You are on page 1of 41

Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Manual de Correspondências e de Atos Oficiais

2007

EXPEDIENTE
Reitor Manoel Catarino Paes Vice-Reitor Amaury de Souza Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças Roberto Assad Pinheiro Machado Coordenadoria de Planejamento Estratégico Ivan Ferreira Domingues Elaboração e consolidação: Divisão de Planejamento Institucional Henrique Pasquatti Diehl Homero Scapinelli Colaboração técnica Erotilde Ferreira dos Santos Miranda Revisão Eva de Mercedes Martins Gomes Profa. Maria Emília Borges Daniel

ÍNDICE

Objetivo..........................................................................................................4 Campo de Aplicação .....................................................................................4 Administração Pública....................................................................................5 Redação Oficial ..............................................................................................5 Atos Administrativos ......................................................................................6 Documentos Administrativos .........................................................................11 Regras Gerais de Elaboração...........................................................................11 Emprego dos Pronomes de Tratamento ...........................................................14 Emprego de Sinais de Pontuação.....................................................................16 Timbre Oficial da UFMS.................................................................................18 Ata ..................................................................................................................19 Certidão ..........................................................................................................20 Comunicação Interna - CI ...............................................................................21 Contrato..........................................................................................................22 Convênio ........................................................................................................23 Declaração......................................................................................................24 Edital ..............................................................................................................25 E-mail.............................................................................................................27 Estatuto...........................................................................................................28 Fax..................................................................................................................29 Instrução Normativa .......................................................................................30 Instrução de Serviço - IS..................................................................................32 Ofício..............................................................................................................33 Parecer............................................................................................................35 Portaria ...........................................................................................................36 Regimento Geral.............................................................................................37 Regimento Interno ..........................................................................................38 Regulamento ..................................................................................................39 Relatório.........................................................................................................40 Resolução .......................................................................................................41 Bibliografia ....................................................................................................42

Objetivo
Definir, sistematizar e padronizar as correspondências e atos administrativos utilizados no âmbito da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, a fim de orientar as diversas unidades na sua adequada elaboração, de acordo com as finalidades e competências, procurando unificar padrões de procedimentos de forma racional e modernizadora.

Campo de Aplicação
Aplica-se a todas as unidades da UFMS, em relação a qualquer correspondência ou ato administrativo que vier a ser emitido ou atualizado, dentro de sua área de competência.

4

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
A Administração Pública é regida pela Constituição Federal que, em seu artigo 37, caput, define os princípios constitucionais a serem obedecidos e aplicados na redação dos atos e comunicações oficiais. São eles:

REDAÇÃO OFICIAL
A redação oficial é a maneira de redigir as correspondências, processos e documentos afetos à administração pública. Assim, a correta redação dos atos administrativos é necessária, e algumas características devem ser observadas na elaboração dos textos oficiais. Tais como:

Princípio da legalidade
A Administração Pública somente poderá fazer o que estiver expressamente autorizado em lei e nas demais espécies normativas.

Objetividade e clareza
Dar a impressão exata das palavras, visando facilitar a compreensão da informação, evitando o supérfluo, a linguagem técnica. A linguagem culta deve nortear a formalidade do texto.

Princípio da impessoalidade
As realizações da administração não são do agente político, mas sim da entidade pública.

Correção Princípio da moralidade
A administração tem que ser norteada por princípios éticos de razoabilidade e justiça que é o pressuposto de validade de todo ato na administração pública. Uso das regras gramaticais, segundo os padrões e normas do idioma.

Impessoalidade
O emissor do documento não é a pessoa que o assina, mas a Instituição que ele representa. As comunicações oficiais devem tratar os assuntos públicos de forma impessoal, ou seja, sem impressões pessoais sobre o assunto tratado. Portanto, é recomendada a utilização da pessoa gramatical do verbo relativo ao emissor na 1ª do plural (ex: Comunicamos, Solicitamos) evitando, desse modo, a 1ª pessoa do singular (ex: Comunico, Solicito).

Princípio da publicidade
Divulgação oficial dos atos administrativos mediante publicação em Diário Oficial, na imprensa, ou por edital, para conhecimento do público em geral, ressalvadas as hipóteses de sigilo previstas na Constituição Federal.

Princípio da eficiência
Acrescentado pela Emenda Constitucional n. º 19/98, tem por objetivo garantir maior qualidade na atividade pública e na prestação de serviços, com a aplicação eficiente dos recursos públicos e diminuição dos custos operacionais.

Concisão
Consiste em apresentar uma idéia com poucas palavras, sem, no entanto, comprometer a clareza. Numa redação concisa deve de evitar a adjetivação desnecessária, os períodos extensos, a redundância.

Polidez
Consiste no tratamento respeitoso, digno e apropriado do emissor. Devem ser evitadas a ironia, as gírias, a irreverência.

5

tais atos se equiparam aos atos administrativos. 6 . O ato administrativo tem sempre em vista a produção de efeitos jurídicos. segundo o modelo legal. ou desvio de poder. conseqüências jurídicas. Além disso. Para Hely Lopes Meirelles. 2. que é um centro de competência. formam a categoria dos atos jurídicos. O Código Civil. Ex: O Reitor delega competência ao Pró-Reitor de Planejamento para ser ordenador de despesa. o poder legal para a sua prática. dizemos que "ato administrativo é todo ato produzido por agente credenciado da administração pública. podem ter. No direito privado. Forma: É a maneira pela qual se exterioriza a manifestação de vontade da Administração Pública. Da que dissolve passeata tumultuosa. Competência delegada é a que é transferida para agentes subalternos. quando têm conseqüências jurídicas. ao passo que o fato administrativo é a atividade puramente material de realização de serviços atos de mera execução . é a proteção da ordem pública. Cada ato só pode objetivar finalidade pública. A competência pode ser delegada ou evocada. quando o agente substitui a finalidade específica do ato por outro fim. modificar. destinada à aquisição. Sendo o ato administrativo uma espécie de ato jurídico. A regra é a forma escrita. no artigo 81. Sua inobservância vicia o ato. Não é válido o ato emanado de autoridade incompetente. se permitida pelas normas administrativas. os atos administrativos devem conter os seguintes requisitos: 1. É elemento vinculado de todo ato administrativo. à conservação. em matéria administrativa" (José Cretella Júnior). que tem por fim imediato a aquisição. Finalidade: É o bem jurídico objetivado pelo ato. levao à invalidação. Quando praticados por pessoas. "Ato administrativo é toda manifestação unilateral de vontade da Administração Pública que. à transferência. Não comporta ela apreciação discricionária. denominam-se atos administrativos. Há desvio de finalidade. os mais variados. Valmir Pontes denomina ato administrativo "toda manifestação lícita de vontade da Administração Pública. a regra é a liberdade do foro: ao contrário do que ocorre no direito público.ATOS ADMINISTRATIVOS No mundo ocorrem fatos. decidindo em lugar do agente hierarquicamente inferior. por meio de atos normativos. transferir. Esses atos jurídicos. 3. submete-se à forma legal. resguardar. Esses fatos podem ser naturais ou praticados por pessoas (físicas ou jurídicas). podem os dirigentes de Autarquias. por lhe faltar o requisito primordial. à modificação ou à extinção do direito". portanto. Age com excesso de poder a autoridade que pratica ato administrativo sem competência ou além daquela que lhe cabe por lei. Competência evocada ocorre quando o superior hierárquico chama para si o ato a ser praticado.Elementos Para serem válidos. os administradores de entidades paraestatais e os de serviços delegados praticar atos que se refiram à finalidade pública da entidade e. resguardar. quando praticados pela Administração Pública. o resguardo. A finalidade do ato que interdita a fábrica poluidora da atmosfera é a proteção da salubridade pública. ATOS ADMINISTRATIVOS . Decorre da função e do cargo. nesse sentido. a modificação. que lhe é correspondente. ou impor obrigações aos administrados ou a si própria".continuação Requisitos . ainda que público também. define o ato jurídico como: “todo ato lícito que tenha por fim imediato adquirir. extinguir e declarar direitos. regra geral. a transformação ou a extinção de direitos. A competência decorre da lei e por ela é delimitada. É requisito vinculado. Competência: É o poder atribuído ao agente da Administração Pública para realizar determinado ato. O ato administrativo é pois um ato jurídico praticado pela Administração Pública que se refere ao Poder Executivo. Os fatos praticados por pessoas denominam-se atos que. onde todo ato. modificar ou extinguir direitos”. mas nem por isso deixam de ser atos administrativos os praticados pelo Poder Legislativo e Judiciário no que tange à sua organização administrativa. do ato administrativo. ou não. o interesse público. agindo nessa qualidade. os quais estão integrados em um órgão. transferir. tenha por fim imediato adquirir. qual seja.conseqüentes.

