Novo Acordo Ortográfico

Alfabeto
O alfabeto é formado por 26 letras

Trema
O trema é eliminado em palavras portuguesas e aportuguesadas.
O trema permanece em nomes próprios estrangeiros e seus derivados : Müller, mülleriano , hübneriano.

Acentuação
Não se acentuam os ditongos abertos –ei e –oi nas palavras paroxítonas.
• • O acento nos ditongos –éi e –ói permanece nas palavras oxítonas e monossílabos tônico de som aberto: herói, constrói, dói, anéis, papéis, anzóis. O acento no ditongo aberto –éu permanece : chapéu, véu, céu, ilhéu.

Não se acentua o hiato –oo. Não se acentua o hiato –ee dos verbos crer, dar, ler, ver e seus derivados ( 3ª p.pl.). Não se acentuam as palavras paroxítonas que são homógrafas.
• O acento diferencial permanece nos homógrafos: pode ( 3ª pessoa do sing. Do presente do indicativo do verbo poder e pôde (3ª pessoa do pretérito perfeito do indicativo). • O acento diferencial permanece em pôr (verbo) em oposição a por (preposição).

aparecem combinados com elementos tambem iniciados por –r: hiper-rancoroso. semi. socioeconômico etc. anti.Não se acentua o –u tônico nas formas verbais rizotônicas (acento na raiz). inter. inter-relação. neo-helênico. terminados em –r. hiper-requintado.hemorrágico. super-racional. super –realista. O uso do hífen permanece nos compostos com prefixo em que o segundo elemento começa por –h : ante. coeducação. como já acontecia anteriormente na língua em compostos como: antiaéreo.hipófise. • O uso do hífen permanece nos compostos em que os prefixos super. antiamericanismo. extra-humano. super-resistente. anti.herói. Uso do hífen Não se emprega o hífen nos compostos em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segunda elemento começa por vogal diferente. hiper-requisitado. • Esta nova regra normatiza os casos do uso do hífen entre vogais diferentes. hiper. hiper-realista. anti-higiênico. quando precedido de –g ou –q e seguido de –e ou –i (grupos que/qui e gue/gui) Não se acentuam o –i e –u tônicos das palavras paroxítonas quando precedidas de ditongo. super-homem. agroindustrial. super-revista etc. inter-regional. supra-hepático etc.herbáceo. • Não se emprega o hífen nos compostos em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por vogal diferente. • .

adjetivas. arco-da-velha. bemhumorado. -guaçu e –mirim. Não se emprega o hífen em certos compostos em que se perdeu.Emprega-se o hífen nos compostos em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por vogal igual. contra-argumento.e pan. mal-humorado. à queima-roupa. • O uso do hífen permanece nas palavras compostas que não contem um elemento de ligação e constituem uma unidade sintagmática e semântica. Santa Rita do Passo-Quatro. e) Nos topônimos iniciados pelos adjetivos grão e grã ou por forma verbal ou por elementos que incluam um artigo: Grã-bretanha. em geral. ao . b) Nos compostos com os prefixos circum. não se usa o hífen. mesmo que o segundo elemento comece pela vogal o : cooperação coordenar. à vontade. bem-estar. contra-almirante. pronominais. aquém . pão de mel. m ou n : pan-americano. a fim de que etc. jacaré -açu.deus-dará. mal-estar. bem como naquelas que designam espécies botânicas e zoológicas : ano-luz. supra-auricular. semiintegral.axilar. pé-de-meia. cor-derosa.atmosférico. fim de semana. o hífen permanece). formiga-branca etc. recém -casados. como já acontecia anteriormente na língua em compostos como: auto. couve-flor. • Estes compostos. malcriado e malvisto) g) Nos compostos com os elemento além. mal-me-quer. como –açu. aquém. extra.ótica. bem-visto ( ao contrario de malnascido. além-fronteiras. paraná -mirim. adverbiais. ( Nestes casos. pró– e pós– quando o segundo elemento tem vida própria na língua : pré-natal. circum-navegação.quando o segundo elemento começa por vogal. d) Nos compostos terminados por sufixos de origem tupi-guarani que representam formas adjetivas. pós-graduação. sem-teto.: ex-marido. soto-mestre. c) Nos compostos com prefixo tônicos acentuados pré-. acerca de. • São exceções algumas locuções já consagradas pelo uso : água-de-colônia. em certa medida. soto. tenente-coronel. a noção de composição. quando o primeiro elemento acaba em vogal acentuada graficamente ou quando a pronuncia exige a distinção gráfica entre ambos: amoré-guaçu. Observações gerais 1. eletro. bem-criado. conta-gotas. recém e sem: além-mar.observação. • Esta regra normatiza todos os casos do uso do hífen entre vogais iguais.pró-desarmamento. Entretanto. guarda-chuva. prepositivas ou conjuntivas) : cão de guarda. infra-assinado. O uso do hífen permanece: a) Nos compostos com os prefixos ex-. • No caso do prefixo co-. anteriormente grafados em uma única palavra. 2. abaixo de. sem-numero. escrevem-se agora com hífen por força da regra anterior. supra. beija-flor. nem sempre os compostos com o advérbio bem escrevem-se sem hífen quando este prefixo é seguido por um elemento iniciado por consoante : bem –nascido.oceano. etc. café com leite. vice-. Ceará -Mirim. Não se emprega o hífen nas locuções de qualquer tipo ( substantivas. infra-axilar. sala de jantar. segunda-feira. verbais. ele próprio . médico-cirurgião. azul-escuro. cor de vinho. mantendo acento próprio. vice-presidente. Baia de Todos-os-Santos etc. manacá -açu. mais-que-perfeito. ultra-apressado. f) Nos compostos com os advérbios mal e bem quando estes formam uma unidade sintagmática e semântica e o segundo elemento começa por vogal ou –h: bem-aventurado. .