09/10/13

Jurisprudência e Concursos - Dicas Pontuais de Direito Penal - Prof. Gianpaolo Smanio (atualizada até 23/02/12)

23/02/12 A primeira do STJ, 5ª T, rel. Jorge Mussi, HC 206723, j. 16/02/12 (saindo do forno!!!) O STJ sedimentou jurisprudência no sentido de que a pronúncia pode ser fundamentada em elementos colhidos na esfera policial. A segunda, também do STJ, decisões recentíssimas fixaram a diferença entre reexame e revaloração da prova para o recebimento do RE. O reexame da prova não é admitido e não permite o Recurso Especial. Mas a revaloração da prova admite o RE. O STJ interpretou sua Súmula 7 que diz que o reexame da prova não é admissível para efeito de RE. O error in judicando (inclusive o proveniente de equívoco na valoração das provas) pode ser objeto de recurso especial. A revaloração da prova constitui em atribuir o devido valor jurídico a fato incontroverso, prática aceita em sede de recurso especial. 14/02/12 Primeiro uma ótima pergunta de oral de concursos MP e MAGIS: o que é estouro de urna? Vai uma pista: está relacionado com o Júri. "Estouro de urna" ocorre quando não há o quorum mínimo de Jurados para a sessão do Júri. O CPP exige o mínimo de 15 jurados presentes, dentre os 25 sorteados, para que seja instalada a sessão do Júri. Caso este número não ocorra, o juiz deverá convocar nova sessão para o dia útil imediato (art. 471 CPP). Se o Júri for realizado sem o número mínimo de jurados, ocorrerá nulidade absoluta. Agora uma jurisprudência do STF para não perdermos a viagem da madrugada. Na RCL 8712, o Plenário, em decisão relatada pela Min. Carmen Lúcia, decidiu sobre o uso de algemas. Considerou fundamentação suficiente o perigo que o réu representaria à integridade física daqueles que participaram da audiência. Esta decisão é de 20/10/11. Outra decisão da Min. Carmen Lúcia, agora na 1ª T, HC 108.946-RGS em 22/11/11. Sobre o princípio da insignificância em crime de receptação. O crime de receptação foi praticado de bens cujo valor era de 258 reais. O STF negou a aplicação do princípio. Primeiro porque o valor era de 86% do salário mínimo à época dos fatos. Depois porque a receptação estimula outros crimes mais graves, como o roubo e o latrocínio. 03/02/12 • O STF em acórdão recente (HC 101.698) discutiu a questão dos homicídios em acidentes de trânsito com embriaguez e em caso de "racha". • Vale a pena ler o acórdão todo porque ele esclarece vários pontos que estão bombando nos concursos, inclusive nos orais. • Para um resumo aqui anoto que o STF reafirmou que em caso de embriaguez o dolo eventual somente cabe quando ela é preordenada. • O STF adotou a teoria da actio liberae in causa na forma tradicional, ou seja, somente com a embriaguez preordenada. Caso contrário, o homicídio é culposo. Esta não é uma boa posição para o MP, mas é excelente para a Defensoria e para a Magistratura.
