8 e 9 de junho de 2012 ISSN 1984-9354

LOGISTICA REVERSA DE EMBALAGENS DE AGROTOXICOS: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE PATOS-MG
Wederson Miranda Melo (CESG) José Aurélio Vilas Boas (UBM) Ronaldo Dias Corrêa (UBM) Dário Moreira Pinto Junior (UB,)

Resumo A presente pesquisa possibilitou observar que na micro-região de Patos de Minas, as dificuldades de aplicação e execução da logística reversa. Entre as principais dificuldades encontradas na região, destaca-se a falta de intimidade com o teermo. A logística reversa de embalagens de agrotóxicos apresenta crescimento significativo na micro-região, até porque é de conhecimento a obrigatoriedade de retorno destes produtos. É uma região onde o agronegócio é predominante. Tem-se a necessidade de destinar corretamente as embalagens dos produtos fitossanitários utilizados nestas atividades, de modo que sociedade e meio ambiente fiquem seguros em relação aos riscos por eles oferecidos. A região objeto do estudo em questão é de destaque com relação ao item reciclagem como comprovado no trabalho. Conclui-se que, além da obrigatoriedade, a busca por se tornar ecologicamente correto é o principal fator motivacional para a implantação da reciclagem de embalagens de agrotóxicos, o que possibilita, entre tantos outros fatores, a preservação do meio ambiente. Palavras-chaves: logística reversa, embalagens, agrotóxicos

ao final de sua vida útil. para que as gerações futuras possam desfrutar das riquezas naturais até então exploradas sem muita cautela. Portanto. Para o consumidor investir em bens que. mesmo que se pague mais caro por isso. através de uma destinação final apropriada (MULLER. advinda geralmente dos bens de pós-consumo que. 2006). Entre os principais problemas ambientais merece destaque a poluição visual causada pela quantidade exagerada de "lixo" produzida em todo o mundo. INTRODUÇÃO Os problemas ambientais observados hoje. observado em todos os segmentos de mercado. gerando resíduos que normalmente são descartados.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 1. além de investir em sustentabilidade. além do desmatamento para implantação de indústrias. Para as organizações. o que ocasiona a obsolescência dos produtos. 2010). Observa-se. a situação desperta a sociedade e diversas organizações na busca de estratégias ambientais corretas que contribuam para a preservação do meio ambiente (BARBIERI. é uma estratégia de preservação. empresários e políticos buscam alternativas ecologicamente corretas. são rejeitados. cada vez mais. responsabilidade social e ambiental. nos últimos tempos. de modo que os impactos causados ao meio ambiente sejam reduzidos. que permite. É devido a este crescimento tecnológico que os produtos apresentam. com suas atividades. um ciclo de vida útil reduzido. Na tentativa de contornar a situação. um acelerado desenvolvimento tecnológico que não para de crescer. preocupadas com sustentabilidade. toneladas de resíduos sólidos serem retiradas do canal de distribuição ou da natureza. em parte são consequências da Revolução Industrial. sem os devidos cuidados. uma das melhores alternativas para sua imagem corporativa é o gerenciamento da logística reversa. cidadãos. em seu ciclo produtivo não agridam o meio ambiente e/ou em marcas que desenvolvam um modelo de sustentabilidade. em qualquer lugar no meio ambiente. 2 . uma crescente obsolescência e a descartabilidade dos produtos e o interesse das empresas em alterar suas estratégias. e nem sempre de forma correta. que trouxe consigo.

os custos do transporte variam muito de acordo com o modal utilizado conforme mostra o quadro 1 (BALLOU. se o transportador é proprietário do veículo. A partir dessas opções. REVISÃO DA LITERATURA É feito uma revisão na literatura com relação aos diferentes modais de transporte e as embalagens de agrotóxicos de um modo geral. como de embarque na origem. 2. Para o embarcador. 2. Vale destacar que.19 0. No entanto. E é influenciado por duas variáveis: trajeto percorrido entre os pontos de produção/centro de distribuição e de consumo e tempo necessário para percorrer a distância e disponibilizar o produto para consumo (BOWERSOX. pois normalmente absorve de um a dois terços desses custos. a taxa cobrada pela movimentação. Para atender a essas necessidades.1 TRANSPORTE É responsável pela maior parte dos custos logísticos.46 3 . os custos surgem em itens como combustíveis. representam o total de custos do serviço. o usuário seleciona um serviço ou faz uma combinação entre eles para atender suas expectativas quanto à qualidade e custos. entrega no destino e seguros. aeroviário e dutoviário. existem cinco tipos básicos de transporte: hidroviário. Quando se trata de serviço alugado. 2006). depreciação dos equipamentos e custos administrativos. rodoviário.28 26. É uma atividade importante porque não há empresa capaz de operar sem movimentação de matérias-primas ou produtos acabados. 2001). ferroviário.74 1. mais taxas adicionais. o custo do transporte é a soma da taxa da linha de transporte dos produtos com as despesas adicionais cobradas por serviços. Quadro 1 .VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 A logística reversa é o caminho que as organizações têm usado para competir no mercado cada vez mais responsável pelo meio ambiente e procura minimizar os impactos causados pelos descartes de produtos inutilizados.preço conforme modal de transporte por tonelada transportada por milha MODAL Ferroviário Rodoviário Hidroviário Dutoviário US$/ton/milha 2.

