LEI 8.

112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


1

I - APRESENTAÇÃO
Olá, Pessoal!Como vocês já devem saber, já saiu o edital do concurso
para a Agência Nacional do Cinema (ANCINE)!
Meu nome é Carlos Antônio Corrêa de Viana Bandeira, sou Bacharel
em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em
1994, e cursei Economia Moderna pela George Washington University (GWU),
em Washington, D.C., Estados Unidos da América, em 2008.
Já Fui Estagiário do Escritório Arruda Alvim & Tereza Alvim Advogados
Associados S/C, Auxiliar Jurídico da Federação Brasileira das Associações dos
Bancos (FEBRABAN), Advogado atuante na Área Cível e Empresarial.
Exerci também os cargos de Juiz de Direito, Juiz Eleitoral, Procurador-
Geral Adjunto da Fazenda Nacional Substituto, Coordenador-Geral Jurídico da
Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e fui Conselheiro Fiscal de
sociedades de economia mista do governo federal.
E, atualmente, com muita satisfação, sou Procurador da Fazenda Nacional
e Professor do Ponto dos Concursos.Por tudo, devo constante gratidão a Deus!
E quero dizer que será uma grande honra estudaraLei n
o
8.112, em Teoria e
Exercícioscom vocês!
II–ABRANGÊNCIA DO CURSO E CRONOGRAMA DE AULAS
A banca escolhida responsável pela elaboração das provas será o Centro
de Seleção e de Promoçãode Eventos da Universidade de Brasília
(CESPE/UnB).
Para acompanhar informações sobre o concurso, pode ser acessado o
atalho eletrônico para a página do CESPE, clicando no texto em
azul:http://www.cespe.unb.br/concursos/ANCINE_12/.
No edital, podemos ver que o nosso curso sobre a Lei n
o
8.112poderá
atender amplamente ao concurso, já que essa mesma matéria será cobrada
para os dois tipos de cargos da ANCINE:
⇒ Técnico Administrativo; e
⇒ Técnico em Regulação da Atividade Cinematográfica e Audivisual.

A proposta é estudarmos a legislação da seguinte forma:
1) Aula 00 (Aula Demonstrativa), em anexo: Introdução à Lei n
o

8.112; Cargo Público e Servidor.

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


2

2) Aula 01: Provimento;Vacância;Remoção; Redistribuição; e
Substituição.
3) Aula 02: Direitos e Vantagens.
4) Aula 03: Regime Disciplinar e Processo Disciplinar.
5) Aula 04: Seguridade Social do Servidor; Disposições Gerais;e
Disposições Finais.
III - MÉTODO DE ENSINO E DICAS DE ESTUDO
As aulas serão divulgadas conforme as regras previstas no
www.pontodosconcursos.com.br.
Apresentaremos material teórico eexercícioscomentados de provas:
• de provas doCESPE, para que possamos tentar compreender a
banca;
• de provas de outras bancas também, para ampliar o alcance do
estudo; e
• criados especialmente para o curso, também para aumentar a
abrangência do estudo.

Alguns exercícios são questões de concursos que foram desmontadas,
com vistas a atender às necessidades didáticas deste curso.
Não se esqueçam que estaremos à disposição no fórum de dúvidas,
para ajudá-los a desvendar qualquer dúvida sobre a matéria.
Chamo a atenção já para a nossa Aula Demonstrativa, pois contém
informações importantes da matéria que já foram questionados em concursos.
Além dos conceitos a serem ministrados nas aulas, aconselho-os a darem
uma lida na “lei seca”. É bastante comum a utilização da própria letra da lei
em questões.
Importante saber que uma parte da Constituição Federal aborda alguns
assuntos ligados à Lei n
o
8.112. Em momentos certos do curso, faremos
referências e comentários sobre esses detalhes.
IV - SAUDAÇÕES
Estão, portanto, convidados para caminharmos juntos, com a Lei n
o
8.112
na bagagem, para o concurso da ANCINE!
Desde já, desejo-lhes pleno sucesso, felicidades e muito boa sorte!

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


3

Abraços,
Carlos Bandeira


AULA DEMONSTRATIVA -TEORIA
Introdução à Lei n
o
8.112. Cargo Público.
Servidor.

1.INTRODUÇÃO
Como toda organização humana, a chamada “máquina governamental”
precisa de pessoas para exercer as atividades próprias de seus órgãos e
entidades públicas.
Essas pessoas que, de alguma forma, trabalham para o Governo são
chamados de agentes públicos ou servidores públicos, em sentido
amplo. Vamos lembrar quais são:
a. agentes políticos: ocupam os principais cargos no poder público, a
ponto de representar a vontade política do Estado (Presidente da
República e Vice, Deputados, Senadores, membros da Magistratura e do
Ministério Público);
b. agentes administrativos: são os servidores públicos, em sentido
estrito (podem ser civis, militares ou temporários), sendo que aqui se
enquadram também os servidores estatutários federais, regidos pela Lei
n
o
8.112; e
c. agentes por colaboração: são os particulares que colaboram com o
poder público de forma voluntária (colaboradores em situação de
emergência), de maneira compulsória (jurados, comissários de menores
e mesários eleitorais) ou por delegação (pessoas a quem foi atribuída a
possibilidade de executar algum serviço público).
Em nosso curso abordaremos as normas que regulam uma parte dos
agentes administrativos da esfera federal, os chamados servidores
estatutários federais.