www.jurisprudenciaeconcursos.com.br/concursos/dicas-pontuais-de-direito-penal--prof-gianpaolo-smanio-atualizada-ate-230212 1/7

O Plenário do STF reafirmou a impossibilidade de aplicação da chamada prescrição antecipada ou em perspectiva por ausência de previsão legal. caso os denunciassem. na mesma decisão.o segundo: nenhuma periculosidade social da ação.o terceiro: reduzidíssimo grau de reprovabilidade do comportamento. STJ REsp 1128890-Suspensão Condicional do Processo pode ser revogada por descumprimento das condições impostas mesmo após o curso do prazo. consistente na formulação de perguntas diretas às testemunhas pelas partes. para que seja implementada. • A hipótese do "racha" é diferente da embriaguez. No caso. 212 do CPP. STJ-HC 147. 27/10/11 Pergunta para os estudiosos da madrugada: você sabe o que é cross-examination? R: É o método de exame direto e cruzado de colheita de prova oral. Cabe ao juiz.09/10/13 Jurisprudência e Concursos . a ocorrência de fato impeditivo da extinção da punibilidade naquele período.837-Crime de violação de direito autoral-exposição à venda de CDs e DVDs piratas. tão somente. Posição excelente para Defensoria e Magistratura e péssima para o MP. Aplicação da norma incriminadora. Este é o entendimento do STJ adotado pela 5ª Turma no HC 210. Esta já é uma boa posição para ser defendida no MP. no art. A primeira HC 229982-RJ onde reafirma que o Mandado de Segurança não pode ser usado pelo MP para obter efeito suspensivo a recurso. 3.527/RS. Este sistema foi adotado pelo direito brasileiro. Esta decisão ocorreu na Repercussão Geral por Questão de Ordem no RE nº 602. www. na visão do Supremo. ao final. 26/10/11 STJ HC106262-A realização de exame criminológico para progressão de regime deve fundamentarse em concreto e não só na gravidade do delito. se admite a forma de atuação no roubo como motivo suficiente para conversão do flagrante em preventiva. Gianpaolo Smanio (atualizada até 23/02/12) • Voltando ao STF. Isto foi considerado suficiente para a prisão preventiva.703-SP.com.Dicas Pontuais de Direito Penal . Inaplicável o princípio da adequação social para atipicidade da conduta. os assaltantes puseram arma na cabeça das vítimas e as ameaçaram de morte. a complementação da inquirição da testemunha sobre pontos não esclarecidos. 4 -o quarto e último: inexpressividade da lesão jurídica provocada. 24/10/11 Pergunta para os estudiosos notívagos: na visão do STF quais os requisitos para o reconhecimento do princípio da insignificância? São quatro requisitos: 1.br/concursos/dicas-pontuais-de-direito-penal--prof-gianpaolo-smanio-atualizada-ate-230212 2/7 . voltou a reconhecer que em caso de "pega" ou "racha" pode ser reconhecido o dolo eventual no homicídio. Outra decisão.Prof. agora boa para o MP. Nesta decisão. está no HC 229970-PA. em que foi anulada a audiência realizada sem observância deste sistema. Bastando. • O STJ também tem duas decisões recentes que vale a pena ver.jurisprudenciaeconcursos. 2.o primeiro: mínima ofensividade da conduta do agente.

para ocultar maus antecedentes. 31/10/11 O STJ voltou a decidir sobre a amplitude do direito de autodefesa do réu. cuja utilização restringe-se ao delito previsto no art. A polêmica é intensa porque o STJ tem posição pacífica reconhecendo o direito de autodefesa na hipótese e a atipicidade da conduta. 28/10/11 Para quem não domina bem este tema. são estipuladas as sanções acordadas pelas partes. Caso o réu descumpra estas condições. mas pelo visto não há unanimidade interna ainda.O STJ também não admite a tese da autodefesa para o artigo 304 do CP (uso de documento falso). deveria ser executada a sanção. Para a Defensoria.O STF não admite a tese da autodefesa para os crimes contra a fé pública (arts.139. Já havíamos apontado a questão referente ao artigo 307 do CP (falsa identidade) anteriormente. A questão envolve a apresentação de documento falso de identidade aos policiais. Aguardemos. LXIII. O STJ entendeu que a conduta caracteriza o delito de uso de documento falso . houve decisão do STJ revendo sua posição.099/95. A questão será decidida com uniformização de posição pelo STJ em breve. Para os crimes de menor potencial ofensivo. 304 do CP. O entendimento de que é Inaplicável nestas circunstâncias a tese de autodefesa. do CP (uso de documento falso). Para o Ministério Público é. então.jurisprudenciaeconcursos. vai uma explicaçãozinha. quando se realiza a transação penal. 307. há divergência sobre as consequências.Dicas Pontuais de Direito Penal . O crime é o do artigo 307 do CP-falsa identidade-que foi analisado face ao artigo 5º.09/10/13 Jurisprudência e Concursos . logo não pode ser objeto material do crime de receptação. 304 e 307 do CP). uma vez que a pessoa é foragida. que então seria transformada em pena a ser cumprida pelo réu. possível o oferecimento de denúncia para prosseguimento do processo criminal. Para resumir as questões a vocês: 1.336-DF.art. 29/10/11 Decisão recente do pleno do STF no Recurso Extraordinário nº 640.com. Esta posição foi acolhida pelo Supremo Tribunal Federal. A decisão está no HC 205. Esta posição vinha sendo adotada pelo STJ. para evitar a prisão. HC 154.666-SP publicada recentemente. em que foi declarada Repercussão Geral.Prof. 2. da CF pelo STF. Gianpaolo Smanio (atualizada até 23/02/12) Agora uma jurisprudência recente do STJ: STJ-Talonário de cheque não possui valor econômico intrínseco. perante a autoridade policial. Conforme disposto no artigo 76 da Lei 9. Agora o STJ decidiu sobre o artigo 304. O STF reconheceu que é típica a conduta daquele que atribui falsa identidade. O STF rejeitou o reconhecimento da tese de que o direito à autodefesa permite ao suspeito falsear sua identificação. Em virtude da posição do Supremo. O STJ também está seguindo os precedentes do STF nesta questão.br/concursos/dicas-pontuais-de-direito-penal--prof-gianpaolo-smanio-atualizada-ate-230212 3/7 . www.

