You are on page 1of 40

Energia mecânica

Energia mecânica
O que é energia?

Descargas elétricas atmosféricas convertem enormes quantidades de energia elétrica em energia térmica, sonora e luminosa.

• A ciência define o conceito de energia como o potencial inato para a realização de trabalho. • A energia não pode ser criada, nem destruída, podendo ser apenas transformada de uma forma para a outra.

Enquanto uma lâmpada
incandescente está ligada ela transforma energia elétrica,

principalmente, em energia
luminosa e térmica.

O chuveiro elétrico transforma energia elétrica em energia térmica. O mesmo processo é apresentado por um aquecedor. .

a energia potencial elástica é transformada em energia cinética.Na utilização de um arco e flecha. .

a energia potencial gravitacional é transformada em energia cinética durante a descida da água.Em uma usina hidrelétrica. .

Nesta etapa.. três tipos de energia serão estudos mais detalhadamente. Tipo de energia Energia Cinética Energia Potencial Gravitacional Energia Potencial Elástica Relaciona-se com.A física adota diversos tipos de energia como objeto de estudo.. Corpos em movimento Altura de objetos em relação à um nível Deformação de materiais (como molas ou elásticos) .

Energia cinética (Ec) Energia mecânica associada ao movimento. o comboio pode completar o “loop”. Com energia cinética suficiente. .

Energia cinética (Ec) A energia cinética de um ponto material de massa m e velocidade escalar v é calculada pela equação: Ec = 1 mv2 2 ou mv2 Ec = 2 .

Energia cinética (Ec) A energia cinética não depende da direção (horizontal. sim. Ela depende. para baixo. do referencial adotado. No SI. a unidade da energia cinética no SI é: m kg · s 2 m = kg · 2 · m = N · m = joule (J) s newton . em metro por segundo (m/s). vertical ou oblíqua) nem da orientação (para cima. a massa é medida em quilograma (kg) e a velocidade. para a direita ou para a esquerda) da velocidade do corpo. Assim.

Exemplo 1 Um carro. de massa m. desenvolve uma velocidade v1 = v numa estrada retilínea e plana. percorrendo uma distância d até parar utilizando o trabalho da força de atrito (suposta constante) entre os pneus e o asfalto. qual a distância que o carro irá percorrer até parar iniciando a frenagem agora com a velocidade v2 ? . Desempenhando a mesma força de atrito anterior. a) Qual a relação entre as energias cinéticas do carro com velocidade v1 e v2? b) Sabe-se que com a velocidade v1 o veículo freia. O motorista com pressa resolve dobrar sua velocidade para v2 = 2v.

Energia potencial gravitacional (Epgrav) .

Energia potencial gravitacional (Epgrav) Energia mecânica associada à posição do corpo. Epgrav = + mgh .

Energia potencial gravitacional (Epgrav) tP = –DEpgrav ou tP = Epgrav(inicial) – Epgrav(final) .

STOCKSNAPP/SHUTTERSTOCK Mola helicoidal de compressão ou de tração .Energia potencial elástica (Epelást) Energia mecânica associada a uma deformação.

Flexionado pela corda.Energia potencial elástica (Epelást) Energia mecânica associada a uma deformação. . o arco armazena energia potencial elástica.

Energia potencial elástica (Epelást) STUDIO CAPARROZ Energia potencial elástica armazenada por torção em uma barra Epelást = 1 kx2 2 .

A força de reação normal exercida por uma superfície. Forças não conservativas: As forças de atrito entre sólidos e as de resistência exercidas por fluidos como o ar e a água são dissipativas. .Conservação da energia mecânica Forças conservativas: Força peso. força elástica e força de interação eletrostática. a de tração exercida por um fio e o empuxo exercido por um fluido são exemplos de forças não conservativas não dissipativas.

Um sistema físico é considerado conservativo em duas situações: 1a) Quando sobre ele só atuam forças conservativas. . dizemos que esse sistema é conservativo. em um sistema físico. a energia mecânica total se conserva. 2a) Quando as forças não conservativas que atuam sobre ele não realizam trabalho.Conservação da energia mecânica Quando.

acompanhe os exemplos. Pêndulo oscilando livremente: sistema conservativo .Conservação da energia mecânica Para ter uma ideia melhor.

Corpo sendo levantado muito lentamente com um fio: sistema não conservativo ADILSON SECCO .Conservação da energia mecânica Para ter uma ideia melhor. acompanhe os exemplos.

Conservação da energia mecânica Para ter uma ideia melhor. acompanhe os exemplos. Corpo escorregando por uma rampa: sistema não conservativo ADILSON SECCO .

Essa soma é a energia mecânica total (EM). é constante a soma dos valores das energias cinética (Ec). Em um sistema conservativo. . em qualquer instante ou posição.Princípio da conservação da energia mecânica O sistema é conservativo quando somente as forças conservativas trabalham. potencial gravitacional (Epgrav) e potencial elástica (Epelást).

Princípio da conservação da energia mecânica O sistema é conservativo quando somente as forças conservativas trabalham. EM(inicial) = EM(final) ou Ec(inicial) + Epgrav(inicial) + Epelást(inicial) = Ec(final) + Epgrav(final) + Epelást(final) .

• À medida que ganha altura. a velocidade é zero. .Exemplo • Quando um objeto é lançado verticalmente para cima. ele parte com uma certa velocidade inicial. sua velocidade diminui em módulo. • No ponto mais alto da trajetória.

Quatro instantes na subida Energia cinética Energia Potencial Gravitacional .

. por exemplo. Esta energia se conserva na ausência de atrito.Desprezando-se o atrito e utilizando o princípio de conservação da energia. Energia Cinética Energia Potencial Gravitacional Energia Mecânica A soma da energia potencial com a energia cinética é denominada energia mecânica. percebe-se que a soma das quantidades das duas formas de energia é sempre constante.

Transformação e conservação da energia Cinética e Potencial gravitacional Em uma montanha-russa ocorrem sucessivas transformações de energia potencial gravitacional em cinética e vice-versa. Durante a subida a energia cinética é convertida em energia potencial gravitacional. Durante a descida a energia potencial gravitacional é convertida em energia cinética. .

em relação ao solo: a) A energia potencial gravitacional inicial. d) A velocidade escalar ao atingir o solo. Determine para essa bola. . c) A energia cinética ao atingir o solo. a partir do repouso. b) A energia mecânica inicial. de uma altura H = 45 m acima do solo plano e horizontal. num local onde a influência do ar é desprezível e o módulo g da aceleração da gravidade local é igual a 10 m/s².Exemplo 2 Uma bola de massa 0.5 kg cai livremente.

determine: a) A energia potencial gravitacional nessa altura h. .2 m acima do solo. c) A energia cinética da bola nessa altura h. d) A velocidade escalar da bola (vh) nessa altura h. quando a bola estiver a uma altura h = 16. b) A energia mecânica nessa altura h.Exemplo 3 Retomando o exercício anterior.

Transformação e conservação da energia Cinética e Potencial elástica E N E R G I A Potencial Cinética Mecânica Elástica .

Exemplo 4 Um corpo de massa 250 g está comprimindo uma mola de constante elástica k desconhecida. sem estar preso a ela. o corpo é impulsionado sobre um plano horizontal sem atrito e. ao perder contato com a mola. determine: . Quando o sistema massa-mola é liberado. está com velocidade escalar v = 2 m/s. Na posição inicial o corpo está em repouso e a mola apresenta comprimento 10 cm menor que o normal. Para esse sistema.

d) O valor da constante elástica k. c) A energia potencial elástica armazenada inicialmente na mola.a) A energia cinética do corpo imediatamente após perder o contato com a mola. . e) A intensidade da força que a mola aplicava inicialmente no corpo. b) A energia mecânica do sistema.

Princípio da conservação da energia mecânica Se o sistema não for conservativo a energia total continua se conservando. temos levar em consideração o trabalho das forças não conservativas como a “energia dissipada” (transformada em energia térmica) EM(inicial) = EM(final) + tforças não conservativas Edissipada = tforças não conservativas . apenas a energia mecânica que não se conserva. Isto é.

um esquiador passa pelo ponto A com velocidade escalar de 8. A pista de gelo é suficientemente lisa para que possamos desprezar a influência do atrito e o ar também não oferece resistência considerável.Exemplo 5 Na figura abaixo. .0 m/s.

Adotando g = 10 m/s². determine: a) A velocidade escalar do atleta ao passar pelo ponto B. b) A velocidade escalar do atleta ao atingir o ponto C. .

0m. a máxima deformação da mola é de: a) 40cm b) 20cm c) 10cm d) 4.0cm . Desprezando a ação de forças dissipativas em todo o movimento e adotado g=10m/s². Na base B. a partir do repouso no ponto A. em forma de um quadrante de circunferência de raio R=1. por uma rampa.Exemplo 6 Um objeto de massa 400g desce.0cm e) 2. choca-se com uma mola de constante elástica k=200N/m.

atingindo o plano horizontal com uma velocidade de 5 m/s. A força de atrito (suposta constante) entre o bloco e o plano inclinado vale: (Use g = 10 m/s²). conforme ilustra figura. a) 1 N b) 2 N c) 3 N d) 4 N e) 5 N .Exemplo 7 Um bloco de 2 kg é solto do alto de um plano inclinado.

e) 4R.5R. de diâmetro BD. a altura h. d) 3.Exemplo 8 Um pequeno bloco de massa m é abandonado do ponto A e desliza ao longo de um trilho sem atrito. b) 2. supondo ser R o raio do arco de circunferência. como mostra a figura a seguir. c) 3R. deve ser igual a: a) 2R. .5R. Para que a força que o trilho exerce sobre o bloco no ponto D seja igual ao seu peso.