You are on page 1of 2

BENS PÚBLICOS Conceito: são públicos os bens de domínio nacional pertencentes às pessoas jurídicas de direito público interno (entes

federados e suas respectivas autarquias e fundações públicas de natureza autárquica); todos os outros são particulares, seja qual for a pessoa a que pertencerem. Obs.: os bens das pessoas jurídicas de direito privado integrantes da administração pública não são bens públicos, mas podem estar sujeitos a regras próprias do regime jurídico dos bens públicos, quando estiverem sendo utilizados na prestação de um serviço público. Classificação: a) Quanto à titularidade: - federais; - estaduais; - distritais; - municipais. b) Quanto à destinação: - bens de uso comum do povo: são aqueles destinados à utilização geral pelos indivíduos, em regra, gratuitamente. Ex.: ruas, praças etc. - bens de uso especial: são aqueles destinados à execução dos serviços administrativos e dos serviços públicos em geral. São os bens de propriedade das pessoas jurídicas de direito público utilizados para a prestação de serviços públicos. Ex.: quartéis, edifícios públicos etc. - bens dominicais: são os que não possuem uma destinação pública definida, que podem ser utilizados pelo Estado para fazer renda. Não se enquadram como de uso comum do povo e nem como de uso especial. Ex.: terras devolutas, terras sem destinação pública específica etc. c) Quanto à disponibilidade: - indisponíveis por natureza: são bens de natureza não patrimonial, e que, portanto, não podem ser alienados ou onerados. Ex.: bens de uso comum do povo. - patrimoniais indisponíveis: são bens que possuem valor patrimonial mas que não podem ser alienados porque são usados efetivamente pelo Estado para um fim específico. Ex.: bens de uso especial e os bens de uso comum susceptíveis de avaliação patrimonial. - patrimoniais disponíveis: são todos aqueles que possuem natureza patrimonial e, por não estarem afetados a certa finalidade pública, podem ser alienados, na forma e nas condições que a lei estabelecer. Características: - Inalienabilidade: os bens públicos de uso comum do povo e os bens de uso especial são inalienáveis, mas os bens dominicais podem ser objeto de alienação, obdecidos os requisitos legais; - Impenhorabilidade: os bens públicos são impenhoráveis; a satisfação dos créditos de terceiros contra a Fazenda Pública é realizada através de precatórios; - Imprescritibilidade: os bens públicos são insuscetíveis de aquisição mediante usucapião; - Não onerabilidade: os bens públicos não podem ser gravados como garantia em favor de terceiros. Afetação e desafetação: - Bem afetado: bem que está sendo utilizado para uma finalidade pública; quando perde a utilização há uma desafetação (transformação de bens de uso comum do povo e de uso especial em bens dominicais); - Bem desafetado: bem que não está sendo utilizado para uma finalidade pública; quando ganha uma utilidade pública há uma afetação. Principais espécies de bens públicos: - terras devolutas; - terrenos da marinha; - terrenos acrescidos; - terrenos reservados; - terras ocupadas pelos índios; - plataforma continental; - ilhas; - faixas de fronteiras; - águas públicas.

como regra. Pode ser rescindida nas hipóteses previstas em lei. precário e. Ex. . Pode ser revogada a qualquer tempo. sem direito à indenização. Pode ser outorgada concessão de direito real de uso de terrenos públicos ou do seu respectivo espaço aéreo. há licitação prévia. Não há licitação prévia. de forma remunerada ou gratuita. o uso do bem público é obrigatório. Após a autorização. o uso do bem público é facultativo. Ex. Interesse público e do particular podem ser equivalentes ou haver predomínio de um ou de outro. Entretanto. portanto. Não há precariedade. Após a concessão a utilização é obrigatória pelo particular. Necessita de licitação. . exige licitação prévia. mesmo não havendo contrato posteriormente. Após a permissão. precário e.permissão de uso de bem público: ato administrativo discricionário.concessão de direito real de uso de bem público: um contrato que confere ao particular um direito real resolúvel por prazo certo ou indeterminado. salvo se houver prazo determinado e seja revogado antes de findar esse prazo.Uso privativo de bens públicos por particulares: . com tipo de licitação maior lance ou oferta.: autorização de fechamento de uma rua para realização de festa junina.: permissão para banca de jornal. . Não pode ser transferida pelo particular a terceiro sem previsão contratual e anuência expressa da administração pública. sem previsão de prazo de duração. Equiponderância entre o interesse público e o do particular. salvo se houver prazo determinado e seja revogado antes de findar esse prazo.concessão de uso de bem público: é um contrato administrativo e que. Tem um prazo determinado. como regra. . sem previsão de prazo de duração. em regra na modalidade concorrência. Pode ser revogada a qualquer tempo. Interesse predominante do particular. sem direito à indenização.autorização de uso de bem público: ato administrativo discricionário.