Conseqüentemente. São considerações discricionárias e que se referem apenas ao motivo e ao objeto. pois a legalidade controla todo o ato. finalidade e forma. Cumpre. São elas: 1. ATOS ADMINISTRATIVOS . Assim. Mérito do ato administrativo refere-se às considerações livres que a Administração faz relativamente à conveniência e à oportunidade do ato. 5. dotá-la dos meios. a não ser para anular o ato praticado com abuso de poder. a autoridade somente pode praticá-lo. ou por mandado de segurança ou Ação Popular. isto é. não dependendo de mandado judicial. Ex. há que se dizer que os atos vinculados não admitem o julgamento de mérito. mas. ficará sujeita à comprovação de sua ocorrência. Por exemplo: na exoneração ad natum. Pode estar previsto em lei. Em qualquer caso. ou não.continuação 4. que é de oportunidade e conveniência para a Administração. pela própria Administração ou pelo Poder Judiciário. A primeira é a indagação política de sua conveniência ou oportunidade. o próprio agente fiscal pratica o ato. A segunda compara a finalidade do agente aos pressupostos legais. os atos administrativos podem ser executados imediatamente. caso ocorra a situação prevista . fica a autoridade a ele vinculada. Nesse campo de atuação da Administração não há o controle do Poder Judiciário. já que não precisa aguardar decisão do Poder Judiciário. Objeto: É elemento discricionário e refere-se ao próprio conteúdo do ato administrativo que visa a criar. Quem invoca a ilegitimidade do ato administrativo tem o ônus da prova. independentemente de sua concordância. ou juris tantum. Motivo: É a situação de direito que autoriza ou exige a prática do ato. 2. Se não é vinculado. No primeiro caso. admite-se sua sustação por recursos internos à própria Administração. o julgamento do mérito do ato administrativo é o julgamento da oportunidade e da conveniência da edição do ato. se alegado o motivo. Verificando-se que o ato não é legal. Podemos também dizer que o mérito consiste na valoração dos motivos e na escolha do objeto do ato administrativo. portanto. Presunção de Legitimidade: Todo ato administrativo presume-se legítimo. não precisa a autoridade apresentar o motivo em que ela se baseou. Quando se fala em considerações livres. não se refere às arbitrárias. Não se precisa perquirir de sua legalidade. o agente tem liberdade de escolher o motivo em vista do qual editará o ato discricionário. Imperatividade: É a qualidade pela qual os atos dispõem de força executória e impõem-se ao ato particular. Características do Ato Administrativo Competindo à Administração Pública zelar pelo bem-estar da coletividade. Portanto. 7 . a cada resistência oposta pelo particular. baseada em seu julgamento de oportunidade e conveniência. os atos administrativos possuem características típicas. de modo que a validade do ato depende de sua existência.: Se a Administração exonera um funcionário nomeado em comissão. modificar ou comprovar situações jurídicas para o Poder Público e para os administrados. verdadeiro e conforme o direito. É presumida. Não fica.: Ao interditar uma construção. relativa. a sua atividade deve-se desenvolver com características próprias. não há que se falar em mérito quanto aos requisitos da competência. segundo um critério. a Administração sujeita a atrasos no cumprimento de sua missão. assim. independentemente de ordem judicial. Ex. que são sempre vinculadas. se o fizer. o Judiciário não pode rever tal ato. 3. Até que o ato administrativo seja revogado ou declarado nulo. o que não ocorre nos atos do particular.ATOS ADMINISTRATIVOS .ato vinculado. de modo que pode ser afastada ou destruída por prova contrária. legítimo. que são requisitos do ato administrativo. de prerrogativas necessárias ao alcance dos seus objetivos. Fases do Ato Administrativo 0 ato administrativo se desdobra em duas fases distintas: mérito e legalidade. Assim. Mas essa presunção não é absoluta. o que decorre do princípio da legalidade dos atos administrativos e responde a uma exigência de celeridade e segurança na Administração. Auto-executoriedade: É o atributo do ato administrativo pelo qual o Poder Público pode compelir materialmente o administrado a cumpri-lo. tem que ser cumprido. Assim sendo. mas sim.continuação Finalmente. fica o particular sujeito ao seu cumprimento. sob pena de ser submetido à execução forçada.

Admitem anulação pela Administração ou pelo Poder Judiciário por Mandado de Segurança e Ação Popular. 2.: interdições de atividades.quando não há. Podem ser revogados e modificados a qualquer tempo. Ex.aqueles que o agente pratica com certa margem de liberdade.ATOS ADMINISTRATIVOS . instruções normativas. Externos . Ex. decretos. seja quanto à conveniência. Ex. Além das classificações citadas. Quando postos em prática. Complexos . as providências concretas serão impugnáveis judicialmente.continuação Atos de Gestão . liberdade de escolha. desde que consubstancie ela. Quanto à formação do ato: Simples . atos que dependem de publicação. pois a própria lei.alcançam os administrados de modo geral. tornam-se irrevogáveis (Súmula 473 STF). Quanto ao seu regramento Atos Vinculados . Que. e. Ex. Quanto aos seus destinatários: Gerais ou regulamentares . Ex.são aqueles praticados sem que a Administração esteja investida das prerrogativas de protestada pública. seja pelo Poder Judiciário.: interdição de atividade. semelhantes à lei.: autorização para porte de arma.são aqueles praticados por agentes subalternos e destinados a preparar os processos e petições em trâmite na repartição. ao regular a matéria. o visto de uma autoridade superior. a não ser por inconstitucionalidade. Quando geram direito adquirido.: portarias e instruções. no seu Direito Administrativo Brasileiro. demolições de obras clandestinas. Ex. mas dependente da ratificação de outro para se tornar exeqüível. São revogáveis.: numa autorização. não importando quantos agentes manifestam sua vontade. desde que determinados.continuação Essa característica está mais manifesta nos atos decorrentes do Poder de Polícia. destinatários certos. São atos de comando abstrato e impessoal. com finalidade normativa.: despacho. há outras relacionadas por Hely Lopes Meirelles (páginas 130/135).: decreto de declaração de utilidade pública.: a investidura em cargo público que se consubstancia pela nomeação. 3. Ex. permissão. ATOS ADMINISTRATIVOS . posse e exercício. A discricionariedade refere-se apenas ao conteúdo e ao objeto do ato administrativo. uma única declaração. Ex.: regulamentos.os produzidos por um único órgão. para o agente. licença. Podemos dizer que os atos administrativos se classificam em: 1.são os dirigidos a destinatários indeterminados. 4. Quanto ao seu objeto: Atos de Império .são aqueles que a Administração pratica no gozo de suas prerrogativas de Poder Público. autorização. Não se dirigem a terceiros. edital de concurso. Atos Discricionários . igualando-se ao particular. a fim de submetê-los a despachos das autoridades competentes.praticado por um órgão. acórdão do TIT.são os que se destinam a pessoas determinadas. geralmente. Individuais . outorga de licença. mas intocáveis por via judicial. tais atos são irrevogáveis.resultam da soma de vontades de dois ou mais órgãos. Ex. deixou campo para apreciação subjetiva da autoridade. seja quanto à oportunidade e à justiça do ato.são aqueles que têm como destinatários os órgãos e agentes da Administração. Ex.: admissão. Podem ser simples singulares ou simples colegiais. ou seja. sob pena de tornar o ato viciado. Ex. das quais enumeramos algumas: 8 . Composto . inutilização de gêneros alimentícios. Classificação dos Atos Administrativos A classificação dos atos administrativos é meramente teórica e sobre ela não há concordância entre os vários autores. Os atos internos e os externos só entram em vigor após a sua publicação. afinal.: pedido de aposentadoria por tempo de serviço. devendo ele sujeitar-se às determinações da lei. portanto passível de anulação seja pela própria Administração. Podem abranger um ou vários destinatários.: ato bilateral de aquisição de bens. Quanto ao seu alcance: Internos . Ex. em posição de supremacia perante o administrado. Atos de Expediente .

Nessa categoria.ATOS ADMINISTRATIVOS . vincular-se a seu enunciado: certidões. autorizações. da qual não cabe mais recurso. Ex. A nulidade deve ser reconhecida e declarada pela Administração.: o edital. sanções ad-ministrativas. 9 . resoluções e deliberações. nomeações de funcionários. Ex.é o que concorre para a formação de um ato principal.é o que põe termo a situações jurídicas individuais. Atos administrativos punitivos: Os que contêm uma sanção imposta pela Administração àqueles que infringem disposições legais. regulamentares.é o que opera a transferência de bens ou direitos de um titular a outro.continuação Espécies de Atos Administrativos Segundo o fim imediato a que se destinam. Atos administrativos enunciativos: Aqueles em que a Administração se limita a certificar ou atestar um fato. Ato principal . Atos administrativos negociais: Os que contêm uma declaração de vontade do Poder Público.é o que já produziu os efeitos e não pode ser revogado. aprovações. Ato revogável . Ato alienativo . dispensas.: a homologação na concorrência. Existe o decreto autônomo que dispõe sobre matéria ainda não tratada em lei. licenças.é o que cria uma nova situação jurídica para o seu destinatário. Ato irrevogável . ATOS ADMINISTRATIVOS . Ato nulo . ou emitir opinião sobre determinado assunto. encampação de serviço.: autorização de porte de arma. a verificação de idoneidade.: apostilas de títulos de nomeações.é o que se antepõe a outro para permitir a sua realização. postos em vigência por decreto. 2. Atos administrativos ordinários: Os que visam a disciplinar o funcionamento da Administração e a conduta funcional de seus agentes: instruções. 5.é o que encerra a manifestação da vontade final da Administração. A concorrência para a realização da obra.: venda de carros da Administração. O ato intermediário pode ser invalidado isoladamente. expedição de certidões.: abdicar de uma herança jacente. Ato complementar .: julgamento de um auto de infração.: ato expedido por autoridade incompetente.: cassação de autorização. o julgamento das propostas.é o que surge com vício por ausência ou defeito em seus elementos constitutivos. Procedimento Administrativo O procedimento administrativo caracteriza-se por uma série de atos "meios" praticados tendo em vista um ato final. Ato válido . na concorrência. interdições de atividades. Ato condição . ordens de serviço. Ex. Ato abdicativo . visando à correta aplicação da lei. circulares.continuação Ato constitutivo .: a adjudicação na concorrência. isto é. da revogação para frente. A homologação de um concurso. Exige autorização legislativa para imóveis. 4. Hely Lopes Meirelles agrupa os atos administrativos em 5 espécies: 1. Ex. Atos administrativos normativos: São aqueles que contêm um comando geral do Executivo. Ato intermediário . Ex. Ato de julgamento . Ex. Visam a explicar a norma legal. portarias. etc. que é o principal. Ato declaratório . vistos. Ex. pareceres. Exige autorização legislativa. entretanto.é o que contém todos os requisitos.: licenças. sem. ou ordinatórias dos bens ou serviços públicos: multas. ofícios e despachos. e objeto que encerram. renúncias. Coisa julgada é a decisão administrativa.é aquele pelo qual a Administração Pública abre mão de um direito. 3. Ex.é o que aprova o ato principal. Ato extintivo . Opera ex nunc.é o que contém decisão sobre matéria controvertida. destruições de coisa e afastamentos de cargos ou funções. homologações.é o que reconhece situações preexistentes. Ex. Ex. para especificar os mandamentos da lei ou prover situações ainda não disciplinadas por lei. Observase que não podem contrariar a norma legal.: licença concedida. Ex. regulamentos. atestados.: o concurso para a nomeação.é o que a Administração pode revogar por conveniência ou oportunidade. Ex. Os regulamentos são atos administrativos. coincidente com a pretensão do particular: admissões. Ex. permissões. regimentos. encontram-se: decretos. A coisa administrativa é irrevogável.