Não muito viável em relação ao tempo de entrega e quanto a perdas e danos dos produtos embarcados. e é feito na modalidade carga completa. o aéreo é o que apresenta preço mais alto e o rodoviário é aproximadamente 11 vezes mais caro que o ferroviário. É um dos modais que possui menor custo fixo dentre todos os transportadores. o modal ferroviário oferece algumas vantagens aos embarcadores. 2001). Em contraste com as ferrovias. entre outros.2 Pode-se verificar que os modais hidroviário e dutoviário são os mais baratos. mas proporciona entrega razoavelmente rápida e confiável (CAIXETA FILHO. madeira. O veículo representa uma unidade econômica e as atividades em terminais não exigem equipamentos caros. Já os custos variáveis tendem a ser elevados. Oferece serviço privado ou contratado. pois as empresas não são donas das rodovias nas quais operam. que reflete em menor tempo de operação com embarque. florestais. Portanto. desde o transporte de granéis até vagões refrigerados. escalas que permitem carga e descarga parciais em pontos diferentes. Este tipo de modal normalmente é utilizado para transportar carvão. é importante que cada embarcador analise os custos de cada modal e escolha aquele que atenda suas necessidades ao menor custo possível. desde o transporte de graneis até vagões especiais para produtos refrigerados".VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 Aeroviário Fonte: Ronald H. devido às normas de segurança rodoviárias. commodities. já que está terceirizando o serviço. Ballou 61. as cargas rodoviárias possuem menor porte. como heterogeneidade de serviços especiais. alimentos. Modal Rodoviário É utilizado para o transporte de quase todos os tipos de produtos: matérias primas. produtos químicos. que determinam as dimensões e o peso dos fretes. Não tem capacidade de transportar todos os tipos de carga. É um transporte de longo curso e baixa velocidade. papel. pois os custos de construção e manutenção das estradas são 4 . Modal Ferroviário Segundo Ballou (2006): "as ferrovias oferecem uma diversidade de serviços especiais ao embarcador. A principal vantagem é o serviço de entrega porta-a-porta. Nesse último o embarcador não se preocupa com despesas e problemas administrativos. oferecendo uma maior comodidade ao consumidor. já que esse tipo de carga movimenta grandes volumes. produtos acabados.

condições climáticas e congestionamento de trafego é extremamente sensível (ALVARENGA & NOVAES. Esse tipo de modal é mais utilizado no transporte de cargas especiais. Modal Aeroviário A maior atratividade do transporte aéreo é a sua agilidade origem/destino. em lagos e tem como predicado a união de cidades e países vizinhos.2 ARMAZENAGEM 5 . principalmente se o ponto de entrega for distante. mas a movimentação dos produtos é muito lenta. pois transportam produtos de alto volume e preço reduzido. é um tipo bem restrito de transporte. Modal Dutoviário Os serviços e capacidade deste modal são ainda limitados. Modal Hidroviário Apresenta três modalidades: marítima (costas oceânicas). Por possuir poucos lagos navegáveis. quando ocorrem. mas em relação à manutenção mecânica. areia e cereais. Para ser competitivo. É o que possui maior custo. É uma forma segura de transporte: danos e perdas dos produtos são quase nulos e. É de menor custo e onde perdas e danos são irrelevantes. fluvial (rios) lacustre. há responsáveis. Em relação aos custos. As empresas têm a propriedade do duto. o transporte dutoviário precisa transportar altos volumes. petróleo cru e seus derivados são os produtos mais viáveis ao transporte por dutos. Os serviços de transporte hidroviário é limitado por vários motivos: a quantidade de vias aquáticas. 2000). É classificado quanto à confiabilidade e disponibilidade como uma das melhores opções de transporte. terminais e equipamentos de bombeamento. O modal hidroviário é um dos mais antigos e transporta cargas volumosas. A capacidade deste meio de transporte é alta.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 repassados aos usuários na forma de impostos sobre combustíveis. melhor tempo de entrega e um dos mais seguros. o transporte por esse modal é comparável ao ferroviário. já que os dutos possuem normalmente status de transportadores comuns. Gases. realizado. 2. como carvão. pedágios e taxas peso/milhagem. Possuem custos fixos altos e os principais custos variáveis são com energia e os relacionados às operações de bombeamento. a necessidade de outro modal para levar as cargas ao local de embarque (intermodalidade) e por ser um meio de transporte lento.

