You are on page 1of 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SILVIO RODRIGO LIMA PASSOS LUIZ MARIEL LEITE MARQUES SAMILA RUANE

MODELOS ORGANIZACIONAIS

SÃO CRISTOVÃO SETEMBRO/2013

............ 03 CARACTERÍSTICAS ESTRUTURAS DOS MODELOS MECANICISTA E ORGÂNICO.............................. Pág..................... 03 A ESTRUTURA SEGUE A ESTRATÉGIA ................................................................................................................................................................................... 06 A ESTRUTURA SE ADAPTA AO AMBIENTE.......................08 REFERÊNCIAS......................... Pág....Pág..........................Pág...... 07 A ESTRUTURA SE AJUSTA AO TAMANHO.................................... 08 ESTUDO DE CASO...Pág........................................................................... Pág...................... Pág............. 07 A ESTRUTURA DEPENDE DA TECNOLOGIA............... 03 MODELO ORGÂNICO.............................................Pág................................................................................Pág.............. 03 MODELO MECANICISTA...........................................................................................................................................SUMÁRIO DEFINIÇÃO.... 09 .... Pág.........................

capazes de responder de forma rápida e criativa aos desafios ambientais. No entanto é possível distinguir dois tipos ideais de modelos organizacionais: o modelo mecanicista e o orgânico. mais flexível e dinâmico em sua capacidade de resposta e adaptação. os sistemas de planejamento e controle são mais frouxos e menos formalizados. Essa rotina e previsibilidade fazem com que as organizações procurem imitar o funcionamento padronizado de uma máquina. O foco está na hierarquia e no uso da cadeia de comando. Consequentemente. . em detrimento de comunicações laterais e mais espontâneas. Por último. tais como a eficiência e a aversão ao risco. e a autoridade é baseada na posição hierárquica detida. a adaptabilidade e a sensibilidade para a necessidade de mudanças. Esse tipo de organização prioriza e incentiva o conhecimento e as competências de seus funcionários. rígidas e regulamentadas. como a eficácia. e a decisão é partilhada entre administradores e subordinados. Modelo mecanicista O modelo mecanicista é o mais próximo do tipo ideal burocrático de Weber e caracteriza o tipo de organização em que predominam tarefas de natureza rotineira. A comunicação e os processos de administração de pessoas são informais. São organizações flexíveis com te redefinição continua de tarefas e ajustes às necessidades do momento. A filosofia de administração enfatiza critérios de desempenho. Os objetivos são definidos com ampla participação. Nesse contexto as pessoas têm pouca autonomia. A filosofia de administração enfatiza critérios de desempenho. A informação circula na vertical. os modelos são diversos e dependem de um conjunto de fatores internos e externos. priorizam-se formas de departamentalização funcionais e o desempenho de cada função. dando espaço para a manifestação de iniciativas e para a criatividade individual. Em vez de uma máquina. Ambos representam um continuum entre os quais existem vários estágios intermediários. Esse modelo depende das características internas da organização e do contexto na qual opera. e as relações interpessoais tendem a ser formais. As organizações mecanicistas tendem a ser impessoais.Modelos Organizacionais Definição O modelo organizacional é uma forma genérica estrutural que pode ser assumida por uma organização. essas organizações procuram imitar o funcionamento de um organismo vivo. dando muita importância à obediência e à lealdade. A fonte de autoridade é a competência. Modelo orgânico O modelo orgânico e característico de organizações ágeis e leves. Por último. não a posição hierárquica.

