silvio lemos meira

silvio@cesar.org.br
g1.globo.com/silviomeira

video on demand

faz sentido?...
4GB/filme ≈ 40Gb 40.000.000.000b 1.000.000b/s 40.000s

substituir
MOTOBOY
PNS-MOTO

informaticidade

convergência digital

comunicação móvel: uma idéia MUITO antiga

THE AUTO RADIOPHONE By A. H. GREBE, Expert Radio Constructor Radio Amateur News, August, 1919, pp. 58-59
http://earlyradiohistory.us/1919auto.htm

prever o futuro: desde ‘1919’, uma ocupação arriscada…
POCKET WIRELESS SOON,
PREDICTS MARCONI OFFICIAL. Godfrey Issacs says the English Marconi company, of which he is managing director, expects to have a commercial service of wireless telephones in operation in New York and London early next year…

…Isaacs foresees the day, not far distant, when pocket wireless telephones will be in wide use. A business man's secretary, walking along the street, Isaacs says, will hear a bell ring in his pocket, will put a receiver to his ear and hear "his master's voice" give him instructions, probably from an airplane hundreds of miles away.
The Daily Mail says that the British government probably will compel all commercial airplanes and airships to carry wireless telephone or telegraph equipment. Larger machines of both types may be compelled to carry both.

Electrical Experimenter, August, 1919, pp. 372, http://earlyradiohistory.us/1919bwtp.htm

modelo geral para “comunicações”… infra-estrutura, serviços, aplicações
aplicações
a única aplicação, quando dava, era comunicação remota, verbal

serviços

o serviço, único, era transmissão e recepção de voz

infra-estrutura
no caso dos primeiros “rádios móveis” a infra-estrutura era eletricidade, rádio, antena… um carro, um certo uso de freqüência…e muita coragem pra achar que aquilo tudo ia funcionar…

1982: móvel, mas não celular livermore lap 2000

Livermore Data System model LAP-2000, circa 1982. Self contained mobile telephony before cellular. Unit weighs 18 pounds, has only 11 channels, puts out 30 watts, and measures battery life in minutes. Today's mobiles weigh a half pound or less, can work a thousand frequencies, often use less than a watt to reach the base station, and can go for days on a charge. Few cities had 11 channels operating, most small cities just one, San Francisco four, Los Angeles thirteen. Long waits to make calls were common yet demand so great that multi-year waiting lists existed in every major city…
http://www.privateline.com/IMTS/briefcase2.htm

e nada como namorar, pelo telefone móvel, da piscina…

mas que tal o agente 86… falando com o “chefe”, em 65!

em… Satan Place Airdate: Saturday, November 13, 1965, 8:30PM Writers: Stan Burns and Mike Marmer Director: Frank McDonald ... This episode also sets a record for using the most different types of phones, with Max using six different phones in one scene –

http://www.hmss.com/otherspies/getsmart/

shoe, wallet, eyeglasses, tie, handkerchef, belt, and garter.
http://www.wouldyoubelieve.com/episodes.html

SAMSUNG SPH-P9000 MOBILE INFORMATION TERMINAL

que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968]

The Internet technology will be everywhere.

que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968]

It will be always accessible.

que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968]

que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968]

Anyone will be able to plug in from any location with any device at any time

que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968]

que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968]

1. everywhere, 2. always accessible, 3. always on, 4. any location, device, time... 5. and... invisible.

por que deu CERTO?

comunicação e interação rápida, barata, fácil, ampla. entre seres humanos.

BEST EFFORT

que características BOAS, HOJE?

ninguém controla

que características BOAS, HOJE?

ninguém desliga

que características BOAS, HOJE?

serve a TODOS...

que características BOAS, HOJE?

é uma rede ABERTA

que características BOAS, HOJE?

MEIO... para COMPARTILHAR idéias e TRABALHO

que características BOAS, HOJE?

diversifica-se CADA VEZ MAIS

que características BOAS, HOJE?

[NÃO] está se CENTRALIZANDO

que características BOAS, HOJE?

que características BOAS, HOJE?

está SEMPRE LIGADA

que características BOAS, HOJE?

que características BOAS, HOJE?

é um MOTOR de INOVAÇÃO

que características BOAS, HOJE?

que características BOAS, HOJE?

é um MEIO de EXPRESSÃO

que características BOAS, HOJE?

é uma MÁQUINA de PUBLICAR...

que características BOAS, HOJE?

é um CONECTOR de COMUNIDADES

que características BOAS, HOJE?

é uma LINGUAGEM de PROGRAMAÇÃO

o que não deu certo?

alguns formatos..., spam, vírus, worms, invasões, roubo, pornografia...

convergência digital fixo. móvel. rede... qualquer coisa.

a rede é de informação

e tudo é informação

Three hundred years of technology came to an end after World War II. During those three centuries the model for

technology was a mechanical one: the events that go on inside a star such as the sun.
This period began when an otherwise almost unknown French physicist, Denis Papin, envisaged the steam engine around 1680.
Peter Drucker, 1984

They ended when we replicated in the nuclear explosion the events inside a star. For these three centuries advance in technology meant —as it does in mechanical processes— more speed, higher temperatures, higher pressures.
Peter Drucker, 1984

Since the end of World War II, however, the model of technology has become the biological process, the events inside an organism. And in an organism, processes are not organized around energy in the physicist’s meaning of the term...

