APOSTILA AUTO CAD MAP 3D

Organização:

Profª. Claudia Fernanda Pimentel Profª. Cejane Pacini

1. APRESENTAÇÃO Nas últimas décadas, com os avanços propiciados pela tecnologia da informação, os profissionais das áreas de arquitetura, engenharia e das ciências agrárias vêm utilizando programas CAD (Computer Aided Design - Projeto Assistido por Computador) como forma de assegurar a melhoria de produtividade em um mercado cada vez mais competitivo. Esses programas têm ficado cada vez mais sofisticados, apresentando, por outro lado, interface cada vez mais amigável com seus usuários. O AutoCAD é um programa CAD de propósito geral que pode ser utilizado na criação de uma variedade muito grande de projetos. Umas das principais características que fazem do AutoCAD um software de grande penetração e aceitação pelo mercado é sua arquitetura aberta; desta forma, o AutoCAD pode ser adequado às necessidades específicas de seus usuários, através de recursos, tais como criação de macro-comandos e configurações especiais de menus. Em nossas aulas usaremos o software de mapeamento AutoCAD Map 3D 2008, este, é desenvolvido sobre uma plataforma CAD o que o diferencia do AutoCAD, é que o AutoCad Map 3D apresenta ferramentas e recursos geoespaciais, o que não será abordado em nossa disciplina.

2. 2.1.

CONCEITOS BÁSICOS

Configuração Mínima Como qualquer sistema operacional, um sistema CAD necessita de um conjunto adequado de

dispositivos físicos (hardware) e programas (software), ou seja, uma configuração mínima. O AutoCAD Map 3D 2008 requer como configuração mínima: - Processador Intel Pentium IIII, ou AMD Athlon 64 bits, ou superior; - Microsoft Windows vista ou XP; - 1 GB de RAM; - Espaço livre em disco de 2 GB; - Placa de Vídeo de 128 MB. 2.2. CAD A sigla CAD vem do inglês "Computer Aidded Design" que significa Desenho Assistido por Computador. Na verdade são programas (softwares) para computador específico para geração de desenhos e projetos.

2.3.

Dispositivos de entrada de dados Os dispositivos de entrada permitem ao usuário fornecer ao sistema de informações como

comandos, valores requisitados, entre outros. A interface de entrada básica é o teclado alfanumérico, entretanto, um sistema CAD exige outros dispositivos para tornar viável o trabalho em um ambiente gráfico, dispositivos estes, que permitem desenhar, posicionar o cursor ou apontar elementos dentro do desenho ou mesmo para digitalizar um desenho já existente. Entre eles podemos citar: mouse, scanner, mesa digitalizadora, etc. 2.4. Dispositivos de saída de dados São dispositivos que permitem ao usuário as imagens e desenhos produzidos, os resultados do processamento, etc. O dispositivo básico e o mais comum é o monitor de vídeo, mas temos ainda a impressora, o ploter, etc. 3. INICIANDO O AutoCAD MAP 3D

Para carregar o AutoCAD Map 3D, proceda da seguinte forma, na barra de tarefas do Windows, pressionando o ícone do AutoCAD Map 3D, conforme figura abaixo:

O AutoCad Map 3D, em função das ferramentas e dos recursos geoespaciais, ele apresenta três formas de menus: Map Classic, Map 3D for Geospatial e Map 3D for Drawings . Em nossas aulas, usaremos os MAP CLASSIC.

4.

CONCEITOS BÁSICOS DO AUTOCAD

Devemos ter em mente que os desenhos 2D são feitos em um plano cartesiano com eixos X e Y. Esse plano está posicionado na tela gráfica, e a sua origem 0,0 está no canto inferior esquerdo da tela. Para nos orientarmos melhor, no canto inferior da tela temos um ícone representado no sentido positivo dos eixos X e Y. Na linha de “Status” vemos o contador de coordenadas X e Y. Esse plano é infinito, possibilitando, portanto, desenhos em qualquer tamanho. Nossa área de desenho é infinita, os desenhos em geral são feitos em escala real (natural), ou seja, 1:1, e a escala do desenho impresso será dada ao plotarmos os desenhos. Dessa forma um mesmo desenho poderá ser plotado em diferentes escala. Outro conceito importante é que o AutoCAD Map 3D é baseado na ideia de unidade, de forma que 01 unidade de medida poderá ser considerada um metro ou um milímetro, dependendo do usuário. Temos que considerar que, por exemplo, se tivermos a distância entre dois pontos de 10 unidades, o AutoCAD interpreta esta unidade como adimensional, ou seja, a leitura métrica real é o que você adota, será a leitura que você irá adotar para desenvolver seu projeto. Se desenhar uma linha de 10 unidades podem ser 10 mm, 10cm, 10m, 10Km, etc. Neste momento podem achar um pouco estranho, falar sobre tamanho real, mas aguarde que, sempre será melhor criar seus desenhos adotando medida. Em nossas aulas usaremos o metro como medida de referência, portanto 01 (uma) unidade no AutoCAD Map 3D corresponderá, em nossas aulas, a 01 (um) metro.

5.1. Esta área possui dimensões infinitas. . ele está sem nenhum comando. Linha de Comando – É a área onde é mostrado comando que está sendo utilizado. visualização e modificação de um desenho.2.1. Para desabilitar ou reabilitar a linha de comando. o que o comando nos pede.1. apesar deste nem sempre mostrar todas as opções dos comandos. 5. pois ela mostra o comando que está sendo executado e os parâmetros necessários para concluí-los. o trabalho maior será quando tivermos que imprimir ou plotar o desenho em uma escala definitiva. A partir do AutoCAD 2006. mais isto veremos no final. No desenho acima vemos a área gráfica do espaço de modelação (model space). FUNÇÕES IMPORTANTES Nome das Regiões Veremos agora como é formado o ambiente de trabalho e as funções que ele exerce na elaboração de um desenho. Quando seu status é COMMAND: (sem nada escrito na frente) significa que o AutoCAD está esperando por um comando. LEMBRE-SE: é muito importante acostumar a olhar sempre para esta região. digite CTRL+9.1. Área Gráfica – É o local onde visualizaremos e utilizaremos todos os comandos de construção. 5. além do comando ativo.Numa questão geral. Esta área também indica. ou seja. 5. esta região não pode ser desligada e podemos nos guiar somente pelo Dynamic Input.

Ele regenera graficamente todo o desenho para mostrar tudo o que tem que ser mostrado .. 5. No final do curso. polegadas.1. Isto mantém o foco do desenhista na área de trabalho. 5. Dynamic Input – O AutoCAD. 5.1. próxima do cursor. Cursor de Tela – Mostra a posição que você se encontra na área gráfica. Contador de Coordenadas – É o valor numérico da posição do cursor de tela. Esta unidade é adimensional. pois o AutoCAD não trabalha com unidades no desenho. 5.Y).7.1. utilizado para mostrar as coordenadas de trabalho. pois poupa-nos de ter que digitar um comando na linha de comando ou de entrarmos no menu de barras para ativá-lo.1. 5. Espaços de Modelação de Impressão – O AutoCAD é composto de dois ambientes de desenho. Podem ser mm. Assume também outras formas quando seleciona objetos. talvez um Regen possa resolver. Trabalharemos inicialmente no espaço MODEL.8.1. Ícone UCS – Ícone UCS (Universal Coodinate System – Sistema Uiversal de Coordenadas). mas se for acaso na área gráfica você notar que estão faltando algumas linhas e não sabe para onde elas foram.1. este comando é auto executável em algumas outras funções. com este mesmo nome. Regen . e todos desenhos serão feitos em escala real. Os números indicam as coordenadas cartesianas (X.3.4.10 indica que a posição do cursor de tela é 10 (qualquer unidade) em relação ao eixo X e 10 em relação ao eixo Y.1. 5.9.1.11. São eles: 5. Por exemplo: 10. km. onde estaremos imprimindo nosso desenho utilizaremos o espaço de LAYOUT (impressão / plotagem). cm. a partir da versão 2006. São eles: o Model Space (espaço de modelação) onde criamos nosso desenho sempre em escala real e o Paper Space (espaço de impressão) que é onde criamos o layout para apresentação do desenho.5. Tool Pallet – Esta ferramenta trouxe a versatilidade desta paleta totalmente customizável para aumentar a produtividade. não se desespere.5. 5. Ícones de Atalho – São ícones que podem tornar mais rápido nosso trabalho.6.. etc.11. 5. pois têm a finalidade limpar a tela de pequenas sujeiras e de baixa resolução que podem vir a nos atrapalhar.10. que contém todos os comandos do AutoCAD. Menu de Barras – Este é o menu superior. Veremos sua utilização posteriormente.1. COMANDOS DE LIMPEZA DE TELA E REGENERAÇÃO DO DESENHO (COMANDOS REDRAW E REGEN) São apenas dois comandos que são diferenciados dos demais. Pode ser usada para substituir a LINHA DE COMANDO quando esta estiver desabilitada.1.Acessível somente pelo teclado. ou qualquer outra unidade imaginada..1. nos fornece uma interface de comando similar à LINHA DE COMANDO.