com. A doutrina admite que o Delegado possa deixar de instaurar o inquérito pela atipicidade do fato. Há doutrinadores e jurisprudência que admitem os costumes como fonte do Direito Penal. Mas esta atipicidade a meu ver é a tipicidade formal. não instaurando o IP pelo princípio da insignificância. que envolve o mérito da conduta.jurisprudenciaeconcursos. mas alterou sua posição recentemente. O princípio regente do Inquérito Policial é a obrigatoriedade. Agora. Um grande abraço a todos e boa noite. estando as ações suspensas. não me parece que ocorra qualquer crime. mas ressalto que a divergência está apenas na admissão da autodefesa no artigo 307 do CP. No Direito Penal. o Promotor deverá requisitar a instauração do IP. Notícia de hoje (03/11/2011) sobre decisão da 6ª Turma do STJ. 1) mínima ofensividade da conduta.br/concursos/dicas-pontuais-de-direito-penal--prof-gianpaolo-smanio-atualizada-ate-230212 4/7 . Trata-se de questão meramente administrativa a ser verificada nas instâncias administrativas da própria polícia. 03/11/11 Vamos falar um pouco sobre o princípio da insignificância. Para encerrar.Dicas Pontuais de Direito Penal . face à adoção entre nós do princípio da legalidade. Não me parece. Esta análise depende de provas que deverão ser colhidas na investigação criminal a ser feito justamente no inquérito policial.Prof. Pode cair na prova para a turminha da fddj e também é importante para OAB e concursos em geral. ou seja. contudo. Esta é a minha opinião e respeito posições em contrário. Agora STF e STJ tem a mesma posição sobre a aplicação do princípio da insignificância. Esta análise da tipicidade material pode ser feita pelo Ministério Público. 3) reduzidíssimo grau de reprovabilidade do comportamento. anoto para os alunos que o STJ vem revendo sua posição a respeito da amplitude da autodefesa em decisões recentes. O Princípio da Insignificância se refere à tipicidade material do delito e não me parece que o Delegado possa decidir esta questão. É o costume que. O Juiz poderá fazer o mesmo. Ainda não deu tempo destas decisões constarem dos livros. É possível o Delegado aplicar o princípio da insignificância considerando o fato atípico.09/10/13 Jurisprudência e Concursos . Até que o STJ resolva a divergência a respeito. como titular da ação penal e pelo juiz. O STJ acompanhou o Supremo na exigência de quatro requisitos para reconhecer o princípio da insignificância. implicitamente. Houve divergência quanto a esta última questão e foi concedida uma liminar em pedido da defensoria pública. o delegado pode verificar se o fato está descrito na norma penal como crime. DECISÃO DO STJ Conduta e dano à coletividade afastam insignificância penal de furto de canos avaliados em R$ 100. há polêmica sobre sua admissibilidade. 05/11/11 Vocês sabem o que é desuetudo? Palavra do latim: significa costume "contra legem" ou costume ab-rogatório. que ele possa fazer um juízo de tipicidade material. O relator Des. caso o Delegado assim atue. acompanhando o STF. 4) lesão jurídica inexpressiva. Ao verificar tal fato. www. destinatário da ação. Convocado Haroldo Rodrigues confirmou a exigência dos seguintes requisitos para aplicar o princípio da insignificância. revoga disposição legal. 2) nenhuma periculosidade social. Gianpaolo Smanio (atualizada até 23/02/12) 3. Daí a necessidade de pesquisa constante.O STJ admitia a tese da autodefesa para o artigo 307 do CP (falsa identidade).

