurso de Reconsideração (fls. 5498/5538), ao qual fez juntada de vasta documentação (fls. 5539/6629), fazendo alegações sobre todas as irregularidades levantadas por ocasião do Relatório Inicial elaborado pelo Órgão Técnico desta Corte que, ao analisar o Recurso de Reconsideração, entendeu pela permanência de todas as irregularidades inicialmente apontadas.

r

I cpág.

011034

Instado a se pronunciar sobre o Recurso de Reconsideração, o Ministério Público junto a este Tribunal, em parecer de fls. 6653/6655, da lavra do Procurador André Carlo Torres Pontes, após tecer comentários acerca da irregularidade relativa a não realização de licitação para despesas no montante de R$ 722.428,19, entendeu, em resumo, que: 1) Com exceção de atropelos em despesas não licitadas, nenhum outro fato motivador para emissão de parecer contrário à aprovação remanesceu indicado, não restando apontado pela Auditoria excesso nos pagamentos efetuados frente aos serviços prestados e produtos adquiridos; 2) Segundo, ainda, o Órgão Ministerial, as ilegalidades ventiladas, examinadas juntamente com outros tantos fatos componentes do universo da prestação de contas, não são capazes de atrair juízo de reprovação para a gestão geral de 2005 da recorrente; 3) Por fim, o Ministério Público Especial pugnou pelo conhecimento e provimento parcial do Recurso de Reconsideração, para que seja emitido parecer favorável à aprovação das contas, mantendo-se, contudo, a multa e os demais termos das decisões atacadas, em razão da subsistência de fundamentos para tanto. processo foi agendado realizadas a notificações de praxe. É o Relatório.

o

para a presente

sessão,

tendo sido

f\fOTO DO RELATOR)
Quando da apreciação da Prestação das Contas apresentadas pela Prefeita do Município de Piancó, relativas ao exercício de 2005, o Relator votou pela emissão de Parecer Contrário à aprovação das referidas contas, tendo em vista, notadamente, a não realização de procedimentos licitatórios para despesas no montante remanescente de R$ 722.428,19, já excluídas algumas despesas consideradas como não licitadas inicialmente pela Auditoria e acatadas pelo Relator, em face das justificativas apresentadas, à época, pela defesa. Acompanharam o entendimento do Relator, o Conselheiro Fábio Túlio Filgueiras Nogueira e o Conselheiro Substituto Antônio Cláudio Silva Santos. Discordaram do voto do Relator os Conselheiros Marcos Ubiratan Guedes Pereira, Antônio Nomínando Diniz Filho e Fernando Rodrigues Catão. Em voto de desempate, o então Presidente, Conselheiro Arnóbio Alves Viana, acompanhou as conclusões do Relator. Por ocasião do Recurso de Reconsideração, a interessada não acostou qualquer argumento ou documento novo que pudesse modificar o entendimento do Relator.
I-Pág~02/03j

I I
l,,)

1.'1
v

"

()

Diante do exposto e, data vênia, discordando do parecer ministerial, o Relator vota em preliminar, pelo conhecimento do presente Recurso de Reconsideração interposto pela Prefeita do Município de Piancó, Sra. Flávia Serra Galdino, em razão da tempestividade do pedido e da legitimidade da recorrente, e, no mérito, pelo seu não provimento, mantendo-se, na integra as decisões recorridas. É o voto. Em 21/janeiro/2009.

'"?1/'u1
li

/

!0//)

I
Gab.JMM/FCP.

José Marques Mariz Cons. Relator

EPág.'03/03j