ATOS ADMINISTRATIVOS . se houver a desconformidade do ato com as normas e princípios que regem sua atividade. A invalidação por ilegalidade é dita anulação e a por inconveniência e inoportunidade é chamada revogação.conclusão 2. "a sucessão ordenada de operações que propiciam a formação de um ato final" ou "o encadeamento de operações que propiciam o ato final" (Hely Lopes Meirelles). a administração procede. ! os atos que se exaurem desde que expedidos. A partir da data da revogação é. Por isso. como o desvio ou excesso de poder.: concessão de anistia. por razões de ilegalidade e ilegitimidade. a preterição de qualquer ato intermediário ou qualquer vício em um deles atinge o ato final que pode tornar-se eivado de ilegalidade. Procedimento administrativo é. que examinará o ato apenas sob o aspecto da legalidade. o desrespeito ou afronta aos requisitos vinculados do ato administrativo. ou se o ato praticado por agente incompetente. 10 . Os atos preparatórios são atos administrativos que podem ser considerados autonomamente para a verificação de sua legalidade. Todavia. A Administração Pública tem a faculdade de rever os seus próprios atos. Ex. a habilitação.continuação Assim. antes praticam-se diversos atos intermediários (o edital. Abstendo-se. temos: 1. O ato revogado. o julgamento das propostas). à declaração de nulidade do ato. Assim. Revogação: É a extinção de um ato administrativo legal e perfeito. ATOS ADMINISTRATIVOS . portanto conserva os efeitos produzidos durante o tempo em que operou. São irrevogáveis: ! os atos que já geraram direito adquirido para o destinatário. tendo em vista a obtenção do ato final. por razões de conveniência e oportunidade. na concorrência pública. Assim. ou porque se tornaram inconvenientes e inoportunos. espontaneamente ou por provocação. A ilegalidade abrange a infringência a texto legal. mas sempre são praticados em vista do ato final. Invalidaçao dos Atos Administrativos A invalidação dos atos administrativos comporta a revogação e a invalidação. A revogação. poderá o interessado requerer o pronunciamento do Poder Judiciário. foi eficaz. a Administração. pela Administração. portanto. com efeito retroativo. o desvio de finalidade. bem como a relegação dos princípios gerais do direito. ou porque sejam ilegais. temos o ato principal final que é a adjudicação do seu objeto ao vencedor. Anulação: É supressão do ato administrativo. no exercício do poder discricionário. portanto. opera ex nunc (sem efeito retroativo). que cessa a produção de efeitos do ato até então perfeito e eficaz. que são uma série de atos interligados.

10. Exemplo: CERTO ERRADO Art.. alíneas e itens.... Art. 11 .. à qual subordinam-se os parágrafos..DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS Compreender não é apenas uma questão de linguagem. salvo nos casos em que contiver incisos.. etc.) compete. Art... A partir do artigo de número 10.... O artigo desdobra-se em parágrafos ou em incisos. Designado pela forma abreviada Art. quando deverá terminar por dois-pontos.. seguido de ponto: Art. produzidos no decurso das atividades administrativas da instituição. Notas O texto de um artigo inicia-se sempre por letra maiúscula e termina por ponto.. REGRAS GERAIS DE ELABORAÇÃO Artigo É a unidade básica de articulação do ato normativo... seguida de algarismo arábico e do símbolo de número ordinal (º) até o número nove.. A indicação de artigo será separada do texto por dois espaços em branco...10..Ao (.. inclusive: Art. 2º .. 1º. pois envolve o conhecimento do contexto em questão... Art.. fixando em seu caput a norma geral e deixando as restrições. 1º ... Art. Alguns documentos mencionados neste Manual e que podem ter significado diferente em outro contexto são explicados. Documentos são unidades de registro de informação. qualquer que seja a natureza ou suporte utilizado.... respeitando assim. incisos..) compete. sem traços ou outros sinais.......10 .. as normas e atos que norteiam o Serviço Público..... exceções ou complementações para os parágrafos ou incisos em que for desdobrado.) compete..... Art. 11. 1º Ao (.Ao (.. 9º.) compete. usa-se o algarismo arábico correspondente. Ao (. Cada artigo deve conter um único assunto. Art.

. O símbolo § é seguido do algarismo arábico correspondente e do símbolo de número ordinal (º) até o nono parágrafo. É indicado pelo símbolo §..... Na retificação de matéria serão publicados. .... parágrafo anterior" e semelhantes. § 22. A numeração do parágrafo é separada do texto por dois espaços em branco.continuação Inciso É utilizado como elemento de desdobramento de artigo ... Serve para explicar ou complementar a disposição principal.. salvo se for desdobrado em incisos ou alíneas. Nas referências "parágrafo único... ou . § 2º O cancelamento da matéria... sendo comumente destinado a enumerações. e pela expressão "Parágrafo único". usa-se o símbolo §.promover o atendimento de acordo com abaixo..ponto-e-vírgula. e termina com: . Exemplo: REGRAS GERAIS DE ELABORAÇÃO .. O parágrafo desdobra-se em incisos.. como forma de aplicação..... quando se desdobrar em alíneas. seguida de ponto e separada do texto normativo por dois espaços em branco.e também como subdivisão de parágrafo. quando o artigo contiver mais de um parágrafo.. separado do algarismo e do texto por um espaço em branco.." ou ".. quando contiver apenas um parágrafo. § 3º Somente serão acolhidos. Exemplo: § 10. O parágrafo único do artigo é indicado pela expressão “parágrafo único”.desde que o assunto abordado não possa constar do caput do artigo ou não se mostre adequado para constituir parágrafo . § 2º...REGRAS GERAIS DE ELABORAÇÃO . § 9º..o Conselho Diretor terá .. seguido do algarismo arábico correspondente e de ponto: "§ 10.. 3º da Resolução . O texto do inciso inicia-se com letra minúscula. caso seja o último. Quanto às remissões.. A partir do parágrafo de número 10..."..continuação Parágrafo Constitui um desdobramento imediato do artigo. a grafia é por extenso..consoante dispõem os §§ 5º e 6º do art.. É imprescindível que ...dois-pontos. O texto dos parágrafos inicia-se com maiúsculas e encerra-se com ponto....ponto..... ... sem traços ou outros sinais.. § 1º O pedido de sustação de matéria. II ..... inclusive: § 1º...assegurar.. utiliza-se o sinal "§" ou "§§" (quando se referir a mais de um parágrafo) ...: "Conforme estabelecido no §2º art 33.......Ex. etc.... § 11. Notas O texto do "Parágrafo único" e dos demais parágrafos inicia-se com letra maiúscula e termina com ponto ou. Exemplo: I .... 12 .. nos casos em que desdobrar um incisos... parágrafo seguinte..... salvo quando se tratar de nome próprio.. Os incisos dos artigos são indicados por algarismos romanos seguidos de hífen.. III . com dois-pontos.. caso em que deverá findar por dois-pontos..". Nota 0 inciso desdobra-se em alíneas.

e). quando se desdobrar em itens. b).. exigir desdobramento. caso seja a última e anteceda artigo ou parágrafo...dois-pontos.. deverão ser grafadas com letra minúscula. 4. etc. alínea ou item... caso seja o último e anteceda artigo ou parágrafo..ponto-e-vírgula.. e termina com: ... salvo quando se tratar de nome próprio. As alíneas ou letras de um inciso ou parágrafo. e separados do texto por um espaço em branco: 1. O texto do item inicia-se com letra minúscula...... e termina com: -ponto-e-vírgula. salvo quando se tratar de nome próprio.. separada do texto por um espaço em branco: a)... Supremo Tribunal ......... Nota A alínea desdobra-se em itens. conforme a seqüência de dispositivos seja. Exemplo: 1.. (conforme Dec.... para maior clareza.REGRAS GERAIS DE ELABORAÇÃO .. d).. restringir o conteúdo ..... .. Nº 4. seguindo o alfabeto e acompanhada de parêntese. Nota Devem ser utilizadas as conjunções "e" ou "ou" no penúltimo inciso... Exemplo: a) revogação parcial ...ponto.. ou. quando esta.. 13 ... 3. b) restringir o conteúdo ..... c) Supremo Tribunal . 3.. Os itens (ou números) que correspondem ao desdobramento de alínea deverão ser grafados em algarismos arábicos. ou. O texto da alínea inicia-se com letra minúscula. seguidos de ponto.continuação Item Constitui a subdivisão da alínea.. etc.176/2003).continuação Alínea É o elemento complementar do sentido oracional do inciso.... 2. REGRAS GERAIS DE ELABORAÇÃO .. revogação parcial . respectivamente. ou . ou -ponto... cumulativa ou disjuntiva. 2..

