You are on page 1of 52

ano 99 • edição 55 • fevereiro 2009

Eduardo e

Boa Ideia!
Christine
Bruder

Eles perceberam
necessidades
e investiram
em conceitos
de negócios
inéditos
outubro 2008
edição 512009
edição 55 fevereiro

especiais • Guia de outlets do bairro • A influência oriental na decoração


Carta ao leitor an o 9 • ed i ç ã o 55 • fevereiro 2 0 0 9

DIRETORIA

Por um mundo mais viável


Denise Gonçalves, Elisabeth Resende e Vania Ferreira

B asta ligar a televisão ou mergulhar nos sites de notícias para chegar PUBLISHER
Denise Gonçalves • denise@editorasupernova.com.br
ao ponto de quase desistir da humanidade. Não basta uma séria PRODUÇÃO E ARTE
DIREtora
crise financeira pra deixar todo mundo de cabeça quente, ainda temos Vania Ferreira • vania@editorasupernova.com.br
REDAÇÃO
que ficar estarrecidos com o ataque sofrido por um jovem casal no Francilene Oliveira / Mtb 47.074 • editorial@editorasupernova.com.br

Paraná, abismados com a naturalidade com que se socorre empresas Roseli Gonçalves • pauta@editorasupernova.com.br
CAPA JAF
falidas por má gestão, paralisados com a reação do sistema nervoso de JORNALISTA RESPONSÁVEL Jorge Fernando Jordão / Mtb 25.370

Paraisópolis. Nunca o mundo nos deu tantos motivos para querer virar DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO e COMERCIAL
DIREtora
esse jogo. Estamos perdendo tão feio nele, apanhando tanto da vida que Elisabeth Resende • elisabeth@editorasupernova.com.br
ASSISTENTE Comercial
isso só pode ser um potente grito de alerta que ela nos dá pra sinalizar Alice Cristina Gonçalves • comercial@editorasupernova.com.br
ASSISTENTE administrativo
Márcia Maria Gonçalves • administracao@editorasupernova.com.br
que, lamentavelmente, estamos fazendo tudo errado. Se a violência, o ASSESSORIA JURÍDICA
João de Paulo Neto • jpn.adv@aasp.org.br
descaso, a omissão, o egoísmo, a indiferença, o desrespeito e todas as
demais anomalias de conduta se tornaram a principal fonte de inspiração REPRESENTANTES COMERCIAIS
Ana Paula Freitas, Fátima Lopes e Sergio Falsetta
para o ser humano nas últimas décadas – e o resultado é o que se vê –,
COLABORARAM NESTA EDIÇÃO: Claudia Castellan, Floriano Serra,
parece lógico que se tivermos o mesmo empenho na direção oposta o JAF (fotos), Lívio Giosa, Paulo Roberto Amaral, Renato Corrêa, Rosa Richter,
Roseli Gonçalves (revisão), Silvia Utsch e Thais Narkevitz
resultado tende a aparecer. O e-mail tem sido uma poderosa ferramenta
IMPRESSÃO CLY
de disseminação de conceitos positivistas, daqueles capazes de confortar DISTRIBUIÇÃO Gratuita • via courier para mailing VIP
TRÁFEGO Ronaldo Ferreira
temporariamente a alma, mas se quisermos uma felicidade além desse
bálsamo a conta-gotas, é preciso sair da inércia, com um passo só que
seja. Como todo mundo também já sabe, esse passo é deixar pra lá o Tiragem 15 mil exemplares
Revista DOLCE Morumbi é uma publicação da Supernova Editora Ltda.
fantasma da falta de dinheiro, focar o trabalho e fazer o melhor que A editora não se responsabiliza pelas opiniões emitidas nos artigos
assinados. Ninguém pode retirar produtos nem quaisquer outros
puder. Criatividade, se sempre foi desejável, hoje é obrigatória. Prudência materiais em nome desta publicação sem autorização expressa,
por escrito, em papel timbrado, da diretoria da Supernova.
também – o que não significa estagnação. Continuaremos vivendo em
uma sociedade de consumo, mas que os novos tempos nos orientem CARTAS PARA A REDAÇÃO
Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 2309 B
nas nossas escolhas. Que elas sejam saudáveis, prazerosas, do bem. No CEP 05640-004 – São Paulo – SP
atendimento@editorasupernova.com.br
Morumbi, sempre, valorizando o que é nosso e fazendo a nossa parte para, Tel.: (11) 3464-6600 • Fax: (11) 3464-6612

a partir da crise, descobrir um mundo mais viável. DOLCE apoia:

Denise Gonçalves www.reciclamorumbi.com.br www.escoladopovo.org


denise@editorasupernova.com.br

fevereiro 2009 Morumbi 3


foto vladmir fernandes - arquivo revista dolce
20

14 18

e d i ç ã o 5 5 • f eve r e i r o 2 0 0 9

CAPA
06 n 14 moda • por Claudia Castellan
Celeiro de boas ideias Tendências inverno 2009
Especiais 18 Lar dolce lar • por Silvia Utsch
38
Saúde & Beleza
n Oriente-se
As energias
revigorantes do Oriente
24 TEST DRIVE • por Renato Corrêa
Honda Accord EX V6

44
Boas compras

n
Guia de outlets
Seções
2 0 Achados • Caminho para as Índias
22 Bem-casado
Colunas Sushi de salmão regado ao suco de maracujá & Oroya
32 Cidadania • por Rosa Richter
É Baderna... desordem, falta de
educação, vandalismo, impunidade,
falta de amor ao próximo ou
descrença em si mesmo?

34 pensata • por Paulo Amaral


Não adianta mais fingir que
Paraisópolis não existe

50 final feliz • por Floriano Serra


Agora, como dizer “Eu te amo”? 26 em foco
CAPA

Celeiro de boas ideias


O Morumbi destaca-se como uma região aglutinadora de
conceitos inéditos que se dá tanto pelo empreendedorismo dos
moradores como por pessoas que veem na região um mercado
com poder aquisitivo e necessidade de serviços diferenciados.

Be-A-Bá

E
duardo Bruder tem o perfil de um executivo belecer o novo conceito. Então, Eduardo apostou
bem-sucedido. As palavras fluem apontan- no sonho da esposa e, com sua experiência execu-
do os detalhes que fazem a diferença em tiva em outras empresas, se integrou ao projeto.
seu negócio. Christine Bruder tem um aperto de Os obstáculos apareceram no caminho. O
mão firme demonstrando segurança e persistên- primeiro diz respeito à falta de mão-de-obra qua-
cia para a realização de sonhos. Em 1997, o casal lificada para um negócio que prioriza a excelência
foi morar nos Estados Unidos. Ele trabalhou numa em todos os aspectos. Quase todos os materiais
multinacional e ela, como psicóloga, aperfeiçoou- foram importados, como o playground, único no
se em desenvolvimento infantil. Ao final de dois Brasil voltado para crianças de 0 a 3 anos.
anos, retornaram com um bebê de colo, Isabella. Os detalhes se sobressaem. O casal sabia
Assim que chegou de viagem, Christine, a exatamente o que queria quando procurou o
fim de trabalhar, procurou berçários e escolas que arquiteto Márcio Kogan. A água do prédio de
cuidassem de Isabella de uma maneira especial. três andares, inaugurado em 2007, é filtrada; o
Ficou perplexa ao descobrir que não havia no Bra- lactário funciona com sistema de pressão posi-
sil nenhuma instituição de ensino bilíngue que tiva que impede a contaminação; o molde da
trabalhasse de acordo com conceitos atualizados banheira levou cinco meses para ser termina-
o desenvolvimento intelectual, físico e emocional do  e o sistema de aquecimento da água está
de crianças de 0 aos 3 anos, fase em que ocorrem programado para não ultrapassar 38°C.
cerca de 80% de todo o desenvolvimento do cé- As inovações vão além. Há rampas no lugar
rebro. Christine, percebendo esta brecha, pesqui- de escadas e sistema de aspiração central, o piso
sou, durante oito anos, ações desenvolvidas no é aquecido para não ressecar as mucosas dos
mundo e, inspirada no Project Zero da Harvard bebês, preservando sua resistência imunológica,
School of Education, desenvolveu uma nova pe- os pisos da área externa são soft, melhorando o
dagogia voltada para bebês. nível de segurança, o paisagismo de Renata Tilli
O projeto do Primetime, por ser inovador e assegura que as plantas não são tóxicas, não ma-
exigir excelência em cada detalhe, demandava o chucam e nem provocam engasgo, as janelas
envolvimento de mais alguém, principalmente são projetadas para a visão dos bebês e não dos
para buscar financiamento, cuidar da obra e esta- adultos, os banheiros possuem miniprivadas e