Não se pode em hipótese nenhuma falar em logística. como. e separação dos pedidos. "as embalagens exercem um papel importante no processo logístico. principalmente a fim de proteger a mercadoria até o consumo final. aquela que protege a primária. onde estocagem é a acumulação de produtos por um determinado tempo e manuseio corresponde às atividades de carga e descarga. com formas e funções variadas. proteção é a função que possibilita um manuseio seguro. por exemplo. 2. 2007). impressões e cores. caixas de madeira. alterar a densidade do produto e proteger o mesmo. As principais funções são contenção. visto que elas podem facilitar a armazenagem e o manuseio. as embalagens. ou seja. papelão. mas. proporcionar melhor utilização do equipamento de transporte. a caixa que envolve o Chá Mate-Leão. proteção e comunicação.3 EMBALAGENS As embalagens estão presentes em quase todos os produtos. Entre as exceções estão matériasprimas a granel e automóveis. 2009) em: primária. há alguns pontos a serem analisados: até que ponto a embalagem facilita as atividades logísticas? O que o descarte das embalagens proporciona ao meio ambiente? 3. a embalagem que contém o produto. As embalagens são classificadas (LEITE. por exemplo. O gerenciamento adequado do armazém pode gerar economias significativas e melhorias nos serviços aos clientes. A contenção tem a função de servir como recipiente ao produto. e terciária. utilizando símbolos. sem pensar no planejamento de embalagens". tem interação com todas as áreas de atuação das atividades logísticas.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 A armazenagem é uma das atividades mais importantes da logística (BERTAGLIA. onde são embalados os produtos já com a embalagem secundária. movimentação dos produtos no interior ou para outros locais no armazém. caixa de sabão em pó. evitando avaria ao produto e a comunicação leva informações. O sistema de armazenagem possui duas funções principais: guarda dos produtos (estocagem) e manuseio dos materiais. É a responsável pelas decisões que englobam estocagem e manuseio de produtos. ou seja. e plásticos. Em relação a este importante tema. elas sempre aparecem. A ATIVIDADE AGRÍCOLA NO BRASIL 6 . De acordo com Severo (2006). secundária. no geral.

principalmente pelo setor agropecuário. cítricos. quando destinados a prevenir. define os agrotóxicos como substâncias. de acordo com o IBGE. Foram vendidos. a saber: 25. Os danos causados à saúde humana pelos agrotóxicos é assunto muito importante. seus produtos e subprodutos e ao homem. Segundo dados do CEPEA . são importantes fatores de risco à saúde humana e ao meio ambiente. 725. que envolve a cadeia produtiva agrícola ou pecuária. permitindo que o setor se expandisse. portanto.74% agropecuária e 7. Segundo Antunes (2001) “Impacto é um choque. quando já utilizados o produto.Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010) também comprovam a importância do agronegócio no cenário econômico brasileiro. milho. Dados do IBGE . destruir ou repelir. de natureza química. foi necessário levar as atividades a um passo além. o resultado da intervenção humana sobre o meio ambiente. Observase. que há um acréscimo no uso de agrotóxicos e consequentes impactos no meio ambiente. 17. que acompanha a Lei 7802/89.Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (2010). arroz irrigado e batata. mas aqui o destaque é para os impactos que esses produtos causam ao meio ambiente. Com relação aos agroquímicos e seus impactos ambientais. As informações da Revista Radis (2012) mostram que o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo.5% agroindústria . só no ano passado. seja através do lixo gerado pelas embalagens.6 mil toneladas dessas substâncias no país. 7 .987. café. em 2008 o agronegócio foi responsável por 50.44% insumos. para atender a essa demanda. Por esse motivo.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 Uma das principais atividades que movimentam a economia brasileira é o agronegócio. já que. pois foi preciso mais desmatamentos em busca de áreas produtivas. […] O impacto ambiental é. e isso veio à custa do meio ambiente. Pode ser positivo ou negativo. poderíamos dizer que o impacto ambiental é uma modificação brusca causada no meio ambiente. Sinteticamente. Os agroquímicos são utilizados em grandes quantidades por vários setores produtivos. Entre os cultivares que mais os utilizam estão soja.68% do PIB. direta ou indiretamente. dependendo da qualidade da intervenção desenvolvida. com o aumento da produção. qualquer forma de agente patogênico ou de vida animal ou vegetal que seja nociva às plantas e animais úteis. seja através das substâncias que os compõem.291 em 2007. então. uma modificação brusca causada por alguma força exterior que tenha colidido com algo”. a Norma Regulamentadora Rural NR 5. o que pode explicar o aumento da produção de alimentos. A população cresceu de 51 milhões em 1950 para 183.