ConsultorGeral da República. Não se usa abreviar a forma de tratamento (Vossa ou Sua Excelência). A cláusula de revogação relacionará. Presidente e Membros do Superior Tribunal Militar. de 28-03-2002). (art. / Revoga-se a Resolução nº 23. Usualmente. sempre que possível. todas as disposições que serão revogadas com a entrada em vigor do ato normativo proposto.REGRAS GERAIS DE ELABORAÇÃO . Presidente e Membros do Tribunal Superior do Trabalho. no entanto. Até a edição da Lei Complementar nº 95. Portanto. Chefes do Estado-Maior das Três Armas. O vocativo a ser empregado em comunicações dirigidas aos Chefes de Poder (Presidente da República. em comunicações dirigidas ao Presidente da República e aos Presidentes do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. 9º). de 19 de junho de 1999. sendo regra geral a entrada da norma em vigor na data da publicação. Presidente e Membros dos Tribunais Regionais Eleitorais. Chefe do Gabinete Pessoal do Presidente da República. Secretários de Estado dos Governos Estaduais e Prefeitos Municipais. ocorre no último artigo do texto. Juízes e Desembargadores e Auditores da Justiça Militar.). Presidente. c) do Poder Judiciário: Presidente e Membros do Supremo Tribunal Federal. Presidente e Membros do Tribunal Superior Eleitoral. Governadores e Vice-Governadores de Estado e do Distrito Federal. VicePresidente e Membros da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Embaixadores. Exa. Presidente e Membros dos Tribunais de Contas Estaduais. seguido do cargo respectivo. a cláusula de revogação podia ser específica ou geral. Exa. Importantes doutrinadores já ressalvavam a desnecessidade da cláusula revogatória genérica.176. de 8 de março de 1999. a vigência é explicitada no penúltimo artigo do texto. usado em comunicações dirigidas às seguintes autoridades: a) do Poder Executivo: Presidente da República. S. EMPREGO DOS PRONOMES DE TRATAMENTO Vossa ou Sua Excelência (V. Presidente e Membros do Superior Tribunal de Justiça. Presidente e Membros do Tribunal de Contas da União. Oficiais-Generais das Forças Armadas. Desde então. Presidente e Membros dos Tribunais de Justiça. Secretário-Geral da Presidência da República. Cláusula de Revogação A cláusula de revogação. é incorreto o uso de cláusula revogatória do tipo "Revogam-se as disposições em contrário". Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas. admite-se somente a cláusula de revogação específica. de forma expressa. b) do Poder Legislativo: Presidente do Congresso Nacional. Ministros de Estado. de 1998 (art. Presidente e Membros dos Tribunais Regionais Federais. devendo. Vice-Presidente da República. conter expressamente todas as disposições revogadas a partir da vigência do novo ato: Revogam-se as Resoluções nºs 333. Presidente e Membros dos Tribunais Regionais do Trabalho. 14 . quando necessária. uma vez que a derrogação do direito anterior decorre da simples incompatibilidade com a nova disciplina jurídica conferida à matéria (Lei de Introdução ao Código Civil). Secretários da Presidência da República.. Presidente e Membros das Assembléias Legislativas Estaduais e Presidentes das Câmaras Municipais. 8º Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação. Chefe do Gabinete Militar da Presidência da República. ProcuradorGeral da República. Secretário Executivo de Ministérios. Presidentes do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal) é Excelentíssimo Senhor.conclusão Cláusula de Vigência A vigência do ato normativo deve ser indicada de forma expressa. antecedendo a cláusula de revogação: Art. de 8 de maio de 1997 e 348. 21 do Decreto nº 4.

.. Exemplo: Senhor Ministro: Senhor Governador: No envelope. S...continuação Exemplo: Excelentíssimo Senhor Presidente da República: Excelentíssimo Senhor Presidente do Congresso Nacional: As demais autoridades serão tratadas com o vocativo Senhor.. É suficiente o uso do pronome de tratamento Senhor. Sa. (Endereço) Os pronomes de tratamento para religiosos.. seguido do cargo respectivo. Acrescenta-se que doutor não é forma de tratamento. não devendo ser usado indiscriminadamente.continuação EMPREGO DOS PRONOMES DE TRATAMENTO . Seu emprego deve restringir-se apenas às comunicações dirigidas a pessoas que tenham tal título pela conclusão do programa de pós-graduação em doutorado.. seguido do cargo respectivo. o endereçamento das comunicações dirigidas às autoridades tratadas por Vossa ou Sua Senhoria obedecerá à seguinte forma: Ao Senhor (nome) (endereço) No envelope. S. deve constar: Ao Senhor (nome) Magnífico Reitor da Universidade ... (nome) (endereço) b) demais autoridades: Excelentíssimo Senhor (nome) Ministro de Estado. Mencionemos. o tratamento Senhor confere a desejada formalidade às comunicações. em comunicações dirigidas a Reitores de universidades. a forma Vossa ou Sua Magnificência (V. O vocativo adequado é Senhor. Maga). A dignidade é pressuposto para que se ocupe qualquer cargo público... será dispensado o emprego do superlativo Ilustríssimo para as autoridades que recebem o tratamento de Vossa ou Sua Senhoria e para particulares.S.. Vossa ou Sua Senhoria (V. Ema. (endereço) Fica abolido o uso do tratamento Digníssimo (DD). Maga. b) Vossa ou Sua Eminência e Vossa ou Sua Eminência Reverendíssima (V.) são usados em comunicações dirigidas aos Cardeais. No envelope. S. Exemplo: Senhor Chefe da Divisão de Serviços Gerais: Como se depreende do exemplo acima. Nos demais casos.. sendo desnecessária a sua repetida evocação. 15 . às autoridades arroladas acima. O vocativo corresponde é: “Santíssimo Padre”. ainda.. Corresponde-lhe o vocativo: “Eminentíssimo Senhor Cardeal” ou “Eminentíssimo e Reverendíssimo Senhor Cardeal”. Corresponde-lhe o vocativo: “Magnífico Reitor“..S. por força da tradição... o endereçamento das comunicações dirigidas às autoridades tratadas por Vossa ou Sua Excelência obedecerá às seguintes formas: a) Presidente da República. Ema..) é empregado em comunicações dirigidas ao Papa. S. são: a) Vossa ou Sua Santidade (V. e sim título acadêmico.EMPREGO DOS PRONOMES DE TRATAMENTO . empregada. de acordo com a hierarquia eclesiástica. Sa) é empregado para as demais autoridades e para particulares. Presidente do Congresso Nacional e Presidente do Supremo Tribunal Federal: Excelentíssimo Senhor Presidente da(o).

