EM QUE DIA NASCEU YESHUA?

Certamente o nosso Mashiach não nasceu, nem poderia ter nascido, em 25 de dezembro, a menos que o relato de Lucas (2:6-8) esteja equivocado, mas não está. O texto de Lucas diz que havia pastores nos campos, guardando os rebanhos. Nesta época inicia-se a estação das chuvas, a considerada estação de inverno, fazendo muito frio. Por isso, os pastores tinham seus rebanhos recolhidos e abrigados, e não nos campos. Entre os pastores se costumava enviar as ovelhas aos desertos, por ocasião da páscoa, e recolhê-las no começo das primeiras chuvas... As primeiras chuvas começavam em princípios do mês de Marchesvan, que corresponde a partes de nossos meses de Outubro e Novembro... (Comentário de Adam Clarke, vol. 3, pág. 111). Por conseguinte, o Mashiach não nasceu em 25 de dezembro, “ quando não haviam rebanhos no campo.” “Essa data foi escolhida pela Igreja Católica Romana. Devido ao domínio de Roma sobre o mundo "Cristão" por séculos, a data se tornou tradição por toda a cristandade.. O significado original de 25 de Dezembro é que esse dia era um popular dia festivo de celebração do retorno do sol. Em 21 de Dezembro ocorre o solstício de inverno (o mais curto dia do ano e assim um dia chave no calendário), e 25 de Dezembro era o primeiro dia no qual os antigos podiam notar claramente que os dias estavam se tornando maiores e que a luz do sol estava retornando. Assim, por que 25 de Dezembro foi escolhido para lembrar o nascimento de Jesus Cristo com uma missa (ou ceia)? Como ninguém sabe o dia de Seu nascimento, a Igreja Católica se sentiu livre para escolher essa data. A Igreja queria substituir o festival pagão com um dia santo Cristão. O método se valia do fato de que é mais fácil tirar um festival mundano, mas tradicional, da população quando podemos substituílo com um bom festival. De outra forma, a Igreja teria deixado um vácuo onde antes havia uma tradição de longas datas, e se arriscado a produzir descontentamento na população e um rápido retorno à prática pagã”. (Corrigindo alguns freqüentes equívocos sobre o nascimento de Jesus Cristo ChristianAnswers.Net/portuguese) “Durante os tempos que os rebanhos permaneciam fora, os pastores velaram por eles dia e noite, todavia a primeira chuva caia em meados de Hesvan, que corresponde a princípios de Novembro. As ovelhas permanecem fora nos campos de Israel, todo o tempo do verão e, em conseqüência, os pastores ali receberam as novas do anjo, o que mostra que Yeshua não nasceu em 25 de dezembro, porque para este tempo já não havia pastores e ovelhas nos campos de Belém...” (Talmudits inLighfootsd – inglês) O mês do calendário judaico que corresponde a Dezembro é quisleu, o nono mês. “Aconteceu, pois, no ano quarto do rei Dario, que a palavra do SENHOR veio a Zacarias, no dia quarto do nono mês, em quisleu.” (Zc 7:1). A Bíblia confirma que este era um mês de grandes chuvas e muito frio: “Então todos os homens de Judá e Benjamim, em três dias, se ajuntaram em Jerusalém; era o nono mês, no dia vinte do mês; e todo o povo se assentou na praça da Casa de Deus, tremendo por este negócio e por causa das grandes chuvas.” (Ed. 10:9). “Estava, então, o rei assentado na casa de inverno, pelo nono mês; e estava diante dele um braseiro aceso.” (Jr 36:22).