linhas que estão mal desenhadas na área gráfica. podendo trabalhar com a tela aberta com menu pull down ou os atalhos pelo teclado. sumam. 5. A grande diferença é que Redraw leva um tempo bem menos drástico que o comando Regen. que será visto posteriormente.Com funções parecidas com o comando Regen.1. etc.5. 6. fazendo com que sujeiras como os blips. 6.11.6. que é uma grade de referência que veremos posteriormente. F3 – Osnap On/Off – Liga e desliga o sistema automático de detecção de pontos de precisão (osnap).3.1.na área gráfica. Redraw . TECLAS IMPORTANTES . F7 – Grid On/Off – Liga e desliga o Grid. 6. que nos ajuda a desenhar objetos em ângulos específicos ou em relações com outras entidades. 6. só que ampliado. que na verdade é a linha de comando do AutoCAD. portanto use-o somente quando realmente precisar. 7. pode ser um pouco demorado. F5 – Isoplane Right/Left/Top – Muda o tipo de perspectiva para desenhos isométricos. COMANDO CLEAN SCREEN – Botão encontrado no canto inferior direito (View>Clean Sreen) ou digite CTRL+0(zero) – Esse comando podemos visualizar todo o nosso projeto na tela gráfica retirados todos os ícones e janelas acionados. 6. 6.9. podendo ser usado num grande desenho sem qualquer problema.2.2. Redraw somente redesenha a tela. 5.. F6 – Coords On/Off – Liga e desliga o contador de coordenadas. F9 – Snap On/Off – Liga e desliga o tabulador Snap.4. F8 – Ortho On/Off – Liga e desliga o método de criação de entidades ortogonais (vertical e horizontal). 6. Este comando.12. se esta estiver sendo utilizada.1. Ele é encontrado no Menu View com este mesmo nome. F2 – AutoCAD Text Window – Ativa e desativa a tela do AutoCAD Text Window. F4 – Tablet On/Off .7.10.Ativa e desativa a mesa digitalizadora.Liga e desliga o método de criação polar (mostrando posições verticais e horizontal na areal de trabalho). 6. F10 – Polar On/Off . mostrando mais linhas de comandos no monitor e dentro de uma janela. FUNÇÕES DO TECLADO O teclado exerce inúmeras funções nos comandos do AutoCAD. F1 – Help – Ativa o comando de ajuda do AutoCAD 6..11.8. F11 – Otrack On/Off – Esta opção liga e desliga o OTrack (Object Snap Tracking). dependendo do tamanho do desenho. 6. 6. 6.

Para ativar o Menu de precisão – Menu OSNAP – que veremos mais tarde. entre outros. . 8.2. como por exemplo.. Draw – Possui comandos para desenhar no AutoCAD.3. dar um zoom no desenho. 9. importar exportar arquivos.5. Tools – Possui ferramentas do AutoCAD.ENTER Confirma a maioria dos Comandos e Ativa o último comando realizado. 9.4. Mas se você não possuir um mouse de três botões não se preocupe. Também possui. 9. 9. cada um deles contendo comandos do AutoCAD. 9. Edit – Possui comandos de edição e tabulação de desenhos que veremos posteriormente. e é onde se situam grande parte dos comandos que utilizaremos neste curso. View – Possui comandos de visualização do desenho.7. Veremos agora os menus existentes no Menu de Barras. MENU DE BARRAS O Menu de Barras é formado por várias POP’S.1. 9. Format – Configura vários parâmetros de comandos do AutoCAD. Muitos mouses de três botões não fazem abrir o Menu Osnap no segundo botão.A barra de espaço do teclado tem a mesma função do enter. . File – Possui comandos de edição para criar. BOTÕES DO MOUSE Os mouses têm funções um pouco diferente no AutoCAD. . comandos para imprimir desenhos e para sair do AutoCAD.6. devido a estes possuírem outras configurações.ESC Cancela o Comando Ativo – “CANCEL”. 9. O botão do meio exerce uma função a mais. 9. Insert – Possui comandos de inserção de entidades do AutoCAD ou objetos de outros softwares. fechar. basta manter pressionada a tecla Shift do seu teclado e clicar o botão esquerdo do mouse (Enter) ou no teclado (tecla Enter).

9. Comandos de Inicialização e Finalização de um Desenho Os comandos para abrir e fechar um desenho estão no Menu Files. etc. COMEÇANDO UM DESENHO 10. propriamente dito.) 10. para facilitar o desenho. EXPORT – Exporta desenhos do AutoCAD (DWG) para outras extensões.1. Este desenho protótipo é descrito pelo AutoCAD como TEMPLATE e possui a extensão DWT (Drawing Template). entre elas: (WMF. 9.8. DWG de versões anteriores e DWT. que é um desenho padrão com configurações iniciais já existentes. que é a primeira subdivisão do Menu de Barras.10. EXIT – Sai do desenho e do AutoCAD.1. O AutoCAD pode abrir vários desenhos ao mesmo tempo. Encontra-se em inglês.1. Os comandos de inicialização e finalização de um desenho são aqueles que criam. Modify – Possui comandos que modificam e constroem entidades (desenhos) existentes.5. 10. Funcionam como qualquer barra de ferramentas de outro programa para Windows.4. COMANDOS DE EDIÇÃO . Se na tela inicial você não pedir nenhum desenho protótipo diferente do atual.3.1. 10. SAVE – Salva um desenho que já está aberto no AutoCAD.1. 10. salvam e fecham um desenho.1. 10. ou em outro diretório sem alterar o desenho atual.1. SAVE AS – Salva um desenho que já está aberto no AutoCAD com outro nome. 10. NEW – Cria um novo desenho a partir de um “desenho protótipo”.6. EPS.9. Window – Menu para alternância de janelas (desenhos no caso). Dimension – Possui comandos de dimensionamento (criação de cotas). 9.2. OPEN – Abre um desenho já existente.9. Help – É o menu de ajuda do AutoCAD.1. STL. Você pode salvar seu desenho com várias extensões diferentes: DXF. Pode ser executado através do teclado com o comando QUIT. ele vai carregar o ACADISO. posicionamento da tela e fechá-las. 3DS.2.11. São flutuantes e podem estar em qualquer lugar do ambiente de trabalho. Agora veremos os principais comandos que se situam no Menu File: 10. 10.DWT. BMP. Possuem opções de acesso a quase todo comando disponível no AutoCAD.

No canto inferior da área de desenho encontra-se o símbolo da UCS (Universal Coordinate System) que indica a situação dos eixos coordenados cartesianos. um espaço de três dimensões infinito. Ao abrir um desenho pode-se previamente configurar as dimensões da área deste. • FIND – Procura um texto em um determinado desenho. Recorta a parte selecionada para a área de transferência • COPY (Clip) – Copia os objetos selecionados para a área de transferência. . • REDO – O contrário de UNDO. BARRA DE STATUS Situa-se no extremo inferior da tela e contém informações das coordenadas imediatas do cursor e alguns comandos. COPY with Base Point (Clip) – Copia os objetos selecionados para a área de transferência com um ponto base para locação. • PASTE – Cola os objetos que estão na área de transferência na área de trabalho do AutoCAD.Os comandos de edição se localizam no Menu Edit. como será visto mais tarde. ÁREA DE DESENHO A área de desenho no AutoCAD é. 12. Pode ser ativado pelo teclado através da tecla U. Os principais são: • UNDO – Desfaz os últimos comandos acionados. A partir do AutoCAD 2004 o REDO pode ser executado múltiplas vezes • CUT (Clip) – Têm as mesmas características do comando Recortar de outros aplicativos. por definição. 11. REDO desfaz o último UNDO.

MODO DE TRABALHO Podemos configurar as variáveis do AutoCad Map 3D da melhor maneira para nosso uso através do comando “options”.  A aba DISPLAY configura o monitor de vídeo.13.  A aba OPEN AND SAVE contém definições relacionadas com a abertura do programa e arquivos e também com o salvamento de desenhos. . ATALHOS Ao longo do curso serão visto atalhos pelo teclado para comandos. de modo a facilitar o trabalho com o CAD. Conforme Figura abaixo.  A aba FILES indica onde estão localizados os arquivos usado pelo AutoCAD Map 3D. 14.

 A aba USER PREFERENCES permite que o usuário defina preferências de trabalho ao manipular o AutoCAD Map 3D. O comando “UNITS” permite o controle da unidade de trabalho. Comando ZOOM O comando ZOOM atua como se o observador estivesse se afastando ou se aproximando do desenho.  A aba SELECTION contém configurações que controlam como selecionar os objetos. opção “Zoom”. 15.Definição das unidades de desenho de trabalho. A aba PLOT AND PUBLISH contém as definições relacionadas com plotagem e publicações. COMANDOS PARA AUXÍLIO DE DESENHO 15.1. Um perfil é um grupo de definições para o ambiente de trabalho gerado de acordo com a preferência do usuário ou aplicação.1. CONTROLE DA TELA OU COMANDOS DE VISUALIZAÇÃO Os comandos de controle da imagem são os que permitem a manipulação visual do desenho. A figura mostra como acessar este comando através do menu de barras “ FORMAT. Para acessá-lo deve-se clicar no menu de barras “View”. O incremento só ocorre em nível de tela.  A aba DRAFTING permite a configuração de marcadores. permitindo ao usuário a visualização parcial ou total das entidades que compõem um arquivo gráfico.  A aba PROFILES permite que se criem perfis do usuário.  A aba SYSTEM controla as configurações do sistema. opção “units” 16. 16. permanecem inalteradas as dimensões dos elementos desenhados. conforme figura. . permitindo o aumento ou a diminuição de determinadas áreas. Comando UNITS .