achatadas. trabalho. apresentando estruturas mais mecanicistas ou mais orgânicas. organização. Os trabalhos são muito especializados.Características estruturais dos modelos mecanicista e orgânico Ambos os modelos são ideais. Na prática as organizações combinam algumas características de cada um desses modelos. Existe uma padronização das tarefas. • Elevada formalização. • A comunicação é vertical e • A comunicação é informal e formal. • Os membros devem lealdade à • Os membros identificam-se e organização e obediência aos estão comprometidos com a superiores. Desenrola-se como pano de fundo a história de Flick. fazendo uso da cadeia de procura o ajustamento às comando. pois tudo é devidamente calculado pelo conselheiro da rainha. • Departamentalização funcional • Equipes de trabalho multifuncionais. com redefinição contínua de tarefas baseadas no conhecimento. muitas regras e procedimentos. com poucas regras. • Hierarquia clara de controle e • Sistema estratificado de acordo coordenação – burocracia. O filme mostra a árdua e organizada vida dos insetos e seus conflitos. MODELO MECANICISTA MODELO ORGÂNICO • Tarefas bem definidas e elevada • Reduzida especialização do especialização do trabalho. visto que dificilmente uma organização apresenta todas as características de um desses modelos. • Estruturas verticais. pois o formigueiro é muito centralizado nas ordens da rainha. • Prevalece a hierarquia nas • Os laços internos são fluídos e relações internas. A tabela a seguir resume as principais características estruturais de cada um dos dois modelos. os níveis hierárquicos mais baixos. os símbolos de status são bem definidos também com a figura . com • Reduzida formalização. estão em permanente mudança. • Decisões centralizadas na cúpula • Decisões descentralizadas para da organização. necessidades. com o nível de conhecimento especializado – tecnocracia. com muitos • Estruturas horizontais e níveis hierárquicos. da organização. cada formiga tem seu papel específico dentro da organização. • Prioriza-se o desempenho de • Priorizam-se os objetivos globais cada função. podemos notar essa característica nas cenas das colheitas em que todas as formigas andam em fila e sem interrupções. cujo campo de atuação é reduzido no início. Tabela 1 – Modelo mecanicista x Modelo orgânico Uma sutil demonstração dos modelos organizacionais mecanicista e orgânico está presente no conhecido filme de animação Vida de Inseto (Pixar Animations Studios/Walt Disney Productions). uma formiguinha cheia de idéias e ideais.

fizeram com que a empresa adotasse diferentes modificações. Prestar o Melhor Serviço ao Cliente e a Busca da Excelência. através de uma cultura “obcecada pela qualidade”. fundador da organização: Respeito ao Indivíduo. que todo ano exige uma parte da colheita das formigas para o sustento do bando. são eles: ambiente. e os controles burocráticos aparecem com muita força e causam nos habitantes do formigueiro certa tensão e repressão. Durante anos ela foi uma empresa que tinha quase o monopólio de sua área de atuação. Todos ficam desesperados e a princesa tem que deixar seu poder de lado e apoiar a idéia de Flick. que significa ser uma companhia dirigida para o mercado.central da rainha e da princesa Atta. tecnologia e tamanho. Inquieto. Um exemplo real de como mudanças ocorrem pode ser percebido com a IBM: A cultura da IBM foi fundamentada em três crenças básicas criadas por Thomas Watson. após o desastre da colheita ameaça todo o formigueiro caso eles não consigam reaver tudo o que perderam em um prazo recorde estabelecido. tenta construir uma máquina para ajudar na colheita. A empresa criou uma “Nova IBM”. é quando os artistas de circo percebendo que existem outras intenções quanto às suas verdadeiras utilidades resolvem abandonar a situação. Flick. mas tudo dá errado e agora as formigas têm que encontrar uma maneira de pagar o tributo aos gafanhotos. Toda essa trupe não tem um poder centralizado já que desempenham ações multifuncionais. . Contudo não é o acaso que move as mudanças organizacionais sejam elas na ficção (como universo de “Vida de Inseto”) ou no mundo real (como no caso do ocorrido com a IBM). Todos. Alguns fatores influenciam decisivamente qual o modelo organizacional que vai ser adotado pela organização e consequentemente todo o funcionamento da mesma. Os gafanhotos liderados por Hopper e seu fiel escudeiro Molt. levados pelo inteligente e determinado Flick vão para o formigueiro e chegando lá todas as formigas acham que Flick encontrou a salvação. e implantou a política Market Driven Quality. desempenho e inteligência. trabalham em pares e não há um controle forte e presente. são autônomos quanto as suas criações e atitudes. pois era líder do mercado em que ela participava. Segundo Burns e Stalker a Nova IBM é uma evolução de um modelo organização mecanicista para um orgânico. No final tudo se resolve. até mesmo nos seus valores organizacionais. quando uma idéia meio desastrosa afasta os gafanhotos e sua ameaça naquele momento. Começam a surgir as características de uma organização orgânica marcada pela chegada de outros insetos quando Flick vai para a cidade a procurar de ajuda para livrar o formigueiro dos seus algozes e encontra um bando de artistas circenses que chamam sua atenção pela força. estratégia. Mas uma grande queda de suas vendas e um grande prejuízo de mais de quatro bilhões de dólares no ano de 1992. Isso pode ser visualizado na figura I.