They are organized around information. Peter Drucker, 1984

tudo é informação

Wealth in this new regime [of information...] flows directly from innovation, not optimization. That is, wealth is not gained by perfecting the known, but by imperfectly seizing the unknown.
Kevin Kelly, New Rules for the New Economy

inovação...
ideal inconsistente incompleto, imperfeito, impermanente.
eu mesmo

isso parece muito com a definição de SOFTWARE!

como chegamos lá?

cada vez mais informação...
2002+2003 = 36.000.000.000.000.000.000 = 36 quintilhões de letras!!!

e… TEMOS que processar informação tudo o que vale a pena ser entendido sobre um sistema complexo pode ser entendido em termos de como tal sistema processa informação...
Seth Lloyd, "Ultimate Physical Limits to Computation", Nature, vol. 406, no. 6788, 31/08/2000, pp. 1047-1054

o universo é seu próprio computador...
e desde o big bang até aqui...

houve no máximo 10120 operações sobre no máximo 10120 bits!...
Lloyd, S: Computational capacity of the Universe. Phys. Rev. Lett., 88, 237901, (2002).

história da humanidade = história da informação

DNA

DNA, 3.6 bilhões de anos atrás RNA, 3.8 bilhões de anos atrás

CÉREBROS

100 BILHÕES DE NEURÔNIOS 100 PETA instruções/segundo 100.000.000.000.000.000 ips

FERRAMENTAS

GONA, ETIÓPIA, 2.5 milhões de anos

TEXTOS

software: DNA para máquinas receitas estão para cozinhas assim como software está para hardware

dna cérebros ferramentas textos software

IEEE Computer, Set 1999

Year 1993 1994 1996 2000 2002 2007

Operating System Windows NT 3.1 Windows NT 3.5 Windows NT 4.0 Windows 2000 Windows XP Windows Vista

MSLOC 6 10 16 29 40 50

http://en.wikipedia.org/wiki/Source_lines_of_code

Operating System Red Hat Linux 6.2 Red Hat Linux 7.1 Debian 2.2 Debian 3.0 Debian 3.1 Sun Solaris Linux Kernel 2.6.0

MSLOC 17 30 56 104 213 7.5 6.0

o futuro vem do futuro!

« APRENDIZADO

kolb tipo 1: trazendo o passado para o presente...

APRENDIZADO

tipo 2: trazendo o FUTURO para o presente...

resposta a mudanças...

aprendizado e FORMAÇÃO de REALIDADE

o futuro vem do futuro!

nos últimos 50 anos... o mundo ficou realmente VIRTUAL e dependente de SOFTWARE

SOFTWARE
muda tudo... e cria

KPMG/NASSCOM

KPMG/NASSCOM

e tudo isso tem suas CONSEQÜÊNCIAS

como chegamos AQUI?

gerações da informática

primeira: atrás do balcão

segunda: no balcão

terceira: depois do balcão

quarta: em VOCÊ

quinta:?... em tudo, em todos, em todo lugar...

por enquanto...

que parte do futuro está acontecendo AGORA?

isso não é nada...

Software as a Service

Marc Benioff, CEO, Salesforce.com

a competição é a SAP?...

acho que não

há muito mais

Amazon Mechanical Turk
API to Human Intelligence Paid Internet-scale workforce

AWIS – Alexa Web Information Service
Data warehouse access for web crawl data

AHP – Amazon Historical Pricing
Data warehouse access for product pricing

AWSP – Alexa Web Search Platform
Roll your own search engine

SQS – Simple Queue Service
IT building block

ECS – E-Commerce Service
Direct access to Amazon’s product catalog

Alexa Top Sites
Top sites by Alexa traffic rank

Amazon S3 – Simple Storage Service
Storage for the Internet

coisas que possibilitam...

e...

e daí?...

inovação...
ideal inconsistente incompleto, imperfeito, impermanente.
eu mesmo

convergência digital

webS

telefonia radio TV emeio

aplicações serviços infra-estrutura

no presente...

in 2005... the number of people using mobiles for internet access exceeded personal computer users in Japan. According to government data, 80 per cent of e-commerce by teenagers aged 15-19 was done on mobiles in 2005.
cnet.jp, set/2006

We are half way through a 60 year journey from an analog world to a digital one, which started in 1980 with the PC... The first 30 years have been about driving technology into the enterprise. The next 30 years will see technology reaching every individual, in every part of society.. and will in turn have a huge impact on the way businesses operate.
Steve Prentice, chief of research at Gartner Inc, CeBIT, 03/06

estratégia de informação

uma estratégia de informação define as necessidades informacionais da organização, garante que haverá recursos informacionais, devidamente organizados e administrados, para atender tais necessidades e aplica tecnologias da informação e comunicação para o efetivo armazenamento, recuperação, distribuição, comunicação e segurança da informação.
Tom Wilson, Högskolan i Borås, .SE

ciclo de vida de informação
captura
armazenamento
privacidade consistência segurança

recuperação
distribuição apresentação terminação

preservação

processamento transformação
análise relacionamento visualização

silvio lemos meira
silvio@cesar.org.br
g1.globo.com/silviomeira