Dá-se zoom de modo a entrar no desenho. • Zoom OUT . que tem as dimensões x e y iguais à área de trabalho. • Zoom Window – Dá um zoom abrindo uma janela e o que esta dentro dela será ampliado. arrastamos o mouse e posteriormente um segundo ponto. O auto cad grava até os últimos 10 zooms que foram dados.Dá um zoom de modo a sair do desenho. Opções de ZOOM: Zoom IN . e se for 2/1 ampliaremos a visão 2 vezes. O Zoom In dobra a visão do desenho na área gráfica. senão ele só visualizará o drawing limits ativo. • Zoom Previous . Com o botão de seleção clicamos o primeiro ponto. O zoom out dobra a visão de distanciamento do desenho na área gráfica.Parecido como zoom window. contando que todo ele esteja dentro do Drawig Limits.Ou você poderá se utilizar dos ícones localizados no menu de barras “View”.Retorna ao ultimo zoom que foi realizado no desenho. você pode ampliar ou reduzir com o zoom . Por exemplo: se a escala for 1/2. No Zoom Escale digita-se uma escala no formato x/y. • Zoom Dynamic . o zoom Dynamic abre uma janela. • Zoom Scale – Dá um zoom escalado. vamos reduzir a visão por 2. ou seja. opção “Toolbars”. que pode ampliar ou reduzir a visão do desenho. • Zoom All – Dá-se um zoom em todo o desenho. que forma a outra aresta da janela.

e outro comando que veremos agora: O PAN. essa seleção é feita de três formas diferentes: . e precisamos selecionar o objeto envolvido no comando. que será o ponto central da tela após o zoom. o zoom diminui. entramos no desenho para baixo saímos do desenho.2. Tendo o mouse scroll roller obtém-se o mesmo efeito (girando o “roller”).(Acione o Comando e clique na tela segurando o botão esquerdo arrastando para cima e para baixo respectivamente). Para desativar o zoom realtime. Logo após clicarmos na área gráfica o ponto central. Se digitarmos um número superior ao mostrado no prompt de comando. Podemos ativar o Zoom Realtime através do botão “rolante” do Wheel Mouse. 16. que na verdade é uma escala em forma de um único numero. • Zoom Center . damos um zoom de modo a entrar no desenho em tempo real. damos um “enter” no teclado ou no esc. O comando pede dois pontos para o movimentoda tela. • Zoom Realtime – No formato realtime. sem modificar a magnitude de visualização em tempo real com o auxilio do mouse. Se digitarmos um número inferior ao mostrado no mostrado no prompt de comando o zoom aumenta. Para ativá-lo basta dar um “enter” no mouse logo dep ois de ativar o comando zoom clicando e segurando o botão de seleção e movendo o cursor de tela para cima. • Zoom Extents – Dá um zoom em todo desenho independente do drawing limits. • Zoom Object – Este tipo de zoom nos pede uma ou mais entidades a serem selecionadas e encaixa estes objetos na tela. Critérios de Seleção Quando se executa um determinado comando. e o que você selecionar vai aparecer exatamente na área de trabalho. Se dermos um enter no mouse aparecerá uma barra de comandos que mostra a saída do comando (exit) entre outros tipos de zooms que já vimos. 17. Previous – Retorna a imagem anterior do último comando Zoom. bastando rolar o botão.O zoom center nos pede um ponto central. isto já não acontece. Enquanto queno zoom window.dynamic. aumentando ou diminuindo dinamicamente a visualização em tempo real com o auxilio do mouse. Tendo o mouse scroll roller obtém-se o mesmo efeito pressionando o “roller” Realtime Permite modificar a magnitude. Tudo em tempo real. Comando de Visualização PAN – Permite arrastar a tela de visualização sobre o desenho. este zoom nos pede uma magnificacão.

Neste momento podemos selecionar entidades uma a uma dos objetos a serem trabalhados. Para limpar uma entidade de uma seleção múltipla clique sobre o objeto segurando a tecla Shift. Para selecionar mais de uma entidade.Captura entidades que estão contidas inteiramente dentro de uma janela (da esquerda para direita) 18. COMANDOS DE SELEÇÃO.1. . Limpe a seleção apertando a tecla de escape uma vez.1º Default .1 Clicando Diretamente sobre o Objeto Clique numa das linhas da entidade que se deseja selecionar. e a expressão „Select Objects. (da direita para a esquerda). da esquerda para a direita.1. por padrão). Todas as entidades completamente dentro da janela serão selecionadas. 2º Windows Crossing . 17.O cursor troca para forma de um quadradinho (Pick Box). 17. Comandos de Seleção Existem basicamente três maneiras de seleção mais importantes.Captura entidades que estão contidas dentro da janela ou que cruzarem a linha tracejada de uma janela.1. 3º Windows . Nesta aula serão vistas algumas das ferramentas essenciais para o início da organização do desenho e edição das entidades criadas.Select Window Clique na tela um vértice da janela de seleção e abra a janela. basta clicar sobre os objetos de interesse. Se a janela passar sobre um objeto apenas parcialmente. 17. A seleção se confirmará quando o objeto mostrar suas linhas pontilhadas e marcadores de edição (azuis. Selecionando por Janela . o mesmo não será selecionado.‟ é exibida na Barra de Comando.. PRECISÃO E EDIÇÃO.2.

Para ativar o menu OSNAP basta clicar no botão do meio do mouse se este for configurado para tal. portanto não o veremos neste curso.3. Este nome é dado ao menu de comando de precisão do AutoCAD. completamente ou parcialmente serão selecionadas. Algumas das opções do menu OSNAP são direcionadas para desenhos tridimensionais. Se não quiser o OSNAP. Selecionando por Limites . se caso desejar precisar capturar um ponto e ele acende outro. Modo ENDpoint – Ponto final de linhas. senão pressione as teclas Shift + Enter e selecionar com o botão de seleção a opção de precisão desejada.17.1. Para um melhor desempenho das funções evite deixar todos ligados. Para desenhos que exigem precisão é muito importante a utilização desses comandos. que são comandos que reconhecem pontos importantes de entidades. a partir de agora utilizados com bastante frequência. Os comandos de precisão serão.Select Crossing Clique na tela um vértice da janela de seleção e abra a janela. Pontos Notáveis – Osnap Veremos agora uma parte muito importante do nosso curso: o menu OSNAP. pois muitas vezes podem capturar pontos não desejáveis. pressione o botão de seleção fora dele ou utilize a opção None.1. pois somente a partir deles você conseguirá um projeto confiável. Todas as entidades dentro da janela. arcos e polylines . se este tiver sido clicado acidentalmente. podemos “forçar” a entrada clicando o seu ícone ou mesmo digitando as letras iniciais em negrito abaixo. 18. COMANDOS DE PRECISÃO 18. qualquer que ela seja. da direita para a esquerda.

arcos e polylines INTersetion –Intersecção de dois objetos como segmentos de reta.etc OSNAP SETTINGS . SISTEMA DE COORDENADAS 18.Desenha linhas paralelas a outras linhas existentes. você procura um center point de um circulo.Extente um ponto sobre a extensão de objetos CENter – Centro de círculos e Arcos QUAdrant – Define os pontos dos polos de círculos e arcos( os pontos 0º.Atrai para um ponto de inserção de um bloco. DICA: podemos utilizar a tecla “TAB” do teclado para alternar entre os object snap ligados onde você precisa capturar um ponto de referencia no meio de muitos outros próximos – ex. int.Ponto médio de linhas. EXTension . mid. tendo a coordenada 0. o programa exibe a faixa de coordenadas positivas X e Y. 18.90º.Atrai para um ponto desenhado com o comando point.MIDpoint . posicionada no canto inferior esquerdo da área gráfica.Cancela todas as opções de snap ativas: end. só funciona com a projeção Polar ligada INSert .180º e 270º graus) mais próximos.Atrai para um ponto do objeto que esteja mais próximo ao ponto especificado NONe .Atrai um ponto que faz intersecção aparente entre dois objetos. TANgent – Tangente a círculos e arcos a partir do último ponto definido PERpendicular – Atrai para o ponto de um objeto que um alinhamento normal ou perpendicular com o outro objeto PARallel. e para isso clicamos o TAB ate que o center que desejamos seja selecionado. mas próximo a ele existe um midpoint. uma intsecção. atributo (que contém informações de um bloco) NODe . através do botão direito do mouse mais shift.cen. .Ativa a caixa de dialogo do comando OSNAP Podemos ainda ter acesso às ferramentas de osnap. ou através do botão direito do mouse a partir de um comando.varcos e splines APParent Intersection. A origem é um ponto importante da coordenada porque pode ser usada como referência para desenhos diversos.1. Sempre ao abrir um novo desenho. NEArest . UCS O AutoCAD utiliza a notação de coordenadas cartesianas X e Y como padrão.0 como origem. círculos. texto.