S.. c) dois-pontos: emprega-se para introduzir citações. admiração. É também usado em lugar da vírgula para dar ênfase ao que se quer dizer.. Ex. espanto. Ex. Cônegos e superiores religiosos. d) Vossa ou Sua Reverendíssima ou Vossa Senhoria Reverendíssima (V. súplica. e) ponto de exclamação: o ponto de exclamação é utilizado para indicar surpresa. as inversões e as intercalações. ligados à estrutura sintática. como se depreende do seu nome. Revma) é usado em comunicações dirigidas a Monsenhores. Rev. Rev.Foi bom o pronunciamento? . separa estruturas coordenadas já portadoras de vírgulas internas. S. b) ponto-e-vírgula: o ponto e vírgula. quer no período. Corresponde-lhe o vocativo: “Reverendo”. devem merecer destaque. Eminentíssimo e Reverendíssimo Senhor Cardeal (nome) (instituição. Revma. é utilizado para marcar o final de uma frase interrogativa direta: Até quando aguardaremos uma solução para o caso? Não cabe ponto de interrogação em estruturas interrogativas indiretas (em geral em títulos): O que é lingüagem oficial . Clérigos e demais religiosos: À Sua Reverência o Senhor Sacerdote (nome) (endereço) c) D) e) 16 . Exa. Exa.: Encerrado o discurso. e) Vossa ou Sua Reverência (V.: Sem virtude.como vencer a crise etc. No envelope deverá constar: a) Papa: Santíssimo Padre Papa (nome) Palácio do Vaticano (endereço) b) Cardeais: Eminentíssimo Senhor Cardeal ou. O vocativo correspondente é: “Reverendo”. b) separar palavras. Clérigos e demais religiosos. o que mantém o governo despótico é o medo. d) ponto de interrogação: o ponto de interrogação. São sinais de pontuação: a) vírgula: a vírgula serve para marcar as separações breves de sentido entre termos vizinhos.. marcar enunciados de diálogo e uma conseqüência do que foi enunciado. quer na oração. etc. O vocativo correspondente é: “Excelência Reverendíssima”.. têm as seguintes finalidades: a) assinalar as pausas e as inflexões da voz (a entoação) na leitura.Sem dúvida: todos parecem ter gostado. ainda. perece a democracia. o Ministro perguntou: . Cônegos e superiores religiosos: Ao Reverendíssimo Senhor Monsenhor (nome) (endereço) Sacerdotes. em princípio. c) esclarecer o sentido da frase. eliminando ambigüidades.EMPREGO DOS PRONOMES DE TRATAMENTO . expressões e orações que.conclusão EMPREGO DE SINAIS DE PONTUAÇÃO Os sinais de pontuação. Seu uso na redação oficial fica geralmente restrito aos discursos e às peças de retórica: Povo deste grande País! c) Vossa ou Sua Excelência Reverendíssima (V.) é empregado para Sacerdotes.) é usado em comunicações dirigidas a Arcebispos e Bispos. se for o caso) (endereço) Arcebispos e bispos: À Sua Excelência Reverendíssima O Senhor (nome) Bispo ou Arcebispo de/do ou da (instituição) (endereço) Monsenhores. S.

Vice-Ministro. no parágrafo único de seu artigo 1º. Observe que o ponto final vem antes do último parêntese quando a frase inteira se acha contida entre parênteses: “Quanto menos a ciência nos consola.). e para. 4. dá ênfase a determinada palavra ou pensamento que segue: Ele reiterou suas idéias e convicções – energicamente. substitui parênteses. apelidos. o funcionário respondeu: – Nada tenho a declarar a respeito. este deverá figurar antes do sinal de aspas que encerra a transcrição. 3. etc. dar-se-ia. no final de uma linha. que é um hífen prolongado (–). A pontuação do trecho que figura entre aspas seguirá as regras gramaticais correntes. indica a introdução de enunciados no diálogo: Indagado pela Comissão de Inquérito sobre a procedência de suas declarações. ou traço-de-união. mais adquire condições de nos servir. dois-pontos: O controle inflacionário – meta prioritária do Governo – será ainda mais rigoroso. 3.conclusão f) hífen: o hífen.EMPREGO DE SINAIS DE PONTUAÇÃO . de 1988. as alíneas devem estar entre aspas: O tema é tratado na alínea “a” do artigo 146 da Constituição. no projeto é idêntico ao anteriormente apresentado. vírgulas.” 2. 2. intitulativos. nas citações de textos legais. dão destaque a nomes de publicações. 17 .: o artigo sobre o processo de desregulamentação foi publicado no “Jornal do Brasil”. indicar a separação das sílabas de uma palavra em duas partes (a chamada translineação): com-/parar. afirma: “Todo poder emana do povo. gover-/no. é um sinal usado para ligar os elementos de palavras compostas: couve-flor. g) aspas: tem os seguintes empregos: 1. obras de arte. para unir pronomes átonos a verbos: agradeceu-lhe.” (José Guilherme Merquior. destacam termos estrangeiros: “Mutatis mutandis”. Por exemplo. se o trecho transcrito entre aspas terminar em ponto final. usam-se antes e depois de uma citação textual: A Constituição da República Federativa do Brasil. é empregado nos seguintes casos: 1. i) travessão: o travessão. que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente. h) parênteses: são empregados nas orações ou expressões intercaladas.

corpo 10 negrito. e “Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul”.0 x 25.ufms.E-mail: unidade@nin.Campo Grande (MS) http://www.br 18 . poderá ser personalizada a identificação da unidade emitente. na cor preta. com texto em fonte Arial. esquerda de 3. fonte Arial. e as demais informações que complementam a identificação da unidade.br . cor preta. etc. corpo 12 negrito. na cor preta. digitados em fonte Times New Roman.TIMBRE OFICIAL DA UFMS O timbre será composto pelas Armas Nacionais. a logomarca da UFMS no tamanho 15.0 cm e direita de 2. fonte Arial. no canto superior esquerdo com tamanho 25. corpo 10. Rodapé No rodapé do ato ou comunicação oficial.0 x 20.0 mm.5 cm. cor preta. seguido do texto centralizado horizontal e verticalmente “Serviço Público Federal e Ministério da Educação”. Formatação: Para garantir a padronização na emissão dos atos e comunicações oficiais. corpo 8. criado eletronicamente. editores de imagem. em fonte Arial.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-XXXX . com inserções de novos símbolos e texto. centralizada na página. caixa alta e baixa. corpo 12. inferior de 2. caixa alta e baixa. NOME DA UNIDADE 2..Fax: (0xx67) 3345-XXXX 79070-900 ..ufms. espaço entrelinhas simples ou 1. com parágrafo de 2.Bloco XX .0 mm 3 cm Estrutura 3 cm Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 2 cm Localização: O timbre deverá ser centralizado no cabeçalho e utilizado em todos os atos e comunicações oficiais da UFMS criados eletronicamente (editores de texto. não sendo permitida qualquer alteração em seu formato.). caixa alta e baixa.5 cm Cidade Universitária .5 linha conforme o tamanho do texto e impressas em papel sulfite A4. sugerimos como formatação as configurações do modelo ao lado com margem superior de 3 cm.0 cm. caixa alta e baixa. No canto superior direito. editoração gráfica.0 cm.

em geral.e-mail: unidade@nin. alíneas. seguido do número de ordem da reunião. Os enganos constatados após a redação deverão ser retificados usando-se a expressão “Em tempo” (seguida de dois-pontos). digitado.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . assinaturas: digitar o nome do presidente e dos membros presentes à reunião.Campo Grande (MS) http://www. arquivadas na seqüência das datas das reuniões. Quando lavrada em livro. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . texto: deve ser escrito seguidamente. rasuras ou emendas. e coletar as assinaturas após a aprovação. sem parágrafos. do nome do órgão emitente e data da realização. aos órgãos de deliberação coletiva: Conselhos Superiores. Colegiados de Cursos. os números devem ser escritos por extenso. qualquer erro na redação deverá ser retificado empregando-se a expressão “digo” (entre vírgulas). As abreviaturas e siglas devem ser evitadas.Bloco XX . Comissões ou grupos de trabalho instituídos.ATA Definição: Documento de valor jurídico. rubricadas e assinadas pelo relator. que consiste em registro narrativo fidedigno de decisões do que se passou em uma assembléia. com páginas numeradas. Não pode ter modificações posteriores à sua aprovação. Conselhos Diretivos. digitadas.br 19 . Deve conter a assinatura de todos os participantes da reunião. Conselhos de Centros e de Departamentos.br . Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Compete. em caixa alta sem negrito. acompanhada da emenda. Estrutura: título: deverá ser centralizado no texto. Elaborada em folhas soltas.ufms. sessão ou reunião.ufms.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .

. como documento público.Bloco XX . e seu fornecimento gratuito por parte da administração pública que a expediu. Não deve conter emendas nem rasuras. afirmando a existência de atos ou assentamentos constantes de processo.ufms. conforme artigo 5º. Pode ser de inteiro teor – transcrição integral. desde que exprima fielmente o conteúdo do original.. Estrutura: título: a palavra “CERTIDÃO”.. local e data: preenchimento do campo local e data (por extenso)...br 20 ..”. dentro de sua esfera de competência. e sua expedição é no prazo improrrogável de 15 dias – Lei nº 9.051. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . onde se lê .. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Todas as unidades.CERTIDÃO Definição: Documento fornecido pela administração ao interessado.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 .Campo Grande (MS) http://www. texto: transcrição do que foi requerido e encontrado referente ao pedido. Qualquer engano ou erro poderá ser retificado. XXXIV b da Constituição da República Federativa do Brasil – 1998.. A certidão autenticada tem o mesmo valor probatório do original.ufms.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .. assinatura: nome ou carimbo do emitente e visto da autoridade responsável pela emissão. também chamada traslado ou resumida.. empregando-se a palavra “digo” ou “em tempo: na linha . leia-se .e-mail: unidade@nin. de 18 de maio de 1995. livro ou documentos que se encontrem nas repartições públicas. em caixa alta e centralizada no texto.br .

texto: desenvolvimento do assunto tratado.ufms. a diversos destinatários.Bloco XX . fecho: formas usuais de cortesia. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Compete a qualquer responsável por unidade da UFMS. assinatura : nome do emitente. vocativo: forma de se dirigir ao destinatário. Estrutura: título: a expressão “CI”. na margem esquerda do texto.CI Definição: Correspondência interna. Devem ser empregados os fechos: Respeitosamente . assunto: resumo do assunto tratado (pode ser dispensado). instruções e recomendações.para autoridades superiores. porém. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . transmitir ordens. número: numeração seqüencial do órgão emitente logo após a expressão “CI”.e-mail: unidade@nin.COMUNICAÇÃO INTERNA . Pode ser encaminhada.ufms. em caixa alta. cabeçalho: determinação do emitente e do destinatário. À exceção do primeiro parágrafo e do fecho.br . em se tratando de circular. e.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . local e data: local e data de expedição (por extenso). todos os demais parágrafos devem ser numerados. Atenciosamente . a fórmula de cortesia pode também ser omitida.Campo Grande (MS) http://www.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 .br 21 . usada para solicitar ou prestar informações.para autoridades de mesma hierarquia ou hierarquia inferior. como maneira de facilitar-se a remissão. simultaneamente.