2.LEI N
O
8.112
Apresento-lhes (ou reapresento-lhes, conforme o caso!) a Lei n
o
8.112,
de 11 de dezembro de 1990.

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


4

Lei n
o
8.112:
“Art. 1
o
Esta Lei institui o Regime Jurídicodos Servidores
PúblicosCivis da União, das autarquias, inclusive as em regime
especial, e das fundações públicas federais.”
Essa lei também é conhecida por Regime Jurídico EstatutárioFederal
ou Regime Jurídico dos Servidores da União.
• Regime jurídico: conjunto de regras que disciplina uma determinada
relação jurídica.
• Estatutário: essa parte do nome vem de Estatuto dos Servidores
Públicos Civis da União, que é um outro apelido atribuído à Lei n
o
8.112,
pela doutrina.
• Federal: da Administração Pública da União.
Por isso, os servidores públicos civis da União, que são os regidos pela
Lei n
o
8.112, também são chamados de servidores públicos estatutários
federais.
ATENÇÃO: a Lei n
o
8.112 é uma lei federal (só se aplica a
cargos públicos federais).
Por isso, tenham cuidado com questões que associem a
Lei n
o
8.112 a outros entes da Federação. É a
famosa“pegadinha”!
Cada um dos outros entes da Federação (Estados, Distrito
Federal e Município) possui competência para editar uma lei
própria que crie regime jurídico para seus servidores.
Exemplos: regime jurídico estatutário do Estado “X”, criado pela
Lei Estadual n
o
11.111/91, ou regime jurídico estatutário do
Município “Y”, criado pela Lei Municipal n
o
22.222/92.
Então, pessoal, deve ficar bastante claro para nós que nem todo agente
público é regido pela Lei n
o
8.112, como é o caso dos servidores dos Estados,
do Distrito Federal e dos Municípios, dentre outros, os quais devem possuir
regramento específico, previsto pelas legislações próprias.
Ainda não ficou claro? Então, para ficar mais fácil de entender, quero lhes
mostrar a seguinte classificação de lei, quanto a seu emissor e alcance:

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


5

• Lei nacional: editada pela União e possui aplicação para todos os entes
da Federação (União, Estados, Distrito Federal e Municípios).
• Lei federal: editada pela União e possui aplicação para a União.
• Lei estadual: editada por Estado e possui aplicação para o Estado que a
editou.
• Lei distrital: editada pelo Distrito Federal e possui aplicação para o
Distrito Federal.
• Lei municipal: editada por Municípios e possui aplicação para o
Município que a editou.
Diante desses esclarecimentos, guardemos que a Lei n
o
8.112 é uma lei
federal, já que é editada pela União e possui aplicação apenas para a União.
Agora, dentro da esfera federal, precisamos saber quais agentes públicos
federais são ou não são regidos pela Lei n
o
8.112 (ver itens III e IV, a seguir).

3.REGIDOS PELA LEI N
O
8.112
Os servidores públicos civis estatutários da União (regidos pela Lei n
o

8.112) são os seguintes:
a. servidores públicos civis da Administração direta da União:
ocupantes de cargos públicos dos órgãos públicos civis da União
[Ministérios, Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Polícia
Federal, Senado Federal, Câmara dos Deputados, Tribunal de Contas da
União, Tribunais do Poder Judiciário (exceto os estaduais), etc.];
b. servidores públicos da Administração indireta autárquica da
União: ocupantes dos cargos públicos das autarquias federais [Agência
Nacional de Águas (ANA), da Agência Nacional de Telecomunicações
(ANATEL), dentre outras autarquias federais]; e
c. servidores públicos da Administração indireta fundacional da
União: ocupantes dos cargos públicos das fundações públicas federais
[Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq),
da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da
Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), dentre outras fundações
públicas federais].
ATENÇÃO: Administração direta ≠ Administração indireta

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


6

• Administração direta da União: conjunto de órgãos
públicos vinculados à União.
• Órgãos públicos federais: são centros de competência da
Administração direta União que não possuem personalidade
jurídica própria, por isso, os seus atos são imputados à
pessoa jurídica da União (Ministérios, Senado, Câmara dos
Deputados, Tribunais, repartições públicas, etc.).
• Administração indireta (ou descentralizada) da União:
composta pelas autarquias, fundações públicas, sociedades de
economia mista federais e empresas públicas federais (todas
essas possuem personalidade jurídica própria e são, de
alguma forma, vinculadas à União).
Pessoal, é importante gravar que não são considerados servidores
estatutários os empregados públicos que trabalham nas pessoas jurídicas da
Administração indireta que exercem atividades econômicas, quais sejam:
1) sociedades de economia mista federais: são pessoas jurídicas
formadas com recursos públicos da União e de particulares (ex.: Banco
do Brasil S/A) e pertencem à Administração indireta da União; e
2) empresas públicasfederais: são pessoas jurídicas formadas
exclusivamente com recursos públicos (ex.: Caixa Econômica Federal) e
também pertencem à Administração indireta da União.
Em ambos os casos, esses funcionários são chamados de empregados
públicos federais ou celetistas.