Figura 1 – Condicionantes da Estrutura Organizacional A estrutura segue a estratégia O pesquisador Alfred Chandler com base em ampla pesquisa da história de aproximadamente cem grandes corporações norte-americanas. clientes ou territórios organizacionais. começando com uma estrutura funcional – baseada em um único produto. flexibilidade e inovação. é lógico e natural que a estratégia e a estrutura estejam intimamente relacionadas. que procura responder a maior necessidade de diversificação de produtos. concluiu que as mudanças na estratégia precedem e são a causa de mudanças na estrutura das organizações. eficiência e estabilidade. É possível situar as estruturas organizacionais em um continuum de estratégias que variam de liderança de custo. Quando as empresas modificavam suas estratégias corporativas para se adaptar as novas mudanças econômicas. nos quais a organização busca aumentar a eficiência interna e manter a estabilidade. que busca responder os desafios de crescimento da organização – e culminam em uma estrutura divisional. De fato. tecnológicas e administrativas. Era necessário que as empresas implementassem mudanças nas estruturas para maximizar o desempenho organizacional. Ainda de acordo com Chandler. para diferenciação. Assim. a estrutura é apenas o modelo de organização pela qual se administra a empresa. No estremo direito do continuum as estruturas em rede e os modelos . as organizações passam por vários estágios de desenvolvimento. No estremo esquerdo estão as estruturas funcionais e os modelos mecanicistas são mais congruentes com os objetivos estratégicos de liderança de custos. criavam problemas e geravam ineficiência.

A estrutura depende da tecnologia Todas as organizações fazem uso de alguma tecnologia para transformar os insumos em produtos ou serviços. o modelo mecanicista é mais apropriado. Ela estudou cem empresas britânicas e diferenciou três tipos de tecnologia: . quanto mais estável o ambiente. A pesquisa concluiu ainda que as organizações são mais eficazes quando atendem as pressões ambientais mesmo com um maior grau de diferenciação entre os departamentos. Ambientes simples são caracterizados por apresentarem poucos fatores ambientais. ao passo que os estáveis mudam lenta e progressivamente. O ambiente pode ser simples ou dinâmico.Produção por unidade: produção de bens customizados ou lotes pequenos. . a escolha depende de sua adequação às características do ambiente externo. dessa forma existe uma forte tendência para que as organizações se tornem mais orgânicas à medida que suas próprias atividades e o ambiente que as cerca se torne mais complexo. como turbinas para centrais hidroelétricas. o modelo orgânico e as estruturas descentralizadas e horizontais são mais adequados para ambientes complexos e dinâmicos. mais apropriado é o modelo mecanicista e uma estrutura vertical hierárquica. como refinarias químicas e Petrolíferas. Essa tecnologia pode influenciar o tipo de estrutura que uma organização pode assumir. alto grau de formalização de regras. . Uma maneira que os administradores têm para reduzir a incerteza ambiental é adequando a estrutura organizacional. Segundo os autores não existe um melhor modelo para estruturar uma organização. definição mais precisa da autoridade e da responsabilidade dos administradores. Nas organizações que fazem uso da produção em massa. A pesquisa concluiu a forma específica assumida pela organização depende das condições ambientais que enfrenta. que se refere à existência de informações insuficientes sobre os fatores ambientais.Produção por processo: produção em processo contínuo. Uma das pesquisas mais importantes sobre o assunto foi conduzida por Joan Woodward. procedimentos e regulamentos. Ambientes dinâmicos são caracterizados por elevado grau de mudança.orgânicos são mais adequados para as estratégias voltadas para a inovação e a flexibilidade organizacional. As empresas podem utilizar planos e controles detalhados. A estrutura se adapta ao ambiente As organizações têm que lidar com incerteza ambiental em maior ou menor grau. Em empresas que usam a .Produção em massa: produção de bens padronizados em grande quantidade. Uma pesquisa realizada por Lawrence e Lorsh foi uma das primeiras a reconhecer a relação estreita entre o ambiente externo e a estrutura organizacional. como automóveis ou eletrodomésticos. em contrapartida. enquanto os ambientes complexos possuem muitos deles.

