FACULDADE TEOLÓGICA BATISTA DE SÃO PAULO

Lucas Evangelista Batista Silva Júnior

RESUMO A EXPERIÊNCIA RELIGIOSA E A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA RELIGIÃO

Trabalho apresentado ao Prof. Dr. Lourenço Stelio Rega como requisito parcial do Programa de Integralização de Créditos – Bacharelado em Teologia. Módulo de

Filosofia da Religião.

SÃO PAULO 2013

os profetas que levavam o povo a lembrar do divino revelado e uma terceira linha que prevê o sacerdócio. 29-46. No sentido de diferenciar as experiências e a vivencia com o sagrado e a instituição e . Esse sagrado se apresenta. Entretanto cada igreja cria seus dogmas que excluem automaticamente o que outras sistematizaram. Para isso ele usou alguns exemplos de igrejas instituídas no Brasil e apresentou o caminho da institucionalização. Isso gera o desconforto entra o que é a igreja e o que são as religiões. A experiência religiosa é livre e a priore não pode ser entendida. Entretanto o homem é uma máquina de fazer deuses e mediante a sua necessidade de ter algum cria valores e conceitos para que esse Deus o corresponda com suas expectativas. Na maioria das vezes essas experiência acrescentam ao que já existe e não mudam. Na questão de trazer a memória vemos que o tempo proporciona experiência fundante. O Sagrado em si não é concreto ou mensurável. O Exemplo dado para esse processo são as experiências de Moises que ampliavam o conhecimento acerca do divino. sistematiza suas ideias e no desenvolvimento frio se desenvolve a instituição como uma gestora de experiência do sagrado. Ou seja como o que eu conheço do Sagrada me leva a sistematizar e a identificar uma religião. 2004. Podemos perceber no texto que esse caminho pode ser longo ou mesmo curto.MENDONÇA. pode se completar ou não dependendo da “religião” ao qual ele pertence. O texto trata a experiência religiosa e sua institucionalização. 18 (52). tem experiências com ele. é algo totalmente empírico sem nenhum contorno pré-definido. ou seja modificadoras. Isso não é algo ruim pois a gestão dessas experiências podem trazes a memória aquilo que pode se perder com o tempo. se revela parcialmente ao homem que sistematiza suas experiências e dá a luz a religião. Para isso ela segue o caminha da institucionalização. Experiência religiosa é o contato que o ser humano tem com o divino. Mas percebemos que o processo de mudanças exige uma volta as origens. alguém que domina ou dirige o entendimento que deve existir do sagrado. “A experiência religiosa e a institucionalização da religião” in: Revista de estudos avançados. se assim o fosse deixaria de ser divino. pgs. A instituição religiosa se desenvolve nesse processo: uma sociedade de busca o divino. Antonio Gouvêa.

mesmo assim nos dados o direito de estabelecer entendimentos básicos que não podem ser ignorados nas nossas experiências. mas enfatizar um conhecimento pela devoção e piedade. Esse é o processo padrão. Vemos aqui que o ponto de partida é sempre da experiência para a então sistematização e a instituição. Para isso vemos que há uma dicotomia entre o sagrado instituinte e o sagrado instituído. se não ao invés de adora-lo estamos adorando uma imagem criada por nós. Ou seja. É preciso entender também que não podemos fugir das indagações e sensações que nossa vivencia com Deus provoca. O sagrado é quem ele de fato é e a pesar e não podermos como instituição descrever ele como um todo. Desta forma o entendimento de Deus não pode ser diferente dele. . Embora o cristianismo se inicie com uma experiência gerada pelo Espírito Santo ele é exclusivista em sua teologia pois é regido em Cristo Jesus como revelação perfeita de Deus e nas escrituras como manual de fé. mais uma vez enfatizado aqui: Contato com a revelação. A partir disso então é que o conhecemos e desenvolvemos a nossa teologia. mas a má interpretação que tivemos a partir de nossas experiências. Portanto é importante como líderes guiamos as pessoas em uma teologia saldável. buscado e reverenciado de multiformes. O fundamento de religiões por experiências de espaço para um leque de opções no qual o divino pode ser adorado. Conhecer esse processo e ver esse quadro nos diz muito acerca do que o ser humano faz para fundamentar as suas crenças. Entretanto devemos admitir que toda teologia tem falhas e está sujeita a uma avaliação. na qual Deus não comunga com ela de forma alguma. A mudança dessa não afeta de forma alguma o algo dele. criamos parâmetros para afirmar o que ele pode ou não ser. ao mesmo tempo que o sagrado não pode ser conhecido como um todo.sistematização que essas experiências geram e são assumidas por um grupo. Desta forma fundar uma teologia baseada em experiências é o caminho errado para se conhecer a Deus. Entretanto precisamos lembrar que a mutabilidade de nossa teologia não afeta a Deus. espaço intelectual para a sistematização e o local onde o sagrado é adorado. o Sagrado.