6 Morumbi fevereiro 2009


por Francilene Oliveira • fotos Jaf

as cores cumprem sua função de estímulo ou


relaxamento em cada ambiente.
O cuidado com segurança e ergonomia do pré-
dio foi tanto que, em 2008, tanto Márcio Kogan como
Christine ganharam o Prêmio Internazionale Dedalo
Minosse, concedido por um júri de expoen­tes da ar-
quitetura italianos, ingleses, japoneses e americanos,
que premia ambientes que cumprem melhor as fun-
ções para as quais foram estruturados. A premiação
aconteceu em Vicenza, na Itália, e esta é a primeira vez
na história do prêmio que uma construção da Améri-
ca Latina é agraciada.
O casal também viu a necessidade de formar a
própria mão-de-obra. Christine montou uma gra-
de de treinamento para educadores e pretende
abrir cursos para formação de profissionais de ou-
tras escolas. A formação dos professores visa a atua­
lização e a aplicação na educação dos conceitos
trabalhados no Primetime através de experiências Eduardo e
planejadas e exposição à língua estrangeira através Christine Bruder
de músicas, histórias e jogos. As educadoras tam- numa pequena
bém são responsáveis pelo banho, alimentação e casinha no
troca de fraldas, para estabelecer um vínculo forte Primetime onde
e seguro com os bebês. as crianças
Hoje, Isabella, a filha de Eduardo e Christine, aprendem a lidar
tem nove anos. Mal sabe que seu nascimento foi com situações do
responsável por escrever um pedacinho da história. cotidiano
da educação infantil no país.

fevereiro 2009 Morumbi 7


CAPA

Formação inovadora expressar a simbologia de sua época, não a da ins-


Há 30 anos, um grupo de pedagogos arriscava tituição. O relacionamento dos alunos com a prova
novas experiências em uma pré-escola na Vila Ma- também é diferente. Ela começa a ser aplicada na
dalena. Logo depois, ampliaram o conceito para o segunda série e a partir daí passa a ser trimestral.
ensino fundamental. Eles questionavam a educação No entanto, a prova não é uma avaliação somativa
conservadora e o ambiente escolar pautado por re- que visa alcançar a média escolar, mas formativa,
gras de conduta. Queriam fazer um projeto educa- onde o aluno, de forma complexa, relaciona os co-
cional avançado, menos receptivo e mais atuante. nhecimentos adquiridos.
A Escola da Vila inspirou-se em projetos inter- A iniciativa foi um sucesso. O espaço na Vila
nacionais, como o da escola inglesa Summerhill, Madalena ficou pequeno para os 60 alunos matri-
considerada uma escola democrática caracteriza- culados logo no primeiro ano. Então, a escola mu-
da por dois princípios básicos: maior liberdade das dou-se para o Butantã. Quinze anos depois vieram
crianças quanto às disciplinas e a dinâmica de as- para o Morumbi, instalados onde antes funcionava
sembleias, onde todos participam para decidir so- a Escola Fernando Pessoa, com o desafio de am-
bre temas que afetam a convivência. A cada 15 dias pliar sua atuação para o ensino médio.
os alunos se reúnem para discutir sobre assuntos A Escola da Vila trabalha também com as
pertinentes e dali tirarem as próprias regras. Apesar diferenças individuais de alunos portadores de
destes valores, a escola não abre mão de normas Síndrome de Down e cadeirantes, desde que
e regras de convívio e aplica punições quando o eles entrem na escola ainda pequenos a fim de
diálogo não resolve o problema. facilitar o processo de inclusão. Atualmente há
Os pedagogos da Escola da Vila acreditam que uma média de dois alunos com necessidades
as crianças aprendem melhor se livres do instru- especiais por classe.
mento de coerção e repressão. Lá, eles não adotam Por utilizar um conceito de formação mais livre
uniforme por acreditarem que as crianças têm que e autônomo, um certo folclore é difundido sobre a

8 Morumbi fevereiro 2009


CAPA

Adriano Araújo: “Trabalhamos com


um conceito novo, pois o brasileiro
não tem o hábito de utilizar um
self storage”

Escola da Vila, o de que ela “forma para a vida, mas


não para o vestibular”. Em resposta, o resultado
do ENEM de 2008 classifica a instituição, que hoje
possui 1.400 alunos nas duas unidades, entre as 20
melhores escolas de São Paulo.
Por ser um conceito muito inovador, a escola
criou um Centro de Estudo pelo qual já passaram
mais de 60 mil educadores de todo o país. Na Es­
cola da Vila os pedagogos são a própria escola.
Muitos que fizeram parte de sua formação con­
tinuam atuantes, como Sônia Barreira, hoje com
51 anos. Na unidade do Morumbi como diretora
pedagógica, ela recebe os alunos que desejam
conversar e, na sua natural expansividade, procu­
ra a solução de conflitos.
A Escola da Vila partilha tudo o que é construí­
do lá: os projetos, os sucessos e, por que não, as
iniciativas fracassadas, afinal, a escola é, acima de
tudo, o lugar do aprendizado.
Publicidade
Adaptando idEias
Adriano Araújo, um jovem de 31 anos, morou
nos Estados Unidos onde trabalhou em um self
storage até decidir voltar ao Brasil. O self storage faz
tanto sucesso nos Estados Unidos quanto o shop­
ping center devido ao incrível volume de coisas
que os norte-americanos consomem. Eles alugam
espaços do tamanho que necessitam, onde eles
mesmos guardam objetos mais variados pelo tem­
po que acharem necessário, com a segurança de
que ninguém nunca mexerá nas suas coisas.
Em 2005, quando Adriano voltou ao Brasil, foi
convidado por um grupo de investidores para ge­
renciar um self storage. Ele aceitou o desafio e hoje
gerencia três unidades da empresa GuardeAqui, a
última e maior delas inaugurada no final do ano
passado no Morumbi. Apesar de o brasileiro não
ter o hábito de utilizar este serviço, o conceito vem
se difundido pela necessidade de espaço, princi­
palmente nos grandes centros urbanos.
O self storage é uma opção para guardar
objetos que não se utiliza todos os dias a fim de
otimizar espaço, como arquivos que algumas

10 Morumbi fevereiro 2009


CAPA

empresas precisam manter por um longo tempo Outros projetos inovadores na região:
ou mesmo móveis enquanto a reforma da casa O Morumbi Concept Hall visa criar um centro de entreteni-
não está concluída ou se faz uma longa viagem. mento dentro de um estádio de futebol, como se
O cliente pode não só guardar as suas coisas nos fosse um minisshopping. No Estádio do Morumbi
boxes como utilizar a sala de reunião e computa-
já existe bar temático, livraria, pizzaria, loja Ree-
dores com internet.
As instalações do GuardeAqui diferem de um bok e museu. O Hiléa é um centro de vivên-
tradicional guarda-volumes. A empresa apostou cia para a terceira idade que alia os conceitos de
em tecnologia: importou as leves portas dos bo- hotelaria, saúde e lazer no mesmo local. Nos 11
xes para que pudessem ser abertas por mulheres, andares se distribuem consultórios médicos, es-
já que no sistema de self storage cada um é res- paços de convivência e lazer e os apartamentos
ponsável por suas coisas desde o transporte até a
armazenagem.
dos residentes fixos. O projeto Escola do Povo pretende erradicar o

Quando o cliente faz o contrato de aluguel analfabetismo dentro de Paraisópolis, segunda maior favela de São Paulo, e apli-
de um box, ele recebe uma senha que dá acesso car o seu conceito em outras regiões do país.
a seu espaço. Além disso, cada box tem um alarme O Parque Cidade Jardim reúne no
individual, que é desativado na entrada do cliente mesmo empreendimento um shopping center de
e reativado na saída. luxo, academias de ginástica e edifícios residenciais
Entre tantas preocupações de Adriano à frente
e comerciais, com o objetivo de permitir que os
do negócio, o próximo passo é criar mais dez uni-
dades em São Paulo e depois expandir para esta- moradores trabalhem, consumam e se divirtam
dos do Sul e Sudeste do país.  g no mesmo local.

12 Morumbi fevereiro 2009


Moda
por Claudia Castellan

Tendências inverno 2009 Vermelhos,


foto: EPA/STR

Pretinho combinados
renovado: aos básicos
clássico e pesa- e clássicos Estampas:
do ou roqueiro beges para o xadrez
atualizado... dia, ou grande ou
em cetins em cores
poderosos fortes
para vestidos ou invista no
de noite acessório,
bolsa ou
sapato xadrez
Mikhael Kale

Formas
masculinas,
alfaiataria com Vestidos
Mikhael Kale

paletós, calças ganham força


com detalhes em formas
ou sequinhas. ovo e anos 80;
materiais nada
O ombro básicos, como
marcado está os tecnológicos
de volta e deve e lãzinhas
ser usado com suaves, são os
MARK MAINZ/GETTY IMAGES

peças mais se- indispensáveis


cas na parte de da estação

Richard Chai
baixo para criar
equilíbrio.

F
alar de tendências de inverno num país tro- Ainda sobre as cores, vimos muitos verme-
pical faz com que muitos torçam o nariz, já lhos, combinados aos básicos e clássicos beges
que o frio dura apenas alguns dias e o in- para o dia, ou em cetins poderosos para vestidos
vestimento é sempre alto, se comparado com a de noite. Quanto às formas, as masculinas, ou
quantidade comprada de peças para o verão. seja, alfaiataria, vêm com força, em paletós, cal-
Mas como renovar é preciso, então fique fe- ças com detalhes ou sequinhas, as modelagens
liz! Nunca uma estação esteve tão usável como diferenciadas, como boyfriend e as carrot (largas
este inverno 2009: clássica sem ser careta, atu- no quadril e ajustadas em baixo, mas só se seu
al, deixando o guarda-roupa fresco e, o melhor, quadril for estreito). Em épocas de crise o comer-
com longa duração. cial grita, é preciso vender peças mais atempo-
Falemos de cores – para mim o item mais rais, e as de alfaiataria com qualidade duram anos
importante –, afinal é o que compramos primei- e são um ótimo investimento.
ro, ou seja, se não gostamos da cor, não importa Se não puder, deixe para os acessórios o pa-
a peça, ela não será selecionada: pel de transformar seu visual dia ou noite, ou o
Claudia Castellan
é consultora de imagem, O cinza em vários tons, com ou sem bri- da quarta-feira para o sábado. E, acima de tudo,
consultora de private label, lho, para o dia ou para a noite. O neutro permi- o estilo pessoal é o que conta, por isso estilistas
especialista em marketing
de moda, professora te combinações das mais clássicas: puro ou não se preocupam tanto em copiar, mas sim em
universitária e do Senac, com cru, com marinho, ou para quebrar a cor fazer a própria moda esperando que uma clien-
palestrante
e autora de cursos na área forte, ou seja, todo mundo pode, é chique e mo- te tenha sua mesma visão e desejo.
de moda. derno. Além do nosso pretinho renovado, que Os vestidos novamente ganham força
Site será a cor mais marcante deste inverno, seja em formas ovo e anos 80 (mais curtos e pró-
claudiacastellan.com.br
E-mail para um visual mais roqueiro atualizado ou no ximos
mob ao corpo, se este estiver em ordem);
claudiall@ig.com.br clássico e pesado. materiais nada básicos, como os tecnológicos

14 Morumbi FEVEREIRO 2009


Moda
por Claudia Castellan

e lãzinhas suaves, os tornam os básicos indispen-


sáveis da estação.
Brilhos: Seja em vestidos ou casacos, o ombro mar-
é preciso cado está de volta e deve ser usado com peças
coerência já mais secas na parte de baixo para criar equilíbrio,
que ganham e lembre-se que se você tem ombros já largos e
versatilidade
volume no peito, esta moda, assim como cintura
e podem ser
LOUIS LANZANO - AP PHOTO

usados nos
marcada, não é para você.
mais variados Estampas: xadrez grande ou em cores for-
looks. tes, só se você estiver de bem com a balança, pois
engorda. Prefira um look liso e invista no acessório,
bolsa ou sapato xadrez.
Brilhos: Apareceram em quase todos os
Oscar de la Renta / RICHARD DREW- AP PHOTO

desfiles, mas é preciso coerência, já que ganham


versatilidade e podem ser usados nos mais varia-
dos looks e a qualquer hora do dia.
Agora, corra para sua faxina fashion, doe o
que não precisa e escolha o que mais tem a ver
divulgação

com você, para que nada fique sobrando; compre


consciente do que realmente lhe fica bem, só as-
sim estará elegante, atualizada e confortável.
Bom inverno para você! g

16 Morumbi FEVEREIRO 2009


LAR DOLCE LAR
por Silvia Utsch

ORIENTE-SE

ambiente de ROBERTO RISCALA para casa cor / foto divulgação foto vladmir fernandes - arquivo revista dolce

N
Abaixo, o deus Shiva, o esta edição, minha missão é trazer relatos res discretas. Elementos naturais como a fibra e o
Destruidor. Na tradição quentinhos sobre as influências da arte e bambu combinam perfeitamente.
hindu, ele destrói para cultura milenar do oriente no mobiliário
construir algo novo. Também e na decoração. O estilo étnico com suas cores, A Índia exerce uma grande atração sobre
é chamado de “renovador” cheiros, formas, texturas e espiritualidade ganha- o ocidente. É o país das divindades, dos tecidos
ou “transformador” ram um espaço privilegiado no cotidiano dos coloridos e dos temperos picantes. Desta etnia
brasileiros. É esta diversidade de referências que chegam objetos carregados de simbologia e de
possibilita decorar misturando estilos, tendências boas vibrações. Um paraíso para quem gosta de
e épocas com a mais absoluta harmonia. explorar os sentidos com a diversidade das co-
res. A casa agradece, sempre que passa a abrigar
O estilo japonês, conhecido tam- uma peça cujo significado é importante para o
bém como decoração zen, utiliza li- morador, como uma cabeça de Buda ou uma
nhas retas e funcionais. Os móveis estátua de Shiva. O resultado mais comum é um
são mais baixos e próximos ao ambiente que emana serenidade e criatividade.
chão; privilegiam-se as linhas Vasos, copos, tecidos, incensos, móveis e obje-
retas. Como as casas são muito tos de evocação Hindu também trazem ares da
reduzidas é comum solucio- Índia sem transformar a casa num cenário exces-
nar a falta de espaço criando sivamente típico.
ambientes multifuncionais e
integrados por painéis corredi- Da China vem a laca, a seda, o bambu, a por-
ços, decorados com móveis de celana esmaltada e o Feng Shui.
função dupla, como a cama que Feng Shui é uma antiga arte chinesa que
vira um belo sofá. Tal estilo baseia- busca a harmonia e o sucesso dentro de um
se no contraste de texturas: os móveis determinado ambiente, por meio dos cinco ele-
geralmente são monocromáticos e de co- mentos. Esta arte milenar virou moda por aqui e

18 Morumbi fevereiro 2009


publieditorial
Lançamento

Accordes Celebrare
Um perfume criado para
celebrar a beleza das
mulheres.

ambiente de CARLOS H. O. NASCIMENTO E RENATO V. A. BARBOSA para casa cor / foto divulgação

está sendo aplicada em escritórios, casas, objetos Não pode faltar


de decoração e até em coleções de roupas. harmonia no uso
de cores, formas e
Mas como inserir (com graça e sensibili- integração com a
dade) na decoração peças autênticas ou ins- natureza.
piradas na China, Índia ou Japão?

A forma contemporânea de usar objetos, A palavra “celebrare” vem do latim e significa


mobiliário e conceitos decorativos orientais festejar, comemorar com glamour. Assim, O
é promover uma mistura harmoniosa entre Boticário celebra o charme e a feminilidade de
oriente e ocidente. todas as mulheres brasileiras, em especial no
Não pode faltar harmonia no uso de cores, for- Dia Internacional da Mulher.
mas e integração com a natureza. Vale investir em Fragrância sofisticada e marcante da família
complementos, como um abajur ou uma luminária olfativa Floriental Frutado.
típica, cadeiras com encosto de palha ou mesinhas
laterais importadas dessas regiões. São peças muito Preço: R$ 86
bem-vindas. A presença étnica na decoração traz
uma atmosfera mágica, além de nos ensinar aspec-
tos de um modo de vida diferente. Entretanto, fique
atento: para criar um ambiente oriental é preciso
também um olhar generoso e sem preconceitos, O Boticário
que saiba se surpreender com o diferente. Use sua Silvia Utsch
é arquiteta e urbanista e Shopping Jardim Sul – Tel.: 3742-0975
criatividade; tenha cuidado com exageros. Com moradora do Morumbi. Carrefour – Tel.: 3742-1127
uma pitada de despojamento é perfeitamente pos- E-mail:
Extra João Dias – Tel.: 5851-7908
msutsch@ajato.com.br
sível compor ambientes pautados no bem-estar. g Centro Empresarial – Tel.: 3741-4526

fevereiro 2009
achados

Caminho para as Índias


Cheiros, tecidos, objetos e iguarias do Oriente são
apreciados desde muito tempo. Foi procurando as
Índias que Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil.
Mais de 500 anos depois, ainda nos encantamos
com os mistérios destas terras que cada vez
mais queremos desvendar

Vaso de latão Vela


Entalhado, envelhecido. Aromatizada
China – De R$ 225 Ganesha ou Buda R$ 46
por R$ 180 espaço prana
Decor friends Shop. Jardim Sul,
Av. Dr. Guilherme Piso 1 - Av. Giovanni Luminária
Dumont Villares, 2323 Gronchi, 5819 Porta-vela vermelha.
Tel.: 3771-2936 Tel.: 2667-2016 Marrocos. R$ 33,99
A loja está em liquidação 5 elementos
até 31/03. Shopping Portal do
Morumbi
Av. Dr. Guilherme Dumont
Villares, 1269
Tel.: 3507-0421

Caixas quadradas
Em palha, com tampa e forro
de tecido. Tamanhos variados.
R$ 36,90 e R$ 18,90
LEROY MERLIN
Marg. Pinheiros, próx à Ponte Capas para almofada
do Morumbi Crochê R$ 19,80, Poliéster R$ 8,10,
Tel.: 3759-5800 Seda mista R$ 25,20
espaço til
R. Dr. Fonseca Brasil, 221
Tel.: 3746-7044
A loja está em liquidação até 28/02.

Gabinete Suraj laranja. Índia. R$ 967


Espaço til R. Dr. Fonseca Brasil, 221 – Tel.: 3746-7044
A loja está em liquidação até 28/02.

20 Morumbi fevereiro 2009


Caminho de mesa
Seda bordada, com apliques de
missangas. De R$ 94,80 por R$ 79
decor friends
Av. Dr. Guilherme Dumont
Villares, 2323
Tel.: 3771-2936
A loja está em liquidação até 31/03.

Pingente
Fio de móbile em metal com acrílico
vermelho. R$ 35,99
5 elementos
Shopping Portal do Morumbi
Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1269
Tel.: 3507-0421

Deusa Tara
Em metal. R$ 79,99
5 elementos
Shopping Portal do Morumbi
Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1269
Tel.: 3507-0421

Estátua de Buda Guia Índia Chic


Em resina. R$ 189 Hotéis, spas, lojas, restaurantes
RADHARANI e roteiros exclusivos. 240 pág. R$ 64,90
Shopping Jardim Sul, loja 358. LIVRARIA DA VILA
Av. Giovanni Gronchi, 5819 Shopping Cidade Jardim
Tel.: 3772-3330 Av. Magalhães de Castro, 12000
Tel.: 3755-5811

Esferas Decorativas
Em madeira e resina, pintadas
à mão, diversos acabamentos.
De R$ 30 por R$ 24
decor friends
Av. Dr. Guilherme Dumont
Villares, 2323
Tel.: 3771-2936
Roteiros de viagens A loja está em
Pacotes especiais para a Índia, que variam de 10 a 13 dias, com preços entre liquidação até 31/03.
US$ 3.521 e US$ 6.921 por pessoa, em apartamento duplo.

CIA VIP TURISMO – caminho das índias


R. Frederico Guarinon, 125 – loja 4
Tel.: 3742-7666
cvc shopping jardim sul
as cores da índia (com dubai)
Shopping Jardim Sul
Av. Giovanni Gronchi, 5819
Tel.: 2246-0444

fevereiro 2009 Morumbi 21


bem-casado

Sushi de Salmão regado ao


suco de maracujá oroya
&
O
Sushi de salmão regado ao suco de maracujá é uma
especialidade do chef Emílio Yoshiyuhi Yamada, do
restaurante Tadashii. Cuidadosamente, ele prepara
o salmão que vai sobre os hot rolls para, logo em seguida,
regar com suco de maracujá. Ele confessa o segredo de sua
receita: “um pouco de suco de laranja e shoyo”. A finalização
se dá com as sementes da fruta decorando o prato de apre-
sentação única.
Emílio, um experiente chef da gastronomia japonesa,
tem liberdade de criar pratos diferentes, como o de camarão
com salmão, arroz e uma leve fatia de laranja no topo. Tam-
bém gosta de usar cream-cheese nas receitas. No entanto,
questionado sobre sua preferência, ele não vacila: “gosto do
sushi tradicional!”. Com ou sem ingredientes exóticos, o que
combina perfeitamente com sushis é o Oroya, um vinho
branco jovem, lançado em 2005, criado exclusivamente para
acompanhar a culinária asiática. Aqui no Brasil, ele é também
conhecido como “vinho para sushi”.
O Oroya tem forte aroma de manga, maçã e pêssego. Seu
Serviço sabor é leve, mas persiste na boca por um longo período que
Tadashii
culmina entre seco e suave, porém preservando os sabores
Rua Jamanari, 40
Tel.: 2579-7777 marcantes do wasabi e do gengibre. Sua acidez é equilibra-
Delivery: de terça da e agradável e ele pode ser tomado até mesmo sozinho. A
a domingo, almoço bebida não tem similar em nenhuma parte do mundo graças
e jantar às pesquisas que buscaram uma composição ideal para preen-
Vallet: R$ 7 cher esta carência do mercado. O Oroya deve ser tomado bem
tadashii.com.br gelado. E bom apetite! g

22 Morumbi FEVEREIRO 2009


TEST DRIVE Renato Corrêa é jornalista, diretor do Jornal Off Road,
piloto das categorias Turismo, Kart, Rally Cross Country,
por Renato Corrêa Enduro e Rally com Motos. É morador do Morumbi.
E-mail: rcorrea@aclnet.com.br

fotos divulgação

Um dos mais desejados no segmento


sedãs de luxo: Honda Accord EX V6
Publicidade

L
ançado no Japão em 1976, o Honda Accord se
transformou em um dos modelos mais bem-
sucedidos da história da indústria automotiva e
conquistou a confiabilidade do consumidor em todo o
mundo. Em 32 anos de existência, tornou-se sinônimo
de evolução, conforto e sofisticação.
A versão topo de linha disponível no mercado
brasileiro, o EX V6, tem 278 cv de potência e está
equipado com a avançada tecnologia VCM2 (Varia-
ble Cylinder Management).
O espaço interno, amplo e confortável, é auste-
ro, mas sofisticado. Doze centímetros a mais em seu
comprimento oferecem mais comodidade aos ocu-
pantes. O EX V6 dispõe de um sistema de áudio com
espaço para seis CDs, MP3 e subwoofer, que acentua
os sons graves. Para evitar o efeito chicote, que pode
lesar a coluna em caso de acidente, os bancos do
Honda Accord têm apoio de cabeça ativo.
Com tantos atrativos, a Honda pretende aumen-
tar sua participação na categoria de sedã de luxo. Entre
1992, início de sua importação, até o final do ano passa-
do, foram comercializadas no Brasil 16 mil unidades.

24 Morumbi fevereiro 2009


Mais bonito Os novos contornos realça- de sua categoria. Outra novidade é o siste-
ram o visual do modelo. A nova grade dian- ma de coxim ativo, que melhora a sensação
teira recebeu um toque esportivo graças de vibração do motor, tornando o carro ex-
aos faróis com lentes de perfis acentuados tremamente silencioso.
e lanternas modernas. As ponteiras do A transmissão automática de cinco ve-
escapamento são cromadas, assim como locidades é recurso de série. O sistema Shift
as maçanetas. O teto solar é elétrico e há Hold Control utiliza sensores que monito-
um sensor de chuva que aciona automati- ram a posição do acelerador, bem como
camente os limpadores de parabrisa. as variações de velocidade do veículo. O
O conjunto ótico é outro atrativo. processador do sistema compara as infor-
Nesta versão há o sistema HID (High In- mações com um mapa gravado no módulo
tensity Discharge) com faróis de xenônio, eletrônico de controle do automóvel, sendo
com lavadores externos, regulagem au- possível determinar se o veículo está em su-
tomática de altura e luminosidade que bida ou não, ajustando a marcha para me-
acendem ao anoitecer. Possui, também, lhorar as respostas e reduzir as mudanças.
faróis de neblina e retrovisor interno ele- 2
trocrômico (anti-ofuscante). Mais economia e respeito ao am-
Nos retrovisores externos uma luz ama- biente A exclusiva tecnologia VCM2 (Va-
rela indica a direção e, no lado do passagei- riable Cylinder Management ou gerencia-
ro, o espelho se inclina automaticamente mento variável de cilindros) foi incorporado
quando acionada a ré para auxiliar no es- ao Accord EX V6.
tacionamento. As rodas de liga leve estão O sistema inteligente VCM2 identifica
com novo desenho. qual a melhor opção (3, 4 ou 6 cilindros), de
acordo com a velocidade, a carga e o tipo
Mais confortável e luxuoso. Em de piso. Quando o sistema entra em ação,
poucas palavras, essas poderiam ser as defini- um indicador se acende no painel. O VCM2
ções para o interior da 8ª geração do Accord. tem reflexo direto em dois temas relevantes:
Os assentos em couro foram redesenhados economia de combustível e, acima de tudo,
para oferecer o máximo de conforto. Todos redução de emissão de poluentes.
os ajustes são elétricos, incluindo o apoio
lombar para o motorista e regulagem de Mais seguro A versão EX V6 do Accord
altura. Os principais controles de som e do vem com seis airbags e com a tecnologia
piloto automático são integrados ao volan- ACE (Advanced Compatibility Enginering),
te de couro, que também possui regulagem uma estrutura frontal que é capaz de dissi-
de altura e de profundidade. par o impacto de uma colisão.
O sedã de luxo conta com apoio de bra- O sistema de freios a disco nas quatro
ço central deslizante – em seu interior existe rodas com ABS (Anti-lock Braking System) e
uma tomada de força de 12V e potência de EBD (Electronic Brake Distribution) ainda dis-
até 120 watts, além de uma entrada auxiliar põe de sensor de velocidade em cada roda
P2 para MP3. O ar-condicionado dual-zone que emite sinais para a unidade de controle
tem difusores para os ocupantes dos ban- do ABS e controla de maneira independen-
cos traseiros. te a pressão do fluido de freio para cada
uma das rodas dianteiras e traseiras.
Mais potente O Honda Accord EX O sistema EBD (Electronic Brake Dis-
V6 é equipado com motor 3,5l, i-VTEC 24V tribution) ajusta a força do freio da frente
(SOHC), de comando simples no cabeçote. para trás, dependendo do posicionamen-
Alcança uma potência de 278 cv a 6.200 to do passageiro ou da carga, garantindo
rpm e 34,6 kgfm de torque a 5.000 rpm, mais estabilidade e melhor desempenho
tornando-se um dos veículos mais potentes de frenagem.  g

fevereiro 2009 4 Morumbi 25


em foco

Refinando
o caráter
O Rabino Y. David Weitman, do Centro Judaico Cha-
bad Morumbi, está com um novo livro: “A Arte de ser
(mais) gente – aperfeiçoando nosso caráter”. Através
de referências do Talmud, exemplos e parábolas, o
autor demonstra que temos plena capacidade de fi-
carmos mais espiritualizados e refinarmos nossos tra-
ços pessoais de caráter. O livro pode ser encontrado
no Centro Judaico Chabad Morumbi e custa R$ 44.
Centro Judaico Chabad Morumbi
Rua Votuverava, 174 – Tel.: 3031-4555

