You are on page 1of 2

Cristianismo, homosexualidade e “cura gay” Deu na mídia toda, nos últimos dias: Êxodo Internacional, “uma campanha para

igrejas, pessoas e famílias ue oferece uma orienta!"o #í#lica so#re atra!"o homossexual”, anunciou seu fim$ %l&m disso, %lan Cham#ers, o seu presidente, tratou de pedir desculpas pela “'ergonha” e “trauma” ue a organi(a!"o causou$ Cham#ers uase ue deixou pra l) suas opini*es so#re as +scrituras a respeito de sexualidade: “n"o posso me desculpar por minhas 'is*es profundas em rela!"o ,s maneiras ue o sexo & tratado nos escritos, mas eu 'ou tomar muito cuidado so#re o ue eu fa!o com as minhas conclus*es e ter muito respeito pelos ue n"o concordam comigo$ +u n"o posso me desculpar pelo ue eu acredito a respeito do casamento” ele disse$ Cham#ers continuou: “-ais importante, eu sinto muito por tantos terem considerado essa rejei!"o pelos Crist"os como sendo uma rejei!"o de Deus$ +u sinto muito, profundamente, por muitos terem a#andonado a f& e alguns terem escolhido o suicídio$ .elo resto da minha 'ida eu 'ou declamar nada al&m da 'erdade total do e'angelho, da sua gra!a, miseric/rdia e o con'ite a#erto a todos ue 'ierem ao conluio insepar)'el com o Deus todo0 poderoso”$ +u n"o conhe!o tanto so#re Cham#ers e sua empreitada pra comentar os detalhes dessas desculpas, mas ca#em algumas o#ser'a!*es$ .rimeiro, pelo ue eu li, Êxodo Internacional era parte do mo'imento “cura gay”, oferecendo o ue era chamado “terapia gay”, com o m&rito de mudar a orienta!"o sexual das pessoas, de homossexual para heterossexual$ .essoalmente eu creio ue & um erro grande usar pala'ras como cura e terapia nesse contexto por ue implicam claramente a homossexualidade como desordem ou doen!a$ 1) j) eu explico mais$ 2egundo, apesar de eu n"o poder falar de “rejei!"o religiosa” ue Cham#ers cita 3j) ue eu n"o sei so#re o u4 ele se refere especificamente5 , eu espero mesmo ue n"o seja o mero ati'ismo político dos Crist"os contra a legali(a!"o do casamento homossexual$ +u estou certo ue tam#&m possa ser o ue ele uer di(er, pelo menos em parte$ Cham#ers d) uma pista: “+u n"o tenho 'ontade nenhuma de lutar contra 'oc4 pelas suas cren!as ou os direitos ue 'oc4 procura$ -inhas cren!as so#re esses coisas nunca ir"o interferir deno'o com o mandamento di'ino de amar o pr/ximo como a mim mesmo”$ +ssa última senten!a parece ser uma reden!"o total , agenda gay e tam#&m sugere ue para amar o pr/ximo 'oc4 de'a simpati(ar ou concordar com tudo ue fa!am ou ueiram fa(er$ Como 6ic7 8arren 'iu recentemente, isso n"o tem sentido: “'oc4 n"o pode comprometer con'ic!*es para ter compaix"o”$ +u acrescentaria ue compaix"o n"o & necessariamente /#'ia uando nos dispomos num ati'ismo político em desfa'or de algu&m$

muitas coisas relacionadas aparecem$ . 'ai a ui umas passagens pra considera!"o: >e'ítico ?@:AA.9"o 'ou demorar a ui tentando pro'ar ao leitor ue a :í#lia condena o homossexualismo$ . como ele menciona em 6omanos. eu estou con'encido ue a 'alori(a!"o da no!"o ue a homossexualidade seja aceit)'el e ue o casamento homossexual de'a ser legali(ado & s/ o primeiro passo$ = pr/ximo passo ser) assegurar ue ual uer pessoa ue fale em pú#lico contra a homossexualidade sofrer) acusa!"o de crime de /dio$ % .arece “natural” n"o co#i!arI % resposta & /#'ia$ Kant o#ser'ou ue toda a moralidade pressup*e a exist4ncia de Deus$ + Deus re'elou por 2ua pala'ra o u4 2eus padr*es morais s"o.uando consideramos isso seriamente por um tempo. de ual uer maneira.or exemplo. desen'ol'ido ou escolhido: uem se importa se alguma coisa pare!a ser “natural” nesse mundo de pecadoI +u retrucaria ue criaturas com a nature(a pecadora como n/s achamos muita maldade como sendo natural$ .arece “natural” di(er sempre a 'erdadeI .aulo te'e.ual uer um ue ler a :í#lia direito 'ai 'er ue & um fato ineg)'el$ <oc4 'ai 'er. eu acho. 6omanos ?:AD0AE. em 'e( disso. mesmo num mundo terreno cheio de criaturas ue possuem nature(a pecadora$ H ao u4 precisamos nos ater$ 9"o a terapia$ 9"o a curas$ -as. fa(endo a uilo ue & #om e fa'or)'el aos olhos de Deus mesmo em face de desejos contr)rios poderosos ue se possa ter$ 9ingu&m di( ue & f)cil$ H uma luta terrí'el ue at& mesmo o ap/stolo .onto$ . ue a maioria dos +'ang&licos 'ai te respeitar mais se 'oc4 disser ue n"o acredita ou n"o concorda com a :í#lia do ue se 'oc4 misturar com interpreta!*es li#erais$ =s +'ang&licos ficam de saco cheio com a ueles ue di(em a eles ue a :í#lia.rimeira +menda constitucional tal'e( n"o pro'idencie prote!"o aos Crist"os ou a ningu&m mais dessa forma$ +u me pergunto se o 2r$ Cham#ers considerou isso tudo$ carloseste'amLhotmail$com fonte: http:MMcaffeinatedthoughts$comMAB?CMBDMchristianity0homosexuality0 and0gay0therapyM . na 'erdade. o de#ate sem fim so#re se o homossexualismo & gen&tico ou natural em oposi!"o a ser aprendido. 1udas ?:D0E$ Gomossexualismo n"o & um padecimento mental$ 9"o & uma doen!a nem desordem$ H um pecado$ H errado aos olhos de Deus$ H isso$ . n"o di( o ue di( claramente$ -as.arece natural sempre estar completamente fiel em pensamento. capítulo E$ 9o mais. I Coríntios D:F. AB:?C. na pala'ra e 'otos com o cJnjugeI .