Vários comandos do AutoCAD solicitam ao usuário que especifique uma primeira localização através da digitação de um ponto. 20 . 2º ponto da linha Specify next point or [Undo]: 18. o CAD também funciona baseado num sistema cartesiano de coordenadas. por exemplo. indicando a direção dos eixos coordenados. o comando Line (linha). os dois ou três vetores indicam a direção dos eixos. Exemplo: Command: LINE Specify first point: 10. Primeiramente digita-se a coordenada X e depois a Y. sendo três eixos ortogonais entre si: X. No desenho em duas dimensões serão utilizadas apenas as coordenadas X e Y. separadas por vírgula.2.25 (80 unidades em X e 25 em Y). são especificadas as coordenadas X e Y. . Pela linha de comando procede-se da seguinte forma: quando um comando pedir um ponto como. Por exemplo: 80. e o quadrado ao redor da cruz de origem indica a orientação positiva (para fora da tela) do eixo Z (caso não apareça. digite as coordenadas X e Y. Y e Z. O decimal se dá por ponto (como prega o padrão inglês). Sistema de Coordenadas Cartesianas Como na matemática. a orientação do eixo Z é para dentro da tela). Dessa forma. sendo a coordenada Z assumida como zero. Abaixo. 40 . A cruz indica a origem do sistema de coordenadas. separadas por vírgula. está o ícone do UCS. 1º ponto da linha Specify next point or [Undo]: 40.

Por exemplo. se o eixo Z estiver invertido será no sentido horário) o ângulo. Sistema de Coordenadas Relativas As coordenadas relativas são designadas por uma arroba (@) na frente do dado digitado. 18. Isto confere uma orientação indicando um deslocamento relativo ao último ponto referenciado. a 30 graus). ao se fazer uma linha que comece em 10.10 e termine num deslocamento de 10 em X e 20 em Y: @10. A partir da orientação do eixo X conta-se no sentido anti-horário (regra da mão direita no eixo Z. mas pode ser mudado para radiano ou grado).20. Já o polar indica um ponto num sistema de raio e ângulo. e o raio característico do ponto. .4. tendo como centro a coordenada 0 (zero) unidades de raio e 0 (zero) grau (como padrão.3. Sistema de Coordenadas Polares O sistema cartesiano prega a projeção das coordenadas em eixos ortogonais. por exemplo: 50<30 (cinqüenta unidades de raio. o sistema de ângulo no AutoCAD é o grau.18.

os arcos. referenciando o deslocamento ao último ponto. Começaremos pelos vários estilos de linhas. opção “Toolbars” 16. Desenhando linhas Depois acertados todos os parâmetros iniciais. Todos podem ser acessados na linha de comando. etc. Os elementos que compõem um desenho podem ser: linhas. as elipses. Existem no AutoCAD vários comandos para desenhar linhas. que possuem menus flutuantes de mesmo nome. As principais são as linhas.1. que pode ser acionada através do menu de barras “View”. textos. por exemplo: @60<15. COMANDOS DE DESENHOS As primitivas geométricas são entidades gráficas usadas para modelar o desenho à medida que o mesmo for sendo desenvolvido. os círculos. Os comandos se situam no Menu Draw. A maior parte dos comandos de construção está no menu de barras Draw e Modify. as polilinhas.As coordenadas relativas funcionam de forma análoga às coordenadas cartesianas. 16. que são utilizados em diferentes ocasiões. etc. São eles: . vamos começar a desenhar. arcos. Esses comandos estão no menu de barras “Draw” ou na barra de ferramentas “Draw”. círculos.

propriamente ditas. Basta digitar U. Barra de ferramenta DRAW • RAY – Comando para construção de semi-linhas (possuem uma das extremidades tendendo ao infinito). . menores e mais realistas são seus traços. • SPLINE – Constrói POLYLINES com cantos arredondados. só que estas são infinitas nas duas extremidades. Barra de ferramenta DRAW • MULTLINE – Constrói várias linhas com um mesmo comando e todas elas compondo uma só entidade. Este estilo de linha pode fazer arcos. • POLYLINE – Constrói várias linhas em série formando uma só entidade. O comando POLYLINE também pode ser “explodido” e transformado em várias entidades. as CONSTRUCTION LINE constroem linhas auxiliares. São ajustáveis pro comandos próprios de modificação de MULTLINES. É imprimível. clicando na área de trabalho ou dando uma dimensão via teclado (veremos este método posteriormente). Pode-se fechar um “polígono de linhas” digitando C (Close) na Linha de Comando. São linhas formadas por pequenas outras linhas e tomam o formato com que percorremos o cursor de tela na área de trabalho. splines (linhas com cantos arredondados). Pode-se também voltar (apagar) a última linha sem sair do comando através do comando UNDO utilizado dentro do comando LINE. que cada vez menor.• LINE – Constrói linhas. etc. modificar e construir. que não faz parte do desenho em si. mas somente dentro do DRAWING LIMITS especificado. • CONSTRUCTION LINE – Assim como o RAY. A utilização do comando UNDO dentro de outros comandos é válida para a maioria dos comandos utilizados para desenhar. Este comando pede um incremento. Este comando pede um ponto inicial e um ponto final da linha. criar espessuras. Este tipo de linha é uma linha auxiliar. Barra de ferramenta DRAW • SKETCH – Constrói linhas que parecem ser feitas a mão.

2. se o polígono será inscrito ou circunscrito.16. selecionar a opção Edge. sendo que ambas podem ser alteradas acessando na barra de menus a opção: Format . . Os tipos de pontos são controlados pela variável Pdmode e o tamanho controlado pela variável Pdsize.1 Comando Point – po Comando utilizado para a representação de pontos no desenho. Comando Polygon – pol Comando utilizado para gerar polígonos. Pode-se também desenhar o polígono definindo a dimensão do lado. Deve-se informar o número de lados (de 3 a 1024). para isso.3.Point Style. Barra de ferramenta DRAW 16. Ferramenta DRAW 16. Basta.2. o centro. e o raio.

com o mouse ou por coordenadas. circunscrito à circunferência. Width (largura). 16. O valor do raio também pode ser dado pelo posicionamento do mouse. sendo que o primeiro referese à um polígono inscrito numa circunferência e o segundo. Barra de ferramenta DRAW Ainda temos a opção de desenhar definido: Chamfer (chanfro).c Comando usado para desenhar círculos. devemos definir os vértices de uma das diagonais do retângulo. Para isso temos cinco possibilidades: • Centro e raio: O primeiro ponto é o centro e em seguida o raio.5. Fillet (cortar). Para isso.Barra de ferramenta DRAW Abaixo. um exemplo de um retângulo feito com as coordenadas @30. De maneira simples. Comando Circle . Comando Rectangle – rec Possibilita desenhar retângulos. Elevation (elevação). Thickness (espessuras).4. e logo após informar o segundo ponto da mesma diagonal do retângulo.15. . dotada de mesmo raio que a primeira. o procedimento consiste em informar o primeiro ponto desta diagonal. um exemplo de dois polígonos de cinco lados. Abaixo. 16.

• TTR (tangente.8 Comando Arc . tangente e raio): O círculo traçado será tangente a duas entidades selecionadas e um raio definido pelo usuário. sendo que podemos escolher o parâmetro a ser configurado primeiro: • 3 Points: O arco é ajustado através de três pontos fornecidos. e em seguida o diâmetro. • 3 pontos: O círculo será criado através de três pontos distintos. O ponto selecionado na entidade não necessariamente será o ponto de tangência. que é o sentido positivo para o dimensionamento dos arcos. O valor do diâmetro também pode ser dado pelo posicionamento do mouse. O arco não se deforma. centro e final. 16. sendo selecionadas as duas retas como objetos de tangência.a Comando utilizado para a geração de arcos através de vários métodos diferentes. a distância entre os dois pontos estabelecidos será igual ao diâmetro. • 2 pontos: O círculo será gerado pela definição do diâmetro. ou seja.• Centro e diâmetro: O primeiro ponto é o centro. • SCE: Ponto inicial. A geração sempre se dará no sentido anti-horário. Barra de ferramenta DRAW A seguir. ou seja mantém o raio . um exemplo de um círculo feito com a opção TTR. Barra de ferramenta DRAW Há onze maneiras diferentes de se fornecer os pontos para se desenhar um arco.

ponto final e raio. Este ângulo é definido entre a horizontal e a tangente. • CSE: Centro. . Caso o ângulo seja negativo. o raio deverá ser positivo e para o maior arco. exceto que o ponto central passa a ser o primeiro. o arco será traçado no sentido anti-horário. Se desejar o menor arco. • SED: Ponto inicial. A direção da tangente pode ser atribuída através de um ângulo.constante o tempo todo. o ângulo deverá ser negativo. o raio será negativo. • SEA: Ponto inicial. ponto final e direção da tangente. • SER: Ponto inicial. O ponto inicial do arco será o último ponto dado e este arco será tangente à linha. exceto que o ponto central passa a ser o primeiro. Abaixo. o arco será traçado no sentido horário. centro e comprimento da corda. ponto inicial e comprimento da corda. • CSL: Centro. O arco será desenhado no sentido antihorário. o centro e o ângulo. ponto final e ângulo. O mesmo que o SCA. exceto que o ponto central passa a ser o primeiro. Para desenhá-lo no sentido horário. • SCL: Ponto inicial. O mesmo que o SCL. ponto inicial e ângulo. • CSA: Centro. um exemplo da utilização do comando arc. ou ao arco anteriormente desenhado. • SCA: Dado o ponto inicial. • Continue: Caso especial para se desenhar tangentes a uma linha ou a outro arco. Também podem ser traçados arcos diferentes para mesmos pontos inicial e final. O mesmo que o SCE. ponto inicial e ponto final. em relação ao ponto inicial. O comprimento da corda não pode ultrapassar o valor do diâmetro.

Valores maiores que 0 (zero) determinam uma maior suavidade das curvas. • Fit Tolerance: Permite o ajuste das curvas através de uma tolerância indicada pelo usuário. mas neste caso. com eixos de 5 e 12 unidades de medidas. .16. o primeiro ponto fornecido é o centro da elipse. determina que a Spline passe pelos pontos indicados. • Centro e dois eixos: Muito semelhante ao modo anterior. • Eixo e excentricidade: Define-se um dos eixos e em seguida sua excentricidade. a da esquerda possui tolerância zero e a da direita. sobre pontos atribuídos pelo usuário. 16. mais suavizada.spl Cria curvas denominadas Beta-splines cúbicas ou quadráticas.el Comando utilizado para a representação de elipses. devendo ser definidos apenas o ângulo de início e fim do arco que será excluído. Comando Ellipse . possui tolerância cem.6. que são geradas como polilinhas. Barra de ferramenta DRAW Há três maneiras de interagir com o comando. Comando Spline . A seguir.7. Valor igual a 0 (zero). Barra de ferramenta DRAW A seguir estão desenhadas as mesmas Splines. um exemplo de utilização do comando ellipse. • Arco de elipse: Constrói arcos de elipse utilizando os mesmo recursos vistos anteriormente.

ou auxiliam na criação de desenhos e formas novas.1. Por exemplo: uma Polilinha. que podem alterar todo objeto. Também corresponde à tecla Delete quando selecionado um objeto. COMANDOS DE EDIÇÃO Os comandos de edição modificam as propriedades inerentes de cada entidade geométrica.2. definido anteriormente. Comando Move – m O comando Move serve para deslocar um objeto a partir de um ponto de referência.1. 19. . Ferramenta MODIFY 19. mostrase a barra de edição padrão do AutoCAD. 19. a partir das entidades já existentes.ATENÇÃO: Acabemos de concluir os comandos para desenho de linhas acrescentado o importante significado de entidade: Uma entidade é todo e qualquer objeto do AutoCAD que forma uma unidade de identificação por este. Sendo assim. eles possuem propriedades únicas. um Retângulo feito com o comando RECTANG são unidades únicas e são alteradas sempre em conjunto. Abaixo.1.1 Comando Erase – e O comando Erase apaga um objeto. Barra de ferramenta MODIFY 19.

definido anteriormente. ou o ângulo de rotação.1.Barra de ferramenta MODIFY 19. .3. um ponto de referência e um segundo ponto de deslocamento. Comando Copy – co O comando Copy é utilizado para copiar um objeto a partir de um ponto de referência. Comando TRIM – tr Comando utilizado para cortar uma ou mais entidades que se interceptam com outras entidades. Barra de ferramenta MODIFY 20. Barra de ferramenta MODIFY 19. definindo-se o centro de rotação.1. que intersecionem o limite anteriormente escolhido. entrar com o subcomando Fence (f). Se o usuário pressionar a tecla Shift. guiando-se pelos pontos do próprio desenho. o comando Trim passará a ser executado com as propriedades do Extend.1. Comando Rotate – ro O comando Rotate serve para rotacionar um objeto.1. Ainda há a possibilidade de após executar o comando Trim.4. o usuário poderá rotacionar seu objeto sem precisar saber qual o ângulo de rotação. Posteriormente selecionam-se as extremidades das entidades que serão cortadas. Barra de ferramenta MODIFY Ao ativar o comando é necessário selecionar as entidades que servirão como limites para o corte. Utilizando o subcomando Reference. Também faz múltiplas cópias. todas com o mesmo ponto de referência. e com este ativado passar uma reta em todas as entidades a serem cortadas.

f Comando utilizado para fazer concordância entre entidades gráficas. o comando Extend passará a ser executado com as propriedades do Trim. entrar com o subcomando Fence (f).20. Quando a opção de seleção for Polyline e a entidade selecionada também. Barra de ferramenta MODIFY Ao acionar o comando. Comando EXTEND Comando utilizado para estender entidades até um limite previamente estabelecido. Ainda há a possibilidade de após executar o comando Extend. Comando FILLET . 20. é necessário selecionar os limites de extensão e em seguida. O raio de concordância é definido na opção Radius.2. Se o usuário pressionar a tecla Shift.3. a concordância será realizada em todos os vértices da mesma. selecionar a entidade a ser estendida.1. Barra de ferramenta MODIFY Ao ativar o comando. é necessário definir o raio da concordância e selecionar as entidades a serem modificadas. A opção Trim permite que o usuário escolha se quer que as linhas de base sejam apagadas ou não.1. e com este ativado passar uma reta em todas as entidades a serem estendidas. Observações: . Essas configurações podem ser modificadas sem que o usuário necessite sair do comando.

A opção Trim. já na segunda as duas retas forma unidas através do comando com as distâncias iguais a 0 (zero) unidades de medida e na terceira a primeira distância é igual a 6 e a segunda igual a 3 unidades de medida. a escolha da opção Polyline. ou numa polilinha.4. demonstra-se o efeito do comando Fillet. do mesmo modo que no comando Fillet. 20.• As entidades não precisam necessariamente. como no comando Fillet. Na primeira imagem apresentam-se apenas duas retas. Abaixo. A seguir. Method faz a alternância entre os modos Distance e Angle. Na primeira imagem apresenta-se apenas duas retas.1. o comando junta duas entidades formando um canto vivo. demonstra-se o efeito do comando Chamfer. já na segunda as duas retas foram unidas através do comando com raio igual a 0 (zero) unidades de medida e na terceira o raio é igual a 6 unidades de medida. . A escolha de Angle permite determinar uma distância e o ângulo de inclinação do chanfro. A opção Distance permite especificar as duas distâncias do chanfro (na primeira e segunda linha). estar se interceptando para que seja feita a concordância. É necessário especificar a distância a ser chanfrada para cada segmento. permite que o usuário determine se as linhas de base serão apagadas ou não. isto é. Barra de ferramenta MODIFY Ao utilizar o comando. Comando CHAMFER . Multiple possibilita fazer múltiplos chanfros sem a necessidade de executar o comando varias vezes. permite chanfrar todos os vértices. o comando prolonga as entidades e faz a concordância. se isso ocorrer.cha Comando que permite criar um chanfro entre dois segmentos de linha. • Se o raio de concordância definido for zero.

20. determinando também a distância entre as mesmas.1.6. etc.7. Barra de ferramenta MODIFY 20. isto é. A seguir.1. cor.o Comando que permite a criação de cópias paralelas a entidades previamente selecionadas. hachuras e entidades de dimensionamento em entidades simples. tipo de linha. Comando EXPLODE . Existem dois tipos de matrizes: . A entidade gerada com o comando Offset mantém as mesmas características da entidade selecionada.20. compostas por arcos e segmentos de retas. espessura.1. Comando OFFSET .x Comando que transforma blocos. primeiro com uma distância de 3 unidades de medida em relação à reta e depois com uma distância de 1. polilinhas.5 unidades de medida para o interior do retângulo.. Comando ARRAY – ar Uma matriz será definida pelo número de entidades que o usuário deseja que se repitam numa distribuição uniforme. Barra de ferramenta MODIFY Ao ativar o comando é necessário selecionar a entidade e informar a distância e o lado em que será criada a cópia.5. isto é.. exemplos da utilização do comando offset.

Abaixo. • Polar: Quando se deseja uma matriz com seus elementos distribuídos ao longo de um arco. .1. pode-se informar a distância entre as entidades da matriz. deve-se informar ao programa o número de linhas e colunas que se deseja fazer. Barra de ferramenta MODIFY A seguir. deve-se informar a distância entre linhas e colunas que se deseja. pode-se visualizar a utilização do comando mirror. informando-se o número de entidades da matriz e o ângulo que a distribuição cobrirá.8.Barra de ferramenta MODIFY • Retangular: Quando se deseja uma matriz em distribuição retangular. Existe a opção de apagar o objeto fonte do espelhamento ou deixá-lo inquirido quando se desejar. a primeira imagem mostra apenas um retângulo. abrindo um retângulo de seleção entre a posição de duas entidades consecutivas. a primeira imagem mostra a entidade a ser espelhada e o eixo de espelhamento e a segunda já mostra o novo objeto gerado. As linhas serão distribuídas no eixo X e as colunas no Y. Comando MIRROR O comando Mirror faz o espelhamento de uma ou várias entidades ao longo de um eixo definido pelo usuário. A opção “ rotate itens as copied” permite que os elementos da matriz sejam rotacionados ao longo de sua posição ou então apenas transladados. Array Retangular (centro) e Polar (direita) a partir de um elemento (esquerda) 20. Opcionalmente. já na segunda foi aplicado o comando array do tipo retangular e na terceira foi aplicado o comando array do tipo polar. Após.

Fatores de escala maiores de 1 conferirão ao objeto um aumento em proporção. Os comandos utilizados para a colocação de textos no desenho são: Text e Mtext. mantendo apenas o ponto de referência fixo. em relação a um ponto de referência. O resto poderá ser livremente movido.9. de tal sorte que o objeto manipulado sofra um deslocamento em relação a sua posição original. Fatores de escala menores de 1 conferirão ao objeto uma redução em proporção.10. Barra de ferramenta MODIFY 22.S Stretch é a palavra inglesa para distorção.sc O comando Scale escalona os objetos selecionados em relação a um ponto de referência dado.1.1. TEXTOS Os textos são considerados entidades primitivas dentro do AutoCAD. utilizando-se de uma janela aberta da direita para a esquerda. Comando STETCH . O objeto será distorcido da seguinte maneira: Durante a seleção. O comando solicitará ao usuário que selecione os objetos a serem distorcidos com uma janela de seleção. Barra de ferramenta MODIFY 20. O texto é considerado uma entidade única e . Comando SCALE . A distância dos objetos ao ponto de referência também será escalonada. como mostra a figura abaixo.20. deixe de fora os pontos finais do objeto a permanecerem fixos.

o comando continua pedindo mais textos a serem escritos abaixo e com as mesmas . Em algumas fontes existem algumas variações de estilo que podem ser alterados no quadro FONT STYLE. O texto aparece dinamicamente no local em que foi definido. o que exige muito processamento por parte do computador. Backwards: escreve textos de trás para frente. no comando TEXT STYLE. que poderia significar um tipo de texto que é utilizado somente em observações) através do botão NEW. O botão RENAME renomeia o nome do texto selecionado e o botão delete apaga o nome do texto selecionado. altura e ângulo de rotação. encontraremos no menu Format.Neste campo poderemos criar um nome para o nosso texto (por exemplo: o texto observação. • Font . 22. ou escolher um tipo de justificação (tipo de alinhamento do texto). Vertical: escreve textos verticalmente. Se este for zero. • Preview . Text . • Effects . Após digitar o texto e teclar Enter. As letras que aparecem no campo Preview podem ser modificadas no campo que aparece abaixo deste. pois cada linha é uma entidade. WidthFactor: fator de espessura da fonte (textos em formato Bold ou negrito). Pode-se apagar o texto com a tecla Backspace.Podemos selecionar o tipo de fonte a ser usada no quadro FONT NAME. o qual nos mostrará a seguinte janela: Vejamos a função de cada campo: • Style Name . Para formatar para um novo tipo de texto e seus parâmetros.dt Uma vez acionado o comando Text.não letra a letra.1. tão logo seja iniciada a digitação. a altura e outros parâmetros podem ser previamente definidos com o comando Style.Podemos também alterar alguns outros itens o referentes a posição e formatação do texto na área gráfica: Upside Down: escreve preços de ponta-cabeça.Mostra a pré-visualização do texto. Se este for diferente de zero então este valor será fixo e não pode ser alterado durante a utilização do comando SINGLE LINE TEXT. A fonte. ou seja. é necessário indicar um ponto no desenho onde será localizado o texto. como ficará o texto. o quadro HEIGHT define o tamanho do texto. o tamanho do texto pode ser definido quando ativado no comando SINGLE LINE TEXT. antes de teclar Enter. Oblique Angle: textos que podem ter um ângulo obliquo (textos em formato itálico). tornando cada regeneração do desenho mais lenta.

o comando nos pede para abrirmos uma área na área de desenho e então é ativada a seguinte barra de ferramentas: 22. que portam as entidades do desenho criadas pelo usuário e atribuem a elas algumas características que posteriormente irão refletir na configuração de impressão. dentro de certos limites especificados no início do comando. Ele pode ser ativado através do menu Draw Text. Ao ativar. abre-se a caixa de diálogo Multiline Text Editor onde o usuário pode definir parâmetros de caracteres como: estilo. altura. rotação e parâmetros referentes à opção de busca/substituição. Mtext – t Permite criar textos em forma de parágrafo rapidamente.1. Estrutura e Organização do Desenho 25. parâmetros de propriedades como: estilo. É também uma forma de atribuir características em massa. e acessar a ajuda.2. símbolos. 22. Para encerrar o comando. porém. Ddedit – ed O comando é ativado para a edição de um texto já digitado. cor. justificação. O primeiro muda de linha e o segundo confirma o texto. a um conjunto de elementos semelhantes. abrindo uma caixa de diálogo que permite a alteração do texto ou acioná-lo através de um clique duplo na entidade. espessura. importação de textos. Este comando é recomendado para fazer tabelas simples e notas explicativas nos desenhos e projetos.características do texto anterior. . Ao ativar o comando. sua grande vantagem é a possibilidade de importar arquivos de outros editores de texto. 25. é preciso teclar Enter duas vezes. As Camadas de um Desenho – Layers O desenho no AutoCAD se estrutura em camadas independentes entre si.4. O editor de textos do AutoCAD é similar a qualquer outro editor de textos encontrado no mercado. com o comando MULTILINE TEXT.

Agora. cria-se como padrão layers para cada elemento distinto do desenho. Para começar a desenhar em outro layer: Sem ter objetos na seleção. mude o layer ativo. 25.Trabalhar com níveis de desenho (layers) é o mesmo que utilizar várias folhas de papel transparente sobrepostas. Um novo layer é criado e será pedido seu nome.3. Cada folha contém uma parte do projeto. Lembre-se sempre que pela cor de um objeto serão definidas as configurações de impressora.2. conforme o exemplo a seguir. defina a cor do layer. previamente à sua utilização efetiva. portanto. Layers – Criando Uma camada de desenho é criada através do comando layer. que abre a caixa de diálogo de gerenciamento de camadas. Layers – Manipulando Para trocar um objeto de um layer: Selecione o objeto e mude para o layer desejado. Por definição existe apenas o layer 0. De modo geral. 25. e quando sobrepostas completam o desenho. . utilize cores iguais para layers cujos elementos possuirão mesma espessura de linha na plotagem. Para criá-los pressione o botão New. Vejamos agora a criação e manipulação de layers.

Para travar um layer: Abra a lista de layers e aperte no pequeno cadeado a ser travado. mostra-se a barra de ferramentas de cota padrão do AutoCAD. Para excluir um layer. Para Impedir a Impressão de um layer: Abra a lista de camadas e aperte na pequena impressora ao lado do layer desejado. Muito embora estas configurações sejam absolutamente pessoais. que ao serem explodidos separam-se em suas formas primárias e deixam de serem vinculados às entidades.Para Desligar um layer: Abra a lista e aperte na pequena lâmpada do layer a ser desligado. Todos os objetos na camada sumirão. Layers – Excluindo As camadas são excluídas também pelo comando layer. É importante frisar que as linhas de cota funcionam como blocos.4. 25. Abaixo. tornam-se entidades totalmente integradas ao desenho. Não há problema com a cota. apenas os tamanhos de seus elementos podem estar configurados de maneira a destoar com a escala do desenho. . renomear ou modificar suas propriedades ative o comando layer e modifique pela caixa de diálogo as propriedades desejadas. Os objetos desaparecerão da tela e não poderão ser mais rastreados. só poderão ser excluídas as camadas que não tiverem objetos. Porém. cabe ao desenhista colocá-las em tamanho compatível com o resto do desenho. acompanhando deformações e movimentos das entidades as quais estão relacionadas e atualizando automaticamente seus valores e alinhamentos. 23. Selecione o layer desejado na lista e pressione o botão Delete e confirme 23. Formatando as Linhas de Cota Muito provavelmente que ao inserir uma cota o usuário irá se deparar com tamanhos absurdos na linha de cota inserida. Embora visível nenhum objeto poderá ser modificado.1. mas ainda poderão ser rastreados. que ao serem colocados em seus respectivos lugares e definidos seus atributos pertinentes. Para Congelar um layer: Abra a lista de layers e aperte no pequeno sol ao lado da camada a ser congelada. DIMENSÕES Uma ferramenta importante no AutoCAD é a automatização das linhas de dimensões.

Lines and Arrows Neste tablete podem ser modificados os parâmetros das linhas de cota correspondentes ao tamanho e tipo de linhas e setas. Após abrir o comando.1. comparando com o estilo similar. . • Botão Set Current – Torna o estilo selecionado no campo Styles o estilo corrente. Recomenda-se deixá-las atreladas ao bloco no qual a linha de cota é inserida (opção By Block). Esta janela também dá acesso a diversos botões para criação / modificação / serviços dos estilos de cotas. também encontrado no menu Format – Dimension Style.O comando que acessará o menu de configurações das cotas será Dimstyle. • Preview – Mostra um exemplo de como vão ficar as cotas (pré-visualização).1. aperte no botão Modify. • Dimension Lines Color e Lineweight: Modificam os parâmetros correspondentes à cor e espessura das linhas. • Description – Mostra uma descrição do estilo selecionado. que permite alterar as configurações. Criando um novo estilo de dimensionamento 23. • List – Mostra todos os estilos de cota existentes (all styles) ou só os estilos em uso (styles in use). • Styles – Mostra os estilos de cota existentes.

23. Horizontal: Posição em relação à horizontal da linha de cota. • Text Placement Vertical: Posição em relação à vertical da linha de cota. Offset From Dimension Line: Distância entre o texto e a linha de cota. Arrow Size: Especifica o tamanho das setas. Size: Especifica o tamanho. • Arrowheads 1st. Baseline Spacing: Especifica o espaçamento entre a cota e a cota de base. Supress: Suprime o lado direito ou esquerdo da linha de cota. • Text Alignment Especifica opções de alinhamento dos textos das linhas de cota. 2nd: Especifica o tipo de seta a ser colocado nos limites da linha de cota. para indicadores. bem como colocação dos textos e utilização de uma escala multiplicadora do valor indicado nas linhas de cota (útil no caso de alguma configuração diferente de escala). Leader: O mesmo.2. de acordo com o determinado na Text Color: Define a cor do texto. Offset From Origin: Especifica a distância do início da linha de extensão ao ponto especificado de início.Extend Beyond Thick: Estende a linha de cota além dos limites da seta final no tamanho especificado. • Extension Lines Color e Lineweight: Funcionam de maneira semelhante ao especificado anteriormente. Fit O menu Fit.2. 23. Extend Beyond Dimension Lines: Especifica de quanto a linha de extensão ultrapassará a linha de cota. mostra configurações de posicionamento de textos e setas.1. semelhante ao definido para as linhas de cota. Text Height: Define o tamanho do texto.3. • Center Marks for Circles Type: Especifica o tipo de marca central para arcos e circunferências. de modo geral. Text • Text Appearance Text Style: Define o estilo adotado para as cotas. .

porém no campo Multiplier for All Units deve ser inserido o fator de conversão para a unidade secundária. Colocando Cotas Existem basicamente oito tipos principais de linhas de cota que o AutoCAD oferece ao usuário.2.2.23. Round Off: Regra de arredondamento. se diferente do padrão. Para aplicála.5. São elas: 23. Cota Linear A cota linear sempre será alinhada com a direção dos eixos cartesianos.2.4. • Measurement Scale: Define um multiplicador para as medidas • Zero Supression: Suprime os zeros à esquerda e à direita dos números inteiros.1. . científico. em modo decimal.6. ou afastamento do objeto. • Angular Dimensions: As mesmas opções acima. Decimal Separator: Caractere separador entre inteiro e decimal. Primary Units O menu Primary Units configura o modo de exibição dos valores da linha de cota nos seus seguintes atributos: • Linear Dimensions Unit Format: Formato do número. Como isto é um caso específico do desenho mecânico. 23. Alternate Units O menu Alternate Units permite que uma medida alternativa seja exibida com a principal.2.2. Seus comandos são idênticos ao menu Primary Units. Elas cobrirão quase toda necessidade que venha a surgir na confecção de uma planta. 23. Prefix e Sufix: Colocação de um prefixo ou sufixo às medidas. não importando a inclinação do objeto ela sempre expressará a dimensão em relação a X ou Y. a direção do eixo que ela deve estar e a sua posição. portanto. entre outros. 23. fracionário. define-se o ponto inicial e final da linha de cota. por exemplo. mas aplicado às cotas angulares. Precision: Casas fracionárias apresentadas. Tolerances O menu Tolerances oferece a possibilidade de exibir tolerâncias de cotas. numa faixa definida pelo usuário. caso queira-se cotar ao mesmo tempo em metros e polegadas. não será abordado aqui com maiores detalhes.

23. sendo portanto. um arco ou uma circunferência. Cota Contínua A cota contínua faz com que automaticamente inicie uma nova linha de cota adjacente àquela selecionada. as duas consecutivamente. Feito isto.23. Por padrão. Após.2. Cota Alinhada A cota alinhada dará a menor distância entre dois pontos selecionados pelo usuário. a uma distância informada.2.4. valendo lembrar que o programa dá ao usuário a opção de inserção considerando o prolongamento dos lados do ângulo. seu suplementar. Basta apenas o usuário definir com a direção do mouse o local da linha de cota. Eles funcionam da mesma maneira. 23. no caso de linhas. sendo necessário informar o objeto a ser cotado e a posição da linha de cota dentro do segmento de arco ou circunferência. . ela continuará a partir da última linha de cota desenhada. complementar ou oposto. sendo que o usuário definirá a posição dela acima ou abaixo do objeto. passível de ser colocada inclinada em relação aos eixos cartesianos. 24.5. deve definir o local onde será inserida a linha de cota.2. Cota Diametral e Radial Essas cotas servem para informar o raio ou o diâmetro de determinada entidade. sem a necessidade de uma mudança de coordenadas. visto que a cota contínua somente encerrará quando fechado o comando pelo usuário. Procede-se da mesma forma que o item anterior.2.2. Com a tecla de Escape o programa pede que se selecione a linha de extensão a continuar.3. O usuário deve selecionar o objeto a ser cotado. continue com o procedimento normal. cotando o ângulo principal. Cota Angular A linha de dimensão angular dará uma medida de ângulo entre duas linhas de vértice comum.

esta deve estar inteiramente dentro da visão da área de desenho. conforme a direção que é dada no cursor do mouse. 21. Cota de Base A Baseline Dimension coloca uma linha de cota de base. 21. 23.7. por exemplo.1. O menu Hatch é composto de várias propriedades: . Primeiramente. pisos em desenhos de arquitetura.8. 23. polilinhas ou derivadas. como. de modo semelhante à cota contínua. e automaticamente faz o espaçamento dela de acordo com o especificado em sua configuração (visto logo adiante). Fazendo e Configurando uma Hachura – h O comando Bhatch (bh ou apenas h) abre o menu de inserção de hachura. Porém o programa atrela o início da cota de base a uma linha já existente. dando ao usuário acesso aos atributos da entidade. Esta região deve ser delimitada por linhas. Abscissa e Ordenada Insere no desenho o valor correspondente à coordenada do ponto. As hachuras serão inseridas como blocos no desenho.2. e no momento de ser selecionada a área a ser hachurada. quem desenha deve indicar a região a ser hachurada. HACHURAS Hachuras são especialmente úteis quando se quer inserir um padrão a uma área do desenho.23. fechadas obrigatoriamente. antes de sua inserção.2.6. Explicar-se-ão os menus em seguida. possuindo elas propriedades especiais que serão vistas adiante. Centro Insere no desenho duas pequenas linhas em forma de cruz no centro da entidade selecionada (arcos ou circunferências).2.

ANSI ou personalizadas). • Custom Pattern: Caso o usuário deseje gravar uma hachura personalizada.dwg). etc. entre outros. 23. através do comando Wblock. círculos. Os Blocos podem ser inseridos apenas nos desenhos em que foram criados. • View Selection: Visualiza os objetos selecionados para hachura. ângulo. permitindo que ela se atualize caso suas fronteiras forem mudadas. 23. que possui os seguintes parâmetros para definição: • Name: Especificar o nome que será dado ao bloco. formadas a partir de um conjunto de primitivas geométricas (linhas. A cada Bloco criado. tal como mobiliário. • Scale: Escolhe a escala a ser aplicada a hachura. associa-se um determinado nome. Escalas maiores significam densidades menores e vice-versa. é necessário transformá-los em arquivos independentes (.).• Type: Seleciona o tipo da hachura (Predefined. Os Blocos são entidades especiais. que se comportam como uma entidade gráfica única. • Hacht origin: Permite selecionar o ponto de origem da hachura. . Caso clique-se neste campo. User defined. • Add: Pick Point: Escolhe um ponto no interior desenho. para utilizálos em outros desenhos. • Inherit Properties: Herdar propriedades de uma hachura já realizada (escala. dentro da área a ser hachurada. • Associative: Associa a hachura a suas fronteiras. que utilizamos repetidas vezes.1. É aberta uma caixa de diálogo Block Definition. tipo. diretamente no mesmo comando. Make Block – b Permite a criação de blocos. como mostra a figura a seguir. arcos. • Add: Select Objects: Escolhe objetos fechados para serem hachurados. sendo possível inseri-lo num desenho quantas vezes forem necessárias. janelas. etc). • Pattern: Seleciona o padrão da hachura a ser aplicada (ISO. ou criá-los. através do uso de “blocos”. • Remove boundaries: Permite Remover “ilhas”. Nestes casos o AutoCAD nos permite agilizar e otimizar o trabalho. O menu Advanced contém algumas outras sugestões de hachuras: • Island Detection Style: Define o método de detecção de ilhas dentro da área a ser hachurada. • Angle: Escolhe o ângulo de inclinação da hachura. indicando no desenho as áreas fechadas que não se deseja hachurar. portas. Custom). BLOCOS Existem desenhos dentro de um projeto. • Swatch: Permite a hachura selecionada ser visualizada. em diferentes escalas e ângulos de rotação. indicando no desenho qual.

o AutoCAD assumirá o seu ponto 0. convertidas em bloco. Insert Block . Location: Indique o diretório onde será salvo o novo arquivo. e do contrário.2. É por meio deste ponto. reduzida. os recursos de inserção serão acessados pela área de comandos. Caso o valor seja maior que “1”. Parâmetros de definição: • Insert Point: Especifique o ponto de inserção. Este ângulo também pode ser fornecido via teclado entre valores de 0 a 360º. Ao acionar o comando. ou por intermédio de um ponto. ou apagadas. • Objects: Basta clicar no botão Select Objects e selecionar os objetos que farão parte do bloco. no desenho. abre-se a caixa de diálogo Insert.0 como ponto de base. • Specify On-Screen: Com esta opção ativada. a janela Block Definition desaparece e é possível escolher o ponto visualmente (devem-se usar as ferramentas de precisão).• Base Point: É o ponto de base para inserção. Objects: O arquivo será criado a partir de objetos selecionados. • Explode: Permite a inserção do bloco na forma explodida. É aberta uma caixa de diálogo Write Block. Caso o desenho a ser inserido não tenha um ponto de inserção. Write Block – wblock Cria um novo arquivo de desenho com os blocos já criados. Parâmetros de definição: • Source: Block: A criação de arquivo será feita a partir de um bloco previamente criado ( File Name automaticamente adota o nome do bloco) Entire Block: O arquivo será criado a partir do desenho atual. respectivamente. onde se pode escolher o bloco ou arquivo e definir os parâmetros para inserção. • Destination: File Name: Criar um nome para o arquivo. o ângulo será formado entre este ponto e o ponto de inserção. As opções Retain. O bloco criado por Wblock pode ser usado em qualquer outro desenho. .i Comando utilizado para inserir os blocos previamente criados. Clicando-se no botão Pick Point. 23. Uniform Scale mantém a proporção original entre os eixos.3. através do campo Angle. Convert to Block e Delete. o bloco será fixado no desenho. a escala será ampliada. descartando a caixa de diálogo. • Rotation: Indica o ângulo de rotação em que será inserido o bloco. controlam o que será feito com as entidades originais: serão mantidas no desenho. ou mesmo a partir de objetos. • Scale: Determina o valor de escala em relação a um eixo específico. Teclar enter para finalizar. que quando inserido. 23.

COMANDOS DE AVERIGUAÇÃO São comandos que retornam valores numéricos ao usuário. Assim é possível inserir um bloco criado por Wblock em outro desenho. Dist – di Dá a distância entre dois pontos selecionados. os blocos devem ser criados no layer “0”.para otimizar o trabalho no AutoCAD. ou cujos vértices o operador informa. 24.3. Para isso deve-se escrever o nome do bloco neste espaço. 24. 24. DICAS: Criação de uma Biblioteca .2. com o nome Biblioteca. Area – aa Dá a área correspondente a um polígono selecionado pelo operador. o próximo passo é transformá-los em blocos através do comando Wblock. correspondentes a dimensões e padrões sobre o objeto ou poligonal selecionada. • Browse: Permite inserir um arquivo de desenho. 26. é interessante a criação de uma biblioteca pessoal com os desenhos mais utilizados no desenvolvimento de projetos. além de facilitar a edição. porta60x210. e desenhar todos os componentes da futura Biblioteca. • Para manter a limpeza e organização dos seus projetos. criar um arquivo base. O processo usual é bastante simples: • Criar uma pasta. • Uma atenção especial deve ser dada aos nomes dos blocos.dwg com os blocos criados. IMPRESSÃO E PLOTAGEM . Será aberta a janela Select Drawing File. 24. visando facilitar a identificação do mesmo no momento de sua utilização. • Após concluído o trabalho de construção da Biblioteca. ou acionar a caixa de diálogo tipo cortina (dessa maneira aparecerá uma lista de todos os blocos na memória do desenho). como uma espécie de backup dos elementos da Biblioteca. juntamente com suas dimensões). Informa também deltas de deslocamento nos eixos coordenados. porta70x210. uma lista com os arquivos *. a nomenclatura utilizada deve identificar o elemento (bloco) de maneira clara.1. onde foram desenhados todos os blocos.4. • No AutoCAD.dwg e seus respectivos diretórios. • Depois de concluído o trabalho de desenhar os elementos que se deseja disponibilizar na biblioteca.• Name: Permite inserir um bloco criado neste desenho. nesta pasta ficarão armazenados todos os arquivos *. é aconselhável conservar o arquivo base. etc (identificando o elemento contido no arquivo da biblioteca. em seu computador. 23. List – li Dá os parâmetros de dimensão e posição de uma entidade. Exemplo: porta80x210.

e escolha a opção Viewport. pois se procederá a esta configuração mais tarde. Aparecerá a imagem de todo o desenho. onde se passa a ter uma escala do desenho e as unidades definidas. procede-se à montagem da prancha. Clique duas vezes dentro do viewport e faça o zoom. em milímetros. 26. Use para a prancha as mesmas ferramentas que foram utilizadas para o modelo. o Layout. onde está o desenho em escala real e unidades arbitrárias. Aparecerá o diálogo de configuração da impressora. ou melhor. é descrito o procedimento. Montagem da Prancha – O Paper Spac O AutoCAD trabalha com dois ambientes de trabalho diferentes e independentes. Após a montagem do desenho no espaço do modelo. O modelo. Zoom Scale – z. preferencialmente fora da projeção do papel. Inicialmente muda-se o ambiente de trabalho clicando com o mouse numa das orelhas inferiores da tela. O parâmetro que o programa pedirá será a escala do desenho. Tabela 1 . O Zoom é feito na opção Scale. e o “papel”.Tamanho de folhas segundo padrões da ABNT Tipo A0 A1 A2 A3 A4 Largura 1189 841 594 420 297 Altura 841 594 420 297 210 Escolha o formato que melhor encaixe seu projeto. A seguir. vá ao menu View. em milímetros. Abaixo seguem as medidas padrão dos tamanhos de papel. Não esqueça que agora as unidades deverão ser compreendidas em milímetros. com maior número de detalhes a serem observados é o processo de impressão da prancha. Paper Space. Abra o viewport como se fosse um retângulo. qual deve ser cancelado. s O zoom do viewport determinará a escala da impressão. 26.1. . a qual segue uma lógica diferente do desenho em si. A projeção do papel deverá ser esquecida momentaneamente.Talvez o passo do projeto mais complicado. na orientação paisagem.2. já pensando em termos de impressão. Após desenhadas as margens. Um viewport é na realidade uma janela que abre uma imagem para o modelo e insere o desenho na folha. Desenhe as margens de sua prancha. por padrão.

constam na lista. há diferentes tipos de tamanhos de papéis. Na seção Paper size. Nota: A opção Limits apenas aparece quando a caixa de diálogo Plot é acessada quando se está na guia Model. com a opção de habilitar Fit to paper. 27. Clique no botão ao lado Add para criar uma nova configuração. assim. No grupo Plot area é definida a área do desenho que será plotada. Plot offset especifica o afastamento das bordas do papel. acesse a caixa de diálogo Plot pelo comando Plot ou no menu Print Plot. escolha a impressora para plotar o seu desenho. quando ele está desenhado em metros: z – s – 1000/50XP. Em Plot scale a escala do papel é definida. o tamanho desejado é escolhido. pois essa é a unidade que o paper space utiliza por definição.pc3 como exemplo. 26. que imprimem o desenho salvando-o em formatos desejados como PDF ou imagem JPG. Em seguida. Por exemplo. imprimirá a área de visualização atual do desenho da aba Model. Selecionando a opção Display. controla a escala com o que todos os objetos sejam impressos. Utilizaremos a impressora virtual DWG To PDF. será impresso todo o desenho de forma que ele se encaixe na folha de impressão.Primeiro. A2. Note que os tamanhos padrões A1. para escalonar-se um desenho para 1:50. O mesmo acontece para a opção Layout. Utilizando a opção Extents. deve ser digitado o fator de conversão do desenho para milímetros. No grupo Page setup você escolhe uma configuração pré-existente ou cria uma nova que pode ser utilizada toda vez que você for imprimir um mesmo desenho. Seguido da indicação XP. No grupo Printer/plotter. porém quando se está em alguma das guias Layout. Após uma barra e o fator de redução para a escala desejada. digite o nome para identificá-lo. alterando a escala. Ainda na caixa de diálogo. Limits imprime a área delimitada pelo limite e Window permite a seleção de uma área para ser impressa.3. Clique em Apply to layout para salvar as configurações e após no botão Cancel para voltar a área de impressão. BIBLIOGRAFIA . Para cada impressora escolhida. A3 etc. Mais opções para plotagem podem ser definidas nessa caixa de diálogo que não serão abordadas neste tutorial. Pode ser escolhida também impressoras virtuais. Configurando a Impressão Para mudar as configurações de impressora e papel.