4. NÃO REGIDOS PELA LEI N
O
8.112
A seguir, vejamos a lista de agentes públicos federais que não são
regidos pela Lei n
o
8.112:
a. servidores militares da União: porque são sujeitos a disciplina
diferenciada(art. 142, da Constituição);
b. empregados públicos federais(ou celetistas): já mencionados no
item III, são os regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT),
criada pelo Decreto-Lei n
o
5.452, de 1
o
de maio de 1943, e os também
regidos pela Lei n
o
9.962, de 22 de fevereiro de 2000;

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


7

ATENÇÃO: servidores públicos≠ empregados públicos
DICA: para não esquecer, vejam que a letra “e” aparece em cada
“lado oposto”, mas nunca estão “juntas”! Ou seja, um empregado
público nunca será estatutário.
• Empregado público = Celetista
• Servidor público = Estatutário
c. servidores temporários federais: contratados sob o regime especial
da Lei n
o
8.475, de 9 de dezembro de 1993, que rege as contratações por
tempo determinado de interesse da Administração direta, autárquica e
fundacional da União;
d. agentes políticos federais: também estão sujeitos a regras específicas
previstas em normas próprias e são incumbidos de funções previstas na
Constituição (Presidente da República e Vice, Deputados, Senadores,
membros da Magistratura e do Ministério Público).

5.SERVIDOR PÚBLICO E INVESTIDURA
Para se tornar servidor público estatutário federal, a pessoa deve ser
legalmente investida em cargo público federal (art. 2
o
, da Lei n
o
8.112). A
investidura acontece com a posse (art. 7
o
, da mesma Lei).
Lei n
o
8.112:
“Art. 2
o
Para os efeitos desta Lei, servidor é a pessoa legalmente
investida em cargo público.”
“Art. 7
o
A investidura em cargo público ocorrerá com a posse.”
Sugiro guardar a seguinte ordem:
1
o
) Cargo público: um espaço criado por lei, para integrar um órgão,
autarquia ou fundação pública federal, com denominação própria e
vencimentos pagos com recursos públicos (art. 3
o
, parágrafo único).
2
o
) Servidor público: torna-se servidor público aquela pessoa que for
legalmente investida em cargo público (art. 2
o
).
3
o
) Investidura: ocorre com a posse no cargo público (art. 7
o
).

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


8

Para ocorrer a investidura (tomar posse) em cargo público, a pessoa
deve comprovar:a nacionalidade brasileira;estar em pleno gozo dos direitos
políticos;estar em quitação com as obrigações militares e eleitorais;o nível de
escolaridade exigido para o exercício do cargo; a idade mínima de dezoito
anos; e a aptidão física e mental (art. 5
o
, incisos I a VI, da Lei n
o
8.112).
ATENÇÃO: um dos requisitos da investidura, previstos no art.
5
o
, inciso I, da Lei n
o
8.112, é a exigência da nacionalidade
brasileira, só que essa exigência não faz diferença entre
brasileiros natos ou naturalizados!
• Brasileiros natos (art. 12, inciso I, da Constituição):
a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de
pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de
seu país;
b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe
brasileira, desde que qualquer deles esteja a serviço da
República Federativa do Brasil;
c) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou de mãe
brasileira, desde que sejam registrados em repartição
brasileira competente, ou venham a residir na República
Federativa do Brasil antes da maioridade e, alcançada esta,
optem, em qualquer tempo, pela nacionalidade brasileira;
d) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe
brasileira, desde que venham a residir na República
Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, pela
nacionalidade brasileira;
e) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe
brasileira, desde que sejam registrados em repartição
brasileira competente ou venham a residir na República
Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de
atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira.
• Brasileiro naturalizado (art. 12, inciso II, da
Constituição):
a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira,
exigidas aos originários de países de língua portuguesa
apenas residência por um ano ininterrupto e idoneidade

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


9

moral;
b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na
República Federativa do Brasil há mais de quinze anos
ininterruptos e sem condenação penal, desde que requeiram
a nacionalidade brasileira.

6.ESTRANGEIROS
Boa regra para se guardar é a que permite estrangeiros assumirem, em
determinadas situações, cargos públicos federais.
De forma genérica, o art. 39, inciso I, da Constituição, permite o acesso
acargos públicospor estrangeiros, mediante concurso e na forma da lei.
Detalhe importante: essa possibilidade deve estar reguladana forma da lei.
Pelo art. 5
o
, § 3
o
, da Lei n
o
8.112, é apenas permitida a admissão de
estrangeiros nas universidades e instituições de pesquisa científica e
tecnológica federais para ocupação de cargos públicos federais de professores,
técnicos e cientistas.
Lei n
o
8.112:
“Art. 5
o
...................................................................................
§ 3
o
As universidades e instituições de pesquisa científica e
tecnológica federais poderão prover seus cargos com
professores, técnicos e cientistasestrangeiros, de acordo com
as normas e os procedimentos desta Lei.”