802/89 . Em muitos lugares elas são descartadas com o lixo comum e é possível encontrá-las expostas na natureza. e. de acordo com as instruções previstas nas respectivas bulas. o 2º parágrafo da Lei 9. principalmente ao pequeno. o setor fitossanitário tem trabalhado junto às entidades de controle ambiental. é a responsável pelo descarte inadequado. por meio da Lei Federal no 9. Os agrotóxicos são normalmente embalados em recipientes plásticos. Quando em contato com o mesmo. o uso exagerado de agrotóxicos impacta. do Art. contaminando água.LEGISLAÇÃO Como foi dito anteriormente. se depositados em qualquer lugar. comerciantes. ou prazo superior. fabricantes e Poder Público. para desenvolver processos de devolução de embalagens vazias e qual o melhor destino desses recipientes (REVISTA RADIS. poluindo solos e agredindo o meio ambiente. de uma forma direta.6. 2012). 8 . em 1989. consequentemente. que trata destas questões. no prazo de até um ano contado da data de compra. Surgiu. vão permanecer ali por longos anos. dispõe o seguinte: “os usuários de agrotóxicos. Desde 1992. entre outros aspectos. o meio ambiente. e sabe-se que a decomposição desse produto é muito lenta. a destinação final das embalagens vazias. o que impacta diretamente a saúde humana e o meio ambiente. As mencionadas legislações distribuem competências e responsabilidades entre consumidores. com objetivo de propiciar condições de fiscalização e estabelecer regras para os agentes envolvidos. A pouca informação levada ao agricultor. solo e ar.974/00. tem um grande potencial de geração de resíduos de embalagens.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 Desse modo. EMBALAGENS DE AGROQUÍMICOS . a Lei no 7. se autorizado pelo órgão registrante.074/02 que estão em vigor até os dias atuais. Baseada nesta questão foi criada a lei que regulamenta. Outra forma dos agroquímicos afetarem o ambiente é através do descarte irregular das embalagens. no inciso I. o Brasil é um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo e. 4. A mesma passou por algumas modificações em 2000 e 2002.974/00 e do decreto no 4. Em relação aos consumidores. apesar da lei que regulamenta a devolução das embalagens ao local de aquisição. seus componentes e afins deverão efetuar a devolução das embalagens vazias dos produtos aos estabelecimentos comerciais em que foram adquiridos. as substâncias podem ser degradadas ou se movimentarem.

em locais impróprios. obedecidas as normas e instruções dos órgãos registrantes e sanitário-ambientais competentes”. desde que autorizados e fiscalizados pelo órgão competente.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 podendo a devolução ser intermediada por postos ou centros de recolhimento. perfurá-la e entregá-la nas revendas. surgem organizações preocupadas com sua imagem corporativa e procuram se diferenciar. as embalagens passam por um fluxo reverso. adequando-se às exigências do mercado sustentável. o 5º parágrafo do Art. Segundo o CLM (Council Of Logistics Management). e mais exigentes quanto às responsabilidades das empresas. Compete ao consumidor. realizar uma lavagem tríplice na embalagem. E isto acontece porque. com vida útil reduzida e valores residuais baixos. ruas e terrenos baldios. As ações negativas. RESÍDUOS DE EMBALAGENS DE AGROTÓXICOS LOGÍSTICA REVERSA E O MEIO AMBIENTE O meio ambiente tem sofrido ao longo dos anos uma série de impactos negativos. para responder às exigências da lei. Desse modo. surgem os consumidores dispostos a pagar mais por produtos que em seu ciclo produtivo agridam o mínimo possível o meio ambiente. o que torna o descarte mais viável que o conserto dos mesmos. os bens são produzidos em larga escala. De acordo com a mesma lei. de modo geral. após a utilização do produto." 9 . E. pelas quais o meio ambiente tem passado. preocupam tanto a sociedade como as organizações e os efeitos e consequências observados no desastre ecológico tem tornado todos mais sensíveis ecologicamente. são responsáveis pela destinação das embalagens vazias dos produtos por elas fabricados e comercializados. por outro lado. após a devolução pelos usuários. com vistas à sua reutilização. 5. no inciso I. assunto que é objeto do artigo em questão. proativa e de busca de valor. e pela dos produtos apreendidos pela ação fiscalizatória e dos impróprios para utilização ou em desuso.6. seus componentes e afins. Sendo assim. reciclagem ou inutilização. trata das competências dos fabricantes e comerciantes: “as empresas produtoras e comercializadoras de agrotóxicos. como rios. "observa-se três atitudes empresariais de comprometimento com o meio ambiente: atitude reativa. podendo destacar os excessos residuais gerados principalmente pelos bens de pós-consumo.