Outro fator a considerar é que a Bíblia diz que o imperador César Augusto havia decretado um recenseamento para aqueles dias. “Naqueles dias, foi publicado um decreto de César Augusto, convocando toda a população do império para recensear-se. Este, o primeiro recenseamento, foi feito quando Quirino era governador da Síria. Todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. José também subiu da Galiléia, da cidade de Nazaré, para a Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém, por ser ele da casa e família de Davi, a fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.”(Lc 2;1-5). Pretenderia César Augusto realizar um recenseamento com um clima inadequado para a ocasião? Considerando as condições das estradas da época, a distância entre a cidade onde vivia José (Nazaré) e a cidade onde ele tinha nascido (Belém) e que os meios de transporte disponíveis na época eram o camelo ou o burrico, como um governador marcaria uma contagem para uma época assim? Nazaré fica localizada ao norte, na Galiléia. Ao sul, na Judéia, próximo de Jerusalém, está Belém, a cidade do nascimento de Yeshua. Estas cidades estão distantes 140 km entre si em desnível de cerca de 250 metros. Então, o que os pastores estariam fazendo com seus rebanhos no campo num tempo de chuvas e frio? Certamente, o fato de chegarmos a conclusão de que Yeshua não poderia ter nascido em 25 de dezembro não é desculpa para deixarmos de celebrar uma data mais provável. Também a desculpa de que essa data é ou era a data de uma festa pagã, e de que hoje ela está sendo explorada pela mídia e pelo comércio com fortes apelos consumistas não é o bastante para que deixemos de celebrar o nascimento do Mashiach. O Novo Testamento nos dá indicações suficientemente claras de que Yeshua deve ter nascido provavelmente no período entre os meses de setembro e outubro. Veja o quadro abaixo (eu o encontrei na internet há tempos, mas não lembro mais qual o site, para citar a fonte; peço perdão ao autor):

Davi dividiu o ano sagrado dos hebreus em 24 turnos ou quinzenas, definindo então a ordem de cada turma para prestar os serviços do santuário. “E Davi os repartiu, como também a Zadoque, dos filhos de Eleazar; e a Aimeleque, dos filhos de Itamar; segundo o seu ofício no seu ministério. E os repartiram por sortes, uns com os outros; porque houve maiorais do santuário e maiorais da Casa de Deus, assim dentre os filhos de Eleazar; como dentre os filhos de Itamar. E saiu a primeira sorte a Jeoiaribe, a segunda, a Jedaias; a sétima, a Hacoz; a oitava, a Abias; a vigésima terceira, a Delaías; a vigésima a quarta a Maazias.” (I Cr 24:3,5,7,18) Observe aqui que a oitava quinzena, dentro do ano sagrado, cabia ao turno de Abias. Esta estava dentro do mês de Tamuz, que equivale a partes dos meses de junho e julho no nosso calendário. Nesta quinzena, Zacarias, o pai de João Batista, deveria prestar os serviços. Zacarias cumpria os serviços no tempo de acordo com sua ordem e, é avisado pelo anjo, que Isabel, sua esposa, ficaria grávida. “Existiu, no tempo de Herodes, rei da Judéia, um sacerdote, chamado Zacarias, da ordem de Abias, e cuja mulher era das filhas de Arão; o nome ela era Isabel. E aconteceu que, exercendo ele o sacerdócio diante de Deus, na ordem da sua turma. Então, um anjo do Senhor lhe apareceu, posto em pé, à direita do altar do incenso. E Zacarias, vendo-o, turbou-se, e caiu temor sobre ele. Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhes porás o nome de João.” (Lc 1:5,8,11-13) Zacarias voltou para casa, após o término dos serviços e sua esposa engravidou: “Sucedeu que, terminados os dias de seu ministério, voltou para casa. Passados esses dias, Isabel, sua mulher, concebeu e ocultou-se por cinco meses, dizendo:” Lc 1:23 Portanto, João Batista nasceu em fins de Nisã também chamado de Abib, que corresponde a partes de março e abril. Quando Isabel estava no sexto mês de gravidez, recebeu a visita de sua prima, Maria, a qual permaneceu com ela até o fim de sua gestação. Nesta ocasião, ela recebeu o aviso de sua gravidez pelo anjo Gabriel. “No sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado, da parte de Deus, para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria. Mas o anjo lhe disse: Maria, não temas; porque achaste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem chamarás pelo nome de Yeshua. Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, lhe dará o trono de Davi, seu pai; ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o seu reinado não terá fim. Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum? E Isabel, tua parenta, igualmente concebeu um filho na sua velhice, sendo este já o sexto mês, para aquela que diziam ser estéril.” (Lc 1:26,27,30-34,36) “Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Ouvindo esta a saudação de Maria, a criança lhe estremeceu no ventre: então, Isabel ficou possuída pelo Espírito Santo. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre! E de onde me provém que me venha visitar a mãe do meu Senhor? Maria permaneceu cerca de três meses com Isabel e voltou para casa. A Isabel cumpriu-se o tempo de dar à luz,e teve um filho. Ouviram os seus vizinho e parentes que o Senhora usara de grande misericórdia para com ela e participaram do seu regozijo. Sucedeu que, no oitavo dia, foram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome de seu pai Zacarias.” (Lc 1:39-43, 56-59) Seis meses depois do nascimento de João Batista, em Etanim ou Tishrei, que corresponde a setembro/outubro pelo calendário atual, nasceu Yeshua. Observe no quadro acima. Nesta época do ano é comemorada a Festa dos Tabernáculos. Provavelmente Yeshua nasceu durante esta festa. O texto do evangelho de João, cap. 1, verso 14 diz que o Verbo se fez carne e habitou (em grego, skenoo, “tabernaculou”) entre nós. Como não existem coincidências na Palavra do Eterno, eu creio que esta pode ser uma indicação a mais sobre a época correta do nascimento do Mashiach. A palavra grega usada aqui tem o sentido de armar a tenda, fixar residência, morar em um tabernáculo.

Por todas estas razões, creio que seria muito interessante, para não dizer conveniente, que começássemos a comemorar o dia do nascimento de Yeshua HaMashiach em alguma data próxima do final do mês de setembro, poderia ser 29 ou 30, uma data que fosse arbitrada, sem ser arbitrária; fruto de um consenso das igrejas verdadeiramente cristãs, que não concordam de forma nenhuma com a data atualmente adotada, mas que também não concordam em deixar de comemorar a mais importante data para todos aqueles que crêem que Jesus Cristo é Yeshua HaMashiach, o Messias, o Filho do Deus vivo, que tabernaculou entre nós. Fazer de conta que não podemos nem ao menos estimar uma data provável, de acordo com as Escrituras, é impossível. Servos do Altíssimo com maior discernimento e entendimento da Palavra de Deus do que eu podem, muito bem, se dispor a estudar este assunto com mais profundidade e lançar luz sobre este assunto tão fascinante. O que não se pode mais é continuar fingindo que Yeshua não nasceu em um dia determinado, mesmo que esta data seja fruto de um consenso teológico alcançado debaixo de oração e da direção do Ruah HaKodesh, o Espírito Santo de Elohim, que certamente guiará e iluminará seus servos a toda boa obra. Eu já consigo sentir a mesma alegria que sentiram os pastores, naquele dia tão glorioso, em que, na cidade de Davi, nos nasceu o Salvador, e que sentiremos juntos, quando pudermos celebrar, com grande júbilo, no tempo propício, o nascimento do Salvador, livres de toda a influência maldita do paganismo e do mundanismo. Abandonemos as festas pagãs e restauremos as verdadeiras Festas instituídas pelo próprio Adonai Elohim, em sua Palavra! Entre elas, a Festa dos Tabernáculos aponta para Yeshuah HaMashiach, o Messias que havia de vir e veio, e tabernaculou entre nós, cheio de graça e verdade. Que o Eterno nos abençoe e nos guarde. Que o Eterno seja gracioso para conosco e tenha misericórdia de nós. Que o Eterno sobre nós levante a sua face e nos dê a paz.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful