You are on page 1of 36

Contabilidade Geral

Professora: Msc.Glenda Soprane

Tema 8: Folha de Pagamento/Pr incípios de Contabilidade (PC)
Palavras-Chave: Folha de pagamento

1

Capítulo 8 Folha de Pagamento/ Pr incipio de Contabilidade (PC)
Objetivos desse capítulo Elabor ar uma folha de pagamento: Calcular impostos incidente sobr e a folha de pagamento: Contabilizar os lançamentos contábeis:

2

Folha de Pagamento
CLT (Consolidação das Leis do Tr abalho), Apr ovada em 1° de maio de 1.943, pelo Decr eto Lei n°5.452. CLT- r egulamentação das r elações individuais e coletivas do tr abalho, tendo em vista a pr oteção dir eitos do tr abalhador :

3

tem alguns conceitos básicos: 4 .Mensalmente as empr esas está obr igada a elabor ar a Folha de Pagamento dos seus empr egados. par a efeito de fiscalização tr abalhistas e pr evidenciár ia. (não existe modelo oficial) A Elabor ação da Folha de Pagamento.

individual ou coletiva. assumindo os r iscos da atividade econômica. admite. 5 . Empr egado:de acor do com o ar tigo 3° da CLT.Empr egador : de acor do com o ar tigo 2° da CLT. que . assalar ia e dir ige pr estação pessoal de ser viço . consider a-se empr egador a empr esa.

Classifica em: 6 . Pr oventos ou ver bas: são todas as gr atificações e adicionais que o tr abalhador r ecebe.consider a-se empr egado toda pessoa física que pr esta ser viços de natur eza não eventual a empr egador . sob a dependência deste e mediante de salár io .

adicionais notur no. 7 . adicionais de per iculosidade (contato per manente com substancias inflamáveis ou explosivos). hor as extr as. gor jeta / gr atificações. 13°salár ios. salár ios habitação/alimentação. pr emio/comissão.Salár ios. abono. adicionais de insalubr idade (locais insalubr es ou per igosos).

Salár io liquido = Valor Br uto menos todo os descontos. Salár io br uto-valor acr escido de todas as gr atificações. 8 .valor pelo qual o empr egado foi contr ato.Salár io base ou nominal .

7°.A r enumer ação composta pelos pr oventos ou ver bas. Hor as extr as. por exemplo as mais r ecor r entes. devem estar descr iminadas individualmente no r ecibo de pagamento. são hor as que ultr apassam a jor nada de tr abalho. Ar t. 9 . inciso XVI da constituição Feder al.

no mês de 03/2011 teve 3 hor as extr as. existem per centuais super ior es e são fixados de acor do com contr ato de tr abalho ou acor do coletivo.00 195. tr abalha 44hs semanais r ecebe por hor as R$ 130.00 10 .00 130.00= 195. Exemplo.00 x 50% = 65.00 + 65.00 x 3(horas extra)= 585. calcula: 130.00.50% sobr e o valor da hor as nor mal.

essas hor as sofr e uma r edução 7minutos e 30 segundos. confor me a CLT ar t. ou seja. possui um acr éscimo entr e essa jor nada de 20%.Adicional notur no. são hor as tr abalhadas no per íodo compr eendido entr e 22h a 5h. 33°. 11 . cada 1h tem a dur ação de 52 minutos e 30 segundos.

calcula-se: 130.Exemplo: tr abalhou entr e 22h as 3h.7.71 52.5 min Conversão para horas notur nas: Horas notur nas equivalentes = 5 x 60 = 5. por tanto totalizou 5h extr as.00 x 20% = 26.5 12 .00 Conversão da hora nor mal para hora notur na: 1hora .5 = 52.7min .30 seg = 60min .

13 .

Descontos: r epr esentam os valor es que são deduzidos dos pr oventos. outr as como por exemplos: 14 . Os impostos e as contr ibuições são obr igatór ia por lei podem ser descontados do empr egado sem autor ização.

15 . assistência médica. as que não são obr igatór io por lei a empr esa necessita de autor ização par a descontar . INSS Contr ibuição par a a pr evidência social. São os descontos mais r ecor r entes. Contr ibuição sindical e Assistencial.Tr anspor te. r efeição. IRRF Imposto de r enda r etido na fonte.

90 8% de R$ 1. consulte sempr e.83 9% de R$ 1. Tabela 1 ) INSS(fonte-site previdência social) até R$ 1.106.84 até R$ 3.106.844.689.Tabela de INSS e IRRF.91 a R$ 1.66 11% 16 . as mudanças são constantes.844.