as embalagens de agrotóxicos merecem cuidado e atenção especial. evitando custos de disposição final. evitando os impactos negativos de seus produtos e processos no meio ambiente. E procuram com frequência. pois. obsolescência e até no final de sua vida útil podem ser encaminhadas para uma designação correta. as empresas se caracterizam pelo cumprimento da legislação. utilizam a venda ou a retirada dos produtos. planejam produtos que possam ser fáceis de desmontar ou reciclar e incentivam as diversas áreas especializadas na implantação e operação de redes de distribuição reversa. tornando-os menos agressivos. a organização continua responsável pelo seu produto mesmo após a entrega ao mercado de consumo e implanta uma nova cultura." Entre os vários bens de pós-consumo que são descartados ou retornam na logística reversa. remanufatura. Na fase de busca de valor. reciclagem ou aterros. Desenvolvem táticas culminantes no cumprimento das legislações e transformam seus produtos. por seu tempo. regulamento e adequação às exigências da sociedade. prazos de validade vencida. de acordo com os princípios do desenvolvimento sustentável. Na fase proativa. as empresas se antecipam às novas regulamentações. O processo de devolução e recuperação pode se transformar em oportunidade de negócios para a empresa e conseqüentemente evitam mais descartes ao meio ambiente. A logística reversa pode ser entendida como um meio de contribuição positiva para preservar o meio ambiente. que a logística reversa é uma das melhores estratégias para se aplicar nas empresas quando o assunto é minimizar impactos negativos. Apresentam plausível comprometimento com os problemas ambientais. as atividades reversas as responsáveis por recapturar valor aos produtos ou descartá-los corretamente. também denominada "cultura ambientalista.reuse . uma vez que a logística reversa executa a função de limpar os canais de distribuição (BENCK & DUARTE. criam programas e diretrizes de gestão de resíduos e desenvolvem seus canais logísticos reversos. se descartadas 10 . Pode-se admitir então. reduzindo assim seus impactos. através da logística reversa. pois através de suas operações de retorno de mercadorias. as empresas possuem grande comprometimento com o meio ambiente. seja por danos. Quanto a seus resíduos. reforma. qualificada pelo ciclo "reduza . Além de revelar um posicionamento de responsabilidade empresarial em relação ao meio ambiente.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 Na fase reativa.recicle". pois. causados pelos resíduos de produtos ou processos ao meio ambiente. elaborar produtos e processos de menor impacto ao meio ambiente. São. 2007).

Feito também pesquisas em periódicos do setor (revistas especializadas. precisamente na micro-região de Patos de Minas. nos postos e centrais de recebimento de embalagens de agrotóxicos vazias. são as embalagens secundárias. que torna obrigatória a devolução das embalagens de agrotóxicos vazias.802/89. impactam o meio ambiente. artigos acadêmicos na internet e outros). seguidos de bibliografia de autores respeitados no contexto da logística. como mostra a já mencionada Lei n 7. NBR-13968 (2012). entre outros. As laváveis são as embalagens plásticas. muito menos abandonadas no local de uso. a fim de proporcionar um destino final seguro a estas. entre outros. 7. METODOLOGIA O trabalho de pesquisa em questão tem como metodologia a revisão dos principais conceitos envolvidos. metálicas e de vidro. ou seja. obrigatoriedade. Aliás. Elas contêm resíduos tóxicos. como sacos plásticos. artigos de jornal. quais as dificuldades. uma vez que são consideradas fonte poluidoras e provocam danos. A disposição final das embalagens vazias de agrotóxicos possui consequências ambientais. um dos grandes problemas decorrentes do uso de agrotóxicos no Brasil está relacionado com os resíduos das embalagens vazias […] às quais deve ser dispensado um cuidado mais que especial. Fez-se uma pesquisa do canal reverso das embalagens de agrotóxicos. para fins de análise da devolução de embalagens na microregião de Patos de Minas. Exatamente por isto surge a necessidade de gerenciar o retorno destes resíduos. contaminando lençóis freáticos. 11 . LOGÍSTICA REVERSA DE EMBALAGENS DE AGROTÓXICOS De acordo com a Norma Brasileira de Regulamentação. e as não laváveis são as de materiais flexíveis. de papel e metalizados.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 inadequadamente. além de causar poluição visual. rios e impacto visual negativo. Em geral. o que é fonte de contaminação ao meio ambiente. Finalizado com as estatísticas de devolução de embalagens vazias. e avaliação de como as atividades reversas têm sido realizadas. rios e mares. como contaminação do solo. não podendo ser descartadas em qualquer destino. "as embalagens são classificadas em laváveis e não laváveis". os custos e as contribuições para o meio ambiente. 6. De acordo com Silva Filho (2005).

