You are on page 1of 4

projekt –

arquitetos associados

MEMORIAL DESCRITIVO
PROJETO DE ESGOTO SANITÁRIO PROPRIETÁRIO: SEC. DESENV. REGIONAL DE ITAPIRANGA OBRA: EDIFICAÇÃO INSTITUCIONAL RUA DA MATRIZ ESQ. SÃO BONIFÁCIO ITAPIRANGA, SC HEITOR KROTH ARQUITETO – CREA/SC 11.606-2 DEIVIS KIRSCH ARQUITETO – CREA/SC 65.042-5

RESP. TÉCNICOS:

1
Heitor Kroth – Arquiteto - CREA/SC 11.606-2 Deivis Kirsch – Arquiteto - CREA/SC 65.042-5 Rua São José, 168, 1º Andar, Centro Itapiranga – SC - Fone 49.3677.3724

O projeto foi elaborado visando coletar os despejos provenientes do uso da água para fins higiênicos e enviá-los após o tratamento para a rede pública de esgoto sanitário além de coletar e canalizar as águas pluviais para a rede pública específica. 2. 2. entre outros. ramais de esgoto. 2.2 Estrutura O esgoto gerado na edificação é captado em diversos pontos de ligação de equipamentos hidráulicos (vasos sanitários. 168. Centro Itapiranga – SC . detalhes de execução entre outros conforme normas técnicas da ABNT. 1º Andar.CREA/SC 11.projekt – MEMORIAL DESCRITIVO Projeto: Proprietário: Obra: Localização: Município: Área Total: 1. Após.3 Esgoto Sanitário Toda a instalação de esgoto será executada com tubulação e conexões de PVC Esgoto série normal. é pré-tratado na fossa séptica. SC 4. área de serviço). tubos de queda.221. 2. lavatórios) ou através de ralos (box de chuveiro. pias. Na seqüência o esgoto é canalizado pelos ramais secundários até os tubos de queda. sifões). instruções.3724 .042-5 Rua São José. fossa séptica.606-2 Deivis Kirsch – Arquiteto . No sistema também estão instalados tubos e colunas de ventilação que evitam o rompimento dos desconectores (sifões).Fone 49.81 m2 Objetivo Geral O memorial descritivo define o projeto das instalações sanitárias e pluviais. desconectores (ralos sifonados. arquitetos associados Projeto de Esgoto Sanitário Secretaria de Desenvolvimento Regional de Itapiranga Edificação Institucional Rua da Matriz esquina Rua São Bonifácio Itapiranga. 2 Heitor Kroth – Arquiteto . Finalmente o esgoto é canalizado até a rede pública de esgoto sanitário.CREA/SC 65.1 Instalações sanitárias Descrição As instalações hidráulicas sanitárias são compostas de tubulações.3677. caixas de passagem ou de gordura. caixas de passagens. especificações.

3. As caixas de águas pluviais terão grelhas metálicas de aço carbono com pintura epóxi. . As tampas serão de chapas metálicas de aço carbono com pintura epóxi ou de alumínio fixadas com parafusos de cabeça sextavadas e vedadas com mastique (Sikaflex).As caixas de inspeção serão executadas em alvenaria.2 Estrutura A água pluvial oriunda da laje de cobertura.Todas as tubulações horizontais de ventilação deverão ter caimento mínimo de 1% no sentido do escoamento do esgoto. especialmente quanto à previsão de dispositivos que permitam o acesso e inspeção à instalação.Fone 49. .Todas as extremidades das tubulações devem ser protegidas e vedadas durante a construção. . 3.As instalações deverão ser executadas de modo a permitir fáceis desobstruções. 168. evitando o depósito de água por condensação.Somente poderá ser permitida a instalação de tubulações que atravessem elementos estruturais quando previstas e detalhadas em projetos executivos de estrutura.Deverão ser tomadas precauções para dificultar a ocorrência de futuros entupimentos em razão de má utilização do sistema.projekt – 2.1 Instalações de água pluvial Descrição O projeto contempla a canalização da água pluvial para a rede pública específica e também o reuso de águas pluviais que está descrito no Memorial Descritivo do Projeto Hidráulico. .042-5 Rua São José.Para tubulações subterrâneas a altura mínima de recobrimento (livre) deverá ser de 50 cm sob leito de vias trafegáveis e 30 cm nos demais casos. . telhado e passeios. vedar a passagem de gases e animais das canalizações para o interior da edificação. 3. . rebocadas e impermeabilizadas internamente.CREA/SC 65. até a instalação definitiva dos aparelhos ou equipamentos. desce por tubos de queda pluvial e chega às caixas de passagem localizadas no pavimento Subsolo onde serão canalizadas até a rede pública.3677. não permitir vazamentos e formação de depósitos no interior das canalizações e impedir a contaminação de água de consumo e de gêneros alimentícios.CREA/SC 11.606-2 Deivis Kirsch – Arquiteto .As instalações e respectivos testes das tubulações deverão ser executados de acordo com as normas técnicas da ABNT. 3 Heitor Kroth – Arquiteto . Centro Itapiranga – SC . . 1º Andar. sendo que a tubulação deverá ser apoiada em toda s sua extensão em fundo de vala regular e nivelado de acordo com a declividade indicada.4 Recomendações Gerais arquitetos associados .3724 .

________________________ Sec. Centro Itapiranga – SC . 3.042-5 Rua São José.Fone 49. 168.3 arquitetos associados Esgoto Pluvial Toda a instalação de esgoto pluvial será executada com tubulação e conexões de PVC Esgoto série normal.4 Recomendações Gerais Ver item 2.3724 .CREA/SC 65.4. Reg. Itapiranga Proprietário ________________________ Responsável Técnico 4 Heitor Kroth – Arquiteto .CREA/SC 11.3677. Desenv.606-2 Deivis Kirsch – Arquiteto . 1º Andar.projekt – 3.