Brasília é a capital da República Federativa do Brasil e sua quarta maior cidade.

Na última contagem realizada pelo IBGE em 2008, sua população foi estimada em 2.557.158 de habitantes.[3] Brasília também possui o segundo maior PIB per capita do Brasil (34.510,00 reais) entre as capitais, superada apenas por Vitória (47.855,00 reais). [6] Está situada na Região Centro-Oeste. Inaugurada em 21 de abril de 1960, pelo então presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, Brasília é a terceira capital do Brasil, após Salvador e Rio de Janeiro. A transferência dos principais órgãos da administração federal para a nova capital foi progressiva, com a mudança das sedes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário federais. O plano urbanístico da capital, conhecido como "Plano Piloto", foi elaborado pelo urbanista Lúcio Costa, que, aproveitando o relevo da região, o adequou ao projeto do Lago Paranoá, concebido em 1893 pela Missão Cruls.[7] O lago armazena 600 milhões de metros cúbicos de água. Muitas das construções da Capital Federal foram projetadas pelo renomado arquiteto Oscar Niemeyer.

Geografia
Gráfico climático para Brasília J F M A M J J A S O N D

241

216 188 124

41 10 13 13 51 173 239

249

27 17

27 17

27 17

26 26 25 25 27 28 17 15 13 13 14 16

27 17

26 17

26 17

Temperaturas em °C • Precipitações em mm Fonte: Canal do Tempo

A Bandeira Nacional na Praça dos Três Poderes, com o Congresso Nacional ao fundo. Brasília se localiza a 15°50’16" sul, 47°42’48" oeste a uma altura de 1.000 a 1.200 metros acima do nível do mar no chamado Planalto Central, cujo relevo é na maior parte plano, apresentando algumas leves ondulações. Fauna predominantemente típica de cerrado. Em alguns lugares da cidade é possível observar-se espécies de gimnospermas, como os pinheiros e também diversos tipos de árvores provenientes de outros biomas brasileiros. As espécies não nativas da região têm sido retiradas pela empresa pública arborizadora da cidade, e substituídas por espécies nativas como ipês.

[editar] Clima
O clima é tropical de altitude, com um verão úmido e chuvoso e um inverno seco e relativamente frio. A temperatura média anual é de cerca de 21°C,[18] podendo chegar aos 29,7°C de média das máximas em setembro, e aos 12,5°C de média das mínimas nas madrugadas de inverno em julho. A mínima absoluta histórica foi de 1,6°C em 1975 (fonte: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) sendo acompanhada de uma geada. A máxima absoluta histórica foi de 35,8°C em 28 de outubro de 2008 (Fonte: Somar, Inmet). A temperatura, porém, varia de forma significativa nas áreas menos urbanizadas, onde a média das mínimas de inverno cai para cerca de 10°C a 5°C. A umidade relativa do ar é de aproximadamente 70%, podendo chegar aos 20% ou menos durante o inverno.

[editar] Vegetação

Ipê-do-cerrado na Esplanada dos ministérios. O Distrito federal é uma região que possui uma grande vegetação, reunindo 150 espécies. A maioria é nativa, típica do do Cerrado, e de porte médio, com altura de 15m a 25m. [19] Muitas são tombadas pelo Patrimônio Ecológico do Distrito Federal, para garantir sua preservação..[19] Algumas das principais espécies são as seguintes: pindaíba, paineira, ipê-roxo, ipê-amarelo, pau-brasil e buriti.[20] A preservação da vegetação no Distrito Federal é um tema preocupante, principalmente pela preocupação de conservar a flora original. O desmatamento provocado pela expansão da agricultura é um dos problemas enfrentados no Distrito Federal, sendo que, segundo a Unesco, desde sua criação, nos anos 1950, 57% da vegetação original não existe mais.[21] Para colaborar com a preservação, são realizados programas de concientização e de reformas estruturais para diminuir a degradação da vegetação e também da fauna e rios da região.[22]

[editar] Hidrografia

Vista do Lago Paranoá Ver página anexa: Rios do Distrito Federal Os rios do Distrito Federal estão bem supridos pelos lençóis freáticos, razão pela qual não secam no período de estiagem. [23] A fim de aumentar a quantidade de água disponível para a região, foi realizado o represamento de um dos rios da região, o rio Paranoá, para a construção de um lago artificial, o Lago Paranoá, que tem 40 quilômetros quadrados de extensão, profundidade máxima de 48 metros e cerca de 80 quilômetros de perímetro. O lago possui uma grande marina e é frequentado por praticantes de wakeboard e windsurf e pesca profissional.