Faz-se necessário. Figura 1 . com os quais são divididas as responsabilidades do sistema. e estão relacionadas a seguir. perfurá-las. e. entregá-las na unidade de recebimento. então. Ao contrário da logística de distribuição direta. O comerciante assume então as responsabilidades de informar na nota fiscal o local de entrega das embalagens vazias. normalmente. 2010) As etapas do fluxo reverso das embalagens de agrotóxicos ocorrem entre o consumidor. os comerciantes e os fabricantes. a ele cabem as responsabilidades de realizar uma tríplice lavagem nas embalagens. inutilizandoas. A figura 1 ilustra os fluxos reversos das embalagens vazias de agrotóxicos. Os agentes envolvidos nas atividades reversas das embalagens de agrotóxicos são o consumidor. conforme mencionado anteriormente. disponibilizar e controlar o local de recebimento. o gerenciamento da logística reversa das embalagens vazias para que estes riscos sejam miminizados. a partir da data da compra. emitir comprovante de devolução das embalagens. orientar e informar o consumidor sobre o produto e suas responsabilidades. 12 . oferecer uma destinação final correta.logística reversa de embalagens de agrotóxicos (INPEV.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 Os defensivos agrícolas. a logística reversa faz com que produtos e informações sigam no caminho oposto. são embalados em recipientes plásticos. o primeiro elo do canal de distribuição reversa. armazená-las provisoriamente em sua propriedade em local devidamente apropriado. oferecem riscos de contaminação do meio ambiente se descartados sem os devidos cuidados. Sendo de fato. com início nos pontos de consumo e término nos pontos de origem. O fabricante por sua vez tem a responsabilidade de recolher as embalagens vazias nas unidades de recebimento. o comerciante e as unidades de recebimento. e no prazo de um ano. além de orientar e informar o consumidor. o consumidor.

assim. Se não laváveis. 13 . a reciclagem ou a incineração. Um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo é o Brasil. as embalagens dão origem a vários produtos. E em até um ano a partir da data de aquisição. Segundo Silva Filho (2005) o uso destes produtos sempre foi prática comum nas plantações. que evite danos à saúde e minimize os impactos visuais do "lixo" no meio ambiente (DOMINGUEZ. entre outros. retornar ao mercado. O fato é que.  As unidades de recebimento deverão inspecionar as embalagens devolvidas.  O comerciante por sua vez. tem-se aplicado cada vez mais nas lavouras.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012  Após utilizado o produto. vasilhame para embalagem de óleo lubrificante. devolvê-las com as respectivas tampas e rótulos no local indicado na nota fiscal. através da publicação do Plano Nacional de Desenvolvimento . necessitam de um descarte seguro. Devido a este aumento no consumo. podendo. o que cresce também é a quantidade de resíduos sólidos gerados pelas embalagens vazias dos agrotóxicos e. ou lavagem sob pressão . Este procedimento deverá ser feito três vezes (tríplice lavagem). 2010) . Portanto. cruzeta de poste de energia. o consumo de fitossanitários não pára de crescer. deverão ser mantidas ilesas e devidamente tampadas. recebe as embalagens vazias. Segundo o INPEV (2010). o consumidor deverá preparar as embalagens para devolução.realizada com equipamentos específicos. tais como tubos de esgoto. Isto explica porque a agricultura é uma das principais atividades desenvolvidas no país. conduíte corrugado. suas funções serão verificar e classificar as embalagens entre lavadas e não lavadas e separar por tipo de material. na busca por maior produtividade e lucro. caixa de bateria automotiva. Se laváveis. Mesmo conhecendo os riscos que estes produtos podem causar à saúde humana e ao meio ambiente. deve-se adicionar água limpa até ¼ da embalagem e agitar por 30 segundos. 94% das embalagens vazias de agroquímicos colocadas no mercado no ano passado foram recicladas. as armazenam adequadamente e as encaminham paras as unidades de recebimento. Quando recicladas. que levava os agricultores a comprar tais produtos com o crédito rural. emitem comprovante de devolução para o consumidor. O restante foi incinerado. Em seguida armazená-las em local adequado na propriedade. já que era vinculada uma cota de agroquímicos para cada financiamento. chegando até ser incentivado pelo governo em 1975. como já citado. A seguir as embalagens vazias de agrotóxicos são encaminhadas ao destino final.