para criar obrigações e direito recíprocos. Quanto à publicação dos contratos.872/86. É realizado entre pessoas que se obrigam a prestações mútuas e equivalentes em encargos e vantagens. porém deverá ser assinado pelo Reitor ou autoridade a quem ele delegar competência. Estrutura: Ver Manual de Orientações para Celebração e Execução de Convênios. e no Decreto nº 93.Bloco XX .Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . de 21 de junho de 1993. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária .ufms.e-mail: unidade@nin. é necessário que sejam observadas as orientações contidas na Lei nº 8. firmado livremente entre as partes. mediante Termo Aditivo.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . Protocolos de Intenções e Contratos. que dispõem sobre a matéria. desde que durante a sua vigência. Orçamento e Finanças / PROPLAN. Acordos.ufms.Campo Grande (MS) http://www.CONTRATO Definição: É todo acordo de vontades. O controle será efetuado pela Pró-Reitoria de Planejamento.666.br .br 22 . O Termo de Contrato poderá ser alterado ou prorrogado. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Pode ser proposto por qualquer unidade da UFMS.

Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . desde que dentro de sua vigência. O controle será efetuado pela PROPLAN. porém deverá ser assinado pelo Reitor ou autoridade a quem ele delegar competência.ufms. Acordos. Protocolos de Intenções e Contratos. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Pode ser proposto por qualquer unidade da UFMS. como tal.CONVÊNIO Definição: É um acordo bilateral e multilateral celebrado entre entidades públicas e/ou públicas e privadas. Tem estrutura semelhante à do Contrato e. mediante o qual assumem compromissos de cumprimento de cláusulas regulamentares. A eficácia do convênio e de seus aditivos fica condicionada à publicação do respectivo extrato no Diário Oficial da União – DOU. modificado ou prorrogado. Estrutura: Ver Manual de Orientações para Celebração e Execução de Convênios. mediante a celebração de Termo Aditivo.br 23 .e-mail: unidade@nin. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . poderá ser complementado.ufms.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .Bloco XX .br .Campo Grande (MS) http://www.

Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . Estrutura: título: a palavra “DECLARAÇÃO”.br 24 . assinatura: nome e cargo do emitente ou carimbo.ufms. dentro de sua área de competência.e-mail: unidade@nin. em seguida. digitada em caixa alta.ufms.Campo Grande (MS) http://www.DECLARAÇÃO Definição: Ato escrito.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . local e data. a exposição do assunto.br . texto: inicia-se com a palavra “Declaro” ou “Declaramos” e. afirmativo da existência ou não de um direito ou de um fato. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Qualquer responsável por unidade da UFMS. centralizada no texto.Bloco XX .

Tipos: Existem vários tipos de editais emitidos pela Universidade. Comissões e Departamentos.e-mail: unidade@nin. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . em órgão de comunicação de alcance regional.EDITAL Definição: Trata-se de um instrumento de comunicação utilizado pela Administração. centralizada no texto. no Boletim de Serviço da UFMS e..ufms. Reitoria. convocação para reuniões. nacional ou internacional. 2) de Licitação.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . seguida do tipo e número (quando for o caso).Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . digitada em caixa alta. Gerências.br 25 . Coordenações e Colegiados de Cursos.Bloco XX .. Os demais. tais como provimento de cargos públicos.ufms. texto: desenvolvimento do assunto tratado. no todo ou em parte (extrato). etc. Estrutura: título: A palavra “EDITAL”. assinatura: nome do emitente e respectivo cargo. devem seguir os exemplos apresentados. Pró-Reitorias.Campo Grande (MS) http://www. Exemplo nº 1 Exemplo nº 1 Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Responsáveis por Órgãos Deliberativos. Os exemplos a seguir são: 1) Edital de Convocação para reuniões. local e data: por extenso. Deve ser publicado.br . abertura de licitação. de acordo com suas peculiaridades. para dar conhecimento a interessados sobre diversos assuntos. quando necessário.

e-mail: unidade@nin.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .ufms.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 .EDITAL .br .ufms.modelo Exemplo nº 2 Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul NOME DA UNIDADE Cidade Universitária .br 26 .Campo Grande (MS) http://www.Bloco XX .

para autoridades superiores. 27 . assinatura : nome do emitente. texto: o texto deve limitar-se ao estritamente necessário. assunto: resumo do teor da comunicação. mas sem certificação digital. Devem ser gerados em suporte papel. expressões e partículas desnecessárias.para autoridades de mesma hierarquia ou hierarquia inferior.E-MAIL Definição: Comunicação transmitida pela Internet. fecho: formas usuais de cortesia. destino: endereço eletrônico do destinatário. C/C: cópia carbono-endereço eletrônico de outros destinatários que receberão a mesma mensagem. deve-se imprimi-la em papel e enviar posteriormente o original. porém. local e data: local e data de expedição (por extenso). Competência: Compete a qualquer responsável por unidade da UFMS. 2. que ateste a identidade do remetente. a fórmula de cortesia pode também ser omitida. na forma estabelecida em lei (Medida Provisória nº 2200-2 de 24 de agosto de 2001). para que o e-mail tenha valor documental é necessária a certificação digital. evitando-se palavras. e. Estrutura: emissor: endereço eletrônico do emitente. Documentos de valor legal. utilizado para transmissões de mensagens urgentes. Devem ser empregados os fechos: Respeitosamente . sem certificação digital. Validade: Nos termos da legislação em vigor. não deverão ser produzidos e armazenados eletronicamente. Atenciosamente . Notas: 1. probatório e histórico. Quando a informação enviada for de importância para a Instituição. Normalmente.

assim como os tipos de autoridades.ufms.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . modo porque se administra e representa. digitada em caixa alta. os direitos e obrigações. se são reformáveis e de que modo. visando a identificação imediata de suas partes.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . os objetivos. seções. capítulos e títulos. formado pelo conjunto integrado de normas reguladoras de sua estrutura. Estrutura: título: a expressão “ESTATUTO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL”. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Proposto pela Comunidade Universitária (Estatuinte) e aprovado pelo Conselho Universitário/COUN.ESTATUTO Definição: Diploma legal da UFMS. orientando e definindo a sua direção. a forma de organização e administração.e-mail: unidade@nin. que oferece diretrizes de grande amplitude. em que se farão constar à denominação.Campo Grande (MS) http://www. centralizada no texto.br 28 . deve ser aprovado pelo Conselho Federal de Educação e homologado pelo Ministro da Educação.Bloco XX . texto: poderá desdobrar-se em artigos. passiva.br . no tocante à administração etc. A primeira folha deverá ser precedida de índice.ufms. os principais cargos e respectivas atribuições. judicial e extrajudicialmente. ativa. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . os fins e a sede da UFMS.

Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Compete a todos os responsáveis pelas unidades da UFMS. sendo obrigatório o encaminhamento posterior dos originais. cabeçalho: preenchimento dos campos de identificação apresentados no formulário. em caixa alta.Campo Grande (MS) http://www. menos oneroso do que o telegrama.FAX Definição: É uma modalidade de comunicação que.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . por sua velocidade e por ser.br . exclusivamente. digitada na fonte Arial.Bloco XX . Estrutura: título: a expressão “FOLHA DE ROSTO . tamanho 14. outras formas de correspondência.br 29 .ufms. em princípio. na transmissão e recebimento de assuntos oficiais de extrema urgência e para o envio antecipado de documentos. O fax deve ser utilizado. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . anexos: documentos a serem enviados.ufms. em muitos casos. de cujo conhecimento há premência. texto: redação da mensagem a ser transmitida. centralizada no texto.e-mail: unidade@nin.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .FAX”. passou a ser adotado pelo serviço público e vem substituindo.