Cultura

Museu Nacional Honestino Guimarães Os principais museus da cidade estão localizados no Eixo Monumental. O Panteão da Pátria Tancredo Neves, projetado por Oscar Niemeyer em forma de pomba e inaugurado em 1986 traz o Livro dos Heróis da Pátria com a história daqueles que teriam lutado pela união da nação. O Memorial JK apresenta diversos objetos pessoais (fotos, presentes, cartas) e o próprio túmulo do idealizador da cidade. O Memorial dos Povos Indígenas] tem como objetivo mostrar um pouco da riqueza das culturas indígenas nacionais. Recentemente, em 15 de dezembro de 2006, foi inaugurado o Complexo Cultural da República, um centro cultural localizado ao longo do Eixo Monumental, formado pela Biblioteca Nacional de Brasília e pelo Museu Nacional da República. A Biblioteca Nacional de Brasília ocupa uma área de 14.000 m², contando com salas de leitura e estudo, auditório e uma coleção de mais de 300.000 itens. O Museu Nacional da República é constituído por uma área de 14.500 m², dois auditórios com capacidade de 780 lugares e um laboratório. O espaço é usado principalmente para exibir arte exposições temporárias. composto pelo Museu Nacional Honestino Guimarães e pela Biblioteca Nacional Leonel de Moura Brizola. Fora do Eixo Monumental, existe ainda o Museu de Arte de Brasília que conta com exposição permanente voltada para a arte moderna e o Museu de Valores do Banco Central. No Setor de Diversões Norte, em forma de uma grande pirâmide irregular, está localizado o principal teatro da cidade, o Teatro Nacional Cláudio Santoro com três salas - Villa-Lobos, Martins Pena e Alberto Nepomuceno.

Teatro Nacional Cláudio Santoro Entretanto, é irregular a distribuição dos aparelhos culturais no Distrito Federal, como teatros e salas de cinema, altamente concentrados do Plano Piloto, o que dificulta o acesso da população mais carente, moradora da periferia de Brasília, a gozar livremente desses bens culturais.

Além disso, como a população de Brasília é formada por pessoas vindas de várias regiões do Brasil, isso se reflete no caráter diverso da cultura produzida na capital, abrangendo diferentes manifestações culturais em várias áreas. Em Barcelona, no dia 12 de dezembro de 2007, o Bureau Internacional de Capitais Culturais [47] nomeou Brasília como a Capital Americana da Cultura para o ano de 2008, sucedendo Cuzco. O Bureau promoveu uma votação popular que elegeu as sete maravilhas do Patrimônio Cultural Material de Brasília: a Catedral, o Congresso Nacional, o Palácio da Alvorada, o Palácio do Planalto, o Templo da Boa Vontade, o Santuário Dom Bosco e a Ponte JK. [48]

[editar] Monumentos e lugares históricos

O Eixo Monumental O Eixo Monumental é uma área aberta no centro de Brasília onde situa-se a Esplanada dos Ministérios. O gramado retangular da área é cercado por duas amplas pistas, que formam a principal avenida da cidade, onde muitos edifícios públicos, monumentos e memoriais estão localizados. Este é o corpo principal do "avião" que forma da cidade, como previsto por Lúcio Costa. O Eixo Monumental assemelha-se ao National Mall, em Washington, DC.