5% deduz 505.5 % deduz 112.70= 15%deduz 280.(fonte site .Receita Feder al) Até 1.78 Valor por dependente = R$ 150.isento De 1.71 até 3.75 = 7.Tabela-2 ) IRRF .19 = 27.15 .995.5% deduz 692. 69 17 .995.246.76 até 2.62 Acima de 3.19 = 22.743.743.94 De 2.499.499.246.16 até 2.43 De 2.

00 ou seja.00 x11% = 231. possui um salár io br uto de R$ 2.100. vamos supor que o funcionár io José Silva.00 que ser á descontado em Folha de Pagamento.00 Por tanto. a contr ibuição de INSS do José Silva é de R$ 231.Ex. par a calcular mos o INSS: 2.100. 18 .1) calculo de INSS.

o José Silva ir á r eceber um valor liquido de R$ 1.00 (2. 19 .100. que cor r esponde: 20% par a pr evidência.00 231.Assim.00) A empr esa também r ecolhe INSS da empr esa cuja a alíquota pode chegar 28%.869. vamos supor que não haja outr o desconto.

ou seja. vamos supor o mesmo funcionár io José Silva.8% par a ter ceir os (salár io educação. 5. 2) calculo de IRRF. INCRA.1% a 3% par a o segur o contr a acidente do tr abalho(SAT). SESC. par a calcular mos o IRRF : 20 . SEBRAE) Ex. Depende da atividade da atividade da empr esa. ou seja. SENAC. gr au de r isco.

00 231.44 (par a r ecolhimento de IRRF o DARF ter á que ser maior que R$ 10.5% = 128.2.869.00 150.00 1.718.43 = 16.100.718.87 128.00) 21 .31 1.31 x 7.00 (INSS) = 1.69 (1-Dependente) = 1.869.87 112.

11.59 até R$ 862.41 por filho de até 14 anos incompletos.o valor do salár iofamília por filho de até 14 anos de idade ser á de R$ 20. o tr abalhador que r eceber de R$ 573.58. par a quem ganhar até R$ 573.73 22 . De acor do com a Por tar ia MPS/MF nº 568. de 31 de dezembr o de 2010.Salár io família. o valor ser á de R$ 29.

uma despesa de 8% sobr e o valor br uto da folha de pagamento . funciona como uma poupança . o deposito ter á que ser feito à CEF.Fundo de Gar antia por tempo de ser viço FGTS r epr esenta par a a empr esa. mensalmente. e par a o valor r ecolhido é aplicada uma cor r eção monetár ia. 23 .

Exemplo pr ático envolvendo os cálculos da folha de pagamento: 24 .

25 .

00 FGTS (8%) R$ 888.00 26 .974.par te da empresa : Salár io bruto R$ 11.100.8% = R$ 2.00 INSS par te da empresa 26.80 FGTS Salár io bruto R$ 11.INSS .100.

Contabilização dos fatos contábeis. ou seja. os salár ios devem ser contabilizados no mês a que se r efer em. 27 . A contabilização da folha de pagamento de salár ios obser va o r egime de competência.

Efetua a pr ovisão e paga poster ior mente as ver bas.Quanto ao 13º salár io e fér ias a empr esa apr opr ia mensalmente obedecendo também ao r egime de competência. 28 .

00 C Salár ios a pagar -R$ 11.R$ 11.100.1) D Despesas com Salár io .100.068.07 C INSS a Recolher -R$ 1.07 Histór ico: INSS a r ecolher do mês de Mar ço/2011 29 .R$ 1.068.00 Histór ico: salár ios a pagar do mês de Mar ço/2011 2) D Salár io a pagar .

32 C IRRF a r ecolher .R$ 450.3) D Salár ios a pagar .00 C Desp com Vale r efeição .R$ 741.00 Histór ico: Despesas com Vale r efeições do mês de Mar ço/2011 30 .32 Histór ico: IRRF a r ecolher do mês de Mar ço/2011 4) D Salár ios a pagar .R$ 741.R$ 450.

00 Histór ico: FGTS a r ecolher do mês de Mar ço/2011 31 .R$ 2.80 Histór ico: INSS a r ecolher do mês de Mar ço/2011 6) D FGTS .80 C NSS a r ecolher .R$ 888.R$ 2.R$ 888.974.00 C FGTS a r ecolher .974.5) D INSS .

Razonetes: 32 .

33 . pois não tr abalhamos com os saldos de outr as contas contábeis. saldo na conta de despesas com r efeições. Na empr esa existe. também. O foco deste exer cícios é apenas na folha de pagamento.(*) a conta de despesas com vale tr anspor te ficou cr edor a.

259.840.00 2.por que ela contabiliza o total deste tipo de gasto e poster ior mente desconta um per centual na Folha de pagamento. O Saldo do r azonete conta salár io fecha com a somatór ia da coluna.39 = 8. 11.61 34 .100.

35 .

Centro de Educação a Distância Universidade Anhanguera Uniderp 36 .