dentro de sua área de competência. considerando que ela poderá ter uma abrangência tanto genérica quanto específica. anexos: são os instrumentos que possibilitam esclarecer dúvidas: fluxogramas. de forma a possibilitar que os usuários não tenham dúvidas sobre o assunto ou dúbia interpretação. utiliza-se o fluxo descendente da comunicação organizacional. nos quais estão agrupados os assuntos tratados de mesma natureza. que não são de conhecimento geral. Nas propostas e sugestões encaminhadas. abrir discussão em torno do assunto. após ouvir as partes diretamente envolvidas e dar forma final à Instrução Normativa. gráficos. O usuário. se necessário. As propostas de instruções normativas deverão ser encaminhadas à PROPLAN para formalização. deve constar o “de acordo” das respectivas chefias. exigência legal: quando o assunto for regido institucionalmente por lei federal. encaminhará ao Pró-Reitor para aprovação. definições: para melhor interpretação dos objetivos da Instrução Normativa. faz-se necessária a definição de termos significativos pertinentes ao assunto. em ordem seqüencial. campo de aplicação: define as unidades às quais a Instrução Normativa se aplica. Estrutura: objetivo: deve explicitar clara e concisamente o(s) objetivo(s) que justifica(m) a elaboração da Instrução Normativa. fazendo menção à lei ou decreto específico ou até reproduzindo-o via IN. de maneira clara e unificada. a emissão de instruções normativas. sempre na defesa de interesses do órgão. tabelas. Cada capítulo é identificado por um algarismo arábico cardinal. inclusive verificar o aspecto convencional e a aplicabilidade que possam advir de sua publicação.IN Definição: É um instrumento que visa estabelecer princípios orientadores e critérios para execução de atividades gerais e específicas. estadual ou municipal. ou de termos técnicos porventura empregados. conteúdo: compreende o texto propriamente dito da Instrução Normativa. Competência: Qualquer responsável por unidade da UFMS poderá propor. a quem compete analisar e. porém sua instituição poderá ter várias origens. através da unidade competente. Nesse caso. a instituição de uma Instrução Normativa deverá ser decorrente da necessidade de padronizar procedimentos e racionalizar rotinas. assunto ou por um sistema completo. por rotina. independente da origem do assunto e sua área de abrangência. após estudos conclusivos. por intermédio da unidade competente que. Deverá apresentar todas as informações necessárias ao assunto normatizado. O capítulo é subdividido seqüencialmente em seções. porém. subseções e alíneas e itens onde é exposto o texto que o constitui. À unidade administrativa competente. mapas e os próprios formulários que fazem parte do assunto normatizado. de cima para baixo. objetivando sistematizar e padronizar procedimentos inerentes à Instituição. elaborar a Instrução Normativa. 30 .INSTRUÇÃO NORMATIVA . cabe a responsabilidade de elaborar a Instrução Normativa em forma de minuta. como por parte dos próprios usuários ou elementos que atuam no desenvolvimento do processo operacional. alteração ou cancelamento. deverá elaborar proposta de normatização. ouvida a Assessoria Jurídica da UFMS. por necessidade operacional: ocorre tanto por iniciativa dos responsáveis pelas unidades. devidamente fundamentada e enviar à PROPLAN. Composição As Instruções Normativas são constituídas de capítulos. caberá à PROPLAN. Instituição Em princípio. quais sejam: interesse/conveniência administrativa: neste caso. sua formalização ficará a cargo da PROPLAN.

ufms.br .Campo Grande (MS) http://www.INSTRUÇÃO NORMATIVA .Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .ufms.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 .br 31 .modelo Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul NOME DA UNIDADE Cidade Universitária .Bloco XX .e-mail: unidade@nin.

é inserida a expressão “resolve:”. desde que nele devidamente citado. esclarecimentos. no uso de suas atribuições legais . . alíneas e ítens. da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Chefe de Gabinete do Reitor. Após a fundamentação legal. se justifica o fecho de praxe: “Esta Instrução de Serviço entra em vigor na data de sua publicação” e “Revoga-se (citar o número da Instrução de Serviço. Chefes de Coordenadoria. designações ou informações de interesse geral e constitui comissões.ufms. . centralizada no texto. incisos. etc. (cargo do emitente/órgão. Chefes de Assessoria e Coordenadores de Curso. na respectiva área de competência. Tratando-se de textos comuns. . usam-se artigos.. texto: desenvolvimento do assunto. se houver)”. .Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . ou seja. Em textos que levam o caráter de norma./ . Procurador-Geral.” . Diretores de Centro. orientações. restrito. deferir ou indeferir requerimento. subitens e alíneas. Neste caso. formação de comissão. Gerentes. Na citação de nomes de pessoas. as letras deverão ser datilografadas/digitadas em caixa alta. cita-se a expressão “ANEXO À INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº . recomendações. . . usam-se itens.br .Campo Grande (MS) http://www. Diretores de Núcleo.Bloco XX . . NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . . . por exemplo: parecer favorável ou não. . Estrutura: título: A expressão “INSTRUÇÃO DE SERVIÇO” digitada em caixa alta.e-mail: unidade@nin.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . Chefes de Departamento. . fundamento legal: é a citação das considerações legais ou administrativas que orientaram ou fundamentaram a tomada de decisão.ufms.br 32 .INSTRUÇÃO DE SERVIÇO . . quando o objeto do ato trouxer um caráter particular. assinatura: nome do emitente em caracteres maiúsculas. . se houver apenas um. ou seja. . seguidas do número de matrícula. . . . em caixa alta). “.IS Definição: É o ato pelo qual a autoridade setorial emite decisões administrativas. Pró-Reitores. seguida do número seqüencial do documento e data de expedição. . Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: São emitentes de Instrução de Serviço na UFMS: Vice-Reitor. . . anexo: É a forma de apresentar informações complementares ao texto. . Inicia-se com a expressão: “O (A) . . A numeração será feita em algarismos romanos quando tiver mais de um anexo. designação. . de poder de coerção sobre todos os demais subordinados. . parágrafos. autorização. entretanto.

“Submeto à apreciação de Vossa Excelência”. anexa. conferindo maior clareza à exposição. local e data em que foi assinado. data. desenvolvimento: detalha o assunto. com alinhamento à direita. origem ou signatário e assunto de que trata) e razão pela qual está sendo encaminhado. no qual é apresentado o assunto que motiva a comunicação. 33 . reapresenta a posição recomendada sobre o assunto. seguido de dois-pontos. texto: desenvolvimento do assunto. Deve ser evitado o uso de frases feitas para iniciar o texto. vocativo: forma de se dirigir ao destinatário. conclusão: reafirma ou. e.OF Definição: É uma comunicação escrita que as autoridades fazem entre si e entre a Administração e particulares. “Tenho o prazer de”. ATENCIOSAMENTE . Pode ser encaminhado. destinatário: nome/cargo da pessoa a quem se destina o ofício. em se tratando de circular. que trata da requisição do servidor. . Pró-Reitores. a fim de tratar assuntos de serviço ou de interesse da administração. Diretores de Centro. desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário à respeito do documento que encaminha. simplesmente. deve iniciar com a informação do motivo da comunicação que é encaminhar.OFÍCIO . como maneira de facilitar a remissão.” . À exceção do primeiro parágrafo e do fecho. e. o expediente deve ter a seguinte estrutura: introdução: deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o encaminhamento. “Cumpreme informar que”. Nos casos de encaminhamento de documentos. sendo: RESPEITOSAMENTE . Competência: São emitentes de ofícios: Reitor. . cópia do Ofício nº 34. elas devem ser tratadas em parágrafos distintos. fecho: formas usuais de cortesia. Assessores. em caráter oficial. poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento. Chefes de Departamento. Nos casos em que não for de mero encaminhamento de documentos. empregue a forma direta: “Informo Vossa Excelência que”. . indicando a seguir os dados completos do documento encaminhado (tipo. Devem ser empregados apenas dois tipos de fechos. . número. Se a remessa do documento não tiver sido solicitada. encaminho.para autoridades da mesma hierarquia ou de hierarquia inferior. de 3 de abril de 1990. todos os demais parágrafos devem ser numerados na margem esquerda do corpo do texto. de 1º de fevereiro de 1991. simultaneamente. a diversos destinatários. assinatura: nome/cargo do emitente digitado.para autoridades superiores. Se o texto contiver mais de uma idéia sobre o assunto. segundo a seguinte fórmula: “Em resposta ao Aviso nº 12. não há parágrafos de desenvolvimento em ofício de mero encaminhamento. No lugar de “Tenho a honra de”. Estrutura: título: a palavra “OFÍCIO” seguida do número seqüencial e sigla do órgão emitente. o expediente deve apresentar em sua estrutura: introdução: corresponde ao parágrafo de abertura. “Encaminho a Vossa Senhoria”. em caso contrário. Gerentes e Chefes de Coordenadoria. do Departamento Geral de Administração. datilografado por extenso. Chefe de Gabinete.

Campo Grande (MS) http://www.Bloco XX .Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .modelo Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul NOME DA UNIDADE Cidade Universitária .Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 .ufms.br 34 .e-mail: unidade@nin.OFÍCIO .br .ufms.

com apresentação fundamentada de solução e. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . assinatura: nome ou carimbo do emitente e visto de aprovação do superior.ufms.Campo Grande (MS) http://www. através de um exame acurado do assunto a que se refere. justificativa e conclusão.PARECER Definição: É uma manifestação oriunda de órgãos técnicos sobre assuntos submetidos à sua consideração. local/data: por extenso. dependendo das circunstâncias. seguida do número seqüencial e sigla do órgão emitente. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Compete aos órgãos técnicos. vocativo: forma de se dirigir ao solicitante (pode ser dispensado). digitados em caixa alta. pode ser favorável ou não. texto: histórico.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . Fornece subsídios para tomada de decisão.br 35 .e-mail: unidade@nin.br . Geralmente. quando submetidos à sua consideração. referência: número do processo ou expediente que deu origem ao parecer. centralizada no texto.ufms. faz parte do processo e constitui a base dos despachos e decisões. Estrutura: título: a palavra “PARECER”.Bloco XX . referente a assuntos de sua área de competência. assunto: resumo do objeto tratado. em caixa alta.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .

em caixa alta... em caracteres maiúsculos. Tratando-se de textos comuns. se houver) as (e demais) disposições em contrário”.”. em caixa alta. entretanto. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: A emissão compete exclusivamente ao Reitor. as letras deverão ser digitadas. anexo: é a forma de apresentar informações complementares ao texto.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 .PORTARIA Definição: É o ato expedido pelo Reitor com o objetivo de dar instruções concernentes à administração com referência a pessoal (designação. Em textos que levam o caráter de norma. Inicia-se com a expressão: “ O REITOR (em caixa alta e negrito) da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Na citação de nomes de pessoas. usam-se subitens e alíneas... ainda. além de outros atos de sua competência. texto: desenvolvimento do assunto. dispensa. deferir ou indeferir requerimento. seguida do número seqüencial do documento e data da expedição.br . admissão. de poder de coerção sobre todos os demais subordinados. centralizada no texto. parágrafos. Após a fundamentação legal. cita-se a expressão “ANEXO À PORTARIA Nº . suspensão..ufms. por exemplo: parecer favorável ou não. fundamento legal: é a citação das considerações legais ou administrativas que orientaram ou fundamentaram a tomada de decisão. quando o objeto do ato trouxer um caráter particular. A numeração será feita em algarismos romanos quando tiver mais de um anexo. etc.e-mail: unidade@nin.br 36 . delegação de competência. ou seja. alíneas e itens. lotação. etc) ou à organização e funcionamento de serviços e. designação. justifica-se o fecho de praxe: “Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação” e “Revogam-se (citar o número da Portaria. Nesse caso. orientar a aplicação de textos legais e disciplinar matéria não regulada em outros dispositivos legais..Bloco XX . seguidas do número de matrícula.” . se houver apenas um./. digitada.. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . incisos. é inserida a expressão “resolve:”. Estrutura: título: a palavra “PORTARIA” . ou seja. usam-se artigos.Campo Grande (MS) http://www.. elogio. desde que nele devidamente citado.. formação de comissão. assinatura: nome do emitente. restrito.ufms.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . autorização.

estrutura. Estrutura: t í tulo : a expressão “REGIMENTO GERAL DA FUNDA Ç ÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL”. texto: desenvolvimento do assunto.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . devendo ser submetido à aprovação do Conselho Universitário. A primeira folha deverá ser precedida de índice.Campo Grande (MS) http://www.Bloco XX .ufms.REGIMENTO GERAL Definição: É o ato normativo que descreve. a organização. e as seções em caracteres minúsculos em negrito. em caixa alta.br . o relacionamento e as atribuições dos órgãos da Universidade.e-mail: unidade@nin.br 37 . tratando de: denominação. organização. visando a identificação imediata de suas partes.ufms. A unidade básica de articulação será o artigo. em caixa alta. competências dos órgãos e disposições gerais. numerados com algarismos romanos. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Será proposto pela Administração da Universidade. sede. É o detalhamento do Estatuto. incisos e alíneas. capítulos e seções. Poderá desdobrar-se em títulos. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . finalidade. centralizada no texto.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . caracteriza e fixa a estrutura. desdobrado em parágrafos.

ufms.br .Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . numerados com algarismos romanos... especificando as respectivas competências.. devendo ser submetidos à apreciação técnica e jurídica da PROPLAN e da Procuradoria Jurídica.. centralizada no texto. capítulos e seções. e posterior aprovação pelo Conselho Diretor. respectivamente.REGIMENTO INTERNO Definição: É o ato normativo da situação interna de um órgão. tratando da finalidade. da estrutura e da competência do órgão. dentro de sua área de atuação. parágrafos. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária .Campo Grande (MS) http://www. designando a categoria e a finalidade de órgão integrante da estrutura básica. Estrutura título: a expressão “REGIMENTO INTERNO DA(O) . subdividido em títulos. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Os Regimentos Internos serão propostos pelos responsáveis em cada unidade..ufms. das atribuições do pessoal e disposições gerais..”. da organização.e-mail: unidade@nin. detalhando sua estrutura em unidades organizacionais..Bloco XX .br 38 . artigos... digitada em caixa alta. incisos e alíneas. definindo as atribuições de seus dirigentes e outros itens julgados necessários. texto: desenvolvimento do assunto.Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx ..

Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . Estrutura: a) título: a expressão “REGULAMENTO”. a exata execução de determinada legislação.ufms. centralizada no texto. respectivamente. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . garantindo. artigos. devendo ser submetido à apreciação técnica e jurídica da PROPLAN e da Procuradoria Jurídica.br . com a finalidade de esclarecer ou complementar um texto legal.Bloco XX . seções.e-mail: unidade@nin. b) texto: desenvolvimento do assunto.br 39 . Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Qualquer unidade poderá propor.Campo Grande (MS) http://www. dentro de sua área de competência. digitada em caixa alta. assim.ufms. a emissão de Regulamento. e posterior aprovação do Conselho Diretor.REGULAMENTO Definição: Conjunto de regras de caráter geral. parágrafos.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . Poderá desdobrar-se em capítulos. incisos e alíneas.

e-mail: unidade@nin. Pode ser dividido em partes. capítulos. escrito em uma linguagem ordenada.br . fecho: apreciações subjetivas. atos e ocorrências que são causa do relatório. subitens. sugestões e planos (se couberem) e conclusões.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 .Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx . introdução: ligeiro histórico do motivo do relatório. simples e objetiva. comissões ou grupos de trabalho instituídos. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Compete aos responsáveis pelas unidades da UFMS.RELATÓRIO Definição: É o documento em que se expõe à autoridade superior a execução de trabalhos concernentes a certos serviços ou a execução de serviços inerentes ao exercício do cargo em determinado período.ufms. texto: desenvolvimento do assunto. local e data: por extenso.Campo Grande (MS) http://www. onde se faz a exposição dos fatos. Estrutura: título: a expressão “RELATÓRIO”.br 40 . digitada em caixa alta e centralizada no texto.ufms. assinatura(s): nome e assinatura.Bloco XX . NOME DA UNIDADE Cidade Universitária . itens.

assinatura: nome e função do emitente.RESOLUÇÃO Definição: É o ato emanado de autoridade competente de órgãos de deliberação coletiva ou colegiados. se houver apenas um.. centralizada no texto. será inserida a expressão “ad referendum” logo após a expressão “resolve:”. Nesse caso. Estrutura: título: a palavra “RESOLUÇÃO”. o fundamento legal será iniciado pelo nome do órgão colegiado. A numeração será feita em algarismos romanos quanto tiver mais de um anexo.. usam-se item. Após a fundamentação legal. restrito.br 41 . Tratando-se de textos comuns. deferir ou indeferir requerimento.Fax: (0xx67) 3345-xxxx 79070-900 . ou seja..” (nome do órgão colegiado). Se a decisão for emanada de órgão colegiado. por exemplo: parecer favorável ou não. anexo: é a forma de apresentar informações complementares ao texto. subitem e alíneas. NOME DA UNIDADE Cidade Universitária .” ./. em sendo a Resolução “ad referendum”. quando o objeto do ato trouxer um caráter particular. designação. justifica-se o fecho de praxe: “Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação” e “Revogam-se (citar o número da Resolução. se houver) as (e demais) disposições em contrário”. as letras deverão ser digitadas em caixa alta e seguidas do número de matrícula. Tratando-se de documento que contenha decisão do Presidente.. autorização etc. desde que nele devidamente citado. é desnecessária a identificação da função do emitente. em caixa alta e negrito.ufms. seguida do número seqüencial do documento e data de expedição. usam-se artigos.Campo Grande (MS) http://www. incisos alíneas e itens. formação de comissão. Tratando-se de Resolução “ad referendum”.Bloco XX . digitada em caixa alta. será iniciado com a expressão “O(A) PRESIDENTE DO . Na citação de nome de pessoas. para estabelecer normas concernentes à administração. é inserida a expressão “resolve:”.. parágrafos. ou seja. de poder de coerção sobre todos os demais subordinados. cita-se a expressão “ANEXO À RESOLUÇÃO Nº .. entretanto.e-mail: unidade@nin. que se sujeitará a homologação do órgão de deliberação coletiva. em letras maiúsculas e.br . podendo conter determinações para execução de serviços. Em textos que levam o caráter de norma. se Presidente ou Presidente em exercício.ufms..Caixa Postal 549 Fone: (0xx67) 3345-xxxx .. fundamento legal: é a citação das considerações legais ou administrativas que orientaram ou fundamentaram a tomada de decisão. texto: desenvolvimento do assunto. Serviço Público Federal Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Competência: Qualquer órgão de deliberação coletiva ou colegiado da UFMS.

de 14 de novembro de 1977. UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. Presidência da República. WILSON. de 11 de maio de 1992. Lei nº 8421. Presidência da República. J. Manual de Redação da Presidência da República. BRASIL. Campo Grande. 1994 BRASIL. Lei nº 5700. MIRANDA. 4ª Edição. Niterói. Manual de Atos e Comunicações Oficiais. BRASIL. Manual de Organização.BIBLIOGRAFIA BRASIL. Presidência da República. de 28 de março de 2002. DICKEL. Direito Administrativo. Decreto nº 4176. Apostila do Curso de Redação Oficial. 2002 BRASIL. de 1º de setembro de 1971. GELSON VILMAR e GRANJEIRO. 2003 42 . Erotilde Ferreira dos Santos. Presidência da República. Brasília. Decreto nº 80739. Secretaria-Executiva. Brasília. 2006. Ministério da Educação. Instrução de Serviço nº 41 de 29 de abril de 1992. Presidência da República. Casa Civil. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL. BRASIL. Normas sobre Correspondências e Atos Oficiais. Pró-Reitoria de Planejamento. 2ª Edição.