O edifício do Congresso Nacional do Brasil O Congresso Nacional do Brasil é bicameral, constituído pelo Senado do Brasil (câmara alta) e pela Câmara dos Deputados do Brasil (Câmara Baixa). Desde a década de 1960, o Congresso Nacional tem a sua sede em Brasília. Tal como acontece com a maioria dos edifícios oficiais na cidade, foi projetado por Oscar Niemeyer seguindo o estilo da arquitetura moderna brasileira. Vistas desde o Eixo Monumental, a calota à esquerda é a sede do Senado e a da direita é a sede da Câmara dos Deputados. Entre eles há duas torres de escritórios. O Congresso também ocupa em torno outros edifícios, alguns deles interligados por um túnel. O edifício principal está localizado no meio do Eixo Monumental, a principal avenida da capital. Na frente dele há um grande gramado e reflectindo um lago. O edifício está voltado para a Praça dos Três Poderes, onde o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal estão localizados.

O Palácio da Alvorada. O Palácio da Alvorada é a residência oficial do Presidente do Brasil. O palácio foi concebido por Oscar Niemeyer e foi inaugurado em 1958. Uma das primeiras estruturas construídas na nova capital da república, o "Alvorada" recai sobre uma península nas margens do Lago Paranoá. O espectador tem uma sensação de olhar para uma caixa de vidro, aterrada suavemente sobre o solo, com o apoio externo de finas colunas. O edifício tem uma área de 7000m² e três pisos: o térreo e o primeiro e segundo andar. O auditório, cozinha, lavanderia, centro médico, e a administração estão localizados no térreo. As salas utilizadas pela Presidência para recepções oficiais estão no primeiro andar. Há quatro suítes, dois apartamentos privados e de outras salas no segundo andar que é a parte residencial do palácio. O prédio tem também uma biblioteca, uma piscina olímpica aquecida, sala de música, duas salas de jantar e várias salas de reunião. Não é apenas por ser o primeiro prédio do Plano Piloto a se postar ante ao nascer do Sol que o palácio recebeu esse nome. Quando perguntado porquê batizara o palácio de "alvorada", o presidente Juscelino Kubitschek retrucou: "Que é Brasília, senão a alvorada de um novo dia para o Brasil?"

O Palácio do Planalto. Palácio do Planalto é o nome não oficial do Palácio dos Despachos. É o local onde está localizado o Gabinete do Presidente do Brasil. O prédio também abriga a Casa Civil, a Secretaria-Geral e o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. É a sede do Poder Executivo do Governo Federal brasileiro. O edifício está localizado na Praça dos Três Poderes em Brasília, tendo sido projetado por Oscar Niemeyer. O Palácio do Planalto faz parte do projeto do Plano Piloto da cidade e foi um dos primeiros edifícios construídos na capital. A construção do Palácio do Planalto, começou em 10 de julho de 1958 e obedeceu a projeto arquitetônico elaborado por Oscar Niemeyer em 1956. A obra foi concluída a tempo de tornar o Palácio o centro das festividades da inauguração da nova Capital, em 21 de abril de 1960. Até então a Presidência da República funcionava em uma construção provisória de madeira conhecida popularmente como Palácio do Catetinho, inaugurada em 31 de outubro de 1956, nos arredores de Brasília.

Palácio do Itamaraty O Palácio Itamaraty, também conhecido como Palácio dos Arcos, foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer no estilo modernista. O Palácio foi inaugurado em 21 de abril de 1970. É onde está localizado o Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE), um órgão do Poder Executivo, responsável pelo assessoramento do Presidente da República na formulação, desempenho e acompanhamento das relações do Brasil com outros países e organismos internacionais. Atualmente três edifícios compõem a sede do Ministério: o Palácio, o Anexo I e o Anexo II, conhecido popularmente como "Bolo de Noiva".

A ponte Juscelino Kubitschek. A Ponte Juscelino Kubitschek, também conhecida como Ponte JK, está situada em Brasília, ligando o Lago Sul, Paranoá e São Sebastião à parte central do Plano Piloto, através do Eixo Monumental, atravessando o Lago Paranoá. Inaugurada em 15 de dezembro de 2002, a estrutura da ponte tem um comprimento de travessia total de 1200 metros, largura de 24 metros com duas pistas, cada uma com três faixas de rolamento, duas passarelas nas laterais para uso de ciclistas e pedestres com 1,5 metros de largura e comprimento total dos vãos de 720 metros. Seu nome é uma homenagem à Juscelino Kubitschek de Oliveira, ex-presidente do Brasil. Ela foi projetada pelo arquiteto Alexandre Chan e estruturada pelo engenheiro Mário Vila Verde. Chan ganhou a Medalha Gustav Lindenthal por este projeto. A ponte é constituída por três arcos de aço assimétricos de 60 metros de altura que se cruzam em diagonal. Com um comprimento de 1.200 metros, foi concluída em 2002 a um custo de US$ 56,8 milhões.