Santa Rosa da Serra.113 2.427 Kg de embalagens de agroquímicos e em 2010.979 kg.415 28. em toneladas. sob a responsabilidade da ADICER (2011). 2009 e primeiro semestre de 2010. houve um acréscimo de aproximadamente 13. sendo os postos em Carmo do Paranaíba. de embalagens de agrotóxicos devolvidas no Brasil. em Minas Gerais e na micro-região de Patos de Minas. e Tiros. Rio Paranaíba. Quando comparado esta informação com o mesmo período de 2009. atividade esta que contribui com a imagem coorporativa das organizações e retira toneladas de resíduos do meio ambiente. competitividade e cumprimento da legislação têm feito com que as empresas invistam ainda mais no gerenciamento da logística reversa de embalagens de agroquímicos. em toneladas. São apresentados no quadro 1. 2009 e 2010.279 1. Resultado obtido com a somatória da devolução de 21 estados brasileiros. de agrotóxicos devolvidas em relativos aos anos 2008. o que justifica a grande quantidade de agrotóxicos utilizados na região.837 BRASIL 2. São Gotardo. no município de Patos. LOGISTICA REVERSA NA REGIÃO DE PATOS DE MINAS A micro-região de Patos de Minas está localizada na mesorregião Triângulo/Alto Paranaíba e contém as seguintes cidades: Arapuá. Entre as atividades desenvolvidas nos municípios se destaca o agronegócio. o que mostra que a logística reversa destes resíduos é uma tendência crescente e necessária.771. 8. de janeiro a agosto.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 De acordo com dados do INPEV (2010) em 2009 foram devolvidos 28. que trabalha em parceria com o governo estadual e os órgãos representantes do setor. Lagoa Formosa. Patos de Minas e São Gotardo. ANO (toneladas) 2010 (até julho) 2008 2009 24. Quadro 1 – total de embalagens. Patos de Minas. 22.478 MINAS GERAIS 172 228 333 PATOS DE MINAS Fonte:Dados INPEV/ADICER 14 . Os dados são referentes aos anos de 2008. Matutina. em Minas e no Brasil. gerenciando a logística reversa de devolução das embalagens vazias de agrotóxicos. A região citada possui três postos de recebimento de embalagens de fitossanitários. Guimarânia. A busca de estratégias de diferenciação.79% no total de embalagens devolvidas até agosto de 2010. as quantidades.454. Carmo do Paraíba.771 16.

O que pode-se afirmar. Em decorrência disto. 70. devido à alta tecnologia e baixos custos com que se produz tais bens e permite ainda que estes cheguem ao consumidor com um preço reduzido. em específico as de agrotóxicos. Um exemplo comum dos resíduos sólidos são as embalagens plásticas. Isto significa assumir as responsabilidades pelos retornos dos mesmos e oferecer aos resíduos gerados por estes uma disposição final correta. É uma obrigação e se torna a maneira mais correta de se livrar de vários problemas sanitários causados ao homem e ao meio ambiente pela disposição inadequada destes resíduos na natureza. sem duvidas.870 e da micro-região um total de 733 toneladas destes resíduos. Esta é a razão pela qual existe mais que a necessidade do gerenciamento do retorno dos vasilhames de agroquímicos. com a construção de um meio ambiente sustentável e capaz de atender as necessidades de gerações futuras. que é notável a variação positiva na quantidade de embalagens vazias de agrotóxicos devolvidas no país. facilitando assim sua aquisição. 15 . também impactam diretamente o meio ambiente. Além de causar sérios danos à saúde humana. contribuindo assim.023 toneladas de embalagens de agrotóxicos. não se tendo o devido cuidado ou as informações necessárias para uma disposição final segura. obriga as organizações a se tornarem cada vez mais responsáveis por todo ciclo de vida de seus produtos. principalmente dos bens de pósconsumo. E em parceria com a legislação. já que eles se tornam obsoletos rapidamente e logo são substituídos por produtos novos ou mais modernos. impactando-a de modo negativo. é comum que a vida útil dos produtos seja reduzida.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 Somadas as quantidades devolvidas nos três períodos. 9. pois na maioria das vezes os produtos sem utilidade são simplesmente abandonados em qualquer lugar. o que favorece a crescente descartabilidade. Quem fica à mercê desta descartabilidade é o meio ambiente. Isto ocorre porque o consumidor assumiu uma nova cultura e aumentou sua consciência ecológica. toneladas de resíduos são lançadas na natureza. Por isso. Minas Gerais foram 5. Necessitam de um cuidado especial ao serem descartadas. retornaram de todo o país. as inovações tecnológicas têm permitido que se introduzam no mercado produtos mais descartáveis. CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao longo do tempo.