7.CARGOS PÚBLICOS
Como já falamos, os cargos públicos devem ser criados por lei, com
denominação própria e vencimentos pagos pelos cofres públicos (art. 3
o
,
parágrafo único, da Lei n
o
8.112).
Existem dois tipos de cargos públicos:
a. cargos efetivos: a nomeação para esses cargos depende de prévia
habilitação em concurso público de provas ou de provas e títulos (art. 10,
caput, da Lei n
o
8.112);

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


10

b. cargos em comissão: a nomeação para esses cargos não depende de
concurso (são também chamados de cargo em confiança).
Lei n
o
8.112:
“Art. 3
o
Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades
previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um
servidor.
Parágrafo único. Os cargos públicos, acessíveis a todos os brasileiros,
são criados por lei, com denominação própria e vencimento pago
pelos cofres públicos, para provimento em caráter efetivo ou em
comissão.”
Existe uma lógica no sistema de leis de nosso país, que somente uma lei
pode alterar outra lei.
E, embora a Lei n
o
8.112 nos diga que os cargos devem ser criados por
lei, está previsto na Constituição que, quando estiverem vagos, esses cargos
podem ser extintos por decreto do Presidente da República (art. 84, inciso
VI, alínea “b”, da Constituição).
CF:
“Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da República:
...........................................
VI - dispor, mediante decreto, sobre:
a) organização e funcionamento da administração federal, quando
não implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de
órgãos públicos;
b) extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos;”

8. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS GRATUITOS
Devemos guardar que, pela Lei n
o
8.112, é proibido prestar serviços
gratuitos. Ou seja, ninguém vai trabalhar de graça para o Governo, salvo,
nos casos em que a lei disser o contrário (art. 4
o
).
Lei n
o
8.112:

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


11

“Art. 4
o
É proibida a prestação de serviços gratuitos, salvo os
casos previstos em lei.”
Exemplos de prestação de serviços gratuitos:
1) os particulares que colaboram com o poder público de forma voluntária
(colaboradores em situação de emergência);
2) aqueles que, de maneira compulsória, são convocados para prestar
determinados serviços (jurados, comissários de menores e mesários
eleitorais).

AULA DEMONSTRATIVA - EXERCÍCIOS COMENTADOS
Introdução à Lei n
o
8.112. Cargo Público. Servidor.

QUESTÃO 1: CESPE- 2011 - CORREIOS - CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR -
CONHECIMENTOS BÁSICOS
Julgue o item abaixo, acerca da relação jurídica dos servidores e dos
empregados públicos.
( ) Os ocupantes de cargo público ou de emprego público têm vínculo
estatutário e institucional regido por estatuto funcional próprio, que, no caso
da União, é a Lei n
o
8.112/1990.
Comentários:
Devemos nos atentar para dois aspectos, nessa questão:
1
o
) É correto dizer que os ocupantes de cargo público possuem VÍNCULO
ESTATUTÁRIO e institucional, pois são realmente regidos pelo chamado
Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, que é um dos apelidos da Lei
n
o
8.112.
2
o
) Por outro lado, NÃO se pode dizer o mesmo em relação aos ocupantes
de empregos públicos, já que esses possuem VÍNCULO CELETISTA com a
instituição a que pertencem, já que os empregos públicos são regidos pela
Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Nos casos dos empregados
públicos NÃO há, portanto, vínculo estatutário.
Vamos aproveitar para recordar a dica que oferecemos na parte teórica
desta aula:

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


12

ATENÇÃO: empregados públicos são celetistas

servidores públicos (em sentido estrito) são estatutários
DICA: para não esquecer, vejam que a letra “e” aparece em
cada “lado oposto”, mas nunca estão “juntas”:
• Empregado público = Celetista
• Servidor público = Estatutário
E, para a questão estar correta, as duas proposições deveriam estar
corretas, e não apenas uma.
Resposta: Falsa.
QUESTÃO 2: FUNIVERSA - 2011 – SES-DF – ENFERMEIRO
Os cargos públicos, acessíveis a todos os brasileiros, são criados por lei, com
denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, para
provimento em caráter efetivo ou em comissão. Não é requisito básico para
investidura em cargo público.
a) estar no gozo dos direitos políticos.
b) ser brasileiro nato.
c) possuir o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo.
d) possuir a idade mínima de dezoito anos.
e) possuir aptidão física e mental.
(Obs.: apesar de ser extraída de um concurso do Distrito Federal, essa questão
encaixa-se perfeitamente com as normas da Lei n
o
8.112)
Comentários:
O enunciado dessa questão possui encontro perfeito com dois artigos da
Lei n
o
8.112: arts. 3
o
, parágrafo único, e 5
o
.
Sabendo disso, precisamos encontrar qual das alternativas oferecidas pela
prova está errada, o que nos leva diretamente à letra “B”.
Antes de tudo, podemos ver que todas as outras alternativas (“A”, “C”,
“D” e “E”) encaixam-se perfeitamente em incisos do art. 5
o
, da Lei n
o
8.112.