A Praça dos Três Poderes. Em primeiro plano a escultura "Os Candangos" com o Palácio do Planalto ao fundo. A Praça dos Três Poderes é um amplo espaço aberto entre os três edifícios monumentais que representam os três poderes da República: o Palácio do Planalto (Executivo), o Supremo Tribunal Federal (Judiciário) e o Congresso Nacional (Legislativo). Como em quase todos os logradouros de Brasília, a parte urbanística foi idealizada por Lúcio Costa e as construções foram projetadas por Oscar Niemeyer. Localizada no extremo leste do Plano Piloto, a praça é um espaço aberto que mede aproximadamente 120 x 220 metros, de sorte que os prédios representativos dos poderes não se sobressaíssem um diante dos outros, em atenção ao princípio de que os poderes são harmônicos e independentes e, portanto, têm o mesmo peso. Além dos palácios, a Praça dos Três Poderes, inclui as esculturas Os Guerreiros, de Bruno Giorgi, considerado um símbolo de Brasília, e A Justiça, escultura de Alfredo Ceschiatti, em frente ao Supremo Tribunal Federal. Pode-se ver ainda a Pira da Pátria e o Marco Brasília, em homenagem ao ato da Unesco que considerou a cidade Patrimônio Cultural da Humanidade.

A Catedral de Brasília. A Catedral de Brasília na capital da República Federativa do Brasil, é uma obra do arquiteto Oscar Niemeyer. Em 12 de Setembro de 1958 foi lançada a pedra fundamental da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, mais conhecida como Catedral de Brasília, expressão artística do arquiteto Oscar Niemeyer. Teve sua estrutura pronta em 1960, onde aparecia somente a área circular de 70m de diâmetro da qual se elevam 16 colunas de concreto (pilares de secção parabólica), que pesam 90 toneladas. Em 31 de maio de 1970 foi inaugurada de fato, já nesta data com os vidros externos transparentes. Na praça de acesso ao templo, encontram-se quatro esculturas em bronze com três metros de altura, representando os evangelistas; as esculturas foram realizadas com o auxílio do escultor Dante Croce, em 1968. No interior da nave, estão as esculturas de três anjos, suspensos por cabos de aço.

[editar] Música
No final dos anos 1970 predominavam os ritmos regionais como o forró e a música sertaneja; nessa época despontava no grupo Secos e Molhados o cantor Ney Matogrosso, que fora profissional da área de saúde na capital federal. No começo dos anos 1980 surgiram várias bandas de rock vindas de Brasília que despontaram no cenário nacional, como Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude, todas com influência punk. Na mesma época, um carioca criado em Minas Gerais, Oswaldo Montenegro, se tornava conhecido na cidade, montando espetáculos de cujo elenco fazia parte Cássia Eller.

Interior de edifício do Complexo Cultural da República. Nesta mesma época surgiu, paralelamente ao cenário rock, o reggae de Renato Matos, e outros movimentos culturais que criaram o Projeto Cabeças, de onde surgiram vários artistas de Brasília. Na década seguinte, despontaram o hardcore dos Raimundos e o reggae do Natiruts. Alguns músicos e cantores que moraram em Brasília durante esse período foram Legião Urbana, Ney Matogrosso, Zélia Duncan e membros dos Paralamas do Sucesso. Atualmente, Brasília conta com o Festival Porão do Rock, [49] que tenta revelar novas bandas no cenário nacional. Este evento, lançado em 1998 na Concha Acústica a partir de um grupo de músicos que se reunia no subsolo de uma das quadras na Asa Norte, ganhou em 2000 sua primeira versão no estacionamento do Estádio Mané Garrincha onde é realizado desde então. Também é realizado na cidade anualmente o Brasília Music Festival. [50] Mais recentemente, o choro vem ganhando adeptos em Brasília, resultando na criação de clubes de choro [51] Brasília também tem se firmado no Hip Hop. A região administrativa Ceilândia é conhecida pela sua participação na produção da música Hip Hop com grupos como: Câmbio Negro, Viela 17, Tropa de Elite, entre outros. Nessa área se destacam os rappers como GOG. Nessa região está localizada a Casa do Cantador, projetada por Oscar Niemeyer.