A. Acesso em 12 de dezembro de 2011. a logística reversa de embalagens de agrotóxicos apresenta crescimento significativo na micro-região. tem-se a necessidade de destinar corretamente as embalagens dos produtos fitossanitários utilizados na atividade. 5 ed. Logística Aplicada: suprimento e distribuição física. P. entre tantos outros fatores. As quantidades de descartes gerados demandam a operacionalização eficiente do retorno dos produtos. as dificuldades de aplicação e execução da logística reversa.br. Pag. seja de pós-venda ou de pós-consumo. 190. B. Conclui-se que. REFERÊNCIAS ADICER . os quais aparecem como os principais responsáveis pelo crescente aumento da logística reversa na área empresarial. 10. A. CONCLUSÕES A presente pesquisa possibilitou observar que na micro-região de Patos de Minas. G. entre outros benefícios. E esta atividade colabora para a definição de imagem empresarial. através da logística reversa. a busca por se tornar ecologicamente correto é o principal fator motivacional para a implantação da reciclagem de embalagens de agrotóxicos. destaca-se a falta de intimidade com o termo. Disponivel em http://www. NOVAES. além da obrigatoriedade. através das atividades reversas. até porque é de conhecimento a obrigatoriedade de retorno destes produtos. 2000. por ser uma região onde o agronegócio é predominante. 3 edição. Editora: Edgar Blucher. C. minimizando o impacto da poluição visual no meio ambiente. Rio de Janeiro.com.. juntamente com a ADICER. E. 16 . ALVARENGA. 2001. comprovação de responsabilidade quanto à sustentabilidade.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 As estatísticas do INPEV. ANTUNES. o que possibilita. Entre as principais dificuldades encontradas na região. fidelização de clientes. toneladas de embalagens são retiradas do campo e corretamente descartadas. de modo que sociedade e meio ambiente fiquem seguros em relação aos riscos por eles oferecidos. Direito Ambiental. São Paulo. a preservação do meio ambiente. Embora encontre algumas dificuldades. mostraram que a aplicação da logística reversa de tais produtos tem crescido a cada ano e que.adicer.Associação dos Distribuidores de Insumos Agrícolas do Cerrado. Editora: Lúmen Júris. cumprindo uma de suas principais funções.

LEITE. 2007. F. L. Editora: Saraiva. 5 edição. Gestão Ambiental Empresarial: conceitos. J. Acesso em 15 set. São Paulo. INPEV .. Editora: Atlas.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 BALLOU. 2001. Acesso em 01 nov. 11-15. DOMINGUEZ. 2009. Logística Reversa: meio ambiente e competitividade. São Paulo. e Duarte. Manguinhos. A mensuração da logística reversa através da contabilidade ambiental em uma empresa do ramo alimentício na região dos Campos Gerais. Disponível em: <http://www.usp. Ponta Grossa. Porto Alegre: Bookman. jul.ibge. In: Logística Reversa Meio Ambiente e Produtividade. In: PIB do agronegócio – dados de 1994 a 2008. In: Indicadores IBGE. p. P. Editora: Atlas.br/educacao/bancoImagens/br/banco. C. Disponível em: Acesso <http://www. C. 2007. BERTAGLIA.xls>. IBGE .Graduação em Ciências Contábeis – Universidade Estadual de Ponta Grossa. 68 p. 2001. CAIXETA FILHO.INSTITUTO NACIONAL DE PROCESSAMENTO DE EMBALAGENS VAZIAS. J. J. MARTINS. 2003.com/aulas/logistica. Disponível em: <http://www.esalq. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimento. S. São Paulo: Pearson Prentice Hall. em: 03 set. 2010. R. C.gov. BARBIERI. 2006 BENCK.cepea. 2010. Disponível em: <http://ww. R. 2 edição. 2010.inpev.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/lspa/estProdAgr_201009. 17 . Monografia . Agrotóxicos: proteção para quem? Radis Comunicação em Saúde. B. 2010.empresaresponsavel.org. BOWERSOX. R. P.INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. 95. MULLER. R.br/pib/other/Cepea_PIB_BR%201994%202008. 2006. CEPEA . D. Logística Empresarial: o processo de interação da cadeia de suprimento. modelos e instrumentos. So Paulo: Saraiva.CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA. J. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. São Paulo. Gestão Logística do Transporte de Cargas.asp>. n.

Administração da logística integrada: materiais. SEVERO FILHO. In: SANTOS. SILVA FILHO. Belo Horizonte: Fórum. pcp e marketing. Disponível em www.org.V. 2006. Acesso em 11 janeiro de 2012. Marcia Walquiria Batista dos. Resíduos de Embalagens de Agrotóxicos: Gerenciamento e Responsabilidades. Rio de Janeiro: E-papers. REVISTA RADIS. R. 2. C.ensp. 18 . 2005.br/.fiocruz. Queiroz. ed. Direito do agronegócio. João Eduardo Lopes. J.abnt.br/radis/revista-radis/114 Acesso em 20 de janeiro de 2012. Disponivel em http://www.VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 8 e 9 de junho de 2012 NBR 13968.