O juízo da execução havia indeferido a visitação. Gianpaolo Smanio (atualizada até 23/02/12) Admitem quando os costumes operam na exclusão da ilicitude.09. de olhos vendados. Não há dúvida de que a mulher está exposta a perigo à vida ou à saúde. e uma mulher presa numa roda em movimento. rel. da CF). Um atirador de facas no circo. por causa do princípio da legalidade. O princípio constitucional exige que o Magistrado confira ao delito sanção condizente aos seus contornos objetivos e subjetivos. Para maior aprofundamento. O fundamento do indeferimento foi que a prisão era local impróprio para o desenvolvimento psicológico das crianças.com. O STF reconheceu a possibilidade da condenação da pessoa jurídica. em seu artigo 225. o costume exclui a reprovação social da conduta e não há crime. Dias Tofolli. Outros doutrinadores não admitem. § 3º. rel.br/concursos/dicas-pontuais-de-direito-penal--prof-gianpaolo-smanio-atualizada-ate-230212 5/7 . editado pela editora atlas. XLIX da CF . j. E garantiu o direito de visitas de filhos e enteados ao preso. O trote não pode justificar injúrias ou agressões bastante graves que tenho acompanhado. O trote acadêmico também pode ser usado como exemplo. j.Prof. Reconheceu a adoção do sistema de dupla imputação adotado na Constituição Federal.11. mesmo com a absolvição da pessoa física. porque as notícias de abusos tem sido muito frequentes.Dicas Pontuais de Direito Penal . diminuição da pena ou da culpabilidade. 5º. em 06. E também indico um livro que escrevi em co-autoria com Humberto Fabretti. Min. Crime do artigo 132 do CP: perigo para a vida ou a saúde de outrem. Carmen Lucia. chamado Introdução ao Direito Penal. Direito Penal. rel. XLVI. e.jurisprudenciaeconcursos. 13. traduzido por Paulo José da Costa e Alberto Silva Franco. O Juiz não pode dar a casos diferentes o mesmo tratamento penal. 5º. 08/11/11 Dica sobre princípio constitucional da individualização da pena (art. indico duas obras: Francisco Assis Toledo. Princípios Fundamentais de Direito Penal. informativo 639 do STF. 5º. CF). Sistema que permite imputação penal autônoma às pesoas físicas e jurídicas pelos crimes praticados contra o meio ambiente. 07/11/11 Reconhecimento do STF do princípio da humanidade para a execução penal. No entanto. embora com ressalvas. mas sim os www.09/10/13 Jurisprudência e Concursos . Min. min. Cleber Masson em seu livro Direito Penal sobre o Princípio Constitucional da individualização da pena (art. Esta decisão é do HC 107.11. Prevaleceu no STF o direito de visita assegurado na LEP e o princípio da humanidade assegurado na Constituição Federal. a abrogação pode ser realizada apenas pela lei A jurisprudência do STJ e do STF não tem admitido a aplicação do desuetudo entre nós. como disse. XLVI. ou seja. Gilmar mendes.501-Goiás. A decisão foi no HC 107701/RS. O Prof. Ensina que a aplicação da pena não pode levar em conta a norma penal em abstrato. Outra dica vai a respeito da responsabilidade penal da pessoa jurídica. informativo 640 do STF. Esta decisão do STF consta do RE 628582/RS." é assegurado aos presos o respeito à integridade física e moral" Desta forma o STF decidiu que a pena deve ter objetivo de ressocialização do preso. art.09. Giuseppe Bettiol.