[editar] Cinema

Patrícia Pillar, atriz brasiliense da Rede Globo. Na produção local de cinema, destaca-se o diretor Afonso Brazza, [52] que se tornou cult graças a seus filmes policiais de baixo orçamento. Outro cineasta radicado na capital do país e muito conhecido não só na cidade mas em todo país é o documentarista Vladimir Carvalho, professor de cinema da Universidade de Brasília, que produziu 21 filmes documentários, parte deles sobre a própria história e realidades sócio-cultural e política do Distrito Federal e Goiás. Além disso, acontece anualmente o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Realizado desde 1965, quando se chamava Semana do Cinema Brasileiro, firmou-se como um dos mais prestigiados do Brasil, sendo comparável ao Festival do Cinema Brasileiro de Gramado, porém sempre preservando a tradição de somente inscrever e premiar filmes brasileiros, princípio que nos momentos mais críticos da história cinematográfica brasileira foi abandonado por Gramado Alguns filmes brasileiros ambientados em Brasília são: O sonho não acabou, Momento Trágico, Palco dos Sonhos, As Vidas de Maria, Doces Poderes, Redentor, O Casamento de Louise, Celeste e Estrela, Brasília 18%, Vestibular 70, A Concepção, Brasília segundo Feldman, Brasília: contradições de uma cidade nova, Barra 68 e Conterrâneos Velhos de Guerra. Atores e atrizes como Patrícia Pillar, Maria Paula, Murilo Rosa, Rosanne Mulholland, Mateus Solano, Rafaela Mandelli e Rafael Almeida são nascidos na cidade.

[editar] Moda
No campo da moda, acontece a Capital Fashion Week, evento que segue o exemplo do São Paulo Fashion Week e tenta divulgar nacionalmente as marcas e modelos da região Centro-Oeste do Brasil e de Brasília. [53]

[editar] Esportes

Estádio Mané Garrincha O Distrito Federal é sede de dois clubes de futebol reconhecidos nacionalmente:[54][55] o Brasiliense Futebol Clube (de Taguatinga), e a Sociedade Esportiva do Gama (ou simplesmente Gama), que chegaram a participar da primeira divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol, sem contar que o Brasiliense chegou a ser vice-campeão da Copa do Brasil na edição de 2002.

Os principais estádios de futebol são o Estádio Mané Garrincha, o Serejão e o recem reformado Bezerrão. Brasília é uma das 12 cidades sede dos jogos da Copa do Mundo FIFA de 2014, da qual o Brasil será o anfitrião. O estádio a ser utilizado é o Mané Garrincha, que passará por uma grande reforma. [56] Ao lado do estádio se encontra o Ginásio Nilson Nelson, que já recebeu partidas da Seleção Brasileira de Vôlei e do Campeonato Mundial de Futsal de 2008. Brasília foi candidata à sede dos Jogos Olímpicos de Verão de 2000, mas teve sua candidatura retirada. [12] Por ser uma cidade localizada em altitude superior a 1000 metros do nivel do mar, Brasília tem revelado atletas de alto nível, corredores de fundo e meio fundo como: Joaquim Cruz e Hudson de Souza (800 e 1500 mts rasos); Carmem de Oliveira e Lucélia Peres (5000, 10.000 e maratona); Valdenor Pereira dos Santos (5000 e 10.000 mts); Marilson Gomes dos Santos (5000, 10.000, meia-maratona e marotona).

Politico
Introdução O IAB-DF pretende contribuir para um debate que leve à adoção de um modelo de estruturação urbanística para Brasília. Um modelo especifico e adequado às condições de uma aglomeração urbana que se estende além dos limites do DF. Um modelo compatível com a qualidade do Plano Piloto de Lucio Costa, mas diferenciado para se adequar às condições de uma realidade que já assumiu características metropolitanas. A proposta do PDOT, em processo de elaboração, apresenta indicações e proposições que caminham nesse sentido. O modelo, todavia, ainda não foi suficientemente definido. Vários componentes ainda precisam ser desenvolvidos, acompanhando o amadurecimento do debate que se quer provocar. Decorre daí a importância de indicação de alguns elementos que podem contribuir para uma estruturação urbana mais adequada do DF. Esse objetivo passa pela consideração de algumas exigências. A primeira delas consiste em uma urbanização mais compacta, a adoção de densidades urbanas relativamente altas e uma complementaridade funcional dos espaços urbanos. Outra é o fortalecimento e integração de funções urbanas, com uma maior densidade construtiva ao longo de corredores de transporte selecionados, mediante o uso inovador de instrumentos jurídicos e políticos adequados. Uma terceira é a Indicação de diretrizes para uma localização mais precisa de centros e áreas que polarizem atividades. É importante também o estabelecimento de parâmetros de qualificação do uso e integração dos setores funcionais da cidade e da hierarquização dos transportes públicos da metrópole. A última exigência é a definição das funções metropolitanas do Plano Piloto (núcleo urbano central) e das tendências ou vocações de cada núcleo urbano. Uma distribuição mais equilibrada dos empregos é um dos objetivos fundamentais desta exigência. Os problemas sociais e ambientais que Brasília enfrenta exigem um salto qualitativo. O avanço será alcançado com uma estrutura urbana menos dispersa mais compacta e sustentável. A adoção desse modelo, em seqüência ao projeto de Lucio Costa para o Plano Piloto, Patrimônio Cultural da Humanidade, atende às exigências da Urbs e da Civitas de Brasília.

Outro passo a ser dado é o da adoção de tecnologias brandas com o meio ambiente e um uso mais racional e menos perdulário dos recursos energéticos. Nesse sentido, é vital assegurar a disponibilidade de um sistema de transporte público, confortável e eficiente. Esse sistema deve se constituir como alternativa viável ao uso abusivo do automóvel. Planos urbanísticos não têm o dom de se constituírem, por eles mesmos, como solução para problemas sociais e econômicos. Entretanto, eles são imprescindíveis para o desenvolvimento da sociedade. Áreas urbanas novas ou já existentes não devem ser planejadas apenas como zonas dormitórios ou dedicadas a um único e exclusivo uso. Uma combinação equilibrada de usos do solo é necessária, tanto para desenvolvimento de atividades produtivas como para atendimento das necessidades da população. Um equacionamento das questões da cidade deve ser pensado a partir das necessidades e interesses de todos os segmentos da população. Famílias de diferentes grupos de renda bem como crianças, adolescentes, adultos, idosos e portadores de incapacitações, apresentam demandas especificas que não podem mais ser ignoradas. Por fim, sem desconsiderar dificuldades e obstáculos, deve-se também se caminhar no sentido da atenuação das grandes desigualdades sociais. A meta é um urbanismo sem fronteiras sociais rígidas e a construção de uma cidade sem guetos. Um urbanismo que considere a possibilidade factível da oferta de moradia, em uma mesma área, para diferentes grupos familiares, etários e de renda. A convivência de diferentes grupos sociais enriquece e vitaliza a sociedade. Uma maior interação cotidiana dos vários segmentos da população contribuirá para o florescimento da cidadania e dos valores republicanos. A cidade é o domínio físico necessário para o desenvolvimento de uma comunidade coerente. O urbanismo é um importante elemento de construção da cidadania. Implica em direitos a serem defendidos, mas está também associado a deveres e responsabilidades a serem assumidos por todos.

Economia

Edifícios modernos no plano piloto de Brasília. Além de ser centro político, Brasília é um importante centro econômico. A cidade é a 3ª mais rica do Brasil, exibindo um Produto Interno Bruto (PIB) de 80,5 bilhões de reais, o que representa 3,75 % de todo o PIB brasileiro. [30] A principal atividade econômica da capital federal resulta de sua função administrativa. Por isso seu planejamento industrial é estudado com muito cuidado pelo Governo do

Distrito Federal. Por ser uma cidade tombada pela Unesco, o governo de Brasília tem optado em incentivar o desenvolvimento de indústrias não poluentes como a de softwares, do cinema, vídeo, gemologia, entre outras, com ênfase na preservação ambiental e na manutenção do equilíbrio ecológico, preservando o patrimônio da cidade.

Fachada do Brasília Shopping. A economia de Brasília sempre teve como principais bases a construção civil e o varejo. [31] foi construída em terreno totalmente livre, por tanto ainda existem muitos espaços nos quais se podem construir novos edificios. A medida que a cidade recebe novos moradores a demanda do setor terciário aumenta, pelo qual Brasília tem uma grande quantidade de lojas, com destaque para o Shopping Conjunto Nacional, localizado no centro do Plano Piloto. A agricultura e a avicultura ocupam lugar de destaque na economia brasiliense. Um cinturão verde na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno abastece a cidade e já exporta alimentos para outros locais. O Plano Piloto de Brasília está situado, hoje, entre as áreas urbanas de maiores índices de renda "per capita" do Brasil.[32]

Religião

A principal área de lazer do Distrito Federal

A cidade de Brasília é um símbolo de progresso e modernidade. Mas a apenas 10km da capital na está uma importante área de preservação ambiental: o Parque Nacional de Brasília. A área preserva uma gr quantidade de espécies animais e vegetais típicas do cerrado, um dos ecossistemas mais ameaçados do país também nascem os principais rios que abastecem as cidades da região. Além disso, o parque é a principal á lazer do Distrito Federal.

O Parque Nacional de Brasília surgiu no contexto da construção da cidade de Brasília como nova capital d Brasil, na década de 60. Os 30.000 hectares do parque, criado em 1961, protegem uma importante amostra cerrado. Aspectos culturais e históricos

Durante o ciclo do ouro, as extrações feitas na região de Pirenópolis eram transportadas para o litoral baian passando pelo interior do Parque, onde havia a "contagem", hoje nome dado a chapada existente no Parque Aspectos Naturais

A área abriga as nascentes dos rios Torto e Bananal que formam a Barragem de Santa Maria, que abastece Plano-Piloto com água potável. Mas apesar disso, grande parte da água corre em lençóis profundos, deixan local seco durante quatro meses por ano.

É uma importante reserva de cerrado, com mais de 700 espécies de vegetais e outras centenas de animais. D as plantas destacam-se o jacarandá-do-mato, o pequizeiro, o buriti, a guariroba e os ipês roxo e amarelo.

Refúgio de diversos animais, o parque abriga espécies ameaçadas de extinção como o lobo-guará, o tatu-bo tamanduá-bandeira. Além destes podem ainda ser encontrados veados, sagüis, tapetis, cachorros-do-mato, tucanos. Clima

O clima predominante é o tropical, caracterizado por um inverno seco e frio e um verão úmido e quente. C ter uma temperatura média anual de 21 graus, onde são mais elevadas no mês de outubro. Durante o invern chega a 18 graus.

Atrações

A principal atração do parque são as piscinas (01 e 02) formadas a partir dos poços d’água, que surgiram à margens do Córrego Acampamento, pela extração de areia feita antes da implantação da nova Capital do B (Brasília). Além disso, dispõem de duas trilhas de pequena dificuldade: a da Capivara com duração de 20 m e a do Cristal Água cujo trajeto pode ser percorrido em 1 hora. O Centro de Visitantes oferece caminhadas programadas. A melhor época para visitação vai de maio a outubro. A unidade é aberta diariamente à visita 8:00 às 16:00 hs. Infra-estrutura

O parque possui centro de visitantes (com sala de exposição, museu, laboratório, auditório p/ 40 pessoas e biblioteca) A área das piscinas conta com: lanchonetes, banheiros, postos de atendimento médico, vestiário palhoças. Objetivos específicos da unidade

Evitar a predação dos mamíferos; preservar amostra típica do ecossistema Cerrado do Planalto Central; gar preservação dos mananciais hídricos que servem de fonte de abastecimento de água para Brasília e promov recreação e o lazer dentro das dependências do Parque. Decreto e data de criação Foi criado pelo Decreto n.º 241 de 29.11.1961 - Decreto s/n de 03.06.2004 Redefine os limites do Parque