. Depois de uma aposta equivocada no crescimento e na estabilidade nacional na segunda metade da década de 1990. um grupo integrado de diversas empresas que atuam em diferentes setores. Estudo de caso O Estudo de caso analisou a crise e reestruturação das Organizações Globo. Para comandar a reestruturação o grupo contratou Henri Philippe Reichstul (expresidente da Petrobras e ex-banqueiro). A estrutura se ajusta ao tamanho De forma geral. principalmente no ramo da mídia e comunicação. a empresa deve se adaptar a cada produto ou projeto novo. quando o grupo se endividou em moeda estrangeira para investir maciçamente em modernas tecnologias para produção e veiculação. mas conjuga sua influência a outros fatores como a estratégia.tecnologia de produção por unidade ou de processo. ao passo que. mas não impediu o êxito da readequação estrutural do grupo. é possível afirmar que. o grupo começou a amargar prejuízos milionários. Na realidade o tamanho não influencia de forma isolada as estruturas organizacionais. O executivo procurou alongar os vencimentos das dívidas da organização oferecendo participação no capital da empresa. que passou a lucrar novamente já em 2003 (ano seguinte ao início da reestruturação). com o aumento de seu tamanho. mas. Essa adequação entre estrutura e tipo de tecnologia é a chave para um bom desempenho organizacional. Reichstul comandou uma política de redução de gastos com o objetivo de “enxugar” a organização e torná-la mais preparada para enfrentar os desafios do mercado em que atua. No primeiro caso. Entretanto o alto escalão do grupo foi resistente a mudanças na Rede Globo de Televisão. a padronização das tarefas (maior especialização do trabalho) e formalização das regras e comunicações. a tomada de decisões tende a ser descentralizada por meio de maior delegação. que até então não tinha fechado um ano com lucro. Além disso. a automação do processo de trabalho serve como meio automático de controle e reduz a necessidade de supervisão na linha de produção. o modelo orgânico é mais adequado. na produção por processo. graças principalmente a difusão da internet nas casas brasileiras. o que desgastou as relações com Reichstul. a tecnologia e o ambiente. maior empresa do grupo. aumentam também os graus de diferenciação vertical (crescem as divisões e departamentos) e horizontal (mais níveis hierárquicos). ele procurou aumentar a rentabilidade da editora Globo.

REFERÊNCIAS • • • • http://adm-manager.com.com/2011/06/12/modelos-de-organizacoes/ http://globotv.com/fundacao-roberto-marinho/telecurso-tec/v/modulobasico-a-estrutura-da-organizacao-e-o-organograma-programa-20/1246708/ Felipe Sobral e Alketa Peci – Administração: teoria e prática no contexto brasileiro – Editora Pearson .globo.br/2009/09/mecanicista-x-organica.blogspot.html http://marianaplorenzo.