que se trate de discussão a respeito de direitos individuais disponíveis. Laurita Vaz.br/concursos/dicas-pontuais-de-direito-penal--prof-gianpaolo-smanio-atualizada-ate-230212 6/7 . Caso o réu seja absolvido. O Min. Também decidiu que é possível o reconhecimento do dolo eventual em delitos de trânsito. 11/11/11 A questão envolve delitos de trânsito e a distinção entre o dolo eventual e a culpa. Também reconheceu a possibilidade conferida ao Ministério Público para a iniciativa ampla em matéria probatória atuando como fiscal da lei.jurisprudenciaeconcursos. entendemos que o MP terá legitimidade para recorrer. Jorge Mussi reconheceu a necessidade de uniformização da www. o MP não poderá recorrer sob pena de ferir este princípio da disponibilidade da ação penal privada. por ser fiscal da aplicação da lei penal. rel. II. 09/11/11 A 5ª T do STJ reafirmou a legitimidade do Ministério Público para recorrer nos processos em que oficie como fiscal da lei. Este recurso independe de recurso da parte e. Ocorre que na ação penal privada vigora o princípio da disponibilidade da ação. Sem dúvida esta questão deverá aparecer em concursos do MP. Não deixem de estudar a teoria do dolo eventual e da culpa. apresentar testemunhas ou requerer qualquer medida ou diligência necessárias ao descobrimento da verdade real. em 03/11/2011. Agora.455DF. defensoria e Delegado. Há expressa disposição legal contida no art.Prof. Uma regra muito importante em concursos é que assunto que fica famoso acaba caindo nas perguntas. Og Fernandes decidiu que se houver necessidade de análise de provas sobre esta distinção. o STJ determinou a suspensão das ações para uniformização. ainda. Pode juntar documentos. acompanhando a decisão unânime do Supremo. o Supremo acompanha nosso ilustre doutrinador. Este recurso pode ser impetrado ainda que não haja recurso da parte. Min.09/10/13 Jurisprudência e Concursos . Esqueci de mencionar que a decisão do STJ a que me referi sobre o MP ocorreu no RMS 27. bem como os delitos de trânsito. nos termos da referida súmula. rel. MIn. Também há Súmula 99 do STJ a respeito da possibilidade de recurso do MP no processo em que atuou como fiscal da lei. em casos de embriaguez ou de velocidade excessiva. 12/11/11 STJ passou a admitir definitivamente ação em caso de descumprimento de transação penal homologada. A 5ª Turma do STJ. A atuação do MP na ação penal privada ocorre como fiscal da lei.Dicas Pontuais de Direito Penal . Havia alguma polêmica sobre esta questão da Lei 9. Em virtude da divergência na jurisprudência. 83. mas o STJ mudou definitivamente de posição. Vamos aguardar. Gianpaolo Smanio (atualizada até 23/02/12) aspectos subjetivos e objetivos do crime. Como vimos.099. magistratura. não caberá discussão em HC. do CPC a respeito da amplitude da atuação do MP.com. caso o réu seja condenado. como você noticiou.

022. da Lei 11. tanto para o STF.11. Gianpaolo Smanio (atualizada até 23/02/12) interpretação constitucional a respeito do tema. Estas funções devem ser compatíveis com a finalidade institucional do MP. sobre o exercício de funções por parte de membros do MP.718. 129 da CF.br/concursos/dicas-pontuais-de-direito-penal--prof-gianpaolo-smanio-atualizada-ate-230212 7/7 . A questão envolve a interpretação do art. 27. 129 não seja taxativo.11. Condenado por tráfico pelo art.com.343/06. Dica sobre o crime de roubo: O STJ reafirmou posição sobre o roubo de várias vítimas em ação única. do art.960 do STJ. julgado em 04. Agora. Verificar no REsp nº 1. Agora uma dica para o concurso do MP: O STF julgou ADI proposta pelo PGR.11.09/10/13 Jurisprudência e Concursos . Ayres Brito. julgado em 06. quanto para o STJ. 2011. Para maiores detalhes: ADI 3463/RJ. 15/11/11 Dica sobre Execução Penal: tanto o STJ quanto O STF firmaram posição sobre remição de pena pelo trabalho do sentenciado.875/SP.Dicas Pontuais de Direito Penal . da Lei 6938/76 não pode receber a redução da pena prevista no §4º.jurisprudenciaeconcursos. julgado em 22/08/11. A remição por trabalho somente é aplicada aos sentenciados em regime fechado e semi-aberto. O STF entendeu que. ou seja. rel. pois o inc. considerando concurso formal de delitos.09. 33. o que não seria admitido pela CF. o descumprimento das condições firmadas no acordo homologado admite o oferecimento de denúncia. sendo vedada aos sentenciados em regime aberto. como o CONAMA ou Conselho Estadual de Defesa da Criança e Adolescente Esta participação somente poderá ser como membro convidado e sem direito a voto. www. afastando o crime único. Verificar no HC 201. Dica sobre entorpecentes: A Primeira Turma do STF indeferiu a combinação de leis no HC 102.10. Em relação à participação em Conselhos. Min. 12.Prof. embora o rol do art. IX permite ao MP o exercício de outras funções. a respeito de participação do MP em Conselhos. A aplicação somente da redução da pena prevista na lei nova caracterizaria a criação de lex tertia. A Lei de Drogas nova é mais gravosa ao réu e não pode ter efeito retroativo.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful