You are on page 1of 4

TEORIA DA EVOLUÇÃO

A Origem do Pensamento Evolutivo

TEORIA DA EVOLUÇÃO A Origem do Pensamento Evolutivo S S é é c c X X

SSéécc XXVVIIII Teoria do Préformacionismo:

as células sexuais continham a miniatura de um adulto.

as células sexuais continham a miniatura de um adulto. Teoria da Epigenesis: as estruturas surgiam “de

Teoria da Epigenesis:

as estruturas surgiam “de novo” durante o desenvolvimento embrionário.

Séc. XVIII / XIX Teoria Fixista:

a criação é perfeita, permanente e imutável (Carolus Linnaeus).

é perfeita, permanente e imutável (Carolus Linnaeus). Séc. XIX Geração Espontânea: as formas de vida inferior

Séc. XIX Geração Espontânea:

as formas de vida inferior surgem da matéria inanimada (Jean-Baptiste de Lamarck).

1831 – 1836: viagem de Charles Darwin a bordo do Beagle. 1838: ensaio de Thomas Malthus.

1808: descoberta do átomo (John Dalton). 1830: Teoria celular (M. Schleiden e T. Scwann):

a idéia da geração espontânea já havia sido refutada por Redi, Spallanzani e Pasteur.

já havia sido refutada por Redi, Spallanzani e Pasteur. ● 1858: recebe o manuscrito de A.R.
já havia sido refutada por Redi, Spallanzani e Pasteur. ● 1858: recebe o manuscrito de A.R.

1858: recebe o manuscrito de A.R. Wallace. 1859: publicou The Origin of Species by Means of Natural Selection

Séc. XX

1900:

descoberta das Leis de Mendel.

1936/1937: Teoria Neodarwinista

Introdução:

A evolução biológica é o conjunto de transformações adaptativas que ocorrem ao longo do tempo nos seres vivos. Embora sugerida no século XVIII, cristalizou-se somente em 1859 com a publicação do livro A origem das espécies. O autor, Charles Robert Darwin, apresenta uma grande quantidade de evidências a favor do fato evolutivo e sugere um mecanismo – Seleção Natural – pelo qual ela ocorreria. Nos últimos 100 anos, a idéia da evolução das espécies foi reforçada pelos avanços da genética, levando os cientistas a acreditar que a diversidade biológica surgiu, principalmente, por mutações em organismos primitivos e recombinação.

Princípios básicos contidos na Teoria da Evolução de Darwin:

1)

Princípio da variação:

Em qualquer população há variação morfológica, fisiológica e comportamental entre os indivíduos.

2) Princípio da hereditariedade:

Os filhotes assemelham-se mais aos pais do que a indivíduos não relacionados.

3) Princípio da seleção:

Algumas formas são mais bem sucedidas na sobrevivência e na reprodução do que outras em um dado ambiente.

Disciplinas que comprovam as bases da Evolução:

A) Biogeografia:

Ciência que estuda os diferentes padrões de distribuição dos animais e plantas. Para tanto busca reconstruir estes padrões, unindo a história da Terra em diferentes escalas espaciais e temporais à história das formas dos seres vivos, ou seja, busca entender como se processaram as modificações morfológicas de animais e plantas, quais as suas causas e como isso aparece refletido no espaço geográfico.

B) Paleontologia:

Ciência que estuda os animais e os vegetais fósseis.

C) Embriologia:

Estuda o desenvolvimento dos organismos. Compreende exames descritivos, comparações de várias espécies em estágios diferentes, assim como a análise experimental dos mecanismos que controlam e coordenam o desenvolvimento.

D) Morfologia:

Consiste

na

descrição

e

particular da superfície do corpo.

no

estudo

de

características

estruturais,

em

Evidências da Evolução:

Homologia:

Semelhança entre estruturas de diferentes organismos devido à mesma origem embrionária. As estruturas podem ou não exercer a mesma função. A homologia sugere ancestralidade comum, mas não grau de proximidade. O processo evolutivo que conduz à homologia dos órgãos é a irradiação adaptativa.

Irradiação adaptativa:

 

Diferenciação

de

organismos

a

partir

de

um

ancestral

comum

como

conseqüência de isolamento geográfico.

 

Evolução convergente:

Adaptação

de

diferentes

organismos

a

uma

condição

ecológica

igual.

Exemplo: aves e morcegos adaptados ao vôo.

Analogia:

Semelhança morfológica entre as estruturas de diferentes organismos devido

à adaptação a uma mesma função. Essas estruturas apresentam origem embrionária

distinta. O golfinho e o tubarão são espécies não-relacionadas que apresentam corpo fusiforme, adaptado à natação, com membros anteriores e posteriores em forma de nadadeira. O processo evolutivo que conduz à analogia dos órgãos é a evolução convergente.

Órgãos vestigiais:

função

apresentam-se maiores e funcionais em outros.

Podem

ser

reduzidos

e

sem

em

alguns

organismos,

enquanto

Teoria Neo-Darwinista (Síntese Moderna ou Síntese Evolutiva):

As características adquiridas não são herdáveis.

A variação dentro e entre raças geográficas tem base genética. Algumas formas são adaptadas.

As espécies não são apenas tipos morfológicos, mas populações variáveis isoladas reprodutivamente de outras populações.

Além da seleção natural, o endocruzamento, o fluxo gênico e os efeitos ao acaso (deriva genética) poderiam ocasionar mudanças evolutivas.

Princípios fundamentais da Síntese Moderna:

As populações contém variações genéticas que surgem por mutação ao acaso

e recombinação.

As populações evoluem por mudanças nas freqüências gênicas trazidas pela

deriva genética aleatória, pelo fluxo gênico e, especialmente, pela seleção natural.

A diversificação surge através da especiação que acarreta o isolamento

reprodutivo, originando mudanças que facultam na designação de diferentes níveis taxonômicos.

Importância do conhecimento da estrutura do DNA para a Teoria da Evolução:

O conhecimento da estrutura do DNA em 1953, revelado por Watson e Crick, forneceu uma compreensão da natureza da mutação e da variação genética.

A deriva genética foi estabelecida como a principal mudança evolutiva juntamente com a seleção natural.

O conceito de seleção natural foi expandido: sobrevivência dos genes, grupos de parentes, populações e espécies.

Referências bibliográficas:

Embriologia de los animales domésticos – Drew M. Noden e Alexander de Lahunta – Editorial Acribia, S.A. – 1990

Populações, espécies e evolução – Ernst Mayr – Editora da Universidade de São Paulo – 1977

Genética – George W. Burns e Paul J. Bottino – Editora Guanabara Koogan –

1991

Biologia de olho no mundo do trabalho – Sídio Machado – Editora Scipione -

2003