ORÇAMENTO DE OBRAS PÚBLICAS E A POLÊMICA DO BDI

Maçahico Tisaka

SINDUSCON SP PINI SERVIÇOS

RAZÕES DA POLÊMICA
Inexistência até há pouco de uma metodologia atualizada, isenta, consistente, de fácil aplicação, aceita pelas partes “Metodologia existente” superada pelas mudanças na conjuntura econômica, legislação contábil, fiscal e tributária BDI não é igual para qualquer obra Literatura técnica escassa e pouco disponível Uso político do BDI nos órgãos públicos Concorrência predatória – inútil cálculo do BDI Mito da “caixa preta” ainda não superada

CONCEITO TRADICIONAL DO BDI Benefício e Despesas Indiretas Bonificação + Despesas Indiretas CONCEITO POPULAR DO BDI É lucro da empresa É lucro bruto + administração É margem de lucro É lucro + imposto .

RETROSPECTO Artigo na Revista Construção São Paulo Iniciativa do Instituto de Engenharia Livro – Critérios para fixação dos Preços de Serviços de Engenharia Fórum de Debates para a busca de uma metodologia de cálculo que atendesse todas as partes intervenientes Regulamento do BDI .

COMO É CALCULADO O ORÇAMENTO NA CONSTRUÇÃO PV = CUSTO DIRETO + BDI • Cálculo do Custo Direto .Elaboração da Planilha de Custo Direto • Cálculo do BDI .

O QUE MUDOU NA NOVA REGULAMENTAÇÃO “METODOLOGIA DO CÁLCULO DO ORÇAMENTO DE EDIFICAÇÕES” “COMPOSIÇÃO DO CUSTO DIRETO E DO BDI” “REGULAMENTO DO BDI” .

Transporte.EPI Mobilização/Desmobilização Tributos Benefício .VELHOS E NOVOS CONCEITOS TRADICIONAL CUSTO DIRETO Planilha de Custos Unitários NOVO CONCEITO CUSTO DIRETO Planilha de Custos Unitários Encargos Complementares Administração Local Canteiro de Obras Mobilização/Desmobilização BDI Administração Central Taxas de risco Custo financeiro Tributos Comercialização Lucro BDI Administração Central Administração Local Canteiro de Obras Alimentação.

CÁLCULO DO CUSTO DIRETO ( MONTAGEM DA PLANILHA DE CUSTOS) Composição dos custos unitários • Leis sociais básicos e complementares Outros custos diretos • Canteiro de Obras • Administração Local • Mobilização e Desmobilização • Seguro de vida em grupo .

EPI e ferramentas manuais) . transporte.O. + materiais + equipamentos (de acordo com o seu consumo aplicados diretamente na obra definitiva) Composição da M. Salário + Leis Sociais + encargos diretos do trabalhador (refeições.PLANILHA DE CUSTO DIRETO A composição dos custos unitários: M.O.

Encargos Complementares Refeições 34.93 7.27 34.00 125.S.93 EPI – Ferramentas-seguros 7.12 Reincidências 126.68 Total L.08 Total Geral Horista Mensalista 38.08 76.30 72.00 176.47 7.30 33.47 Transportes 7.95 4.ENCARGOS BÁSICOS E COMPLEMENTARES Encargos básicos 38.67 .26 Incidências 16.

COMPOSIÇÃO DO BDI Administração Central Despesas Específicas Despesas Rateadas (Rateio) Taxa de Risco do Empreendimento Taxa de Custo Financeiro Tributos Federais e Municipal Taxa de Comercialização Lucro • • .

. proporcional ao seu porte. refeições.ADMINISTRAÇÃO CENTRAL • DESPESAS ESPECÍFICAS • RATEIO DA ADMNISTRAÇÃO CENTRAL – – Geradas na sede central que são específicas de uma determinada obra: • Gerente do contrato (parcial ou integral). etc. • Outras despesas (viagens. É a cota de despesas.) • Consultorias especializadas.

.TAXA DE RISCO DO EMPREENDIMENTO • É APLICADO QUANDO: Empreitada integral ou global. Prazo duvidoso. Projeto pouco detalhado. Especificações mal feitas. Incertezas no pagamento.

– Desconto de faturas em bancos. – Taxa de juros do mercado. – Financiamento da obra ou serviços. – Custo do capital de giro. .CUSTO FINANCEIRO • É APLICADO QUANDO: – Prazo de pagamento acima de 7 dias da medição.

65% 3.38% 2.88% 0.80% 2.65% *7.71% LUCRO REAL C/MAT S/MAT 1.38% 5.20% 1.60% (1.08% 0.90%) 0.00% 4.50%) (1.50%) (0.38% 2.00% 14.00% 16.65% 3.00% 8.00% 17.65% 7.03% 0.60% PIS COFINS IRPJ CSLL CPMF ISS Total 0.00% 1.90%) (0.03% .TRIBUTOS E CONTRIBUIÇÕES LUCRO PRESUMIDO C/MAT S/MAT 0.31% PIS COFINS IRPJ CSLL CPMF ISS Total *1.38% 5.

etc. anúncios. certidões Seguros ARTs Propagandas.TAXA DE COMERCIALIZAÇÃO Não é Custo Direto Não é Custo Indireto O QUE É: Compra de editais Preparação de propostas Viagens. .

Custo de oportunidade do capital aplicado.Reserva de contingência bruta pretendida pela empresa” .Manutenção da capacidade administrativa gerencial e tecnológica da empresa. .CONCEITO DE LUCRO “Remuneração . . .Investir na qualidade e formação profissional .Capacidade de reinvestir no próprio negócio.

PRINCIPAIS FÓRMULAS PREÇO DE VENDA PV = CD PARA CALCULAR O BDI  BDI =     1+   BDI 100     (1+ i)(1+ r)(1+ f ) −1 x100   1− (t + g + c + l )   .

NOVA METODOLOGIA DE CÁLCULO DO ORÇAMENTO • • • • • • • Velha reivindicação dos orçamentistas. Atende os requisitos da legislação vigente. Respalda a atuação dos orçamentistas. Preço justo para ambas as partes envolvidas. Base para laudos de peritos judiciais. Roteiro fácil de ser seguido. . Garante maior transparência.

• Total transparência nos procedimentos. • BDI palatável para qualquer gestor público. • Atende o interesse público. .EPÍLOGO • O “Regulamento do BDI” atende a legislação contábil. recursos. • Orçamento justo para contratantes e contratadas. aditivos e prorrogações de prazos. • Evita contestações. fiscal e tributária.

com Tel.org.FIM bdildi@ie.br mtisaka@hotmail.: (11) 3721-4411 .