Árvore ecológica
Mais de 3 mil garrafas PET se transformaram em uma linda árvore
de natal montada pela AMO Jardim Sul. Na montagem da árvore
foram patrocinadores Academia Gustavo Borges, Grupo Embrase,
Shopping Jardim Sul e Posto Texaco Duque Panamby; parceiros:
Camargo Corrêa, Supporte Engenharia, Colégio Porto Seguro e
subprefeitura do Campo Limpo, com o apoio da REP, Conseg Por-
tal do Morumbi, Associação Cultural e de Cidadania do Panamby,
União dos Moradores de Paraisópolis e Recicla Morumbi. Tipo exportação
A Companhia das Fibras acaba de participar da 6ª
Publicidade
edição da feira ABIMAD, considerada a maior do gê-
nero na América Latina, organizada pela Associação
Brasileira das Indústrias de Móveis de Alta Decora-
ção. Como associada da ABIMAD, a Companhia das
Fibras possui o selo “Quality for Export”, um progra-
ma criado para preparar e certificar o fabricante para
exportar seus produtos. Confira as novidades da co-
leção 2009 já disponíveis no showroom.
Companhia das Fibras – Av. Dr. Guilherme Du-
4
mont Villares, 2324 – Tel.: 3773-9953

Mudança
A União de Moradores e
do Comércio de Paraisó-
polis conta com uma nova
diretoria presidida por Gil-
son Rodrigues. O líder co-
munitário, junto com sua
equipe, recebeu mais de
80% dos votos. Eles têm
muitos desafios pela frente, entre eles, a concretiza-
ção de projetos voltados para jovens, que represen-
tam 31% da população da comunidade.

26 Morumbi FEVEREIRO 2009


em foco

Beleza
consciente
A dermatologista Isabel Cris-
tina Pedro Martinez, que já
foi palestrante da Confraria
Nobel no estádio de Mulheres, destaca que
mesmo após o verão é pre-
A livraria Nobel já está funcionando dentro do Estádio do Morumbi. ciso ter muito cuidado para
O espaço, que faz parte do projeto Morumbi Concept Hall, fica ao proteger a pele e deixá-la
lado da megaloja Reebok, possui um deck que chega pertinho do mais jovem. O principal de-
campo e espaço para café. Em dias de jogos, a loja se transforma les é o uso do filtro solar com
em camarote. FPS 30. Ela alerta também
Nobel Estádio do Morumbi – Praça Roberto Gomes Pedrosa que as câmaras de bronzea-
Entrada pelo portão 1 – Rampa do Concept Hall mento artificial podem cau-
sar efeitos nocivos à pele.
Pele saudável
Após as férias é preciso revitalizar a pele, pois as ações do sol podem
se manifestar através de manchas e rugas. Pensando nisso, o LO Stu-
O amanhã...
Na primeira reunião de 2009, mais de 60 “coma-
dio oferece uma série de tratamentos, como o peeling de cristal, o
dres” estiveram na Dolce Vila, na chuvosa noite de
nutralift intensive com Dmae, o sensi solution, que alivia a ardência e 27 de janeiro, para um encontro cheio de expecta-
o specific-orquideoterapia, tratamento à base de orquídeas que me-
tivas. No espaço, foram montados pequenos am-
lhora as olheiras.
bientes para análise de numerologia, tarô, oráculo
LO Studio – Av. José Ramon Urtiza, 1220 – Tel.: 3776-7280
das deusas, florais e anjos e salmos. Todas queriam
Publicidade saber o que lhes reserva este ano.

Dez anos depois...


Na noite de 17 de janeiro, Roberto Oropallo rece-
beu cerca de 300 convidados para a comemora-
ção de 10 anos de restauração da Casa da Fazen-
da do Morumbi. A festa contou com um delicioso
jantar preparado pelo chef Vincenzo Vessicchio,
bolo e “Parabéns a você”, além de um show de
mulatas que se apresentaram ao som de uma ba-
teria de escola de samba.

28 Morumbi FEVEREIRO 2009


por Lívio Giosa

O Mundo Profissional:
Cenário, Desafios e Tendências

T
udo poderia ser diferente, mas, literalmente, o falar que “crise”, no diagrama chinês, quer dizer “opor-
mundo desabou. tunidade mais risco”. No entanto, vamos comentar a
A sociedade corporativa, atônita, vive momen- crise sob o ângulo da ativação, operacionalização e
tos de expectativa. resultados. Decompondo a palavra, acabamos enten-
O que acontecerá com as empresas, com os pro- dendo esta posição:
fissionais, o que acontecerá com o mercado?
Vamos, portanto, tentar enxergar o problema sob Capacitação, competência, criatividade
ângulos diferenciados, revisando e alternando, delibe- Para sair da mesmice, invente, abra sua mente
radamente, os nossos processos mentais relativos aos para novos caminhos na empresa. Chame seus cola-
negócios e à carreira. boradores para rodadas de “boas ideias”. Avalie quem
Uma coisa é certa: neste momento todos estão é mais participativo e dê novas oportunidades a eles.
nivelados, avaliando a crise e verificando os seus im- Reconheça as principais competências do seu time e
pactos sobre o setor de atuação, sobre a organização valorize-o. Defina metas. Cobre resultados e incentive
e sobre o mercado como um todo. aqueles que se destacarem.
É hora, então, de ser diferente, inovador, reverten- Capacite seus funcionários e incentive a busca
do prognósticos, oferecendo novas alternativas para o constante do conhecimento. Este é o único diferen-
conjunto das atividades empresariais. cial, o seu peopleware vencedor.
A começar pela palavra crise. Todos já ouviram
Reposicionamento, resultados
Publicidade
Busque-os incessantemente. Avalie todos os ser-
viços e produtos do seu rol de negócio. Tire da pauta
os menos rentáveis e coloque toda a energia nos itens
com mais potencial. Não deixe escapar nenhuma al-
ternativa de contato. Avalie as técnicas de venda e de
comunicação.
Treine seus colaboradores para focarem-se nos
resultados. Reposicione sua imagem. Reposicione-
se no mercado oferecendo novos produtos e ser-
viços, mas com posturas diferenciadas que agre-
guem valor à marca.

Inovação
Tudo na empresa pode ser inovado, desde bus-
car novos negócios até revisar procedimentos. Tudo
pode: novos equipamentos, tecnologia, software, no-
vos conhecimentos com gestão inovadora. Inove nas
atitudes. Inove na busca da fidelização dos clientes e
prospects. Redirecione as estratégias de marketing.
Faça seu exercício diário de posturas inovadoras,
quebrando paradigmas e surpreendendo...