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


13

Só a alternativa “B” que poderia, talvez, confundir algum candidato que
estivesse desatento.
Vamos analisar. Quando o inciso I do art. 5
o
, da Lei n
o
8.112, prevê a
nacionalidade brasileira como um dos requisitos para investidura, NÃO FAZ
NENHUMA DISTINÇÃOENTRE BRASILEIRO NATO OU NATURALIZADO.
Então, é conclusão lógica: para tomar posse em cargo público, deve a
pessoa simplesmente comprovar que possui nacionalidade brasileira.
Para ilustrar rapidamente o nosso comentário, lembram-se que vimos a
existência de dois tipos de brasileiros:
1) natos (art. 12, inciso I, da Constituição); e
2) naturalizados (art. 12, inciso II, da Constituição).
Agora voltemos à alternativa “B”. Ela fala que “ser brasileiro nato” é
requisito para investidura, mas a lei não prevê que ser brasileiro nato é
requisito, ela diz que basta comprovar a nacionalidade de brasileiro (art.
5, inciso I, da Lei n
o
8.112).
Por isso, a letra “B” esta equivocada.
Assim, podemos lembrar sempre que brasileiro naturalizado também
pode ser investido (tomar posse) em cargo público federal.
Resposta: alternativa “B”.
QUESTÃO 3: CESPE - 2009 - TRE-MG - TÉCNICO JUDICIÁRIO - ÁREA
ADMINISTRATIVA
( ) Considerando a Constituição Federal, é vedado o acesso de
estrangeiros a cargos, empregos e funções públicas, por se tratar de
prerrogativa exclusiva de brasileiro nato ou naturalizado.
Comentários:
Incorreto. O acesso aos cargos públicos não é exclusivo dos brasileiros
natos ou naturalizados. Em certas situações, é permitido também a
estrangeiros.
O art. 37, inciso I, da CF prevê que “os cargos, empregos e funções
públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos
estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na forma da lei”.
São admissíveis portugueses no serviço público do Estado do RJ, desde
que se comprove o reconhecimento pela legislação de Portugal a igualdade

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


14

pertinente de direitos e obrigações civis (art. 8
o
, § 3
o
, item 1, e 15, caput, do
Decreto n
o
2.479).
Resposta: Falsa.
QUESTÃO 4: COPEVE-UFAL - 2011 - UFAL - ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO
( ) Nos termos da Lei Federal n
o
8.112, de 1990 (Regime Jurídico dos
Servidores Públicos Federais), a investidura em cargo público ocorrerá com a
posse.
Comentários:
Está correto dizer que a investidura ocorre com a posse (art. 7
o
, da Lei
n
o
8.112).
Resposta: Verdadeira.
QUESTÃO 5: COPEVE-UFAL - 2011 - UFAL - ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO
( ) Nos termos da Lei Federal n
o
8.112, de 1990 (Regime Jurídico dos
Servidores Públicos Federais), a quitação com as obrigações militares e
eleitorais é um dos requisitos básicos para investidura em cargo público.
Comentários:
A comprovação de quitação com obrigações militares e eleitoraisestá
entre os requisitospara a investidura, de acordo com o art. 5
o
, inciso III,
da Lei n
o
8.112.
Resposta: Verdadeira.
QUESTÃO 6: CESPE - 2010 - TRE-MT - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA
Acerca da Lei n
o
8.112/1990, todos os cargos públicos são acessíveis apenas
aos brasileiros, sejam estes natos ou naturalizados.
Comentários:
O enunciado da questão de prova equivocou-se ao dizer que os cargos
públicos são exclusivos para brasileiros (natos ou naturalizados). Isso não é
verdade, como podemos perceber pela simples leitura do art. 5
o
, § 3
o
, da Lei
n
o
8.112.
Essa era fácil! O referido dispositivo da lei prevê a possibilidade de
estrangeiros ocuparem cargos públicos federais:“§ 3
o
As universidades e
instituições de pesquisa científica e tecnológica federais poderão prover seus

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


15

cargos com professores, técnicos e cientistas estrangeiros, de acordo com as
normas e os procedimentos desta Lei”.
Só para lembrete mesmo: a própria Constituição declara que “os cargos,
empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os
requisitos estabelecidos em lei, assim como aos estrangeiros, na forma da
lei” (art. 37, inciso I).
Por essas argumentações chegamos facilmente à conclusão que a Lei n
o

8.112 admite, em situações excepcionais, estrangeiros, como
ocupantes de cargos públicos federais.
Resposta: Falsa.
QUESTÃO 7: CESPE - 2009 - TRE-MA - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA
Considerando a Lei n
o
8.112/1990, que dispõe sobre o regime jurídico dos
servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas
federais, assinale opção incorreta.
a) Os cargos públicos são acessíveis a todos os brasileiros e criados por lei,
com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, com vistas
ao provimento em caráter efetivo ou em comissão.
b) Não é permitida a prestação de serviços gratuitos, salvo nos casos previstos
em lei.
c) A investidura em cargo público ocorre com a nomeação.
d) As universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica federais
podem prover seus cargos com professores, técnicos e cientistas de outros
países, segundo as normas e os procedimentos dessa lei.
Comentários:
A letra “A” está perfeita em relação ao art. 3
o
, parágrafo único, da Lei n
o

8.112. Não existe segredo. Como eu disse inicialmente, os concursos usam
muito a “lei seca” como alternativas de questões.
O mesmo acontece com a letra “B”, pois praticamente repete o art. 4
o
, da
Lei n
o
8.112.
A letra “C” é para confundir o candidato. A investidura ocorre com a
posse (art. 7
o
, da Lei n
o
8.112).
A letra “D” repete exatamente o art. 5
o
, § 3
o
, da Lei n
o
8.112.
Resposta: alternativa “C”.

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


16

QUESTÃO 8: FUNIVERSA - 2011 - SEPLAG-DF - AUDITOR FISCAL DE
ATIVIDADES URBANAS - CONTROLE AMBIENTAL
( ) Com base no regime jurídico a que estão submetidos os servidores
públicos do Distrito Federal, a investidura em cargo público ocorrerá com a
nomeação.
(Obs.: apesar de ser extraída de um concurso do Distrito Federal, essa questão
encaixa-se perfeitamente com as normas da Lei n
o
8.112)
Comentários:
Com relação ao art. 7
o
, da Lei n
o
8.112, a questão está incorreta, pois a
investidura ocorre com a posse, e não com a nomeação.
Resposta: Falsa.
QUESTÃO 9: CESPE - 2008 - TST - TÉCNICO JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA
( ) A posse é o contrato por meio do qual os servidores públicos vinculam-
se ao Estado.
Comentários:
É incorreto dizer que a posse configura contrato.
Na verdade, a posse é um ato do servidor que foi nomeado pela
Administração, mas que ainda depende de outra condição para permanecer no
cargo, qual seja, entrar em exercício no prazo legal.
Tecnicamente falando, o ato de posse tem como consequência a
investidurado empossado nas funções do cargo público, para o qual foi
nomeado, e, como já falamos, somente ocorrerá a continuidade do
vínculo administrativo caso o servidor entrar em exercício dentro do
prazo legal.
Resposta: Falsa.
QUESTÃO10: ESAF - 2010 - CVM - ANALISTA - RECURSOS HUMANOS - PROVA 2
O regime jurídico da Lei n
o
8.112/90 é aplicável aos servidores:
a) de autarquia federal.
b) de órgão integrante da administração pública direta estadual.
c) de empresa pública.

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


17

d) de sociedade de economia mista.
e) de entidade da administração pública indireta que desenvolva atividade
econômica.
Comentários:
Sabemos que a Lei n
o
8.112 é uma lei federal.
Essa lei regula os ocupantes dos cargos da Administração direta,
autárquica e fundacional da União. Esse alcance está determinado em seu
art. 1
o
.
A alternativa a ser escolhida é a correta.
A letra “A” oferece a opção perfeita “autarquia federal”. Os ocupantes dos
cargos públicos das autarquias federais são considerados servidores públicos
federais regidos pela Lei n
o
8.112.
A letra “B” erra por falar em administração estadual (servidor estadual). E
a Lei n
o
8.112 é federal.
A letra “C” erra por falar em empresa pública, que possui empregados
celetistas em seus quadros. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) é
conhecida como regime celetista. A Lei n
o
8.112 é conhecida como regime
estatutário.
Outro método para desconfiar dessa alternativa é que ela sequer mostra
se a empresa pública é federal, estadual, distrital ou municipal. Ou seja, não
especifica de qual governo está falando.
A letra “D” erra por falar em sociedade de economia mista, que também
possui empregados celetistas em seus quadros. Essa opção sequer especificou
a esfera governamental da sociedade.
Por fim, a letra “E”, ao falar em atividade econômica está incluindo as
sociedades de economia mista e as empresas públicas. Mas, também estava
fácil de ser eliminada, pois não especificou a esfera governamental.
Quem ficou com a letra “a” acertou.
Resposta: alternativa “A”.
QUESTÃO 11: FCC - 2010 - TÉCNICO JUDICIÁRIO ADMINISTRATIVO - TRT 9
a
REGIÃO
( ) A extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos, exige lei de
iniciativa privativa do Chefe do Poder Executivo.
Comentários:

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


18

Estudamos durante a aula que a criação de cargos deve ser feita por lei,
conforme o que determina o art. 3
o
, parágrafo único, da Lei n
o
8.112.
Existe uma lógica no sistema de leis de nosso país, que somente uma lei
pode alterar outra lei.
Mas, está previsto na Constituição que os cargos públicos, quando
estiverem vagos, podem ser extintos por decreto do Presidente da
República (art. 84, inciso VI, alínea “b”, da Constituição).
ATENÇÃO: empregados públicos são celetistas

servidores públicos (em sentido estrito) são estatutários
DICA: para não esquecer, vejam que a letra “e” aparece em cada “lado
oposto”, mas nuncaestão “juntas”:
• Empregado público = Celetista
• Servidor público = Estatutário
Resposta: Falsa.
QUESTÃO 12*:
( ) Pela Lei n
o
8.112, é proibido prestar serviços gratuitos, não havendo
nenhuma possibilidade de exceção para essa regra.
Comentários:
Proposição equivocada. Objetivamente ninguém pode trabalhar de graça
para o Governo federal, salvo nos casos em que a lei disser o contrário
(art. 4
o
, da Lei).
Lei n
o
8.112:
“Art. 4
o
É proibida a prestação de serviços gratuitos, salvo os casos
previstos em lei.”
Resposta: Falsa.
______________________________________________________________
* As questões com o sinal (*) foram elaboradas pelo Professor Carlos.

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


19

AULA DEMONSTRATIVA - EXERCÍCIOS REPETIDOS
Introdução à Lei n
o
8.112. Cargo Público.
Servidor.

QUESTÃO 1: CESPE - 2011 - CORREIOS - CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR -
CONHECIMENTOS BÁSICOS
Julgue o item abaixo, acerca da relação jurídica dos servidores e dos
empregados públicos.
( ) Os ocupantes de cargo público ou de emprego público têm vínculo
estatutário e institucional regido por estatuto funcional próprio, que, no caso
da União, é a Lei n.º 8.112/1990.
QUESTÃO 2: FUNIVERSA - 2011 – SES-DF – ENFERMEIRO
Os cargos públicos, acessíveis a todos os brasileiros, são criados por lei, com
denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, para
provimento em caráter efetivo ou em comissão. Não é requisito básico para
investidura em cargo público.
a) estar no gozo dos direitos políticos.
b) ser brasileiro nato.
c) possuir o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo.
d) possuir a idade mínima de dezoito anos.
e) possuir aptidão física e mental.
(Obs.: apesar de ser extraída de um concurso do Distrito Federal, essa questão
encaixa-se perfeitamente com as normas da Lei n
o
8.112)
QUESTÃO 3: CESPE - 2009 - TRE-MG - TÉCNICO JUDICIÁRIO - ÁREA
ADMINISTRATIVA
( ) Considerando a Constituição Federal, é vedado o acesso de
estrangeiros a cargos, empregos e funções públicas, por se tratar de
prerrogativa exclusiva de brasileiro nato ou naturalizado.
QUESTÃO4: COPEVE-UFAL - 2011 - UFAL - ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


20

( ) Nos termos da Lei Federal n
o
8.112, de 1990 (Regime Jurídico dos
Servidores Públicos Federais), a investidura em cargo público ocorrerá com a
posse.
QUESTÃO5: COPEVE-UFAL - 2011 - UFAL - ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO
( ) Nos termos da Lei Federal n
o
8.112, de 1990 (Regime Jurídico dos
Servidores Públicos Federais), a quitação com as obrigações militares e
eleitorais é um dos requisitos básicos para investidura em cargo público.
QUESTÃO6: CESPE - 2010 - TRE-MT - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA
( ) Acerca da Lei n
o
8.112/1990, todos os cargos públicos são acessíveis
apenas aos brasileiros, sejam estes natos ou naturalizados.
QUESTÃO7: CESPE - 2009 - TRE-MA - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA
Considerando a Lei n
o
8.112/1990, que dispõe sobre o regime jurídico dos
servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas
federais, assinale opção incorreta.
a) Os cargos públicos são acessíveis a todos os brasileiros e criados por lei,
com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos, com vistas
ao provimento em caráter efetivo ou em comissão.
b) Não é permitida a prestação de serviços gratuitos, salvo nos casos previstos
em lei.
c) A investidura em cargo público ocorre com a nomeação.
d) As universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica federais
podem prover seus cargos com professores, técnicos e cientistas de outros
países, segundo as normas e os procedimentos dessa lei.
QUESTÃO8: FUNIVERSA - 2011 - SEPLAG-DF - AUDITOR FISCAL DE ATIVIDADES
URBANAS - CONTROLE AMBIENTAL
( ) Com base no regime jurídico a que estão submetidos os servidores
públicos do Distrito Federal, a investidura em cargo público ocorrerá com a
nomeação.
(Obs.: apesar de ser extraída de um concurso do Distrito Federal, essa questão
encaixa-se perfeitamente com as normas da Lei n
o
8.112)

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


21

QUESTÃO 9: CESPE - 2008 - TST - TÉCNICO JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA
( ) A posse é o contrato por meio do qual os servidores públicos vinculam-
se ao Estado.
QUESTÃO10: ESAF - 2010 - CVM - ANALISTA - RECURSOS HUMANOS - PROVA 2
O regime jurídico da Lei n. 8.112/90 é aplicável aos servidores:
a) de autarquia federal.
b) de órgão integrante da administração pública direta estadual.
c) de empresa pública.
d) de sociedade de economia mista.
e) de entidade da administração pública indireta que desenvolva atividade
econômica.
QUESTÃO 11: FCC– 2010 – TÉCNICO JUDICIÁRIO ADMINISTRATIVO – TRT
9
a
REGIÃO
( ) A extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos, exige lei de
iniciativa privativa do Chefe do Poder Executivo.
QUESTÃO 12*:
( ) Pela Lei n
o
8.112, é proibido prestar serviços gratuitos, não havendo
nenhuma possibilidade de exceção para essa regra.
______________________________________________________________
* As questões com o sinal (*) foram elaboradas pelo Professor Carlos.

AULA DEMONSTRATIVA –RESUMO
Introdução à Lei n
o
8.112. Cargo Público. Servidor.

Agentes públicos
ou servidores
públicos em
sentido amplo:
⇒ Agentes políticos (Presidente da República e Vice,
Deputados, Senadores, membros da Magistratura e
do Ministério Público);
⇒ Agentes administrativos [servidores públicos

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


22

(em sentido estrito) civis, militares ou
temporários];
⇒ Agentes por colaboração (voluntários,
compulsórios ou por delegação).
Lei n
o
8.112 (ou
regime jurídico
estatutário
federal):
É uma lei federal (cuidado com questões que associem
essa Lei com outros entes da Federação. É a famosa
pegadinha!).
Cada um dos outros entes da Federação (Estados,
Distrito Federal e Município) possui competência para
editar uma lei própria que crie regime jurídico para seus
servidores.
Não alcança as pessoas jurídicas da Administração
indireta da União que exercem atividades
econômicas (sociedades de economia mista e
empresas públicas federais, as quais possuem
empregados celetistas, submetidos ao regime da CLT).
Regidos pela Lei
n
o
8.112:
⇒ Servidores públicos civis da Administração
direta da União [Ministérios, Instituto Nacional
de Seguridade Social (INSS), Polícia Federal,
Senado Federal, Câmara dos Deputados, Tribunal
de Contas da União, Tribunais do Poder Judiciário
(exceto os estaduais), etc.];
⇒ Servidores públicos da Administração
indireta autárquica da União: [Agência
Nacional de Águas (ANA), da Agência Nacional de
Telecomunicações (ANATEL), dentre outras
autarquias federais]; e
⇒ Servidores públicos da Administração
indireta fundacional da União: [Conselho
Nacional de Desenvolvimento Científico e
Tecnológico (CNPq), da Fundação Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da
Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), dentre
outras fundações públicas federais].
Não regidos pela ⇒ Servidores militares da União.

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


23

Lei n
o
8.112: ⇒ Empregados públicos federais(ou celetistas).
⇒ Servidores temporários federais.
⇒ Agentes políticos federais.
Cargo Público,
Servidor público,
e investidura:
• Dica para guardar:
1
o
) Cargo público: um espaço criado por lei, para
integrar um órgão, autarquia ou fundação pública
federal, com denominação própria e vencimentos pagos
com recursos públicos (art. 3
o
, parágrafo único).
2
o
) Servidor público: torna-se servidor público
aquela pessoa que for legalmente investida em cargo
público (art. 2
o
).
3
o
) Investidura: ocorre com a posse no cargo
público (art. 7
o
).
Requisitos para
investidura em
cargo público
(tomar posse):
Ter nacionalidade brasileira (não há distinção entre
brasileiro nato ou naturalizado).
Estar em pleno gozo dos direitos políticos.
Estar em quitação com as obrigações militares e
eleitorais.
Ter o nível de escolaridade exigido para o exercício
do cargo.
Ter idade mínima de dezoito anos.
Possuir aptidão física e mental.
Estrangeiros: Pelo art. 5
o
, § 3
o
, da Lei n
o
8.112, é apenas permitida
a admissão de estrangeiros nas universidades e
instituições de pesquisa científica e tecnológica federais
para ocupação de cargos públicos de professores,
técnicos e cientistas.
Criação e
extinção de
cargos públicos:
Os cargos públicos devem ser criados por lei, com
denominação própria e vencimentos pagos pelos cofres
públicos (art. 3
o
, parágrafo único, da Lei n
o
8.112).
Quando estiverem vagos, os cargos públicos podem ser
extintos por decreto do Presidente da República (art.

LEI 8.112 - EM TEORIA E EXERCÍCIOS COMENTADOS - ANCINE
AULA DEMONSTRATIVA - PROF. CARLOS BANDEIRA
_____________________________________________________________


Prof. Carlos Bandeira www.pontodosconcursos.com.br


24

84, inciso VI, alínea “b”, da Constituição).
Prestação de
serviços
gratuitos:
Pela Lei n
o
8.112, é proibido prestar serviços
gratuitos. Ou seja, ninguém vai trabalhar de graça para
o Governo federal, salvo, nos casos em que a lei disser o
contrário (art. 4
o
).

AULA DEMONSTRATIVA -GABARITO

1 – F 2 –B 3 – F 4 –V 5 – V
6 – F 7 – C 8 – F 9 – F 10 – A
11–F 12–F

É isso aí, pessoal!
Espero por vocês na AULA 01, com mais teoria e questões de prova para
exercitarmos, okay?!
Abraços, e até breve!
Carlos Bandeira