Sustentabilidade
Trace um perfil sustentável do seu negócio. Lem-

30 Morumbi fevereiro 2009


CORPORATIVO

bre-se que, cada vez mais, a sociedade e os clientes esta experiência em uma área piloto da empresa e,
esperam atitudes éticas e de cidadania corporativa. depois, expanda para as demais.
Agregue os resultados da empresa às práticas sociais Empreenda, também, em relação ao mercado.
e do meio ambiente. Identifique as causas cidadãs e Avalie novos negócios possíveis, novos nichos de
comunique aos seus stakeholders. mercado, se utilize, fundamentalmente, do comér-
Entender este mecanismo, incorporando missão, cio eletrônico.
visão, valores e políticas da empresa requer um mo- Fortaleça sua imagem na internet. Seu uso pro-
delo estratégico e de governança capazes de garantir gressivo vai assustar os menos preparados...
um formato alinhado às demandas dos ambientes in- Diante de tudo isto, nada, mas nada mesmo irá
terno e externo à organização. E ser reconhecido pelo melhorar o seu negócio se o sentido de seus atos e do
mercado como empresa sustentável significa vanta- olhar da empresa não estiverem direcionados à sua
gem competitiva. E neste momento, é tudo de bom majestade, o cliente. Lembra-se dele? Como ele é? O LÍVIO GIOSA é
que uma companhia precisa. que pensa? Como reage aos seus insights? Está sendo presidente do CENAM
(Centro Nacional de
entendido da melhor forma? Está sendo surpreendi- Modernização
Empreendedorismo do pelas práticas além do esperado? Empresarial);
vice-presidente da ADVB
Assuma, definitivamente, esta prática. Pois bem, tente seguir estas dicas. Reflita sobre (Associação dos
Identifique modelos que se apliquem ao em- cada parágrafo deste texto. Não tenho dúvidas de que Dirigentes de Vendas e
Marketing do Brasil);
preendedorismo interno e ao empreendedoris- se implementá-los, sua empresa e a sua capacidade coordenador geral do
mo externo. profissional e de liderança reverterão quaisquer situa­ IRES (Instituto ADVB de
Responsabilidade
Convide seus colaboradores para que exerçam o ções de risco. Socioambiental) e
papel de verdadeiros agentes de transformação, agin- Então, vamos em frente. Abaixo à crise, e avante sócio-diretor da G,LM
Assessoria Empresarial.
do com práticas inovadoras e sistematizadas. Deflagre ao sucesso! g
por Rosa Richter

É Baderna...
desordem, falta de educação, desrespeito,
vandalismo, impunidade, falta de amor ao
próximo ou descrença em si mesmo?

Caro leitor, Nas grandes metrópoles como São Paulo, exis-

V
ivemos em um bairro muito especial, con- tem injustiças, e os afrontamentos são muito co-
vivemos com o maior contraste social da muns, os desejos de baderna se materializam sob
cidade de São Paulo. Por um lado mansões, a pior forma de agressão. Já a irreverência e a liber-
apartamentos, centros comerciais, e, no meio de to- tinagem estimulam o comportamento indevido,
dos eles, em quase um milhão de metros quadrados o que também caracteriza desrespeito e produz
que ao longo de 50 anos foram se aglomerando de fortes violências.
forma desordenada e sem que os órgãos públicos Sabemos que o desrespeito é o principal causa-
tomassem nenhuma providência, a segunda maior dor de violência, podemos então combater a violên-
comunidade carente da cidade de São Paulo. cia diminuindo os diferentes tipos de desrespeito:
econômico, social, conjugal, familiar...
Hoje já são 80 mil pessoas que convivem em A melhor maneira de prevenir a violência é agir
Paraisópolis e mais de 95% são pessoas trabalhado- com o máximo de respeito diante de toda e qual-
ras, honestas, que procuram dar o melhor de si para quer situação. Em termos governamentais, as autori-
vizinhos, filhos, amigos e, muitas vezes, aos desco- dades precisam estimular relacionamentos mais
nhecidos também. justos, mais reverentes na nossa sociedade. O go-
Publicidade verno precisa diminuir as explorações econômicas
e podar o excesso de “liberdades”, principalmente
na TV e no sistema educativo do país. A vulgaridade
praticada nos últimos anos vem destruindo valores
morais e tornando as pessoas irresponsáveis, impru-
dentes, desrespeitadoras e inconsequentes.
Precisamos, também, restabelecer a punição
infanto-juvenil, tanto em casa quanto na escola. Boa
educação se faz com corretos deveres e não com
direitos insensatos.
Precisamos educar nossos adolescentes
com mais realismo e seriedade para mantê-los
longe de problemas, fracassos, marginalidade
e violência. Se diminuirmos os ilusórios direitos de
rebeldia, prepotência e desrespeito e reforçarmos os
deveres, o país não precisará colocar armas de guer-
ra nas mãos da polícia.
Trazendo todo esse conceito para os últimos
acontecimentos do dia 2 de fevereiro de 2009, nas
imediações da Comunidade de Paraisópolis, gosta-
ria de dar algumas sugestões, onde o Governo po-
deria dar o grande passo e iniciar um novo sistema
de atuação nessa comunidade e em todas as outras
carentes da cidade de São Paulo.

32 Morumbi fevereiro 2009


cidadania

Rosa Richter é
Paraisópolis hoje é uma vitrine, não só para São volver projetos para deficientes (não existe nada

pedagoga; presidente do
Paulo como para o mundo, devemos mostrar que lá dentro) é importante também Criar uma sub- Conseg Portal do
Morumbi; presidente da
nossos governantes estão preocupados com a pre- prefeitura do Morumbi Associação Cultural e de
venção e solução dos problemas. Muito já tem sido Se tornar um cidadão consciente e exercer sua Cidadania do Panamby;
presidente da AMO
feito, a própria urbanização de Paraisópolis já é um cidadania depende apenas de cada um. Jardim Sul;
start, mas ainda é pouco. Dar o exemplo positivo para as novas gerações, vice-presidente do
Instituto São Paulo
Temos dentro do coração do Morumbi uma ci- mostrar que, ao contrário do que muitos falam, cada contra a Violência;
dade cravejada que precisa ser lapidada. um pode ser insubstituível, SIM, caso contrário exis- conselheira e diretora de
várias entidades
Devemos levar as ações e esperança positivas tiriam vários Einsteins, Picassos, Beethovens, Ghan- na área de
para dentro de Paraisópolis, com propostas para o dis, Santos Dumonts, Monteiros Lobatos, Pelés... desenvolvimento social.
rosarichter@gmail.com
governo e PM. Portanto, nunca esqueça: cada um é um ta-
Acredito que apenas com uma ação conjunta lento único, basta FAZER A DIFERENÇA.
entre todas as secretarias e órgãos conseguiremos
êxito. Só assim a ação será eficaz. Rosa Richter


O que levar Poupatempo com todos os
serviços possíveis: RG, CPF, Título de Eleitor etc. • Publicidade


Base Comunitária Odontológica Melhorar o sis-
tema viário – asfalto, abertura de ruas, tapa-buraco,

cata-bagulho Manter policiamento ostensivo de-

finitivo dentro de Paraisópolis Iluminação


Via Perimetral Policiamento reforçado
Paraisópolis tem que ficar apenas de um lado da via

(evitará atropelamentos)


SEHAB Subir o valor do apoio habitacional
Organizar e cadastrar ONGs para descobrir deman-

das e conferir a veracidade, o trabalho e o desempe-

nho de cada uma Acelerar o processo do CDHU

O que falta dentro de Paraisópolis •


• •
Mais escolas Mais creches Escolas Profissionalizan-
tes (padaria, marcenaria, corte e costura, secretária do
lar, trabalhos manuais, cursos de babá etc.) Mais •

postos de saúde Quadras poliesportivas Cen- •

tro de convivência da 3ª Idade Centro de recreação

(tea­tro, dança, biblioteca etc) Cooperativas de reci-

clagem e jardinagem Casas de cultura Desen- •
fevereiro 2009 Morumbi 33
pensata por Paulo R. Amaral

Não adianta mais


fingir que Paraisópolis
não existe
O
dia 2 de fevereiro de 2009 significou para nós do
Morumbi um marco negativo na história do bair-
ro. Os atos de vandalismo daquela tarde/noite
de segunda-feira assustaram a todos, ainda mais aque-
les que ficaram reféns da ação violenta de uma turma
tomada pelo desejo incontrolável de destruição. Houve
prejuí­zos materiais, houve traumas individuais. Não im-
porta os motivos, qualquer atitude deste tipo deve sem-
pre ser repugnada, e os responsáveis, punidos nas formas
da lei. Mas um trauma deve ser diagnosticado e receber
tratamento adequado. Buscar alternativas para resolver
o problema pode ser o caminho para curar as feridas e
recomeçar. E nem precisamos partir do zero. Já sabemos
que somos o bairro com a maior concentração de riqueza
do país que cresceu junto com uma comunidade pobre
que concentra quase cem mil pessoas (população igual a
de uma cidade de porte médio) que sofrem com a falta
de infraestrutura e com uma série de carências – em Pa-
raisópolis há milhares de analfabetos e pessoas que não
têm acesso sequer a um documento de identificação.
Paraisópolis está tão perto da riqueza e dos benefícios da
maior metrópole sul-americana e, ao mesmo tempo, está
tão longe de ver atendidas as necessidades básicas da sua
população. Me incomodou o que ouvi no dia seguinte à
violência daquele 2 de fevereiro, no supermercado, na por-
ta do colégio ou na mesa ao lado no restaurante. Nessas
horas, o discurso da segregação flui fácil, a visão simplista
de complexos problemas sociais sugere soluções simplis-
tas e é impressionante como ganha força essa corrente. É
preciso, portanto, cabeça fria, manter o bom senso e en-
xergar além. Não tenho fórmulas para resolver questões
tão abrangentes, nem sei se essas fórmulas levam à so-
lução. Só sei que precisamos combater o imobilismo. Há
muito sendo feito em Paraisópolis. São 60 projetos sociais
em andamento, gente que se doa, se envolve e faz a sua
parte em nome de um ideal. Os projetos não podem pa-
rar. Pelo contrário, é urgente que mais gente se envolva
nesse processo, se misture, se integre. Paraisópolis está lá,
do outro lado da janela, ao alcance das nossas vistas. Não
dá mais pra fingir que ela não existe.  g

Paulo Roberto Amaral


é morador do Morumbi e jornalista da Rede Globo de Televisão, onde edita o Jornal Hoje.

34 Morumbi
vitrine

Letras e
números
no CPV
Em fevereiro, a unidade Morumbi do CPV
promoveu palestras voltadas a professo-
res e educadores sobre dois dos principais
temas da atualidade: A Nova Ortografia,
com a professora e autora de gramática
Daniela Aizenstein, e Planejamento Fi-
nanceiro para Pessoas, com o administra-
dor Rodrigo Bussab.

A professora Daniela Aizenstein falou so-


bre a importância da língua escrita, as no-
vas regras da ortografia, as polêmicas que
surgiram e que ainda surgem com essas
mudanças. Palavras que perderam acen-
tos, palavras que perderam hífen, outras
que ganharam hífen.
Num contexto geral, pouca coisa mudou,
menos de 1%, mas na prática não é fácil se
adaptar aos novos termos de uma hora para
outra. Aqui no Brasil, temos até 2012 para
adotar definitivamente as novas regras.
O administrador e consultor financeiro Ro-
drigo Bussab, em sua palestra sobre Plane-
jamento Financeiro para Pessoas, deu dicas
e conselhos de como equilibrar as contas:
compromisso consigo mesmo e com seus
sonhos, mudança de atitude e disciplina,
adoção de uma postura de médio e longo
prazo que permita a realização dos sonhos
financeiros; e falou também sobre as ferra-
mentas utilizadas para proteção e acumu-
lação de patrimônio, e as técnicas e cálcu-
los, que são variáveis de pessoa para pessoa
ou de família para família.

36 Morumbi FEVEREIRO 2009


vitrine

FEVEREIRO 2009 Morumbi 37


vitrine
vitrine

As energias
revigorantes
do Oriente
Muitas vezes precisamos de alguns mi-
nutos conosco mesmos para renovar as
energias, recarregar as baterias, alinhar os
chacras, equilibrar mente, corpo e espírito.
Na contramão dos avanços tecnológicos
na medicina e estética para proporcionar
longevidade, beleza e rejuvenescimento,
a milenar cultura oriental, com suas filo-
sofias e técnicas terapêuticas, continua
apostando no autoconhecimento, no
equilíbrio, na “beleza que vem de dentro”
para promover bem-estar e qualidade de
vida às pessoas.
Cada uma dessas práticas, que vieram da
Índia, China, Japão, Tailândia, dentro da
filosofia em que atuam, conseguem fazer
com que nos recoloquemos novamente
em sintonia com o universo, com nosso
interior e com a nossa saúde.

Acupuntura Auricular
Diz um ditado chinês
que “beleza é saúde,
e saúde é beleza”.
Segundo a medicina
chinesa, a orelha é
o ponto de reunião
de nossas energias
básicas principais,
e através da acu-
puntura auricular,
é possível regular
o funcionamento
dos nossos órgãos e
vísceras, contribuindo para uma melhora
estética e produzindo efeitos anti-enve-
lhecimento.

Ayurveda Medicina indiana mile-


nar, significa “conhecimento da vida”. Dá
ao usuário consciência corporal e atua de
diversas formas. A massagem ayurvédica
é vigorosa, estimula músculos e circula-
ção, libera toxinas e, com toques profun-
dos, realinha a postura, alivia tensões e
fortalece o sistema imunológico. Tem
excelentes efeitos anti-estresse e antide-
pressivos. Os alongamentos dão maior
flexibilidade ao corpo e às articulações.

38 Morumbi FEVEREIRO 2009


vitrine
vitrine

Quiropraxia Técnica (não oriental)


que envolve o uso das mãos no diagnósti-
co, tratamento e prevenção de doenças do
sistema neuroesquelético. A quiropraxia
trata dores na coluna lombar, hérnia de
disco, dores ciática, no pescoço, de cabeça,
além de problemas nas articulações.
O tratamento corrige e previne proble-
mas articulares, e para cada condição é
definido um plano de tratamento apro-
priado. O ajustamento é a técnica mais
comum, utiliza movimentos rápidos,
indolores e específicos na articulação
comprometida. Com isso a dor é mini-
mizada, há um relaxamento muscular,
aumento da mobilidade e restauração
da função articular.

Thai Desenvolvida a partir dos


preceitos de amor incondicional da
essência budista, é uma técnica que
estabelece troca benéfica de energias
entre terapeuta e paciente, aumenta
em ambos a sensibilidade e a intuição
em benefício do equilíbrio emocional.
Os múltiplos alongamentos flexibilizam
e causam os mesmos efeitos dos exercí-
cios do yoga. A acupressão aumenta o
fluxo energético vital e cura dores. A ca-
dência rítmica dos toques, aliada a res-
piração profunda, induz a um profundo
relaxamento e produz os efeitos bené-
ficos da meditação. É uma massagem
completa, que abrange aspectos fisicos,
mentais, psíquicos e emocionais.

40 Morumbi FEVEREIRO 2009


vitrine
vitrine

FEVEREIRO 2009 Morumbi 41


vitrine

Yoga Do sânscrito “união”, é uma fi-


losofia de vida, é a integração do indi-
víduo com ele próprio e com o universo,
é a prática do bem, do respeitar o próxi-
mo, do se alimentar corretamente. É re-
comendada como um tratamento para
combater ansiedade e estresse, além de
proporcionar um corpo mais definido,
flexível e cheio de disposição.

serviço
Acupuntura Auricular
Acupuntura Prof. Paulo Meirelles
R. Rafael Carrozzo, 77 – Tel.: 3758-3375

Ayurveda, Thai, Yoga


Breeze Studio
R. José Ramon Urtiza, 308
Tel.: 3739-0581
espaço Prana
Av. Giovanni Gronchi, 5819
Shopping Jardim Sul
Tel.: 2667-2016
Namasté Morumbi
R. Dom João Batista Costa, 36
Tel.: 3502-3468
Shiatsu Luiza Sato
Av. Dr. Alberto de Oliveira Lima, 126
Real Parque – Tel.: 3758-8337
R. José Ramon Urtiza, 975
Open Mall Panamby – Tel.: 3741-0822
Spa Estéticka
Tel.: 3739-2104

Quiropraxia
Priscila Nilson
R. Nelson Gama de Oliveira, 311 - cj. 116
Tel.: 9236-0066

42 Morumbi FEVEREIRO 2009


vitrine

Boas compras!
Guia de outlets do Morumbi
As liquidações de começo de ano estão encerrando, mesmo assim é possível
comprar produtos de marcas consagradas a preços acessíveis durante todo o
ano nos outlets. O Morumbi possui opções que vão desde decoração, moda
feminina e masculina, acessórios, sapatos e lingerie. As lojas oferecem peças
de coleções anteriores, mesmo assim na moda, com descontos de até 70%.

Decoração balha com lingeries extremamente sensuais,


luxuosas e ousadas.
Espaço Til SERVIÇO Av. Pirajussara, 1495 – Jd. Jussara
Os móveis, tapetes e tecidos orientais são Tel.: 3751-3858 – Seg a qui das 8h às 17h30 e
sofisticados e, muitas vezes, exclusivos. As sex das 8h às 16h30
colchas e tapeçarias são bordadas à mão e a
linha mobiliária recebe um criterioso traba-
lho de pintura. As peças desta loja compõem
Moda Infantil
a maior parte do cenário da novela Caminho Guipekids
das Índias. No outlet do Morumbi os produ-
tos têm desconto de 30% a 70%.
SERVIÇO R. Dr.
Fonseca Brasil, 221 – Tel.: 3746-
7044 – Seg a sex das 9h30 às 19h e sáb das
10h às 16h

Lingerie
Fruit de la Passion
A Guipekids trabalha com moda infantil de 0
a 16 anos. A loja recebe constantes novidades
das marcas Hering, Get Baby, Pulla Bulla, Va
Lutin, Air Max e Vene. Os preços são abaixo
do mercado. Vale conferir os produtos como
uma camiseta Hering 2 a 16 anos que sai por
R$ 9,90 e uma camiseta polo por R$ 16,90.
SERVIÇO R. Regente Leon Kaniefsky, 614
Tel.: 2589-1465 – Seg a sex das 9h às 19h e
No outlet da Fruit de La Passion o preço das sáb das 9h às 18h – guipekids.com.br
lingeries varia de R$ 20 a R$ 200, dependen-
do da coleção. As variadas peças – calcinhas, Tucano de Gravata
sutiãs, camisolas curtas e longas, baby-dolls
– são bastante disputadas, pois a marca tra-

A Tucano de Gravata é um outlet infantil de


marcas famosas: TKTS, You, Green, VIC e No-
ruega são algumas das grifes comercializadas
com preços até 60% inferiores aos dos shop-
pings. A moda transada da loja vai do bebê a
16 anos. Vale a visita para conferir as promo-
ções, entre elas os vestidos em viscolycra Gulo-

44 Morumbi FEVEREIRO 2009


vitrine

seima que saem de R$ 72 por R$ 26.


SERVIÇO R. Regente Leon Kaniefsky, 484
Tel.: 3721-0949 – Seg a sex das 10h às 19h e
sáb das 10h às 16h

Moda
Masculina e Feminina
Arsenal
Oferece artigos de marcas famosas como
Tommy Hilfiger, Triton, Zoomp, Fórum e
Linda de Morrer e acessórios como colares
e óculos. No bairro desde 1996, a loja está
em liquidação. Uma camisa masculina da
Tommy Hilfiger sai de R$139,90 por R$ 83 e a
feminina, de R$ 129,90 por R$ 77,90.
SERVIÇO R. José Jannarelli, 585 – Tel.: 3721-6239
Seg a sex das 10h às 19h e sáb das 10h às 18h

46 Morumbi FEVEREIRO 2009


vitrine

FEVEREIRO 2009 Morumbi 47


vitrine

Audace
Possui confecção própria e multimarcas
como Maria Filó e Diva. Trabalha também
com acessórios e sandálias. Uma rasteira
com strass da Audace, de R$ 90 sai por R$ 27
e um vestido de malha com cetim da Audace
de R$ 188 por R$ 56,40.
SERVIÇO R. Regente Leon Kaniefsky, 95
Tel.: 3744-7979 – Seg a sex das 9h às 19h e
sáb das 9h às 18h

Loja da Ponta
Trabalha com coleção da marca Candy
Shop, grife de Paulinho Vilhena. As peças são
básicas, de algodão, lisas, sem estampa e em
vários formatos: manga curta, comprida,
três-quartos, regata, golas V e careca.
SERVIÇO R. Dr. Clóvis de Oliveira, 462 – fundos
– Tel.: 3722-1495 – Seg a qui das 8h às 18h e
sex das 8h às 17h

Max Mara
Trabalha com as marcas Max Mara e
Marina Rinaldi . Lá você encontra uma
camisa feminina de seda Max Mara de
R$ 1.050 por R$ 460 e uma calça de algodão
Marina Rinaldi de R$ 750 por R$ 300.
SERVIÇO R. José Jannarelli, 573
Tel.: 3721-9764 – Seg a sex das 10h às 19h e
sáb das 10h às 16h

Mix Store
A ponta de estoque autorizada da Zara co-
mercializa até 25 grifes, como Tommy Hil-
figer, Cacharel e Equus. As peças custam a
partir de R$ 7,90. Os descontos chegam até
70%, uma calça da Les Filós, por exemplo, sai
de R$ 395 por R$ 99,90.
SERVIÇO R. Jamanari, 330 – Tel.: 3501-6513
Seg a sex das 9h30 às 20h, sáb até 19h e dom
das 11h30 às 19h 

Continue a receber
GRATUITAMENTE
a Revista Dolce em sua casa*

dolcemorumbi.com
Cadastre-se no site, para garantir o seu
exemplar mensalmente e ser informado
sobre as promoções e eventos
programados pela equipe Dolce para 2009.

entrega garantida para os ceps da


área de abrangência, ver mapa no site.

48 Morumbi FEVEREIRO 2009


vitrine

TNG
Traz peças de coleções passadas com des-
contos que variam de 20% a 70%. O paga-
mento das compras pode ser parcelado. No
outlet do Morumbi, camisetas masculinas
saem a partir de R$19,90 ; jeans masculino e
feminino a partir de R$ 49,90 e jaquetas fe-
mininas e masculinas a partir de R$ 59,90.
SERVIÇO Av. Prof. José Horácio Meirelles
Teixeira, 1.041 – Lj 09/10/11 e 12
Tel .:3501- 2527 – Seg a sex das 9h às 20h,
sáb das 9h às 19h e dom das 9h às 15h

FEVEREIRO 2009 Morumbi 49


FINAL FELIZ por Floriano Serra

Agora, como dizer “eu te amo” ?


J á explico porque ando procurando uma nova expres-
são para substituir “eu te amo”.
Sou de um tempo em que dizer “eu te amo” a uma
pessoa tinha o valor do tamanho de um bonde. “Eu te
amo” não era apenas uma expressão verbal – era algo
visceral: saía das entranhas, do fundo do coração, rompia
com bloqueios, preconceitos, temores e inibições, e vinha
para fora, em sussurros ou brados, mas sempre com enor-
me emoção e magnitude: EU TE AMO! E nesse momento
mágico, estrelas, cometas e meteoros rodopiavam à nossa
volta, ao som de sinos, sinfonias e cantos de pássaros.
Talvez alguém sorria lendo isto, que, com toda a razão,
pode ser visto como piegas e careta. Mas, pode crer, dizer E então, o que sobra? Como dizer a alguém que, fi-
“eu te amo” era um negócio muito, mas muuuito sério. Não nalmente, depois de muitas léguas de vida, muitos anos-
que hoje em dia não mais o seja, mas, nos tempos atuais, luz de procura, muitas vivências de falsos encontros e
essa expressão assumiu uma conotação descompromissa- muitas decepções amorosas, você finalmente encontrou
da, cotidiana, adquiriu um peso mais leve. Hoje, amigos e a pessoa com quem definitivamente quer compartilhar
amigas se dizem “eu te amo” com uma frequência e uma sua vida, seus sonhos, suas inseguranças, seu corpo e sua
facilidade desconcertantes para minha geração, e que soa alma? Como dizer a uma pessoa que, por ser tão grande
assim como quem diz “eu gosto muito de você”. Tem o sentimento que os une, uma vida é muito pouco para
sido comum ver a troca dessa expressão nos MSNs da vivê-lo, ainda que envelheçam juntos?
vida, nos Skypes e Orkuts, nos e-mails, nos bilhetes, nos Quem já encontrou o amor bastante sabe a que me
cumprimentos informais. Ao telefone, tenho percebido refiro. Estou falando de um sentimento tão gostoso, tão
que o “eu te amo” vem substituindo o “um beijo, tchau” forte, tão misterioso que às vezes chega a doer de tão bom
entre os amigos. e intenso. Pois então, como vamos expressar tudo isso à
Não me interpretem mal, não há nada de errado pessoa amada se o “eu te amo” deixou de ter a força e o
com essas modernidades. Torço para que as pessoas significado de antigamente?
continuem dizendo “eu te amo” umas às outras, mesmo Sei que podem me achar um exagerado e que esteja
que estejam querendo se referir “apenas” a uma grande dando ao assunto uma importância maior do que ele me-
amizade, um grande bem-querer, uma atração, afinidade, rece, mas a verdade é que acho essa questão tão relevante,
simpatia, ou mesmo expressar uma forma de gratidão e tão vital, que até justificaria um plebiscito nacional – ou uni-
admiração. Tudo bem. versal – para que todo mundo pudesse pensar a respeito e
A questão é: e os apaixonados de verdade, como é sugerir. Não seria maravilhoso toda gente pensando nessa
que ficam? Aqueles que nutrem pelo outro muito mais coisa que um dia foi chamada de “amor” e enviando pro-
que uma grande amizade, muito mais que um grande postas, debatendo o assunto na televisão e nas emissoras
bem-querer ou uma enorme atração? Aqueles que são de rádio, nos jornais e revistas? Sei não, acho que talvez até
unidos por uma cumplicidade que parece não ser dessa devesse entrar na pauta das discussões do Congresso Na-
encarnação – me perdoem os que não acreditam nisso. cional, porque não se trata de uma questão de interesse
Como ficam esses? Com que recursos verbais contamos apenas dos amantes, mas de toda a sociedade.
nós – os piegas, caretas e ultrapassados – quando quiser- Não me entenda mal. Vamos continuar nos dizendo
Floriano Serra é
mos dizer a expressão mágica para a alma gêmea final- “eu te amo” na maneira dos novos tempos. Fará bem a to- psicólogo, consultor,
mente (re)encontrada? dos. Mas não esqueçamos dos amantes, dos apaixonados, palestrante e autor
de vários livros e
“Eu te quero” não serve – é muito possessivo. dos cúmplices de coração, e vamos ajudá-los a encontrar artigos sobre o
“Te desejo” é muito sexual. “Te adoro” é quase platô- uma nova expressão para que eles possam, com a trans- comportamento
humano. E-mail:
nico. “Te venero” ou “te idolatro” cheira a devoção cendência e força de antigamente, continuar comparti- florianoserra@
religiosa. “Te admiro muito” é fraquinho, a gente fala lhando esse sentimento que é responsável pela alegria, somma4.com.br.
isso para os heróis e artistas. “Te respeito” é para as au- pela saúde e pela vida de quem tem a oportunidade e a Ilustração
Thais Narkevitz
toridades e os pais da gente. coragem de vivê-lo.  g

50 Morumbi fevereiro 2009